Publicidade

Arquivo da Categoria História

quarta-feira, 21 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Confrontos, História | 09:36

No Morumbi, Corinthians não perde há 7 partidas para o São Paulo

Compartilhe: Twitter

Clássico que vale a liderança provisória do Brasileirão (o Vasco só joga amanhã), São Paulo x Corinthians contará com outros grandes atrativos. Além da velha rivalidade do Majestoso, disputado pela primeira vez em 1936, o jogo de hoje à noite traz um clima de revanche, mas pelo lado são-paulino. O Corinthians, apesar da vantagem no confronto direito, vem em má fase (perdeu cinco dos últimos sete jogos), luta para voltar ao topo da liderança e não perder mais um técnico após um clássico contra o São Paulo.

O jogo de hoje será o 292º na história entre os dois clubes (veja aqui a lista dos jogos). Até agora, o Corinthians leva boa vantagem, com 112 vitórias, 92 empates e 88 derrotas. O alvinegro marcou 430 gols e levou 392 do Tricolor. Recentemente, os dois clubes conseguiram manter bons tabus. Entre 2003 e 2007, o São Paulo ficou 13 jogos sem perder para o rival. Já entre 2007 e 2010, foi a vez do Corinthians ficar 10 jogos invicto no clássico. Esse tabu, porém, foi quebrado esse ano, no Paulistão, quando o São Paulo venceu por 2 x 1, em Barueri, no jogo que marcou o gol 100 na carreira de Rogério Ceni.

O goleiro aliás, tem também um retrospecto negativo diante do Corinthians. Em 52 jogos, ganhou 17, perdeu 20 e empatou outros 15, levando 79 gols. O Corinthians é, justamente, o clube que mais marcou gols em Rogério Ceni.

Pelo Brasileirão, o Corinthians também leva a melhor em 47 jogos com 18 vitórias, 18 empates e 11 derrotas (51 gols a favor e 42 gols contra). Além disso, carrega uma invencilibidade de 8 jogos sem derrota para o São Paulo na competição (5 vitórias e 3 empates no período). A última vitória são-paulina no clássico, pelo Brasileirão, foi no dia 7/5/2006, quando venceu por 3 x 1 em São José do Rio Preto.

No último confronto entre as equipes, pelo Brasileiro, o Corinthians acabou goleando o São Paulo por 5 x 0, no Pacaembu, na maior goleada alvinegra na história do clássico, repetindo o placar de 1996, pelo Paulistão. Pelo lado são-paulino, a maior vitória também aconteceu em Brasileiros. Foi em 2005, quando o time bateu o Corinthians por 5 x 1, no Pacaembu. Naquele jogo, o árbitro era Wilson Luiz Seneme, o mesmo de hoje. Seneme esteve presente também na vitória do Corinthians por 3 x 0, no primeiro turno de 2010, no Pacaembu; na vitória corintiana por 2 x 0, na semifinal do Paulista, no Morumbi, que garantiu o alvinegro da final daquele ano; e também na vitória do Corinthians por 4 x 3, no Paulistão de 2010.

A goleada de 5 x 1 do São Paulo de 2005, aliás, causou a queda do técnico argentino Daniel Passarella. E derrubar técnicos do Corinthians vem sendo um especialidade do Tricolor. Na história, já foram 15 após o Majestoso. O último deles Ademar Braga, em 2006. Até o técnico Tite, que vem sendo alvo da crítica dos torcedores pelos maus resultados, já caiu após perder um clássico para o São Paulo. No início de 2005, pelo Paulistão, Tite foi demitido após a derrota por 1 x 0, com gol de Danilo, hoje reserva do Corinthians.

No Morumbi, palco do jogaço de hoje, as equipes já se enfrentaram 131 vezes, com 46 vitórias do Corinthians, 51 empates e 34 vitórias do time da casa. Atualmente, o Corinthians mantém um tabu de sete jogos sem derrota para o São Paulo no Cícero Pompeu de Toledo. A última vitória do São Paulo, no Morumbi, foi no Paulistão de 2007, quando venceu por 3 x 1. Desde então, foram três vitórias do Corinthians e quatro empates. No último jogo no Morumbi, pelo Brasileirão de 2010, o Corinthians venceu por 2 x 0, com gols de Elias e Dentinho.

O Morumbi também foi palco de algumas decisões entre Corinthians em São Paulo. Pelo Paulistão, o São Paulo foi campeão sobre o rival em 1987, 1991 e 1998. Já o Corinthians faturou o Estadual de 1982, 1983, 1997 e 2003 em cima do rival, além do Torneio Rio-São Paulo de 2002 e o Brasileirão de 1990. O alvinegro também levou a melhor em algumas semifinais, como no Paulista de 1999 e 2009, além da Copa do Brasil de 2002.

Entre os jogadores que disputarão o clássico hoje, quatro deles, pelo lado corintiano, já marcaram gol no clássico: Chicão (que deve começar no banco), Danilo, Jorge Henrique e Liédson. O Levezinho, aliás, foi o grande destaque no último confronto, quando fez 3 gols. O atacante, aliás, fez também um na final do Paulista de 2003. Já pelo lado são-paulino, Rogério Ceni já marcou três gols no rival, sendo dois de pênalti e um de falta. Luís Fabiano, que pode ser a surpresa do Tricolor hoje à noite, fez dois gols nessa final de 2003 também, um em cada derrota por 3 x 2. Outros que também já marcaram foram Dagoberto (dois gols) e Jean (um).

Outra curiosidade é que no elenco do Corinthians três jogadores já defenderam o São Paulo: o lateral-esquerdo Fábio Santos e o atacante Adriano (fora do clássico de hoje por lesões) e o meia Danilo (que deve começar no banco). Já no São Paulo, além do técnico Adílson Batista, apenas apenas Rivaldo defendeu o Corinthians no profissional. Lucas, só jogou por lá nas categorias de base, quando ainda era chamado de Marcelinho.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 20 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 08:47

Nos últimos três anos o líder da 24ª rodada não levou o título

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 chegou a sua 24ª rodada com um novo líder, o Vasco, que superou o Corinthians e pela primeira vez assumiu a ponta da competição. Com praticamente 2/3 do campeonato disputado, a briga pelo título e pela fuga do rebaixamento parece tomar forma. Mas muita coisa pode mudar daqui para frente. Se pegarmos as edições anteriores do Brasileirão por pontos corridos, a situação se alterou bastante nas últimas 14 rodadas, com 42 pontos em disputa. Nos últimos três anos, por exemplo, quem estava na liderança do Brasileiro nessa mesma altura do campeonato não ficou com o título.

Em 2008, o Grêmio, de Celso Roth, tinha seis pontos de vantagem sobre o vice-líder, Cruzeiro (49 a 43) e dez a mais do que o São Paulo (39 pontos e na 9ª posição). No final, o Tricolor paulista fechou o campeonato com 75 pontos contra 72 do Tricolor gaúcho e levou o tri. Dos 42 pontos em disputa, o São Paulo conquistou incríveis 36.

Em 2009, o Palmeiras, treinado por Muricy Ramalho, o mestre do Brasileirão por pontos corridos, perdeu a liderança e viu o Flamengo, que na 24ª rodada também estava dez pontos atrás e na 11ª colocação, ser o campeão. Nas últimas 14 rodadas, o Rubro-negro conquistou 33 pontos enquanto o Palmeiras fez 18 e acabou de fora, inclusive, da Libertadores.

Já no ano passado, o Corinthians, com um jogo a menos, liderava o Brasileiro com dois pontos a mais do que o segundo colocado Fluminense. Mas aí, o alvinegro perdeu quatro jogos e empatou outros três na sequência e viu o Tricolor carioca tomar a liderança. Depois, o Corinthians ainda conseguiu recuperar o primeiro lugar, mas faltando três rodadas foi novamente ultrapassado pelo Flu, que ficou com o título.

Outro ano em que o líder a 14 rodadas do fim não levou o Brasileiro foi 2005. O Inter, na 28ª rodada, estava a um ponto de vantagem do Corinthians, que acabou campeão. Já em 2003, 2004, com Cruzeiro e Santos, e em 2006 e 2007, com o São Paulo, os líderes a 14 rodadas do fim levaram o título.

Por outro lado, algumas situações também chamaram a atenção pela superação ou até mesmo pela queda brusca nas últimas 14 rodadas nas edições passadas. Em 2007, por exemplo, o Corinthians ocupava a 10ª rodada nessa mesma rodada de hoje (24ª) e acabou rebaixado. Nos seus últimos 14 jogos, o time somou apenas 11 dos 42 pontos e caiu para a Série B. No mesmo ano, o Flamengo, então o 14º colocado, arrumou forças para beliscar uma vaga na Libertadores.

Já em 2009, o Cruzeiro, então 13º colocado, com 32 pontos (mais ou menos como o Figueirense hoje), conquistou 30 dos 42 pontos, chegou na 4ª posição e ficou com uma vaga na Libertadores do ano seguintes. Já o Fluminense, com apenas 18 pontos e na lanterna do campeonato (hoje o lanterna América-MG tem 19), também deu uma bela arrancada no campeonato, conquistou 27 dos 42 pontos e escapou da Série B.

Confira abaixo a situação do Brasileirão faltando 14 rodadas para o seu final, assim como hoje. Em verde, os clubes que ficaram com o título no ano, em amarelo, os clubes que chegaram no G4 e foram para a Libertadores, em laranja, os clubes classificados para a Libertadores como campeões da Copa do Brasil ou da própria Libertadores no ano, e em rosa, os clubes que foram rebaixados.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 09:08

Lanterna do returno, Flamengo tem série negativa recorde

Compartilhe: Twitter

Sem vencer há nove jogos no Brasileirão, o Flamengo alcançou uma marca negativa em sua história pela competição, desde 1971. Até então, o maior jejum de vitórias do Rubro-negro em Brasileiros era de oito jogos. Isso aconteceu três vezes: em 1971 (com o técnico Fleitas Solich), em 1994 (com Carlinhos e Edinho) e em 2004 (com Abel Braga). No Brasileirão de 2011, o Flamengo foi o time com a maior sequência invicta, ao ficar sem perder nas 16 primeiras rodadas, um recorde na história dos pontos corridos e também do próprio clube em um começo de competição.

Confira os maiores jejuns de vitória do Flamengo em Brasileiros:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Agora, porém, o Flamengo acumula nove jogos sem vitória, na pior sequência em andamento no Brasileirão de 2011. Pelo péssimo desempenho, o time de Vanderlei Luxemburgo ocupa o último lugar na classificação do segundo turno do Brasileirão, com apenas um ponto em cinco jogos (conquistado justamente ontem, no empate contra o Botafogo). Veja a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 25 de agosto de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, História | 08:50

Borges e os maiores artilheiros na era dos pontos corridos

Compartilhe: Twitter

Autor dos dois gols da vitória do Santos, sobre o Fluminense, ontem, por 2 x 1, o atacante Borges isolou-se na artilharia do Brasileirão com 12 gols em apenas 15 jogos. Aos 30 anos, o centroavante está disputando seu sétimo Brasileirão pelo sexto clube diferente. Desde que estreou na competição pelo São Caetano, em 2004, com Muricy Ramalho sob seu comando, Borges já anotou 63 gols em Brasileiros, na era dos pontos corridos. Com Muricy como seu treinador, além de Santos e São Caetano, Borges viveu seu grande momento na carreira ao conquistar o bi do Brasileirão em 2007/08.

Com 63 gols, Borges figura agora entre os cinco maiores goleadores desde 2003, quando campeonato passou a ser disputado no sistema de pontos corridos. O maior artilheiro continua sendo Paulo Baier, que disputou todas as edições e anotou 86 gols. Em 2011, porém, o meia ainda não marcou. Dos jogadores em atividade, outro bem colocado é o atacante Alecsandro, do Vasco, autor de 67 gols (fez dois nesse Brasileirão).

Confira abaixo a lista dos maiores artilheiros do Brasileirão desde 2003:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 19 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro, História, Técnicos | 08:25

Luxemburgo perde chance de ser recordista de invencibilidade pelo Fla

Compartilhe: Twitter

Com a goleada sofrida diante do Atlético-GO, por 4 x 1, ontem, no Engenhão, o técnico Vanderlei Luxemburgo perdeu a chance de se tornar recordista de invencibilidade como técnico do Flamengo em Campeonatos Brasileiros. Luxa estava invicto na competição havia 16 rodadas e com mais um jogo igualaria a marca de Cláudio Coutinho, que ficou 17 jogos sem derrota em 1980, ano do primeiro título Brasileiro do Flamengo.

Essa sequência de 16 jogos sem derrota em uma única edição de Vanderlei Luxemburgo é, no entanto, uma das maiores na história da competição nacional em uma única edição. A marca ficou próxima do recorde de invencibilidade na era dos pontos corridos, que pertence a Paulo César Gusmão, que ficou 21 rodadas sem derrota no ano passado, contando as passagens por Ceará e Vasco. No geral, em uma única edição, porém, Luxemburgo ainda estava longe de alcançar o recorde de Evaristo de Macedo que ficou 27 partidas sem perder pelo Santa Cruz no Brasileirão de 1978.

Além de ser o recordista de invencibilidade em uma única edição de Brasileiro, Evaristo de Macedo detém também o recorde de sequência invicta somando-se os campeonatos seguintes, com 33 jogos sem derrota entre 1973 e 1978. Luxemburgo, pelo Palmeiras, em 1993 e 1994, chegou a ficar 23 jogos sem derrota.

Confira abaixo as maiores invencibilidades dos técnicos na história do Brasileirão em uma única edição e também no geral.

Maiores invencibilidades em uma única edição:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Maiores invencibilidades no geral:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 10 de agosto de 2011 Copa Sul-Americana, História | 09:14

São Paulo busca reverter a sina de fracassar diante dos brasileiros

Compartilhe: Twitter

Nos últimos dez anos, o São Paulo participou de 12 torneios sul-americanos, entre Copa Libertadores e Copa Sul-Americana. Pela principal competição do continente, sagrou-se campeão em 2005, ano em que também levantou o título Mundial. Nas outras 11 edições, porém, o clube saiu derrotado e sucumbindo diante de equipes brasileiras em oito confrontos de mata-mata. As outras três eliminações foram diante do River Plate-ARG, Once Caldas-COL e Millonarios-COL.

Hoje, o Tricolor do Morumbi inicia sua trajetória na Copa Sul-Americana diante do Ceará, outro rival brasileiro em torneios sul-americanos. Longe da Copa Libertadores depois de sete anos seguidos de participações, o São Paulo quer aproveitar o curto caminho da Sul-Americana para garantir sua volta à Libertadores em 2012. Para isso, porém, deverá superar essa sina recente de cair diante de clubes brasileiros em torneios da América do Sul. Se passar pelo Ceará, o São Paulo irá para as oitavas-de-final, mas só voltará a enfrentar outra equipe brasileira na semifinal ou na final.

Confira abaixo as últimas eliminações do São Paulo em torneios sul-americanos:
2010 – Copa Libertadores – Eliminado pelo Internacional na semifinal
2009 – Copa Libertadores – Eliminado pelo Cruzeiro nas quartas-de-final
2008 – Copa Libertadores – Eliminado pelo Fluminense nas quartas-de-final
2008 – Copa Sul-Americana – Eliminado pelo Atlético-PR na segunda fase
2007 – Copa Libertadores – Eliminado pelo Grêmio nas oitavas-de-final
2007 – Copa Sul-Americana – Eliminado pelo Millonarios-COL nas quartas-de-final
2006 – Copa Libertadores – Perdeu para o Internacional na final
2005 – Copa Libertadores – Campeão, bateu o Atlético-PR na final
2005 – Copa Sul-Americana – Eliminado pelo Internacional na primeira fase
2004 – Copa Libertadores – Eliminado pelo Once Caldas-COL na semifinal
2004 – Copa Sul-Americana – Eliminado pelo Santos na segunda fase
2003 – Copa Sul-Americana – Eliminado pelo River Plate-ARG na semifinal

Autor: Tags: ,

terça-feira, 19 de julho de 2011 Campeonato Brasileiro, História, Técnicos | 11:54

Antônio Lopes e os técnicos recordistas no Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Aos 70 anos, o técnico Antônio Lopes assumiu o desafio de tentar manter o América-MG na Série A do Brasileiro. Seu começo não foi nada animador. Logo na estreia, levou de 4 x 0 do Ceará. Porém, mesmo com a derrota, o Delegado conseguiu uma façanha nessa partida. Afinal, chegou a marca de 24 Campeonatos Brasileiros disputados. Campeão em 1997, com o Vasco, e em 2005, com o Corinthians, Lopes fez sua estreia pela competição em 1982. Desde então, dirigiu 15 clubes diferentes (apenas Valdir Espinosa, Geninho e Leão treinaram mais equipes – 16 no total).

Com 464 jogos comandados até hoje, Antônio Lopes é o segundo técnico com mais partidas em Brasileiros, perdendo apenas para Vanderlei Luxemburgo, que soma 544 partidas. Ao disputar mais um Brasileiro, Lopes tornou-se também um dos três treinadores que disputaram todos os campeonatos na era dos pontos corridos (Muricy Ramalho e Cuca são os outros dois). Confira abaixo a trajetória de Antônio Lopes em Campeonatos Brasileiros e também alguns recordes dos técnicos na história da competição, que envolvem o Delegado.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 11 de julho de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 17:00

Flamengo tem melhor campanha no ano desde 1979

Compartilhe: Twitter

Campeão carioca invicto, vice-líder do Brasileiro sem perder ainda e com uma derrota apenas no ano (para o Ceará, que o eliminou da Copa do Brasil), o Flamengo vive uma grande temporada em 2011. A equipe de Vanderlei Luxemburgo, em 34 jogos, conquistou 20 vitórias, 13 empates e teve apenas uma derrota.

Entre os 20 clubes que disputam o Brasileirão desse ano, o Rubro-negro é o que menos perdeu na temporada de 2011. Palmeiras e Botafogo, outros times que perderam pouco no ano, têm quatro derrotas. Já o Corinthians, líder invicto do Brasileirão, tem cinco derrotas. Veja a campanha dos 20 clubes da Série A em 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com um aproveitamento de 71,6% no ano, o Flamengo tem um grande desempenho, o melhor das últimas duas décadas. Aproveitamento superior a esse, o Rubro-negro teve apenas em 1979, quando alcançou 80,9% (considerando três pontos por vitória, como hoje). Naquele ano, o Flamengo venceu 62 jogos e perdeu apenas 7 em 82 jogos. Até hoje, o Rubro-Negro nunca passou uma temporada sem derrota. Assim como agora, em 2011, apenas uma vez o Flamengo perdeu um jogo no ano. Porém, naquela época do amadorismo, o clube disputou só 16 partidas, com 9 vitórias, seis empates e uma derrota. Confira abaixo as campanhas do Flamengo por temporada, desde 1979:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 4 de julho de 2011 Confrontos, Copa América, História | 13:07

Venezuela vem equilibrando o confronto contra o Brasil

Compartilhe: Twitter

Antigo saco de pancadas da América do Sul, a Venezuela vem melhorando seu rendimento no continente. Tanto pelas Eliminatórias, quanto pela Copa América. Em 1995, 1997, 1999 e 2001, a Seleção Vinotinto foi a última colocada na Copa América. Em 2004, ficou na penúltima colocação. Já em 2007, jogando em casa, foi a 6ª colocada. Nas Eliminatórias, a Venezuela foi a última no torneio que valia vaga na Copa de 1998, penúltima na 2002, e 8ª na de 2006 e 2010.

Históricamente, contra o Brasil, a Venezuela sempre foi um adversário fácil de ser batido. Entre 1969 (ano do primeiro confronto), até 2005, foram 17 jogos e 17 vitórias do Brasil, com 78 gols da Seleção Brasileira e apenas 4 da Venezuela. Desde 2008, porém, o time Vinotinto vem equilibrando o confronto com o Brasil.

Em 2008, num amistoso realizado no Estados Unidos, a Venezuela venceu o time comandado por Dunga por 2 x 0. Pelas Eliminatórias da Copa de 2010, o Brasil venceu por 4 x 0 na Venezuela, mas depois ficou apenas no 0 x 0, em casa. Ontem, na estreia da Copa América, outro empate sem gols. Assim, nos últimos quatro jogos, foram uma vitória para cada lado e dois empates, justamente nos últimos dois jogos. Resultados que servem de alerta para a Seleção Brasileira, que tem um jogador como Neymar, que vale mais do que todos os jogadores venezuelanos.

Confira abaixo os confrontos entre Brasil e Venezuela na história:

Autor: Tags: , ,

domingo, 26 de junho de 2011 Campeonato Brasileiro, Confrontos, História | 18:56

Corinthians iguala a maior goleada sobre o São Paulo

Compartilhe: Twitter

Em 1996, o Corinthians bateu o São Paulo, de Muricy Ramalho, por 5 x 0, pelo Campeonato Paulista, alcançando a maior goleada sobre o rival na história do clássico. Naquele jogo, realizado em Ribeirão Preto, a estrela do jogo foi o atacante Edmundo, com dois gols.

Hoje à tarde, foi a vez de o atacante Liédson comandar o alvinegro em outra goleada histórica por 5 x 0 sobre o Tricolor. Autor de 3 gols, Liédson foi decisivo na partida que acabou com o aproveitamento de 100% do líder São Paulo no Brasileirão. Danilo e Jorge Henrique, completaram o placar de 5 x 0.

A última goleada no clássico havia sido em 2005, quando o São Paulo fez 5 x 1, também no Pacaembu, no jogo que marcou a demissão do técnico argentino Daniel Passarella. Pelo lado corintiano, a última vitória elástica ocorreu em 1999, quando fez 4 x 0, no Morumbi, na semifinal do Paulistão. Curiosamente, naquele jogo, o técnico do São Paulo também era Paulo César Carpegiani.

Confira a lista das maiores goleadas do clássico Corinthians x São Paulo:

26/6/2011 – Corinthians 5 x 0 São Paulo
8/5/2005 – São Paulo 5 x 1 Corinthians
6/6/1999 – Corinthians 4 x 0 São Paulo
10/3/1996 – Corinthians 5 x 0 São Paulo
10/8/1980 – São Paulo 4 x 0 Corinthians
3/6/1962 – Corinthians 5 x 1 São Paulo
26/8/1951 – Corinthians 4 x 0 São Paulo
16/4/1947 – Corinthians 5 x 1 São Paulo
1/1/1946 – São Paulo 5 x 1 Corinthians
15/10/1944 – São Paulo 4 x 0 Corinthians

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 15 de junho de 2011 Confrontos, Copa Libertadores, História | 12:14

Curiosidades sobre a final entre Peñarol e Santos

Compartilhe: Twitter

A Copa Libertadores de 2011 começa a ser decidida hoje à noite, com o jogaço entre Peñarol e Santos. A competição sul-americana, que chega a sua 52ª final, conhecerá o campeão na próxima quarta-feira, dia 22, quando as equipes se enfrentarão no Pacaembu.

O Santos, bicampeão em 1962 e 1963, volta a brigar pelo título contra um clube com quem já disputou uma final. Em 2003, o time da Vila Belmiro perdeu a chance de ser tricampeão ao perder a decisão para o Boca Juniors-ARG, clube o qual havia vencido na decisão de 1963. Já o Peñarol, adversário de hoje, foi o rival do Santos na final de 1962.

Veja aqui outra curiosidades envolvendo a final de hoje noite:

– Peñarol e Santos já se enfrentaram cinco vezes pela Libertadores. Em 1962, na final, o Santos venceu por 2 x 1 no Uruguai e depois perdeu por 3 x 2 na Vila Belmiro. No jogo extra, em Buenos Aires, deu Santos (3 x 0). Já em 1965, pela semifinal, o Santos venceu por 5 x 4 no jogo de ida. Na volta, o Peñarol venceu por 3 x 2 e depois por 2 x 1, na prorrogação.

– Essa será a quarta final repetida da história. As outras foram Santos x Boca Juniors-ARG (1963 e 2003); Nacional-URU x Estudiantes-ARG (1969 e 1971) e River Plate-ARG x  América de Cáli-COL (1986 e 1996).

– Na final de 1962, os dois grandes nomes do Peñarol eram Pedro Rocha e Alberto Spencer. Pedro Rocha brilhou depois no futebol brasileiro, jogando pelo São Paulo. Já Alberto Spencer é o até hoje maior artilheiro da história da Libertadores, com 54 gols.

– O Peñarol é o maior campeão nacional entre os clubes da América do Sul com 48 títulos. Esse ano, porém, ficou na terceira colocação e viu seu maior rival, o Nacional, levantar a taça pela 43ª vez.

– Pentacampeão da Libertadores em 1987, o Peñarol teve como melhor desempenho, até então, alcançar às quartas-de-final em 2002, quando foi eliminado pelo São Caetano, nos pênaltis.

– O heroi do Peñarol no título de 1987 foi o atacante Diego Aguirre, hoje técnico do clube uruguaio. Aguirre chegou a jogar no Internacional e no São Paulo no início da década de 90.

– Já o técnico campeão pelo Peñarol em 1987 foi Óscar Washington Tabárez, que dirigiu a Seleção Uruguaia na Copa do Mundo de 1990 e recentemente na Copa do Mundo de 2010, quando levou a Celeste Olímpica à semifinal. Tabárez será o treinador da Seleção Uruguaia na próxima Copa América.

– Autor do gol da vitória do Peñarol sobre o Vélez Sarsfield, na primeira partida da semifinal, o lateral-esquerdo Darío Rodríguez é o capitão do time e o jogador mais velho do elenco, com 36 anos. Darío marcou um golaço na Copa do Mundo de 2002, na derrota do Uruguai para a Dinamarca por 2 x 1.

– O Peñarol perdeu duas finais para clubes brasileiros. Além de ser derrotado pelo Santos em 1962, perdeu também para o Grêmio, em 1983. Em 1961, porém, venceu o Palmeiras, sagrando-se bicampeão na época.

– Com 5 títulos, o Peñarol tem a chance de alcançar o Boca Juniors e se tornar o segundo clube com mais conquistas da Libertadores. O Independiente-ARG é o recordista com 7. Já o Santos, se conquistar o tricampeonato, iguala o São Paulo, até hoje o clube brasileiro com mais títulos sul-americanos.

– Santos e Peñarol já se enfrentaram 20 vezes na história. O Peixe leva vantagem com 9 vitórias, 4 empates e 7 derrotas. O primeiro confronto entre eles foi justamente no Estádio Cententário, na final da Libertadores de 1962 (dia 28 de julho), com a vitória santista por 2 x 1. Já o último jogo foi em 1996, pela Supercopa dos Campeões, com a vitória do Santos por 3 x 0.

– Peñarol (em 1960) e Santos (em 1963), foram campeões invictos. Além deles, apenas o Independiente (1964), Estudiantes (1969 e 1970) e Boca Juniors (1978), também ganharam a Copa sem perder.

– O Peñarol detém o recorde de participações seguidas em Libertadores: 15 vezes, entre 1965 e 1979.

– O Peñarol é também o recordista de participações na Copa Libertadores. Até hoje, o clube uruguaio já disputou 39 edições, seguido pelo Nacional-URU (37), Olimpia-PAR (35) e Cerro Porteño-PAR (34).

– O Peñarol é o clube que mais chegou em finais de Libertadores, com dez decisões na história. Até agora, ganhou 5 e perdeu 4.

– A maior goleada da história da Copa Libertadores foi aplicada pelo Peñarol. Em 1970, bateu o Valencia, da Venezuela, por 11 x 2.

– Os uruguaios não chegam a uma decisão de Libertadores há 23 anos. A última vez foi com o Nacional, em 1988. Desde então, o melhor desempenho foi do Naci0nal, semifinalista em 2009. Nesses 23 anos, só não chegaram à final clubes da Venezuela e Bolívia.

– Caso seja campeão, o técnico Diego Aguirre poderá entrar no grupo seleto de campeões da Libertadores como jogador e técnico. Até hoje, apenas seis conseguiram essa proeza: Maschio (Racing/1967 e Independiente/1973); Ferreiro (Independiente/1964-65 e Independiente/1974); Cubilla (Peñarol/1960-61, Nacional/1971 e Olimpia/1979/90); Mujica (Nacional/1971 e Nacional/1980); Pastoriza (Independiente/1972 e Independiente/1984); e Pumpido (River Plate/1986 e Olimpia/2002)

– O Estádio Centenário, de Montevidéu, é o que mais recebeu partidas de finais de Libertadores. A final de hoje à noite será a 20ª da história.

– O árbitro de hoje, o paraguaio Carlos Amarilla, apitou seu primeiro jogo de Libertadores em 1998. Desde então, nunca chegou a apitar uma final de Libertadores. Amarilla apitou algumas semifinais: Santos 1 x 0 Independiente Medellín-COL (2003); São Paulo 0 x 0 Once Caldas-COL (2004); Cúcuca-COL 3 x 1 Boca Juniors-ARG (2007); São Paulo 2 x 1 Internacional (2010); Peñarol 1 x 0 Vélez Sarsfield (2011)

– Esse será o 72º de Carlos Amarilla em Libertadores. O paraguaio é o terceiro árbitro que mais apitou na história da competição, atrás apenas do colombiano Oscar Ruiz, que se aposentou esse ano com 80 jogos de Libertadores na bagagem; e o uruguaio Jorge Larrionda, que apitou com 75.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 6 de junho de 2011 Estatísticas, História, Seleção Brasileira | 13:09

Lúcio e os recordistas de jogos pelas Seleções

Compartilhe: Twitter

O zagueiro Lúcio, aos 33 anos, completou seu centésimo jogo com a camisa da Seleção Brasileira no amistoso do último sábado, contra a Holanda (0 x 0). Jogador da Internazionale, Lúcio estreou pela Seleção em 2000, na vitória contra a Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa de 2002. No jogo, realizado no Morumbi, Lúcio teve como companheiro de zaga Roque Júnior, o autor do gol do time treinado por Emerson Leão.

Desde então, o zagueiro tornou-se titular da Seleção e, com a aposentadoria de Cafu, assumiu o posto de capitão do time. Desde 2000, o jogador foi o único chamado pelos últimos cinco técnicos da Seleção (Emerson Leão, Luiz Felipe Scolari, Parreira, Dunga e Mano Menezes).

Com 100 jogos, Lúcio está, agora, a apenas um de igualar o goleiro Taffarel, o terceiro jogador com mais partidas pela Seleção Brasileira. O zagueiro, porém, está longe de alcançar Cafu, que disputou 142 jogos. Mesmo que vá para a Copa do Mundo de 2014, quando terá 36 anos, dificilmente Lúcio chegará a essa marca, afinal o Brasil não deverá disputar mais tantos jogos até lá.

Confira a lista dos jogadores com mais partidas pela Seleção Brasileira:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.No mundo, quase 200 jogadores já ultrapassaram a marca  de 100 jogos por suas respectivas seleções. Até hoje, os recordistas são o egípcio Mohamed Al-Daeyea e o zagueiro mexicano Claudio Suárez, ambos com incríveis 178 jogos. Entre os jogadores que estão na ativa, quem tem mais partidas hoje é o argentino Javier Zanetti, com 140 jogos.

Veja a lista dos jogadores com mais partidas pelas Seleções no mundo:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 1 de junho de 2011 Confrontos, Copa do Brasil, Copa Libertadores, História | 12:30

Vasco busca vaga na Libertadores depois de 11 anos

Compartilhe: Twitter

Campeão da Copa Libertadores de 1998, o Vasco começa hoje a decidir a Copa do Brasil, contra o Coritiba. O clube carioca busca o título inédito e também a vaga na Libertadores, a qual não disputa de 2001, ano em que venceu seus oito primeiros jogos mas acabou eliminado pelo Boca Juniors-ARG nas quartas-de-final. Naquela época, o Vasco, comandado por Joel Santana, contava com o craque Romário, além de jogadores como Juninho Paulista, Hélton, Euller, Pedrinho e Viola.

Entre os 12 grandes clubes do futebol brasileiro, apenas o Botafogo e Atlético-MG estão há mais tempo sem disputar a principal competição sul-americana. O Botafogo jogou o torneio pela última vez em 1996. Já o Galo, participou em 2000.

Por outro lado, o Coritiba também luta para retornar à Libertadores. O time paranaense, no entanto, jogou mais recentemente. Em 2004, o time disputou o torneio após ficar na 5ª colocação no Brasileirão de 2003. Dirigido por Antônio Lopes, o Coxa acabou eliminado na primeira fase em 2004. A curiosidade é que o goleiro do Coritiba naquela época era Fernando Prass, hoje no Vasco. Outros destaques daquele time eram o zagueiro Miranda (hoje no São Paulo) e o lateral-esquerdo Adriano (atualmente no Barcelona e na Seleção Brasileira).

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Confira abaixo a lista dos clubes brasileiros que estão há mais tempo sem disputar a Libertadores:

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 16 de maio de 2011 Campeões, Campeonatos Estaduais, História | 09:59

Zagueiro Durval conquista seu nono estadual consecutivo

Compartilhe: Twitter

Prestes a completar 100 jogos com a camisa do Santos, o zagueiro Durval, de 30 anos, antigiu uma marca pessoal sensacional ontem, ao conquistar mais um título em sua carreira. Jogador comedido, que pouco aparece para a mídia, o zagueiro é titular absoluto do time há dois anos e um dos destaques dessa equipe vitoriosa do Santos. Em duas temporadas, Durval disputou 96 jogos, conquistou dois paulistas e uma Copa do Brasil.

Com o recente título paulista, o zagueiro alcançou a marca de nove títulos estaduais consecutivos. Nascido na cidade de Cruz do Espírito Santo (PB), Durval foi campeão paraibano em 2003, pelo Botafogo-PB. Depois disso, levantou a taça pelo Brasiliense-DF, em 2004. No ano seguinte, foi campeão paranaense pelo Atlético-PR. Ainda em 2005, pelo Furacão, Durval titular da equipe que chegou à final da Copa Libertadores.

Na sequência, Durval conquistou o tetracampeonato pernambucano pelo Sport (de 2006 a 2009). Capitão do time, o jogador conseguiu, nesse período, levantar ainda o título da Copa do Brasil de 2008. Com 238 jogos e 38 gols, Durval é considerado um dos maiores jogadores da história do Sport. Em 2010, o jogador chegou ao Santos e no mesmo ano conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil. Agora, em 2011, chegou ao nono título estadual consecutivo.

Aos 30 anos, Durval tem a chance de, em 2012, alcançar o recorde de títulos estaduais consecutivos. Em 1973, o lateral-direito Gena (Genival Costa de Barros Lima), conquistou seu décimo Estadual, curiosamente todos pernambucanos. Titular do Náutico na campanha do hexa (1963 a 1968), Gena defendeu o Sana Cruz na campanha do penta (de 1969 a 1973), estabelecendo um recorde que dura até hoje.

Confira abaixo os títulos de Durval:

2003 – Paraibano (Botafogo-PB)
2004 – Brasiliense (Brasiliense-DF)
2005 – Paranaense (Atlético-PR)
2006 – Pernambucano (Sport)
2007 – Pernambucano (Sport)
2008 – Pernambucano (Sport)
2009 – Pernambucano (Sport)
2010 – Paulista (Santos)
2011 – Paulista (Santos)

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 13 de maio de 2011 Confrontos, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 10:49

Números e curiosidades dos semifinalistas da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

A Copa do Brasil de 2011 terá uma final inédita pela frente e um campeão inédito. Dos quatro semifinalistas, apenas dois já conseguiram chegar à uma final: Vasco (vice em 2006) e Ceará (vice em 1994). O Coritiba, disputará sua quarta semifinal. Nas outras três anteriores, acabou eliminado. Já o Avaí, que despachou Botafogo e São Paulo, faz sua melhor campanha. Nas seis anteriores, chegou, no máximo, até as oitavas-de-final.

Os dois confrontos da semifinal nunca aconteceram em edições anteriores da Copa do Brasil (Coritiba x Ceará e Vasco x Avaí). Historicamente, entre esses quatro semifinalistas, o Vasco é o clube com o maior número de participações e também o de melhor campanha. O time de São Januário é também o que mais vezes conseguir chegar à semifinal. Confira abaixo:

.

.

..

.

.

,

.

Já na atual edição, o clube que tem o melhor desempenho, por enquanto, é o Coritiba. Em 8 jogos, venceu 7 e perdeu apenas um, para o Palmeiras, no jogo em que podia perder por até 5 gols de diferença. O Coxa, do técnico Marcelo Oliveira, tem também o melhor ataque (19 gols) e a melhor defesa (apenas 4 gols sofridos), entre os semifinalistas. Já Ceará e Vasco seguem invictos na competição. O time cearense, com 3 vitórias e um empate fora de casa, é melhor visitante entre os quatro sobreviventes da Copa do Brasil. Já o Avaí tem dois artilheiros no topo da lista de goleadores da competição: William e Rafael Coelho, com 5 gols, ao lado de Adriano e Kléber, do Palmeiras.

Veja abaixo as campanhas dos semifinalistas da Copa do Brasil e seus artilheiros:


.

.

.

.

.

.

Artilheiros

CEARÁ

3 gols
Washington

2 gols
Geraldo, Iarley e Marcelo Nicácio

1 gol
Euzébio, Fabrício e João Marcos

.

CORITIBA

3 gols
Anderson Aquino e Bill

2 gols
Davi, Emerson, Marcos Aurélio e Rafinha

1 gol
Eltinho, Everton Ribeiro, Geraldo, Jonas e Léo Gago

.

VASCO

3 gols
Alecsandro

2 gols
Bernardo e Marcel

1 gol
Dedé, Diego Souza, Éder Luís, Elton, Felipe Bastos, Jéferson e Rômulo

.

AVAÍ

5 gols
Rafael Coelho e Willian

1 gol
Acleisson, Bruno, Estrada e Marquinhos Gabriel

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 3 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:27

Flamengo 2011 e os campeões cariocas invictos

Compartilhe: Twitter

O Flamengo conquistou seu 32º título estadual no último final de semana e o seu quinto de forma invicta. A última vez que o clube (e também um time do Rio), havia levantado a taça dessa maneira foi em 1996. Naquele ano, o Rubro-negro tinha como destaque o baixinho Romário e o técnico Joel Santana. Antes disso, apenas os times campeões de 1979 (de Zico e Cia.), de 1920 e 1915 conquistaram o Carioca de forma invicta pelo Flamengo.

Entre os quatro grandes clubes do Rio, Flamengo e Vasco são os maiores campeões invictos, com cinco conquistas cada. O Fluminense ganhou três títulos dessa forma, enquanto o Botafogo foi campeão sem derrota apenas uma vez, justamente em 1989, ano em que saiu da fila de 21 anos sem títulos.

Confira as campanhas dos campeões invictos do Campeonato Carioca:

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 19 de abril de 2011 Futebol Europeu, História | 11:24

Curiosidades sobre a final da Copa do Rei

Compartilhe: Twitter

Barcelona e Real Madrid decidirão amanhã a final da Copa del Rey. Tradicional competição, a Copa da Espanha é disputada desde 1903 e tem como maior vencedor o clube catalão, com 25 títulos. Ao contrário da lista de títulos do campeonato nacional, onde o Real Madrid é o maior campeão, na Copa do Rei quem manda é o Barça.

Até hoje, os dois gigantes do futebol mundial se enfrentaram em apenas cinco das 106 finais. Em 1936 e em 1974, deu Real, com vitórias por 2 x 1 e 4 x 0, respectivamente. Em 1968, o Barcelona foi campeão ao vencer a final por 1 x 0. Já em 1983, o Barça foi campeão, com Maradona, ao vencer por 2 x 1. Sete anos depois, em 1990, deu Barcelona novamente (2 x 0). No geral, pela Copa do Rei, os rivais já se enfrentaram 28 vezes, com 14 vitórias do Barcelona, 5 empates e 9 vitórias do Real Madrid. Nos confrontos diretos entre eles em 16 edições, o Barcelona se deu melhor em 9, contra 7 do Real Madrid.

Pela Copa, a última vez que Barça e Real se enfrentaram foi em 1997, nas oitavas de final, quando o Barcelona eliminou o rival (3 x 2 na ida e 1 x 1 na volta). No primeiro jogo, os brasileiros Ronaldo e Giovanni e o espanhol Nadal marcaram os gols do Barcelona. Suker e Hierro fizeram para o Real. Na volta, Suker fez o gol do Real e Roberto Carlos (contra), fez o gol do Barça.

Outra curiosidade envolvendo o superclássico, é que pela Copa do Rei, o Real Madrid conquistou sua maior vitória sobre o rival, enfiando 11 x 1 na semifinal da Copa de 1943.

No geral, Barcelona e Real Madrid já se enfrentaram 241 vezes, com 100 vitórias do Barcelona, 52 empates e 89 vitórias do Real Madrid.

Confira abaixo os maiores campeões da Copa do Rei da Espanha e também dos principais países do Velho Continente.

Espanha – Copa do Rei
Final – Barcelona x Real Madrid (dia 20/04/2011)

.

.

.

.

.

.

.

Inglaterra – FA Cup
Final – Manchester City x Stoke City (dia 14/05/2011)

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

Itália – Coppa Italia
Semifinal: Roma x Inter e Palermo x Milan (dias 19 e 20/4 e 10 e 11/5)

.

.

.

.

.

.

.

.

Alemanha – DFB-Pokal
Final: Duisburg x Schalke 04 (dia 21/5/2011)

.

.

.

.

.

.

.

França – Coupe de France
Semifinal: Nice x Lille (dia 19/4/2011) e Angers x Paris Saint-Germain (dia 20/4/2011)

.

.

.

.

.

.

.

Portugal – Taça de Portugal
Final: Vitória de Guimarães x Benfica ou Porto (dia 22/5/2011)

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 5 de abril de 2011 Artilheiros, Campeonatos Estaduais, História | 17:22

Pelé, Raí, Eduardo e os maiores artilheiros em um jogo do Paulistão

Compartilhe: Twitter

No último domingo, o atacante Eduardo, do São Caetano, conseguiu uma proeza ao marcar 5 gols na vitória do Azulão sobre o São Bernardo por 6 x 1. Desde 1993, nenhum jogador havia feito mais do que 4 gols em um só jogo do Campeonato Paulista. Naquele ano, o atacante Sinval marcou 5 gols na vitória do Novorizontino sobre a Catanduvense por 7 x 0.

Cinco ou mais gols em jogo do Paulistão aconteceu apenas em 57 jogos em toda a história do campeonato mais antigo do Brasil, que já ultrapassou a marca dos 20.000 jogos. No início, o feito era um pouco mais comum. Craques como Friedenreich, Araken, Feitiço, Teleco e Pelé, por exemplo, conseguiram marcar mais de três vezes cinco gols em um só jogo. Nos últimos 40 anos, no entanto, apenas cinco jogadores atingiram essa marca. Entre eles, os irmãos Sócrates e Raí. O primeiro, anotou 7 gols quando ainda era do Botafogo-SP. Depois de Pelé, o recordista com 8 gols em 1964, o Doutor detém a melhor marca. Já Raí marcou 5 gols em 1992, quando estava no auge no tricolor.

Confira a lista dos jogadores que já marcaram 5 ou mais gols na história do Campeonato Paulista, desde 1902:

.

.

.

.

.


.

….

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 31 de março de 2011 Artilheiros, Copa Libertadores, História | 09:24

Thiago Ribeiro entra para o Top-3 do Cruzeiro em Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com o gol anotado ontem, na vitória do Cruzeiro sobre o Guaraní-PAR por 2 x 0, o atacante Thiago Ribeiro chegou a marca de três gols pela Raposa na atual edição da Libertadores. Artilheiro da competição no ano passado, com 8 gols, Thiago soma agora 11 gols pelo Cruzeiro e está na lista dos três maiores artilheiros do clube na história do torneio Sul-Americano.

Com 11 gols, Thiago Ribeiro está empatado com Nelinho e Kléber e apenas a um gol de igualar Jairzinho, que marcou 12 gols só na edição de 1976, quando a Raposa faturou seu primeiro caneco da Libertadores. O recordista segue sendo Palhinha, que também participou da campanha vitoriosa de 1976. O atacante marcou 20 gols, sendo 7 em 1975 e 13 em 1976, quando, inclusive, foi artilheiro da Libertadores.

Além de Thiago Ribeiro e Palhinha, o Cruzeiro conseguiu também fazer o artilheiro da Libertadores em 2008, quando Marcelo Moreno marcou 8 gols, assim como o paraguaio Salvador Cabañas, do América-MEX.

Vice-campeão da Libertadores em 2006, pelo São Paulo, Thiago Ribeiro fez um gol pelo São Paulo naquela edição. Assim, com os seus 11 gols, soma 12 gols na história da Libertadores.

Na vitória de ontem, dois jogadores também marcaram história pelo Cruzeiro. O goleiro Fábio e o volante Marquinhos Paraná se tornaram os recordistas de jogos pela Raposa na história da Taça Libertadores. Com 41 jogos, os dois superaram o goleiro Raul, que fez 40 jogos nas Libertadores de 1967, 1975, 1976 e 1977.

Já classificado para as oitavas de final, o Cruzeiro tem hoje o melhor ataque da competição (17 gols) e a melhor defesa (apenas 1 gol sofrido). Para perder o primeiro lugar do Grupo 7, o time mineiro teria que levar uma goleada histórica de 8 gols de diferença do Estudiantes no último jogo, na Argentina.

Confira abaixo a lista dos maiores artilheiros dos clubes brasileiros em Libertadores e também a lista dos maiores artilheiros na história da competição:

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

A curiosidade da lista abaixo é que o uruguaio Hernán Rodrigo López, do Estudiantes, marcou três gols na edição de 2011 e entrou para a lista dos maiores goleadores.

.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de março de 2011 Artilheiros, Estatísticas, Futebol Europeu, História, Seleção Brasileira | 12:58

Grandes artilheiros em ação nas principais seleções

Compartilhe: Twitter

Os últimos dias foram marcados por jogos das Eliminatórias da Europa 2012 e muitos amistosos pelo mundo. Nessas partidas, alguns grandes artilheiros estiveram presentes e deixaram suas marcas. O atacante David Villa, com os dois gols que marcou no sábado, contra a República Tcheca, chegou a marca de 46 pele Seleção Espanhola, isolando-se como o maior artilheiro da história da Fúria. Raúl, o segundo colocado, tem 44 gols.

Outro grande artilheiro em ação é Miroslav Klose. Também no sábado, o segundo maior artilheiro das Copas do Mundo marcou duas vezes contra o Cazaquistão, chegando a marca de 61 gols pela Seleção Alemã. Klose está a apenas 7 gols de igualar o grande goleador Gerd Müller, autor de 68 em somente 62 jogos (incrível média de 1,09 por partida).

No Uruguai, o atacante Diego Forlán está a apenas dois gols de se igualar a Héctor Scarone como o maior artilheiro da Celeste. Loco Abreu, com 26, está apenas três atrás de Forlán.

Na Holanda, Dirk Kuyt e Van Persie, com 21 gols cada (anotaram nos jogos recentes contra a Hungria), estão próximos entrar para a lista dos 10 maiores artilheiros da Seleção Holandesa. O craque Marco Van Basten, é o décimo com 24 gols. Na Argentina, Messi, com 16 gols, está a três gols de entrar na lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Já na lista dos jogadores que mais atuaram pelas grandes seleções, alguns craques em atividade também vêm fazendo história. Na Espanha, Xavi superou a marca dos 100 jogos e está a apenas um de igualar Raúl, o jogador de linha com mais jogos. Já o goleiro Casillas está bem próximo de se tornar o número um em participações na Seleção Espanhola em breve. Faltam apenas 7 jogos para igualar Zubizarreta.

Na Alemanha, Klose é também o segundo jogador com mais participações, ao lado de Klinsmann. Para chegar ao primeiro colocado, Lothar Matthäus, falta muito (42 jogos).

Na Seleção Brasileira, o zagueiro Lúcio voltou a ser o capitão do time na vitória contra a Escócia e chegou a marca de 96 jogos. Falta apenas um jogo para igualar Ronaldo. Já na Argentina, Javier Zanetti é disparado o jogador com mais participações, com 140 jogos. Mascherano, com 68 jogos, está próximo de chegar a lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 17 de março de 2011 Artilheiros, Futebol Europeu, História | 11:56

Curiosidades e estatísticas dos finalistas da Champions League

Compartilhe: Twitter

A Uefa irá sortear amanhã de manhã os confrontos das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa. Dos oito finalistas, apenas o Shakhtar Donestk, da Ucrânia, nunca chegou nessa fase da competição. Chelsea, Tottenham e Schalke 04 brigam pelo título inédito. Já a Internazionale, atual campeã, luta pelo bicampeonato, algo que não acontece desde 1990, quando o rival Milan conquistou o bi.

O Real Madrid, que ontem eliminou o Lyon, é o maior campeão com 9 títulos e também o que mais vezes chegou nas quartas de final na história da competição (28 vezes contra 17 do Manchester United, 15 do Barcelona, 12 da Inter, 7 do Chelsea, 3 do Schalke e 2 do Tottenham). A classificação do time do técnico José Mourinho foi a primeira para as quartas desde 2004. De 2005 para cá, o time só morreu nas oitavas de final. O treinador português, aliás, segue com uma aproveitamento incrível como mandante com o Real Madrid nessa temporada. Em 30 jogos, venceu todos (incluindo jogos do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei), com 75 gols marcados e apenas 8 sofridos.

Já o Manchester United, tem como grande estrela o técnico Alex Ferguson. O escocês, no comando do clube inglês desde 1986, alcançou sua 100ª vitória na história da Liga dos Campeões ao bater na última terça-feira o Olympique de Marselha. Recordista de jogos e vitórias na competição, Ferguson detém o recorde 12 participações nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Confira abaixo o retrospecto histórico dos oito finalista da Champions League:

Dos oito clubes finalistas, o ucraniano Shakhtar Donestk é o que mais conta com brasileiros no elenco. São sete, curiosamente todos meias e atacantes. Confira abaixo o quem tem mais brazucas do elenco entre os oito finalista da Champions League:

xx

Estreante nas quartas de final,o Shakthar vem também com a melhor campanha entre os oito finalistas. Até agora, em 8 jogos, foram 7 vitórias e apenas uma derrota (1 x 5 para o Arsenal). Já Real Madrid e Manchester United seguem como os únicos invictos da competição. O Real Madrid, com 19 gols, tem o melhor ataque até aqui, ao lado do Tottenham. Porém, os ingleses fizeram dois jogos a mais, já que disputaram a fase preliminar. O Manchester, com apenas dois gols sofridos, tem a melhor defesa. Confira abaixo o desempenho das equipes nessa Champions League:

.

.

.

.

.

Comandado pelo argentino Lionel Messi, o Barcelona, grande favorito ao título, tem o elenco mais caro dessa Liga dos Campeões, avaliado em mais de 470 milhões de euros. Já a campeã Internazionale chega para as quartas de final com o elenco de maior média de idade. Confira abaixo os elencos mais caros e as maiores médias de idade das equipes dessa Champions League:

Competição que leva mais de 40 mil pessoas em média aos estádios, a Liga dos Campeões está bem representada nessa fase de quartas de final com equipes que costumam encher os estádios. Curiosamente, a campeã Inter é a equipe com a menor média de ocupação dos estádios até agora. Veja abaixo as médias de público e quem mais enche o estádio entre os oito finalistas:

Artilheiro da Liga dos Campeões em 2009, com 9 gols, e em 2010, com 8 gols, Lionel Messi é um dos principais artilheiros dessa Liga dos Campeões, com 8 gols, ao lado do ex-companheiro Samuel Eto’o. Caso termine como artilheiro, Messi irá igualar os recordes de Gerd Müller (1973/74/75) e Jean-Pierre Papin (1990/91/92), os únicos que conseguiram ser artilheiros três vezes consecutivas da competição. Veja abaixo os princiais artilheiros dos oito finalistas dessa Liga dos Campeões:

.

.

.

.

.

Apenas amanhã conheceremos os confrontos das quartas de final. Alguns deles, no entanto, poderão ser inéditos na história da competição. O Barcelona é o clube que mais enfrentou adversários classificados para as quartas. Dos sete, o time espanhol já jogou contra seis deles. Confira abaixo o resumo dos confrontos diretos entre os oito finalistas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 15 de março de 2011 Futebol Europeu, História | 10:16

Porto faz campanha brilhante e histórica em Portugal

Compartilhe: Twitter

Cada vez mais o Porto vem comprovando sua superioridade em Portugal. Nos últimos 20 anos, o clube conquistou 13 Campeonatos Portugueses contra apenas quatro do rival Benfica, dois do Sporting e um do Boavista.

Tetracampeão em 2009, o Porto acabou perdendo o último título português para o Benfica, mas nessa atual temporada os dragões voltaram a mostrar sua hegemonia no país. Depois de 23 rodadas, o Porto lidera o campeonato com 13 pontos de vantagem sobre o Benfica e está a apenas duas vitórias de conquistar seu 28º título nacional e encostar ainda mais no rival, que já ganhou 32 campeonatos e é o maior campeão português.

Sob o comando do técnico André Villas-Boas, ex-auxiliar de José Mourinho, e de apenas 33 anos, o Porto está invicto no campeonato nacional, com 21 vitórias e apenas dois empates. Das grandes ligas da Europa, na temporada 2010/11, o Porto segue como o único invicto. Em casa, no Estádio Dragão, o Porto ganhou todas as suas 12 partidas. Se não perder nos próximos 7 jogos e ficar se tornar campeão, esse será o primeiro título invicto do Porto. Até hoje, apenas o Benfica conseguiu tal proeza, nas temporadas 1972/73 e 1977/78.

Segundo clube que mais investiu nessa temporada em Portugal (gastou 29,5 milhões de euros contra 33,9 do Benfica), o Porto tem ainda o artilheiro da competição, o brasileiro Hulk, com 20 gols, o melhor ataque do torneio, com 53 gols.

Ontem, com gols de Hulk e Guarín, o Porto bateu o União Leira por 2 x 0 e chegou a sua 11ª vitória consecutiva na competição. De quebra, chegou a marca de 632 minutos sem sofrer gols. O goleiro brasileiro Hélton completou 7 jogos sem ter a meta vazada. O último gol sofrido pelo Porto, no Campeonato Português, foi no dia 16 de janeiro, na vitória por 3 x 1 sobre o Naval.

Hélton, que participou de todos os 23 jogos, sofreu apenas 7 gols no campeonato e pode levar o clube a uma marca histórica. Até hoje, o clube com a melhor defesa em um Campeonato Português foi o próprio Porto, que sofreu 9 gols na temporada 1979/80.

.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 3 de março de 2011 Artilheiros, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 09:43

Adriano Michael Jackson e Galo se aproximaram de recordes

Compartilhe: Twitter

Palmeiras e Atlético-MG avançaram para a segunda fase da Copa do Brasil, ontem, com goleadas sobre Comercial-PI e IAPE-MA, respectivamente. No Pacaembu, a grande estrela da noite foi o atacante Adriano Michael Jackson. Autor de 4 gols, o jogador – que já havia feito um no jogo de ida -, é agora o artilheiro da competição com 5 gols. Se tivesse feito mais um golzinho ontem, Adriano poderia ter alcançado um recorde na Copa do Brasil. Desde 1989, apenas três jogadores conseguiram anotar 5 gols em um único jogo na história da competição. De qualquer forma, Adriano igualou a marca de Viola, o recordista de gols em um só jogo da Copa do Brasil pelo Palmeiras.

Confira a lista dos jogadores que mais marcaram gols em um só jogo da Copa do Brasil:

5 gols

Gérson (Atlético-MG)
28/2/1991
Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI

Viola (Santos)
10/3/1999
Santos 6 x 0 Sinop-MT

Obina (Atlético-MG)
24/2/2010
Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG

Neymar (Santos)
14/4/2010
Santos 8 x 1 Guarani

4 gols

Gilson (Grêmio)
24/3/1993
Grêmio 5 x 2 Sorriso-MT

Daniel (Internacional)
2/4/1993
Ji-Paraná-RO 0 x 6 Internacional

Rudnei (Internacional)
6/4/1993
Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO

Paulo Rink (Atlético-PR)
20/2/1997
CSA 2 x 6 Atlético-PR

Viola (Palmeiras)
15/4/1997
Ceará 2 x 5 Palmeiras

Romário (Flamengo)
9/4/1998
Flamengo 5 x 2 Vitória

Flávio (Juventude)
7/4/1999
Juventude 6 x 0 Fluminense

Washington (Ponte Preta)
21/3/2001
Ponte Preta 8 x 1 Castanhal-PA

Zé Carlos (Guarani)
22/3/2001
Guarani 4 x 1 Caxias-RS

Washington (Ponte Preta)
23/5/2001
Ponte Preta 5 x 2 Fortaleza

Gil Baiano (Brasiliense)
6/4/2002
Brasiliense 4 x 1 Confiança-SE

Luís Fabiano (São Paulo)
12/3/2003
São Paulo 6 x 0 São Raimundo-AM

Fred (Cruzeiro)
16/2/2005
Sergipe 0 x 7 Cruzeiro

Perea (Grêmio)
27/2/2008
Grêmio 6 x 0 Grêmio Jaciara-MT

Rafael Moura (Goiás)
31/3/2010
Goiás 7 x 0 São José-AP

Adriano (Palmeiras)
2/3/2011
Palmeiras 5 x 1 Comercial-MT
.
.

Já o Atlético-MG aplicou a maior goleada nessa edição da Copa do Brasil, ao bater o IAPE por 8 x 1, na Arena Jacaré. Dessa forma, o Galo manteve sua posição de ser o clube com o maior número de gols na história da Copa do Brasil. Até hoje, foram 259 gols em 122 partidas. O Vasco e Flamengo, com 246 gols, vêm na sequência. A goleada de 8 x 1 do Atlético-MG entrou para a lista das maiores da história da competição. O próprio Atlético-MG, aliás, é o recordista, com o 11 x 0 aplicado em 1991.

Veja a lista das maiores goleadas na história da Copa do Brasil e mais abaixo as goleadas que o Galo já deu na competição:

4/3/1991 – Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI
28/3/2001 – São Paulo 10 x 0 Botafogo-PB
10/3/2010 – Santos 10 x 0 Naviraiense-MS
24/3/1993 – Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO
28/4/1995 – Flamengo 8 x 0 Kaburé-TO
5/3/1996 – Sergipe-SE 0 x 8 Palmeiras
4/3/1997 – Portuguesa 8 x 0 Kaburé-TO
10/2/1998 – Vasco 8 x 0 Picos-PI
15/3/2000 – Interporto-TO 0 x 8 Bahia
21/3/2001 – Castanhal-PA 1 x 8 Ponte Preta
2/5/2001 – Flamengo-PI 1 x 8 Corinthians
14/4/2010 – Santos 8 x 1 Guarani
2/3/2011 – Atlético-MG 8 x 1 IAPE-MA

22/7/1989 – Atlético-MG 7 x 0 América-RN
27/2/2008 – Palmas-TO 0 x 7 Atlético-MG
26/2/1998 – Alvorada-TO 0 x 7 Atlético-MG
10/3/2010 – Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG
1/4/2010 – Atlético-MG 6 x 0 Chapecoense-SC
2/3/2005 – Atlético-MG 6 x 0 Estrela do Norte-ES
21/3/2001 – Operário-MS 0 x 6 Atlético-MG
18/2/2009 – Itabaiana-SE 0 x 5 Atlético-MG
27/6/1990 – Atlético-MG 5 x 0 Vila Nova-GO
3/3/2004 – Atlético-MG 5 x 1 Catuense-BA
10/2/1998 – Atlético-MG 5 x 1 Avaí
19/4/2003 – Atlético-MG 4 x 0 CSA
26/3/2003 – Atlético-MG 4 x 0 Caldense-MG
.

.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 1 de março de 2011 Copa Libertadores, Estatísticas, História | 17:12

Pela Libertadores, Santos defende sequência de vitórias

Compartilhe: Twitter

O Santos enfrentará, amanhã, o Cerro Porteño-PAR pela Copa Libertadores. Se depender do histórico do alvinegro na competição, o primeira vitória está bem próximo. Jogando na Vila Belmiro, o Santos defende um sequência de 12 vitórias consecutivas na competição. Desde a derrota para o Atlético-PR, nas quartas-de-final de 2005, o Peixe não perdeu um ponto sequer em seu estádio.

Foram 7 vitórias em 2007 e mais 5 vitórias em 2008. Confira a sequência:

.

.

.

.

.

.

.

.

Na Vila Belmiro, aliás, o desempenho do Santos é muito melhor do que em outros estádios já utilizados pelo clube como mandante na história da Libertadores. Em 32 jogos na Vila, foram 26 vitórias, 4 empates e apenas 2 derrotas (85,4% de aproveitamento). Nos outros estádios (Morumbi, Pacaembu e Maracanã), foram 10 jogos, 4 vitórias, 1 empate e 5 derrotas (apenas 43,3% de aproveitamento). No Morumbi, aliás, o Santos perdeu todos os seus 4 jogos como mandante, incluindo a decisão de 2003 para o Boca.

Contra times paraguaios, o Santos também tem um bom retrospecto. Em 6 jogos, foram 4 vitórias e 2 empates. Em 1962, ano do primeiro título, o Santos enfiou um 9 x 1 no Cerro Porteño, na Vila, registrando a maior goleada de um time brasileiro na história da competição.

Se conseguir sua 13ª vitória em casa, amanhã, o Santos se aproximará ainda do recorde do São Paulo, o brasileiro que mais conquistou vitórias consecutivas pela Libertadores, com 18 triunfos entre 1992 e 2004. O Corinthians, com 14 vitórias, vem na sequência e pode ser superado pelo Santos ainda nessa primeira fase. Veja abaixo as maiores sequências de vitórias seguidas dos brasileiros pela Libertadores:

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 Campeonatos Estaduais, Confrontos, Estatísticas, História | 10:59

Nos números, vantagem para o São Paulo diante do Palmeiras

Compartilhe: Twitter

São Paulo e Palmeiras se enfrentarão no próximo domingo pela 10ª rodada do Paulistão. Líder do campeonato, o time do técnico Felipão terá uma difícil missão pela frente: bater o São Paulo, rival indigesto nos últimos anos, em pleno Morumbi.

Desde 2002, quando venceu por 4 x 2, com direito a uma golaço de Alex, o Palmeiras não vence o tricolor no Morumbi. Esse jejum de vitórias alviverdes já chega a 16 partidas (11 vitórias são-paulinas e 5 empates).

Historicamente, o retrospecto também favorece o São Paulo no Choque-Rei. Em 283 confrontos, foram 100 vitórias do São Paulo, contra 93 do Palmeiras e 90 empates. Nos últimos anos, o tricolor também tem levado a melhor. Desde o 4 x 2 de 2002, já foram realizados 31 jogos. Desses, o Palmeiras venceu apenas 6, contra 15 do São Paulo. Dessa forma, passou a ser o “freguês” do confronto.

Além do jejum no Morumbi, o Palmeiras tem também um retrospecto negativo no estádio contra o São Paulo. Em 110 jogos, foram 46 vitórias dos donos da casa, contra 25 do Palmeiras e 39 empates.

Outra vantagem são-paulina nesse confronto acontece na história do Paulistão. Até hoje, em 153 partidas, foram 65 vitórias do São Paulo contra 43 do Palmeiras e 42 empates.

Quem também tem um bom desempenho contra o Palmeiras, na história do clássico, é Rogério Ceni. O goleiro participou de 47 jogos contra o rival, venceu 22, empatou 11 e perdeu 14. O Palmeiras é também o clube que o goleiro mais marcou gols na carreira (7 no total).

O goleiro Marcos, que é dúvida para o clássico, já disputou o clássico 25 vezes, com 6 vitórias do Palmeiras, 8 empates e 11 vitórias do São Paulo.

Já o técnico Luiz Felipe Scolari também não leva vantagem nesse confronto. Em 13 jogos, venceu 3, empatou 2 e perdeu 8 deles.

Clique aqui para ver a lista de jogos entre Palmeiras e São Paulo na história.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011 Confrontos, Copa Libertadores, História | 11:49

Quem leva a melhor no duelo Brasil x Argentina pela Libertadores

Compartilhe: Twitter

Ontem, o Cruzeiro impôs uma goleada histórica sobre o Estudiantes-ARG (5 x 0), pela Copa Libertadores. Até hoje, desde 1960, em outros 134 confrontos entre brasileiros e argentinos, tivemos apenas duas goleadas por diferença igual ou maior do que cinco gols. Em 1994, quando o Palmeiras bateu o Boca Juniors por 6 x 1, no Parque Antártica. Já em 2008, o Fluminense bateu o Arsenal, de Sarandí, no Maracanã, por 6  x 0. E goleadas na história desse confronto também é raro. Veja as maiores até hoje pela Libertadores:

Maiores goleadas a favor dos Brasileiros:
5/3/2008         Fluminense 6 x 0 Arsenal (primeira fase)
9/3/1994          Palmeiras 6 x 1 Boca Juniors (primeira fase)
16/2/2011        Cruzeiro 5 x 0 Estudiantes (primeira fase)
14/4/1993        São Paulo 4 x 0 Newell’s Old Boys (oitavas-de-final)
2/5/2002          Grêmio 4 x 0 River Plate (oitavas-de-final)
21/7/1976        Cruzeiro 4 x 1 River Plate (final)
7/4/1994          Palmeiras 4 x 1 Vélez Sarsfield (primeira fase)
.

Maiores goleadas sofridas pelos Brasileiros:
8/4/2009          Estudiantes 4 x 0 Cruzeiro (primeira fase)
5/4/2006          River Plate 4 x 1 Paulista (primeira fase)

.

Maiores campeões da Libertadores, os argentinos sempre foram os maiores rivais dos brasileiros na competição. Na briga direta pelo título continental, os clubes da Argentina ainda levam boa vantagem. Em 12 finais, os brasileiros venceram apenas três. Confira:

Finais de Libertadores

Vitórias dos Brasileiros:
1963 – Santos campeão, Boca Juniors vice
1976 – Cruzeiro campeão, River Plate vice
1992 – São Paulo campeão, Newell’s Old Boys vice
.
Vitórias dos Argentinos
1968 – Estudiantes campeão, Palmeiras vice
1974 – Independiente campeão, São Paulo vice
1977 – Boca Juniors campeão, Cruzeiro vice
1984 – Independiente campeão, Grêmio vice
1994 – Vélez Sarsfield campeão, São Paulo vice
2000 – Boca Juniors campeão, Palmeiras vice
2003 – Boca Juniors campeão, Santos vice
2007 – Boca Juniors campeão, Grêmio vice
2009 – Estudiantes campeão, Cruzeiro vice

.

Em jogos eliminatórios, os famosos mata-matas, os clubes argentinos também superam os brasileiros pela Libertadores. Dos 37 jogos de mata-matas, os argentinos sairam vencedores em 21 deles, contra 16 dos brasileiros. No total de jogos, a vantagem dos argentinos é grande. Veja abaixo:

Mata-matas (brasileiros x argentinos pela Libertadores):

Confrontos 37
Brasileiros classificados/vitoriosos 16
Argentinos classificados/vitoriosos 21

.

Mata-matas

Jogos 76
Vitórias dos Brasileiros 27
Empates 16
Vitórias dos Argentinos 36
Gols dos Brasileiros 96
Gols dos Argentinos 106

.

A favor dos brasileiros nesses confrontos, só o desempenho nas fases de grupo (primeira fase e a antiga fase semifinal). A diferença de vitórias, porém, não é tão grande assim. Confira:

Jogos nas fases de grupos

Jogos 56
Vitórias dos Brasileiros 25
Empates 9
Vitórias dos Argentinos 22
Gols dos Brasileiros 85
Gols dos Argentinos 69

.

Dos clubes brasileiros que já enfrentaram argentinos, Flamengo, Goiás, São Paulo e Inter são aqueles que têm os melhores aproveitamentos nos confrontos direitos. Já o Corinthians, ao lado do Guarani (que jogou), tem o pior desempenho.

Brasileiros x argentinos

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 Copa do Brasil, Estatísticas, História | 12:49

Curiosidades e ranking da Copa do Brasil, que começa hoje

Compartilhe: Twitter

A 23ª edição da Copa do Brasil começa hoje com 14 jogos. Os dois principais, no final da noite: Murici-AL x Flamengo e Treze-PB x São Paulo. O primeiro jogo, devido à presença de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo, clube que lidera o ranking de pontos da história da Copa do Brasil. Já a partida do São Paulo, marcará o retorno do clube paulista no torneio depois de sete anos. O tricolor, aliás, é um dos poucos clubes, entre os grandes do país, que ainda não conquistou a Copa do Brasil (Vasco, Botafogo e Atlético-MG também não levantaram a taça).

Essa atual edição da Copa do Brasil não contará com os maiores campeões do torneio: Cruzeiro e Grêmio (4 títulos cada) e Corinthians (3 títulos), todos participantes da Libertadores de 2011. Outros clubes que também já venceram a Copa estarão ausentes na edição de 2011: Fluminense (campeão de 2007), Internacional (1992) e Santos (atual campeão), todos, também, na Libertadores, além de Criciúma (campeão de 1991) e Juventude (1999), que não conseguiram se classificar pelo estadual.

Sendo assim, apenas cinco dos treze campeões da Copa do Brasil estarão na disputa pelo título em 2011: Flamengo (campeão em 1990 e 2006), Palmeiras (1998), Sport (2008), Santo André (2004) e Paulista (2005).

Entre os treinadores, a competição terá como atrativo a volta de Luiz Felipe Scolari, o técnico mais vezes campeão da Copa do Brasil (1991, pelo Criciúma, 1994, pelo Grêmio, e 1998, pelo Palmeiras); além de Vanderlei Luxemburgo, campeão em 2003, pelo Cruzeiro, e Dorival Júnior, que conquistou o título pelo Santos, no ano passado.

Até hoje, 257 clubes já disputaram a Copa do Brasil, desde 1989. O Flamengo, com 240 pontos, é o primeiro colocado no ranking de pontos da competição, seguido por Grêmio, Vasco, Corinthians e Atlético-MG. O Galo mineiro, aliás, é o clube que mais vezes disputou a competição (21), ao lado do Vitória, que detém o recorde de partipações consecutivas na atualidade (18). Desde 1993, o rubro-negro vem disputando a Copa do Brasil. Desde então, seu melhor desempenho foi vice, em 2010. Confira abaixo o ranking com os primeiros colocados e aqui o ranking completo:

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011 Copa Libertadores, Estatísticas, História, Técnicos | 10:44

Técnicos argentinos predominam na Libertadores

Compartilhe: Twitter

A atual edição da Copa Libertadores está repleta de técnicos argentinos. Dos 38 clubes participantes (contando aí os seis eliminados da fase), 16 contam com treinadores nascidos na Argentina, o que representa 42% dos técnicos. Brasil e Uruguai, com seis técnicos cada, vêm na sequência como os países com mais técnicos na competição sul-americana. Os dois países, aliás, são os únicos onde os seus clubes representantes contam com treinadores do próprio país.

Os seis clubes brasileiros têm seis técnicos nascidos aqui, o que é comum no futebol brasileiro. Recentemente, o Internacional apostou em Jorge Fossatti, o Corinthians em Daniel Passarella, mas eles não tiveram êxito.

Entre os treinadores da Libertadores de 2011, apenas dois já conquistaram a competição como treinadores: Celso Roth (do atual campeão Internacional) e Edgardo Bauza (que retornou à LDU Quito-EQU, campeã de 2008). O técnico Alejandro Sabella, campeão com o Estudiantes em 2009, deixou o comando do time na última semana e foi substituído por Eduardo Berizzo, ex-auxiliar técnico de Marcelo Bielsa na Seleção Chilena. Entre os demais treinadores, alguns carregam certa curiosidade.

Dos argentinos, estão o ex-volante Diego Cagna (no Colo Colo-CHI), campeão da Libertadores de 2003 pelo Boca Juniors-ARG; o ex-atacante Omar Asad, campeão da Libertadores de 1994, pelo Vélez Sarsfield-ARG, que hoje dirige o Emelec-EQU; e o ex-atacante Juan Antonio Pizzi, que jogou a Copa do Mundo de 1998 pela Espanha, que comanda atualmente a Universidad Católica-CHI.

Entre os técnicos brasileiros, três já foram vice-campeões: Muricy Ramalho, pelo São Paulo, em 2006; Renato Gaúcho, pelo Fluminense, em 2008; e Adílson Batista, pelo Cruzeiro, em 2009. No Uruguai, os conhecidos são Diego Aguirre (campeão da Libertadores de 1987 pelo Peñarol e que depois passou por Internacional, São Paulo e Portuguesa, aqui no Brasil); e Juan Carrasco, campeão da Libertadores como jogador pelo Naci0nal-URU, em 1988.

Já entre os chilenos, estão José Luis Sierra, que destacou-se pela Unión Española-CHI, na Libertadores de 1994, em jogos contra o São Paulo e que depois acabou sendo contratado pelo clube paulista; e Carlos Reinoso, um dos maiores artilheiros do América-MEX, que assumiu o comando do time mexicano recentemente.

Veja a lista dos treinadores da Libertadores de 2011, divididos pelo país de nascimento:

Argentinos (16)
Antonio Mohamed (Independiente-ARG)
Ariel Russo (Oriente Petrolero-BOL)
Carlos Compagnucci (Guaraní-PAR)
Diego Cagna (Colo Colo-CHI)
Edgardo Bauza (LDU Quito-EQU)
Eduardo Berizzo (Estudiantes-ARG)
Fabián Bustos (Deportivo Quito-EQU)
Guillermo Hoyos (Bolívar-BOL)
Gustavo Costas (Alianza Lima-PER)
Javier Torrente (Cerro Porteño-PAR)
Juan Antonio Pizzi (Universidad Católica-CHI)
Marcelo Neveleff (Jorge Wilstermann-BOL)
Omar Asad (Emelec-EQU)
Oscar Quintabani (Junior-COL)
Pedro Troglio (Argentinos Juniors-ARG)
Ricardo Gareca (Vélez Sarsfield-ARG)

Brasileiros (6)
Adílson Batista (Santos)
Celso Roth (Internacional)
Cuca (Cruzeiro)
Muricy Ramalho (Fluminense)
Renato Gaúcho (Grêmio)
Tite (Corinthians)

Uruguaios (6)
Aníbal Ruiz (Univ. San Martín-PER)
Diego Aguirre (Peñarol-URU)
Eduardo Favaro (Liverpool-URU)
Gregório Pérez (Libertad-PAR)
Jorge da Silva (Godoy Cruz-ARG)
Juan Ramón Carrasco (Nacional-URU)

Colombianos (3)
Hernán Torres (Tolima-COL)
Jorge Luis Pinto (Deportivo Táchira-VEN)
Juan Carlos Osorio (Once Caldas-COL)

Chilenos (2)
Carlos Reinoso (América-MEX)
José Luis Sierra (Unión Española-CHI)

Mexicanos (2)
Ignacio Ambríz (San Luis-MEX)
José Guadalupe Cruz (Jaguares-MEX)

Venezuelanos (2)
Ceferino Bencomo (Caracas-VEN)
Eduardo Sarago (Deportivo Petare-VEN)

Peruanos (1)
Franco Navarro (León de Huánuco-PER)

.

.

Até hoje, os técnicos argentinos (assim como os clubes de lá), são os maiores campeões em Libertadores. Das 51 edições da competição, desde 1960, 24 foram conquistadas por técnicos argentinos. Além dos 22 títulos com os clubes argentinos, dois técnicos portenhos conquistaram a Libertadores com equipes de fora: Edgardo Bauza (com a LDU, em 2008) e Pumpido, com o Olimpia-PAR, em 2002. Carlos Bianchi, com quatro títulos, é o técnico mais vezes campeão até hoje, com quatro títulos. Outro argentino, Osvaldo Zubeldía, é o único a vencer três consecutivas. Dos brasileiros, quatro técnicos se destacam com dois títulos cada: Lula, Telê Santana, Felipão e Paulo Auturi.

Confira a lista abaixo dos técnicos campeões da Libertadores:

.

.

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 29 de janeiro de 2011 Confrontos, História | 18:20

Os clássicos disputados em locais inusitados

Compartilhe: Twitter

Grêmio e Internacional jogarão amanhã em Rivera, no Uruguai, no primeiro Grenal do Campeonato Gaúcho de 2011. A iniciativa da Federação Gaúcha, que levou o clássico nos últimos dois anos para Erechim, para conquistar mais simpatizantes das equipes do sul do Brasil será um pouco arranhada já que os rivais de Porto Alegre jogarão com times reservas no Uruguai.

O clássico de amanhã será o primeiro Grenal disputado fora do Rio Grande do Sul. Até hoje, dos 383 clássicos entre Grêmio e Inter, apenas sete não foram em Porto Alegre. Veja a lista:

Data Estádio Local Resultado Campeonato
19/4/64 Eucaliptos Santa Cruz do Sul (RS) Inter 1 x 0 Grêmio Amistoso
07/9/62 Waldemar Fetter Rio Grande (RS) Grêmio 2 x 1 Inter Amistoso
21/3/65 Baixada Rubral Caxias do Sul (RS) Grêmio 0 x 0 Inter Amistoso
21/6/92 Colosso da Lagoa Erechim (RS) Grêmio 0 x 0 Inter Amistoso
04/4/04 Montanha dos Vinhedos Bento Gonçalves (RS) Inter 2 x 1 Grêmio Camp. Gaúcho
08/2/09 Colosso da Lagoa Erechim (RS) Inter 2 x 1 Grêmio Camp. Gaúcho
31/1/10 Colosso da Lagoa Erechim (RS) Inter 1 x 0 Grêmio Camp. Gaúcho


.
.

Nos outros grandes clássicos do país, apenas oito foram realizados fora no Brasil. Confira a lista abaixo:

Data Estádio Local Resultado Campeonato
17/1/09 Centenário Montevidéu (URU) Cruzeiro 4 x 2 Atlético-MG Copa Bimbo
28/3/53 Monumental de Nuñez Buenos Aires (ARG) Flamengo 3 x 0 Botafogo Torneio Internacional
27/8/78 San Siro Milão (ITA) Flamengo 2 x 0 Botafogo Torneio Internacional
03/2/53 Centenário Montevidéu (URU) Botafogo 2 x 1 Fluminense Torneio Internacional
12/7/89 Wankdorf Berna (SUI) Botafogo 2 x 0 Fluminense Torneio Internacional
12/8/78 Riazor La Coruña (ESP) Flamengo 0 x 0 Fluminense Torneio Tereza Herrera
28/8/93 Ramón de Carranza Cádiz (ESP) Palmeiras 2 x 1 São Paulo Torneio Ramón de Carranza
09/8/86 Riazor La Coruña (ESP) Santos 1 x 0 São Paulo Torneio Tereza Herrera

x
x

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:15

Vasco tem seu pior início no Carioca desde 1984

Compartilhe: Twitter

A série de três derrotas consecutivas no início do Campeonato Carioca que o Vasco alcançou ontem, ao perder para o Boavista (3 x 1), serviu para igualar a pior marca já conquistada pelo clube num começo de estadual. Em 1984, o time também deu a largada na Taça Guanabara com três derrotas seguidas. Naquela época, o time do então atacante Roberto Dinamite perdeu para o Campo Grande (1 x 2), Bangu (0 x 4) e Americano (0 x 1). Na quarta rodada, porém, o Vasco bateu o Volta Redonda por 2 x 0.

Até hoje, em 90 campeonatos estaduais disputados, desde 1923, o Vasco só começou o torneio com três derrotas nessas duas oportunidades (1984 e 2011). Em 32 campeonatos, o clube, 22 campeão carioca, começou a competição com 100% de aproveitamento: 1924, 1926, 1927, 1930, 1931, 1934, 1936, 1947, 1948, 1951, 1952, 1953, 1954, 1955, 1968, 1970, 1976, 1977, 1979, 1980, 1986, 1989, 1990, 1993, 1994, 1996, 1998, 1999, 2000, 2002, 2004 e 2010.

No próximo domingo, para piorar, o Vasco terá pela frente o rival Flamengo. Depois, pega Volta Redonda (em casa), Americano (casa) e América (fora), nessa primeira fase da Taça Guanabara. Se perder o próximo jogo, o Vasco atingirá então um recorde negativo, de quatro derrotas consecutivas no início de um Campeonato Carioca. E se não vencer nos próximos dois jogos, igualará o maior jejum de vitórias num começo de estadual. Em 1964, o Vasco só foi vencer na sexta partida do campeonato.

Confira abaixo os piores inícios do Vasco em Campeonatos Cariocas:

1984 (3 derrotas)
1 x 2 Campo Grande
0 x 4 Bangu
0 x 1 Americano
.
.

1964 (3 empates e 2 derrotas)
1 x 2 América
2 x 2 Campo Grande
1 x 1 Bangu
1 x 2 Portuguesa
3 x 3 São Cristóvão
.
.

1981 (1 empate e 2 derrotas)

0 x 2 América
3 x 3 Volta Redonda
0 x 1 Flamengo
.
.

1933 (2 empates e 1 derrota)

1 x 3 Fluminense
3 x 3 Bonsucesso
2 x 2 Bangu
.
.

1942 (2 empates e 1 derrota)
0 x 0 América
1 x 5 Madureira
1 x 1 Flamengo

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última