Publicidade

Arquivo do Autor

quarta-feira, 16 de novembro de 2011 Copa do Mundo, Futebol Europeu | 10:45

Alemanha é a melhor seleção pós-Copa e Brasil não vai tão bem

Compartilhe: Twitter

As seleções encerram, ontem, o ciclo de jogos oficiais e amistosos em 2011. Passados um ano e meio após a Copa do Mundo, as principais seleções do planeta disputaram, em média, 20 jogos, entre partidas de competições (como Eliminatórias da Eurocopa, Copa América e Eliminatórias da América do Sul para a Copa de 2014), além de amistosos.

Por enquanto, entre as oito seleções campeãs mundiais e a Holanda, atual vice-campeã da Copa, quem tem o melhor aproveitamento pós-Copa de 2010 é a Alemanha, com 77,2% de aproveitamento em 19 jogos. Ontem, o time do técnico Joachim Low deu um baile na Holanda, ganhando por 3 x 0, em Hamburgo, com autoridade. Do time que chegou à semifinal da Copa de 2010, a Alemanha manteve praticamente a mesma formação. Apenas na zaga, Badstuber joga no lugar de Friedrich e Kroos ou Gotze no lugar de Trochowski.

Nas Eliminatórias da Euro 2012, a Alemanha passou com 100% de aproveitamento, vencendo seus 10 jogos, no grupo que tinha Turquia, Bélgica, Áustria, Azerbaijão e Cazaquistão. Apenas a Espanha, em 8 jogos, também ganhou todas as partidas. Depois da Copa de 2010, a Alemanha perdeu apenas uma partida, para a Austrália (por 2 x 1), em um amistoso. Nos jogos contra as grandes seleções, os germânicos não decepcionaram, ganhando do Uruguai, Brasil e Holanda e empatando com a Itália.

Além disso, a Alemanha conta com o ataque mais positivo pós-Copa, entre essas nove principais seleções, com uma média de 2,63 de gols por jogo. O Brasil tem a média de apenas 1,40 por partida.

A Seleção Brasileira conta com um dos piores aproveitamentos entre essas seleções. E só conseguiu melhor seu desempenho depois de ganhar seus últimos cinco jogos e contra seleções mais fracas, como Gabão, Egito e Costa Rica. Depois do jogo contra a Alemanha, o aproveitamento da Seleção de Mano Menezes era de apenas 56,4%. Mas depois disso, venceu 5 jogos e empatou um, indo para 68,3%.

Veja abaixo o aproveitamento das principais seleções do mundo após a Copa do Mundo de 2010 e também os principais resultados de cada uma delas nesse período, entre agosto de 2010 e novembro de 2011:

Seleção PG J V E D GP GC Aprov.
Alemanha 44 19 13 5 1 50 20 77,2%
Inglaterra 31 14 9 4 1 23 10 73,8%
Holanda 37 17 11 4 2 43 15 72,5%
Espanha 38 18 12 2 4 42 21 70,4%
Itália 37 18 11 4 3 28 8 68,5%
França 39 19 11 6 2 26 10 68,4%
Uruguai 41 20 12 5 3 46 18 68,3%
Brasil 41 20 12 5 3 28 10 68,3%
Argentina 44 25 12 8 5 41 24 58,7%

.

Principais resultados – Seleção Espanhola
07/09/2010 – Argentina 4 x 1 Espanha
17/11/2010 – Portugal 4 x 0 Espanha
10/08/2011 – Itália 2 x 1 Espanha
12/11/2011 – Inglaterra 1 x 0 Espanha

.

Principais resultados – Seleção Holandesa
04/06/2011 – Brasil 0 x 0 Holanda
08/06/2011 – Uruguai 1 x 1 Holanda
15/11/2011 – Alemanha 3 x 0 Holanda

.

Principais resultados – Seleção Uruguaia
29/05/2011 – Alemanha 2 x 1 Uruguai
08/06/2011 – Uruguai 1 x 1 Holanda
16/07/2011 – Argentina 1 x 1 Uruguai
24/07/2011 – Uruguai 3 x 0 Paraguai
15/11/2011 – Itália 0 x 1 Uruguai

.

Principais resultados – Seleção Alemã
09/02/2011 – Alemanha 1 x 1 Itália
29/05/2011 – Alemanha 2 x 1 Uruguai
10/08/2011 – Alemanha 3 x 2 Brasil
15/11/2011 – Alemanha 3 x 0 Holanda

.

Principais resultados – Seleção Brasileira
17/11/2010 – Argentina 1 x 0 Brasil
09/02/2011 – França 1 x 0 Brasil
04/06/2011 – Brasil 0 x 0 Holanda
10/08/2011 – Alemanha 3 x 2 Brasil

.

Principais resultados – Seleçao Italiana
09/02/2011 – Alemanha 1 x 1 Itália
10/08/2011 – Itália 2 x 1 Espanha
15/11/2011 – Itália 0 x 1 Uruguai

.

Principais resultados – Seleção Inglesa
17/11/2010 – Inglaterra 1 x 2 França
12/11/2011 – Inglaterra 1 x 0 Espanha

.

Principais resultados – Seleção Francesa
17/11/2010 – Inglaterra 1 x 2 França
09/02/2011 – França 1 x 0 Brasil

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 9 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 19:15

Brasileirão de 2012 deverá ter 7 paulistas e apenas um mineiro

Compartilhe: Twitter

O futebol paulista quase sempre foi o maior representante de clubes na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Em 2011, porém, dividiu com o Rio de Janeiro essa marca, com clubes cada. Com a provável permanência dos quatro grandes (as chances de o Palmeiras ser rebaixado são remotas), a subida da campeã Portuguesa e quase certa volta da Ponte Preta, o futebol paulista deverá ter seis representantes na Série A de 2012. E poderá ainda ganhar mais um integrante caso o Bragantino fique entre os quatro primeiros da Série B nas próximas três rodadas.

Ontem, o time de Bragança Paulista, comandado pelo técnico Marcelo Veiga, chegou ao G4 da Série B e na briga direta por uma vaga na primeira divisão de 2012. Já a outra vaga na Série A do próximo deverá ficar com o Náutico, que irá garantir o retorno do futebol pernambucano na elite do Brasileirão.

Por outro lado, futebol mineiro poderá ficar com apenas um representante. Com as três vitórias do Atlético-MG nas últimas três rodadas, a chance de ver os três times mineiros na Série B de 2012 diminuíram. Mas com a provável queda do América e, talvez, do Cruzeiro, sobraria apenas um time de Minas Gerais na Série A, repetindo o feito de 2006, quando apenas o Cruzeiro jogou na Série A.

Dessa forma e de acordo com a classificação atual, a distribuição de clubes por estado na Série A de 2012 ficaria assim:
7 Paulistas – Corinthians, São Paulo, Santos, Palmeiras, Portuguesa, Ponte Preta e Bragantino
4 Cariocas
– Vasco, Botafogo, Fluminense e Flamengo
2 GaúchosGrêmio e Internacional
1 Mineiro – Atlético-MG
1 Baiano – Bahia
1 Catarinense – Figueirense
1 Cearense – Ceará
1 Goiano – Atlético-GO
1 Paranaense Coritiba
1 Pernambucano Náutico
Já a Série B também seria formada por uma maioria paulista e mineira. Confira:
4 Paulistas – Americana, Barueri, Guarani e São Caetano
4 Mineiros – América-MG, Cruzeiro, Boa e Ipatinga
3 CatarinensesAvaí, Criciúma e Joinville
2 Paranaenses Atlético-PR e Paraná
1 AlagoanoCRB
1 Baiano – Vitória
1 Cearense – Icasa
1 Goiano – Goiás
1 Paraense Paysandu
1 Pernambucano Sport
1 Potiguar ABC
Veja abaixo o número de clubes paulistas em cada edição do Brasileiro, desde 1971:

Ano Clubes Paulistas
1971 20 5 (25,0%)
1972 26 5 (19,2 %)
1973 40 6 (15,0 %)
1974 40 6 (15,0%)
1975 42 6 (14,3 %)
1976 54 8 (14,8 %)
1977 62 9 (14,5 %)
1978 74 12 (16,2 %)
1979 94 8 (8,5 %)
1980 44 8 (18,2 %)
1981 44 7 (15,9 %)
1982 44 8 (18,2 %)
1983 44 9 (20,5 %)
1984 41 6 (14,6 %)
1985 44 7 (15,9 %)
1986 48 8 (16,7 %)
1987 16 4 (25,0 %)
1988 24 6 (25, 0%)
1989 22 7 (31, 8%)
1990 20 8 (40,0 %)
1991 20 6 (30,0 %)
1992 20 7 (35,0 %)
1993 32 8 (25,0 %)
1994 24 8 (33,3 %)
1995 24 8 (33,3 %)
1996 24 7 (29,2 %)
1997 26 8 (30,8 %)
1998 24 8 (33,3 %)
1999 22 8 (36,4 %)
2000 29 8 (27,6 %)
2001 28 9 (32,1 %)
2002 26 8 (30,8 %)
2003 24 6 (25,0 %)
2004 24 8 (33,3 %)
2005 22 6 (27,3 %)
2006 20 6 (30,0 %)
2007 20 4 (20,0 %)
2008 20 4 (20,0 %)
2009 20 6 (30,0 %)
2010 20 6 (30,0 %)
2011 20 4 (20,0 %)
Autor: Tags:

terça-feira, 8 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 15:57

Ataque do São Paulo marcou só 10 gols no Brasileiro. Santistas marcaram 41

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 contabiliza 891 gols até agora, após 330 jogos. Desses gols, 468 foram feitos por atacantes dos 20 clubes, o que representa 52,5% gols. Em alguns casos, em 13 clubes, os atacantes são responsáveis por mais da metade dos gols da equipe no Brasileirão.

O Santos, do artilheiro Borges, e de Neymar (que marcou 7 gols nos últimos 5 jogos), tem os atacantes mais eficientes da competição. Até agora, o setor ofensivo do time de Muricy Ramalho fez 41 gols e foi responsável por 83,7% dos 47 gols do time no torneio. Só Borges (23 gols) e Neymar (12 gols), juntos, têm 35 gols. Mais do que o time do todo do Atlético-PR, que marcou 33 gols até agora.

Borges e Neymar, que marcaram no último final de semana contra o Vasco, fizeram 71,4% dos gols do Santos no Campeonato Brasileiro e formam a dupla de ataque mais positiva da competição, superando Ronaldinho Gaúcho e Deivid, do Flamengo (28 gols); Fred e Rafael Moura, do Fluminense (23 gols); William e Rafael Coelho, do Avaí (20 gols); Loco Abreu e Herrera, do Botafogo (19 gols); e Marcos Aurélio e Bill, do Coritiba (19 gols), entre os atacantes que mais marcaram em cada clube.

Por outro lado, o São Paulo conta com o ataque menos eficiente do Brasileirão. Até agora, os atacantes do Tricolor paulista fizeram apenas 10 gols no Campeonato, sendo 8 só com Dagoberto. Dos 48 gols do São Paulo no Brasileiro, só 10 saíram pelos atacantes do time, correspondendo a apenas 20,8% dos gols, a pior média entre os 20 participantes.

Confira o desempenho dos atacantes de cada clube nesse Brasileirão:

Clube Total de gols Gols de atacantes Porcentagem
Santos 49 41 83,7%
Fluminense 48 35 72,9%
Atlético-GO 42 27 64,3%
Ceará 39 25 64,1%
América-MG 43 26 60,5%
Figueirense 43 26 60,5%
Bahia 39 23 59,0%
Flamengo 57 33 57,9%
Coritiba 52 30 57,7%
Avaí 44 23 52,3%
Atlético-MG 41 21 51,2%
Corinthians 47 24 51,1%
Botafogo 49 25 51,0%
Palmeiras 37 17 45,9%
Cruzeiro 38 18 43,4%
Grêmio 40 17 42,5%
Atlético-PR 33 13 39,4%
Internacional 53 18 34,0%
Vasco 49 16 32,7%
São Paulo 48 10 20,8%

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 7 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 10:48

O recorde de Borges e as marcas dessa 33ª rodada do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

A última rodada do Brasileirão foi mais uma vez bem emocionante. Viradas, goleadas, recordes e números positivos e negativos também marcaram essa 33ª rodada. Começando pelo sábado, onde o Figueirense chegou à sua quinta vitória consecutiva e ao 12º jogo sem derrota. Um recorde em suas 13 participações na história do Brasileirão. Recém-promovido à Série A, o Figueira tem a maior invencibilidade da competição na atualidade e agora briga diretamente por uma inédita vaga na Copa Libertadores, podendo repetir o feito do Criciúma, de 1992, o único clube catarinense a jogar a competição sul-americana.

Ainda no sábado, o São Paulo perdeu de virada para o Bahia, chegando a sua 9ª partida sem vitória no Brasileirão. Ainda sem vencer com o técnico Émerson Leão, o Tricolor paulista vive o seu pior jejum de vitórias, superando o recorde negativo anterior, de 2005, quando o time ficou oito jogos sem vencer com Paulo Autuori. A última vitória do São Paulo no Brasileirão de 2011 aconteceu no distante dia 16 de setembro, quando goleou o Ceará por 4 x 0.

Outro paulista que também não sabe o que é vencer há um bom tempo é o Palmeiras. O time do técnico Luiz Felipe Scolari chegou ao oitavo jogo sem vitória e perdeu sua quarta partida consecutiva.  Na próxima rodada, o time irá enfrentar o Grêmio, fora de casa, e o vice-líder Vasco, em casa. Se não vencer, igualará o seu maior jejum de vitórias na história do Brasileirão. Em 1985, o Palmeiras ficou 10 partidas sem vencer na competição. Com apenas uma vitória no returno (nos últimos 14 jogos) e 9 pontos conquistados, o Palmeiras tem a segunda pior campanha nesse segundo turno.

Apenas o Cruzeiro, com 7 pontos ganhos, consegue ser pior do que o Palmeiras nesse returno. Ontem, aliás, a Raposa sofreu sua pior derrota nesse Brasileiro e caiu para a zona do rebaixamento. Com apenas 34,3% de aproveitamento, o Cruzeiro realiza a sua terceira pior campanha na história da competição, desde 1971. Apenas em 1994 (30,6%) e 1984 (33,3%), o time foi pior. Dessa vez, porém, se continuar nessa má fase, a Raposa irá pela primeira vez para a segunda divisão. Até hoje, o clube mineiro é um dos únicos a disputadas todas as 41 edições do Brasileirão, ao lado de Flamengo e Internacional. Na derrota de ontem, para o Flamengo, o Cruzeiro perdeu ainda um pênalti, o quarto nesse Brasileiro (um recorde).

Já o Flamengo, com a goleada de 5 x 1, voltou a encostar nos líderes do Brasileiro e isolou-se como o time de melhor ataque da competição, com 57 gols em 33 partidas. Média de 1,73 por jogo. Thiago Neves, com os três gols de ontem, chegou a marca de 12 gols na competição. Deivid, com os dois marcados ontem, tem agora 15 gols. Os dois jogadores, ao lado de Ronaldinho Gaúcho, que fez 13 gols, têm 40 gols juntos. Mais do que o Cruzeiro, Palmeiras, Bahia, Ceará e Atlético-PR já fizeram no Campeonato.

Deivid, com 15 gols, agora é o vice-artilheiro do Brasileiro, atrás apenas de Borges, do Santos, que ontem marcou mais um gol. Na vitória sobre o Vasco por 2 x 0, na Vila Belmiro, o atacante chegou ao seu 23º gol no Brasileirão de 2011 e superou a marca de Serginho Chulapa, que havia feito 22 gols no Brasileiro de 1983. Maior artilheiro de uma única edição de Brasileiro pelo Santos, Borges está com 74 gols na era dos pontos corridos. Apenas Paulo Baier (89 gols) e Washington (ex-Flu e São Paulo), com 82 gols, fizeram mais do que Borges.

E marcar mais do que 20 gols em um único Brasileiro não é feito para qualquer um. Confira a lista de quem já chegou ou superou a casa dos 20 gols em um única edição do Brasileiro:

2011
Borges (Santos), 23 gols

2010
Jonas (Grêmio), 23 gols

2008

Keirrson (Coritiba), Washington (Fluminense) e Kléber Pereira (Santos), 21 gols

2005
Romário (Vasco), 22 gols
Róbson (Paysaydu), 21 gols
Tevez (Corinthians), 20 gols

2004
Washington (Atlético-PR), 34 gols
Alex Dias (Goiás), 22 gols
Deivid e Robinho (Santos), 21 gols

2003
Dimba (Goiás), 31 gols
Renaldo (Paraná), 30 gols
Luís Fabiano (São Paulo), 29 gols
Alex (Cruzeiro), 23 gols
Aristizábal (Cruzeiro), 21 gols
Marcel (Coritiba), 20 gols

2001
Romário (Vasco), 21 gols

2000
Magno Alves (Fluminense), Dill (Goiás) e Romário (Vasco), 20 gols

1999
Guilherme (Atlético-MG), 28 gols
Alex Alves (Cruzeiro), 22 gols
Luizão (Corinthians), 21 gols

1998
Viola (Santos), 21 gols

1997
Edmundo (Vasco), 29 gols

1995
Túlio (Botafogo), 23 gols

1986
Careca (São Paulo), 25 gols
Evair (Guarani), 24 gols
Mirandinha (Palmeiras), 21 gols

1985
Edmar (Guarani), 20 gols

1983
Serginho (Santos), 22 gols

1982
Zico (Flamengo) e Serginho (São Paulo), 20 gols

1980
Zico (Flamengo), 21 gols

1977
Reinaldo (Atlético-MG), 28 gols

1973
Ramon (Santa Cruz), 21 gols
Leivinha (Palmeiras) e Mirandinha (São Paulo), 20 gols

.

.

Outra curiosidade na rodada desse final de semana é que o zagueiro Chicão, do Corinthians, voltou ao time e marcou um gol de pênalti. Agora, Chicão tem 19 gols na era dos pontos corridos e segue como o terceiro zagueiro com mais gols, atrás apenas de Índio, do Internacional, e Antônio Carlos, do Botafogo, que fizeram 21 gols cada.

Já o Fluminense, com a vitória sobre o Internacional, no Beira-Rio, chegou a sua 10ª vitória no segundo turno, em 14 jogos. O time de Abel Braga lidera o returno com 31 pontos, quatro a mais do que o Figueirense. Na 19ª rodada, o Flu era apenas o 11º colocado, 12 pontos atrás do líder Corinthians. Agora, está a apenas dois pontos do time paulista. Caso consiga novamente desbancar o Corinthians e chegar ao título, como fez em 2010, o Fluminense irá superar a arrancada do Flamengo de 2009, que virou o turno na 10ª colocação e estava há 10 pontos do líder Palmeiras ao final da 19ª rodada. Confira a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

Fluminense 31
Figueirense 27
Santos 26
Atlético-MG 24
Internacional 24
Grêmio 23
Vasco 23
Coritiba 22
Botafogo 21
10º Corinthians 21
11º Flamengo 19
12º Bahia 19
13º Atlético-GO 17
14º Atlético-PR 16
15º América-MG 15
16º São Paulo 15
17º Avaí 12
18º Ceará 10
19º Palmeiras 9
20º Cruzeiro 7
Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 4 de novembro de 2011 Artilheiros, Futebol Europeu | 15:35

O que Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo fizeram em 2011

Compartilhe: Twitter

Três dos principais candidatos ao prêmio Bola de Ouro da Fifa de 2011, Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo tiveram, até agora, um ano sensacional. Tanto em relação a gols, conquistas e atuações. Mas principalmente em seus respectivos clubes. Curiosamente, pelas seleções, o trio brilhou pouco em 2011.

Presentes na lista dos 23 candidatos ao prêmio da Fifa e da revista France Football, os três maiores craques da atualidade deverão figurar entre os três finalistas. A cerimônia de entrega será daqui um mês, no dia 5 de dezembro, antes do Mundial de Clubes, que começará no dia 8 de dezembro.

Neymar, único jogador que não atua na Europa entre os 23 candidatos, conquistou dois títulos em 2011: a Copa Libertadores e o Campeonato Paulista. No ano, o craque santista fez 28 gols em 55 partidas (sem contar o Sub-20). Pela Seleção Brasileira, conquistou o torneio Superclássico das Américas (entre Brasil e Argentina), mas fracassou junto com o time de Mano Menezes na Copa América. Aos 19 anos, Neymar está com 169 jogos como profissional e 86 gols marcados (andam contabilizando mais 10 gols dele pelas seleções Sub-17 e Sub-20).

Já o argentino Messi, atual bicampeão do prêmio de melhor jogador do ano da Fifa, pelo o que fez em 2011, talvez seja o favorito a conquistar o troféu mais uma vez. Pelo Barcelona, Messi fez 51 gols em 60 jogos. Em 2011, foi campeão e artilheiro da Liga dos Campeões da Europa, levantou ainda o Campeonato Espanhol, a Supercopa Espanhola e a Supercopa Europeia. Pela Seleção Argentina, também acabou tendo um desempenho ruim no ano, sendo eliminado nas quartas-de-final da Copa América. Recentemente, Messi superou a casa dos 200 gols pelo Barcelona. Com os três gols no meio de semana, pela Liga dos Campeões, chegou a 202 pelo clube catalão.

Cristiano Ronaldo, com a seleção, foi o que menos jogou entre os três, disputando apenas cinco partidas no ano, pelas Eliminatórias da Eurocopa, onde conseguiu apenas levar o time português à repescagem. Pelo Real Madrid, no entanto, Ronaldo fez bonito. Foi o artilheiro do Campeonato Espanhol com o recorde de 40 gols e conquistou a Copa do Rey da Espanha. Dos três, é o que tem a melhor média de gols, com quase um por partida (47 gols em 48 jogos). Eleito o melhor jogador do mundo em 2008, Cristiano Ronaldo chegou a marca dos 100 gols pelo Real Madrid no meio de semana, quando marcou dois gols na vitória sobre o Lyon.

Veja o resumo dos três craques em 2011, entre janeiro e o início de novembro:

MESSI
Campeonato Espanhol 2010/11 – 19 jogos, 14 gols (campeão)
Campeonato Espanhol 2011/12 – 10 jogos, 13 gols (vice-líder)
Copa do Rey da Espanha – 6 jogos, 6 gols (vice-campeão)
Supercopa Espanhola – 2 jogos, 3 gols (campeão)
Liga dos Campeões 2010/11 – 7 jogos, 6 gols (campeão)
Liga dos Campeões 2011/12 – 4 jogos, 5 gols (líder do seu grupo na 1ª fase)
Supercopa Europeia – 1 jogo, 1 gol (campeão)
Seleção Argentina – 11 jogos, 3 gols (5ª da Copa América)
Total –  60 jogos, 51 gols

.

CRISTIANO RONALDO
Campeonato Espanhol 2010/11 – 18 jogos, 23 gols (vice-campeão)
Campeonato Espanhol 2011/12 – 10 jogos, 10 gols (líder)
Copa do Rey da Espanha – 5 jogos, 3 gols (campeão)
Supercopa Espanhola – 2 jogos, 1 gol (vice-campeão)
Liga dos Campeões 2010/11 – 4 jogos, 2 gols (3º colocado)
Liga dos Campeões 2011/12 – 4 jogos, 4 gols (líder do seu grupo na 1ª fase)
Seleção Portuguesa – 5 jogos, 4 gols (Classificado para a Repescagem da Euro)
Total –  48 jogos, 47 gols

.

NEYMAR
Campeonato Paulista – 11 jogos, 4 gols (campeão)
Copa Libertadores – 13 jogos, 6 gols (campeão)
Campeonato Brasileiro – 18 jogos, 11 gols (10º colocado)
Seleção Brasileira – 13 jogos, 7 gols (8º na Copa América e campeão do Superclássico das Américas)
Total –  55 jogos, 28 gols

.

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 31 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro | 08:27

Corinthians é o clube com mais viradas no Brasileirão 2011

Compartilhe: Twitter

A 32ª rodada do Brasileirão bateu o recorde de viradas na competição de 2011. Das dez partidas, cinco foram vencidas por clubes que saíram atrás do placar. No sábado, o Fluminense bateu o Ceará fora de casa, ganhando uma posição na tabela. Ontem, no domingo, foi a vez de Grêmio, Corinthians, Coritiba e Figueirense conquistarem três pontos depois de começarem perdendo suas partidas.

No Pacaembu, o Corinthians chegou à liderança vencendo sua quinta partida de virada no Brasileirão. Até agora, o time do técnico Tite ganhou do Grêmio (1ª rodada), Vasco (8ª rodada), Atlético-MG (17ª rodada), Flamengo (22ª rodada) e o Avaí. Com cinco viradas, o Corinthians é justamente o time que mais ganhou dessa forma no campeonato. Já o Avaí, sofreu sua oitava virada e é o time que mais perdeu assim no Brasileirão.

Confira abaixo tabela de quem mais ganhou e de quem mais perdeu de virada no Campeonato Brasileiro de 2011.

Vitórias de virada:
5 – Corinthians
4 – Flamengo
3 – Avaí e Botafogo
2 – Atlético-GO, Coritiba, Fluminense, Grêmio, Internacional e Santos
1 –  América-MG, Atlético-MG, Bahia, Ceará, Figueirense, Palmeiras, São Paulo e Vasco
0 – Atlético-PR e Cruzeiro

Derrotas de virada:
8 – Avaí
3 – América-MG, Ceará, Corinthians e Fluminense
2 – Atlético-MG, Bahia, Flamengo e Santos
1 –  Atlético-GO, Atlético-PR, Botafogo, Coritiba, Figueirense, Grêmio e Vasco
0 – Cruzeiro, Internacional, Palmeiras e São Paulo

Autor: Tags: , ,

domingo, 30 de outubro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro | 09:37

Com 4 gols, Neymar atinge recorde pelo Santos

Compartilhe: Twitter

Com os 4 gols que marcou ontem, na goleada do Santos por 4 x 1 sobre o Atlético-PR, o atacante Neymar igualou o recorde de Dino Furacão, de 1986, até então o único jogador do clube a fazer 4 gols em um único jogo pelo Santos na história do Brasileirão, desde 1971.

No dia 28 de setembro de 1986, Dino Furacão marcou 4 gols no Náutico, na vitória por 5 x 0, na Vila Belmiro. O outro gol santista do jogo foi marcado por Dunga, ex-técnico da Seleção Brasileira. Dino anotou gols aos 45 do 1º tempo e aos 10, 24 e 40 do 2º tempo.

Se disputar mais um Brasileiro pelo Santos, em 2012, Neymar poderá alcançar ainda outro recorde pelo Santos na história da competição. Com os 4 gols de ontem, Neymar chegou a 38 gols em Brasileiros (fez 10 em 2009 e 17 em 2010). O recordista, até hoje, é Kléber Pereira, com 51 gols entre 2007 e 2009.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 27 de outubro de 2011 Copa Sul-Americana, Estatísticas, História | 11:07

Com reservas, Vasco faz história na Copa Sul-Americana

Compartilhe: Twitter

A goleada do Vasco, ontem, por 8 x 3, sobre o Aurora-BOL, pelas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana entrou para a história do clube carioca. Mesmo atuando com um time repleto de reservas, o Vasco registrou sua maior vitória em torneios sul-americanos. Além disso, passou para as quartas-de-final da competição, sendo o único representante brasileiro na competição e ainda com chances reais de chegar mais um título na temporada.

Campeão da Copa do Brasil e líder do Brasileirão, o Vasco tinha como maior goleada em sua história por torneios da América do Sul um 5 x 1 sobre o Cerro Porteño-PAR, pela extinta Copa Mercosul. Naquele jogo, Viola, Paulo César, Paulo Miranda e Ramon, duas vezes, marcaram para o Vasco. Confira as maiores goleadas do Vasco em torneios sul-americanos oficiais:

05/10/1999 – Vasco 5 x 1 Cerro Porteño-PAR (Copa Mercosul)
25/02/1948 – Vasco 4 x 0 Municipal-PER (Copa dos Campeões Sul-Americanos)
27/04/1980 – Vasco 4 x 0 Deportivo Galícia-VEN (Copa Libertadores)
02/10/1996 – Vasco 4 x 0 Tolima-COL (Copa Conmebol)
18/02/1948 – Vasco 4 x 1 Nacional-URU (Copa dos Campeões Sul-Americanos)
22/11/2000 – Vasco 4 x 1 River Plate-ARG (Copa Mercosul)
12/04/2001 – Vasco 4 x 1 América de Cáli-COL (Copa Libertadores)

A goleada do Vasco foi também a maior dessa Copa Sul-Americana e também de um clube brasileiro no torneio, mas não foi a maior na história da competição. O recorde, desde 2002, é do Defensor, do Uruguai, que enfiou um 9 x 0 no Sport Huancayo, do Peru, no ano passado.

Veja a lista das maiores goleadas da história da Copa Sul-Americana:
16/9/2010        Defensor (URU) 9 x 0 Sport Huancayo (PER)
19/11/2009      LDU Quito (EQU) 7 x 0 River Plate (URU)
27/10/2011      Vasco (BRA) 8 x 3 Aurora (BOL)
20/8/2003        San Lorenzo (ARG) 6 x 0 Deportivo ItalChacao (VEN)
6/10/2010        Newell’s Old Boys (ARG) 6 x 0 San José (BOL)
10/10/2006      Colo Colo (CHI) 7 x 2 Alajuelense (CRC)
19/10/2010      LDU Quito (EQU) 6 x 1 Unión San Felipe (CHI)
31/8/2004        Cienciano (PER) 6 x 1 Carabobo (VEN)
30/8/2005        Universidad Católica (CHI) 5 x 0 Alianza Atlético (PER)

Na soma dos dois jogos, o Vasco terminou com um 9 x 6 sobre o Aurora (havia perdido na Bolívia por 3 x 1). Assim, o confronto registrou 15 gols em apenas duas partidas. Um recorde na história do torneio. Anteriormente, a maior marca havia sido a da 13 gols em dois jogos. Em 2006, o Colo Colo-CHI bateu a Alajualense, da Costa Rica, por 4 x 0, fora de casa, e ganhou na volta por 7 x 2. Naquele ano, o Colo Colo era comandado por Claudio Borghi (atual técnico da Seleção Chilena), e contava com grande jogadores, como Alexis Sánchez (que está no Barcelona-ESP), Matías Fernández (Sporting-POR), Arturo Vidal (Juventus-ITA) e Humberto Suazo (Monterrey-MEX).
Na história dos torneios sul-americanos, a goleada de 8 x 3, do Vasco, também não é a maior de um time brasileiro. O recorde pertence ao Santos, que em 1962 goleou o Cerro Porteño-PAR por 9 x 1. Na Libertadores, a maior goleada geral, no entanto, é do Peñarol, que em 1961 ganhou do Valencia-VEN por 11 x 2.
Essa goleada de 8 x 3 não é a maior do Vasco na temporada de 2011. No início do ano, o clube ganhou do América-RJ por 9 x 0 pelo Campeonato Carioca, no dia 12 de fevereiro.
Outra curiosidade é que o meia Juninho Pernambucano marcou mais um gol pelo Vasco em torneio Sul-Americano. O jogador, que já havia feito gol pela Copa Libertadores, Copa Mercosul e Supercopa Libertadores, marcou em mais um torneio oficial pelo Vasco, feito jamais alcançado por outro atleta do clube.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 25 de outubro de 2011 Campeonatos Estaduais, Goleiros | 18:06

Ceni supera Neymar em números de jogos na temporada

Compartilhe: Twitter

Titular em todos os jogos do São Paulo na temporada de 2011, o goleiro Rogério Ceni, aos 38 anos, disputará nessa semana seu 63º jogo pelo tricolor no ano. Dois a mais do que o santista Neymar, que já entrou em campo 61 vezes no ano pelo seu clube, pela Seleção Brasileira principal e pela Seleção Brasileira Sub-20.

Em 2010, Ceni foi titular em 70 dos 71 jogos do Tricolor na temporada. Apenas na segunda partida do ano, pela segunda rodada do Campeonato Paulista, contra o Mirassol, Ceni não jogou (Bosco atuou). Sendo assim, o veterano goleiro vem com uma incrível sequência consecutiva de 131 jogos como titular.

Nesse Brasileirão, Ceni foi substituído apenas uma vez, na estreia, contra o Fluminense, quando sentiu uma pequena lesão e foi substituído no intervalo por Dênis. No Campeonato Brasileiro, apenas outros dois goleiros também atuaram em todas as 31 partidas até agora: Fernando Prass, do Vasco, e Márcio, do Atlético-GO. Fernando Prass, em 2011, já participou de 62 jogos e também irá para o seu 63º se jogar contra o Aurora, nessa semana.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 24 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 12:09

São Paulo próximo de recorde negativo no Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Sem técnico e sem vencer há sete partidas pelo Campeonato Brasileiro, o São Paulo está próximo de igualar um recorde negativo em sua história pela competição, desde 1971. Em 2005, quando era dirigido por Paulo Autouri, o Tricolor ficou 8 jogos sem vencer, alcançando o seu maior jejum de vitórias em Brasileiros.

Naquele ano, o time estava priorizando a reta final da Copa Libertadores e chegou até a cair para a 19ª colocação, na zona do rebaixamento na 19ª rodada.

No próximo domingo, o São Paulo irá enfrentar líder Vasco, em São Januário. Caso não conquiste os três pontos, chegará então a esse recorde negativo de oito jogos sem vitória. Atualmente, após a vitória do Cruzeiro sobre o Atlético-GO, o São Paulo detém o maior jejum de vitória no Brasileirão. A última vitória são-paulina no Brasileirão foi há mais um mês, no dia 16 de setembro, contra o Ceará (4 x 0).

Confira os maiores jejuns de vitória em andamento no Brasileirão:

São Paulo –   7 jogos (5 empates e 2 derrotas)
Palmeiras – 6 jogos (3 empates e 3 derrotas)
Ceará – 5 jogos (2 empates e 3 derrotas)
Bahia – 4 jogos (3 empates e 1 derrota)
Coritiba – 3 jogos (2 empates e 1 derrota)
América-MG – 2 jogos (1 empate e 1 derrota)
Botafogo – 2 jogos (2 derrotas)

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 21 de outubro de 2011 Copa do Mundo | 10:18

Nunca um anfitrião de Copa deixou de jogar no estádio da final

Compartilhe: Twitter

A Fifa anunciou, ontem, as sedes para a Copa das Confederações de 2013 e da Copa do Mundo de 2014 e apenas comprovou o que já se esperava para as duas competições. A maior surpresa, no entanto, foi saber que o Brasil só irá jogar no Maracanã se chegar à final. Um risco que a CBF assumiu e que pode, pela primeira vez, quebrar uma escrita na história das Copas. Afinal, até hoje, em 19 edições, nunca um anfitrião deixou de jogar no estádio da final, o palco principal de uma Copa do Mundo.

Até hoje, o único país-sede que quase deixou de jogar no estádio da final foi a Alemanha Ocidental, em 1974, que só foi disputar uma partida no estádio Olímpico justamente na final daquela Copa, contra Holanda.

Dessas 19 Copas anteriores, apenas em oito delas o anfitrião conseguiu chegar à final. Destas, apenas em duas o país-sede acabou sendo derrotado na decisão. O Brasil, em 1950, e a Suécia, em 1958.

O Maracanã, palco da decisão de 1950 e da final de 2014, será o segundo estádio a receber duas finais de Copa do Mundo, igualando o feito do estádio Azteca, que viu as finais 1970 e 1986.

Veja quantos jogos os anfitriões de Copa do Mundo fizeram no estádio da final de cada mundial até hoje:

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 20 de outubro de 2011 Sem categoria | 12:03

Flamengo sofre maior goleada caseira em jogos internacionais

Compartilhe: Twitter

A derrota sofrida para a Universidad de Chile, ontem, no Engenhão, por 4 x 0, foi na história do Flamengo em casa em partidas internacionais. E isso que o time chileno ainda perdeu um pênalti e teve um gol mal anulado…Nem mesmo em amistoso o Rubro-negro havia sido tão humilhado perante sua torcida. Pela Copa Libertadores, a pior goleada sofrida pelo Flamengo foi a de 5 x 1, para o Grêmio, em 1984, mas no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Em casa, a maior derrota do Fla havia sido em 2008, quando perdeu para o América-MEX por 3 x 0, sendo eliminado da competição nas oitavas-de-final.

Confira todas as derrotas do Flamengo em casa em partidas de competições internacionais oficiais:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Fora de casa, em jogos internacionais, o Flamengo já levou algumas surras históricas que superaram o 4 x 0 de ontem. Em 1933, levou de 7 x 0 do Nacional-URU, em Montevidéu. Em 1941, perdeu por 7 x 0 também para um Combinado de Rosário, na Argentina. Já em 1960, apanhou de 9 x 2 do Motherwell, na Escócia. Como mandante, o Flamengo também já sofreu goleadas piores. Em casa, até hoje, sua maior derrota é para o rival Botafogo (9 x 2 em 1927), no campo da Rua Paysandu.

Recentemente, com Luxemburgo, o Flamengo levou apenas duas goleadas em pouco mais de um desde sua volta ao clube. No ano passado, pelo Brasileirão, perdeu de 4 x 1 para o Atlético-MG, em Sete Lagoas. Já nesse ano, perdeu também por 4 x 1 para o Atlético-GO, no Engenhão. Mas pior do que esse 4 x 0 de ontem, no geral, só mesmo o 5 x 0 sofrido para o Coritiba, em 2009, e o 6 x 1 sofrido para o São Paulo, em casa, em 2005, pelo Brasileirão.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 19 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História, Técnicos | 10:18

Adílson Batista foi o pior técnico do São Paulo desde 1999

Compartilhe: Twitter

Após a saída do técnico Muricy Ramalho, em 2009, o São Paulo vem ficando cada vez mais intolerante em relação ao seus treinadores. O primeiro deles, Ricardo Gomes ficou dois anos no comando do Tricolor e foi demitido após perder um Brasileiro (2009), um Paulista (2010) e ser eliminado da Copa Libertadores (2010). Gomes ficou 73 jogos como treinador do São Paulo no período.

Depois dele, foi a vez de Paulo César Carpegiani, que durou bem menos. Do final de 2010 até o início do Brasileiro de 2011 (perdendo aí um Paulistão e uma Copa do Brasil no caminho), Carpegiani ficou 47 jogos como técnico do São Paulo em sua segunda passagem pelo clube.

Já Adílson Batista, demitido no último domingo, durou apenas 22 partidas no comando do São Paulo. Desde 1998, quando Mário Sérgio ficou apenas dez jogos dirigindo o clube, o São Paulo não teve um treinador com tão pouco tempo de casa. Em relação ao desempenho, Adílson Batista também teve o pior aproveitamento desde Mário Sérgio, que conquistou somente 33,3% dos pontos em 1998. Com apenas 45,5% de aproveitamento, Adílson foi pior que seus 12 antecessores, desde Levir Culpi, em 1999.

Confira o retrospecto dos últimos técnicos do São Paulo:

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 18 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, Público | 09:33

Santos tem pior média de público desde 2000

Compartilhe: Twitter

Bicampeão Paulista e atual campeão da Libertadores, o Santos vem fazendo uma campanha muito aquém do esperado no Brasileirão de 2011. Além disso, o clube da Vila Belmiro vem decepcionando também fora das quatro linhas, com uma média de público baixíssima, a pior desde 2000 e uma das piores em sua história pelo Campeonato Brasileiro, com apenas 7.414 torcedores, em média, por partida.

No último jogo, na derrota para o Grêmio, Santos levou apenas 3.477 torcedores à Vila Belmiro. Esse foi o pior público desde 2008, quando somente 2.396 pessoas pagaram para ver o Peixe bater o Ipatinga por 4 x 0, na segunda rodada daquele campeonato. Na era dos pontos corridos, desde 2003, o público diante do Grêmio entrou para a lista dos dez piores do Santos, em casa, nas 99 partidas disputadas. Veja a lista:

.

.

.

.

.

No Brasileirão de 2011, com a média de 7.414 torcedores por jogo, o Santos está com a 18ª melhor média de público da competição, a frente apenas dos dois últimos colocados, América-MG e Avaí. Confira a média de público do Brasileirão de 2011 até a 30ª rodada:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Em sua história pelo Brasileirão, a média de 2011 (7.414 torcedores por jogo), é a quinta pior desde 1971. Veja as médias de público do Santos em Brasileiros:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 17 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro | 17:15

Quem mais perdeu pênaltis nesse Brasileiro

Compartilhe: Twitter

Melhor jogador do Cruzeiro, o argentino Montillo não vem levando muita sorte nas cobranças de pênalti pela Raposa. Desde que chegou ao clube mineiro, em meados de 2010, Montillo já perdeu cinco cobranças pela clube. No Brasileirão de 2010, o meia tentou dar uma cavadinha no clássico diante do Atlético-MG e viu seu time perder por 4 x 3, desperdiçando pontos preciosos na briga pelo título.

Agora, em 2011, Montillo já perdeu quatro cobranças, sendo três no Brasileirão, um recorde até agora. No início do ano, o meia perdeu um pênalti no empate contra o Tupi, pelo Campeonato Mineiro. No Brasileiro, o argentino despediçou uma cobrança na goleada sobre o Avaí (5 x 0), onde também marcou um gol de pênalti. Já na 23ª rodada, diante do Santos, na Vila Belmiro, Montillo chutou para fora a cobrança que poderia dar o empate para a Raposa naquele jogo, vencido pelo time paulista por 1 x 0.

Ontem, contra o Corinthians, o meia voltou a chutar um pênalti para fora, também perdendo a chance de dar o empate para a Raposa. Na partida de ontem, porém, o argentino foi para a cobrança com uma grande responsabilidade, pela situação em que se encontra o Cruzeiro e também com o momento emocional abalado, já que seu filho passou por uma cirurgia delicada.

Mas se por um lado Montillo é o recordista de pênaltis perdidos, o argentino é também um dos artilheiros de pênaltis no Brasileirão de 2011. Confira a lista:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Até agora, em 299 jogos pelo Brasileirão de 2011, foram assinalados 87 pênaltis. O Cruzeiro, curiosamente, foi o time que teve mais pênaltis a favor na competição (8), seguido por Avaí, Corinthians e Grêmio, todos com 7 pênaltis. Já o Flamengo é o time menos favorecido nesse quesito, não tendo um pênalti a seu favor na competição. Por outro lado, Atlético-MG e Fluminense foram os clubes que mais tiveram pênaltis marcados contra (9 no total). Já o Figueirense não teve um pênalti contra e o Palmeiras apenas um.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 14 de outubro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, História | 08:49

Fred atinge melhor marca de gols em uma temporada pelo Flu

Compartilhe: Twitter

Com os três gols marcados na vitória sobre o Coritiba, ontem, por 3 x 1, no Engenhão, o atacante Fred chegou a marca de 23 gols na temporada pelo Fluminense, consolidando-se cada vez mais como o artilheiro do time no ano. Atrás dele, vem Rafael Moura, o He-Man, com 19 gols.

Veja os artilheiros do Fluminense em 2011:

.

.

.

.

.

.

.

Desde que chegou ao Fluminense, em 2009, o atacante Fred vem correspondendo e terminando o ano sempre como o principal goleador do time. Na primeira temporada, fez 22 gols. Em 2010, foi o artilheiro, mesmo ficando ausente por várias partidas, com 18 gols. Agora, em 2011, Fred chegou a marca de 23 gols.

Confira  os artilheiros do Fluminense, ano a ano:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com 63 gols marcados em 101 pelo Fluminense, Fred  subiu para o 32º lugar na lista dos maiores artilheiros da história do Flu desde 1902, ao lado de Machado. Mantendo essa média de aproximadamente 20 gols por temporada, Fred poderá, em 2012, talvez chegar entre os 20 primeiros.
Veja a lista dos maiores artilheiros do Fluminense em todos os tempos:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Pelo Campeonato Brasileiro, Fred chegou a marca de 28 gols com a camisa do Fluminense. Agora, o atacante está empatado na sexta colocação, ao lado de Tuta, na lista dos maiores artilheiros do Flu na história da competição, desde 1971.

Veja a lista dos maiores artilheiros do Fluminense na história do Brasileirão:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 12:02

Os jogadores com mais de 100 jogos pelos grandes do Brasil

Compartilhe: Twitter

Nos últimos jogos do Brasileirão, alguns jogadores alcançaram marcas importantes em relação ao número de partidas em seus respectivos clubes. Ontem, por exemplo, o goleiro Júlio César chegou a marca de 100 jogos com a camisa do Corinthians. Entre os 12 grandes clubes do país, 60 jogadores já chegaram ou ultrapassaram essa marca de 100 jogos.

Santos e Inter são os dois clubes que contam com mais jogadores velhos de casa. No Colorado, são dez jogadores que já vestiram a camisa do time gaúcho por mais de 100 vezes. Já no Santos, são nove, incluindo Neymar e Ganso. Entre esses 60 jogadores, quem mais vezes vestiu a camisa foi o goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, com 1.007 partidas, seguido por outros goleiros: Marcos, do Palmeiras (530 jogos), e Fábio, do Cruzeiro (414 jogos). Entre os jogadores de linha, destacam-se os laterais Léo, do Santos (395 jogos) e Léo Moura, do Flamengo (358), além dos meias Felipe (320) e Juninho Pernambucano (312), do Vasco, e dos zagueiros Índio (311) e Bolívar (300), todos na casa dos trezentos jogos.

Outros três jogadores estão próximos também de alcançar a marca de 100 jogos nesse Brasileirão: Danilo (Corinthians), Rafael (Santos) e Dedé (Vasco). Confira abaixo a lista dos jogadores em atividade com mais partidas nos 12 maiores clubes do Brasil:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 11 de outubro de 2011 Campeonatos Estaduais, História, Público | 10:03

Pelo terceiro ano, Santa Cruz leva mais de 30 mil na Série D

Compartilhe: Twitter

Um dos clubes de maior torcida no Nordeste, o Santa Cruz amarga sua terceira temporada na Série D do Brasileirão. O Tricolor pernambucano, que já participou de 20 das 40 edições do Campeonato Braisleiro da primeira divisão, sonha com dias melhores e vem sofrendo para resgatar seu prestígio. Mas nem por isso sua torcida o abandonou. No últimos três anos, o time de Recife vem levando, em média, mais de 30 mil torcedores por partida na quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Vale lembrar que na Copa do Brasil desse ano, o Santa Cruz registrou o maior público da competição, levando 46.681 torcedores na vitória sobre o São Paulo, na segunda fase.
Atualmente, em cinco partidas disputadas em casa, no estádio Arruda, o Santa Cruz teve uma média de 36.618 torcedores por jogo. A maior em todas as quatro divisões do Brasileiro de 2011. No próximo domingo, o Tricolor irá jogar novamente no Arruda, no jogo de volta das quartas-de-final da Série D, contra o Treze-PB. No jogo de ida, em Campina Grande, os clubes empataram por 3 x 3. Um simples vitória ou empates (0 x 0, 1 x 1 ou 2 x 2) garantem o Santa Cruz na semifinal da competição e também na Série C de 2012. Nesse jogo, é esperado um público superior a 40 mil pessoas. Confira os públicos do Santa Cruz na Série D de 2011 até agora:

24/07/2011   Santa Cruz 0 x 0 Guarani de Juazeiro-CE  42.584
14/08/2011    Santa Cruz 1 x 0 Santa Cruz-RN 35.020
04/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Porto-PE 27.746
18/09/2011    Santa Cruz 2 x 1 Alecrim-RN 33.099
25/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Coruripe 44.642
36.618 (média)

A última vez em que o Santa Cruz participou da Série A do Brasileiro foi em 2006, quando terminou na última colocação e acabou rebaixado novamente. Naquele ano, o time contou com uma pequena média de 9.876 torcedores por partida no Arruda. Depois disso, porém, quando o time passou a se afundar, a torcida do Tricolor parece ter ficado cada vez mais ao lado clube. Em 2007, na Série B, o Santa Cruz foi o líder de público mesmo sendo rebaixado para a terceira divisão. Em 2008, na Série C, o Santa Cruz foi novamente rebaixado e mesmo assim teve a melhor média de público da competição. Confira abaixo os campeões de média de público nas quatro divisões do Brasileirão desde o início da era dos pontos corridos:

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 10 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 10:22

Os jogadores mais novos e os mais velhos do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Nesta 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Grêmio colocou em campo sua nova promessa, o atacante Yuri “Mamute”, de apenas 16 anos. O jovem atleta entrou no segundo tempo na derrota para o Coritiba (2 x 0), e tornou-se o jogador mais novo a atuar nesse Campeonato Brasileiro. Com 16 anos e 4 meses, Yuri, por pouco, não bateu o recorde do atacante Jô, que em 2003 fez sua estreia pelo Corinthians, com 16 anos e 3 meses. Até hoje, Jô é o atleta mais novo a entrar em campo pelo Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos.

Yuri, do Grêmio, ficou longe, porém, de alcançar o recorde do boliviano Mauricio Baldivieso, até hoje o jogador mais novo a entrar em campo por uma partida de campeonato nacional, com apenas 12 anos. Em 2009, o filho do técnico da equipe, Julio César Baldiviesa, fez sua estreia pelo Aurora, com somente 12 anos. Mauricio Baldivieso segue no elenco do Aurora, que na semana passada bateu o Vasco pela Copa Sul-Americana. Baldivieso, em 2009, superou o recorde de outro jogador  jovem a atuar em um jogo de primeira divisão, Fernando García, que jogou aos 13 anos e 11 meses pelo Juan Aurich, do Peru, em 2001.

Em 2005, o atacante Cláudio, do Palmeiras, chegou a jogar com 16 anos e 1 mês e teria sido o jogador mais novo a entrar em campo pelo Brasileirão, na era dos pontos corridos. Porém, descobriu-se depois que o atleta havia adulterado seu nome e idade (era dois anos mais velho). Confira a lista dos jogadores mais novos e mais velhos a entrar em campo no Brasileirão, na era dos pontos corridos:

Mais novos (era dos pontos corridos):
.

.

.

.

.

Mais novos (Brasileirão 2011):

.

.

.

.

.

.

.

Mais velhos (era dos pontos corridos):

.

.

.

.

.

Mais velhos (Brasileirão 2011):


.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 6 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, Técnicos | 11:53

Os melhores e os piores técnicos do Brasileirão de 2011

Compartilhe: Twitter

Após 27 rodadas, apenas sete dos 20 clubes da Série A do Brasileiro não trocaram de técnico na competição: Corinthians (Tite), Flamengo (Luxemburgo), Caio Júnior (Botafogo), Palmeiras (Felipão), Figueirense (Jorginho), Coritiba (Marcelo Oliveira) e Santos (Muricy). O líder Vasco, por conta do problema de saúde de Ricardo Gomes, foi um dos 13 clubes que mudaram de treinador durante o campeonato. Por esses 13 clubes, já passaram 23 treinadores e mais 9 interinos.

Desses 33 técnicos, até agora, quem tem o melhor aproveitamento individual é Cristóvão Borges, que assumiu desde o afastamento de Ricardo Gomes, há oito rodadas, conquistou 70,8% dos pontos, levando o time carioca à liderança do torneio. Ricardo Gomes, que dirigiu o Vasco durante o primeiro turno, conquistou 62,5% de aproveitamento, o terceiro melhor do Brasileirão. O segundo melhor, até agora, segue sendo Paulo César Carpegiani, que dirigiu o São Paulo nas oito primeiras rodadas e teve 62,5% de aproveitamento (venceu os cinco primeiros jogos e caiu após perder três partidas seguidas e a liderança do torneio).

O quarto melhor técnico é Hélio dos Anjos, com o surpreendente Atlético-GO. Em 12 jogos, Hélio conquistou 61,4% de aproveitamento. Em seguida, vem Celso Roth, que conseguiu tirar o Grêmio da zona do rebaixamento e agora briga por uma vaga na Libertadores. Já na sexta posição aparece Tite, do Corinthians, o melhor entre os treinadores que disputaram todos os 27 jogos até agora.

Dos 13 clubes que trocaram de técnico na competição, alguns tiveram melhoras no desempenho de suas equipes e outros acabaram piorando. O Fluminense, que começou com interinos antes da chegada de Abel Braga, não entra nessa conta. Entre os times que se deram bem com as mudanças dos seus treinadores, estão:
– Vasco (de 62,5% com Ricardo Gomes para 70,8% com Cristóvão Borges);
Atlético-GO (de 26,7% com PC Gusmão para 61,1% com Hélio dos Anjos);
– Grêmio (de 38,1% com Renato Gaúcho e 33,3% com Julinho Camargo para 59,5% com Celso Roth);
Internacional (de 45,5% com Falcão para 51,5% com Dorival Júnior);
Bahia (de 35% com René Simões para 50% com Joel Santana);
– Ceará (de 39,1% com Vágner Mancini para 44,4% com Estevam Soares).
América-MG (de 22,2% com Mauro Fernandes e 16,7% com Antônio Lopes para 30,8% com Givanildo);

Já entre as equipes que se deram mal com a troca de treinadores estão:
São Paulo (de 62,5% com Carpegiani para 48,1% com Adílson Batista);
Cruzeiro (de 53,3% com Joel Santana para 11,1% com Emerson Ávila e 16,7% com Vágner Mancini);
Atlético-PR (de 47,2% com Renato Gaúcho para 42,9% com Antônio Lopes);
Atlético-MG (de 33,3% com Dorival Júnior para 30,6% com Cuca);
Avaí (de 30,8% com Alexandre Gallo para 29,6% com Toninho Cecílio);

Confira abaixo o aproveitamento de todos os técnicos nesse Brasileiro. Nessa lista, estão os desempenhos de seis técnicos que dirigiram duas equipes (Joel Santana, Dorival Júnior, Adílson Batista, Renato Gaúcho e Cuca), somados e também separados por cada um dos times em que comandaram na competição. Em azul, os atuais técnicos. Em amarelo, os clubes que não trocaram de treinador no Brasileiro. Em verde, os técnicos que dirigiram duas equipes.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Interinos

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 4 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, Goleiros | 12:17

Defesa do Santos de 2011 é a sua segunda pior em Brasileiros

Compartilhe: Twitter

Depois de ficar oito jogos sem perder no Brasileirão e saltar do 17º (na zona do rebaixamento) para o 10º lugar, o Santos perdeu dois jogos consecutivos na competição, caindo para o 13º lugar e ficando mais distante do sonhado título. Nas últimas duas rodadas, o time de Muricy Ramalho levou seis gols e agora totaliza 40 gols sofridos em 25 jogos nesse Brasileirão.

A média de 1,60 gol sofrido por partida pelo time santista de 2011 é a segunda pior em toda a sua história na competição, desde 1971. Na média, apenas o time de 2005, com 71 gols sofridos em 42 jogos (1,69 por partida), conseguiu ser pior. Naquele ano, a goleada sofrida para o Corinthians por 7 x 1 colaborou diretamente para que o time terminasse com sua pior defesa na história.

Confira as piores defesas do Santos em Brasileiros, desde 1971:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

No Brasileirão de 2011, em 25 jogos, o Santos só não levou gol em quatro partidas: 1 x o América-MG (6ª rodada), 1 x 0 Ceará (15ª rodada), 0 x 0 Corinthains (5ª rodada – jogo adiado) e 1 x 0 Cruzeiro (23ª rodada, quando Montillo perdeu um pênalti). Outro dado preocupante do sistema defensivo do Santos é que o time tem a quinta pior defesa desse Brasileiro. Apenas Avaí (57 gols), América-MG (49), Atlético-MG (45) e Ceará (45) sofreram mais gols.

Dos 40 gols sofridos pelo Santos no Brasileirão de 2011, 16 foram em casa e 24 fora. Além disso, a equipe santista vem sofrendo muitos gols no primeiro tempo. Dos 40 gols que levou, 26 foram na primeira etapa e outros 14 no segundo tempo. Esse alto número de gols sofridos no primeiro tempo só não é pior do que o Avaí, dono da defesa mais vazada do campeonato, que levou 29 gols nos primeiros 45 minutos de jogo.

Em sete jogos desse Brasileiro, dos 25 que disputou (quase 30%), o Santos levou mais de dois gols. Em seis jogos levou 3 gols (0 x 3 Palmeiras, 2 x 3 Atlético-PR, 2 x 3 Coritiba, 3 x 3 Inter, 2 x 3 Figueirense e 2 x 3 Fluminense), e outro jogo sofreu 5 gols (4 x 5 Flamengo). Desde 1971, o Santos havia sofrido 5 gols em um jogo como mandante apenas uma vez, em 1995, quando perdeu para o Vasco por 5 x 3.

O goleiro Rafael, até agora, sofreu 36 gols. O mesmo número de 2010, porém com 11 partidas disputadas a menos. Até hoje, na era dos pontos corridos, apenas dois goleiros sofreram mais gols do que Rafael em uma única edição de Brasileiro. Em 2003, Fábio Costa levou 43 gols, porém em 35 jogos, ficando com a média de 1,23 gol sofrido por partida. Já em 2005, Saulo levou 47 gols em 24 jogos, ficando com o péssima média de 1,96 gol sofrido por jogo. Dos goleiros com mais de 10 jogos pelo Santos em Brasileiros, na era dos pontos corridos, apenas Saulo, em 2005, teve uma pior a de Rafael de 2011. Confira abaixo os goleiros do Santos na era dos pontos corridos, com suas médias de gols sofridos:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags:

segunda-feira, 3 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro | 10:32

Recordes e curiosidades do Brasileirão após a 27ª rodada

Compartilhe: Twitter

No último final de semana, o Campeonato Brasileiro teve a disputa da 27ª rodada e após dez jogos, algumas marcas foram quebradas. Em Porto Alegre, o Cruzeiro chegou ao seu 8º jogo sem vitória, igualando o seu pior jejum de vitórias na história da competição. Em 1998, quando foi comandado por Levir Culpi, e em 2006, quando foi dirigido por Paulo César Gusmão (em 5 jogos) e Oswaldo de Oliveira (3 jogos), a Raposa também ficou 8 partidas sem vencer. Se não conseguir vencer o São Paulo na próxima quarta-feira, o Cruzeiro irá atingir então uma sequência negativa histórica, de 9 jogos em vitória.

Já o São Paulo, com a derrota para o Flamengo, terminou a rodada com um aproveitamento de apenas 52,4% nos jogos como mandante. Até agora, foram 6 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Além do Flamengo, o Tricolor paulista tropeçou também para outros cariocas em casa: Vasco (2 x 0), Botafogo (2 x 0) e Fluminense (2 x 1). Contra os cariocas, aliás, o São Paulo não vem dando muito sorte. Em 2011, foram 7 jogos no Brasileirão, com apenas uma vitória (2 x 0 no Flu, na estreia), um empate e cinco derrotas (aproveitamento de apenas 19%). Nos últimos anos, aliás, história não vem sendo muito diferente. Em 2010, em 8 jogos, o São Paulo, venceu 1, empatou 4 e perdeu 3 para os cariocas (29,2%). Já em 2009, disputou 6 jogos, ganhou 2, empatou 1 e perdeu 3 (38,9%). Dos últimos 21 jogos diante dos cariocas, em Brasileiros, o São Paulo venceu apenas 4, empatou 6 e perdeu 11.

A vitória sobre o São Paulo, por 2 x 1, deixou o Flamengo agora com o melhor ataque do Brasileirão 2011 ao lado do Coritiba, com 44 gols em 27 jogos. O Flamengo tem nesse campeonato também o melhor ataque de um visitante (25 gols em 14 jogos). Além disso, o rubro-negro é o também o time que mais marcou gols no segundo tempo (27 gols, contra 26 do Coritiba). Até hoje, o Flamengo terminou com o melhor ataque de um Brasileirão em quatro oportunidades, em suas 40 participações (1974, 1980, 1983 e 2008).

A 27ª rodada do Brasileirão ou a 8ª rodada do segundo turno, terminou também com um novo líder nessa segunda metade do campeonato. Com a vitória sobre o Santos aos 50 minutos do segundo tempo, o Fluminense assumiu a liderança do returno com uma ótima campanha (6 vitórias, 1 empate e 1 derrota – 79,2% de aproveitamento). Já o Cruzeiro, com sua série negativa de vitórias, caiu para a rabeira do returno. Confira a classificação:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 29 de setembro de 2011 Artilheiros, Futebol Europeu, Liga dos Campeões | 10:05

Messi começa a temporada de forma espetacular

Compartilhe: Twitter

O argentino Lionel Messi começou a temporada 2011/12 de forma brilhante. Antes do início do Campeonato Espanhol, Messi foi campeão da Supercopa da Espanha, anotando três gols nas duas finais diante do Real Madrid. Além disso, foi campeão tambéma da Supercopa Europeia marcando um gol na vitória sobre o Porto-POR (2 x 0).

Pelo Campeonato Espanhol, anotou 8 gols em apenas 5 partidas. No último final de semana, no jogo contra o Atlético de Madri, Messi fez três gols. Ontem, pela Liga dos Campeões, Messi marcou dois gols sobre o BATE Borisov. Até agora, em 10 jogos pela temporada, Messi marcou 14 gols, deu 10 assistências e alcançou marcas importantes. O argentino igualou-se ao húngaro Láslo Kubala como segundo maior artilheiro da história do Barcelona, com 194 gols. Kubala chegou a essa marca após 11 temporadas pelo clube catalão e aos 34 anos. Messi, com 24 anos, está começando sua sétima temporada pelo Barça.

Com uma média recente de mais de 40 gols por temporada, Messi tem tudo para alcançar em breve o maior artilheiro da história do Barcelona, o espanhol César Rodríguez, autor de 235 gols. Messi também anotou seu 127º pelo Campeoanto Espanhol em 184 jogos, superando Mario Kempes (126 gols em 222 jogos), tornando-se assim o segundo argentino com mais gols pela Liga, atrás apenas de Di Stéfano (228 gols), Além disso, Messi chegou a marca de 39 gols pela Liga dos Campeões, igualando o nono maior artilheiro da história da competição, o seu compatriota Morientes, que marcou seus 39 gols entre 1997 e 2010. Artilheiro da Liga nas últimas três edições, Messi tem tudo para subir nesse ranking de artilheiros da competição ainda nessa temporada, já que disputou apenas duas partidas.

MAIORES ARTILHEIROS DA LIGA DOS CAMPEÕES

POS. JOGADOR GOLS PERÍODO
Raúl (ESP) 71 1995-2011
Van Nistelrooy (HOL) 56 1999-2010
Henry (FRA) 51 1998-2010
Di Stéfano (ESP) 49 1956-1964
Shevchenko (UCR) 48 1993-2010
Eusébio (POR) 47 1962-1974
Filippo Inzaghi (ITA) 46 1998-2011
Del Piero (ITA) 42 1996-2010
Morientes (ESP) 39 1997-2010
Messi (ARG) 39 2004-2011
Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 27 de setembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, História | 17:40

Quem marcou mais gols em um só jogo do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

No último final de semana, o meia-atacante Diego Souza anotou 3 gols na bela vitória do Vasco sobre o Cruzeiro, por 3 x 0, fora de casa, pelo Brasileirão. Essa foi a primeira vez que o jogador atingiu tal marca pela competição. A marca, porém, já foi alcançada por outros jogadores no campeonato de 2011 por Ronaldinho Gaúcho, Liédson, Leandro Damião, André Lima e Ânderson Aquino.

Na era dos pontos corridos, o recorde segue sendo do meia Alex, que atualmente defende o Fenerbahce, da Turquia. Em 2003, o jogador fez 5 gols na vitória sobre o Bahia por 7 x 0, na última rodada do Brasileiro daquele ano. Desde 2003, apenas três jogadores fizeram 4 gols em um único jogo: Liédson, pelo Corinthians, mas em 2003, Keirrison, pelo Coritiba, em 2008, e Val Baiano, pelo Barueri, em 2009.

Na história do Brasileirão, o recorde de gols em uma única partida pertence a outro vascaíno. Em 1997, Edmundo fez 6 gols na vitória do Vasco por 6 x 1 sobre o União São João.

Confira abaixo os maiores artilheiros em um único jogo na história do Brasileirão e também quem fez 3 ou mais gols em uma única partida na era dos pontos corridos:

.

.

.

.

.

.

.

.Brasileirão na era dos Pontos Corridos

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 24 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Confrontos, História | 10:54

Cruzeiro e Inter defendem tabus diante Vasco e Atlético-MG

Compartilhe: Twitter

A 26ª do Campeonato Brasileirão terá dois clássicos amanhã onde velhos tabus estão em jogo. Em Minas Gerais, o Cruzeiro, que realiza uma de sua piores campanhas na era dos pontos corridos, com apenas 38,7% de aproveitamento, defende um tabu diante do Vasco, líder do campeonato. Nos últimos 8 jogos entre as equipes, que já decidiram o Brasileirão de 1974 (Vasco campeão), só deu Cruzeiro, com 7 vitórias e um empate. No último jogo, em São Januário, a Raposa não tomou conhecimento do Vasco e venceu por 3 x 0, na estreia de Joel Santana, já demitido do Cruzeiro.

A última vitória do Vasco no confronto foi em 2006, 1 x 0, em São Januário, gol de Ramon. O goleiro Fábio, do Cruzeiro, é o único remanescente daquele jogo. Já em Minas Gerais, a última vitória do Vasco foi em 2000, por 3 x 1, no Mineirão, pela semifinal da Copa João Havelange. O Vasco, de Joel Santana, venceu por 3 x 1, com gols de Juninho Pernambucano, Euller e Romário. Sorín descontou para a Raposa, dirigida por Felipão. No geral, Cruzeiro e Vasco já jogaram 44 vezes, com 16 vitórias da Raposa, 15 empates e 13 vitórias do Vasco.

Já o clássico Internacional e Atlético-MG, o tabu é ainda maior. O Colorado não perde para o Galo há 15 jogos. A última vitória atleticana foi em 2002 (3 x 2, no estádio Independência, em BH). Em Porto Alegre, a última vez que o Atlético-MG bateu o Inter pelo Brasileirão foi há 25 anos, em 1986, quando ganhou por 2 x 0, com gols de Éverton e João Paulo. No Beira-Rio, aliás, o Inter leva grande vantagem sobre o Galo, com 13 vitórias, 10 empates e apenas 4 derrotas em 27 jogos. No Geral, a vantagem colorada também é grande. Em 54 jogos, foram 23 vitórias do Inter, 17 empates e 14 vitórias do Atlético. No último confronto, deu Inter também, com um 4 x 0, fora de casa, na Arena Jacaré, em Sete Lagoas. Curiosamente, o técnico do Atlético-MG naquele jogo era Dorival Júnior, que hoje comanda o Inter.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 Estatísticas, Futebol Europeu, História | 12:50

Porto defende invencibilidade de 44 jogos contra o Benfica

Compartilhe: Twitter

Atual campeão português, o Porto perdeu duas peças importantes do time vencedor da temporada 2010/11: o técnico Villas-Boas, hoje no Chelsea-ING, e o atacante Falcao García, que foi para o Atlético de Madri por 40 milhões de euros. Ainda assim, o Dragão continua sobrando em Portugal. Nas cinco primeiras rodadas, venceu quatro jogos e empatou apenas um, liderando o torneio.

Campeão invicto na última temporada, o Porto vem de uma incrível invencibilidade de 44 jogos sem derrota pelo Campeonato Português. Foram 9 jogos sem derrota no final da temporada 2009/10 (aliás, 9 vitórias consecutivas),  30 jogos na temporada 2010/11 (27 vitórias e 3 empates), e mais cinco jogos na atual temporada, totalizando 44 partidas sem uma única derrota.

Hoje, porém, o time da cidade do Porto tem pela frente seu principal rival, o Benfica, no estádio Dragão. Até hoje, o Porto leva vantagem sobre o Benfica no histórico do confronto, com 85 vitórias contra 82 do Benfica. Pelo Português, são 60 vitórias do Porto contra 53 do Benfica. Jogando em casa, o retropescto do Porto é ainda melhor (47 vitórias, 18 empates e  apenas 12 derrotas).

Mas para chegar ao recorde de invencibilide no Campeonato Português, porém, o Porto deverá ficar ainda mais 12 jogos sem perder. Até hoje, o recordista é o Benfica, que ficou 56 jogos sem derrota entre 24/10/1976 a 28/8/1978. No Brasil, a maior série invicta no Campeonato Brasileiro é do Botafogo, que permanceu sem perder por 42 jogos nas edições de 1977 e 1978. Confira as maiores invencibilidades nos principais campeonatos europeus.

CAMP. ALEMÃO: Hamburgo, 36 jogos (de 30/1/1982 a 29/1/1983)

CAMP. ESPANHOL: Real Sociedad, 38 jogos (de 29/4/1979 a 4/5/1980)

CAMP. FRANCÊS: Nantes, 32 jogos (de 29/7/1994 a 15/4/1995)

CAMP. INGLÊS: Arsenal, 49 jogos (7/5/2003 a 16/10/2004)

CAMP. ITALIANO: Milan, 58 jogos (de 26/5/1991 a 14/3/1993)

CAMP. PORTUGUÊS: Benfica, 56 jogos (de 24/10/1976 a 28/8/1978)

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 21 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Confrontos, História | 09:36

No Morumbi, Corinthians não perde há 7 partidas para o São Paulo

Compartilhe: Twitter

Clássico que vale a liderança provisória do Brasileirão (o Vasco só joga amanhã), São Paulo x Corinthians contará com outros grandes atrativos. Além da velha rivalidade do Majestoso, disputado pela primeira vez em 1936, o jogo de hoje à noite traz um clima de revanche, mas pelo lado são-paulino. O Corinthians, apesar da vantagem no confronto direito, vem em má fase (perdeu cinco dos últimos sete jogos), luta para voltar ao topo da liderança e não perder mais um técnico após um clássico contra o São Paulo.

O jogo de hoje será o 292º na história entre os dois clubes (veja aqui a lista dos jogos). Até agora, o Corinthians leva boa vantagem, com 112 vitórias, 92 empates e 88 derrotas. O alvinegro marcou 430 gols e levou 392 do Tricolor. Recentemente, os dois clubes conseguiram manter bons tabus. Entre 2003 e 2007, o São Paulo ficou 13 jogos sem perder para o rival. Já entre 2007 e 2010, foi a vez do Corinthians ficar 10 jogos invicto no clássico. Esse tabu, porém, foi quebrado esse ano, no Paulistão, quando o São Paulo venceu por 2 x 1, em Barueri, no jogo que marcou o gol 100 na carreira de Rogério Ceni.

O goleiro aliás, tem também um retrospecto negativo diante do Corinthians. Em 52 jogos, ganhou 17, perdeu 20 e empatou outros 15, levando 79 gols. O Corinthians é, justamente, o clube que mais marcou gols em Rogério Ceni.

Pelo Brasileirão, o Corinthians também leva a melhor em 47 jogos com 18 vitórias, 18 empates e 11 derrotas (51 gols a favor e 42 gols contra). Além disso, carrega uma invencilibidade de 8 jogos sem derrota para o São Paulo na competição (5 vitórias e 3 empates no período). A última vitória são-paulina no clássico, pelo Brasileirão, foi no dia 7/5/2006, quando venceu por 3 x 1 em São José do Rio Preto.

No último confronto entre as equipes, pelo Brasileiro, o Corinthians acabou goleando o São Paulo por 5 x 0, no Pacaembu, na maior goleada alvinegra na história do clássico, repetindo o placar de 1996, pelo Paulistão. Pelo lado são-paulino, a maior vitória também aconteceu em Brasileiros. Foi em 2005, quando o time bateu o Corinthians por 5 x 1, no Pacaembu. Naquele jogo, o árbitro era Wilson Luiz Seneme, o mesmo de hoje. Seneme esteve presente também na vitória do Corinthians por 3 x 0, no primeiro turno de 2010, no Pacaembu; na vitória corintiana por 2 x 0, na semifinal do Paulista, no Morumbi, que garantiu o alvinegro da final daquele ano; e também na vitória do Corinthians por 4 x 3, no Paulistão de 2010.

A goleada de 5 x 1 do São Paulo de 2005, aliás, causou a queda do técnico argentino Daniel Passarella. E derrubar técnicos do Corinthians vem sendo um especialidade do Tricolor. Na história, já foram 15 após o Majestoso. O último deles Ademar Braga, em 2006. Até o técnico Tite, que vem sendo alvo da crítica dos torcedores pelos maus resultados, já caiu após perder um clássico para o São Paulo. No início de 2005, pelo Paulistão, Tite foi demitido após a derrota por 1 x 0, com gol de Danilo, hoje reserva do Corinthians.

No Morumbi, palco do jogaço de hoje, as equipes já se enfrentaram 131 vezes, com 46 vitórias do Corinthians, 51 empates e 34 vitórias do time da casa. Atualmente, o Corinthians mantém um tabu de sete jogos sem derrota para o São Paulo no Cícero Pompeu de Toledo. A última vitória do São Paulo, no Morumbi, foi no Paulistão de 2007, quando venceu por 3 x 1. Desde então, foram três vitórias do Corinthians e quatro empates. No último jogo no Morumbi, pelo Brasileirão de 2010, o Corinthians venceu por 2 x 0, com gols de Elias e Dentinho.

O Morumbi também foi palco de algumas decisões entre Corinthians em São Paulo. Pelo Paulistão, o São Paulo foi campeão sobre o rival em 1987, 1991 e 1998. Já o Corinthians faturou o Estadual de 1982, 1983, 1997 e 2003 em cima do rival, além do Torneio Rio-São Paulo de 2002 e o Brasileirão de 1990. O alvinegro também levou a melhor em algumas semifinais, como no Paulista de 1999 e 2009, além da Copa do Brasil de 2002.

Entre os jogadores que disputarão o clássico hoje, quatro deles, pelo lado corintiano, já marcaram gol no clássico: Chicão (que deve começar no banco), Danilo, Jorge Henrique e Liédson. O Levezinho, aliás, foi o grande destaque no último confronto, quando fez 3 gols. O atacante, aliás, fez também um na final do Paulista de 2003. Já pelo lado são-paulino, Rogério Ceni já marcou três gols no rival, sendo dois de pênalti e um de falta. Luís Fabiano, que pode ser a surpresa do Tricolor hoje à noite, fez dois gols nessa final de 2003 também, um em cada derrota por 3 x 2. Outros que também já marcaram foram Dagoberto (dois gols) e Jean (um).

Outra curiosidade é que no elenco do Corinthians três jogadores já defenderam o São Paulo: o lateral-esquerdo Fábio Santos e o atacante Adriano (fora do clássico de hoje por lesões) e o meia Danilo (que deve começar no banco). Já no São Paulo, além do técnico Adílson Batista, apenas apenas Rivaldo defendeu o Corinthians no profissional. Lucas, só jogou por lá nas categorias de base, quando ainda era chamado de Marcelinho.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 20 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 08:47

Nos últimos três anos o líder da 24ª rodada não levou o título

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 chegou a sua 24ª rodada com um novo líder, o Vasco, que superou o Corinthians e pela primeira vez assumiu a ponta da competição. Com praticamente 2/3 do campeonato disputado, a briga pelo título e pela fuga do rebaixamento parece tomar forma. Mas muita coisa pode mudar daqui para frente. Se pegarmos as edições anteriores do Brasileirão por pontos corridos, a situação se alterou bastante nas últimas 14 rodadas, com 42 pontos em disputa. Nos últimos três anos, por exemplo, quem estava na liderança do Brasileiro nessa mesma altura do campeonato não ficou com o título.

Em 2008, o Grêmio, de Celso Roth, tinha seis pontos de vantagem sobre o vice-líder, Cruzeiro (49 a 43) e dez a mais do que o São Paulo (39 pontos e na 9ª posição). No final, o Tricolor paulista fechou o campeonato com 75 pontos contra 72 do Tricolor gaúcho e levou o tri. Dos 42 pontos em disputa, o São Paulo conquistou incríveis 36.

Em 2009, o Palmeiras, treinado por Muricy Ramalho, o mestre do Brasileirão por pontos corridos, perdeu a liderança e viu o Flamengo, que na 24ª rodada também estava dez pontos atrás e na 11ª colocação, ser o campeão. Nas últimas 14 rodadas, o Rubro-negro conquistou 33 pontos enquanto o Palmeiras fez 18 e acabou de fora, inclusive, da Libertadores.

Já no ano passado, o Corinthians, com um jogo a menos, liderava o Brasileiro com dois pontos a mais do que o segundo colocado Fluminense. Mas aí, o alvinegro perdeu quatro jogos e empatou outros três na sequência e viu o Tricolor carioca tomar a liderança. Depois, o Corinthians ainda conseguiu recuperar o primeiro lugar, mas faltando três rodadas foi novamente ultrapassado pelo Flu, que ficou com o título.

Outro ano em que o líder a 14 rodadas do fim não levou o Brasileiro foi 2005. O Inter, na 28ª rodada, estava a um ponto de vantagem do Corinthians, que acabou campeão. Já em 2003, 2004, com Cruzeiro e Santos, e em 2006 e 2007, com o São Paulo, os líderes a 14 rodadas do fim levaram o título.

Por outro lado, algumas situações também chamaram a atenção pela superação ou até mesmo pela queda brusca nas últimas 14 rodadas nas edições passadas. Em 2007, por exemplo, o Corinthians ocupava a 10ª rodada nessa mesma rodada de hoje (24ª) e acabou rebaixado. Nos seus últimos 14 jogos, o time somou apenas 11 dos 42 pontos e caiu para a Série B. No mesmo ano, o Flamengo, então o 14º colocado, arrumou forças para beliscar uma vaga na Libertadores.

Já em 2009, o Cruzeiro, então 13º colocado, com 32 pontos (mais ou menos como o Figueirense hoje), conquistou 30 dos 42 pontos, chegou na 4ª posição e ficou com uma vaga na Libertadores do ano seguintes. Já o Fluminense, com apenas 18 pontos e na lanterna do campeonato (hoje o lanterna América-MG tem 19), também deu uma bela arrancada no campeonato, conquistou 27 dos 42 pontos e escapou da Série B.

Confira abaixo a situação do Brasileirão faltando 14 rodadas para o seu final, assim como hoje. Em verde, os clubes que ficaram com o título no ano, em amarelo, os clubes que chegaram no G4 e foram para a Libertadores, em laranja, os clubes classificados para a Libertadores como campeões da Copa do Brasil ou da própria Libertadores no ano, e em rosa, os clubes que foram rebaixados.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 09:08

Lanterna do returno, Flamengo tem série negativa recorde

Compartilhe: Twitter

Sem vencer há nove jogos no Brasileirão, o Flamengo alcançou uma marca negativa em sua história pela competição, desde 1971. Até então, o maior jejum de vitórias do Rubro-negro em Brasileiros era de oito jogos. Isso aconteceu três vezes: em 1971 (com o técnico Fleitas Solich), em 1994 (com Carlinhos e Edinho) e em 2004 (com Abel Braga). No Brasileirão de 2011, o Flamengo foi o time com a maior sequência invicta, ao ficar sem perder nas 16 primeiras rodadas, um recorde na história dos pontos corridos e também do próprio clube em um começo de competição.

Confira os maiores jejuns de vitória do Flamengo em Brasileiros:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Agora, porém, o Flamengo acumula nove jogos sem vitória, na pior sequência em andamento no Brasileirão de 2011. Pelo péssimo desempenho, o time de Vanderlei Luxemburgo ocupa o último lugar na classificação do segundo turno do Brasileirão, com apenas um ponto em cinco jogos (conquistado justamente ontem, no empate contra o Botafogo). Veja a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 12 de setembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro | 10:33

Damião chega a marca de 40 gols na temporada

Compartilhe: Twitter

Com os três gols que marcou na vitória sobre o Palmeiras, ontem, por 3 x 0, o atacante Leandro Damião, do Inter, chegou a marca de 40 gols na temporada. No Brasileirão, já são 13 gols, três a menos do que o artilheiro Borges. Damião já disputou nessa temporada 48 jogos e tem a boa média de 0,83 gol por partida. Em 2010, Damião marcou só 12 gols em 45 jogos pelo Colorada. Entre os jogadores que atuam no Brasil, Leandro Damião segue como o maior goleador no ano, superando Borges que fez 27 gols por Grêmio e Santos.

Confira os gols de Leandro Damião na temporada de 2011:

.

.

.

.

.

.

Artilheiro do Campeonato Gaúcho com 17 gols, Leandro Damião está a apenas dois gols de superar a marca de Jonas e Neymar, de 2010, que encerram a temporada como os maiores goleadores com 42 gols cada. Nos últimos anos, aliás, a média de gols tem ficado na casa dos 40 gols. Com mais 15 rodadas de Brasileirão pela frente e alguns amistosos da Seleção Brasileira, Damião tem aí a chance de superar alcançar a casa dos 50 gols, como Kléber Pereira, há dez anos. Mas dificilmente chegará a incrível marca de Romário, que anotou 71 gols em 72 jogos em 2000 pelo Vasco e pela Seleção Brasileira. Só para registrar, em 1961, Pelé fez 109 gols, em seu melhor ano na carreira em relação ao número de gols marcados.

Veja a lista dos maiores artilheiros da temporada brasileira desde 2000:

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última