Publicidade

Arquivo da Categoria Estatísticas

domingo, 10 de junho de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu | 14:42

Messi fecha a temporada com 82 gols e muitos recordes

Compartilhe: Twitter

Com uma atuação brilhante na vitória por 4 x 3 sobre a Seleção Brasileira, o atacante argentino Messi, 24 anos, encerrou a sua temporada 2011/12 em grande estilo e muitos recordes. Pela primeira vez um jogador atingiu o recorde 82 gols em jogos oficiais em uma só temporada. Pelo Barcelona foram 73 gols e pela Seleção Argentina foram mais 9 gols. Messi pulverizou o recorde de Pelé, que durava desde 1958 (75 gols).

Jogadores com mais gols em uma só temporada:
Messi (2011/12) – 82 gols
Pelé (1958) – 75 gols
Gerd Müller (1972/73) – 73 gols
Romário (2000) – 73 gols
Pelé (1965) – 73 gols

Com 50 gols no Campeonato Espanhol, Messi quebrou o recorde de Cristiano Ronaldo (40 gols em 2010/11) e tornou-se o maior artilheiro em uma única edição da Liga Espanhola. Com isso, ganhou o prêmio Chuteira de Ouro pela segunda vez – a outra havia sido em 2009/10. Com esses 50 gols, Messi também quebrou o recorde de gols entre os vencedores do prêmio dado aos maiores goleadores dos campeonatos nacionais da Europa desde 1967/68. Até então, o recordista era o romeno Geogescu, que marcou 47 gols em 1976/77 jogando pelo Dinamo Bucareste.

Na vitória sobre o Brasil por 4 x 3, Messi quebrou uma marca que já durava mais de 50 anos ao anotar 3 gols no clássico contra a Seleção Brasileira. Desde 1959, quando Sanfilippo fez 3 gols na goleada por 4 x 1, nenhum argentino balançou três vezes a rede contra o Brasil. Marcar três gols contra a Seleção Brasileira, aliás, era algo que não acontecia desde 1982, quando o italiano Paolo Rossi fez os três na vitória por 3 x 2 na Copa do Mundo.

Além de fechar a temporada como artilheiro do Campeonato Espanhol, Messi foi o principal goleador da Liga dos Campeões com o recorde de 14 gols na edição. Somando todas das edições da competição, desde 1955/56, o argentino ainda igualou a marca do brasileiro Mazzola, que fez 14 gols pelo Milan em 1962/63. Messi tornou-se ainda o primeiro jogador a ser quatro vezes consecutivas artilheiro da Liga dos Campeões.

Na temporada 2011/12, Messi anotou 82 gols em 69 jogos oficiais. Média de 1,19 por partida. Pelo Barcelona, o atacante marcou 73 gols em 60 jogos (1,22 por partida). Já pela Seleção Argentina foram 9 gols em 9 jogos (1 por jogo). Em 2011, Messi marcou 31 gols em 32 jogos (0,97 por jogo) e deu 18 assistências. Já em 2012, seus números foram ainda melhores. Neste ano, Messi fez incríveis 51 gols em 37 jogos (média de 1,38 por partida), além de dar mais 16 assistências.

Dos 69 jogos que fez em 2011/12, Messi foi titular e jogos os 90 minutos em 66 deles. Em outros três jogos foi poupado (dois pela Copa da Espanha e um pelo Campeonato Espanhol) e entrou nos minutos finais.

Dos 82 gols que fez, Messi anotou 5 em um jogo (nos 7 x 1 contra o Bayer Leverkusen-ALE), quebrando um recorde também na história da Liga dos Campeões. Messi fez ainda 4 gols em dois jogos (5 x 1 no Valencia e 4 x 0 no Espanyol, pelo Liga Espanhola), e ainda conseguiu mais 9 hat-tricks (três gols em um único jogo). Pela Seleção Argentina, conseguiu esse feito duas vezes. A primeira no amistoso contra a Suíça, em fevereiro de 2012, e a outra contra a Seleção Brasileira, ontem, em Nova Jersey. Além disso, Messi fez dois gols em 12 jogos e 1 gol em 18 partidas. Dos 69 jogos que fez no ano, Messi passou em branco em apenas 27 (39%).

Dos 60 jogos que participou na temporada pelo Barcelona, o clube catalão anotou 174 gols. Destes, 73 foram feitos por Messi (42%). Além disso, o argentino deu 28 assistências, participando, então, diretamente de 58% dos gols do Barcelona em 2011/12. Pela Seleção Argentina, que marcou 23 gols na temporada, Messi fez 9 gols e deu 6 assistências, tendo uma participação ainda maior: 65,2% dos gols.

Com quatro títulos (Mundial de Clubes, Supercopa Espanhola, Supercopa Europeia e Copa do Rei da Espanha), Messi chegou a marca de 20 títulos pelo Barcelona, tornando-se o jogador com mais conquistas oficiais pelo clube espanhol. E com 253 gols, Messi virou o maior artilheiro do Barça em jogos oficiais. No geral, contando amistosos, Messi já soma 271 gols pelo Barcelona e já é o quinto maior em todos os tempos, desde 1899, atrás apenas de Alcantara (357 gols), Samitier (326), Cesar (294) e Kubala (274).

Pela Seleção Argentina, Messi também vem melhorando cada vez mais seus números. Com 28 gols (sendo 8 nos últimos quatro jogos), Messi já é o quarto maior artilheiro da seleção em toda a história. Apenas Batistuta (56), Crespo (35) e Maradona (34), fizeram mais gols do que o atacante do Barça. Além disso, Messi já é o 9º com mais partidas pela Seleção Argentina na história, ao lado de Sorín, com 75 jogos. Os primeiros colocados são Zanetti (145), Ayala (115), Simeone (106), Ruggeri (97), Maradona (91), Ortega (87), Mascherano (81) e Batistuta (78).

Como profissional, essa foi a 9ª e também a melhor temporada de Messi em número de jogos, gols e assistências. Assim, tem tudo para ser coroada no final do ano como o melhor jogador do mundo pela Fifa pelo quarto ano consecutivo.

Confira o seu desempenho ano a ano, contando jogos oficiais e amistosos por Barcelona e Argentina:
2003/04 – 2 jogos, 0 gol, 0 assistência
2004/05 – 17 jogos, 4 gols (0,24 média), 0 assistência
2005/06 – 39 jogos, 12 gols (0,31 média), 5 assistências
2006/07 – 50 jogos, 23 gols (0,46 média), 7 assistências
2007/08 – 52 jogos, 21 gols (0,40 média), 16 assistências
2008/09 – 68 jogos, 47 gols (0,69 média), 21 assistências
2009/10 – 69 jogos, 50 gols (0,72 média), 12 assistências
2010/11 – 69 jogos, 58 gols (0,84 média), 30 assistências
2011/12 – 70 jogos, 84 gols (1,20 média), 34 assistências
total –  436 jogos, 299 gols (0,69 média), 125 assistências

Abaixo a lista de jogos e gols de Messi em sua histórica temporada:

Data Clube Placar Adversário Competição Gols Assis. CA CV
14/08/2011 Barcelona 2 x 2 Real Madrid Supercopa Espanhola 1 1 0 0
17/08/2011 Barcelona 3 x 2 Real Madrid Supercopa Espanhola 2 1 0 0
26/08/2011 Barcelona 2 x 0 Porto-POR Supercopa Europeia 1 1 0 0
22/08/2011 Barcelona 5 x 0 Napoli-ITA Troféu Joan Gamper 2 0 0 0
29/08/2011 Barcelona 5 x 0 Villarreal Camp. Espanhol 2 1 0 0
02/09/2011 Argentina 1 x 0 Venezuela Amistoso FIFA 0 1 0 0
06/09/2011 Argentina 3 x 1 Nigéria Amistoso FIFA 0 1 0 0
10/09/2011 Barcelona 2 x 2 Real Sociedad Camp. Espanhol 0 0 1 0
13/09/2011 Barcelona 2 x 2 Milan-ITA Liga dos Campeões 0 1 0 0
17/09/2011 Barcelona 8 x 0 Osasuna Camp. Espanhol 3 2 0 0
21/09/2011 Barcelona 2 x 2 Valencia Camp. Espanhol 0 2 0 0
24/09/2011 Barcelona 5 x 0 Atlético de Madri Camp. Espanhol 3 0 0 0
28/09/2011 Barcelona 5 x 0 BATE Borisov-BLR Liga dos Campeões 2 0 0 0
02/10/2011 Barcelona 1 x 0 Sporting Gijón Camp. Espanhol 0 0 0 0
07/10/2011 Argentina 4 x 1 Chile Eliminatórias Conmebol 1 1 0 0
11/10/2011 Argentina 1 x 0 Venezuela Eliminatórias Conmebol 0 0 0 0
15/10/2011 Barcelona 3 x 0 Racing Santander Camp. Espanhol 2 0 0 0
19/10/2011 Barcelona 2 x 0 Viktoria Pilsen-TCH Liga dos Campeões 0 1 0 0
22/10/2011 Barcelona 0 x 0 Sevilla Camp. Espanhol 0 0 0 0
25/10/2011 Barcelona 1 x 0 Granada Camp. Espanhol 0 0 0 0
29/10/2011 Barcelona 5 x 0 Mallorca Camp. Espanhol 3 0 0 0
01/11/2011 Barcelona 4 x 0 Viktoria Pilsen-TCH Liga dos Campeões 3 0 0 0
06/11/2011 Barcelona 2 x 2 Athletic Bilbao Camp. Espanhol 1 0 0 0
11/11/2011 Argentina 1 x 1 Bolívia Eliminatórias Conmebol 0 0 0 0
15/11/2011 Argentina 2 x 1 Colômbia Eliminatórias Conmebol 1 1 0 0
19/11/2011 Barcelona 4 x 0 Zaragoza Camp. Espanhol 1 0 0 0
23/11/2011 Barcelona 3 x 2 Milan-ITA Liga dos Campeões 1 1 1 0
26/11/2011 Barcelona 1 x 0 Getafe Camp. Espanhol 0 0 0 0
29/11/2011 Barcelona 4 x 0 Rayo Vallecano Camp. Espanhol 1 0 0 0
03/12/2011 Barcelona 5 x 0 Levante Camp. Espanhol 1 1 0 0
10/12/2011 Barcelona 3 x 1 Real Madrid Camp. Espanhol 0 1 1 0
15/12/2011 Barcelona 4 x 0 Al-Sadd-CAT Mundial de Clubes da FIFA 0 1 0 0
18/12/2011 Barcelona 4 x 0 Santos-BRA Mundial de Clubes da FIFA 2 0 0 0
04/01/2012 Barcelona 4 x 0 Osasuna Copa da Espanha 2 0 0 0
08/01/2012 Barcelona 1 x 1 Espanyol Camp. Espanhol 0 0 1 0
11/01/2012 Barcelona 2 x 1 Osasuna Copa da Espanha 0 1 0 0
15/01/2012 Barcelona 4 x 2 Bétis Camp. Espanhol 2 0 0 0
18/01/2012 Barcelona 2 x 1 Real Madrid Copa da Espanha 0 1 0 0
22/01/2012 Barcelona 4 x 1 Málaga Camp. Espanhol 3 0 0 0
25/01/2012 Barcelona 2 x 2 Real Madrid Copa da Espanha 0 1 1 0
28/01/2012 Barcelona 0 x 0 Villarreal Camp. Espanhol 0 0 0 0
01/02/2012 Barcelona 1 x 1 Valencia Copa da Espanha 0 0 0 0
04/02/2012 Barcelona 2 x 1 Real Sociedad Camp. Espanhol 1 1 0 0
08/02/2012 Barcelona 2 x 0 Valencia Copa da Espanha 0 1 0 0
11/02/2012 Barcelona 3 x 2 Osasuna Camp. Espanhol 0 0 0 0
14/02/2012 Barcelona 3 x 1 B. Leverkusen-ALE Liga dos Campeões 1 1 0 0
19/02/2012 Barcelona 5 x 1 Valencia Camp. Espanhol 4 0 0 0
26/02/2012 Barcelona 2 x 1 Atlético de Madri Camp. Espanhol 1 0 1 0
29/02/2012 Argentina 3 x 1 Suíça Amistoso FIFA 3 0 0 0
07/03/2012 Barcelona 7 x 1 B. Leverkusen-ALE Liga dos Campeões 5 0 0 0
11/03/2012 Barcelona 2 x 0 Racing Santander Camp. Espanhol 2 0 0 0
17/03/2012 Barcelona 2 x 0 Sevilla Camp. Espanhol 1 0 0 0
20/03/2012 Barcelona 5 x 3 Granada Camp. Espanhol 3 1 0 0
24/03/2012 Barcelona 2 x 0 Mallorca Camp. Espanhol 1 0 0 0
28/03/2012 Barcelona 0 x 0 Milan-ITA Liga dos Campeões 0 0 0 0
31/03/2012 Barcelona 2 x 0 Athletic Bilbao Camp. Espanhol 1 1 0 0
03/04/2012 Barcelona 3 x 1 Milan-ITA Liga dos Campeões 2 0 0 0
07/04/2012 Barcelona 3 x 1 Zaragoza Camp. Espanhol 2 1 0 0
10/04/2012 Barcelona 4 x 0 Getafe Camp. Espanhol 1 2 1 0
14/04/2012 Barcelona 2 x 1 Levante Camp. Espanhol 2 0 0 0
18/04/2012 Barcelona 0 x 1 Chelsea-ING Liga dos Campeões 0 0 0 0
21/04/2012 Barcelona 1 x 2 Real Madrid Camp. Espanhol 0 0 0 0
24/04/2012 Barcelona 2 x 2 Chelsea-ING Camp. Espanhol 0 1 0 0
29/04/2012 Barcelona 7 x 0 Rayo Vallecano Camp. Espanhol 2 2 0 0
02/05/2012 Barcelona 4 x 1 Málaga Camp. Espanhol 3 0 0 0
05/05/2012 Barcelona 4 x 0 Espanyol Camp. Espanhol 4 0 0 0
12/05/2012 Barcelona 2 x 2 Bétis Camp. Espanhol 0 0 0 0
25/05/2012 Barcelona 3 x 0 Athletic Bilbao Copa da Espanha 1 0 0 0
02/06/2012 Argentina 4 x 0 Equador Eliminatórias 1 2 0 0
09/06/2012 Argentina 4 x 3 Brasil Amistoso FIFA 3 0 0 0
Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 30 de maio de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu, História, Seleção Brasileira | 15:10

França, Brasil e as maiores invencibilidades de seleções

Compartilhe: Twitter

A Seleção Francesa venceu no último final de semana a Islândia por 3 x 2, de virada, e chegou a marca de 19 jogos sem derrota. O time do técnico Blanc não perde desde o dia 3 de setembro de 2010, que caiu diante da Bielorússia (0 x 1), em jogo válido pela Eliminatórias da Euro.

Com essa marca, a França tem agora a maior sequência invicta de uma seleção na atualidade, deixando  para trás a Seleção de Costa do Marfim, que ostenta uma invencibilidade de 17 partidas. A Seleção Brasileira também vem com uma boa sequência (9 jogos sem derrota). Caso não perca seus próximos três amistosos (Estados Unidos, México e França) e termine o torneio de futebol Olímpico invicto (seis jogos), poderá se aproximar desse recorde atual de invencibilidade.

Mas para chegar ao recorde de invencibilidade de uma seleção, porém, ainda falta muito para essas seleções atuais. Brasil e Espanha detém as maiores sequências com 35 jogos sem derrota cada.  Confira abaixo as maiores invencibilidades:

Seleção Jogos Período
Brasil 35 16/12/1993 a 21/1/1996
Espanha 7/2/2007 a 24/6/2009
Argentina 31 19/2/1991 a 15/8/1993
Espanha 7/9/1994 a 28/1/1998
Hungria 30 4/6/1950 a 4/7/1954
Françe 16/2/1994 a 9/11/1996
Brasil 29 8/3/1970 a 9/6/1973
Coreia do Sul 28 3/9/1977 a 4/3/1979
Colômbia 27 31/7/1992 a 7/4/1994
Itália 25 13/10/2004 a 16/8/2006
Holanda 10/9/2008 a 11/7/2010
Brasil 24 4/10/1975 a 1/4/1978
Gana 22/7/1981 a 7/6/1983
Tchecoslováquia 23 13/11/1974 a 17/11/1976
Alemanha Oc. 11/10/1978 a 1/1/1981
Brasil 1/2/1981 a 5/7/1982
Brasil 3/6/1997 a 10/2/1998
Alemanha 22 6/6/1996 a 25/3/1998
Escócia 7/4/1879 a 17/3/1888
Brasil 21 18/9/1957 a 12/12/1959
Brasil 12/7/1960 a 17/3/1963
Françe 29/3/2003 a 25/6/2004
México 8/9/2004 a 29/6/2005
Inglaterra 20 15/3/1890 a 4/4/1896
União Soviética 26/3/1980 a 14/6/1982
Austrália 21/9/1996 a 16/12/1997
República Tcheca 12/2/2002 a 31/3/2004
Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 22 de maio de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu, História, Liga dos Campeões | 13:17

Chelsea iguala Manchester United em conquistas recentes

Compartilhe: Twitter

Impulsionado desde 2003 pelos milhões de euros do bilionário russo Roman Abramovich, o Chelsea vem aos poucos deixando tradicionais rivais para trás e se consolidando como o clube mais vitorioso do futebol inglês. A briga recente do clube de Londres vem sendo travada com os rivais de Manchester: City e United.

No campo dos investimentos, o Chelsea vem duelando com o City para ver qual o clube mais poderoso nas contratações e investimento. Nos últimos dez anos, os Blues torraram 868,7 milhões de euros contra 746,4 dos Citizens. Essa diferença, porém tende a diminuir logo, já que o Manchester City foi comprado em setembro de 2008 e desde então gastou 581,9 milhões de euros contra 287,7 do Chelsea.

Confira abaixo o dinheiro gasto em contratações pelos principais clubes ingleses nas últimas dez temporadas e também o quanto eles ganharam vendendo jogadores. Valores em milhões de euros.

Compra
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 0,0 172,2 161,9 91,3 94,7 60,9 30,5 28,5 126,6 102,1 868,7
Man. United 48,3 57,0 61,3 31,8 27,2 103,5 45,3 27,4 29,3 57,3 488,4
Man. City 48,5 16,5 1,5 12,5 7,5 78,0 157,3 147,3 182,5 94,8 746,4
Arsenal 10,7 43,5 12,0 46,0 15,1 31,3 40,2 12,0 23,0 78,3 312,1
Liverpool 29,0 15,7 58,4 44,1 49,0 87,7 71,2 43,5 97,5 65,3 561,4
Tottenham 10,5 30,0 47,1 36,5 61,0 94,1 142,5 40,3 26,1 8,5 496,6
Venda
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 3,2 1,0 3,3 34,0 50,5 44,7 25,8 3,9 16,5 30,8 213,7
Man. United 3,8 60,1 9,6 7,9 24,8 44,4 7,5 104,5 18,1 15,5 296,2
Man. City 1,1 6,6 11,8 32,6 4,3 41,4 26,6 29,5 41,6 29,7 225,2
Arsenal 10,8 1,2 3,9 25,0 16,0 57,1 25,8 47,7 9,2 64,7 261,4
Liverpool 11,5 0,0 24,6 19,0 21,0 45,5 46,3 49,9 101,5 22,9 342,2
Tottenham 1,4 2,0 10,5 22,7 38,7 22,9 85,1 31,8 2,9 43,2 261,2
Diferença
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Total
Chelsea 3,2 -171,2 -158,6 -57,3 -44,2 -16,2 -4,7 -24,6 -110,1 -71,3 -655,0
Man. United -44,5 3,1 -51,7 -23,9 -2,4 -59,1 -37,8 77,1 -11,2 -41,8 -192,2
Man. City -47,4 -9,9 10,3 20,1 -3,2 -36,6 -130,7 -117,8 -140,9 -65,1 -521,2
Arsenal 0,1 -42,3 -8,1 -21,0 0,9 25,8 -14,4 35,7 -13,8 -13,6 -50,7
Liverpool -17,5 -15,7 -33,8 -25,1 -28,0 -42,2 -24,9 6,4 4,0 -42,4 -219,2
Tottenham -9,1 -28,0 -36,6 -13,8 -22,3 -71,2 -57,4 -8,5 -23,2 34,7 -235,4

.

Já dentro das quatro linhas, o Chelsea vem brigando com o Manchester United pela hegemonia do futebol da Inglaterra e para ver também qual é o clube inglês mais bem sucedido na Europa. Com as recentes conquistas da Copa da Inglaterra e da Champions League, o Chelsea chegou a 10 títulos nos últimos dez anos, igualando o poderoso time de Alex Ferguson.

Fundado em 1905, o Chelsea havia conquistado 9 títulos até 2003 (2 Recopas Europeias, 1 Campeonato Inglês, 3 Copas da Inglaterra e 2 Copas da Liga Inglesa). Desde a chegada de Roman Abramovich, foram 10 conquistas: 1 Liga dos Campeões, 3 Campeonatos Ingleses, 4 Copas da Inglaterra e 2 Copas da Liga Inglesa). Nesse período, o Manchester United levou 1 Liga dos Campeões, 5 Campeonatos Ingleses, 1 Copas da Inglaterra e 3 Copas da Liga Inglesa).

Confira abaixo o retrospecto dos seis clubes que mais investiram no futebol inglês nas últimas dez temporadas:

Camp. Inglês
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea 3 4
Man. United 5 3
Man. City 16º 15º 14º 10º 1 0
Arsenal 1 2
Liverpool 0 1
Tottenham 10º 14º 11º 0 0
Copa Inglaterra
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea QF OF OF SF QF 4ªF 4 0
Man. United OF OF QF SF 3ªF SF 4ªF 1 2
Man. City 3ªF 3ªF 4ªF QF QF 4ªF 3ªF OF 3ªF 1 0
Arsenal SF 4ªF OF OF SF 4ªF QF OF 2 0
Liverpool 4ªF OF 4ªF 4ªF OF 4ªF 3ªF 3ªF 1 1
Tottenham 3ªF 4ªF QF 3ªF QF 4ªF 4ªF SF 4ªF SF 0 0
Copa Liga Inglesa
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea QF QF 3ªF OF QF 3ªF QF 2 1
Man. United OF SF OF 3ªF QF QF 3 1
Man. City 3ªF OF 3ªF 2ªF 2ªF QF 2ªF SF 3ªF SF 0 0
Arsenal 3ªF SF QF SF SF QF QF QF 0 2
Liverpool OF 3ªF QF QF OF OF 3ªF 2 1
Tottenham 3ªF QF QF 2ªF SF QF 3ªF 3ªF 1 1
Liga dos Campeões
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea SF SF OF SF SF OF QF 1 1
Man. United QF OF OF 2ªF SF QF 1ªF 1 2
Man. City 1ªF 0 0
Arsenal 3ªF QF OF OF QF SF QF OF OF 0 1
Liverpool 2ªF OF SF QF 1ªF 1 1
Tottenham QF 0 0
Liga Europa
Clube 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Títulos Vices
Chelsea 1ªF 0 0
Man. United OF 0 0
Man. City 2ºF QF OF 0 0
Arsenal 0 0
Liverpool QF OF SF OF 0 0
Tottenham QF OF 3ªF 2ªF 0 0

.

.SF: Semifinal; QF: Quartas de final; OF: Oitavas de final; 1ªF: Primeira fase; 2ªF: Segunda fase; 3ªF: Terceira fase; 4ªF: Quarta fase

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 18 de maio de 2012 Copa do Brasil, Estatísticas, História | 14:25

Grêmio pode alcançar marcas históricas na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Com a vitória sobre o Bahia, ontem, por 2 x 1, o Grêmio chegou a sua sétima vitória em sete jogos na Copa do Brasil de 2012. Essa campanha com 100% de aproveitamento nos primeiros jogos repete as duas melhores sequências obtidas desde 1989. Em 1995, o Flamengo, também dirigido por Vanderlei Luxemburgo, ganhou seus sete primeiros jogos. Aquela equipe, que tinha Romário e Sávio no ataque, só foi empatar no 8º jogo, na partida de volta das quartas de final, contra o Cruzeiro (1 x 1). Na fase seguinte, porém, o time caiu diante do Grêmio.

Já no ano passado, o Coritiba também ganhou os seus sete primeiros jogos e foi perder justamente no jogo de volta das quartas de final. Depois de golear o Palmeiras no jogo de ida (6 x 0), o Coxa foi derrotado no Pacaembu (2 x 0), na partida que também quebrou a série de 24 vitórias consecutivas da equipe paranaense no ano.

O Grêmio, agora em 2012, jogará com o Bahia em casa e poderá alcançar a 8ª vitória consecutiva na Copa do Brasil e atingir então um feito inédito na competição.

Além disso, a equipe de Luxemburgo poderá se tornar o 9º campeão invicto em 24 edições da Copa do Brasil. Porém, ainda tem a chance de ser o único a levantar a taça com 100% de aproveitamento. Para isso, deverá vencer os cinco jogos restantes. Difícil, mas possível.

Até hoje, dos quatro títulos do Tricolor Gaúcho na Copa do Brasil, três foram de forma invicta (1989, 1994 e 1997). Os outros clubes que conseguiram levantar a taça sem derrota foram Flamengo (1990), Criciúma (1991), Corinthians (1995) e Cruzeiro (2000 e 2003). Em 2003, aliás, o técnico da Raposa era justamente Vanderlei Luxemburgo.

Com 7 vitórias, o Grêmio também está próximo de alcançar o recorde de vitórias em uma única edição, do Coritiba, em 2011, que venceu 9 de seus 12 jogos. Se chegar à final, o Grêmio poderá até superar essa marca.

Outro recorde a ser batido pelo Grêmio em 2012 pode ser o do melhor aproveitamento de um campeão. Até hoje, as melhores campanhas são a do próprio Grêmio de 1989 e do Corinthians de 1995. Ambos venceram 8 e empataram 2 de seus 10 jogos, ficando com um aproveitamento de 86,7% dos pontos. Para superar, o time de Luxa precisá, pelo menos, vencer três e empatar dois dos jogos restantes.

Para completar, o Grêmio tem a chance de se tornar o maior campeão da história da Copa do Brasil, com cinco conquistas. Como o Cruzeiro já foi eliminado, e divide hoje o ranking dos maiores campeões com o Grêmio, o Tricolor Gaúcho segue firme na busca pela hegemonia da Copa do Brasil.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 3 de maio de 2012 Estatísticas | 09:14

Choradeira corintiana contra arbitragem não procede

Compartilhe: Twitter

O Corinthians deixou o gramado do estádio George Capwell, em Guayaquil, reclamando fervorosamente da arbitragem do colombiano José Buitrago. Seis cartões amarelos, uma expulsão e inversão de faltas foram as principais queixas do time contra o juiz da Conmebol.

Analisando friamente, porém, o chororô corintiano foi enorme pelo fraco futebol apresentado pelo time diante do Emelec, um dos piores classificados para as oitavas de final.

O futebol da equipe do técnico Tite, um dos mais abalados contra a arbitragem, esteve muito aquém do apresentado anteriormente.

Durante a partida, o Corinthians teve sete finalizações, sendo apenas uma certa contra 12 do Emelec, que acertou quatro em direção ao gol. Apenas contra o Cruz Azul, no México, no 0 x 0, o Corinthians foi tão mal assim nas finalizações nessa Libertadores.

Além disso, o Corinthians acertou apenas 189 passes na partida. Na Libertadores, sua média na primeira fase foi de 321 passes certos por jogo. Na última partida, contra o Táchira, no Pacaembu, o time acertou 500 passes.

Contra o Emelec, o Corinthians também teve o seu maior índice de erro de passes (20,6% dos passes dados).

Além disso, o Emelec teve mais posse de bola (51% a 49%). Apenas contra o Cruz Azul nessa Libertadores o Corinthians teve menos posse de bola do que o adversário.

Na faltas, o Corinthians de ontem também esteve pior do que o usual. Em média, o time fez 16,5 faltas por jogo na primeira fase. Ontem, foram 22. Só contra o Nacional, no Paraguai, o time cometeu mais faltas (23).

O nervosismo habitual do Corinthians em jogos de mata-mata em Libertadores parece ter voltado ontem. O elevado número de cartões amarelos e a expulsão (vilões também de edições anteriores), reapareceram diante do Emelec. Na primeira fase, o Corinthians levou 7 amarelos e nenhum vermelho. Só ontem, foram 6 amarelos e uma expulsão.

Todos os cartões foram dados, aliás, com justiça pelo contestado árbitro. O primeiro, logo aos seis minutos de jogo, para o zagueiro Leandro Castan, por reclamação. Nos últimos 55 jogos que fez pelo clube, Castan levou apenas 7 amarelos. Nenhum por reclamação. Sair reclamando acintosamente no início do jogo foi muita ingenuidade do zagueiro. Nunca fez isso antes e não havia motivo para fazer aos 6 minutos de jogo.

No final do primeiro tempo, foi a vez de Jorge Henrique perder a cabeça sem motivo. Ao ser desarmado, tentou dar um botinada no adversário. Não conseguiu e depois insistiu tentando pará-lo com um empurrão numa jogada boba no meio campo. Amarelo justo.

No início do segundo tempo, foi a vez de Émerson tentar empurrar o jogador do Emelec, acertando-o ainda no rosto. A bola já estava dominada pelo time equatoriano e de nada adiantaria o atacante corintiano parar a jogada ali.

Em seguida, aos 7 minutos, Jorge Henrique parou um contra-ataque e foi expulso corretamente. No intervalo, o técnico Tite já deveria ter sacado o exaltado atacante.

Ainda no segundo tempo, Danilo deu um carrinho por trás desnecessário e levou o amarelo com justiça. Edenílson foi reclamar sem motivo e levou o amarelo na jogar. Mais tarde, Chicão parou um contra-ataque e também levou o amarelo.

Com um elenco experiente (14 jogadores já disputaram a Libertadores anteriormente e três já ganharam a competição), faltou inteligência ao Corinthians. Arbitragem confusa e tendenciosa ao time da casa é comum em Libertadores. Por erros assim, o Corinthians deu adeus à competição em edições passadas.

Em 2003, vencia o River Plate por 1 x 0, na Argentina, quando o lateral-esquerdo Kléber agrediu D’Alessandro e foi expulso. Em seguida, o time levou a virada. No jogo de volta das oitavas daquele ano, o lateral-esquerdo Roger se empolgou no clima quente do jogo e foi expulso ainda no primeiro tempo.

Pouco depois, em 2006, a história de repetiu contra o River. No primeiro jogo, na Argentina, saiu na frente, mas depois levou a virada. E ainda teve Mascherano expulso. Na volta, no Pacaembu, se descontrolou após levar o empate.

O lado bom foi que o time não sofreu gol, manteve a invencibilidade e a melhor defesa do torneio (apenas dois gols sofridos em sete jogos).

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 27 de abril de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu, História, Técnicos | 13:28

Os extraordinários números de Guardiola pelo Barcelona

Compartilhe: Twitter

O técnico Pep Guardiola anunciou hoje que deixará o Barcelona no final da temporada 2011/12. No comando do time catalão desde o dia 24 de julho de 2008, quando estreou goleando o Hibernian-ESC por 6 x 0, Guardiola revolucionou e fez história em apenas quatro temporadas.

O 50º treinador da história do Barcelona conquistou nesse período 13 de 18 campeonatos disputados. E ainda poderá vencer mais um já que está na final da Copa do Rei da Espanha.

Em quatro anos, Guardiola comandou o Barcelona em 265 partidas. Venceu 190, empatou 52 e perdeu apenas 35 (13%). Sob seu comando, o Barça marcou 676 gols (média de 2,55 por jogo) e sofreu 198 gols (0,75). Seu aproveitamento no período foi de incríveis 78% dos pontos disputados.

E ainda mais impressionante foi a regularidade de sua equipe no quesito posse de bola. Desde sua estreia, em jogos oficiais, o Barcelona jamais foi superado por outra equipe na posse de bola. A última vez que isso aconteceu foi no distante dia 8 de maio de 2008, quando o Real Madrid teve 50,5% de posse contra 49,5% do Barça, antes da era Guardiola. Em sua primeira temporada pelo Campeonato Espanhol, o Barcelona de Guardiola teve uma média de 65,5% de posse de bola. Em 2009/10, subiu para 66,6%. Em 2010/11, aumentou para 71,1%. Já na atual temporada, 2011/12, ficou na casa dos 70% (70,1%).

Técnico com mais títulos na história do Barcelona (13 até agora), Guardiola superou e muito Johan Cruyff (7 títulos), Helenio Herrera e Frank Rijkaard (6 títulos cada). Além disso, Guardiola quebrou uma série de recordes. Confira:

– 16 vitórias consecutivas no Camp. Espanhol 2010/11 (recorde da Liga e do Barça)

– 10 vitórias consecutivas fora de casa no Camp. Espanhol 2010/11 (recorde da Liga e do Barça)

– 99 pontos  no Camp. Espanhol 2009/10 (recorde da Liga e do Barça)

– 52 pontos de 57 possíveis no 1º turno no Camp. Espanhol (recorde da Liga e do Barça)

– 31 vitórias de 38 possíveis no Camp. Espanhol 2009/10 (recorde da Liga e do Barça)

– 13 vitórias fora de casa no Camp. Espanhol (2008/09 e 2009/10)

– 44 gols como visitante no Camp. Espanhol 2008/09 ((recorde da Liga e do Barça)

– 74 saldo de gols (98-24 gols em 2009/10), (recorde da Liga e do Barça)

– 35 partidas consecutivas marcando gols (recorde da Liga e do Barça)

– 28 partidas sem derrotas no Camp. Espanhol 2010/11 (recorde do Barça)

– 158 gols em um temporada oficial (2008/09), (recorde do Barça)

– 31 partidas sem derrotas na temporada 2009/10  (recorde do Barça)

– 6 títulos na temporada 2008/09  (Camp. Espanhol, Copa da Espanha, Liga dos Campeões, Supercopa Espanhola, Supercopa Europeia e Mundial de Clubes), (recorde mundial)

– 12 títulos consecutivos (recorde na Espanha e na Europa)

Veja também o resumo em cada campeonato disputado pelo Barcelona de Guardiola desde 2008/09:

Camp. Espanhol J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2008/09 38 27 6 5 105 35 81,1% Campeão
2009/10 38 31 6 1 98 24 93,1% Campeão
2010/11 38 30 6 2 95 21 90,1% Campeão
2011/12 34 25 6 3 97 26 75,1% 2º (em andamento)
Total 148 113 24 11 395 106 81,8%
Liga dos Campeões J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2008/09 13 7 5 1 32 13 66,7% Campeão
2009/10 12 6 4 2 20 10 61,1%
2010/11 13 9 3 1 30 9 76,9% Campeão
2011/12 12 8 3 1 35 10 75,0%
Total 50 30 15 5 117 42 70,0%
Copa da Espanha J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2008/09 9 7 2 0 17 6 85,2% Campeão
2009/10 4 3 0 1 9 2 75,0%
2010/11 9 5 2 2 22 6 63,0%
2011/12 8 6 2 0 23 5 83,3% Finalista
Total 30 21 6 3 71 19 76,7%
Mundial de Clubes J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2009 2 2 0 0 5 2 100% Campeão
2011 2 2 0 0 8 0 100% Campeão
Total 4 4 0 0 13 2 100%
Super. Espanhola J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2009 2 2 0 0 5 1 100% Campeão
2010 2 1 0 1 5 3 50,0% Campeão
2011 2 1 1 0 5 4 66,7% Campeão
Total 6 4 1 1 15 8 72,2%
Super. Europeia J V E D GP GC Aprov.(%) Colocação
2009 1 1 0 0 1 0 100% Campeão
2011 1 1 0 0 2 0 100% Campeão
Total 2 2 0 0 3 0 100%
Amistosos J V E D GP GC Aprov.(%)
2008/09 6 6 0 0 27 8 100%
2009/10 8 4 3 1 17 7 62,5%
2010/11 4 3 1 12 5 0 83,3%
2011/12 7 3 2 2 13 6 52%
Total 25 16 6 15 62 21 72,0%
Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 27 de março de 2012 Artilheiros, Estatísticas, Liga dos Campeões | 23:24

Kaká se aproxima de Rivaldo, o maior goleador brasileiro na Liga

Compartilhe: Twitter

Com o gol marcado hoje, contra o APOEL, nas quartas de final da Liga dos Campeões, o meia Kaká chegou a marca de 26 gols na história da competição e se tornou o segundo brasileiro com mais gols no torneio europeu desde 1955. O gol de hoje serviu para deixar Kaká a apenas um gol da marca de Rivaldo, autor de 27 gols, sem contar a fase preliminar da competição

Pelo Milan, em cinco edições de Champions League, Kaká disputou 56 jogos e marcou 23 gols. Foi semifinalista em 2006, vice em 2005 e campeão em 2007, ano em que também foi o principal artilheiro da Liga dos Campeões com 10 gols. Já pelo Real Madrid, Kaká disputou as últimas três edições. Caiu nas oitavas de final em 2010, na semifinal em 2011 e agora está praticamente garantido novamente na semifinal. Pelo clube merengue, o meia fez 16 jogos e anotou 3 gols, contando o de hoje. Assim, no total, Kaká soma 72 jogos e 26 gols.

Apesar da marca histórica, Kaká ainda está longe do seu ideal. Hoje, o meia disputou seu 86º jogo pelo Real em três temporadas e começou no banco pela 24ª vez. Cristiano Ronaldo, que chegou ao clube na mesma época, fez o seu 135º jogo, o 129º como titular. Nesse período, marcou 133 gols contra 23 de Kaká.

Confira abaixo a lista dos maiores artilheiros da história da Liga dos Campeões e da antiga Copa dos Campeões (sem contar as partidas de fases preliminares) e também os brasileiros com mais gols no torneio:

Pos. Jogador País Gols Jogos Média Anos
Raúl ESP 71 140 0,51 95-11
Van Nistelrooy HOL 56 73 0,77 98-09
Henry FRA 50 110 0,45 97-10
Di Stéfano ESP 49 64 0,77 55-64
Messi ARG 49 64 0,77 04-12
Shevchenko UCR 48 100 0,48 94-11
Eusébio POR 47 64 0,73 61-74
F. Inzaghi ITA 46 80 0,58 97-10
Del Piero ITA 42 88 0,48 95-09
10º Drogba CMA 37 71 0,52 03-12
11º Puskas HUN 36 41 0,88 72-77
12º Gerd Müller ALE 35 35 1,00 03-12
13º C. Ronaldo POR 34 77 0,44 03-12
17º Rivaldo BRA 27 73 0,37 97-07
20º Kaká BRA 26 72 0,36 04-12
21º Jardel BRA 25 42 0,60 97-01
21º Élber BRA 25 62 0,40 07-04
24º Mazzola BRA 24 28 0,86 60-76
Juninho Per. BRA 18 65 0,28 01-08
Ronaldinho BRA 18 50 0,36 01-10
Romário BRA 16 36 0,44 89-95
Roberto Carlos BRA 16 120 0,13 98-05
Ronaldo BRA 14 35 0,40 99-07
Sonny Anderson BRA 14 34 0,41 98-03
Adriano BRA 14 25 0,56 05-09
Evaristo Macedo BRA 11 20 0,45 60-65
Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 15 de março de 2012 Artilheiros, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 10:30

Luís Fabiano e os maiores artilheiros da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Ainda longe de sua melhor forma, o atacante Luís Fabiano relembrou seus bons tempos de goleador ontem, na vitória do São Paulo por 4 x 0 sobre o Independente-PA. O atacante aproveitou a fragilidade do adversário e marcou os 4 gols da vitória tricolor. Desse forma, Luís Fabiano chegou a 18 gols na história da Copa do Brasil, desde 1999, quando jogou pela Ponte Preta. Agora, o atacante figura na lista dos maiores artilheiros da competição desde 1989. O principal artilheiro, Romário, tem o dobro de gols de atacante são-paulino.

Confira a lista dos maiores artilheiro da Copa do Brasil entre 1989 e 2012:

Jogador Gols Jogos Início Final
Romário 36 46 1995 2007
Viola 29 44 1989 2005
Fred 28 30 2004 2010
Oséas 28 53 1996 2004
Paulo Nunes 28 58 1993 2001
Dodô 26 48 1995 2010
Evair 24 36 1992 2003
Deivid 24 34 2000 2011
Gérson 23 26 1989 1992
Marcelinho Carioca 23 56 1989 2004
França 22 36 1994 2002
Zinho 21 71 1989 2005
Agnaldo 20 37 1997 2005
Alecsandro 19 35 2003 2011
Luizão 19 30 1996 2006
Marcelo Ramos 19 46 1992 2008
Marques 19 50 1992 2010
Luís Fabiano 18 22 1999 2012
Euller 18 34 1993 2006
Fábio Júnior 18 29 1998 2012
Guilherme 17 36 1998 2005
Valdir 17 39 1992 2004

.

Autor de 4 gols ontem, Luís Fabiano ficou próximo do seu próprio recorde, de 5 gols, em um único jogo, justamente na Copa do Brasil. Em 2003, o atacante marcou cinco vezes na goleada de 6 x 0 sobre o São Raimundo-AM, também no Morumbi.

Confira abaixo os recordistas de gols em um único jogo na história da Copa do Brasil:

5 gols

Gérson (Atlético-MG)
28/2/1991
Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI

Viola (Santos)
10/3/1999
Santos 6 x 0 Sinop-MT

Luís Fabiano (São Paulo)
12/3/2003
São Paulo 6 x 0 São Raimundo-AM

Obina (Atlético-MG)
24/2/2010
Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG

Neymar (Santos)
14/4/2010
Santos 8 x 1 Guarani

4 gols

Gilson (Grêmio)
24/3/1993
Grêmio 5 x 2 Sorriso-MT

Rudnei (Internacional)
6/4/1993
Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO

Paulo Rink (Atlético-PR)
20/2/1997
CSA 2 x 6 Atlético-PR

Viola (Palmeiras)
15/4/1997
Ceará 2 x 5 Palmeiras

Romário (Flamengo)
9/4/1998
Flamengo 5 x 2 Vitória

Flávio (Juventude)
7/4/1999
Juventude 6 x 0 Fluminense

Washington (Ponte Preta)
21/3/2001
Ponte Preta 8 x 1 Castanhal-PA

Zé Carlos (Guarani)
22/3/2001
Guarani 4 x 1 Caxias-RS

Washington (Ponte Preta)
23/5/2001
Ponte Preta 5 x 2 Fortaleza

Gil Baiano (Brasiliense)
6/4/2002
Brasiliense 4 x 1 Confiança-SE

Fred (Cruzeiro)
16/2/2005
Sergipe 0 x 7 Cruzeiro

Perea (Grêmio)
27/2/2008
Grêmio 6 x 0 Grêmio Jaciara-MT

Rafael Moura (Goiás)
31/3/2010
Goiás 7 x 0 São José-AP

Adriano (Palmeiras)
2/3/2011
Palmeiras 5 x 1 Comercial-PI

Luís Fabiano (São Paulo)
14/3/2012
São Paulo 4 x 0 Independente-PA

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 12 de março de 2012 Estatísticas | 16:16

Palmeiras, Juventus-ITA e as maiores invencibilidades

Compartilhe: Twitter

Com a vitória por 6 x 2, ontem, pelo Campeonato Paulista, o Palmeiras manteve a sua invencibilidade na competição, chegando a 13 jogos sem derrota na temporada de 2012. E com os cinco jogos sem derrota na reta final do Brasileirão, o time de Felipão já soma 18 jogos sem saber o que é perder. Curiosamente, o time não perdeu mais depois de amargar uma sequência de 10 partidas sem vitória no Brasileirão, sua pior marca na história da competição.

No Brasil, dos 248 clubes dos 22 estaduais que já começaram, apenas 10 clubes ainda não perderam. No Acre, foi disputada apenas a primeira rodada.  Só nos estaduais, a maiores invencibilidades são do Fortaleza, Coritiba e Cianorte-PR, que já jogaram 14 partidas. Somando os jogos dos final de 2011, a maior sequência invicta do país é mesmo do Palmeiras, que não perde há 18 jogos. Os outros clubes que ainda não perderam foram: Botafogo (12 jogos); Atlético-MG (6); Luziânia-DF, Aquidauanense-MS e Itaporã-MS (5); Tocantinópolis-TO; e Guaraí-TO (4).

Na Europa, a Juventus defende a maior invencibilidade com 30 jogos sem derrota na temporada 2011/12. Pelo Campeonato Italiano, onde é vice-líder, a Juve não perdeu em 27 jogos (13 vitórias e 14 empates). O time de Turim está a 4 pontos do Milan, que já perdeu quatro vezes. Pela Copa da Itália, a Juventus não perdeu (ganhou do Bologna, Roma e Milan).

Caso consiga o scudetto no Italiano sem perder, a Juventus irá igualar o seu feito de 1905 e quebrar uma marca que já dura 20 anos (o último campeão invicto na Itália foi o Milan, na temporada 1991/92). Mas para quebrar o recorde de invencibilidade no Campeonato Italiano ainda falta bastante para a Juventus. Contando o útimo jogo da temporada passada, o clube soma 28 jogos em derrota. Para alcançar o recordista Milan, que ficou 58 jogos sem perder entre 26/5/1991 e 14/3/1993, ainda faltam 30 jogos. A Juve teria que passar o restante dessa temporada (11 jogos) e mais 19 rodadas da próxima sem perder para superar. Difícil.

Na atual temporada (2011/12) dos campeonatos nacionais disputados na Europa, apenas quatro clubes ainda não perderam. Além da Juventus-ITA e seus 27 jogos, ainda não foram derrotados o Dínamo Kiev-UCR (22 jogos), o Sheriff-ROM (19) e o Debreceni-HUN (também 19 jogos). Na Alemanha, o líder Borussia Dortmund, que começou mal a temporada, já soma 19 jogos sem derrota e a nove rodadas para o fim da Bundesliga já abriu 5 pontos sobre o Bayern Munique, ficando muito próximo do bicampeonato.

No Campeonato Espanhol, o Real Madrid chegou a sua 11ª vitória consecutiva, superando a sequência de 10 vitórias seguidas no primeiro turno. Com 10 pontos de vantagem sobre o Barcelona, o Real está próximo de tirar o tri do Barcelona. Faltando 12 rodadas para o final do campeonato, o time de José Mourinho poderá ainda alcançar marcas históricas nessa temporada. Com 23 vitórias, precisa de mais 9 em 12 jogos para quebrar o recorde de vitórias em uma só edição. Em 2009/10, Barça e Real conseguiram 31 vitórias cada. E com mais 4 vitórias fora de casa, poderá superar o Barça, que conseguiu 14 vitórias como visitante na temporada passada. Agora, caso vença seus próximos cinco jogos, o Real iguala a marca de vitórias consecutivas do Barcelona (16), também da temporada 2010/11.

Já na Argentina, o Boca Juniors-ARG perdeu sua invencibilidade de 36 jogos no campeonato nacional ao ser derrotado num jogaço contra o Independiente. Depois de sair perdendo no primeiro tempo por 3 x 1, o Boca virou para 4 x3 na segunda etapa, mas levou a virada com gols de Farías, ex-Cruzeiro, aos 44 e aos 49 minutos. Curiosamente, o jogo marcou o encontro entre o líder Boca e o lanterna Independiente, que havia perdido todos os seus quatro jogos no Torneo Clausura. Desde a era do profissionalismo, essa foi a 10ª partida em que o Boca levou 5 gols ou mais em seu temido estádio. A última vez foi em 1996, quando apanhou de 6 x 0 do Gimnasia La Plata. Curiosamente, naquele dia, Guillermo Schelloto marcou três gols na Bombonera, feito repetido ontem por Farías.

As outras vezes em que o Boca levou cinco ou mais gols em casa foram: 4 x 6 Racing (1995); 1 x 6 San Martín de Tucumán (1988); 1 x 5 Newell’s Old Boys (1987); 2 x 5 Independiente (1980); 2 x 5 River Plate (1980); 1 x 5 Gimnasia de Mendoza (1978); 3 x 5 San Lorenzo (1975); e 2 x 5 San Lorenzo (1943).

Antes de Farías, outro jogador havia marcado três gols no Boca Juniors em plena Bombonera. Há um ano, Denis Stracqualursi, do Tigre, marcou os três gols do seu time no empate por 3 x 3.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sexta-feira, 9 de março de 2012 Artilheiros, Estatísticas, Futebol Europeu, História | 13:31

Os maiores artilheiros da história do Barcelona

Compartilhe: Twitter

Autor de 10 gols pelo Barcelona nas últimas três partidas que fez e de 48 gols pelo clube catalão na temporada, o argentino Lionel Messi, de apenas 24 anos, se aproxima cada vez mais de se tornar o maior artilheiro da história do clube.

Com os 5 gols que marcou na vitória de 7 x 1 sobre o Bayer Leverkusen, na última quarta feira, Messi chegou a marca de 245 pelo clube espanhol. Assim, figura na 5 colocação na lista dos maiores artilheiros desde 1899. Isso contanto jogos oficiais e amistosos. O primeiro da lista é o filipino Paulino Alcántara, que jogou pelo Barça no início do século passado e marcou 357 gols em incríveis 357 jogos. Porém, 220 deles foram em jogos amistosos. Como o Campeonato Espanhol começou apenas em 1929, Alcántara fez seus gols oficiais apenas pela Copa del Rey (a Copa da Espanha) e pelo Campeonato da Catalunha.

Para Messi alcançá-lo, ainda faltam 112 gols. Mas se continuar no ritmo que anda, em mais duas temporadas o argentino chega lá. Na temporada passada (2010/11), o atacante marcou 53 gols. Na atual (2011/12), já marcou 48 gols. Assim, nas últimas duas, somou 101 gols.

Veja a tabela dos maiores artilheiros da história do Barcelona:

Pos. Jogador País Gols Período
Paulino Alcántara Filipinas 357 1912–16  e 1918–27
Josep Samitier Espanha 326 1918–1933
César Rodríguez Espanha 294 1942–1955
Kubala Hungria 274 1950–1961
Messi Argentina 245 2004–2012
Josep Escolà Espanha 223 1934–1949
Ángel Arocha Espanha 214 1926–1933
Vicenç Martínez Espanha 200 1912–1923
Carles Rexach Espanha 195 1965–1981
10º Mariano Martín Espanha 188 1939–1946
11º Evaristo de Macedo Brasil 178 1957-1962
Outros
15º Stoichkov Bulgária 168 1990–95 e 1996–98
22º Rivaldo Brasil 136 1997-2002
23º Eto’o Camarões 130 2004-2009
28º Kluivert Holanda 122 1998-2004
38º Koeman Holanda 105 1989-2005
42º Michael Ladrup Dinamarca 97 1989-1994
44º Ronaldinho Brasil 95 2003-2008
51º Cruyff Holanda 83 1973-1978
64º Figo Portugal 62 1995-2000
67º Lineker Inglaterra 58 1986-1989
71º Romário Brasil 53 1993-1995
72º Henry França 50 2007-2010
78º Ronaldo Brasil 48 1996-1997
83º Maradona Argentina 45 1982-1984

.

Agora, apenas em jogos oficiais, Messi está muito perto de se tornar o maior artilheiro do Barcelona. Faltam apenas 8 gols para superar César Rodríguez. Essa conta, porém, não é muito comum aqui no Brasil. Apenas na Europa, onde praticamente não são consideradas estatísticas em jogos amistosos.

Pelé, por exemplo, tem 720 gols oficiais dos 1281 gols que marcou na carreira. Já Romário, tem até mais gols oficiais (734) de sua conta de 1002 gols.

Confira a lista dos maiores artilheiros do Barcelona em jogos oficiais:

Pos. Jogador País Gols Período
César Rodríguez Espanha 235 1942–1955
Messi Argentina 228 2004–2012
Kubala Hungria 194 1950–1961
Josep Samitier Espanha 178 1919–1932
Josep Escolà Espanha 167 1934–1949
Paulino Alcántara Filipinas 137 1912–16  e 1918–27
Ángel Arocha Espanha 134 1926–1933
Eto’o Camarões 130 2004–2009
Rivaldo Brasil 130 1997–2002
10º Mariano Martín Espanha 124 1940–1948

.

Apenas pelo Campeonato Espanhol, Messi tornou-se esse ano o segundo maior artilheiro do clube desde 1929, ficando atrás justamente de César Rodríguez. Hoje, a diferença entre eles é de 48 gols. Nos últimos dois espanhois, Messi marcou 59 gols. Continuando assim, talvez, em mais um temporada e meia já supera o ataque dos anos 40 e 50.

No Brasil, Roberto Dinamite é o maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro com 190 gols. Na Espanha, o recordista é Telmo Zarra, que fez 251 gols pelo Athletic Bilbao entre 1940 e 1955.

Confira quais são os maiores artilheiros do Barcelona no Campeonato Espanhol desde 1929:

Pos. Jogador País Gols Período
César Rodríguez Espanha 195 1942–1955
Messi Argentina 147 2004–2012
Kubala Hungria 131 1950–1961
Eto’o Camarões 108 2004–2009
Mariano Martín Espanha 97 1939–1948
Kluivert Holanda 90 1998–2004
Basora Espanha 89 1946–1958
Rivaldo Brasil 87 1997–2002
Josep Escolà Espanha 86 1934–1949
10º Stoichkov Bulgária 83 1990–95 e 1996–98

.

Já em partidas internacionais oficiais (Mundial de Clubes, Liga dos Campeões, Recopa Europeia, Copa da Uefa/Liga Europa e Supercopa Europeia), Messi é o primeirão da lista com 54 gols. Pela Liga dos Campeões foram 49 gols. O brasileiro Rivaldo, com 31 gols, sendo 25 na Liga dos Campeões, é o segundo. Confira os dez primeiros colocados:

Pos. Jogador País Gols Período
Messi Argentina 54 2004–2012
Rivaldo Brasil 31 1997–2002
Luis Enrique Espanha 27 1996–2004
Evaristo de Macedo Brasil 27 1957–1962
Kluivert Holanda 26 1998–2004
Carles Rexach Espanha 25 1965–1981
Stoichkov Bulgária 23 1990–95 e 1996–98
José Zaldúa Espanha 22 1961–1971
Kocsis Hungria 21 1958–1965
10º Ronaldinho Brasil 19 2003–2008

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 7 de março de 2012 Copa Libertadores, Estatísticas, História | 23:03

Neymar já o 4º maior artilheiro do Santos em Libertadores

Compartilhe: Twitter

O atacante Neymar cada vez mais vem fazendo história com a camisa do Santos. Hoje, no dia em que completou três anos de sua estreia como profissional, ele fez os três gols do Santos na vitória sobre o Internacional por 3 x 1, na Vila Belmiro.
O feito igualou a marca de dois gênios do clube dos anos 60: Pelé e Coutinho. O Rei, aliás, conseguiu marcar três gols em dois jogos (o chamado hat-trick na Inglaterra ou triplete, na Espanha), em duas oportunidades. O recorde santista, porém, é do argentino Molina, que fez 4 gols no San José-BOL em 2008.

Na goleada do Santos por 9 x 1 sobre o Cerro Porteño-PAR, em 1962, Coutinho marcou três gols. Essa goleada, aliás, e a maior de um clube brasileiro na história da Libertadores de 1960. Já os jogos em que Pelé marcou 3 gols foram esses: Botafogo 0 x 4 Santos (semifinal de 1963) e Universidad de Chile 1 x 5 Santos (em 1965).

Artilheiro do Santos na campanha do título de 2011, com 6 gols, Neymar chegou aos 9 gols depois da exibição de gala de hoje. Assim, já é o quarto maior artilheiro do clube na história da competição sul-americana, ao lado de Ricardo Oliveira, que foi artilheiro da Libertadores de 2003 com 9 gols.

Veja abaixo os maiores artilheiros do Santos em suas 11 participações (1962, 1963, 1964, 1965, 1984, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011 e 2012):
1º – Pelé (17 gols)
2º – Robinho (14 gols)
3º – Coutinho (11 gols)
4º – Neymar e Ricardo Oliveira (9 gols)
6º – Diego e Pepe (8 gols)
8º – Kléber Pereira e Zé Roberto (7 gols)
10º – Basílio, Dorval, Elano, Molina e Ricardinho (6 gols)
15º – Alex, Deivid e Marcos Aurélio (5 gols)
18º – Danilo e Lima (4 gols)
20º – Cléber Santana, Léo, Mengálvio, Nenê, Pagão, Peixinho e Rodrigo Tiuí (3 gols)

E com os três gols que marcou na vitória sobre o Inter, Neymar chegou a marca de 90 gols com a camisa do Santos em 168 jogos (média de 0,54 por partida). O atacante é o 25º maior artilheiro da história do clube e o 5º após a Era Pelé. O próximo da lista a ser ultrapassado é Robinho, que fez 94 gols em 213 jogos (0,44).

Neymar entrou também para um seleto grupo de jogadores de clubes brasileiros a marcar três ou mais gols em um único jogo de Libertadores. O recordista continua sendo Fernando Baiano, do Corinthians, que marcou 5 gols em 1999. Na história da Libertadores, porém, o boliviano Juan Carlos Sánchez, do Blooming, em 1985, é o recordista com 6 gols.

Confira quais são os jogadores com três ou mais gols por clubes brasileiros na história da Libertadores:
5 gols
Fernando Baiano (Corinthians 8 x 2 Cerro Porteño-PAR, 10/3/1999)

4 gols
Jairzinho (Cruzeiro 7 x 1 Alianza Lima-PER, 12/5/1976)
Guilherme (Atlético-MG 6 x 0 Cobreloa-CHI, 5/4/2000)
Molina (Santos 7 x 0 San José-BOL, 1/4/2008)

3 gols
Pedro Rocha (São Paulo 5 x  0 Jorge Wilstermann-BOL, 8/5/1974)
Zenon (Guarani 6 x 1 Universitario-PER, 11/4/1979)
Zico (Flamengo 4 x 2 Cerro Porteño-PAR, 11/8/1981)
Zico (Flamengo 7 x 1 Blooming-BOL, 22/4/1983)
Robertinho (Flamengo 7 x 1 Blooming-BOL, 22/4/1983)
Edmar (Flamengo 3 x 1 Junior-COL, 10/5/1984)
Palhinha (Cruzeiro 7 x 1 Alianza Lima-PER, 12/5/1976)
Paulo Sérgio (Corinthians 4 x 1 Bella Vista-URU, 29/3/1991)
Palhinha (São Paulo 3 x 0 San José-BOL, 17/3/1992)
Everaldo (Criciúma 5 x 0 San José-BOL, 10/4/1992)
Jardel (Grêmio 5 x 0 Palmeiras, 26/7/1995)
Carlos Miguel (Grêmio 4 x 0 Alianza Lima-PER, 4/3/1997)
Dinei (Corinthians 4 x 0 Olimpia-PAR, 9/4/1999)
Luizão (Corinthians 6 x 0 LDU Quito-EQU, 14/3/2000)
Lopes (Palmeiras 3 x 3 Cruzeiro, 23/5/2001)
Oséas (Cruzeiro 5 x 0 Sporting Cristal-PER, 10/4/2001)
Rodrigo Mendes (Oriente Petrolero-BOL 2 x 4, 7/2/2002)
Rodrigo Mendes (Grêmio 3 x 2 Oriente Petrolero-BOL, 28/2/2002)
Thiago Neves (Fluminense 3 x 1 LDU Quito-EQU, 2/7/2008)
Thiago Ribeiro (Cruzeiro 3 x 1 Nacional-URU, 29/4/2010)
Neymar (Santos 3 x 1 Internacional, 7/3/2012)
.
.
.

Autor: Tags:

segunda-feira, 5 de março de 2012 Confrontos, Copa Libertadores, Estatísticas, História, Sem categoria | 16:37

Santos defende tabu contra Internacional na Vila Belmiro

Compartilhe: Twitter

Santos e Internacional farão na próxima quarta, às 19h45, um dos jogos mais aguardados dessa fase de grupos da Libertadores. Lado a lado, os dois últimos campeões da competição. Além disso, o duelo vem repleto de marcas que só enriquecem o confronto.

Desde o dia 12/5/1935, data do primeiro confronto, Santos e Internacional já se enfrentaram 58 vezes, com 23 vitórias para o Peixe, 15 empates e 20 vitórias do Colorado. O Santos marcou 77 gols e sofreu 75.

Curiosamente, em 14 jogos na Vila Belmiro, palco de jogo de quarta, o Santos nunca perdeu para o Inter. Veja o tabu:

Data Santos
x
Inter Competição
05/11/1989 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
30/03/1992 Santos 4 x 0 Inter Brasileiro
09/11/1994 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
26/03/1997 Santos 2 x 0 Inter Copa do Brasil
30/08/1998 Santos 2 x 0 Inter Brasileiro
27/02/2002 Santos 3 x 3 Inter Copa do Brasil
25/05/2003 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
20/06/2004 Santos 3 x 0 Inter Brasileiro
06/08/2006 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
05/09/2007 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
16/11/2008 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
26/08/2009 Santos 3 x 3 Inter Brasileiro
13/10/2010 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
21/05/2011 Santos 1 x 1 Inter Brasileiro

Na Vila Belmiro, aliás, o Santos defende uma invencibilidade de 15 jogos (14 vitórias e um empate). A última derrota foi em 2005, diante do Atlético-PR (0 x 2), pelas quartas de final.

Da última vez que se enfrentaram, Inter e Santos fizeram um jogaço no Beira-Rio. Depois de abrir 3 x 0, com gols de Bolívar e Leandro Damião no primeiro tempo e Oscar, aos 26 do segundo, o Inter foi surpreendido e levou o empate. Borges diminuiu aos 31, Alan Kardec fez o segundo aos 35 e Borges, novamente, empatou aos 41 minutos.

O jogo irá marcar também o confronto entre Muricy Ramalho, ex-técnico do Inter, e Dorival Júnior, que já dirigiu o Santos. Muricy, que comandou o Colorado em 2003 e depois em 2004 e 2005, encontrará com quatro jogadores remanescentes de sua época (Índio, Tinga, Bolívar e Renan. Já Dorival, que foi campeão paulista e da Copa do Brasil com o Santos em 2010, tem um grupo maior de ex-companheiros de trabalho: dez (Rafael, Vladimir, Maranhão, Edu Dracena, Durval, Bruno Rodrigo, Léo, Arouca, Ganso e Neymar).

No confronto direto entre os treinadores, Muricy, porém, leva vantagem. Em dez jogos, venceu seis, empatou dois e perdeu outros dois. E dos últimos oitos confrontos, não perdeu para Dorival. Confira:

Data Dorival Muricy
22/11/2003 Figueirense 3 x 2 Internacional
16/05/2004 Figueirense 1 x 0 São Caetano
17/07/2005 Juventude 2 x 5 Internacional
22/07/2007 Cruzeiro 1 x 2 São Paulo
21/10/2007 Cruzeiro 0 x 1 São Paulo
25/05/2008 Coritiba 1 x 1 São Paulo
24/08/2008 Coritiba 2 x 2 São Paulo
18/07/2010 Santos 0 x 1 Fluminense
16/07/2011 Atlético-MG 1 x 2 Santos
31/08/2011 Internacional 3 x 3 Santos

Mas nem tudo está a favor do Santos nesse jogo. Contra equipes brasileiras pela Libertadores, o Peixe não tem um retrospecto tão bom. Em oito jogos, ganhou dois, empatou um e perdeu cinco. Veja:

Data Jogo v, e, d
22/08/1963 Santos 1 x 1 Botafogo e
28/08/1963 Botafogo 0 x 4 Santos v
11/03/1984 Flamengo 4 x 1 Santos d
20/04/1984 Santos 0 x 5 Flamengo d
01/06/2005 Atlético-PR 3 x 2 Santos d
15/06/2005 Santos 0 x 2 Atlético-PR d
30/05/2007 Grêmio 2 x 0 Santos d
06/06/2007 Santos 3 x 1 Grêmio v

xxx

Porém, o confronto contra brasileiros pela Libertadores também não é tão favorável ao Inter. Em 18 jogos, ganhou cinco, empatou seis e perdeu sete. Confira:

Data Jogo v, e, d
07/03/1976 Cruzeiro 5 x 4 Inter d
28/03/1976 Inter 0 x 2 Cruzeiro d
03/04/1977 Corinthians 1 x 1 Inter e
24/04/1977 Inter 1 x 0 Corinthians v
03/07/1977 Cruzeiro 1 x 0 Inter d
24/07/1977 Inter 0 x 0 Cruzeiro e
23/03/1980 Vasco 0 x 0 Inter e
20/04/1980 Inter 2 x 1 Vasco v
21/02/1989 Inter 1 x 2 Bahia d
14/03/1989 Bahia 0 x 1 Inter v
19/04/1989 Inter 1 x 0 Bahia v
26/04/1989 Bahia 0 x 0 Inter e
11/02/1993 Inter 0 x 0 Flamengo e
10/03/1993 Flamengo 3 x 1 Inter d
08/08/2006 São Paulo 1 x 2 Inter v
16/08/2006 Inter 2 x 2 São Paulo e
28/07/2010 Inter 1 x 0 São Paulo v
05/08/2010 São Paulo 2 x 1 Inter d

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu | 13:12

Curiosidades sobra a 28ª Copa das Nações Africanas

Compartilhe: Twitter

Começa amanhã a 28ª edição da Copa nas Nações Africanas. Talvez o terceiro torneio continental de maior importância entre seleções, atrás da Eurocopa e da Copa América. Disputada a cada dois anos, a Copa da África ou CAN-2012 será realizada em duas sedes: Guiné Equatorial e Gabão até o dia 12 de fevereiro. Essa será a segunda vez que a CAN será realizada em dois países. A primeira foi em 2000, quando Gana a Nigéria substituíram Zimbábue.

A edição de 2012 será a última em que o torneio será disputado em anos pares. A partir de 2013, a competição sempre acontecerá em anos ímpares. A próxima edição será realizada na África do Sul. Já em 2015, o anfitrião será Marrocos.

Dos 55 países filiados a Confederação Africana, apenas 16 finalistas estarão na disputa. Destes, apenas cinco já conquistaram a Copa anteriormente: Gana (quatro vezes) e Costa do Marfim, Marrocos, Tunísia e Sudão (uma vez cada). O atual tricampeão Egito está fora da disputa, assim como outros favoritos como Camarões, Nigéria e Argélia. Por outro lado, Guiné Equatorial (país sede), Niger e Botswana irão disputar a fase final do torneio pela primeira vez.

Confira abaixo grupos e o desempenho anterior dos 16 finalistas de 2012:

País Participações Melhor colocação Ranking da Fifa
Grupo A
G. Equatorial 0 Estreante 151º
Líbia 2 Vice (1982) 63º
Senegal 11 Vice (2002) 44º
Zâmbia 14 Vice (1974 e 1994) 79º
Grupo B
Angola 5 Quartas de final (1998 e 2010) 84º
Burkina Fasso 7 Semifinal (1998) 62º
C. do Marfim 18 Campeão (1992) 16º
Sudão 7 Campeão (1970) 112º
Grupo C
Gabão 4 Quartas de final (1996) 77º
Marrocos 13 Campeão (1976) 60º
Níger 0 Estreante 98º
Tunísia 14 Campeão (2004) 60º
Grupo D
Botsuana 0 Estreante 96º
Gana 17 Campeão (1963, 65, 78, 82) 29º
Guiné 9 Vice (1976) 79º
Mali 6 Vice (1972) 67º

.

Entre as seleções favoritas ao título, Gana e Costa do Marfim largam na frente. Os dois países, aliás, são aqueles que mais contam com jogadores nos principais clubes da Europa. No elenco de Gana, os destaques são John Mensah (Lyon-FRA), Andre Ayew (Olympique de Marselha-FRA), Muntari (Internazionale-ITA), Vorsah (Hoffenhein-ALE), Badu e Kwadwo Asamoah (ambos da Udinese-ITA), além do Asamoah Gyan (do Al Ain, dos Emirados Árabes). As grandes ausências são Michael Essien, do Chelsea, e Boateng, do Milan, que preferiram ficar em seus clubes.

Já no elenco de Costa do Marfim, as estrelas são Drogba e Kalou (Chelsea-ING), Yaya Touré e Kolo Touré (Manchester City-ING), Gervinho (Arsenal-ING), Doumbia (CSKA Moscou-RUS), Tiéné (Paris Saint-Germain-FRA), e Keita (Al Sadd-CAT).

Dos 368 jogadores inscritos para a Copa das Nações Africana de 2012, 179, quase metade, jogam na Europa. São 61 na França, 16 na Espanha, 15 na Inglaterra, 15 na Turquia e 14 na Alemanha.

Veja aqui a relação dos 23 convocados de cada seleção (elencos CAN 2012).

Curiosidades:

– Três duplas de irmãos disputarão a Copa da África de 2012: Yaya e Kolo Touré, da Costa do Marfim; Andre e Jordan Ayew, de Gana, filhos de Abedi Pelé; e Betrand e Alain Touré, de Burkina Fasso.

– O Egito é o maior campeão da Copa Africana. Os faraós venceram 7 finais e são os atuais tricampeões do torneio. Em 2006, bateram Costa do Marfim na decisão. Em 2008, venceram Camarões  e em 2010, superaram Gana na decisão.

– Gana e Camarões aparecem na segunda posição no ranking de títulos, com 4 conquistas cada. O último título ganês, porém, foi há 30 anos, em 1982. Já os camaroneses venceram pela última vez em 2002, quando foram bicampeões.

– O jogo com mais gols na fase final, desde 1957, foi Egito 6 x 3 Nigéria, em 1963.

– O recordista de gols em uma única partida é Laurent Pokou, que anotou cinco gols, quando Costa do Marfim goleou a Etiópia por 6 x 1, em 1970.

– O gol mais rápido da Copa das Nações Africanas saiu em 1994. O egípcio Ayman Mansour abriu o placar aos 23 segundos no jogo contra o Gabão, no estádio El Menzah, na Tunísia.

– O jogador com mais partidas na CAN é Rigobert Song, zagueiro de Camarões, que disputou 36 jogos entre 1996 e 2010. Song é também o recordista de participações (oito), ao lado de Ahmed Hassan, do Egito.

– O técnico de Guiné Equatorial é o brasileiro Gílson Paulo, 62 anos, que assumiu no lugar do francês Henri Michel (carrasco do Brasil na Copa de 1986 e nas Olimpíadas de 2000).

– Guiné Equatorial conta também com outro brasileiro: o goleiro Danilo, que joga no América, de Pernambuco. Danilo joga por Guiné desde 2006, quando foi convencido pelo técnico brasileiro Antônio Dumas a se naturalizar. Outro brasileiro que já jogou por lá foi André Neles, o André Balada.

– Outro técnico brasileiro na Copa das Nações Africanas de 2012 é Marcos Paquetá, que irá dirigir a Líbia. Paquetá foi campeão mundial Sub-17 e Sub-20 com a Seleção Brasileira em 2003.

– Em 1980, o técnico brasileiro Otto Gloria foi campeão com a seleção da Nigéria.

– O camaronês Roger Milla, destaque na Copa do Mundo de 1990, foi artilheiro da Copa Africana em 1986 e em 1988.

– Outro camaronês, o atacante Eto’o, hoje no Anzhi, da Rússia, foi o artilheiro em 2006 e 2008.

– O recordista de gols em uma única edição foi Mulamba Ndaye, do antigo Zaire, com 9 gols em 1974.

Autor: Tags:

terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Artilheiros, Estatísticas | 12:45

Adriano: cinco jogos incompletos e uma finalização certa

Compartilhe: Twitter

O atacante Adriano está prestes a completar 10 meses de Corinthians. Contratado no dia 25 de março de 2011, o Imperador, no entanto, pouco fez pelo clube. E a cada dia parece mais distante de ser titular do time e de fazer gols. Ainda bem fora de forma (fala-se em 104 kg), Adriano teve uma apresentação fraquíssima diante dos reservas do Flamengo, no segundo tempo do amistoso realizado no domingo. Em 45 minutos, o atacante não deu um chute a gol. Assim, como já havia feito contra o Atlético-GO e o Atlético-PR no último Brasileiro.

Aliás, desde que chegou ao Corinthians, o jogador disputou somente cinco partidas desde março de 2011. Desde sua estreia diante do Atlético-GO (no dia 9 de outubro de 2011), o Imperador ficou em campo por pouco mais de 120 minutos. Sempre entrando na segunda etapa, Adriano conseguiu finalizar apenas três vezes nesses cinco jogos. Contra o Botafogo, em seu segundo jogo, cabeceou duas vezes para fora. Já contra o Atlético-MG, fez um gol em sua única finalização certa até agora. Sua média, por enquanto, é de apenas uma finalização a cada 40 minutos em campo.

Com apenas 29 anos, Adriano foi titular pela última vez no dia 18 de dezembro de 2010, na derrota do seu time, a Roma, para o Milan, pelo Campeonato Italiano. Pela Roma, aliás, o atacante disputou apenas 8 jogos, sendo dois como titular. Ainda assim, acabou substituído nas duas partidas. Para piorar, não fez gol por lá e teve o contrato rescindido.

Adriano jogou uma partida completa pela última vez no dia 20 de maio de 2010, quando o Flamengo foi eliminado pela Universidade de Chile, nas quartas de final da Libertadores daquele ano. O jogo marcou sua despedida do Flamengo, clube pelo qual teve sua última sequência de jogos inteiros. Desde maio de 2010, então, Adriano não joga duas partidas seguidas. De junho de 2010 a janeiro de 2012, Adriano disputou apenas 13 jogos (por Roma e Corinthians), foi titular de apenas dois (pela Roma) e marcou somente um gol (pelo Corinthians).

Especula-se que Adriano recebe R$ 300 mil por mês de salário, mais direito de imagem no Corinthians. Será que vale a pena?

Autor: Tags: ,

terça-feira, 13 de dezembro de 2011 Artilheiros, Estatísticas | 10:09

Fred, Damião, Neymar e os artilheiros dos clubes na temporada de 2011

Compartilhe: Twitter

Na temporada de 2011 do futebol brasileiro, vários goleadores se destacaram e terminaram o ano como artilheiros de suas equipes. Entre eles, Fred (Fluminense), Borges e Neymar (Santos), Liédson (Corinthians) e Leandro Damião (Inter). Dos 20 clubes que disputaram a Série A em 2011, o jogadores que mais fez gols por um só clube foi Leandro Damião, com 38 gols, seguido de Fred (34 gols).

Proporcionalmente, Damião foi o atacante que mais contribuiu para os gols de seu time, anotando 32,8% dos 116 gols. Entre os principais artilheiros, curiosamente, alguns deles terminaram o ano em baixa, como Kléber (dispensado pelo Palmeiras) e Dagoberto (vendido ao Inter). Outros, acabaram se tornando artilheiros dos clubes mesmo sendo reservas no final da temporada, como Magno Alves (Atlético-MG), Marcelo Nicácio (Ceará), Héber (Figueirense) e Bernardo (Vasco). Entre esses principais artilheiros, alguns deles atuam em posições defensivas, como o zagueiro Antônio Carlos (Botafogo), os volantes Paulinho (Corinthians) e Marcos Assunção (Palmeiras), e o goleiro Rogério Ceni (São Paulo). Uma outra curiosidade nessa lista é a presença de Borges entre os principais artilheiros do Santos e do Grêmio na temporada.

Confira abaixo a lista dos três principais artilheiros de um dos 20 participantes do Brasileirão na temporada de 2011:

América-MG (51 jogos, 78 gols, média de 1,53 por partida)
Fábio Júnior (18 gols), Kempes (13 gols) e Alessandro (8 gols)

Atlético-GO (64 jogos, 99 gols, média de 1,55 por partida)
Marcão (16 gols), Felipe (15 gols) e Anselmo (12 gols)

Atlético-MG (59 jogos, 102 gols, média de 1,73 por partida)
Magno Alves (18 gols), Neto Berola (13 gols) e Renan Oliveira (8 gols)

Atlético-PR (69 jogos, 99 gols, média de 1,43 por partida)
Paulo Baier (18 gols), Guerrón (14 gols) e Nieto (12 gols)

Avaí (67 jogos, 94 gols, média de 1,40 por partida)
William (28 gols), Rafael Coelho (18 gols) e Marquinhos Gabriel (7 gols)

Bahia (64 jogos, 85 gols, média de 1,33 por partida)
Souza (18 gols) e Jóbson e Rafael (6 gols)

Botafogo (64 jogos, 99 gols, média de 1,55 por partida)
Loco Abreu (26 gols), Herrera (15 gols) e Antônio Carlos e Caio (7 gols)

Ceará (75 jogos, 121 gols, média de 1,61 por partida)
Marcelo Nicácio (23 gols), Washington (18 gols) e Felipe Azevedo e Thiago Humberto (11 gols)

Corinthians (63 jogos, 90 gols, média de 1,43 por partida)
Liédson (23 gols), Paulinho (11 gols) e Willian (10 gols)

Coritiba (72 jogos, 142 gols, média de 1,97 por partida)
Bill (27 gols), Marcos Aurélio (20 gols) e Davi (18 gols)

Cruzeiro (61 jogos, 115 gols, média de 1,89 por partida)
Montillo (21 gols), Wallyson (17 gols) e Thiago Ribeiro (13 gols)

Figueirense (59 jogos, 94 gols, média de 1,59 por partida)
Héber (12 gols), Júlio César (11 gols) e Wellington Nem (9 gols)

Flamengo (67 jogos, 104 gols, média de 1,55 por partida)
Deivid, Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves (21 gols)

Fluminense (63 jogos, 108 gols, média de 1,71 por partida)
Fred (34 gols), Rafael Moura (21 gols) e Rafael Sóbis (10 gols)

Grêmio (71 jogos, 113 gols, média de 1,59 por partida)
Douglas (16 gols), André Lima (15 gols) e Borges (10 gols)

Internacional (69 jogos, 116 gols, média de 1,68 por partida)
Leandro Damião (38 gols), D’Alessandro (15 gols) e Oscar (13 gols)

Palmeiras (51 jogos, 78 gols, média de 1,53 por partida)
Kléber (16 gols), Luan (11 gols) e Marcos Assunção (10 gols)

Santos (75 jogos, 120 gols, média de 1,60 por partida)
Borges e Neymar (23 gols) e Elano (15 gols)

São Paulo (70 jogos, 112 gols, média de 1,60 por partida)
Dagoberto (22 gols), Lucas (13 gols) e Rogério Ceni (8 gols)

Vasco (74 jogos, 131 gols, média de 1,77 por partida)
Bernardo (20 gols), Diego Souza (17 gols) e Elton (15 gols)

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 18 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 12:33

Corinthians está no G4 em 72 das últimas 73 rodadas do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Permanecer entre os quatro primeiros colocados do Brasileirão não é tarefa das mais fáceis, tamanho o equilíbrio entre os participantes do campeonato nacional. Nas últimas duas edições, porém, o Corinthians alcançou algo raro nessa era dos pontos corridos. Em 2010, o time paulista ficou todas as 38 rodadas no G4, entre os quatro primeiros colocados. O clube foi líder em 12 rodadas e deixou escapar o título no final. Agora, em 2011, está no G4 desde a segunda rodada, completando assim 72 rodadas entre os quatro primeiros. E já garantido na Libertadores de 2012, provavelmente fechará o campeonato também no G4.

A única rodada em que o time ficou de fora foi na primeira desse ano. Apesar de estrear vencendo o Grêmio, por 2 x 1, o Corinthians terminou a rodada na 6ª colocação, ficando atrás dos adversários no saldo de gols. No Brasileirão de 2011, o alvinegro é o clube que mais rodadas permaneceu na liderança (24 de 34).

Nos últimos dois Brasileiros, esses foram os clubes que mais ficaram no G4, em 73 rodadas:

1-Corinthians – 72 rodadas ( (36),  (26),  (8) e  (2))
2-Fluminense – 38 rodadas ( (23),  (7),  (7) e  (1))
3-Botafogo – 28 rodadas ( (-),  (-),  (12) e  (16))
4- São Paulo – 28 rodadas ( (4),  (8),  (14) e  (2))
5-Vasco – 24 rodadas ( (6),  (9),  (3) e  (6))
6-Cruzeiro – 21 rodadas ( (2),  (4),  (13) e  (2))
7-Flamengo – 19 rodadas ( (1),  (9),  (3) e  (6))
8-Internacional – 12 rodadas ( (-),  (-),  (1) e  (11))
9-Santos – 10 rodadas ( (-),  (1),  (3) e  (6))
10-Ceará – 9 rodadas ( (-),  (3),  (3) e  (3))
11-Atlético-MG – 5 rodadas ( (1),  (1),  (-) e  (3))
12-Avaí – 5 rodadas ( (1),  (2),  (1) e  (1))
13-Figueirense – 3 rodadas ( (-),  (-),  (-) e  (3))
14-Grêmio – 3 rodadas ( (-),  (-),  (-) e  (3))
15-Atlético-PR – 1 rodada ( (-),  (-),  (-) e  (1))
16-Palmeiras – 1 rodada ( (-),  (-),  (-) e  (1))

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 17 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 12:34

Palmeiras: recorde no jejum de vitórias e no número de empates

Compartilhe: Twitter

Com  o empate diante do Vasco, ontem, no Pacaembu, o Palmeiras chegou ao seu 10º jogo sem vitória no Brasileirão. Um recorde negativo na história do clube, igualando a marca de 1985, quando o time também ficou dez partidas sem vencer. Naquele campeonato, o Palmeiras terminou na 30ª colocação, com apenas 5 vitórias, 8 empates e 7 derrotas.

Depois de vencer o Cruzeiro em seu sexto jogo (2 x 0), no dia 13 de fevereiro, o Palmeiras só foi voltar a vencer no dia 31 de março de 1985. Na derrota para o Náutico, o time acabou demitindo o técnico Fedato. Em seu lugar, entrou Mário Travaglini. Confira a sequência do então maior jejum de vitórias do Palmeiras em Brasileiros:
23/2/1985 – Palmeiras 1 x 1 Vasco
28/2/1985 – Internacional 2 x 1 Palmeiras
3/3/1985 – Palmeiras 1 x 2 Santos
6/3/1985 – Náutico 2 x  1Palmeiras
10/3/1985 – Palmeiras 1 x 2 Bahia
13/3/1985 – Goiás 1 x 0 Palmeiras
16/3/1985 – Palmeiras 4 x 4 São Paulo
20/3/1985 – Palmeiras 2 x 2 Flamengo
24/3/1985 – Portuguesa 0 x 0 Palmeiras
27/3/1985 – Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras

.

Em 2011, a última vitória palmeirense foi no distante dia 22 de setembro, na 25ª rodada, há quase dois meses. Desde então, foram cinco empates e cinco derrotas. E a última vitória fora de casa foi na 12ª rodada, 2 x 1 no Figueirense, no dia 27 de julho. Com chances remotas de rebaixamento, o Palmeiras somou apenas 11 pontos no returno, ganhando somente uma partida. Apenas o Ceará, com 10 pontos em 16 jogos, consegue ser pior.

No Campeonato Brasileiro de 2011, o Palmeiras chegou ao seu 16º empate em 35 partidas. O que dá uma porcentagem de 46% de empates no total de jogos. Um recorde na era dos pontos corridos, desde 2003, entre todos os clubes. E com apenas 26% de vitórias em sua campanha de 2011, o Palmeiras tem também um de seus piores índices de vitória em Brasileiros. Apenas em Apenas em 1985 (25%) e em 2002, ano do rebaixamento (24%), o Palmeiras venceu proporcionalmente menos.

Veja abaixo quem mais empatou seus jogos em Brasileiros na era dos pontos corridos:

Ano Posiçao Clube Jogos Empates % de empates
2011 12º Palmeiras 35 16 0,46
2010 Botafogo 38 17 0,45
2010 12º Ceará 38 17 0,45
2010 14º Flamengo 38 17 0,45
2010 11º Vasco 38 16 0,42
2003 21º Ponte Preta 46 18 0,39
2004 20º Botafogo 46 18 0,39
2010 17º Vitória 38 15 0,39
Autor: Tags: , ,

terça-feira, 8 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 15:57

Ataque do São Paulo marcou só 10 gols no Brasileiro. Santistas marcaram 41

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 contabiliza 891 gols até agora, após 330 jogos. Desses gols, 468 foram feitos por atacantes dos 20 clubes, o que representa 52,5% gols. Em alguns casos, em 13 clubes, os atacantes são responsáveis por mais da metade dos gols da equipe no Brasileirão.

O Santos, do artilheiro Borges, e de Neymar (que marcou 7 gols nos últimos 5 jogos), tem os atacantes mais eficientes da competição. Até agora, o setor ofensivo do time de Muricy Ramalho fez 41 gols e foi responsável por 83,7% dos 47 gols do time no torneio. Só Borges (23 gols) e Neymar (12 gols), juntos, têm 35 gols. Mais do que o time do todo do Atlético-PR, que marcou 33 gols até agora.

Borges e Neymar, que marcaram no último final de semana contra o Vasco, fizeram 71,4% dos gols do Santos no Campeonato Brasileiro e formam a dupla de ataque mais positiva da competição, superando Ronaldinho Gaúcho e Deivid, do Flamengo (28 gols); Fred e Rafael Moura, do Fluminense (23 gols); William e Rafael Coelho, do Avaí (20 gols); Loco Abreu e Herrera, do Botafogo (19 gols); e Marcos Aurélio e Bill, do Coritiba (19 gols), entre os atacantes que mais marcaram em cada clube.

Por outro lado, o São Paulo conta com o ataque menos eficiente do Brasileirão. Até agora, os atacantes do Tricolor paulista fizeram apenas 10 gols no Campeonato, sendo 8 só com Dagoberto. Dos 48 gols do São Paulo no Brasileiro, só 10 saíram pelos atacantes do time, correspondendo a apenas 20,8% dos gols, a pior média entre os 20 participantes.

Confira o desempenho dos atacantes de cada clube nesse Brasileirão:

Clube Total de gols Gols de atacantes Porcentagem
Santos 49 41 83,7%
Fluminense 48 35 72,9%
Atlético-GO 42 27 64,3%
Ceará 39 25 64,1%
América-MG 43 26 60,5%
Figueirense 43 26 60,5%
Bahia 39 23 59,0%
Flamengo 57 33 57,9%
Coritiba 52 30 57,7%
Avaí 44 23 52,3%
Atlético-MG 41 21 51,2%
Corinthians 47 24 51,1%
Botafogo 49 25 51,0%
Palmeiras 37 17 45,9%
Cruzeiro 38 18 43,4%
Grêmio 40 17 42,5%
Atlético-PR 33 13 39,4%
Internacional 53 18 34,0%
Vasco 49 16 32,7%
São Paulo 48 10 20,8%

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 7 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 10:48

O recorde de Borges e as marcas dessa 33ª rodada do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

A última rodada do Brasileirão foi mais uma vez bem emocionante. Viradas, goleadas, recordes e números positivos e negativos também marcaram essa 33ª rodada. Começando pelo sábado, onde o Figueirense chegou à sua quinta vitória consecutiva e ao 12º jogo sem derrota. Um recorde em suas 13 participações na história do Brasileirão. Recém-promovido à Série A, o Figueira tem a maior invencibilidade da competição na atualidade e agora briga diretamente por uma inédita vaga na Copa Libertadores, podendo repetir o feito do Criciúma, de 1992, o único clube catarinense a jogar a competição sul-americana.

Ainda no sábado, o São Paulo perdeu de virada para o Bahia, chegando a sua 9ª partida sem vitória no Brasileirão. Ainda sem vencer com o técnico Émerson Leão, o Tricolor paulista vive o seu pior jejum de vitórias, superando o recorde negativo anterior, de 2005, quando o time ficou oito jogos sem vencer com Paulo Autuori. A última vitória do São Paulo no Brasileirão de 2011 aconteceu no distante dia 16 de setembro, quando goleou o Ceará por 4 x 0.

Outro paulista que também não sabe o que é vencer há um bom tempo é o Palmeiras. O time do técnico Luiz Felipe Scolari chegou ao oitavo jogo sem vitória e perdeu sua quarta partida consecutiva.  Na próxima rodada, o time irá enfrentar o Grêmio, fora de casa, e o vice-líder Vasco, em casa. Se não vencer, igualará o seu maior jejum de vitórias na história do Brasileirão. Em 1985, o Palmeiras ficou 10 partidas sem vencer na competição. Com apenas uma vitória no returno (nos últimos 14 jogos) e 9 pontos conquistados, o Palmeiras tem a segunda pior campanha nesse segundo turno.

Apenas o Cruzeiro, com 7 pontos ganhos, consegue ser pior do que o Palmeiras nesse returno. Ontem, aliás, a Raposa sofreu sua pior derrota nesse Brasileiro e caiu para a zona do rebaixamento. Com apenas 34,3% de aproveitamento, o Cruzeiro realiza a sua terceira pior campanha na história da competição, desde 1971. Apenas em 1994 (30,6%) e 1984 (33,3%), o time foi pior. Dessa vez, porém, se continuar nessa má fase, a Raposa irá pela primeira vez para a segunda divisão. Até hoje, o clube mineiro é um dos únicos a disputadas todas as 41 edições do Brasileirão, ao lado de Flamengo e Internacional. Na derrota de ontem, para o Flamengo, o Cruzeiro perdeu ainda um pênalti, o quarto nesse Brasileiro (um recorde).

Já o Flamengo, com a goleada de 5 x 1, voltou a encostar nos líderes do Brasileiro e isolou-se como o time de melhor ataque da competição, com 57 gols em 33 partidas. Média de 1,73 por jogo. Thiago Neves, com os três gols de ontem, chegou a marca de 12 gols na competição. Deivid, com os dois marcados ontem, tem agora 15 gols. Os dois jogadores, ao lado de Ronaldinho Gaúcho, que fez 13 gols, têm 40 gols juntos. Mais do que o Cruzeiro, Palmeiras, Bahia, Ceará e Atlético-PR já fizeram no Campeonato.

Deivid, com 15 gols, agora é o vice-artilheiro do Brasileiro, atrás apenas de Borges, do Santos, que ontem marcou mais um gol. Na vitória sobre o Vasco por 2 x 0, na Vila Belmiro, o atacante chegou ao seu 23º gol no Brasileirão de 2011 e superou a marca de Serginho Chulapa, que havia feito 22 gols no Brasileiro de 1983. Maior artilheiro de uma única edição de Brasileiro pelo Santos, Borges está com 74 gols na era dos pontos corridos. Apenas Paulo Baier (89 gols) e Washington (ex-Flu e São Paulo), com 82 gols, fizeram mais do que Borges.

E marcar mais do que 20 gols em um único Brasileiro não é feito para qualquer um. Confira a lista de quem já chegou ou superou a casa dos 20 gols em um única edição do Brasileiro:

2011
Borges (Santos), 23 gols

2010
Jonas (Grêmio), 23 gols

2008

Keirrson (Coritiba), Washington (Fluminense) e Kléber Pereira (Santos), 21 gols

2005
Romário (Vasco), 22 gols
Róbson (Paysaydu), 21 gols
Tevez (Corinthians), 20 gols

2004
Washington (Atlético-PR), 34 gols
Alex Dias (Goiás), 22 gols
Deivid e Robinho (Santos), 21 gols

2003
Dimba (Goiás), 31 gols
Renaldo (Paraná), 30 gols
Luís Fabiano (São Paulo), 29 gols
Alex (Cruzeiro), 23 gols
Aristizábal (Cruzeiro), 21 gols
Marcel (Coritiba), 20 gols

2001
Romário (Vasco), 21 gols

2000
Magno Alves (Fluminense), Dill (Goiás) e Romário (Vasco), 20 gols

1999
Guilherme (Atlético-MG), 28 gols
Alex Alves (Cruzeiro), 22 gols
Luizão (Corinthians), 21 gols

1998
Viola (Santos), 21 gols

1997
Edmundo (Vasco), 29 gols

1995
Túlio (Botafogo), 23 gols

1986
Careca (São Paulo), 25 gols
Evair (Guarani), 24 gols
Mirandinha (Palmeiras), 21 gols

1985
Edmar (Guarani), 20 gols

1983
Serginho (Santos), 22 gols

1982
Zico (Flamengo) e Serginho (São Paulo), 20 gols

1980
Zico (Flamengo), 21 gols

1977
Reinaldo (Atlético-MG), 28 gols

1973
Ramon (Santa Cruz), 21 gols
Leivinha (Palmeiras) e Mirandinha (São Paulo), 20 gols

.

.

Outra curiosidade na rodada desse final de semana é que o zagueiro Chicão, do Corinthians, voltou ao time e marcou um gol de pênalti. Agora, Chicão tem 19 gols na era dos pontos corridos e segue como o terceiro zagueiro com mais gols, atrás apenas de Índio, do Internacional, e Antônio Carlos, do Botafogo, que fizeram 21 gols cada.

Já o Fluminense, com a vitória sobre o Internacional, no Beira-Rio, chegou a sua 10ª vitória no segundo turno, em 14 jogos. O time de Abel Braga lidera o returno com 31 pontos, quatro a mais do que o Figueirense. Na 19ª rodada, o Flu era apenas o 11º colocado, 12 pontos atrás do líder Corinthians. Agora, está a apenas dois pontos do time paulista. Caso consiga novamente desbancar o Corinthians e chegar ao título, como fez em 2010, o Fluminense irá superar a arrancada do Flamengo de 2009, que virou o turno na 10ª colocação e estava há 10 pontos do líder Palmeiras ao final da 19ª rodada. Confira a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

Fluminense 31
Figueirense 27
Santos 26
Atlético-MG 24
Internacional 24
Grêmio 23
Vasco 23
Coritiba 22
Botafogo 21
10º Corinthians 21
11º Flamengo 19
12º Bahia 19
13º Atlético-GO 17
14º Atlético-PR 16
15º América-MG 15
16º São Paulo 15
17º Avaí 12
18º Ceará 10
19º Palmeiras 9
20º Cruzeiro 7
Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 27 de outubro de 2011 Copa Sul-Americana, Estatísticas, História | 11:07

Com reservas, Vasco faz história na Copa Sul-Americana

Compartilhe: Twitter

A goleada do Vasco, ontem, por 8 x 3, sobre o Aurora-BOL, pelas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana entrou para a história do clube carioca. Mesmo atuando com um time repleto de reservas, o Vasco registrou sua maior vitória em torneios sul-americanos. Além disso, passou para as quartas-de-final da competição, sendo o único representante brasileiro na competição e ainda com chances reais de chegar mais um título na temporada.

Campeão da Copa do Brasil e líder do Brasileirão, o Vasco tinha como maior goleada em sua história por torneios da América do Sul um 5 x 1 sobre o Cerro Porteño-PAR, pela extinta Copa Mercosul. Naquele jogo, Viola, Paulo César, Paulo Miranda e Ramon, duas vezes, marcaram para o Vasco. Confira as maiores goleadas do Vasco em torneios sul-americanos oficiais:

05/10/1999 – Vasco 5 x 1 Cerro Porteño-PAR (Copa Mercosul)
25/02/1948 – Vasco 4 x 0 Municipal-PER (Copa dos Campeões Sul-Americanos)
27/04/1980 – Vasco 4 x 0 Deportivo Galícia-VEN (Copa Libertadores)
02/10/1996 – Vasco 4 x 0 Tolima-COL (Copa Conmebol)
18/02/1948 – Vasco 4 x 1 Nacional-URU (Copa dos Campeões Sul-Americanos)
22/11/2000 – Vasco 4 x 1 River Plate-ARG (Copa Mercosul)
12/04/2001 – Vasco 4 x 1 América de Cáli-COL (Copa Libertadores)

A goleada do Vasco foi também a maior dessa Copa Sul-Americana e também de um clube brasileiro no torneio, mas não foi a maior na história da competição. O recorde, desde 2002, é do Defensor, do Uruguai, que enfiou um 9 x 0 no Sport Huancayo, do Peru, no ano passado.

Veja a lista das maiores goleadas da história da Copa Sul-Americana:
16/9/2010        Defensor (URU) 9 x 0 Sport Huancayo (PER)
19/11/2009      LDU Quito (EQU) 7 x 0 River Plate (URU)
27/10/2011      Vasco (BRA) 8 x 3 Aurora (BOL)
20/8/2003        San Lorenzo (ARG) 6 x 0 Deportivo ItalChacao (VEN)
6/10/2010        Newell’s Old Boys (ARG) 6 x 0 San José (BOL)
10/10/2006      Colo Colo (CHI) 7 x 2 Alajuelense (CRC)
19/10/2010      LDU Quito (EQU) 6 x 1 Unión San Felipe (CHI)
31/8/2004        Cienciano (PER) 6 x 1 Carabobo (VEN)
30/8/2005        Universidad Católica (CHI) 5 x 0 Alianza Atlético (PER)

Na soma dos dois jogos, o Vasco terminou com um 9 x 6 sobre o Aurora (havia perdido na Bolívia por 3 x 1). Assim, o confronto registrou 15 gols em apenas duas partidas. Um recorde na história do torneio. Anteriormente, a maior marca havia sido a da 13 gols em dois jogos. Em 2006, o Colo Colo-CHI bateu a Alajualense, da Costa Rica, por 4 x 0, fora de casa, e ganhou na volta por 7 x 2. Naquele ano, o Colo Colo era comandado por Claudio Borghi (atual técnico da Seleção Chilena), e contava com grande jogadores, como Alexis Sánchez (que está no Barcelona-ESP), Matías Fernández (Sporting-POR), Arturo Vidal (Juventus-ITA) e Humberto Suazo (Monterrey-MEX).
Na história dos torneios sul-americanos, a goleada de 8 x 3, do Vasco, também não é a maior de um time brasileiro. O recorde pertence ao Santos, que em 1962 goleou o Cerro Porteño-PAR por 9 x 1. Na Libertadores, a maior goleada geral, no entanto, é do Peñarol, que em 1961 ganhou do Valencia-VEN por 11 x 2.
Essa goleada de 8 x 3 não é a maior do Vasco na temporada de 2011. No início do ano, o clube ganhou do América-RJ por 9 x 0 pelo Campeonato Carioca, no dia 12 de fevereiro.
Outra curiosidade é que o meia Juninho Pernambucano marcou mais um gol pelo Vasco em torneio Sul-Americano. O jogador, que já havia feito gol pela Copa Libertadores, Copa Mercosul e Supercopa Libertadores, marcou em mais um torneio oficial pelo Vasco, feito jamais alcançado por outro atleta do clube.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 Estatísticas, Futebol Europeu, História | 12:50

Porto defende invencibilidade de 44 jogos contra o Benfica

Compartilhe: Twitter

Atual campeão português, o Porto perdeu duas peças importantes do time vencedor da temporada 2010/11: o técnico Villas-Boas, hoje no Chelsea-ING, e o atacante Falcao García, que foi para o Atlético de Madri por 40 milhões de euros. Ainda assim, o Dragão continua sobrando em Portugal. Nas cinco primeiras rodadas, venceu quatro jogos e empatou apenas um, liderando o torneio.

Campeão invicto na última temporada, o Porto vem de uma incrível invencibilidade de 44 jogos sem derrota pelo Campeonato Português. Foram 9 jogos sem derrota no final da temporada 2009/10 (aliás, 9 vitórias consecutivas),  30 jogos na temporada 2010/11 (27 vitórias e 3 empates), e mais cinco jogos na atual temporada, totalizando 44 partidas sem uma única derrota.

Hoje, porém, o time da cidade do Porto tem pela frente seu principal rival, o Benfica, no estádio Dragão. Até hoje, o Porto leva vantagem sobre o Benfica no histórico do confronto, com 85 vitórias contra 82 do Benfica. Pelo Português, são 60 vitórias do Porto contra 53 do Benfica. Jogando em casa, o retropescto do Porto é ainda melhor (47 vitórias, 18 empates e  apenas 12 derrotas).

Mas para chegar ao recorde de invencibilide no Campeonato Português, porém, o Porto deverá ficar ainda mais 12 jogos sem perder. Até hoje, o recordista é o Benfica, que ficou 56 jogos sem derrota entre 24/10/1976 a 28/8/1978. No Brasil, a maior série invicta no Campeonato Brasileiro é do Botafogo, que permanceu sem perder por 42 jogos nas edições de 1977 e 1978. Confira as maiores invencibilidades nos principais campeonatos europeus.

CAMP. ALEMÃO: Hamburgo, 36 jogos (de 30/1/1982 a 29/1/1983)

CAMP. ESPANHOL: Real Sociedad, 38 jogos (de 29/4/1979 a 4/5/1980)

CAMP. FRANCÊS: Nantes, 32 jogos (de 29/7/1994 a 15/4/1995)

CAMP. INGLÊS: Arsenal, 49 jogos (7/5/2003 a 16/10/2004)

CAMP. ITALIANO: Milan, 58 jogos (de 26/5/1991 a 14/3/1993)

CAMP. PORTUGUÊS: Benfica, 56 jogos (de 24/10/1976 a 28/8/1978)

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 19 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 09:08

Lanterna do returno, Flamengo tem série negativa recorde

Compartilhe: Twitter

Sem vencer há nove jogos no Brasileirão, o Flamengo alcançou uma marca negativa em sua história pela competição, desde 1971. Até então, o maior jejum de vitórias do Rubro-negro em Brasileiros era de oito jogos. Isso aconteceu três vezes: em 1971 (com o técnico Fleitas Solich), em 1994 (com Carlinhos e Edinho) e em 2004 (com Abel Braga). No Brasileirão de 2011, o Flamengo foi o time com a maior sequência invicta, ao ficar sem perder nas 16 primeiras rodadas, um recorde na história dos pontos corridos e também do próprio clube em um começo de competição.

Confira os maiores jejuns de vitória do Flamengo em Brasileiros:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Agora, porém, o Flamengo acumula nove jogos sem vitória, na pior sequência em andamento no Brasileirão de 2011. Pelo péssimo desempenho, o time de Vanderlei Luxemburgo ocupa o último lugar na classificação do segundo turno do Brasileirão, com apenas um ponto em cinco jogos (conquistado justamente ontem, no empate contra o Botafogo). Veja a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 2 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 09:50

São Paulo fica de fora do G4 pela primeira vez no Brasileirão 11

Compartilhe: Twitter

Ao perder para o Fluminense e chegar a marca de cinco jogos sem vitória no Brasileirão, o São Paulo caiu para a 5ª colocação no campeonato e pela primeira vez ficou de fora do G4. No ano passado, o Tricolor fez uma de suas piores campanhas na era dos pontos corridos no Brasileirão e não chegou a ingressar no grupo que vai à Libertadores durante todo o torneio. Assim, ficou de fora da competição sul-americana pela primeira vez depois de participar durante  sete anos consecutivos.

Em 2011, o São Paulo, ainda comandando por Paulo César Carpegiani, iniciou o Brasileirão com tudo, vencendo seus cinco primeiros jogos e isolando-se na liderança. Porém, levou uma goleada histórica do Corinthians (5 x 0) e depois perdeu mais dois jogos seguidos. Desde então, perdeu o primeiro lugar para o rival e depois a segunda colocação para o Flamengo. Já na 20ª rodada, a primeira do returno, o São Paulo perdeu em casa para o Fluminense e acabou ultrapassado por Vasco e Botafogo. Confira a classificação dos clubes rodada a rodada nesse Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.A sequência negativa de cinco jogos sem vitórias no Brasileirão do São Paulo é a maior no momento no campeonato, ao lado do Flamengo, do Bahia e do lanterna América-MG. Se pegarmos as últimas cinco rodadas do Brasileiro, em 15 pontos possíveis, o São Paulo conquistou apenas 4 deles, tendo a 16ª melhor campanha. O Flamengo, que também vem muito mal nas últimas rodadas, perdeu a vice-liderança e tem a segunda pior campanha nas últimas rodadas. Por outro lado, o Atlético-GO, do técnico Hélio dos Anjos, vem numa série incrível, com cinco vitórias consecutivas. O Dragão, que estava na zona do rebaixamento na 15ª rodada pulou para o 9º lugar depois dessa sequência de vitórias. Confira o desempenho dos clubes nas últimas cinco partidas que disputaram:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 8 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, Técnicos | 10:39

Vanderlei Luxemburgo de volta ao topo do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Técnico mais vezes campeão brasileiro (cinco no total), Vanderlei Luxemburgo amargou campanha ruins nos últimos anos. Em 2009, foi demitido no Palmeiras no início do Brasileirão, após ser eliminado na Copa Libertadores, e depois, com o Santos, terminou na modesta 12ª colocação. No ano passado, também foi dispensado pelo Atlético-MG quando tinha apenas 29,2% de aproveitamento, largando o Galo na zona do rebaixamento. Ainda em 2010, chegou ao Flamengo, onde também fez uma campanha fraca (42,4% de aproveitamento), chegando apenas na 14º colocação.

Em 2011, porém, Luxemburgo voltou a ser o técnico vencedor e de ponta. No início do ano, conquistou o Campeonato Carioca de forma inédita. Na temporada, perdeu apenas uma partida em 40 disputadas. Pelo Brasileirão, segue invicto e agora na liderança (algo que o treinador não alcança desde a 28ª rodada de 2008, quando levou o Palmeiras ao topo da tabela).

Com 9 vitórias e 6 empates no Brasileiro de 2011, Luxemburgo levou o Flamengo à maior invencibilidade de um início de Brasileirão na era dos pontos corridos. O aproveitamento de 73,3% de Luxa é também o maior desde 1993, quando teve 78,8% com o Palmeiras. Na era dos pontos corridos, sua melhor campanha foi com o Cruzeiro, em 2003, quanto obteve 71%. Confira abaixo o desempenho do treinador na história do Brasileirão:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com uma sequência de quatro vitórias seguidas, Luxemburgo poderá levar o Flaemngo ao recorde de seis vitórias consecutivas em Brasileiros, alcançada duas vezes, em 1978, por Cláudio Coutinho, e em 1982, por Paulo César Carpegiani. Outro recorde que Luxa pode dar ao Flamengo é o da maior série invicta. Sem perder há 15 jogos, Luxemburgo precisa de mais duas partidas para igualar as marcas de 1980 (17 jogos sem derrota com Cláudio Coutinho) e de 1974 (também de 17 jogos com Joubert). Para isso, o Rubro-negro não poderá perder seus dois próximos jogos, contra Figueirense (fora de casa) e Atlético-GO (em casa).

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 11 de julho de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 17:00

Flamengo tem melhor campanha no ano desde 1979

Compartilhe: Twitter

Campeão carioca invicto, vice-líder do Brasileiro sem perder ainda e com uma derrota apenas no ano (para o Ceará, que o eliminou da Copa do Brasil), o Flamengo vive uma grande temporada em 2011. A equipe de Vanderlei Luxemburgo, em 34 jogos, conquistou 20 vitórias, 13 empates e teve apenas uma derrota.

Entre os 20 clubes que disputam o Brasileirão desse ano, o Rubro-negro é o que menos perdeu na temporada de 2011. Palmeiras e Botafogo, outros times que perderam pouco no ano, têm quatro derrotas. Já o Corinthians, líder invicto do Brasileirão, tem cinco derrotas. Veja a campanha dos 20 clubes da Série A em 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com um aproveitamento de 71,6% no ano, o Flamengo tem um grande desempenho, o melhor das últimas duas décadas. Aproveitamento superior a esse, o Rubro-negro teve apenas em 1979, quando alcançou 80,9% (considerando três pontos por vitória, como hoje). Naquele ano, o Flamengo venceu 62 jogos e perdeu apenas 7 em 82 jogos. Até hoje, o Rubro-Negro nunca passou uma temporada sem derrota. Assim como agora, em 2011, apenas uma vez o Flamengo perdeu um jogo no ano. Porém, naquela época do amadorismo, o clube disputou só 16 partidas, com 9 vitórias, seis empates e uma derrota. Confira abaixo as campanhas do Flamengo por temporada, desde 1979:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 6 de junho de 2011 Estatísticas, História, Seleção Brasileira | 13:09

Lúcio e os recordistas de jogos pelas Seleções

Compartilhe: Twitter

O zagueiro Lúcio, aos 33 anos, completou seu centésimo jogo com a camisa da Seleção Brasileira no amistoso do último sábado, contra a Holanda (0 x 0). Jogador da Internazionale, Lúcio estreou pela Seleção em 2000, na vitória contra a Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa de 2002. No jogo, realizado no Morumbi, Lúcio teve como companheiro de zaga Roque Júnior, o autor do gol do time treinado por Emerson Leão.

Desde então, o zagueiro tornou-se titular da Seleção e, com a aposentadoria de Cafu, assumiu o posto de capitão do time. Desde 2000, o jogador foi o único chamado pelos últimos cinco técnicos da Seleção (Emerson Leão, Luiz Felipe Scolari, Parreira, Dunga e Mano Menezes).

Com 100 jogos, Lúcio está, agora, a apenas um de igualar o goleiro Taffarel, o terceiro jogador com mais partidas pela Seleção Brasileira. O zagueiro, porém, está longe de alcançar Cafu, que disputou 142 jogos. Mesmo que vá para a Copa do Mundo de 2014, quando terá 36 anos, dificilmente Lúcio chegará a essa marca, afinal o Brasil não deverá disputar mais tantos jogos até lá.

Confira a lista dos jogadores com mais partidas pela Seleção Brasileira:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.No mundo, quase 200 jogadores já ultrapassaram a marca  de 100 jogos por suas respectivas seleções. Até hoje, os recordistas são o egípcio Mohamed Al-Daeyea e o zagueiro mexicano Claudio Suárez, ambos com incríveis 178 jogos. Entre os jogadores que estão na ativa, quem tem mais partidas hoje é o argentino Javier Zanetti, com 140 jogos.

Veja a lista dos jogadores com mais partidas pelas Seleções no mundo:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 26 de maio de 2011 Copa Libertadores, Estatísticas | 10:31

Histórico favorável ao Santos nessa semifinal

Compartilhe: Twitter

A apertada vitória de 1 x 0 do Santos sobre o Cerro Porteño-PAR, no jogo de ida das semifinal da Copa Libertadores, acabou frustando alguns torcedores, que esperavam um placar mais dilatado e um conforto maior para o jogo de volta. Mas historiacamente, os números mostraram que raramente um clube que vence o primeiro jogo de uma semifinal de Libertadores é eliminado da competição. Além disso, o retrospecto do Peixe diante do Cerro Porteño e diante dos paraguaios, também ajudam muito o time da Vila Belmiro.

Isso, sem contar que a equipe dirigida por Muricy Ramalho conta com o melhor jogador do torneio, o atacante Neymar…

Até hoje, desde 1960, foram disputadas 64 confrontos de semifinais na história da competição (não houve semifinal em 1966, 1967 e entre 1971 e 1987). Dessas, apenas em 13 vezes o vencedor do primeiro jogo acabou perdendo a vaga para a final. Ou seja, em apenas 20% dos confrontos quem ganhou a partida partida ficou de fora da grande decisão. Nos últimos dez anos, apenas o Boca Juniors reverteu um placar desfavorál, em 2007, contra o Cúcuta. Relembre aqui:

1962
Nacional-URU 2 x 1 Peñarol-URU
Peñarol-URU 3 x 1 Nacional-URU
Peñarol-URU 1 x 1 Nacional-URU

1965
Santos 5 x 4 Peñarol-URU
Peñarol-URU 3 x 2 Santos
Peñarol-URU 2 x 1 Santos

1968
Racing-ARG 2 x 0 Estudiantes-ARG
Estudiantes-ARG 3 x 0 Racing-ARG
Racing-ARG 1 x 1 Estudiantes-ARG

1970
Universidad de Chile-CHI 1 x 0 Peñarol-URU
Peñarol-URU 2 x 0 Universidad de Chile-CHI
Peñarol 2 x 2 Universidad de Chile-CHI

1989
Olimpia-PAR 0 x 1 Internacional
Internacional 2 x 3 Olimpia-PAR (Olimpia 5 x 3 nos pênaltis)

1990
River Plate-ARG 1 x 0 Barcelona-EQU
Barcelona-EQU1 x 0 River Plate-ARG (Barcelona 4 x 3 nos pênaltis)

1991
Boca Juniors-ARG 1 x 0 Colo Colo-CHI
Colo Colo-CHI 3 x 1 Boca Juniors-ARG

1994
Junior Barranquilla-COL  2 x 1 Vélez Sarsfield-ARG
Vélez Sarsfield-ARG 2 x 1 Junior Barranquilla-COL   (Vélez 5 x 4 nos pênaltis)

1996
Grêmio 1 x 0 América de Cáli-COL
América de Cáli-COL 3 x 1 Grêmio

1997
Racing-ARG 3 x 2 Sporting Cristal-PER
Sporting Cristal-PER 4 x 1 Racing-ARG

1999
River Plate-ARG 1 x 0 Palmeiras
Palmeiras 3 x 0 River Plate-ARG

2000
Corinthians 4 x 3 Palmeiras
Palmeiras 3 x 2 Corinthians (Palmeiras 5 x 4 nos pênaltis)

2007
Cúcuca-COL 3 x 1 Boca Juniors-ARG
Boca Juniors-ARG 3 x 0 Cúcuta-COL

Outro ponto histórico favorável ao Santos é que até hoje, em cinco confrontos contra o Cerro Porteño-PAR, o Peixe segue invicto. Em 1962, na primeira fase, empatou por 1 x 1, em Assunção, e aplicou um 9 x 1 em Santos, na maior goleada do clube na história da Libertadores. Agora, em 2011, os clubes voltaram a se enfrentar na fase de grupos. Depois do 1 x 1 na Vila Belmiro, o Santos venceu no Paraguai por 2 x 1. Em cinco jogos, foram então 3 vitórias do Santos e dois empates, com 14 gols do Santos e apenas 4 do Cerro. Além disso, o Santos nunca perdeu para clubes paraguaios na história da competição sul-americana. Em 9 jogos, foram 6 vitórias e 3 empates.

Mais um dado para deixar o santista otimista é que o Cerro Porteño é o clube que mais disputou a Libertadores sem conseguir chegar a uma final. Antes dessa atuação edição, o Cerro disputou 33 vezes a competição. Até hoje, seus melhores desempenhos foram em 1973 e 1978 (quando chegou na segunda fase, de grupos, uma antes da final) e em 1993, 1998 e 1999, quando foi eliminado na semifinal.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 13 de maio de 2011 Confrontos, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 10:49

Números e curiosidades dos semifinalistas da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

A Copa do Brasil de 2011 terá uma final inédita pela frente e um campeão inédito. Dos quatro semifinalistas, apenas dois já conseguiram chegar à uma final: Vasco (vice em 2006) e Ceará (vice em 1994). O Coritiba, disputará sua quarta semifinal. Nas outras três anteriores, acabou eliminado. Já o Avaí, que despachou Botafogo e São Paulo, faz sua melhor campanha. Nas seis anteriores, chegou, no máximo, até as oitavas-de-final.

Os dois confrontos da semifinal nunca aconteceram em edições anteriores da Copa do Brasil (Coritiba x Ceará e Vasco x Avaí). Historicamente, entre esses quatro semifinalistas, o Vasco é o clube com o maior número de participações e também o de melhor campanha. O time de São Januário é também o que mais vezes conseguir chegar à semifinal. Confira abaixo:

.

.

..

.

.

,

.

Já na atual edição, o clube que tem o melhor desempenho, por enquanto, é o Coritiba. Em 8 jogos, venceu 7 e perdeu apenas um, para o Palmeiras, no jogo em que podia perder por até 5 gols de diferença. O Coxa, do técnico Marcelo Oliveira, tem também o melhor ataque (19 gols) e a melhor defesa (apenas 4 gols sofridos), entre os semifinalistas. Já Ceará e Vasco seguem invictos na competição. O time cearense, com 3 vitórias e um empate fora de casa, é melhor visitante entre os quatro sobreviventes da Copa do Brasil. Já o Avaí tem dois artilheiros no topo da lista de goleadores da competição: William e Rafael Coelho, com 5 gols, ao lado de Adriano e Kléber, do Palmeiras.

Veja abaixo as campanhas dos semifinalistas da Copa do Brasil e seus artilheiros:


.

.

.

.

.

.

Artilheiros

CEARÁ

3 gols
Washington

2 gols
Geraldo, Iarley e Marcelo Nicácio

1 gol
Euzébio, Fabrício e João Marcos

.

CORITIBA

3 gols
Anderson Aquino e Bill

2 gols
Davi, Emerson, Marcos Aurélio e Rafinha

1 gol
Eltinho, Everton Ribeiro, Geraldo, Jonas e Léo Gago

.

VASCO

3 gols
Alecsandro

2 gols
Bernardo e Marcel

1 gol
Dedé, Diego Souza, Éder Luís, Elton, Felipe Bastos, Jéferson e Rômulo

.

AVAÍ

5 gols
Rafael Coelho e Willian

1 gol
Acleisson, Bruno, Estrada e Marquinhos Gabriel

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 30 de março de 2011 Artilheiros, Estatísticas, Futebol Europeu, História, Seleção Brasileira | 12:58

Grandes artilheiros em ação nas principais seleções

Compartilhe: Twitter

Os últimos dias foram marcados por jogos das Eliminatórias da Europa 2012 e muitos amistosos pelo mundo. Nessas partidas, alguns grandes artilheiros estiveram presentes e deixaram suas marcas. O atacante David Villa, com os dois gols que marcou no sábado, contra a República Tcheca, chegou a marca de 46 pele Seleção Espanhola, isolando-se como o maior artilheiro da história da Fúria. Raúl, o segundo colocado, tem 44 gols.

Outro grande artilheiro em ação é Miroslav Klose. Também no sábado, o segundo maior artilheiro das Copas do Mundo marcou duas vezes contra o Cazaquistão, chegando a marca de 61 gols pela Seleção Alemã. Klose está a apenas 7 gols de igualar o grande goleador Gerd Müller, autor de 68 em somente 62 jogos (incrível média de 1,09 por partida).

No Uruguai, o atacante Diego Forlán está a apenas dois gols de se igualar a Héctor Scarone como o maior artilheiro da Celeste. Loco Abreu, com 26, está apenas três atrás de Forlán.

Na Holanda, Dirk Kuyt e Van Persie, com 21 gols cada (anotaram nos jogos recentes contra a Hungria), estão próximos entrar para a lista dos 10 maiores artilheiros da Seleção Holandesa. O craque Marco Van Basten, é o décimo com 24 gols. Na Argentina, Messi, com 16 gols, está a três gols de entrar na lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Já na lista dos jogadores que mais atuaram pelas grandes seleções, alguns craques em atividade também vêm fazendo história. Na Espanha, Xavi superou a marca dos 100 jogos e está a apenas um de igualar Raúl, o jogador de linha com mais jogos. Já o goleiro Casillas está bem próximo de se tornar o número um em participações na Seleção Espanhola em breve. Faltam apenas 7 jogos para igualar Zubizarreta.

Na Alemanha, Klose é também o segundo jogador com mais participações, ao lado de Klinsmann. Para chegar ao primeiro colocado, Lothar Matthäus, falta muito (42 jogos).

Na Seleção Brasileira, o zagueiro Lúcio voltou a ser o capitão do time na vitória contra a Escócia e chegou a marca de 96 jogos. Falta apenas um jogo para igualar Ronaldo. Já na Argentina, Javier Zanetti é disparado o jogador com mais participações, com 140 jogos. Mascherano, com 68 jogos, está próximo de chegar a lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de março de 2011 Campeonatos Estaduais, Estatísticas | 09:20

Quais os clubes invictos nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Caiu ontem um dos últimos clubes invictos pelos Estaduais do Brasil em 2011. O Corinthians, líder do Paulistão, foi derrotado pela Ponte Preta, em casa, por 1 x 0, e perdeu sua sequência de 11 jogos de invencibilidade na competição, dando adeus ao sonho de ser campeão sem derrota, como em 2009. Outro invicto que perdeu ontem foi a Anapolina, que acabou derrotada pelo Goiás (3 x 1) e perdeu sua invencibilidade de 10 jogos.

Dos outros 19 Campeonatos Estaduais em andamento pelo país, apenas 12 clubes entre os 183 participantes ainda não perderam em 2011. Vale lembrar que a bola não rolou ainda no Acre, Amapá, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins e que no Maranhão foi realizado apenas um jogo.

Desses invictos na temporada dos Estaduais, os dois times que têm as maiores sequências invictas são o Ceará, com 14 jogos, e o Coritiba, com 13 jogos. Campeão do primeiro turno no Paranaense e já classificado para a final do estadual, o Coxa venceu ontem o Paranavaí por 3 x 0. Já o Ceará, também campeão do primeiro turno e finalista, bateu o Limoeiro por 4 x 1 e chegou a 14 jogos sem derrota.

Dos 12 invictos, o Flamengo é o clube com o melhor aproveitamento até agora (93,3%). Em 10 jogos no Carioca, o campeão da Taça Guanabara venceu 9 e empatou apenas um (contra o Botafogo, na semifinal da Taça GB).

Confira quem são os invictos nos Estaduais de 2011 e suas respectivas campanhas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última