Publicidade

Arquivo de maio, 2012

quarta-feira, 30 de maio de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu, História, Seleção Brasileira | 15:10

França, Brasil e as maiores invencibilidades de seleções

Compartilhe: Twitter

A Seleção Francesa venceu no último final de semana a Islândia por 3 x 2, de virada, e chegou a marca de 19 jogos sem derrota. O time do técnico Blanc não perde desde o dia 3 de setembro de 2010, que caiu diante da Bielorússia (0 x 1), em jogo válido pela Eliminatórias da Euro.

Com essa marca, a França tem agora a maior sequência invicta de uma seleção na atualidade, deixando  para trás a Seleção de Costa do Marfim, que ostenta uma invencibilidade de 17 partidas. A Seleção Brasileira também vem com uma boa sequência (9 jogos sem derrota). Caso não perca seus próximos três amistosos (Estados Unidos, México e França) e termine o torneio de futebol Olímpico invicto (seis jogos), poderá se aproximar desse recorde atual de invencibilidade.

Mas para chegar ao recorde de invencibilidade de uma seleção, porém, ainda falta muito para essas seleções atuais. Brasil e Espanha detém as maiores sequências com 35 jogos sem derrota cada.  Confira abaixo as maiores invencibilidades:

Seleção Jogos Período
Brasil 35 16/12/1993 a 21/1/1996
Espanha 7/2/2007 a 24/6/2009
Argentina 31 19/2/1991 a 15/8/1993
Espanha 7/9/1994 a 28/1/1998
Hungria 30 4/6/1950 a 4/7/1954
Françe 16/2/1994 a 9/11/1996
Brasil 29 8/3/1970 a 9/6/1973
Coreia do Sul 28 3/9/1977 a 4/3/1979
Colômbia 27 31/7/1992 a 7/4/1994
Itália 25 13/10/2004 a 16/8/2006
Holanda 10/9/2008 a 11/7/2010
Brasil 24 4/10/1975 a 1/4/1978
Gana 22/7/1981 a 7/6/1983
Tchecoslováquia 23 13/11/1974 a 17/11/1976
Alemanha Oc. 11/10/1978 a 1/1/1981
Brasil 1/2/1981 a 5/7/1982
Brasil 3/6/1997 a 10/2/1998
Alemanha 22 6/6/1996 a 25/3/1998
Escócia 7/4/1879 a 17/3/1888
Brasil 21 18/9/1957 a 12/12/1959
Brasil 12/7/1960 a 17/3/1963
Françe 29/3/2003 a 25/6/2004
México 8/9/2004 a 29/6/2005
Inglaterra 20 15/3/1890 a 4/4/1896
União Soviética 26/3/1980 a 14/6/1982
Austrália 21/9/1996 a 16/12/1997
República Tcheca 12/2/2002 a 31/3/2004
Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 22 de maio de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu, História, Liga dos Campeões | 13:17

Chelsea iguala Manchester United em conquistas recentes

Compartilhe: Twitter

Impulsionado desde 2003 pelos milhões de euros do bilionário russo Roman Abramovich, o Chelsea vem aos poucos deixando tradicionais rivais para trás e se consolidando como o clube mais vitorioso do futebol inglês. A briga recente do clube de Londres vem sendo travada com os rivais de Manchester: City e United.

No campo dos investimentos, o Chelsea vem duelando com o City para ver qual o clube mais poderoso nas contratações e investimento. Nos últimos dez anos, os Blues torraram 868,7 milhões de euros contra 746,4 dos Citizens. Essa diferença, porém tende a diminuir logo, já que o Manchester City foi comprado em setembro de 2008 e desde então gastou 581,9 milhões de euros contra 287,7 do Chelsea.

Confira abaixo o dinheiro gasto em contratações pelos principais clubes ingleses nas últimas dez temporadas e também o quanto eles ganharam vendendo jogadores. Valores em milhões de euros.

Compra
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 0,0 172,2 161,9 91,3 94,7 60,9 30,5 28,5 126,6 102,1 868,7
Man. United 48,3 57,0 61,3 31,8 27,2 103,5 45,3 27,4 29,3 57,3 488,4
Man. City 48,5 16,5 1,5 12,5 7,5 78,0 157,3 147,3 182,5 94,8 746,4
Arsenal 10,7 43,5 12,0 46,0 15,1 31,3 40,2 12,0 23,0 78,3 312,1
Liverpool 29,0 15,7 58,4 44,1 49,0 87,7 71,2 43,5 97,5 65,3 561,4
Tottenham 10,5 30,0 47,1 36,5 61,0 94,1 142,5 40,3 26,1 8,5 496,6
Venda
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 3,2 1,0 3,3 34,0 50,5 44,7 25,8 3,9 16,5 30,8 213,7
Man. United 3,8 60,1 9,6 7,9 24,8 44,4 7,5 104,5 18,1 15,5 296,2
Man. City 1,1 6,6 11,8 32,6 4,3 41,4 26,6 29,5 41,6 29,7 225,2
Arsenal 10,8 1,2 3,9 25,0 16,0 57,1 25,8 47,7 9,2 64,7 261,4
Liverpool 11,5 0,0 24,6 19,0 21,0 45,5 46,3 49,9 101,5 22,9 342,2
Tottenham 1,4 2,0 10,5 22,7 38,7 22,9 85,1 31,8 2,9 43,2 261,2
Diferença
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 3,2 -171,2 -158,6 -57,3 -44,2 -16,2 -4,7 -24,6 -110,1 -71,3 -655,0
Man. United -44,5 3,1 -51,7 -23,9 -2,4 -59,1 -37,8 77,1 -11,2 -41,8 -192,2
Man. City -47,4 -9,9 10,3 20,1 -3,2 -36,6 -130,7 -117,8 -140,9 -65,1 -521,2
Arsenal 0,1 -42,3 -8,1 -21,0 0,9 25,8 -14,4 35,7 -13,8 -13,6 -50,7
Liverpool -17,5 -15,7 -33,8 -25,1 -28,0 -42,2 -24,9 6,4 4,0 -42,4 -219,2
Tottenham -9,1 -28,0 -36,6 -13,8 -22,3 -71,2 -57,4 -8,5 -23,2 34,7 -235,4

.

Já dentro das quatro linhas, o Chelsea vem brigando com o Manchester United pela hegemonia do futebol da Inglaterra e para ver também qual é o clube inglês mais bem sucedido na Europa. Com as recentes conquistas da Copa da Inglaterra e da Champions League, o Chelsea chegou a 10 títulos nos últimos dez anos, igualando o poderoso time de Alex Ferguson.

Fundado em 1905, o Chelsea havia conquistado 9 títulos até 2003 (2 Recopas Europeias, 1 Campeonato Inglês, 3 Copas da Inglaterra e 2 Copas da Liga Inglesa). Desde a chegada de Roman Abramovich, foram 10 conquistas: 1 Liga dos Campeões, 3 Campeonatos Ingleses, 4 Copas da Inglaterra e 2 Copas da Liga Inglesa). Nesse período, o Manchester United levou 1 Liga dos Campeões, 5 Campeonatos Ingleses, 1 Copas da Inglaterra e 3 Copas da Liga Inglesa).

Confira abaixo o retrospecto dos seis clubes que mais investiram no futebol inglês nas últimas dez temporadas:

Camp. Inglês
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea 3 4
Man. United 5 3
Man. City 16º 15º 14º 10º 1 0
Arsenal 1 2
Liverpool 0 1
Tottenham 10º 14º 11º 0 0
Copa Inglaterra
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea QF OF OF SF QF 4ªF 4 0
Man. United OF OF QF SF 3ªF SF 4ªF 1 2
Man. City 3ªF 3ªF 4ªF QF QF 4ªF 3ªF OF 3ªF 1 0
Arsenal SF 4ªF OF OF SF 4ªF QF OF 2 0
Liverpool 4ªF OF 4ªF 4ªF OF 4ªF 3ªF 3ªF 1 1
Tottenham 3ªF 4ªF QF 3ªF QF 4ªF 4ªF SF 4ªF SF 0 0
Copa Liga Inglesa
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea QF QF 3ªF OF QF 3ªF QF 2 1
Man. United OF SF OF 3ªF QF QF 3 1
Man. City 3ªF OF 3ªF 2ªF 2ªF QF 2ªF SF 3ªF SF 0 0
Arsenal 3ªF SF QF SF SF QF QF QF 0 2
Liverpool OF 3ªF QF QF OF OF 3ªF 2 1
Tottenham 3ªF QF QF 2ªF SF QF 3ªF 3ªF 1 1
Liga dos Campeões
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea SF SF OF SF SF OF QF 1 1
Man. United QF OF OF 2ªF SF QF 1ªF 1 2
Man. City 1ªF 0 0
Arsenal 3ªF QF OF OF QF SF QF OF OF 0 1
Liverpool 2ªF OF SF QF 1ªF 1 1
Tottenham QF 0 0
Liga Europa
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea 1ªF 0 0
Man. United OF 0 0
Man. City 2ºF QF OF 0 0
Arsenal 0 0
Liverpool QF OF SF OF 0 0
Tottenham QF OF 3ªF 2ªF 0 0

.

.SF: Semifinal; QF: Quartas de final; OF: Oitavas de final; 1ªF: Primeira fase; 2ªF: Segunda fase; 3ªF: Terceira fase; 4ªF: Quarta fase

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 18 de maio de 2012 Copa do Brasil, Estatísticas, História | 14:25

Grêmio pode alcançar marcas históricas na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Com a vitória sobre o Bahia, ontem, por 2 x 1, o Grêmio chegou a sua sétima vitória em sete jogos na Copa do Brasil de 2012. Essa campanha com 100% de aproveitamento nos primeiros jogos repete as duas melhores sequências obtidas desde 1989. Em 1995, o Flamengo, também dirigido por Vanderlei Luxemburgo, ganhou seus sete primeiros jogos. Aquela equipe, que tinha Romário e Sávio no ataque, só foi empatar no 8º jogo, na partida de volta das quartas de final, contra o Cruzeiro (1 x 1). Na fase seguinte, porém, o time caiu diante do Grêmio.

Já no ano passado, o Coritiba também ganhou os seus sete primeiros jogos e foi perder justamente no jogo de volta das quartas de final. Depois de golear o Palmeiras no jogo de ida (6 x 0), o Coxa foi derrotado no Pacaembu (2 x 0), na partida que também quebrou a série de 24 vitórias consecutivas da equipe paranaense no ano.

O Grêmio, agora em 2012, jogará com o Bahia em casa e poderá alcançar a 8ª vitória consecutiva na Copa do Brasil e atingir então um feito inédito na competição.

Além disso, a equipe de Luxemburgo poderá se tornar o 9º campeão invicto em 24 edições da Copa do Brasil. Porém, ainda tem a chance de ser o único a levantar a taça com 100% de aproveitamento. Para isso, deverá vencer os cinco jogos restantes. Difícil, mas possível.

Até hoje, dos quatro títulos do Tricolor Gaúcho na Copa do Brasil, três foram de forma invicta (1989, 1994 e 1997). Os outros clubes que conseguiram levantar a taça sem derrota foram Flamengo (1990), Criciúma (1991), Corinthians (1995) e Cruzeiro (2000 e 2003). Em 2003, aliás, o técnico da Raposa era justamente Vanderlei Luxemburgo.

Com 7 vitórias, o Grêmio também está próximo de alcançar o recorde de vitórias em uma única edição, do Coritiba, em 2011, que venceu 9 de seus 12 jogos. Se chegar à final, o Grêmio poderá até superar essa marca.

Outro recorde a ser batido pelo Grêmio em 2012 pode ser o do melhor aproveitamento de um campeão. Até hoje, as melhores campanhas são a do próprio Grêmio de 1989 e do Corinthians de 1995. Ambos venceram 8 e empataram 2 de seus 10 jogos, ficando com um aproveitamento de 86,7% dos pontos. Para superar, o time de Luxa precisá, pelo menos, vencer três e empatar dois dos jogos restantes.

Para completar, o Grêmio tem a chance de se tornar o maior campeão da história da Copa do Brasil, com cinco conquistas. Como o Cruzeiro já foi eliminado, e divide hoje o ranking dos maiores campeões com o Grêmio, o Tricolor Gaúcho segue firme na busca pela hegemonia da Copa do Brasil.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 14 de maio de 2012 Campeonatos Estaduais | 13:50

As façanhas dos campeões estaduais de 2012

Compartilhe: Twitter

O futebol brasileiro conheceu ontem 13 novos campeões estaduais em 2012. Agora, já são 17 os campeões entre os 27 campeonatos disputados no país nesse primeiro semestre.

Desses campeões que saíram até agora, dois conquistaram o estadual pela primeira vez: o Cametá, do Pará, e o Aracruz, do Espírito Santo.

Já três foram bicampeões (Internacional, Santa Cruz e Ceará) e dois tricampeões (Santos e Coritiba).

Dos 17 campeões, apenas um foi invicto: o Atlético-MG.

Veja abaixo as principais façanhas dos campeões estaduais de 2012:

Santos (SP)

– Depois de 43 anos conquistou um tricampeonato no Paulistão.
– Igualou o Corinthians em número de tricampeonatos (três cada).
– Com Neymar, o Santos tornou-se o clube com mais artilheiros na história do Paulistão, superando o Corinthians (22 a 21)
– O zagueiro Durval conquistou o seu 10º título estadual consecutivo: Botafogo-PB (03), Brasiliense-DF (04), Atlético-PR (05), Sport (06, 07, 08, 09) e Santos (10, 11 e 12)
– O técnico Muricy Ramalho conquistou seu sétimo estadual: Náutico-PE (01 e 02), Internacional-RS (03 e 05), São Caetano-SP (04) e Santos (11 e 12)
– Igualou o São Paulo em número de títulos Paulista (20 a 20). O Corinthians lidera o ranking de títulos paulistas com 26, seguido pelo Palmeiras (22)
– Venceu 5 dos últimos 7 estaduais e ainda foi vice em um deles.
– O público de 53.749 torcedores da final de ontem foi o maior do Brasil nos Estaduais 2012.

Fluminense (RJ)
Conquistou seu 31º título Estadual. Agora está um atrás do Flamengo, o maior campeão Carioca, com 32 conquistas. O Vasco tem 22 e o Botafogo 19.
– Venceu seu quarto estadual nos últimos 20 anos (1995, 2002 e 2005)
– Assim como em 2005, o técnico Abel Braga deu o título do Fluminense. Abelão conquistou ainda o Carioca de 2004 com o Flamengo.
– Fred foi o artilheiro do Flu no Estadual com 7 gols. Na competição, os artilheiros foram Loco Abreu (Botafogo) e Alecsandro (Vasco), com 10 gols cada.
– O Vasco foi o clube que mais pontuou no Carioca de 2012 (41 pontos), o Botafogo conquistou 40 e o Flu, o campeão, 36 pontos.

Atlético (MG)
Conquistou o título de forma invicta, depois de 36 anos.
– Venceu o 100º campeonato mineiro da história.
– Não deixou o rival América levanta o título no seu centenário.
– O técnico Cuca venceu o seu terceiro estadual nos últimos quatro anos: Flamengo (2009), Cruzeiro (2011) e Atlético-MG (2012)
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Cruzeiro: 41 x 36.
– O atacante André foi o artilheiro do Galo no Mineiro com 10 gols. Ele ficou apenas um atrás de Wellington Paulista, do Cruzeiro, o goleador do campeonato.

Internacional (RS)
– Conquistou 7 dos últimos dez campeonatos gaúchos foram vencidos pelo Internacional.
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Grêmio: 41 x 36.
– O atacante Leandro Damião foi artilheiro pela segunda vez consecutiva. Algo que não ocorria no Gaúchão desde 1981, com Baltazar, do Grêmio.
– O técnico Dorival Júnior conquistou seu sexto título estadual em seis diferentes estádios: Figueirense-SC (04), Fortaleza-CE (05), Sport-PE (06), Coritiba-PR (08), Santos-SP (10) e Internacional-RS (12)

Bahia (BA)
– O Bahia quebrou um jejum de 11 anos sem título estadual, o maior de sua história. Nesse período, o tricolor viu o rival Vitória ganhar oito vezes o Campeonato Baiano.
– Como título, o Bahia segue bem na frente no ranking de títulos no Estado (44 a 26).
– O técnico Falcão, campeão gaúcho com o Inter em 2011, conquistou seu bi-Estadual.

Santa Cruz (PE)
– Na 22ª final entre Santa Cruz e Sport, o tricolor derrotou o Leão pela 10ª vez e faturou o título Estadual. O Sport ainda leva a vantagem com 12 conquistas.
– Com o bicampeonato estadual, ambos sob o comando do técnico Zé Teodoro.
– Esse é primeiro bi do Santa após 25 anos.
– Com o gol na final, Dênis Marques superou Marcelinho Paraíba e terminou como artilheiro do Pernambucano com 15 gols.
– O Santa Cruz tem agora 25 títulos estaduais contra 39 do Sport e 21 do Náutico.

Coritiba (PR)
– Esse foi o segundo tricampeonato da história do Coritiba.
– O técnico Marcelo Oliveira conquistou o seu segundo estadual título pelo Coritiba. Ele era o técnico do time campeão invicto de 2011. Em 2010, o técnico era Ney Franco.
– Os artilheiros do Coxa na campanha do tri foram os zagueiros Emerson e o meia Lincoln com 8 gols cada. O goleador da competição foi Baiano, do Operário, com 13 gols.
– O Coritiba venceu seis dos últimos dez Campeonatos Paranaenses. O Atlético-PR venceu dois, o Paraná um e o Paranavaí outro.
– O Coxa tem agora 36 títulos estaduais contra 22 do Atlético-PR.

Avaí (SC)
– Com a vitória sobre o Figueirense, o Avaí retormou a hegemonia do futebol catarinense. Agora, tem 16 títulos contra 15 do Figueirense. O Joinville tem 12 conquistas.
– O Avaí foi campeão com o técnico Hemerson Maria, que entrou como interino durante a competição.
– A derrota na final causou a queda do técnico Branco.
– O Figueirense venceu os dois turnos do Catarinense de 2012, mas perdeu as duas partidas da final.
– Os artilheiros da competição foram Aloísio (Figueirense) e Rafael Costa (Metropolitano), ambos com 14 gols. O artilheiro do Avaí foi Cléber Santana com 7 gols.

Goiás (GO)
– O Goiás, do técnico Enderson Moreira, acabou com o sonho do Atlético-GO em conquistar seu inédito tricampeonato.
– O Goiás tem agora 23 títulos estaduais contra 15 do Vila Nova, 14 do Goiânia e 12 do Atlético-GO.
– O artilheiro do Goiano 2012 foi Patric, do Vila Nova, com 14 gols. Pelo Goiás, o goleador foi Ricardo Goulart, ex-Inter, com 8 gols.

Ceará (CE)
O Ceará, do técnico PC Gusmão, bateu o rival Fortaleza e levou seu 41º título Cearense. O Fortaleza tem 39.
– O atacante Felipe Azevedo, que marcou o gol de empate na final e do título, terminou como o artilheiro da competição com 16 gols.

Cametá (PA)
O Cametá Sport Clube, da cidade de Cametá, conquistou pela primeira vez o título Paraense.
– Pelo segundo ano o Pará tem um novo campeão. Em 2011, foi a vez do Independente.
– O Cametá é o sexto clube a vencer o Paraense. Paysandu (44 títulos), Remo (42), Tuna Luso (10), União Esportiva (2), todos de Belém, e Independente de Tucuruí (1), são os outros campeões.
– O técnico Sinomar Naves, que no primeiro turno dirigiu o Remo, que acabou sendo vice-campeão, conquistou o seu terceiro título Paraense.
– Com o título, o Cametá ficou com a vaga do Pará na Série D do Brasileiro.

Campinense (PB)
O Campinense, de Campina Grande, goleou o Sousa por 4 x 0 e conquistou seu 18º título paraibano.
– Botafogo, com 25 conquistas, segue como o maior campeão.

CRB (AL)
– Depois de uma espera de 10 anos o CRB voltou a conquistar o Campeonato Alagoano.
– O campeão soma agora 26 títulos contra 37 do CSA e 7 do ASA, os maiores vencedores.
– Dois ex-jogadores do São Paulo estavam no time campeão: o atacante Aloísio Chulapa e o lateral-esquerdo Jadílson.

América (RN)
– O América voltou a ganhar o Campeonato Potiguar depois de 9 anos.
– Dirigido por Roberto Fernandes, o América estragou o sonho do tri do rival ABC.
– O América tem agora 33 títulos estaduais. O ABC, maior campeão, tem 52.

Aracruz (ES)
– Campeão estadual pela primeira vez, o clube de Aracruz derrotou o Conilon na decisão do Capixaba 2012.

Águia Negra (MS)
– Clube de Rio Brilhante, o Águia Negra levantou seu segundo título estadual – o outro foi em 2007.

Luverdense (MT)
– O clube da cidade de Lucas do Rio Verde conquistou seu segundo estadual (havia sido campeão em 2009).
– Edmar Damião, irmão de Leandro Damião foi campeão pelo Luverdense. Ele formou dupla de ataque com Valdir Papel.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de maio de 2012 Copa Libertadores | 08:50

Corinthians: melhor defesa de um brasileiro na história da Libertadores

Compartilhe: Twitter

O Corinthians garantiu sua classificação para as quartas de final da Copa Libertadores de 2012 com uma boa vitória sobre o Emelec, ontem, no Pacaembu (3 x 0). A equipe de Tite tem agora oito jogos na competição e segue como a única invicta no torneio. Além disso, ao não tomar gol no time equatoriano, o Corinthians manteve a melhor defesa da Libertadores com apenas 2 gols sofridos em 8 partidas.

A média de apenas 0,25 gol sofrido por partida é a melhor de um clube brasileiro na história da Libertadores. E também uma das menores entre todos os participantes desde 1960. Apenas o Junior-COL de 1977 (0,17), o Argentinos Juniors-ARG de 1986 (0,20) e o Boca Juniors-ARG de 1977 (0,23), tiveram médias melhores de gols sofridos na história do torneio sul-americano.

Confira abaixo os clubes com as melhores defesas através da média de gols sofridos em todas as Libertadores, desde 1960:

Ano Posição Clube Jogos Gols sofridos Média
1978 11º Junior (COL) 6 1 0,17
1986 Argentinos Jrs (ARG) 5 1 0,20
1977 Boca Juniors (ARG) 13 3 0,23
1970 Estudiantes (ARG) 4 1 0,25
2010 13º Universitário (PER) 8 2 0,25
2012 Corinthians (BRA) 8 2 0,25
1977 Cruzeiro (BRA) 7 2 0,29
1971 Nacional (URU) 13 4 0,31
1978 Boca Juniors (ARG) 6 2 0,33
1980 Vasco (BRA) 6 2 0,33
2010 São Paulo (BRA) 12 4 0,33
2003 13º Deportivo Cali (COL) 8 3 0,38
1973 San Lorenzo (ARG) 10 4 0,40
1976 Independiente (ARG) 5 2 0,40
1979 Peñarol (URU) 10 4 0,40
2002 Boca Juniors (ARG) 10 4 0,40
1980 Nacional (URU) 12 5 0,42
1980 Internacional (BRA) 12 5 0,42
1982 Cobreloa (CHI) 12 5 0,42
1968 Peñarol (URU) 14 6 0,43
1979 Boca Juniors (ARG) 7 3 0,43
1978 River Plate (ARG) 11 5 0,45

.
.
.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 4 de maio de 2012 Copa do Brasil | 10:46

Relembre as eliminações do Atlético-MG na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Clube que mais vezes disputou a Copa do Brasil (23 participações em 24 edições, ao lado do  Vitória), o Atlético-MG é também o que mais acumula eliminações no torneio: caiu em todas as suas 23 tentativas de chegar à final.

Ontem, diante do Goiás, levou um gol no finalzinho da partida e deu adeus ao torneio já nas oitavas de final. A eliminação precoce foi a 7ª do Galo nas oitavas de final (havia caído anteriormente na mesma fase em 1991, 1992, 1996, 1997, 1998 e 2009). Até hoje, as melhores colocações do time foram as semifinais de 2000 e 2002. Em outras quatro Copas o Galo caiu na segunda fase (1999, 2001, 2004 e 2011). Já em dez oportunidades o time foi eliminado nas quartas de final (1989, 1990, 1994, 1995, 2003, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2010).

Diante do Goiás, o Atlético-MG sofreu sua quarta eliminação em 23 participações. O time goiano é o maior algoz do Galo na competição. Anteriormente, o Goiás passou pelo time mineiro nas edições de 1989, 1990 e 2001. Outros que já tiraram o Atlético-MG mais de uma vez do torneio foram: Botafogo (2007 e 2008), Criciúma (1991 e 1992) e Vasco (1994 e 1995).

Outra curiosidade da eliminação do Atlético-MG na Copa do Brasil é que essa foi a 9ª vez em 23 edições que o clube caiu diante de um adversário que não estava na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Além do Goiás em 2012, o Galo já foi eliminado pelo Criciúma (1991 e 1992), Bahia (1999), Sport (2003), Santo André (2004), Ceará (2005) e Grêmio Prudente (2011), todos que disputaram a Série B no mesmo ano. Além deles, o Atlético-MG foi eliminado ainda diante do Brasiliense na semifinal de 2002, clube que foi campeão da Série C naquele ano.

Já o técnico Cuca fracassou em sua sexta tentativa de ganhar a Copa do Brasil. Em 2000, não passou da primeira fase com o Avaí, diante do Caxias. Em 2002, caiu com o Criciúma na segunda fase contra a Portuguesa. Em 2005, quando dirigia o Flamengo, foi eliminado pelo Ceará nas oitavas. Em 2007 e 2008, levou o Botafogo à semifinal nas duas edições. Na primeira, perdeu para o Figueirense. Na segunda, caiu diante o Corinthians. Agora, em 2012, foi eliminado pelo Goiás.

Confira abaixo as campanhas do Atlético-MG em sua decepcionante história na Copa do Brasil:

Ano Fase PG J V E D GP GC Algoz Divisão
1989 Quartas 9 6 4 1 1 16 4 Goiás
1990 Quartas 8 6 3 2 1 11 4 Goiás
1991 Oitavas 4 4 2 0 2 12 2 Criciúma
1992 Oitavas 6 4 3 0 1 6 3 Criciúma
1994 Quartas 6 6 3 0 3 13 12 Vasco
1995 Quartas 11 6 3 2 1 8 6 Vasco
1996 Oitavas 6 4 2 0 2 6 8 Palmeiras
1997 Oitavas 5 4 1 2 1 7 7 Corinthians
1998 Oitavas 11 6 3 2 1 16 5 Paraná
1999 Segunda 4 3 1 1 1 4 2 Bahia
2000 Semifinal 5 6 0 5 1 8 11 São Paulo
2001 Segunda 4 3 1 1 1 9 5 Goiás
2002 Semifinal 12 10 4 0 6 17 17 Brasiliense
2003 Quartas 21 8 7 0 1 18 7 Sport
2004 Segunda 6 4 2 0 2 9 8 Santo André
2005 Quartas 14 7 4 2 1 17 8 Ceará
2006 Quartas 10 7 3 1 3 13 11 Flamengo
2007 Quartas 14 7 4 2 1 10 5 Botafogo
2008 Quartas 11 7 3 2 2 16 8 Botafogo
2009 Oitavas 10 5 3 1 1 12 5 Vitória
2010 Quartas 15 7 5 0 2 20 6 Santos
2011 Segunda 7 4 2 1 1 12 5 Grêmio Prudente
2012 Oitavas 9 4 3 0 1 10 4 Goiás

.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 3 de maio de 2012 Estatísticas | 09:14

Choradeira corintiana contra arbitragem não procede

Compartilhe: Twitter

O Corinthians deixou o gramado do estádio George Capwell, em Guayaquil, reclamando fervorosamente da arbitragem do colombiano José Buitrago. Seis cartões amarelos, uma expulsão e inversão de faltas foram as principais queixas do time contra o juiz da Conmebol.

Analisando friamente, porém, o chororô corintiano foi enorme pelo fraco futebol apresentado pelo time diante do Emelec, um dos piores classificados para as oitavas de final.

O futebol da equipe do técnico Tite, um dos mais abalados contra a arbitragem, esteve muito aquém do apresentado anteriormente.

Durante a partida, o Corinthians teve sete finalizações, sendo apenas uma certa contra 12 do Emelec, que acertou quatro em direção ao gol. Apenas contra o Cruz Azul, no México, no 0 x 0, o Corinthians foi tão mal assim nas finalizações nessa Libertadores.

Além disso, o Corinthians acertou apenas 189 passes na partida. Na Libertadores, sua média na primeira fase foi de 321 passes certos por jogo. Na última partida, contra o Táchira, no Pacaembu, o time acertou 500 passes.

Contra o Emelec, o Corinthians também teve o seu maior índice de erro de passes (20,6% dos passes dados).

Além disso, o Emelec teve mais posse de bola (51% a 49%). Apenas contra o Cruz Azul nessa Libertadores o Corinthians teve menos posse de bola do que o adversário.

Na faltas, o Corinthians de ontem também esteve pior do que o usual. Em média, o time fez 16,5 faltas por jogo na primeira fase. Ontem, foram 22. Só contra o Nacional, no Paraguai, o time cometeu mais faltas (23).

O nervosismo habitual do Corinthians em jogos de mata-mata em Libertadores parece ter voltado ontem. O elevado número de cartões amarelos e a expulsão (vilões também de edições anteriores), reapareceram diante do Emelec. Na primeira fase, o Corinthians levou 7 amarelos e nenhum vermelho. Só ontem, foram 6 amarelos e uma expulsão.

Todos os cartões foram dados, aliás, com justiça pelo contestado árbitro. O primeiro, logo aos seis minutos de jogo, para o zagueiro Leandro Castan, por reclamação. Nos últimos 55 jogos que fez pelo clube, Castan levou apenas 7 amarelos. Nenhum por reclamação. Sair reclamando acintosamente no início do jogo foi muita ingenuidade do zagueiro. Nunca fez isso antes e não havia motivo para fazer aos 6 minutos de jogo.

No final do primeiro tempo, foi a vez de Jorge Henrique perder a cabeça sem motivo. Ao ser desarmado, tentou dar um botinada no adversário. Não conseguiu e depois insistiu tentando pará-lo com um empurrão numa jogada boba no meio campo. Amarelo justo.

No início do segundo tempo, foi a vez de Émerson tentar empurrar o jogador do Emelec, acertando-o ainda no rosto. A bola já estava dominada pelo time equatoriano e de nada adiantaria o atacante corintiano parar a jogada ali.

Em seguida, aos 7 minutos, Jorge Henrique parou um contra-ataque e foi expulso corretamente. No intervalo, o técnico Tite já deveria ter sacado o exaltado atacante.

Ainda no segundo tempo, Danilo deu um carrinho por trás desnecessário e levou o amarelo com justiça. Edenílson foi reclamar sem motivo e levou o amarelo na jogar. Mais tarde, Chicão parou um contra-ataque e também levou o amarelo.

Com um elenco experiente (14 jogadores já disputaram a Libertadores anteriormente e três já ganharam a competição), faltou inteligência ao Corinthians. Arbitragem confusa e tendenciosa ao time da casa é comum em Libertadores. Por erros assim, o Corinthians deu adeus à competição em edições passadas.

Em 2003, vencia o River Plate por 1 x 0, na Argentina, quando o lateral-esquerdo Kléber agrediu D’Alessandro e foi expulso. Em seguida, o time levou a virada. No jogo de volta das oitavas daquele ano, o lateral-esquerdo Roger se empolgou no clima quente do jogo e foi expulso ainda no primeiro tempo.

Pouco depois, em 2006, a história de repetiu contra o River. No primeiro jogo, na Argentina, saiu na frente, mas depois levou a virada. E ainda teve Mascherano expulso. Na volta, no Pacaembu, se descontrolou após levar o empate.

O lado bom foi que o time não sofreu gol, manteve a invencibilidade e a melhor defesa do torneio (apenas dois gols sofridos em sete jogos).

Autor: Tags: , ,