Publicidade

Arquivo da Categoria Campeonatos Estaduais

segunda-feira, 14 de maio de 2012 Campeonatos Estaduais | 13:50

As façanhas dos campeões estaduais de 2012

Compartilhe: Twitter

O futebol brasileiro conheceu ontem 13 novos campeões estaduais em 2012. Agora, já são 17 os campeões entre os 27 campeonatos disputados no país nesse primeiro semestre.

Desses campeões que saíram até agora, dois conquistaram o estadual pela primeira vez: o Cametá, do Pará, e o Aracruz, do Espírito Santo.

Já três foram bicampeões (Internacional, Santa Cruz e Ceará) e dois tricampeões (Santos e Coritiba).

Dos 17 campeões, apenas um foi invicto: o Atlético-MG.

Veja abaixo as principais façanhas dos campeões estaduais de 2012:

Santos (SP)

– Depois de 43 anos conquistou um tricampeonato no Paulistão.
– Igualou o Corinthians em número de tricampeonatos (três cada).
– Com Neymar, o Santos tornou-se o clube com mais artilheiros na história do Paulistão, superando o Corinthians (22 a 21)
– O zagueiro Durval conquistou o seu 10º título estadual consecutivo: Botafogo-PB (03), Brasiliense-DF (04), Atlético-PR (05), Sport (06, 07, 08, 09) e Santos (10, 11 e 12)
– O técnico Muricy Ramalho conquistou seu sétimo estadual: Náutico-PE (01 e 02), Internacional-RS (03 e 05), São Caetano-SP (04) e Santos (11 e 12)
– Igualou o São Paulo em número de títulos Paulista (20 a 20). O Corinthians lidera o ranking de títulos paulistas com 26, seguido pelo Palmeiras (22)
– Venceu 5 dos últimos 7 estaduais e ainda foi vice em um deles.
– O público de 53.749 torcedores da final de ontem foi o maior do Brasil nos Estaduais 2012.

Fluminense (RJ)
Conquistou seu 31º título Estadual. Agora está um atrás do Flamengo, o maior campeão Carioca, com 32 conquistas. O Vasco tem 22 e o Botafogo 19.
– Venceu seu quarto estadual nos últimos 20 anos (1995, 2002 e 2005)
– Assim como em 2005, o técnico Abel Braga deu o título do Fluminense. Abelão conquistou ainda o Carioca de 2004 com o Flamengo.
– Fred foi o artilheiro do Flu no Estadual com 7 gols. Na competição, os artilheiros foram Loco Abreu (Botafogo) e Alecsandro (Vasco), com 10 gols cada.
– O Vasco foi o clube que mais pontuou no Carioca de 2012 (41 pontos), o Botafogo conquistou 40 e o Flu, o campeão, 36 pontos.

Atlético (MG)
Conquistou o título de forma invicta, depois de 36 anos.
– Venceu o 100º campeonato mineiro da história.
– Não deixou o rival América levanta o título no seu centenário.
– O técnico Cuca venceu o seu terceiro estadual nos últimos quatro anos: Flamengo (2009), Cruzeiro (2011) e Atlético-MG (2012)
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Cruzeiro: 41 x 36.
– O atacante André foi o artilheiro do Galo no Mineiro com 10 gols. Ele ficou apenas um atrás de Wellington Paulista, do Cruzeiro, o goleador do campeonato.

Internacional (RS)
– Conquistou 7 dos últimos dez campeonatos gaúchos foram vencidos pelo Internacional.
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Grêmio: 41 x 36.
– O atacante Leandro Damião foi artilheiro pela segunda vez consecutiva. Algo que não ocorria no Gaúchão desde 1981, com Baltazar, do Grêmio.
– O técnico Dorival Júnior conquistou seu sexto título estadual em seis diferentes estádios: Figueirense-SC (04), Fortaleza-CE (05), Sport-PE (06), Coritiba-PR (08), Santos-SP (10) e Internacional-RS (12)

Bahia (BA)
– O Bahia quebrou um jejum de 11 anos sem título estadual, o maior de sua história. Nesse período, o tricolor viu o rival Vitória ganhar oito vezes o Campeonato Baiano.
– Como título, o Bahia segue bem na frente no ranking de títulos no Estado (44 a 26).
– O técnico Falcão, campeão gaúcho com o Inter em 2011, conquistou seu bi-Estadual.

Santa Cruz (PE)
– Na 22ª final entre Santa Cruz e Sport, o tricolor derrotou o Leão pela 10ª vez e faturou o título Estadual. O Sport ainda leva a vantagem com 12 conquistas.
– Com o bicampeonato estadual, ambos sob o comando do técnico Zé Teodoro.
– Esse é primeiro bi do Santa após 25 anos.
– Com o gol na final, Dênis Marques superou Marcelinho Paraíba e terminou como artilheiro do Pernambucano com 15 gols.
– O Santa Cruz tem agora 25 títulos estaduais contra 39 do Sport e 21 do Náutico.

Coritiba (PR)
– Esse foi o segundo tricampeonato da história do Coritiba.
– O técnico Marcelo Oliveira conquistou o seu segundo estadual título pelo Coritiba. Ele era o técnico do time campeão invicto de 2011. Em 2010, o técnico era Ney Franco.
– Os artilheiros do Coxa na campanha do tri foram os zagueiros Emerson e o meia Lincoln com 8 gols cada. O goleador da competição foi Baiano, do Operário, com 13 gols.
– O Coritiba venceu seis dos últimos dez Campeonatos Paranaenses. O Atlético-PR venceu dois, o Paraná um e o Paranavaí outro.
– O Coxa tem agora 36 títulos estaduais contra 22 do Atlético-PR.

Avaí (SC)
– Com a vitória sobre o Figueirense, o Avaí retormou a hegemonia do futebol catarinense. Agora, tem 16 títulos contra 15 do Figueirense. O Joinville tem 12 conquistas.
– O Avaí foi campeão com o técnico Hemerson Maria, que entrou como interino durante a competição.
– A derrota na final causou a queda do técnico Branco.
– O Figueirense venceu os dois turnos do Catarinense de 2012, mas perdeu as duas partidas da final.
– Os artilheiros da competição foram Aloísio (Figueirense) e Rafael Costa (Metropolitano), ambos com 14 gols. O artilheiro do Avaí foi Cléber Santana com 7 gols.

Goiás (GO)
– O Goiás, do técnico Enderson Moreira, acabou com o sonho do Atlético-GO em conquistar seu inédito tricampeonato.
– O Goiás tem agora 23 títulos estaduais contra 15 do Vila Nova, 14 do Goiânia e 12 do Atlético-GO.
– O artilheiro do Goiano 2012 foi Patric, do Vila Nova, com 14 gols. Pelo Goiás, o goleador foi Ricardo Goulart, ex-Inter, com 8 gols.

Ceará (CE)
O Ceará, do técnico PC Gusmão, bateu o rival Fortaleza e levou seu 41º título Cearense. O Fortaleza tem 39.
– O atacante Felipe Azevedo, que marcou o gol de empate na final e do título, terminou como o artilheiro da competição com 16 gols.

Cametá (PA)
O Cametá Sport Clube, da cidade de Cametá, conquistou pela primeira vez o título Paraense.
– Pelo segundo ano o Pará tem um novo campeão. Em 2011, foi a vez do Independente.
– O Cametá é o sexto clube a vencer o Paraense. Paysandu (44 títulos), Remo (42), Tuna Luso (10), União Esportiva (2), todos de Belém, e Independente de Tucuruí (1), são os outros campeões.
– O técnico Sinomar Naves, que no primeiro turno dirigiu o Remo, que acabou sendo vice-campeão, conquistou o seu terceiro título Paraense.
– Com o título, o Cametá ficou com a vaga do Pará na Série D do Brasileiro.

Campinense (PB)
O Campinense, de Campina Grande, goleou o Sousa por 4 x 0 e conquistou seu 18º título paraibano.
– Botafogo, com 25 conquistas, segue como o maior campeão.

CRB (AL)
– Depois de uma espera de 10 anos o CRB voltou a conquistar o Campeonato Alagoano.
– O campeão soma agora 26 títulos contra 37 do CSA e 7 do ASA, os maiores vencedores.
– Dois ex-jogadores do São Paulo estavam no time campeão: o atacante Aloísio Chulapa e o lateral-esquerdo Jadílson.

América (RN)
– O América voltou a ganhar o Campeonato Potiguar depois de 9 anos.
– Dirigido por Roberto Fernandes, o América estragou o sonho do tri do rival ABC.
– O América tem agora 33 títulos estaduais. O ABC, maior campeão, tem 52.

Aracruz (ES)
– Campeão estadual pela primeira vez, o clube de Aracruz derrotou o Conilon na decisão do Capixaba 2012.

Águia Negra (MS)
– Clube de Rio Brilhante, o Águia Negra levantou seu segundo título estadual – o outro foi em 2007.

Luverdense (MT)
– O clube da cidade de Lucas do Rio Verde conquistou seu segundo estadual (havia sido campeão em 2009).
– Edmar Damião, irmão de Leandro Damião foi campeão pelo Luverdense. Ele formou dupla de ataque com Valdir Papel.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 29 de abril de 2012 Artilheiros, Campeonatos Estaduais | 20:33

Com 3 gols, Neymar iguala marca de Juary de 1978

Compartilhe: Twitter

Artilheiro do Paulistão de 2012 e mais uma vez o grande nome do Campeonato Paulista, Neymar não deu chances ao São Paulo hoje à tarde, no Morumbi. Autor de 3 gols, o atacante santista igualou uma marca que já durava mais de 30 anos. O último jogador do Santos a marcar 3 gols no clássico contra o São Paulo havia sido Juary, em 1978. Justamente o jogador que Neymar superou hoje na lista de artilheiro do Santos (102 a 101) e a quem acabou fazendo uma homenagem no segundo gol, ao comemorar ao estilo do antigo ídolo na bandeirinha de escanteio.

No dia 1º de outubro de 1978, também no Morumbi, Juary anotou os 3 gols da vitória do Santos por 3 x 1 sobre o São Paulo pelo Paulistão daquele ano, vencido justamente pelo Peixe sobre o mesmo rival. Desde então, nenhum outro jogador do Santos marcou 3 gols no clássico. Pelo lado são-paulino, três jogadores atingiram essa marca: Serginho Chulapa (em 1981), Manu (em 1986), Palhinha (em 1993) e França (em 2000). Na história do San-São, os recordistas de gols em um único clássico são Champ (que marcou 4 gols para o São Paulo na vitória por 4 x 2 em 1941) e Pelé (que também fez 4 gols no 6 x 3 sobre o São Paulo em 1961).

A vitória santista de hoje serviu também para que o Santos alcançasse marcar importantes também. Assim como em 2011, o Peixe eliminou o São Paulo na semifinal do Paulistão na casa do rival. Agora, vê o rival atingir sete anos de fila no estadual. Nesse período, o Santos já ganhou quatro paulistas e caminha agora para o quinto título nos últimos sete anos. Assim, poderá chegar ao seu 20º título, ficando apenas um atrás do São Paulo e dois do Palmeiras no ranking de títulos paulistas.

Além disso, o Peixe está próximo de se tornar tricampeão paulista pela terceira vez (algo inédito na história da competição). O Santos, aliás, foi o último clube a conquistar o tri no Paulistão (1967/68/69).

Se confirmar mesmo o título diante do Guarani, o Santos irá garantir o título no ano do seu centenário. Feito que poucos grandes do futebol brasileiro conseguiram até hoje. Flamengo, Grêmio, Botafogo, Atlético-MG e Corinthians passaram em branco recentemente no ano em que comemoraram seu centenário. Apenas o Vasco (campeão estadual e da Libertadores) e o Inter (campeão gaúcho), levantaram a taça no centenário.

Com a classificação de hoje, o Santos também garantiu presença em sua quarta final de estadual consecutiva. Vice em 2009, o Peixe faturou os dois últimos Paulistas. O Palmeiras havia sido o último clube a conseguir tal proeza em São Paulo (chegou entre os dois primeiros em cinco anos seguidos entre 1992 e 1996). O recorde, porém, ainda é do próprio Santos, que foi campeão ou vice consecutivamente por oito anos (entre 1955 e 1962).

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 23 de abril de 2012 Artilheiros, Campeonatos Estaduais | 11:02

Santos deverá superar Corinthians em artilheiros do Paulistão

Compartilhe: Twitter

Com o gol que marcou ontem, na vitória do Santos por 2 x 0 sobre o Mogi Mirim, o atacante Neymar chegou a marca de 13 gols no Paulistão e se igualou a Hernane, do próprio Mogi, na artilharia da competição, com 13 gols. Como Hernane não jogará mais e os próximos adversários estão distantes, é muito provável que Neymar termine mesmo na artilharia do Paulistão 2012. Talvez até isolado.

Alcançando esse feito, Neymar atingirá sua segunda artilharia na carreira (em 2010, foi o goleador da Copa do Brasil), e assim se tornará o 8º santista a terminar como artilheiro do Paulistão. Até hoje, sete jogadores já deram ao Santos a artilharia do Estadual em 21 campeonatos: Pelé (11 vezes), Feitiço (3), Serginho Chulapa (2) e Akaren Patusca, Del Vecchio, Toninho Guerreiro, Giovanni e Elano (1 vez cada).

O rival Corinthians também já teve 21 artilheiros do Paulistão. No ano passado, curiosamente Santos e Corinthians dividiram a artilharia (Elano e Liédson foram os artilheiros com 11 gols). Veja abaixo a lista dos clubes que mais vezes tiveram o artilheiro do Paulistão:

Clube artilheiros
Santos 22*
Corinthians 21
São Paulo 16
Palmeiras 10
Paulistano 10
Ypiranga 6
Germânia 5
São Paulo AC 5
Portuguesa 4
AA São Bento 3
Botafogo 3
Internacional 3
AA das Palmeiras 2
América 2
Americano 2
Barueri 2
Ferroviária 2
Guarani 2
Juventus 2
Mackenzie 2
Mogi Mirim 2
Campos Elyseos 1
Inter de Limeira 1
Ituano 1
Paulista 1
Ponte Preta 1
São Caetano 1
São José 1
São Paulo Railway 1
Taubaté 1

* Se Neymar for mesmo o artilheiro de 2012.

Confira abaixo a relação dos santistas artilheiros do Paulistão desde 1902:

ano jogador gols
1928 Araken Patuska 31
1929 Feitiço 12
1930 Feitiço 37
1931 Feitiço 39
1955 Del Vecchio 23
1957 Pelé 17
1958 Pelé 58
1959 Pelé 45
1960 Pelé 33
1961 Pelé 47
1962 Pelé 37
1963 Pelé 22
1964 Pelé 34
1965 Pelé 49
1966 Toninho Guerreiro 27
1969 Pelé 26
1973 Pelé 11
1983 Serginho 22
1984 Serginho 16
1996 Giovanni 24
2011 Elano 11
Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 16 de abril de 2012 Campeonatos Estaduais, História | 10:57

Rhodolfo e os maiores zagueiros artilheiros do São Paulo

Compartilhe: Twitter

Com cinco gols nos últimos seis jogos, o grandalhão zagueiro Rhodolfo vem se tornando uma arma eficaz nas bolas aéreas do ataque são-paulino. Com 1,93 m, Rhodolfo chegou ao sexto gol na temporada e a marca de 10 com a camisa do São Paulo desde que chegou ao clube, no início de 2011.

No ano passado, o zagueiro marcou 4 gols em 52 partidas. Em 2012, já são 6 gols em 21 jogos. No Paulistão, Rhodolfo já soma 5 gols e é um dos artilheiros da equipe, atrás apenas de Willian josé (10 gols) e Lucas (6 gols).

Em grande fase, Rhodolfo já superou sua marca de gols na época de Atlético-PR. No Furacão, marcou 6 gols em 296 jogos.

Com 10 gols pelo São Paulo, o Rhodolfo igualou a marca dos zagueiro Miranda e está próximo de superar outros ídolos recentes, como Lugano (11 gols), Alex Silva (12) e Fabão (15) os maiores artilheiros do Tricolor no novo milênio.

Se continuar nesse ritmo, Rhodolfo poderá logo entrar para a lista dos cinco maiores zagueiros artilheiros da história do São Paulo.

Confira a lista dos zagueiros com mais gols pelo São Paulo em todos os tempos:

Pos. Jogador Gols
Roberto Dias 78
Darío Pereyra 37
Turcão 35
Edmílson 19
Oscar 15
Fabão 15
Ronaldão 14
Ivan 12
Alex Silva 12
10º Bezerra 11
André Dias 11
Lugano 11
Wilson 11
Júnior Baiano 11
15º Antônio Carlos 10
Jean 10
Miranda 10
Rhodolfo 10
Rodrigo 10
Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 09:58

Os opostos nas defesas de Corinthians e São Paulo no Paulistão

Compartilhe: Twitter

Líder do Campeonato Paulista com quatro pontos de vantagem sobre o Guarani, o invicto Corinthians tem também a defesa menos vazada da competição. Até agora, em 10 partidas, o time de Tite sofreu apenas três gols. Média de apenas 0,33 gol por partida. A melhor em sua história pelo Paulistão em suas 98 participações.

No ano passado, o Corinthians terminou também com uma boa média de gols sofridos no Estadual, levando 16 gols em 23 jogos (média de 0,70). O Palmeiras terminou com a melhor defesa em 2011 com 10 gols sofridos em 21 jogos. Até hoje, a defesa menos vazada do Corinthians em um Paulistão é a de 1990. Naquele ano, a equipe do técnico Nelsinho Baptista sofreu apenas 13 gols em 35 jogos (média de 0,37 gol sofrido por partida). Confira abaixo as melhores defesas do alvinegro pelo Paulistão desde sua primeira participação, em 1913:

Ano Jogos Gols sofridos Média
2012 10 3 0,33
1990 35 13 0,37
1916 8 3 0,38
1972 22 10 0,45
1991 34 19 0,56
1979 47 30 0,64
1973 22 15 0,68
2011 23 16 0,70
1970 18 13 0,72
1925 11 8 0,73

.

Já o São Paulo, que chegou a liderar o campeonato nas primeiras rodadas, vem sofrendo com sua defesa, desfalcada do goleiro Rogério Ceni. Mesmo com a chegada de novos e altos zagueiros, o time de Leão tem uma das piores defesas do Paulistão com 14 gols sofridos em 10 jogos. Destes, oito saíram de jogadas aéreas. A média ruim de 1,40 gol sofrido por partida está entre as piores do Tricolor em sua história pelo Paulistão, desde 1936. Em 77 participações, a defesa de 2012 está entre as 10 piores do clube. Veja abaixo as piores médias de gols do São Paulo no Campeonato Paulista:

Ano Jogos Gols sofridos Média
1940 20 41 2,05
2001 15 26 1,73
1936 21 35 1,67
1944 20 32 1,60
1941 20 32 1,60
1960 34 54 1,59
1955 26 37 1,42
2012 10 14 1,40
1942 20 28 1,40
1939 20 28 1,40

.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais, Confrontos | 10:57

Vasco e Flu irão decidir a Taça Guanabara pela segunda vez

Compartilhe: Twitter

Disputada desde 1965, a Taça Guanabara teve uma importância maior em seus primeiros anos, quando servia para apontar o representante carioca na Taça Brasil. A partir de 1972, a Taça GB passou a fazer parte do Campeonato Carioca. Desde então, vem sendo disputada em diferentes formatos (pontos corridos, grupos, semifinal e final, etc).

Em 47 edições, o Flamengo ainda se mantém como o maior vencedor com 19 títulos, seguido por Vasco (11), Fluminense (8), Botafogo (6) e América, Americano e Volta Redonda (que venceram uma vez cada).

O Vasco, que conquistou a Taça Guanabara pela última vez em 2003, é o clube com mais vices (11 no total). O Flamengo perdeu 10 finais, e Botafogo e Fluminense perderam oito decisões. Em 2003, aliás, o Vasco conquistou seu último título Estadual.

Vasco e Fluminense, rivais no domingo, decidiram a Taça Guanabara diretamente apenas uma vez. Em 1994, o Vasco goleou o rival por 4 x 1.  Em outras três edições, os dois clubes terminaram como campeões e vices, mas quando o torneio foi disputado no sistema de pontos corridos. Em 1985, o Flu foi campeão com dois pontos de vantagem sobre o Vasco. Em 1987, o Vasco foi campeão com um ponto de vantagem, conquistado no empate contra o Flamengo na última rodada. Já em 1993, o Fluminense ficou três pontos a frente do Vasco e levou o título.

Relembre  aqui a final da Taça Guanabara de 1994:

3/4/1994
VASCO 4 x 1 FLUMINENSE (vídeo)
Local:
Maracanã (Rio de Janeiro); Juiz: Carlos Elias Pimentel; Público: 6.231; Gols: Pimentel e Valdir (1º tempo); Ézio, Yan e Valdir (2º tempo)
VASCO: Carlos Germano, Pimentel, Alexandre Torres, Ricardo Rocha (Jorge Luiz) e Sidnei (Cássio); Leandro Ávila, França, William e Yan; Denner e Valdir. Técnico: Jair Pereira
FLUMINENSE: Ricardo Cruz, Alfinete, Márcio Costa, Luís Eduardo e Lira; Cláudio, Rogerinho, Wallace e Leonardo (Rogerinho); Mário Tilico e Ézio. Técnico: Delei
Se vencer o Fluminense no domingo, o Vasco irá conquistar a Taça Guanabara com 100% de aproveitamento. Feito que só o Botafogo conseguiu nas 47 edições anteriores, quando venceu seus 11 jogos em 1997.

Para chegar ao título da Taça GB depois de 18 anos (o último foi em 1993, justamente sobre o Vasco), o Flu precisará acabar com um jejum incômodo nos clássicos estaduais. O time de Abel Braga não vence um clássico carioca desde novembro de 2010. Nesse período já soma 12 jogos sem vitória, incluindo o empate de ontem com o Botafogo. A última vitória Tricolor em clássicos foi contra o Vasco (1 x 0, no Brasileirão de 2010).

Nos últimos quatro jogos entre eles, os times empataram duas vezes e o Vasco venceu dois (os dois últimos – 2 x 1 no Brasileiro de 2011 e 2 x 1  no Carioca desse ano).

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais, Confrontos | 09:19

As maiores freguesias nos clássicos estaduais

Compartilhe: Twitter

A rodada desse último final de semana nos campeonatos estaduais contou com quatro clássicos bem curiosos e emocionantes. Pelo Paulistão, o Corinthians voltou a vencer o São Paulo (1 x 0, gol de Danilo, o terceiro sobre o ex-clube). A vitória corintiana foi a nona sobre o rival nos últimos 15 jogos, sendo seis vitórias consecutivas no Pacaembu. Nesse período, o São Paulo venceu apenas um jogo (aquele em que Rogério Ceni marcou seu 100º gol na carreira).

No Rio de Janeiro, o Vasco virou para cima do Fluminense num jogo polêmico, marcado pelos erros do árbitro Antônio Schneider, que não marcou um pênalti claro para o tricolor e ainda distribuiu oito amarelos e dois vermelhos para jogadores do Flu. Com esse resultado, o Fluminense chegou a 11 clássicos sem vitória no Rio. O último triunfo tricolor em clássicos foi em novembro de 2010, quando bateu o Vasco por 1 x 0.

Já na Bahia, o clássico Ba-Vi terminou empatado em 0 x 0, na estreia do técnico Falcão pelo tricolor. O jogo, aliás, marcou o confronto entre dois craques da Seleção Brasileira da Copa de 1982 (Falcão x Cerezo). Realizada no estádio Pituaçu, a partida teve um público de 29.388 torcedores, o maior entre os clássicos do domingo (em São Paulo foram pouco mais de 26 mil, no Rio menos de 8 mil). Pelo Campeonato Cearense, o Ceará vencia o clássico contra o Fortaleza até os 43 minutos do segundo tempo, quando levou o empate e depois a virada, aos 48 minutos. Com o resultado, o Fortaleza tomou a ponta da tabela.

Com esses resultados, Corinthians e Vasco ampliaram seus bons retrospectos diante dos rivais na história dos clássicos. O Corinthians aumentou para 24 o número de vitórias a mais sobre o rival (8,6% a mais no total dos jogos). Já o Vasco chegou a 18 vitórias a mais do que o Flu. Até hoje, porém, essas não são as maiores freguesias nos clássicos estaduais. Em São Paulo, os três grandes da capital levam ampla vantagem sobre o Santos. Em termos de diferença na porcentagem de vitórias nos clássicos estaduais as maiores são: Vasco x Botafogo (17,9%), Palmeiras x Santos (11,8%), Bahia x Vitória (9,5%), São Paulo x Santos (8,6%), Corinthians x Santos (8,6%) e Corinthians x São Paulo (8,1%).

Confira abaixo o retrospecto atualizado dos principais clássicos do país e a diferença de vitórias entre eles.

São Paulo
Jogos Palmeiras empates Santos Diferença
297 127 78 92 35
porcentagem 42,8% 26,3% 31,0% 11,8%
Jogos Corinthians empates Santos Diferença
303 122 85 96 26
porcentagem 40,3% 28,1% 31,7% 8,6%
Jogos São Paulo empates Santos Diferença
268 114 63 91 23
porcentagem 42,5% 23,5% 34,0% 8,6%
Jogos Corinthians empates São Paulo Diferença
296 113 92 89 24
porcentagem 38,2% 31,1% 30,1% 8,1%
Jogos São Paulo empates Palmeiras Diferença
286 100 92 94 6
porcentagem 35,0% 32,2% 32,9% 2,1%
Jogos Palmeiras empates Corinthians Diferença
338 121 102 115 6
porcentagem 35,8% 30,2% 34,0% 1,8%

x
x

Rio de Janeiro
Jogos Vasco empates Botafogo Diferença
319 140 96 83 57
porcentagem 43,9% 30,1% 26,0% 17,9%
Jogos Vasco empates Fluminense Diferença
347 133 99 115 18
porcentagem 38,3% 28,5% 33,1% 5,2%
Jogos Flamengo empates Botafogo Diferença
339 121 113 105 16
porcentagem 35,7% 33,3% 31,0% 4,7%
Jogos Flamengo empates Fluminense Diferença
383 136 126 121 15
porcentagem 35,5% 32,9% 31,6% 3,9%
Jogos Flamengo empates Vasco Diferença
372 141 102 129 12
porcentagem 37,9% 27,4% 34,7% 3,2%
Jogos Fluminense empates Botafogo Diferença
330 119 101 110 9
porcentagem 36,1% 30,6% 33,3% 2,7%

x
x

Minas Gerais
Jogos Atlético-MG empates Cruzeiro Diferença
471 191 123 157 34
porcentagem 40,6% 26,1% 33,3% 7,2%
Rio G. do Sul
Jogos Internacional empates Grêmio Diferença
389 146 121 123 23
porcentagem 37,5% 31,1% 31,6% 5,9%
Bahia
Jogos Bahia empates Vitória Diferença
442 177 130 135 42
porcentagem 40,0% 29,4% 30,5% 9,5%
Paraná
Jogos Coritiba empates Atlético-PR Diferença
348 133 106 109 24
porcentagem 38,2% 30,5% 31,3% 6,9%
Ceará
Jogos Ceará empates Fortaleza Diferença
536 180 189 167 13
porcentagem 33,6% 35,3% 31,2% 2,4%

x
x

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 14:13

Marcos Assunção chega a 20 gols de falta pelo Palmeiras

Compartilhe: Twitter

Aos 35 anos, o volante Marcos Assunção parece cada mais calibrado nas cobranças de bola parada. Principal jogador do Palmeiras no último Brasileirão, o jogador destaca-se também nesse início de temporada como o maior responsável pelos gols da equipe no ano. Nessas seis primeiras rodadas do Paulistão, Marcos Assunção já marcou 3 gols de falta de foi o responsável pela jogada de outros quatro gols após cobranças de escanteios ou faltas. Dos 11 gols do time de Felipão no campeonato, sete passaram pelos pés de Assunção (64%).

Ontem, na vitória sobre o XV de Piracicaba, o experiente jogador fez um gol de falta e também fez a assistência para o gol da vitória. Em 2011, no Brasileirão, Marcos Assunção foi o artilheiro do time, ao lado de Luan, com 8 gols. Além disso, deu 9 assistências diretas e participou de mais 5 jogadas que originaram gol do Palmeiras após suas cobranças de falta. Dos 43 gols do Palmeiras no Brasileirão, Assunção teve participação em 22 deles (51%).

Especialista em bolas paradas, Marcos Assunção chegou o seu 20º gol de falta a camisa do Palmeiras em 104 partidas. Além disso, tem outros quatro gols, sendo mais dois de bola para (um olímpico e outro de pênalti). Em pouco mais de um ano e meio de clube, Assunção participou de 53 dos 158 gols do time no período. Dos seus pés, além dos 24 gols, Assunção de quatro assistências com a bola rolando e iniciou alguma jogada de gols após 10 cobranças de falta (como no terceiro gol de ontem) e de 15 escanteios (como no gol de Fernandão no clássico contra o Santos no último domingo).

Na atualidade, Marcos Assunção é disparado o jogador com o melhor aproveitamento em cobranças de falta no futebol brasileiro. Outros especialistas, como Juninho Pernambucano, Ronaldinho Gaúcho e Rogério Ceni (agora afastado por lesão), marcaram, juntos, pouco mais metade dos gols de Assunção nesse período.

Confira abaixo a participação de Marcos Assunção nos gols do Palmeiras desde sua entrada na equipe, em meados de 2010, e também a lista com os 20 gols de falta do volante pela equipe:

Paulista 2012
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
3 4 11 64%
Brasileiro 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
8 14 43 51%
Copa Sul-Americana 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 0 3 33%
Copa do Brasil 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 3 16 25%
Paulista 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 3 31 13%
Brasileiro 2010
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
6 5 42 26%
Copa Sul-Americana 2010
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
4 1 12 42%

* Assistências diretas e indiretas (jogadas em que o gol saiu após cobranças de falta e escanteio de Assunção).

A lista dos gols de falta de Marcos Assunção pelo Palmeiras:

Data Resultado Gols Competição
30/07/2011 Palmeiras 3 x 2 Atlético-MG 1 Brasileiro
22/07/2010 Palmeiras 2 x 2 Botafogo 1 Brasileiro
19/08/2010 Palmeiras 3 x 0 Vitória 1 Copa Sul-Americana
15/09/2010 Grêmio 1 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
29/09/2010 Palmeiras 2 x 0 Internacional 2 Brasileiro
14/10/2010 Univ. de Sucre-BOL 0 x 1 Palmeiras 1 Copa Sul-Americana
17/10/2010 Palmeiras 1 x 1 Ceará 1 Brasileiro
27/01/2011 Palmeiras 3 x 1 Paulista 1 Paulista
11/05/2011 Palmeiras 2 x 0 Coritiba 1 Copa do Brasil
03/08/2011 Coritiba 1 x 1 Palmeiras 1 Brasileiro
25/08/2011 Palmeiras 3 x 1 Vasco 1 Copa Sul-Americana
31/08/2011 Botafogo 3 x 1 Palmeiras 1 Brasileiro
01/10/2011 Palmeiras 1 x 1 América-MG 1 Brasileiro
13/11/2011 Grêmio 2 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
20/11/2011 Bahia 0 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
26/11/2011 Palmeiras 1 x 0 São Paulo 1 Brasileiro
01/02/2012 Palmeiras 2 x 0 Mogi Mirim 2 Paulista
08/02/2012 Palmeiras 3 x 2 XV de Piracicaba 1 Paulista
Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 12:23

Qual grande está há mais tempo sem perder dos pequenos

Compartilhe: Twitter

Nessa semana, algumas zebras aparecem nos principais estaduais do Brasil. No Rio, o Fluminense caiu, de virada, diante do Boavista. Em São Paulo, Santos e São Paulo ficaram apenas no empate, ontem, e viram o Corinthians assumir a liderança isolada da competição. Em Pernambuco, o Sport, que havia vencido o clássico diante do Sport, foi derrotado pelo Salgueiro. No Sul, a dupla Grêmio e Inter, que se enfrentarão no domingo, já perderam duas partidas nesse Gauchão.

Entre esses principais estaduais (SP, RJ, RS, MG, PR, BA e PE), apenas quatro clubes mantêm uma boa invencibilidade diante dos pequenos. O Coritiba é o clube que carrega a maior sequência sem derrota diante das zebras do interior. Campeão invicto em 2011, o Coxa não perde para um pequeno há 39 jogos. Sua última derrota foi no dia 19 de abril de 2009, para o Iraty. Líder com 100% de aproveitamento esse ano, o Coritiba vem também com uma sequência de 18 vitórias consecutivas no Estadual.

Outro clube que está há um bom tempo sem perder para os pequenos é o Atlético-MG. Com a vitória sobre o Boa, na estreia do Mineiro, o Galo chegou a marca de 38 jogos sem derrota para outro clube do estado que não seja Cruzeiro ou América-MG. A última vez em que foi derrota para um pequeno foi em 2008, no dia 6 de abril, quando caiu diante do Guarani (3 x 2).

No Rio de Janeiro, Botafogo e Flamengo, os últimos campeões do Estado, não são derrotados para um pequeno no Estadual desde 2009 e a mais de 30 jogos.

Confira quais são as maiores invencibilidades dos grandes contra os pequenos nos principais campeonatos estaduais do Brasil:

Clube Jogos sem perder última derrota
Coritiba 39 Iraty 1 x 0, dia 19/4/2009
Atlético-MG 38 Guarani 3 x 2, dia 6/4/2008
Botafogo 36 Volta Redonda 2 x 1, dia 5/2/2009
Flamengo 33 Resende 3 x 1, dia 21/2/2009
Cruzeiro 11 Ipatinga 3 x 1, dia 18/4/2010
Atlético-PR 9 Operário 2 x 0, dia 19/3/2011
Santos 9 Bragatina 2 x 1, dia 19/3/2011
Vasco 9 Macaé 3 x 1, dia 4/3/2011
São Paulo 8 Paulista 3 x 2, dia 23/3/2011
Corinthians 6 São Caetano 2 x 1, dia 10/4/2011
Palmeiras 5 Ponte Preta 2 x 1, dia 17/4/2011
Vitória 5 Bahia de Feira 2 x 1, dia 15/5/2011
Náutico 4 América 4 x 2, dia 10/4/2011
Bahia 3 Bahia de Feira 1 x 0, dia 22/1/2012
Grêmio 1 Juventude 2 x 1, dia 29/1/2012
Internacional 1 Cerâmica 3 x 2, dia 26/1/2012
Santa Cruz 1 Araripina 2 x 0, dia 28/1/2012
Fluminense 0 Boavista 2 x 1, dia 1/2/2012
Sport 0 Serrano 2 x 1, dia 1/2/2012

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 10:41

Números e curiosidades nas estreias dos Estaduais 2012

Compartilhe: Twitter

Com a estreia dos dois principais Campeonatos Estaduais (Paulista e Carioca), o futebol brasileiro já conta agora com 16 dos 27 estaduais em andamento. Entre os maiores campeonatos, apenas o Mineiro ainda não começou (a estreia será no próximo sábado).

No Campeonato Paulista, a melhor estreia foi do São Paulo. Jogando no Morumbi, para 15.586 pagantes, o Tricolor goleou por 4 x 0 e assumiu a liderança do torneio. Nesse jogo, o São Paulo estreou sua camisa nova, inspirada no modelo utilizado na temporada de 1992, ano do seu primeiro título Mundial.  O jogo também marcou a volta de Emerson Leão comandando o time no Paulistão. Com ele, o São Paulo conquistou pela última vez o Estadual, em 2005. Já Luís Fabiano, o último artilheiro são-paulino em Paulistas (em 2003), passou em branco ontem em seu retorno ao Paulistão.

O Santos, que busca o tricampeonato depois de 42 anos (o último foi na era Pelé, em 1969), foi o único grande a não vencer na rodada. Jogando com o time reserva, empatou com o XV de Piracicaba, fora de casa. Já o Corinthians, que venceu de virada, no sábado, registrou o maior público da rodada (16.117 pagantes no Pacaembu). Nesses dez primeiros jogos, a média do Campeonato Paulista foi de apenas 6.234 torcedores por partida. Já o Palmeiras, estreou com vitória sobre o Bragantino (2 x 1), mantendo uma escrita de não perder na estreia do Estadual desde 1995 (quando foi derrotado pela Portuguesa).

No Campeonato Carioca, a maior goleada na primeira rodada foi a do Flamengo sobre o Bonsucesso (4 x 0), mesmo jogando com reservas. Nessa primeira rodada, todos os grandes estrearam com vitória e o único a sofrer gol foi o Botafogo diante do Resende (3 x 1). O destaque negativo nessa rodada inaugural do Carioca 2012 foi o público. Em oito jogos, a média de torcedores foi de apenas 2930 pagantes por partida. Quase a metade do Paulistão. Dos jogos envolvendo os quatro grandes, o maior público foi o Vasco (6.920 torcedores).

Já no Campeonato Paranaense, o Coritiba estreou com vitória, batendo o Toledo por 2 x 0, fora de casa. Atual bicampeão, o Coxa chegou a marca de 34 jogos sem derrota no Estadual. A última vez que perdeu no Paranaense foi em 2010, diante do Paraná, por 1 x 0, no dia 21 de fevereiro. Além disso, o time de Marcelo Oliveira já soma 18 vitórias consecutivas pelo Estadual.

No Campeonato Gaúcho, a dupla Grenal perdeu no final de semana. O Grêmio, um dos clubes que mais investiu nesse início de temporada, contratando Marcelo Moreno, Kléber, Léo Gago e Naldo, perdeu em casa para o Lajeadense por 2 x 0, no sábado. O tricolor gaúcho teve o melhor público da rodada (15 294 pagantes no Olímpico), mas não evitou o vexame na estreia. Já o Internacional, que havia vencido em sua estreia na quarta-feira, perdeu para o Avenida, de virada. Depois de abrir 2 x 0 no primeiro tempo, com os reservas, o Colorado levou três gols na segunda etapa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 25 de outubro de 2011 Campeonatos Estaduais, Goleiros | 18:06

Ceni supera Neymar em números de jogos na temporada

Compartilhe: Twitter

Titular em todos os jogos do São Paulo na temporada de 2011, o goleiro Rogério Ceni, aos 38 anos, disputará nessa semana seu 63º jogo pelo tricolor no ano. Dois a mais do que o santista Neymar, que já entrou em campo 61 vezes no ano pelo seu clube, pela Seleção Brasileira principal e pela Seleção Brasileira Sub-20.

Em 2010, Ceni foi titular em 70 dos 71 jogos do Tricolor na temporada. Apenas na segunda partida do ano, pela segunda rodada do Campeonato Paulista, contra o Mirassol, Ceni não jogou (Bosco atuou). Sendo assim, o veterano goleiro vem com uma incrível sequência consecutiva de 131 jogos como titular.

Nesse Brasileirão, Ceni foi substituído apenas uma vez, na estreia, contra o Fluminense, quando sentiu uma pequena lesão e foi substituído no intervalo por Dênis. No Campeonato Brasileiro, apenas outros dois goleiros também atuaram em todas as 31 partidas até agora: Fernando Prass, do Vasco, e Márcio, do Atlético-GO. Fernando Prass, em 2011, já participou de 62 jogos e também irá para o seu 63º se jogar contra o Aurora, nessa semana.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 11 de outubro de 2011 Campeonatos Estaduais, História, Público | 10:03

Pelo terceiro ano, Santa Cruz leva mais de 30 mil na Série D

Compartilhe: Twitter

Um dos clubes de maior torcida no Nordeste, o Santa Cruz amarga sua terceira temporada na Série D do Brasileirão. O Tricolor pernambucano, que já participou de 20 das 40 edições do Campeonato Braisleiro da primeira divisão, sonha com dias melhores e vem sofrendo para resgatar seu prestígio. Mas nem por isso sua torcida o abandonou. No últimos três anos, o time de Recife vem levando, em média, mais de 30 mil torcedores por partida na quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Vale lembrar que na Copa do Brasil desse ano, o Santa Cruz registrou o maior público da competição, levando 46.681 torcedores na vitória sobre o São Paulo, na segunda fase.
Atualmente, em cinco partidas disputadas em casa, no estádio Arruda, o Santa Cruz teve uma média de 36.618 torcedores por jogo. A maior em todas as quatro divisões do Brasileiro de 2011. No próximo domingo, o Tricolor irá jogar novamente no Arruda, no jogo de volta das quartas-de-final da Série D, contra o Treze-PB. No jogo de ida, em Campina Grande, os clubes empataram por 3 x 3. Um simples vitória ou empates (0 x 0, 1 x 1 ou 2 x 2) garantem o Santa Cruz na semifinal da competição e também na Série C de 2012. Nesse jogo, é esperado um público superior a 40 mil pessoas. Confira os públicos do Santa Cruz na Série D de 2011 até agora:

24/07/2011   Santa Cruz 0 x 0 Guarani de Juazeiro-CE  42.584
14/08/2011    Santa Cruz 1 x 0 Santa Cruz-RN 35.020
04/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Porto-PE 27.746
18/09/2011    Santa Cruz 2 x 1 Alecrim-RN 33.099
25/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Coruripe 44.642
36.618 (média)

A última vez em que o Santa Cruz participou da Série A do Brasileiro foi em 2006, quando terminou na última colocação e acabou rebaixado novamente. Naquele ano, o time contou com uma pequena média de 9.876 torcedores por partida no Arruda. Depois disso, porém, quando o time passou a se afundar, a torcida do Tricolor parece ter ficado cada vez mais ao lado clube. Em 2007, na Série B, o Santa Cruz foi o líder de público mesmo sendo rebaixado para a terceira divisão. Em 2008, na Série C, o Santa Cruz foi novamente rebaixado e mesmo assim teve a melhor média de público da competição. Confira abaixo os campeões de média de público nas quatro divisões do Brasileirão desde o início da era dos pontos corridos:

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 17 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais | 11:56

Os melhores dos Campeonatos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

As federações dos quatro maiores campeonatos estaduais do Brasil divulgaram, ontem, suas seleções com os melhores de 2011. No Rio de Janeiro e em São Paulo, poucas surpresas estiveram nas listas, formadas basicamente por jogadores dos quatro grandes. Já no Rio Grande do Sul, apenas um jogador do campeão figurou entre os melhores: o atacante Leandro Damião. Em Minas Gerais, Cruzeiro, Atlético e América formaram a base da seleção.

Desde 2009, alguns jogadores vêm se destacando nessas eleições dos melhores. O lateral-direito Leonardo Moura, do Flamengo, é o único a entrar em todas as seleções nos últimos três anos. Já o atacante Neymar, do Santos, também fo premiado nos últimos três anos. Em 2009, como reveleção do Paulistão. Já em 2010 e 2011 como um dos melhores atacantes e também como o craque do campeonato. Dos jogadores eleitos em 2011, quatro repetiram o feito de 2010: Willians (Flamengo), Edu Dracena (Santos), Douglas (Grêmio) e Henrique (Cruzeiro).

Dessas seleções dos estaduais de 2011, apenas quatro dos 44 jogadores escolhidos foram chamados recentemente pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira: Neymar, Lucas, Elano e Leandro Damião. Pelo o que jogaram, acredito que a “seleção das seleções estaduais” seria essa: Fábio (Cruzeiro-MG), Leonardo Moura (Flamengo), Dedé (Vasco), Victorino (Cruzeiro) e Guilherme Santos (Atlético-MG); Fábio Rochemback (Grêmio), Henrique (Cruzeiro), Lucas (São Paulo) e Thigo Neves (Flamengo); Neymar (Santos) e Leandro Damião (Inter).

Confira abaixo os melhores dos estaduais de SP, RJ, MG e RS nos últimos três anos:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 16 de maio de 2011 Campeões, Campeonatos Estaduais, História | 09:59

Zagueiro Durval conquista seu nono estadual consecutivo

Compartilhe: Twitter

Prestes a completar 100 jogos com a camisa do Santos, o zagueiro Durval, de 30 anos, antigiu uma marca pessoal sensacional ontem, ao conquistar mais um título em sua carreira. Jogador comedido, que pouco aparece para a mídia, o zagueiro é titular absoluto do time há dois anos e um dos destaques dessa equipe vitoriosa do Santos. Em duas temporadas, Durval disputou 96 jogos, conquistou dois paulistas e uma Copa do Brasil.

Com o recente título paulista, o zagueiro alcançou a marca de nove títulos estaduais consecutivos. Nascido na cidade de Cruz do Espírito Santo (PB), Durval foi campeão paraibano em 2003, pelo Botafogo-PB. Depois disso, levantou a taça pelo Brasiliense-DF, em 2004. No ano seguinte, foi campeão paranaense pelo Atlético-PR. Ainda em 2005, pelo Furacão, Durval titular da equipe que chegou à final da Copa Libertadores.

Na sequência, Durval conquistou o tetracampeonato pernambucano pelo Sport (de 2006 a 2009). Capitão do time, o jogador conseguiu, nesse período, levantar ainda o título da Copa do Brasil de 2008. Com 238 jogos e 38 gols, Durval é considerado um dos maiores jogadores da história do Sport. Em 2010, o jogador chegou ao Santos e no mesmo ano conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil. Agora, em 2011, chegou ao nono título estadual consecutivo.

Aos 30 anos, Durval tem a chance de, em 2012, alcançar o recorde de títulos estaduais consecutivos. Em 1973, o lateral-direito Gena (Genival Costa de Barros Lima), conquistou seu décimo Estadual, curiosamente todos pernambucanos. Titular do Náutico na campanha do hexa (1963 a 1968), Gena defendeu o Sana Cruz na campanha do penta (de 1969 a 1973), estabelecendo um recorde que dura até hoje.

Confira abaixo os títulos de Durval:

2003 – Paraibano (Botafogo-PB)
2004 – Brasiliense (Brasiliense-DF)
2005 – Paranaense (Atlético-PR)
2006 – Pernambucano (Sport)
2007 – Pernambucano (Sport)
2008 – Pernambucano (Sport)
2009 – Pernambucano (Sport)
2010 – Paulista (Santos)
2011 – Paulista (Santos)

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 3 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:27

Flamengo 2011 e os campeões cariocas invictos

Compartilhe: Twitter

O Flamengo conquistou seu 32º título estadual no último final de semana e o seu quinto de forma invicta. A última vez que o clube (e também um time do Rio), havia levantado a taça dessa maneira foi em 1996. Naquele ano, o Rubro-negro tinha como destaque o baixinho Romário e o técnico Joel Santana. Antes disso, apenas os times campeões de 1979 (de Zico e Cia.), de 1920 e 1915 conquistaram o Carioca de forma invicta pelo Flamengo.

Entre os quatro grandes clubes do Rio, Flamengo e Vasco são os maiores campeões invictos, com cinco conquistas cada. O Fluminense ganhou três títulos dessa forma, enquanto o Botafogo foi campeão sem derrota apenas uma vez, justamente em 1989, ano em que saiu da fila de 21 anos sem títulos.

Confira as campanhas dos campeões invictos do Campeonato Carioca:

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 30 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 18:58

São Paulo tem seu segundo maior jejum de títulos paulistas

Compartilhe: Twitter

Ao perder para o Santos, hoje, na semifinal do Paulistão, o São Paulo perdeu mais uma chance de reconquistar o título Paulista, que não vê desde 2005. Desde que ganhou o seu primeiro campeonato estadual, em 1943, o tricolor enfrentou apenas um jejum grande de títulos Paulistas, entre 1957 e 1970, período em que inaugurou e depois reformou o estádio Morumbi.

Desde 1970, então, o maior jejum de títulos Paulistas do São Paulo foi nos anos 90, quando passou seis anos sem ganhar o torneio. Campeão em 1992, o tricolor só voltou a levantar a taça em 1998. Agora, o São Paulo já está há seis anos sem soltar o grito de campeão paulista.

Entre os 12 grandes clubes do Brasil, apenas o Vasco, no Rio, passa por um jejum maior de títulos. O clube carioca não vence o estadual desde 2003.

Outra curiosidade da eliminação de hoje, é que, como em 1999, o time do São Paulo comandado por Paulo César Carpegiani caiu na semifinal depois de ter feito a melhor campanha na primeira fase. Além disso, o técnico Muricy eliminou o São Paulo pela segunda vez de um mata-mata no Paulistão. Em 2004, com o São Caetano, despachou o tricolor nas quartas-de-final.

Confira o desempenho do clube na história do Campeonato Paulista:

Autor: Tags: ,

domingo, 24 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 10:45

As maiores goleadas nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Em duas semanas, o América de Teófilo Otoni sofreu duas incríveis goleadas no Campeonato Mineiro de 2011. No domingo passado, levou de 7 x 1 do Atlético-MG, na última rodada da primeira fase. Ontem, na partida de ida da semifinal do Estadual, o clube, até então a grande surpresa do campeonato, apanhou de 8 x 1 do Cruzeiro, em casa. Quinze gols sofridos em apenas dois jogos.

Mas em 2011, essas não foram as maiores goleadas entre todos os Estaduais que estão rolando no país. Dos 25 campeonatos da primeira divisão em andamento (apenas Amapá e Piauí não começaram ainda), já tivemos goleadas mais avassaladoras, como no Maranhão, onde o IAPE bateu o Nacional por 11 x 1. Também no Maranhanse, o Maranhão ganhou do mesmo Nacional por 8 x 0. Já no Rio de Janeiro, o Vasco goleou o América por 9 x 0. Confira as maiores goleadas nos Estaduais de 2011 até agora:

Acre – Independência 0 x 7 Plácido de Castro (3/4/2011)
Alagoas – Sport 8 x 2 Ipanema (12/2/2011)
Amazonas – Fast 7 x 3 Princesa (19/2/2011)
Bahia – Atlético Alagoinhas 6 x 2 Serrano (23/1/2011)
Ceará – Guarani de Juazeiro 6 x 1 Quixadá (3/2/2011)
Distrito Federal – Brasília 0 x 4 Brasiliense (5/2), Brasiliense 4 x 0 Ceilandense (30/1) e Gama 4 x 0 CFZ (23/1)
Espírito Santo – Vitória 6 x 1 Espírito Santo (22/1/2011)
Goiás – Santa Helena 1 x 6 Goiás (20/2/2011) e Aparecidense 1 x 6 Goiás (24/3/2011)
Maranhão – IAPE 11 x 1 Nacional (28/3/2011) e Maranhão 8 x 0 Nacional (12/3/2011)
Mato Grosso – Luverdense 6 x 0 Operário (17/3/2011)
Mato Grosso do Sul – Rio Verde 1 x 5 Chapadão (20/3/2011)
Minas Gerais – América-TO 1 x 8 Cruzeiro (23/4), Atlético-MG 7 x 1 América-TO (17/4) e Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV (13/3)
Pará – Abaeté 2 x 7 Castanhal (8/12/2010)
Paraíba – Miramar 1 x 6 Sousa (24/3/2011)
Paraná – Coritiba 5 x 0 Iraty (3/2/2011)
Pernambuco – Sport 5 x 0 Arapirina (12/3/2011)
Rio de Janeiro – América 0 x 9 Vasco (12/2/2011)
Rio Grande do Norte – ABC 6 x 0 Potiguar-M (30/1/2011)
Rio Grande do Sul – Cruzeiro 8 x 0 Porto Alegre (10/3/2011)
Rondônia – Ariquemes 6 x 1 Moto Clube (17/4/2011)
Roraima – GAS 4 x 1 Náutico (2/4/2011)
Santa Catarina – Imbituba 0 x 6 Figueirense (15/1/2011)
São Paulo – São Caetano 6 x 1 São Bernardo (2/4/2011)
Sergipe – Sergipe 1 x 6 River Plate (7/4/2011)
Tocantins – Guaraí 6 x 0 São José (9/4/2011)

.

.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 13 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 09:11

Palmeiras tem melhor defesa na história dos Paulistas

Compartilhe: Twitter

A campanha do Palmeiras no Paulistão de 2011 vem apresentando números bem expressivos até agora. Com 12 vitórias e apenas uma derrota em 18 jogos, o time lidera o campeonato com um aproveitamento de 75,9%. Desde o título estadual de 1996, quando conquistou 92,2% dos pontos, o Palmeiras não realizou uma campanha tão boa quanto essa de 2011. Esse time atual supera a equipe de 2008, que ganhou o último título paulista com 71% de aproveitamento.

Já a defesa da equipe de Felipão vem fazendo mais bonito ainda. Com apenas 6 gols sofridos em 18 jogos, o time tem a ótima média de apenas 0,33 gol sofrido por partida. A menor em toda a história do clube em 95 campeonatos estaduais disputados. Essa marca atual supera as melhores defesas, de 1972 e 1989, com 0,36 gol sofrido por partida.

Nas últimas quatro partidas, o Palmeiras não sofreu gol e nos últimos 10 jogos, sofreu apenas três. De quebra, nessa temporada de 2011, contando também os três jogos pela Copa do Brasil, o Palmeiras não tomou mais de um gol numa só partida.

Veja abaixo as melhores campanhas do Palmeiras pelo Paulistão e também as melhores defesas na história:

Melhores campanhas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Melhores defesas:

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 5 de abril de 2011 Artilheiros, Campeonatos Estaduais, História | 17:22

Pelé, Raí, Eduardo e os maiores artilheiros em um jogo do Paulistão

Compartilhe: Twitter

No último domingo, o atacante Eduardo, do São Caetano, conseguiu uma proeza ao marcar 5 gols na vitória do Azulão sobre o São Bernardo por 6 x 1. Desde 1993, nenhum jogador havia feito mais do que 4 gols em um só jogo do Campeonato Paulista. Naquele ano, o atacante Sinval marcou 5 gols na vitória do Novorizontino sobre a Catanduvense por 7 x 0.

Cinco ou mais gols em jogo do Paulistão aconteceu apenas em 57 jogos em toda a história do campeonato mais antigo do Brasil, que já ultrapassou a marca dos 20.000 jogos. No início, o feito era um pouco mais comum. Craques como Friedenreich, Araken, Feitiço, Teleco e Pelé, por exemplo, conseguiram marcar mais de três vezes cinco gols em um só jogo. Nos últimos 40 anos, no entanto, apenas cinco jogadores atingiram essa marca. Entre eles, os irmãos Sócrates e Raí. O primeiro, anotou 7 gols quando ainda era do Botafogo-SP. Depois de Pelé, o recordista com 8 gols em 1964, o Doutor detém a melhor marca. Já Raí marcou 5 gols em 1992, quando estava no auge no tricolor.

Confira a lista dos jogadores que já marcaram 5 ou mais gols na história do Campeonato Paulista, desde 1902:

.

.

.

.

.


.

….

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 28 de março de 2011 Campeonatos Estaduais | 18:38

Quem já está rebaixado nos estaduais 2011

Compartilhe: Twitter

Dos 27 campeonatos estaduais do Brasil, 20 estão em andamento e muitos deles chegando definindo seus classificados para as finais e também seus rebaixados. Hoje, o Porto Alegre, clube presidido por Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, empatou por 2 x 2 com o Santa Cruz-RS e foi rebaixado no Campeonato Gaúcho.

Pelo Brasil, alguns clubes também já caíram e irão disputar a segundona em 2012. No Campeonato Alagoano, o Ipanema foi rebaixado restando ainda duas rodadas para o término da primeira fase. Quem está próximo da degola também é o tradicional CSA, que há pouco tempo amargou a queda para a segunda divisão no estadual. Com 13 pontos, o time briga com o Santa Rita (14), para se manter na elite alagoana. Na última rodada, porém, o CSA terá pela frente o rival CRB.

Na Bahia, quatro clubes (Fluminense, Colo Colo, Ipitanga e Juazeiro) estão disputando o Torneio do Rebaixamento, que acaba no dia 10 de abril. Dois caem para a segunda divisão. No Campeonato Brasiliense, CFZ e Brasília caíram para a segunda divisão.

No Campeonato Mineiro, ainda restam três rodadas para o final da Primeira Fase, mas Funorte, Ipatinga e Democrata-GV estão bem próximos da degola. No Pará, Santa Rosa e Time Negra foram rebaixados na primeira fase, disputada no final de 2010.

No Rio de Janeiro, América, Cabofriense, Madureira e Macaé brigam para fugir das duas vagas para a Segunda Divisão carioca. Em São Paulo, onde caeam quatro, o Grêmio Prudente é o mais ameaçado, com apenas 11 pontos. Noroeste (14), Santo André (15), Ituano (15), São Bernardo (15), Linense (15) e Botafogo (17), são outros com a corda no pescoço. O curioso é que Santo André e Grêmio Prudente estiveram recentemente na Série A do Brasileiro, assim como o Guarani, que hoje joga a Segunda Divisão Paulista.

Autor: Tags:

quinta-feira, 10 de março de 2011 Campeonatos Estaduais, Estatísticas | 09:20

Quais os clubes invictos nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Caiu ontem um dos últimos clubes invictos pelos Estaduais do Brasil em 2011. O Corinthians, líder do Paulistão, foi derrotado pela Ponte Preta, em casa, por 1 x 0, e perdeu sua sequência de 11 jogos de invencibilidade na competição, dando adeus ao sonho de ser campeão sem derrota, como em 2009. Outro invicto que perdeu ontem foi a Anapolina, que acabou derrotada pelo Goiás (3 x 1) e perdeu sua invencibilidade de 10 jogos.

Dos outros 19 Campeonatos Estaduais em andamento pelo país, apenas 12 clubes entre os 183 participantes ainda não perderam em 2011. Vale lembrar que a bola não rolou ainda no Acre, Amapá, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins e que no Maranhão foi realizado apenas um jogo.

Desses invictos na temporada dos Estaduais, os dois times que têm as maiores sequências invictas são o Ceará, com 14 jogos, e o Coritiba, com 13 jogos. Campeão do primeiro turno no Paranaense e já classificado para a final do estadual, o Coxa venceu ontem o Paranavaí por 3 x 0. Já o Ceará, também campeão do primeiro turno e finalista, bateu o Limoeiro por 4 x 1 e chegou a 14 jogos sem derrota.

Dos 12 invictos, o Flamengo é o clube com o melhor aproveitamento até agora (93,3%). Em 10 jogos no Carioca, o campeão da Taça Guanabara venceu 9 e empatou apenas um (contra o Botafogo, na semifinal da Taça GB).

Confira quem são os invictos nos Estaduais de 2011 e suas respectivas campanhas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 9 de março de 2011 Campeonatos Estaduais | 15:47

Defesas de Palmeiras e Corinthians fazem história no Paulistão

Compartilhe: Twitter

Apesar de não contarem com grandes zagueiros, as defesas de Palmeiras e Corinthians vêm fazendo bonito nessa Paulistão. Até agora, os rivais sofreram apenas 4 e 5 gols, respectivamente, em 11 rodadas no Estadual. Com menos de 0,5 gol sofrido por jogo, os clubes têm marcas expressivas na história da competição.

O Palmeiras, que disputa seu 95º Paulistão, está com a média de apenas 0,36 gol sofrido por partida nesse Campeonato Paulista. Em 11 rodadas, o time de Felipão só levou gols em quatro jogos e ainda assim um em cada. Apenas Ituano, Paulista, Corinthians e São Paulo vazaram a meta alviverde. Essa incrível média de 0,36 igualou as duas melhores defesas do clube na história do Paulistão. Em 1972, o Palmeiras sofreu 8 gols em 22 jogos. Já em 1989, a equipe, então comandada por Emerson Leão, levou 9 gols em 25 jogos. Para se ter uma ideia, em 2010, a defesa palmeirense sofreu 32 gols em 19 jogos (média de 1,68 por partida).

Já o Corinthians, com 5 gols sofridos nos mesmos 11 jogos (média de 0,45), tem a melhor defesa no Paulistão desde 1990, quando sofreu 13 gols em 35 jogos (média de 0,37 por partida). Essa média de 1990, aliás, é a maior do clube na história do torneio. Em 1916, o Corinthians levou 3 gols em 8 jogos (média de 0,38 gol sofrido por partida). Já em 1972, foram apenas 10 gols sofridos em 22 jogos (média de 0,45 por partida). Sendo assim, a atual defesa (hoje com os zagueiros Wallace e Leandro Castan como titulares), é a terceira melhor da história do clube em 97 Paulistas disputados.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 Campeonatos Estaduais, Confrontos, Estatísticas, História | 10:59

Nos números, vantagem para o São Paulo diante do Palmeiras

Compartilhe: Twitter

São Paulo e Palmeiras se enfrentarão no próximo domingo pela 10ª rodada do Paulistão. Líder do campeonato, o time do técnico Felipão terá uma difícil missão pela frente: bater o São Paulo, rival indigesto nos últimos anos, em pleno Morumbi.

Desde 2002, quando venceu por 4 x 2, com direito a uma golaço de Alex, o Palmeiras não vence o tricolor no Morumbi. Esse jejum de vitórias alviverdes já chega a 16 partidas (11 vitórias são-paulinas e 5 empates).

Historicamente, o retrospecto também favorece o São Paulo no Choque-Rei. Em 283 confrontos, foram 100 vitórias do São Paulo, contra 93 do Palmeiras e 90 empates. Nos últimos anos, o tricolor também tem levado a melhor. Desde o 4 x 2 de 2002, já foram realizados 31 jogos. Desses, o Palmeiras venceu apenas 6, contra 15 do São Paulo. Dessa forma, passou a ser o “freguês” do confronto.

Além do jejum no Morumbi, o Palmeiras tem também um retrospecto negativo no estádio contra o São Paulo. Em 110 jogos, foram 46 vitórias dos donos da casa, contra 25 do Palmeiras e 39 empates.

Outra vantagem são-paulina nesse confronto acontece na história do Paulistão. Até hoje, em 153 partidas, foram 65 vitórias do São Paulo contra 43 do Palmeiras e 42 empates.

Quem também tem um bom desempenho contra o Palmeiras, na história do clássico, é Rogério Ceni. O goleiro participou de 47 jogos contra o rival, venceu 22, empatou 11 e perdeu 14. O Palmeiras é também o clube que o goleiro mais marcou gols na carreira (7 no total).

O goleiro Marcos, que é dúvida para o clássico, já disputou o clássico 25 vezes, com 6 vitórias do Palmeiras, 8 empates e 11 vitórias do São Paulo.

Já o técnico Luiz Felipe Scolari também não leva vantagem nesse confronto. Em 13 jogos, venceu 3, empatou 2 e perdeu 8 deles.

Clique aqui para ver a lista de jogos entre Palmeiras e São Paulo na história.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 Campeões, Campeonatos Estaduais | 09:35

As zebras que já chegaram na final da Taça Guanaraba

Compartilhe: Twitter

Maior campeão da história da Taça Guanabara com 18 títulos em 46 edições, o Flamengo terá pela frente o surpreendente Boavista, que eliminou o Fluminense, nos pênaltis, na semifinal. O clube da Região dos Lagos é uma das novas zebras que já chegaram à decisão da Taça Guanabara.

Disputada desde 1965, a Taça Guanabara já passou por diversas mudanças. No início, a Taça GB era disputada à parte do Campeonato Estadual e servia para apontar o representante carioca na extinta Taça Brasil. O torneio nacional foi disputado até 1969, mas a Taça Guanabara continuou sendo disputada separadamente do estadual do Rio até 1971.

A partir de 1972, o Campeonato Carioca começou a ser disputado com dois turnos e a Taça Guanabara passou a equivaler ao primeiro turno, dando vaga na final do campeonato. Essa fórmula foi mantida, praticamente, até 2000. Apenas em 1980 a Taça GB foi disputada à parte. Já em 1993 e 1994, houve final entre os times que mais pontuaram no primeiro turno. Desde 2001, a Taça Guanabara ganhou um novo formato, com dois grupos, semifinal e final. Desde então, em onze edições, apenas duas vezes os quatro grandes do Rio chegaram juntos à semifinal (em 2008 e em 2010).

Entre as zebras, duas já ficaram com o título: o Americano, em 2002, quando os grandes estavam disputando o Torneio Rio-São Paulo e deixaram o Estadual de lado, com times reservas, e o Volta Redonda, campeão em 2005, quando bateu o Americano na final. Recentemente, Madureira e Resende chegaram à final do Taça Guanabara (2007 e 2009), mas perderam para Flamengo e Botafogo, respectivamente.

O técnico do Boavista, Alfredo Sampaio, já foi campeão da Taça Rio de 2006 com o Madureira. No atual elenco, o Boavista tem alguns veteranos conhecidos, como o goleiro Sílvio Luiz (reserve de Thiago); Joílson, lateral-direito (ex-Grêmio e São Paulo), e os atacantes Frontini e Max. Além deles, estão alguns jovens revelados por grandes do Rio, que ainda não estouraram, como os meias Erick Flores (ex-Flamengo) e Raphael Augusto (ex-Fluminense).

Desde 1965, o Flamengo é o maior campeão da Taça Guanabara com 18 títulos, seguido pelo Vasco (11), Fluminense (8), Botafogo (6), América (1), Americano (1) e Volta Redonda (1). Dessas 46 edições, 26 campeões da Taça GB foram também campeões cariocas no mesmo ano. Isso aconteceu 10 vezes com o Flamengo, seis com o Vasco e cinco com Fluminense e Botafogo.

Confira abaixo os campeões e vices da tradicional Taça Guanabara:

Ano Campeão Vice
1965 Vasco Botafogo
1966 Fluminense Flamengo
1967 Botafogo* América
1968 Botafogo* Flamengo
1969 Fluminense* Botafogo
1970 Flamengo Fluminense
1971 Fluminense* Botafogo
1972 Flamengo* Fluminense
1973 Flamengo Vasco
1974 América Fluminense
1975 Fluminense* América
1976 Vasco Flamengo
1977 Vasco* Flamengo
1978 Flamengo* Fluminense
1979 Flamengo* Vasco
1980 Flamengo Americano
1981 Flamengo* América
1982 Flamengo Vasco
1983 Fluminense* América
1984 Flamengo Fluminense
1985 Fluminense* Vasco
1986 Vasco Flamengo
1987 Vasco* Fluminense
1988 Flamengo Vasco
1989 Flamengo Botafogo
1990 Vasco Botafogo
1991 Fluminense Flamengo
1992 Vasco* Flamengo
1993 Fluminense Vasco
1994 Vasco* Fluminense
1995 Flamengo Botafogo
1996 Flamengo* Vasco
1997 Botafogo* Vasco
1998 Vasco* Flamengo
1999 Flamengo* Vasco
2000 Vasco Botafogo
2001 Flamengo* Fluminense
2002 Americano Vasco
2003 Vasco* Flamengo
2004 Flamengo* Fluminense
2005 Volta Redonda Americano
2006 Botafogo* América
2007 Flamengo* Madureira
2008 Flamengo* Botafogo
2009 Botafogo Resende
2010 Botafogo* Vasco

.

* Também conquistaram o Campeonato Carioca no mesmo ano.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:15

Vasco tem seu pior início no Carioca desde 1984

Compartilhe: Twitter

A série de três derrotas consecutivas no início do Campeonato Carioca que o Vasco alcançou ontem, ao perder para o Boavista (3 x 1), serviu para igualar a pior marca já conquistada pelo clube num começo de estadual. Em 1984, o time também deu a largada na Taça Guanabara com três derrotas seguidas. Naquela época, o time do então atacante Roberto Dinamite perdeu para o Campo Grande (1 x 2), Bangu (0 x 4) e Americano (0 x 1). Na quarta rodada, porém, o Vasco bateu o Volta Redonda por 2 x 0.

Até hoje, em 90 campeonatos estaduais disputados, desde 1923, o Vasco só começou o torneio com três derrotas nessas duas oportunidades (1984 e 2011). Em 32 campeonatos, o clube, 22 campeão carioca, começou a competição com 100% de aproveitamento: 1924, 1926, 1927, 1930, 1931, 1934, 1936, 1947, 1948, 1951, 1952, 1953, 1954, 1955, 1968, 1970, 1976, 1977, 1979, 1980, 1986, 1989, 1990, 1993, 1994, 1996, 1998, 1999, 2000, 2002, 2004 e 2010.

No próximo domingo, para piorar, o Vasco terá pela frente o rival Flamengo. Depois, pega Volta Redonda (em casa), Americano (casa) e América (fora), nessa primeira fase da Taça Guanabara. Se perder o próximo jogo, o Vasco atingirá então um recorde negativo, de quatro derrotas consecutivas no início de um Campeonato Carioca. E se não vencer nos próximos dois jogos, igualará o maior jejum de vitórias num começo de estadual. Em 1964, o Vasco só foi vencer na sexta partida do campeonato.

Confira abaixo os piores inícios do Vasco em Campeonatos Cariocas:

1984 (3 derrotas)
1 x 2 Campo Grande
0 x 4 Bangu
0 x 1 Americano
.
.

1964 (3 empates e 2 derrotas)
1 x 2 América
2 x 2 Campo Grande
1 x 1 Bangu
1 x 2 Portuguesa
3 x 3 São Cristóvão
.
.

1981 (1 empate e 2 derrotas)

0 x 2 América
3 x 3 Volta Redonda
0 x 1 Flamengo
.
.

1933 (2 empates e 1 derrota)

1 x 3 Fluminense
3 x 3 Bonsucesso
2 x 2 Bangu
.
.

1942 (2 empates e 1 derrota)
0 x 0 América
1 x 5 Madureira
1 x 1 Flamengo

Autor: Tags: ,

terça-feira, 4 de maio de 2010 Campeões, Campeonatos Estaduais | 00:24

Qual a melhor seleção estadual de 2010?

Compartilhe: Twitter

As federações paulista, carioca e gaúcha divulgaram hoje os nomes dos melhores jogadores dos estaduais de 2010. A premiação desses três estados teve como grande vencedores justamente os clubes campeões. O Grêmio colocou oito jogadores entre os 11 melhores. O Santos teve seis no time do Paulistão e o Botafogo cinco entre os melhores do Rio de Janeiro.

Dos 33 escolhidos desses três campeonatos, apenas três apareceram recentemente na lista do técnico Dunga para a Seleção Brasileira: Robinho, do Santos; Miranda, do São Paulo; e Victor, goleiro do Grêmio.

Em relação os escolhidos de 2009, a seleção carioca teve apenas dois jogadores bicampeões: Leonardo Moura (lateral-direito do Flamengo) e Leandro Guerreiro (volante do Botafogo). Em São Paulo, nenhum vencedor de 2009 voltou a ganhar o prêmio. E olha que apenas André Santos e Cristian não disputaram o torneio em 2010. Já no Sul, o Internacional, que teve sete premiados em 2009, ganhou nenhum prêmio nesse Gauchão. O goleiro Victor, foi o único a ganhar dois prêmio seguidos.

Confira abaixo a seleção dos três estaduais de 2010. Em negrito minha escolha para os melhores. No geral, achei a seleção paulista mais forte. Relembre também os vencedores dos mesmos estaduais em 2009.

SELEÇÃO DOS ESTADUAIS 2010

Posição Carioca Paulista Gaúcha
Goleiro Jefferson (Botafogo) Júlio César (Santo André) Victor (Grêmio)
Lateral-direito Leonardo Moura (Flamengo) Wesley (Santos) Edílson (Grêmio)
Zagueiro Fábio Ferreira (Botafogo) Edu Dracena (Santos) Mário Fernandes (Grêmio)
Zagueiro Thiago Martinelli (Vasco) Miranda (São Paulo) Rodrigo (Grêmio)
Lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro (Botafogo) Roberto Carlos (Corinthians) Paulinho (Novo Hamburgo)
Volante Leandro Guerreiro (Botafogo) Arouca (Santos) Adílson (Grêmio)
Volante Willians (Flamengo) Marcos Assunção (Prudente) Itaqui (Caxias)
Meia Conca (Fluminense) Paulo Henrique Ganso (Santos) Guilherme (São José)
Meia Philippe Coutinho (Vasco) Robinho (Santos) Douglas (Grêmio)
Atacante Herrera (Botafogo) Rodriguinho (Santo André) Jonas (Grêmio)
Atacante Vágner Love (Flamengo) Neymar (Santos) Borges (Grêmio)

SELEÇÃO DOS ESTADUAIS 2009

SELEÇÃO DOS ESTADUAIS 2009

Posição Carioca Paulista Gaúcha
Goleiro Bruno (Flamengo) Felipe (Corinthians) Victor (Grêmio)
Lateral-direito Leonardo Moura (Flamengo) Alessandro (Corinthians) Ruy (Grêmio)
Zagueiro Juninho (Botafogo) Chicão (Corinthians) Índio (Internacional)
Zagueiro Ronaldo Angelim (Flamengo) André Dias (São Paulo) Réver (Grêmio)
Lateral-esquerdo Ramon (Vasco) André Santos (Corinthians) Kléber (Internacional)
Volante Leandro Guerreiro (Botafogo) Elias (Corinthians) Sandro (Internacional)
Volante Nilton (Vasco) Cristian (Corinthians) Guiñazu (Internacional)
Meia Carlos Alberto (Vasco) Diego Souza (Palmeiras) Souza (Grêmio)
Meia Maicosuel (Botafogo) Madson (Santos) D’Alessandro (Internacional)
Atacante Bruno Meneghel (Resende) Washington (São Paulo) Taison (Internacional)
Atacante Victor Simões (Botafogo) Ronaldo (Corinthians) Nilmar (Internacional)

aaa

aaa

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 2 de maio de 2010 Artilheiros, Campeões, Campeonatos Estaduais, História | 20:29

Um balanço das decisões estaduais pelo Brasil

Compartilhe: Twitter

Para quem curte um Campeonato Estadual, finais, decisões, o fim de semana foi um prato cheio. Em São Paulo, Santos e Santo André fizeram uma daquelas finais memoráveis. O Santo André, azarão, venceu o jogo, engrossou para o Peixe e por muito pouco não ficou com o inédito título (chutou uma bola na trave aos 45 minutos do segundo tempo). O Santos, mesmo com as três expulsões, soube se segurar e conquistar o Paulistão com méritos. Sua campanha foi uma das melhores da história da competição.

Já em Minas Gerais, o técnico Vanderlei Luxemburgo e o Atlético-MG voltaram a conquistaram o Campeonato Mineiro. Luxa, que havia vencido o torneio em 2003, pelo Cruzeiro, ganhou, agora, o primeiro título pelo Galo. Será que ele conseguirá a tríplice coroa, como na época de Cruzeiro?

No Sul, o Grêmio levou um susto, mas ficou com a taça. O técnico Silas, que havia conquistado o catarinense em 2009, conseguiu seu segundo título estadual em dois anos. O Grêmio encerrou, assim, a chance do Colorado se consagrar tricampeão gaúcho. O técnico uruguaio Jorge Fossati, que poupou alguns jogadores no final, só seguirá no comando do Inter se passar pelo Banfield, quinta-feira, pela Libertadores.

No Campeonato Goiano, o Atlético-GO não deu chances ao Santa Helena e ganhou mais um jogo da final. Depois do 4 x 0 no jogo de ida, venceu por 3 x 1 e ficou com o título. Outro que não liquidou bem o adversário foi o Avaí. O time de Florianópolis bateu o Joinville por 2 x 0 e sagrou-se bicampeão. Agora, o Avaí soma 15 títulos e é o maior campeão do estado ao lado do Figueirense, cada um com 15 títulos.

Outros campeões no fim de semana foram o ABC (Rio Grande do Norte), Ceilândia (Distrito Federal), Fortaleza (Ceará) e Vitória (Bahia). O Vitória, com o tetracampeonato, chegou ao seu 26 título, o sétimo nos últimos oito anos.

Confira abaixo um balanço dos estaduais encerrados em 2010 e também a galeria de títulos atualizada desses campeonatos.

Estado Campeão Vice Artilheiro
São Paulo Santos Santo André Ricardo Bueno (Oeste), 16 gols
Rio de Janeiro Botafogo Flamengo Vágner Love (Flamengo), 15 gols
Minas Gerais Atlético-MG Ipatinga Eraldo (Democrata-GV), 11 gols
Rio Grande do Sul Grêmio Internacional Jeferson (São José), 14 gols
Paraná Coritiba Atlético-PR Bruno Mineiro (Atlético-PR) e Ariel (Coritiba), 11 gols
Goiás Atlético-GO Santa Helena Diogo Galvão (Trindade), 15 gols
Bahia Vitória Bahia Sassá (Ipitanga), 13 gols
Ceará Fortaleza Ceará Betinho (Fortaleza) e Júnior Cearense (Horizonte), 11 gols
Santa Catarina Avaí Joinville William (Figueirense), 13 gols
Distrito Federal Ceilândia Brasiliense Vanderlei (Brasiliense), 11 gols
Rio Grande do Norte ABC Coríntians João Paulo (ABC), 17 gols
Mato Grosso União Operário Paulinho Marília (Luverdense), 9 gols
Roraima Baré GAS Robermar (Náutico), 4 gols

XXXXXXXXXX
Campanha dos campeões 2010

Clube PG J V E D GP GC S Aprov. Artilheiro Técnico
Santos (SP) 56 23 18 2 3 72 31 41 81,2% Neymar (14 gols) Dorival Júnior
Botafogo (RJ) 47 19 15 2 2 44 26 18 82,5% Loco Abreu (11 gols) Joel Santana
Atlético (MG) 35 17 9 8 1 41 22 19 68,6% Fabiano (8 gols) Vanderlei Luxemburgo
Grêmio (RS) 50 21 16 2 3 45 20 25 79,4% Jonas (11 gols) Silas
Coritiba (PR) 49 20 15 4 1 42 14 28 81,7% Ariel (11 gols) Ney Franco
Atlético (GO) 41 22 12 5 5 57 25 32 62,1% Elias (12 gols) Geninho
Vitória (BA) 46 22 14 4 4 43 18 25 69,7% Júnior (12 gols) Ricardo Silva
Fortaleza (CE) 44 26 13 5 8 47 35 12 56,4% Betinho (11 gols) Zé Teodoro
Avaí (SC) 52 24 15 6 3 52 35 17 70,8% Leonardo (8 gols) Péricles Chamusca
Ceilândia (DF) 34 22 9 7 6 27 24 3 51,5% Dimba (8 gols) Adelson Almeida
ABC (RN) 41 20 12 5 3 50 24 26 68,3% João Paulo (17 gols) Leandro Campos
União (MT) 30 18 7 9 2 33 26 7 55,6% Valdir Papel (5 gols) Everton Goiano
Baré (RR) 16 6 5 1 0 18 5 13 88,9% Carlos Alberto (3 gols) Fábio Luiz

Maiores campeões estaduais (em azul os campeões de 2010)

São Paulo
Clube Títulos
Corinthians 26
Palmeiras 22
São Paulo 22
Santos 18
Rio de Janeiro
Clube Títulos
Flamengo 31
Fluminense 30
Vasco 22
Botafogo 19
Minas Gerais
Clube Títulos
Atlético-MG 40
Cruzeiro 36
América 15
Rio Grande do Sul
Clube Títulos
Internacional 39
Grêmio 36
Guarany de Bagé 2
Paraná
Clube Títulos
Coritiba 34
Atlético-PR 22
Ferroviário 8
Goiás
Clube Títulos
Goiás 22
Vila Nova 15
Goiânia 14
Atlético-GO 11
Bahia
Clube Títulos
Bahia 43
Vitória 26
Ypiranga 10
Ceará
Clube Títulos
Ceará 39
Fortaleza 39
Ferroviário 9
Santa Catarina
Clube Títulos
Avaí 15
Figueirense 15
Joinville 12
Distrito Federal
Clube Títulos
Gama 10
Brasília 8
Brasiliense 6
Ceilândia 1
Rio Grande do Norte
Clube Títulos
ABC 51
América-RN 32
Alecrim 7
Mato Grosso
Clube Títulos
Mixto 9
Operário 9
Sinop 3
União 1
Roraima
Clube Títulos
Atlético Roraima 19
Baré 9
São Raimundo 4


XXXXXXXXXX

Campanha dos campeões
Clube PG J V E D GP GC S Aprov. Artilheiro Técnico
Santos (SP) 56 23 18 2 3 72 31 41 81,2% Neymar (14 gols) Dorival Júnior
Botafogo (RJ) 47 19 15 2 2 44 26 18 82,5% Loco Abreu (11 gols) Joel Santana
Atlético (MG) 35 17 9 8 1 41 22 19 68,6% Fabiano (8 gols) Vanderlei Luxemburgo
Grêmio (RS) 50 21 16 2 3 45 20 25 79,4% Jonas (11 gols) Silas
Coritiba (PR) 49 20 15 4 1 42 14 28 81,7% Ariel (11 gols) Ney Franco
Atlético (GO) 41 22 12 5 5 57 25 32 62,1% Elias (12 gols) Geninho
Vitória (BA) 46 22 14 4 4 43 18 25 69,7% Júnior (12 gols) Ricardo Silva
Fortaleza (CE) 44 26 13 5 8 47 35 12 56,4% Betinho (11 gols) Zé Teodoro
Avaí (SC) 52 24 15 6 3 52 35 17 70,8% Leonardo (8 gols) Péricles Chamusca
Ceilândia (DF) 34 22 9 7 6 27 24 3 51,5% Dimba (8 gols) Adelson Almeida
ABC (RN) 41 20 12 5 3 50 24 26 68,3% João Paulo (17 gols) Leandro Campos
União (MT) 30 18 7 9 2 33 26 7 55,6% Valdir Papel (5 gols) Everton Goiano
Baré (RR) 16 6 5 1 0 18 5 13 88,9% Carlos Alberto (3 gols) Fábio Luiz
Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 30 de abril de 2010 Campeonatos Estaduais, Futebol Europeu | 11:37

Fim de semana repleto de decisões no Brasil e na Europa

Compartilhe: Twitter

Nesse fim de semana, alguns campeões poderão ser conhecidos. Tanto no Brasil, quanto na Europa. Aqui, os principais Campeonatos Estaduais estão na reta final. No Velho Continente, as ligas nacionais estão nas rodadas finais e, dependendo das combinações de resultados, alguns clubes deverão levantar a taça amanhã ou domingo.

EUROPA

Na Inglaterra, na Premier League, faltam apenas duas rodadas. O Chelsea lidera  com 80 pontos, um a mais do que o Manchester United. No domingo, o Chelsea enfrentará o Liverpool, fora de casa. Se vencer e o Manchester tropeçar diante do Sunderland, fora também, poderá ser campeão. Mas dificilmente isso deverá acontecer. O mais provável é o Manchester ultrapassar o Chelsea nessa rodada e ser campeão na última, quando jogará em casa contra o fraco Stoke City.

Na Itália, a briga pelo título está entre Internazionale (73 pontos) e Roma (71), faltando apenas três rodadas. A Inter, pela tabela, tem tudo para chegar ao inédito pentacampeonato. O time do técnico José Mourinho pegará a Lazio (fora), Chievo Verona (casa) e o Siena (fora). Já a Roma terá o Parma (fora), o Cagliari (em casa) e o Chievo Verona (fora).  Inter e Roma irão decidir também a Copa da Itália, na próxima quarta-feira.

Na Espanha, o Barcelona lidera a Liga com 87 pontos, contra 86 do Real Madrid. O Campeonato Espanhol terá ainda mais quatro rodadas e a definição do título deverá ser apenas na última rodada.

Na Alemanha, Bayern Munique e Schalke 04 estão empatados com 84 pontos. Faltam apenas duas rodadas. O Bayern, que tem 37 gols de saldo contra 24 do Schalke, terá um jogo mais fácil. Amanhã, o time de Van Gaal pegará o fraco Bochum, em casa, enquanto o Schalke jogará contra o Werder Bremen, também em casa.

Na França, faltam quatro rodadas e o Olympique de Marselha lidera com 71 pontos, cinco a mais do que o Auxerre. Hoje, às 16h, os dois jogam Auxerre, fazendo a final antecipada do torneio. Uma vitória garante praticamente o título ao Olympique depois de 18 anos.

Em Portugal, o Benfica tem 6 pontos a mais do que o Braga, faltando duas rodadas para o final. No domingo, a equipe dos brasileiros Ramires, David Luiz, Weldon e Éder Luís jogará fora de casa precisando de apenas um ponto para garantir o título. O adversário, porém, é o rival Porto. Um tropeço do Braga, diante do Paços Ferreira, também poderá dar o título ao Benfica.

Na Holanda, o campeonato terá a última rodada no domingo. O Twente, com 83 pontos, precisa de uma vitória sobre o NAC Breda, fora de casa, para ser campeão pela primeira vez (em 1926 foi campeão, mas como Eschende). O Ajax, com 82 pontos, está na cola. O time que já marcou 102 gols em 33 jogos, enfrentará o NEC Nijmegan fora de casa.

BRASIL

Dos 27 campeonatos estaduais, quatro já conhecem o seu campeão: Botafogo (carioca), Coritiba (paranaense), União Rondonópolis (mato-grossense) e Baré (roraimense). No próximo final de semana, mais oito estaduais acabarão. Veja abaixo como está a situação em cada um deles:

Em São Paulo, o Santos pode perder até por um gol de diferença para o Santo André, no Pacaembu, que ainda assim garante o título do Paulistão. No jogo de ida, o Peixe venceu por 3 x 2.

Em Minas Gerais, o Atlético-MG joga pelo empate diante do Ipatinga, no Mineirão. No jogo de ida, em Ipatinga, o Galo venceu por 3 x 2.

No Rio Grande do Sul, o Grêmio venceu o rival Inter na primeira final por 2 x 0, no Beira-Rio, e agora joga com vantagem em seu estádio, no Olímpico.

Na Bahia, o Vitória também está em vantagem. Depois de vencer o rival Bahia por 1 x 0, no Estádio Pituaçu, o Rubro-negro joga pelo empate no Barradão.

No Ceará, o Fortaleza venceu o Ceará por 1 x 0 no primeiro jogo e também joga pelo empate na segunda partida para set tetracampeão cearense.

Em Goiás, o Atlético-GO bateu o Santa Helena no primeiro jogo da final por 4 x 0 e praticamente garantiu o título estadual. A final será domingo, em Santa Helena.

No Distrito Federal, o Ceilândia venceu o Brasiliense por 3 x 1 na primeira final, em casa, e agora joga com vantagem. A deceisão será amanhã, no estádio Boca do Jacaré.

Em Santa Catarina, o Avaí venceu o Joinville no jogo de ida por 3 x 1, fora de casa. A final será domingo, em Florianópolis, e o Avaí pode até perder por um gol para ser bicampeão catarinense.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 20 de abril de 2010 Campeonatos Estaduais, Técnicos | 00:29

Cuca segue a sina dos técnicos demitidos pelo Flu

Compartilhe: Twitter

Clube com 107 anos de história, o Fluminense teve até hoje 96 treinadores. Na média, menos de um por ano. Nas últimas três décadas, porém, o clube tem se mostrado completamente intolerante com seus técnicos. Cuca, que levou o Tricolor à final da Copa Sul-Americana no ano passado e tirou inacreditavelmente o praticamente rebaixado Fluminense da Série B, não resistiu após a perda do Campeonato Carioca. Na Copa do Brasil, principal competição do clube no semestre, Cuca havia conquistado um ótimo resultado nas oitavas-de-final, vencendo o jogo de ida, contra a Portuguesa, fora de casa.

Em 2008, Cuca já havia sido demitido pelo próprio Fluminense. Com 30 vitórias, 17 empates e apenas 8 derrotas, o treinador conquistou 64,9% dos pontos em suas duas passagens pelo Tricolor. O melhor aproveitamento de um técnico do clube nessa década e um dos maiores da história do Flu (na verdade, o 20º melhor entre todos os técnicos efetivos).

Nos últimos 30 anos, entre 1980 e 2009, apenas em duas temporadas o Fluminense contou com um técnico do início ao final do ano: em 1995, com Joel Santana, e em 2005, com Abel Braga.

Confira abaixo a lista dos técnicos com os melhores aproveitamentos do Fluminense e a lista dos técnicos do Tricolor nas últimas três décadas.

Técnicos com os melhores aproveitamentos:

Técnico Período J V E D Aprov.
Ramon Platero 1919 18 17 0 1 94,4%
Fleitas Solich 1963 39 28 8 3 78,6%
Carlomagno 1936-1938 87 59 13 15 72,8%
Charles Williams 1911-1926 78 54 8 16 72,7%
Carlos Alberto Torres 1984-1994 27 17 7 3 71,6%
Procópio 1989 34 22 6 6 70,6%
José Duarte 1979 20 13 3 4 70,0%
Mario Travaglini 1976-1977 94 59 19 16 69,5%
Cláudio Garcia 1983 41 25 10 6 69,1%
Silvio Pirillo 1956-1958 179 112 35 32 69,1%
Admildo Chirol 1978-1979 36 21 10 5 67,6%
Quincey Taylor 1917-1936 122 75 22 25 67,5%
Zezé Moreira 1951-1963 502 304 95 103 66,9%
Arno Frank 1943 28 17 5 6 66,7%
Humberto Cabelli 1944-1945 23 14 4 5 66,7%
Didi 1975-1976 42 25 8 9 65,9%
Ondino Viera 1938-1949 264 158 47 59 65,8%
Hector Cabelli 1936-1945 35 19 12 4 65,7%
Eugenio Medgyessi 1927-1928 43 26 6 11 65,1%
Cuca 2008-2009 55 30 17 8 64,8%
Gradim 1951-1956 108 65 14 29 64,5%
Sebastião Araújo 1979-1988 31 17 9 5 64,5%
Gentil Cardoso 1945-1948 151 87 30 34 64,2%
Luis Henrique 1981-1984 34 19 8 7 63,7%
Paulo Amaral 1970-1972 102 57 24 21 63,7%
Ground Commité 1902-1916 161 92 30 39 63,4%
Jair Rosa Pinto 1975 7 4 1 2 61,9%
Paulo Emílio 1975-1990 125 65 33 27 60,8%
René Simões 2008-2009 21 11 5 5 60,3%
Dino Sani 1981-1982 31 15 10 6 59,1%
Robertinho 2002 29 15 6 8 58,6%
Telê Santana 1967-1989 114 58 26 30 58,5%
Oswaldo de Oliveira 2001-2006 77 38 21 18 58,4%
Alfredo González 1967 12 7 0 5 58,3%
Altair 1995-1998 30 15 7 8 57,8%
Ismael Kuntz 1988 18 8 7 3 57,4%
Luis Vinhaes 1929-1933 145 74 26 45 57,1%
Pode Pedersen 1920-1923 73 37 14 22 57,1%
Valdir Espinosa 1997-2004 111 52 34 25 57,1%
Abel Braga 2005 75 37 17 21 56,9%
Edinho 1991-1998 81 37 27 17 56,8%
Antoninho 1963 20 10 4 6 56,7%
Sergio Cosme 1988-1998 72 33 22 17 56,0%
Pinheiro 1971-1994 98 45 26 27 54,8%
Antônio Lopes 1986-2006 50 22 16 12 54,7%
Nelsinho Rosa 1979-1993 148 67 40 41 54,3%
Alexandre Gama 2004 24 11 6 7 54,2%
Zagallo 1971-1980 85 36 30 19 54,1%
Joel Santana 1995-2007 95 38 25 23 53,8%
Paulo Campos 2006 5 2 2 1 53,3%
Parreira 1974-2009 139 61 33 45 51,8%
Carbone 1983-1997 86 34 31 21 51,6%
Renato Gaúcho 1996-2009 184 78 47 59 50,9%
Artur Bernardes 1992 33 14 8 11 50,5%
Tim 1964-1967 180 76 43 61 50,1%
Roberto Pinto 1985 21 8 7 6 49,2%
Paulinho de Almeida 1982 17 7 4 6 49,0%
Jair Pereira 1996 37 16 6 15 48,7%
Othon Valentin 1989 11 3 7 1 48,5%
Gilson Nunes 1990-1991 42 17 10 15 48,4%
Duque 1973-1974 99 36 35 28 48,1%
Júlio César Leal 1997 17 6 6 5 47,1%
Otto Viera 1950-1951 58 21 18 19 46,5%
Ricardo Gomes 2004 34 12 11 11 46,1%
Lula 1982 21 8 5 8 46,0%
Evaristo de Macedo 1968-1990 43 17 8 18 45,7%
Arturzinho 1997 9 3 3 3 44,4%
Delei 1994-1998 24 7 11 6 44,4%
Hugo De León 1997 3 1 1 1 44,4%
Ivo Wortmann 2006 6 2 2 2 44,4%
Jorge Viera 1958-1996 16 6 3 7 43,8%
Atuel Velasquez 1943-1944 30 10 6 14 40,0%
Cláudio Duarte 1996 10 2 3 5 30,0%
Paulo César Gusmão 2006-2007 17 3 6 8 29,4%
Edu 1993 6 1 1 4 22,2%

a

a

Técnicos do Fluminense nos últimos anos:

1980 – Zagallo e Nelsinho Rosa
1981 – Nelsinho Rosa, Luís Henrique e Dino Sani
1982 – Dino Sani, Lula e Paulinho de Almeida
1983 – Cláudio Garcia e Carbone
1984 – Carbone, Carlos Alberto Parreira, Luís Henrique e Carlos Alberto Torres
1985 – Carlos Alberto Torres, Raul Carlesso (*), Roberto Pinto (*) e Nelsinho Rosa
1986 – Nelsinho Rosa, Lúcio Novelli (*), Vanderlei Luxemburgo (*) e Antônio Lopes
1987 – Antônio Lopes, Everaldo Antônio, Carbone e Sebastião Araújo
1988 – Sebastião Araújo, Ismael Kurtz e Sérgio Cosme
1989 – Sérgio Cosme, Othon Valentim, Procópio Cardoso e Telê Santana
1990 – Evaristo de Macedo, Paulo Emílio e Gílson Nunes
1991 – Gílson Nunes e Edinho
1992 – Arthur Bernardes e Sérgio Cosme
1993 – Edinho, Nelsinho Rosa e Edu Coimbra
1994 – Carlos Alberto Torres, Delei, Pinheiro e Altair (*)
1995 – Joel Santana
1996 – Jair Pereira, Jorge Vieira, Renato Gaúcho (*), Cláudio Duarte e Renato Gaúcho (*)
1997 – Júlio César Leal, Valdir Espinosa, Hugo de León, Carbone e Arturzinho
1998 – Edinho, Altair (*), Sérgio Cosme e Duílio (*)
1999 – Carlos Alberto Parreira
2000 – Carlos Alberto Parreira e Valdir Espinosa
2001 – Valdir Espinosa e Oswaldo de Oliveira
2002 – Oswaldo de Oliveira, Robertinho e Renato Gaúcho
2003 – Renato Gaúcho, Gilson Gênio (*), Joel Santana e Renato Gaúcho
2004 – Valdir Espinosa, Ricardo Gomes e Alexandre Gama
2005 – Abel Braga
2006 – Ivo Wortmann, Paulo Campos, Oswaldo de Oliveira, Josué Teixeira (*), Antônio Lopes e Paulo César Gusmão
2007 – Paulo César Gusmão, Joel Santana e Renato Gaúcho
2008 – Renato Gaúcho, Cuca e René Simões
2009 – René Simões, Carlos Alberto Parreira, Vinícius Eutrópio (*), Renato Gaúcho e Cuca
2010 – Cuca

(*) Interinos

a

Autor: Tags: ,

domingo, 18 de abril de 2010 Campeonatos Estaduais, História | 18:48

A estrela de Joel volta a brilhar no Rio de Janeiro

Compartilhe: Twitter

Mais uma vez o técnico Joel Santana mostrou que é o rei do Campeonato Carioca. Depois de assumir o alvinegro no primeiro turno do estadual, após a goleada sofrida para o Vasco por 6 x 0, Joel levou o time ao título da Taça Guanabara. Hoje, conquistou também o título da Taça Rio, sobre o algoz Flamengo (para quem o Fogão havia perdido os últimos três estaduais). Assim, foi campeão Carioca pela sétima vez na história. Apenas Flávio Costa, que dirigiu o Brasil na Copa de 1950, tem mais conquistas, com nove títulos cariocas (em 1939, 1942, 1943, 1944 e 1963 (com o Flamengo), e em 1947, 1949, 1950 e 1952 (com o Vasco).

Joel, porém foi campeão pelos quatro grandes do Rio. Em 1992 e 1993 pelo Vasco; em 1995, pelo Fluminense; em 1997 e 2010, pelo o Botafogo; e em 1996 e 2008, pelo Flamengo. Até hoje, o técnico disputou 12 campeonatos cariocas. Além de ganhar sete deles, foi cinco vezes campeão da Taça Guanabara (o primeiro turno) e sete vezes da Taça Rio (o segundo turno). Confira abaixo o ótimo desempenho de Joel Santana no Campeonato Carioca nas últimas duas décadas:

Ano Clube Taça Guanabara Taça Rio Final
1992 Vasco Campeão Campeão Campeão (mas não houve final)
1993 Vasco Campeão Campeão
1995 Fluminense Campeão Campeão
1996 Flamengo Campeão Campeão Campeão (mas não houve final)
1997 Botafogo Campeão Campeão Campeão
1998 Flamengo Não disputou
2000 Botafogo Não disputou
2001 Vasco Campeão
2005 Vasco Não disputou
2007 Fluminense Não disputou
2008 Flamengo Campeão Campeão
2010 Botafogo Campeão Campeão Campeão (mas não houve final)
Ano Clube Taça Guanabara Taça Rio Final
1992 Vasco Campeão Campeão Não houve final
1993 Vasco Campeão Campeão
1995 Fluminense Campeão Campeão
1996 Flamengo Campeão Campeão Não houve final
1997 Botafogo Campeão Campeão Campeão
1998 Flamengo Não disputou
2000 Botafogo Não disputou
2001 Vasco Campeão
2005 Vasco Não disputou
2007 Fluminense Não disputou
2008 Flamengo Campeão Campeão
2010 Botafogo Campeão Campeão Não houve final

a

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última