Publicidade

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012 Artilheiros | 15:51

Quem já marcou 3 gols com a camisa do São Paulo

Compartilhe: Twitter

O atacante Willian José foi a grande figura do São Paulo, ontem, pelo Paulistão ao anotar 3 gols na vitória por 3 x 1. O feito do jovem atacante não é novo, mas ultimamente vem sendo bastante raro no clube. A última vez em que um jogador havia anotado três em uma única partida foi em outubro de 2010, quando Ricardo Oliveira marcou os 3 gols na vitória sobre o Barueri por 3 x 2, no Brasileirão daquele ano.

Também em 2010, no mês de fevereiro, o atacante Fernandinho marcou 4 gols na vitória sobre o Monte Azul por 5 x 1, no Paulistão daquele ano. O jogo marcou justamente a estreia do jogador. Desde então, nenhum outro jogador igualou sua marca.

Até hoje, o recordista de gols em um único jogo pelo São Paulo é Antonio Sastre, que marcou 6 gols na vitória sobre a Portuguesa Santista no dia 14 de agosto de 1943, pelo Paulistão. Já o atacante Serginho Chulapa é jogador mais vezes marcou três ou mais gols em um só jogo pelo clube. Chulapa marcou 4 gols duas vezes e 3 gols 11 vezes. França vem logo a seguir com 12 hat-tricks (três gols em um só jogo).

Confira a lista de quem já marcou três ou mais gols em um único jogo pelo São Paulo:

6 gols em um único jogo
1 vez
Antonio Sastre, atacante (1943-46)

.

5 gols em um único jogo
3 vezes
Waldemar de Brito, atacante (1933-43)

2 vezes
Dodô, atacante (1995-99)

1 vez
Augusto, atacante (1950-51)
Raí, atacante (1987-00)
Luís Fabiano, atacante (2001-12)

.

4 gols em um único jogo
4 vezes
Luizinho, atacante (1930-47)

2 vezes
Friedenreich, atacante (1930-35)
Araken Patusca, atacante (1930-39)
Elyseo, atacante (1938-40)
Euclydes, atacante (1939-39)
Leopoldo, atacante (1943-51)
Serginho, atacante (1973-82)

1 vez
Armandinho, atacante (1930-40)
Teixeirinha, atacante (1939-56)
Eugenio Chemp, atacante (1936-41)
Pardal, atacante (1941-46)
Remo, atacante (1940-51)
Leônidas, atacante (1942-50)
China, atacante (1947-49)
Zezinho, atacante (1954-57)
Lanzoninho, atacante (1953-58)
Ney Blanco, atacante (1957-58)
Gino Orlando, atacante (1953-62)
Amaury, atacante (1957-61)
Marco Antônio, atacante (1964-65)
Prado, atacante (1961-67)
Paraná, atacante (1965-73)
Mílton Cruz, atacante (1977-79)
Guilherme, atacante (1993-94)
França, atacante (1996-02)
Gustavo Nery, lateral-esquerdo (2000-04)
Fernandinho, atacante (2010-12)

.

3 gols em um único jogo
12 vezes
França, atacante (1996-02)

11 vezes
Serginho, atacante (1973-82)

8 vezes
Luizinho, atacante (1930-47)
Teixeirinha, atacante (1939-56)

6 vezes
Friedenreich, atacante (1930-35)
Leônidas, atacante (1942-50)
Babá, atacante (1966-70)

4 vezes
Waldemar de Brito, atacante (1933-43)
Gustavo Albella, atacante (1952-54)
Maurinho, atacante (1952-59)
Zezinho, atacante (1954-57)
Careca, atacante (1983-87)
Müller, atacante (1984-96)
Raí, atacante (1987-00)
Dodô, atacante (1995-99)
Luís Fabiano, atacante (2001-04)

3 vezes
Pardal, atacante (1941-46)
Friaça, atacante (1949-51)
Augusto, atacante (1950-51)
Elmo Bóvio, atacante (1950-50)
Gino Orlando, atacante (1953-62)
Benê, atacante (1961-70)
Toninho Guerreiro, atacante (1969-73)
Aristizábal, atacante (1996-98)

2 vezes
Armandinho, atacante (1930-40)
Araken Patusca, atacante (1930-39)
Hércules, atacante (1933-33)
Milani, atacante (1937-38)
Carioca, atacante (1937-40)
Elyseo, atacante (1938-40)
Bazzoni, atacante (1940-43)
Antonio Sastre, atacante (1943-46)
China, atacante (1947-49)
Durval, atacante (1951-53)
Canhoteiro, atacante (1954-63)
Dino Sani, atacante (1954-61)
Paulo Lumumba, atacante (1960-61)
Zé Roberto, atacante (1964-76)
Prado, atacante (1961-67)
Pedro Rocha, meia (1970-77)
Renato, atacante (1980-84)
Palhinha, atacante (1992-95)
Marcelinho Paraíba, meia (1997-00)
Grafite, atacante (2004-06)
Washington, atacante (2008-2010)

1 vez
Celeste, atacante (1934-35)
Paulo, atacante (1938-42)
Euclydes, atacante (1939-39)
Hemédio, atacante (1940-42)
Carmine Novelli, atacante (1939-42)
André, atacante (1946-47)
Remo, atacante (1940-51)
Leopoldo, atacante (1943-51)
Ieso, atacante (1943-48)
Lelé, atacante (1946-49)
Lauro, atacante (1951-52)
Amaury, atacante (1957-61)
Neco, atacante (1959-60)
Bazzaninho, atacante (1960-65)
Peixinho, meia (1959-61)
Aílton, atacante (1960-62)
Baiano, atacante (1961-63)
Sabino, atacante (1961-64)
Nondas, atacante (1962-64)
Del Vecchio, meia (1964-65)
Marco Antônio, atacante (1964-65)
Valdir, atacante (1964-66)
Adílson, atacante (1966-68)
Mirandinha, atacante (1973-79)
Agnaldo, atacante (1983-85)
Pita, meia (1984-88)
Manu, atacante (1986-87)
Eliel, atacante (1990-91)
Ivan, zagueiro (1988-92)
Guilherme, atacante (1993-94)
Euller, atacante (1994-94)
Juninho, meia (1993-95)
Catê, atacante (1992-97)
Valdir, atacante (1996-97)
Serginho, lateral-esquerdo (1996-99)
Kaká, meia (2001-03)
Itamar, atacante (2003-03)
Thiago Ribeiro, atacante (2005-07)
Borges, atacante (2007-08)
Dagoberto (2006-2011)
Ricardo Oliveira (2006-10)
Willian José, atacante (2011-12)

.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 Técnicos | 13:51

Tite poderá superar Luxa e Mano no Corinthians em 2012

Compartilhe: Twitter

Técnico que levou ao Corinthians ao penta do Brasileirão, o gaúcho Tite entrou nesse ano de 2012 para a lista dos 10 treinadores que mais vezes dirigiram o alvinegro na história, superando Mário Travaglini (122 jogos) e Silvio Pirillo (124 jogos). Hoje, Tite está com 131 jogos pelo Corinthians em suas duas passagens (2004-2005 e 2010-2012), ocupando a 9ª colocação na lista dos técnicos que comandaram o clube desde 1910.
..

.

Técnicos que mais dirigiram o Corinthians:

Pos. Técnico Jogos
Osvaldo Brandão 439
Rato 257
Amílcar Barbuy 240
Nelsinho Baptista 192
Mano Menezes 185
Armando Del Debbio 177
Jorge Vieira 147
Vanderlei Luxemburgo 137
Tite 131
10º Silvio Pirillo 124

.Fonte: Celso Unzelte

.

Caso permaneça no Corinthians até o final da temporada de 2012 Tite poderá superar outros grandes nomes que já comandaram o alvinegro e saltar até para a quarta colocação. No Paulistão, só nessa primeira fase, ainda restam 12 jogos. Na Libertadores, pela fase de grupos, são mais seis jogos. O suficiente para deixar Luxemburgo para trás em número de partidas. Já no Brasileirão, o Corinthians jogará mais 38 vezes. Só aí serão 56 partidas. O que deixaria Tite com 187 partidas, ultrapassando Mano Menezes, o quinto da lista. Caso o time vá até a final do Estadual, serão mais quatro jogos. Se conseguir levar o time também à decisão da Libertadores, Tite poderá somar mais oito partidas, chegando então a 199 partidas pela clube e superando Nelsinho.

Com 60,3% de aproveitamento, Tite tem um desempenho superior a dois antecessores recentes que figuram na lista dos 10 mais do clube. Nelsinho Batista, em 192 jogos, conquistou 55,2% dos pontos. Luxemburgo, em 137 partidas, teve 54,9% de aproveitamento. Mano Meneses, que deixou o clube em 2010 para assumir a Seleção Brasileira, obteve 64,5% dos pontos em 185 partidas.

Em número de títulos, Tite já igualou Luxemburgo e Nelsinho, que conquistaram os brasileiros de 1998 e 1990, respectivamente. Porém, ainda não tem o Paulistão, conquistado por Luxa (em 2001), Mano (2009) e Nelsinho (1997). Em 2011, Tite foi vice ao perder a final para Santos.

Veja abaixo o retrospecto de Tite pelo Corinthians:

CORINTHIANS J V E D GP GC % Pos.
2004
Brasileiro 39 18 13 8 47 35 57,3%
2005
Paulista 10 5 1 4 11 8 53,3% 2º*
Copa do Brasil 2 1 1 0 4 1 66,7% 11º*
2010
Brasileiro 8 5 3 0 13 3 75%
2011
Paulista 23 12 7 4 37 16 62,3%
Brasileiro 38 21 8 9 53 17 62,3%
Libertadores 2 0 1 1 0 2 16,7% 37º
2012
Paulista 7 5 2 0 9 3 81,0% 2º **
Amistosos 2 0 1 1 2 3 16,7%
Total 131 67 36 27 176 108 60,3%

.* Saiu do clube antes do término da competição

** Em andamento.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais, Confrontos | 09:19

As maiores freguesias nos clássicos estaduais

Compartilhe: Twitter

A rodada desse último final de semana nos campeonatos estaduais contou com quatro clássicos bem curiosos e emocionantes. Pelo Paulistão, o Corinthians voltou a vencer o São Paulo (1 x 0, gol de Danilo, o terceiro sobre o ex-clube). A vitória corintiana foi a nona sobre o rival nos últimos 15 jogos, sendo seis vitórias consecutivas no Pacaembu. Nesse período, o São Paulo venceu apenas um jogo (aquele em que Rogério Ceni marcou seu 100º gol na carreira).

No Rio de Janeiro, o Vasco virou para cima do Fluminense num jogo polêmico, marcado pelos erros do árbitro Antônio Schneider, que não marcou um pênalti claro para o tricolor e ainda distribuiu oito amarelos e dois vermelhos para jogadores do Flu. Com esse resultado, o Fluminense chegou a 11 clássicos sem vitória no Rio. O último triunfo tricolor em clássicos foi em novembro de 2010, quando bateu o Vasco por 1 x 0.

Já na Bahia, o clássico Ba-Vi terminou empatado em 0 x 0, na estreia do técnico Falcão pelo tricolor. O jogo, aliás, marcou o confronto entre dois craques da Seleção Brasileira da Copa de 1982 (Falcão x Cerezo). Realizada no estádio Pituaçu, a partida teve um público de 29.388 torcedores, o maior entre os clássicos do domingo (em São Paulo foram pouco mais de 26 mil, no Rio menos de 8 mil). Pelo Campeonato Cearense, o Ceará vencia o clássico contra o Fortaleza até os 43 minutos do segundo tempo, quando levou o empate e depois a virada, aos 48 minutos. Com o resultado, o Fortaleza tomou a ponta da tabela.

Com esses resultados, Corinthians e Vasco ampliaram seus bons retrospectos diante dos rivais na história dos clássicos. O Corinthians aumentou para 24 o número de vitórias a mais sobre o rival (8,6% a mais no total dos jogos). Já o Vasco chegou a 18 vitórias a mais do que o Flu. Até hoje, porém, essas não são as maiores freguesias nos clássicos estaduais. Em São Paulo, os três grandes da capital levam ampla vantagem sobre o Santos. Em termos de diferença na porcentagem de vitórias nos clássicos estaduais as maiores são: Vasco x Botafogo (17,9%), Palmeiras x Santos (11,8%), Bahia x Vitória (9,5%), São Paulo x Santos (8,6%), Corinthians x Santos (8,6%) e Corinthians x São Paulo (8,1%).

Confira abaixo o retrospecto atualizado dos principais clássicos do país e a diferença de vitórias entre eles.

São Paulo
Jogos Palmeiras empates Santos Diferença
297 127 78 92 35
porcentagem 42,8% 26,3% 31,0% 11,8%
Jogos Corinthians empates Santos Diferença
303 122 85 96 26
porcentagem 40,3% 28,1% 31,7% 8,6%
Jogos São Paulo empates Santos Diferença
268 114 63 91 23
porcentagem 42,5% 23,5% 34,0% 8,6%
Jogos Corinthians empates São Paulo Diferença
296 113 92 89 24
porcentagem 38,2% 31,1% 30,1% 8,1%
Jogos São Paulo empates Palmeiras Diferença
286 100 92 94 6
porcentagem 35,0% 32,2% 32,9% 2,1%
Jogos Palmeiras empates Corinthians Diferença
338 121 102 115 6
porcentagem 35,8% 30,2% 34,0% 1,8%

x
x

Rio de Janeiro
Jogos Vasco empates Botafogo Diferença
319 140 96 83 57
porcentagem 43,9% 30,1% 26,0% 17,9%
Jogos Vasco empates Fluminense Diferença
347 133 99 115 18
porcentagem 38,3% 28,5% 33,1% 5,2%
Jogos Flamengo empates Botafogo Diferença
339 121 113 105 16
porcentagem 35,7% 33,3% 31,0% 4,7%
Jogos Flamengo empates Fluminense Diferença
383 136 126 121 15
porcentagem 35,5% 32,9% 31,6% 3,9%
Jogos Flamengo empates Vasco Diferença
372 141 102 129 12
porcentagem 37,9% 27,4% 34,7% 3,2%
Jogos Fluminense empates Botafogo Diferença
330 119 101 110 9
porcentagem 36,1% 30,6% 33,3% 2,7%

x
x

Minas Gerais
Jogos Atlético-MG empates Cruzeiro Diferença
471 191 123 157 34
porcentagem 40,6% 26,1% 33,3% 7,2%
Rio G. do Sul
Jogos Internacional empates Grêmio Diferença
389 146 121 123 23
porcentagem 37,5% 31,1% 31,6% 5,9%
Bahia
Jogos Bahia empates Vitória Diferença
442 177 130 135 42
porcentagem 40,0% 29,4% 30,5% 9,5%
Paraná
Jogos Coritiba empates Atlético-PR Diferença
348 133 106 109 24
porcentagem 38,2% 30,5% 31,3% 6,9%
Ceará
Jogos Ceará empates Fortaleza Diferença
536 180 189 167 13
porcentagem 33,6% 35,3% 31,2% 2,4%

x
x

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 14:13

Marcos Assunção chega a 20 gols de falta pelo Palmeiras

Compartilhe: Twitter

Aos 35 anos, o volante Marcos Assunção parece cada mais calibrado nas cobranças de bola parada. Principal jogador do Palmeiras no último Brasileirão, o jogador destaca-se também nesse início de temporada como o maior responsável pelos gols da equipe no ano. Nessas seis primeiras rodadas do Paulistão, Marcos Assunção já marcou 3 gols de falta de foi o responsável pela jogada de outros quatro gols após cobranças de escanteios ou faltas. Dos 11 gols do time de Felipão no campeonato, sete passaram pelos pés de Assunção (64%).

Ontem, na vitória sobre o XV de Piracicaba, o experiente jogador fez um gol de falta e também fez a assistência para o gol da vitória. Em 2011, no Brasileirão, Marcos Assunção foi o artilheiro do time, ao lado de Luan, com 8 gols. Além disso, deu 9 assistências diretas e participou de mais 5 jogadas que originaram gol do Palmeiras após suas cobranças de falta. Dos 43 gols do Palmeiras no Brasileirão, Assunção teve participação em 22 deles (51%).

Especialista em bolas paradas, Marcos Assunção chegou o seu 20º gol de falta a camisa do Palmeiras em 104 partidas. Além disso, tem outros quatro gols, sendo mais dois de bola para (um olímpico e outro de pênalti). Em pouco mais de um ano e meio de clube, Assunção participou de 53 dos 158 gols do time no período. Dos seus pés, além dos 24 gols, Assunção de quatro assistências com a bola rolando e iniciou alguma jogada de gols após 10 cobranças de falta (como no terceiro gol de ontem) e de 15 escanteios (como no gol de Fernandão no clássico contra o Santos no último domingo).

Na atualidade, Marcos Assunção é disparado o jogador com o melhor aproveitamento em cobranças de falta no futebol brasileiro. Outros especialistas, como Juninho Pernambucano, Ronaldinho Gaúcho e Rogério Ceni (agora afastado por lesão), marcaram, juntos, pouco mais metade dos gols de Assunção nesse período.

Confira abaixo a participação de Marcos Assunção nos gols do Palmeiras desde sua entrada na equipe, em meados de 2010, e também a lista com os 20 gols de falta do volante pela equipe:

Paulista 2012
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
3 4 11 64%
Brasileiro 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
8 14 43 51%
Copa Sul-Americana 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 0 3 33%
Copa do Brasil 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 3 16 25%
Paulista 2011
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
1 3 31 13%
Brasileiro 2010
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
6 5 42 26%
Copa Sul-Americana 2010
Gols Assistências* Gols do Palmeiras Participação
4 1 12 42%

* Assistências diretas e indiretas (jogadas em que o gol saiu após cobranças de falta e escanteio de Assunção).

A lista dos gols de falta de Marcos Assunção pelo Palmeiras:

Data Resultado Gols Competição
30/07/2011 Palmeiras 3 x 2 Atlético-MG 1 Brasileiro
22/07/2010 Palmeiras 2 x 2 Botafogo 1 Brasileiro
19/08/2010 Palmeiras 3 x 0 Vitória 1 Copa Sul-Americana
15/09/2010 Grêmio 1 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
29/09/2010 Palmeiras 2 x 0 Internacional 2 Brasileiro
14/10/2010 Univ. de Sucre-BOL 0 x 1 Palmeiras 1 Copa Sul-Americana
17/10/2010 Palmeiras 1 x 1 Ceará 1 Brasileiro
27/01/2011 Palmeiras 3 x 1 Paulista 1 Paulista
11/05/2011 Palmeiras 2 x 0 Coritiba 1 Copa do Brasil
03/08/2011 Coritiba 1 x 1 Palmeiras 1 Brasileiro
25/08/2011 Palmeiras 3 x 1 Vasco 1 Copa Sul-Americana
31/08/2011 Botafogo 3 x 1 Palmeiras 1 Brasileiro
01/10/2011 Palmeiras 1 x 1 América-MG 1 Brasileiro
13/11/2011 Grêmio 2 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
20/11/2011 Bahia 0 x 2 Palmeiras 1 Brasileiro
26/11/2011 Palmeiras 1 x 0 São Paulo 1 Brasileiro
01/02/2012 Palmeiras 2 x 0 Mogi Mirim 2 Paulista
08/02/2012 Palmeiras 3 x 2 XV de Piracicaba 1 Paulista
Autor: Tags: , ,

domingo, 5 de fevereiro de 2012 Sem categoria | 19:47

A lista com os 100 gols do aniversariante Neymar

Compartilhe: Twitter

Ao completar 20 anos hoje, o atacante Neymar atingiu a marca de 100 gols na carreira desde sua estreia como profissional, no dia 7 de março de 2009. Desde então, o craque já disputou 185 jogos, sendo 160 com a camisa do Santos, 15 pela Seleção Brasileira Principal, sete pela Seleção Sub-20 e outros três pela Sub-17.

Sem contar os gols pelas categorias Sub-20 e Sub-17 da seleção, Neymar contabiliza 90 gols em 175 jogos como profissional. Pelo Santos, foram 82 gols em 160 jogos. Pouco mais de meio gol por jogo em média. Pela Seleção Brasileira principal, Neymar marcou 8 gols em 15 jogos.

Comparando com outros ídolos do clube, Neymar fica muito atrás de Pelé. Mas supera Robinho aos 20 anos. Pelé, quando completou essa idade, tinha 315 gols em 280 jogos (289 gols em 266 jogos pelo Santos e 26 gols em 24 jogos pela Seleção).  Robinho, aos 20 anos, havia feito 34 gols em 114 jogos.

Bicampeão Paulista (2010 e 2011), campeão da Copa do Brasil (2010) e da Copa Libertadores (2011), Neymar tem 82 gols com a camisa do Santos. Assim, a Joia da Vila ocupa a 6ª colocação entre os artilheiros da era pós-Pelé (desde 1974), pelo Santos. Os maiores goleadores são Serginho Chulapa e João Paulo, com 104 gols, seguidos por Juary (101), Robinho (94) e Kléber Pereira (87). Se mantiver a média dos últimos dois anos (cerca de 40 gols), Neymar se tornar, já em 2012, o líder dessa lista.

Confira aqui a lista dos 100 gols de Neymar e o resumo estatístico de sua marca.

Clubes e Seleções
Santos                                                  82 gols
Seleção Brasileira Principal        8 gols
Seleção Brasileira Sub-20            9 gols
Seleção Brasileira Sub-20            1 gols

Temporadas
Em 2009                                         15 gols
Em 2010                                         44 gols
Em 2011                                         40 gols
Em 2012                                         1 gol

Clubes que mais sofreram gols
Atlético-PR                                     6 gols
Guarani                                           6 gols
Atlético-MG                                    5 gols
Santo André                                    4 gols
São Paulo                                        4 gols
Avaí                                               3 gols
Corinthians                                      3 gols
Flamengo                                        3 gols
Goiás                                              3 gols
Grêmio Barueri                                3 gols
Náutico                                           3 gols
Palmeias                                         3 gols

Por competição
Campeonato Brasileiro                     40 gols
Campeonato Paulista                       22 gols
Copa do Brasil                                 12 gols
Sul-Americano Sub-20                     9 gols
Copa Libertadores                           6 gols
Amistosos                                       6 gols
Copa América                                 2 gols
Mundial de Clubes da Fifa                1 gol
Mundial Sub-17                               1 gol
Superclássico das Américas             1 gol

Por estádio
Vila Belmiro, Santos (SP)                             43 gols
Pacaembu, São Paulo (SP)                           13 gols
Monumental de UNSA, Arequipa (PER)       4 gols
Mangueirão, Belém (PA)                             3 gols
Serra Dourada, Goiânia (GO)                       3 gols

Bola parada
Gols de pênalti                                             17 gols
Gols de falta                                                2 gols

Onde
Grande área                                                74 gols
Pequena área                                              16 gols
Fora da área                                                10 gols

Tipo de gol
Pé direito                                                    71 gols
Pé esquerdo                                                21 gols
Cabeça                                                       6 gols
Mão                                                            1 gol
Peito                                                           1 gol

Período
Gols no 1º tempo                                          57
Gols no 2º tempo                                          43

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 12:23

Qual grande está há mais tempo sem perder dos pequenos

Compartilhe: Twitter

Nessa semana, algumas zebras aparecem nos principais estaduais do Brasil. No Rio, o Fluminense caiu, de virada, diante do Boavista. Em São Paulo, Santos e São Paulo ficaram apenas no empate, ontem, e viram o Corinthians assumir a liderança isolada da competição. Em Pernambuco, o Sport, que havia vencido o clássico diante do Sport, foi derrotado pelo Salgueiro. No Sul, a dupla Grêmio e Inter, que se enfrentarão no domingo, já perderam duas partidas nesse Gauchão.

Entre esses principais estaduais (SP, RJ, RS, MG, PR, BA e PE), apenas quatro clubes mantêm uma boa invencibilidade diante dos pequenos. O Coritiba é o clube que carrega a maior sequência sem derrota diante das zebras do interior. Campeão invicto em 2011, o Coxa não perde para um pequeno há 39 jogos. Sua última derrota foi no dia 19 de abril de 2009, para o Iraty. Líder com 100% de aproveitamento esse ano, o Coritiba vem também com uma sequência de 18 vitórias consecutivas no Estadual.

Outro clube que está há um bom tempo sem perder para os pequenos é o Atlético-MG. Com a vitória sobre o Boa, na estreia do Mineiro, o Galo chegou a marca de 38 jogos sem derrota para outro clube do estado que não seja Cruzeiro ou América-MG. A última vez em que foi derrota para um pequeno foi em 2008, no dia 6 de abril, quando caiu diante do Guarani (3 x 2).

No Rio de Janeiro, Botafogo e Flamengo, os últimos campeões do Estado, não são derrotados para um pequeno no Estadual desde 2009 e a mais de 30 jogos.

Confira quais são as maiores invencibilidades dos grandes contra os pequenos nos principais campeonatos estaduais do Brasil:

Clube Jogos sem perder última derrota
Coritiba 39 Iraty 1 x 0, dia 19/4/2009
Atlético-MG 38 Guarani 3 x 2, dia 6/4/2008
Botafogo 36 Volta Redonda 2 x 1, dia 5/2/2009
Flamengo 33 Resende 3 x 1, dia 21/2/2009
Cruzeiro 11 Ipatinga 3 x 1, dia 18/4/2010
Atlético-PR 9 Operário 2 x 0, dia 19/3/2011
Santos 9 Bragatina 2 x 1, dia 19/3/2011
Vasco 9 Macaé 3 x 1, dia 4/3/2011
São Paulo 8 Paulista 3 x 2, dia 23/3/2011
Corinthians 6 São Caetano 2 x 1, dia 10/4/2011
Palmeiras 5 Ponte Preta 2 x 1, dia 17/4/2011
Vitória 5 Bahia de Feira 2 x 1, dia 15/5/2011
Náutico 4 América 4 x 2, dia 10/4/2011
Bahia 3 Bahia de Feira 1 x 0, dia 22/1/2012
Grêmio 1 Juventude 2 x 1, dia 29/1/2012
Internacional 1 Cerâmica 3 x 2, dia 26/1/2012
Santa Cruz 1 Araripina 2 x 0, dia 28/1/2012
Fluminense 0 Boavista 2 x 1, dia 1/2/2012
Sport 0 Serrano 2 x 1, dia 1/2/2012

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 Copa Libertadores | 15:20

Flu tem o elenco mais "copeiro" dos brasileiros da Libertadores 2012

Compartilhe: Twitter

Nos últimos anos, participar da Copa Libertadores tem sido uma constante para os grandes do futebol brasileiro. Dos seis participantes de 2012, quatro estiveram na última edição. Já o Flamengo, ausente em 2011, participou em 2010. Já o Vasco é o único que retorna à disputa após um longo período (jogou pela última vez em 2001).

Sem perder tantos jogadores e reforçados com atletas sul-americanos, esses representantes brasileiros estão contando cada vez mais com jogadores com experiência na Libertadores. Algo que não existia, por exemplo, nas décadas de 60, 70, 80 e até início dos anos 90, quando muitos elencos eram formados basicamente por jogadores estreantes na competição.

Em 2012, dos 25 prováveis jogadores de cada um dos seis clubes (150 no total), 69, quase metade,  já disputaram uma Libertadores anteriormente. E mais, 32já foram campeões. O Fluminense é o clube com mais jogadores com experiência no torneio sul-americano (17), seguido por Inter (16), Santos (15), Corinthians (14), Flamengo (12) e Vasco (11).

Até os treinadores carregam bastante experiência. Muricy Ramalho, campeão em 2011, vem para a sua 7ª Libertadores, assim como Vanderlei Luxemburgo. Já Abel Braga, campeão em 2006, disputará sua quarta Copa, enquanto Tite vai para a sua quinta participação. Apenas Dorival Júnior e Cristóvão Borges estão estreando.

Veja abaixo quem são os jogadores de Corinthians, Flamengo, Fluminense, Internacional, Santos e Vasco que já jogaram pela Libertadores e quantas edições cada um disputou:

Fluminense (17)
Diego Cavalieri (goleiro) – 1
Ricardo Berna (goleiro) – 1
Leandro Euzébio (zagueiro) – 1
Gum (zagueiro) – 1
Carlinhos (lateral-esquedo) – 2
Diguinho (volante) – 1
Edinho (volante) – 3 (campeão em 2006)
Valencia (volante) – 2
Jean (volante) – 2
Deco (meia) – 2
Souza (meia) – 6 (campeão em 2005)
Thiago Neves (meia) – 1
Wagner (meia) – 2
Fred (atacante) – 1
Rafael Moura (atacante) – 1
Rafael Sóbis (atacante) – 3 (campeão em 2006 e 2010)
Araújo (atacante) – 1

.

Santos (16)
Rafael (goleiro) – 1 (campeão em 2011)
Durval (zagueiro) – 3 (campeão em 2011)
Edu Dracena (zagueiro) – 2 (campeão em 2011)
Bruno Rodrigo (zagueiro) – 1 (campeão em 2011)
Léo (lateral-esquerdo) – 4 (campeão em 2011)
Pará (lateral) – 1 (campeão em 2011)
Adriano (volante) – 2 (campeão em 2011)
Arouca (volante) – 3 (campeão em 2011)
Henrique (volante) – 4
Ganso (meia) – 1 (campeão em 2011)
Elano (meia) – 3 (campeão em 2011)
Ibson (meia) – 1
Felipe Anderson (meia) – 1 (campeão em 2011)
Neymar (atacante) – 1 (campeão em 2011)
Borges (atacante) – 4
Rentería (atacante) – 2 (campeão em 2006)

.

Internacional (15)
Renan (goleiro) – 2 (campeão em 2006 e 2010)
Nei (lateral-direito – 2 (campeão em 2010)
Bolívar (zagueiro) – 3 (campeão em 2006 e 2010)
Índio (zagueiro) – 4 (campeão em 2006 e 2010)
Kléber (lateral-esquerdo) – 6 (campeão em 2010)
Guiñazu (volante) – 5 (campeão em 2010)
Tinga (volante) – 6 (campeão em 2006 e 2010)
Bolatti (volante) –  1
Sandro Silva (volante) – 1
D’Alessandro (meia) – 6 (campeão em 2010)
Dátolo (meia) – 3 (campeão em 2007)
Oscar (meia) – 2
Leandro Damião (atacante) – 2 (campeão em 2010)
Dagoberto (atacante) – 5
Marcos Aurélio (atacante) – 1

Corinthians (14)
Júlio César (goleiro)  – 2
Alessandro (lateral-direito) – 3
Chicão (zagueiro) – 2
Leandro Castan (zagueiro) – 1
Fábio Santos (lateral-esquerdo) – 4 (campeão em 2005)
Ralf (volante) – 2
Paulinho (volante) – 1
Ramírez (volante) – 5
Alex (meia) – 2 (campeão em 2006)
Danilo (meia) – 5 (campeão em 2005)
Liédson (atacante) – 1
Adriano (atacante) – 2
Emerson (atacante) – 1
Jorge Henrique (atacante) – 3

.

Flamengo (12)
Felipe (goleiro) – 1
Leonardo Moura (lateral-direito) – 4
David (zagueiro) – 1
Marcos González (zagueiro) – 2
Júnior César (lateral-esquerdo) – 2
Willians (volante) – 1
Maldonado (volante) – 4
Renato (meia) – 2
Bottinelli (meia) – 1
Ronaldinho Gaúcho (atacante) – 1
Vágner Love (atacante) – 1
Deivid (atacante) – 1

..

Vasco (11)
Fernando Prass (goleiro) – 1
Rodolfo (zagueiro) – 1
Renato Silva (zagueiro) – 2
Eduardo Costa (volante) – 1
Abelairas (volante) – 2
Felipe (meia) – 3 (campeão em 1998)
Juninho Pernambucano (meia) – 2 (campeão em 1998)
Bernardo (meia) – 1
Diego Souza (meia) – 2
Éder Luís (atacante) – 1
Alecsandro (atacante) – 1 (campeão em 2010)

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 Goleiros | 19:14

O São Paulo sem Rogério Ceni

Compartilhe: Twitter

Maior ídolo são-paulino dos últimos 15 anos, o goleiro Rogério Ceni terá mesmo que operar o ombro e poderá ficar até seis meses longe dos gramados. Aos 39 anos, o goleiro deverá passar seu maior período afastado do time desde que virou titular, no início de 1997. Desde então, sua lesão mais grave ocorreu em 2009, quando fraturou o tornozelo esquerdo e passou quatro meses sem jogar pelo Tricolor.

Jogador com mais partidas pela história do clube (1016 jogos), Ceni verá um reserva tomar sua posição pela primeira vez em um semestre inteiro nos últimos 15 anos. A torcida são-paulina, acostumada a ver seu capitão e camisa 1 no gol da equipe desde 1997, terá agora que se acostumar com a nova realidade. Afinal, Ceni está próximo do final de sua brilhante carreira e sua volta será uma incógnita, tanto fisicamente, quanto tecnicamente.

Desde 1997, além de Ceni, passaram apenas oito goleiros pelo meta são-paulina. De todos esses, nenhum conseguiu fazer sombra ao goleiro recordista de gols na história do futebol. Alguns até sofreram muito quando precisaram substituir Rogério Ceni. Em 1998, Roger participou da goleada sofrida por 7 x 2 para a Portuguesa, no Brasileirão. No ano seguinte, foi a vez de Paulo Sérgio perder sua chance de continuar no clube após a goleada sofrida por 4 x 1 para o Atlético-PR. Mas o pior, talvez, tenha sido Alencar. Em 2000, jogou na derrota do São Paulo por 4 x 2 diante do San Lorenzo, na Mercosul, depois na goleada de 5 x 1 para o Vitória, no Brasileiro.  Porém, sua pior atuação foi no 7 x 1 contra o Vasco, quando entrou na partida aos 8 minutos do primeiro tempo, após Ceni ter sido expulso. Recentemente, Bosco figurou por muito tempo no banco. Quando entrava, não comprometia muito. Mas sua imagem ficou arranhada na semifinal do Paulista de 2009, quando levou um gol de Ronaldo.

A bola da vez agora será o goleiro Denis, no clube desde 2009. Apesar de participar da eliminação do Tricolor na Libertadores de 2009, o goleiro não ficou marcado por atuações ruins, como seus antecessores. Há rumores de quem um novo goleiro poderá ser contratado (Rafael, ex-Santos e Avaí, talvez).

Relembre aqui os reservas de Rogério Ceni nos últimos 15 anos:

Goleiro Período Jogos Gols sofridos Média
Paulo Sérgio de Rezende 1997/99 5 -10 -2,00
Roger José de Noronha Silva 1997/05 49 -64 -1,31
Francisco de Paulo Alencar Filho 2000/01 5 -18 -3,60
Flávio Roberto Kretzer 2004/05 4 -7 -1,75
Mateus Versolato Júnior 2004 1 0 0,00
João Bosco de Freitas Chaves 2006/09 41 -39 -0,95
Fabiano Ribeiro de Freitas 2007 1 -1 -1,00
Denis César de Matos 2009/12 24 -28 -1,17
Autor: Tags: ,

terça-feira, 24 de janeiro de 2012 Campeões, Copa Libertadores | 12:59

O ranking e os melhores da Libertadores desde 1960

Compartilhe: Twitter

Começa hoje a 53ª edição da Copa Libertadores com dois jogos da primeira fase (preliminar): Arsenal-ARG x Sport Huancayo-PER e El Nacional-EQU x Libertad-PAR. Realizada desde 1960, a competição vem recheada de atrativos e cada vez mais cobiçada pelos clubes brasileiros. Em 2012, a Libertadores contará com 11 ex-campeões e apenas dois estreantes (Sport Huncayo-PER e Zamora-VEN). O Boca Juniors-ARG, ausente nas últimas duas edições, está de volta à competição e é uma das maiores ameaças aos brasileiros ao lado da Universidad de Chile, que conquistou brilhantemente a Copa Sul-Americana de 2011.

A grande ausência desse ano será o River Plate, que segue na segunda divisão na Argentina e longe dos seus melhores dias. Bicampeão em 1986 e 1996, o River poderá em 2012 perder a sua liderança no ranking de pontos ganhos na história da Libertadores, desde 1960. Depois de participar por 15 edições consecutivas (entre 1995 e 2009), o time de Buenos Aires assumiu o primeiro lugar, desbancado os uruguaios Peñarol e Nacional. Mas agora, depois de três anos sem jogar o torneio, o River poderá ser ultrapassado.

Confira abaixo os melhores nas estatísticas da competição nas 52 edições disputadas até agora e aqui o Ranking da Libertadores 1960-2011.

Maiores campeões

Clube Títulos
Independiente (ARG) 7
Boca Juniors (ARG) 6
Peñarol (URU) 5
Estudiantes (ARG) 4
Nacional (URU) 3
Olimpia (PAR) 3
Santos (BRA) 3
São Paulo (BRA) 3
Cruzeiro (BRA) 2
Grêmio (BRA) 2
Internacional (BRA) 2
River Plate (ARG) 2
Argentinos Juniors (ARG) 1
Atlético Nacional (COL) 1
Colo Colo (CHI) 1
Flamengo (BRA) 1
LDU Quito (EQU) 1
Once Caldas (COL) 1
Palmeiras (BRA) 1
Racing (ARG) 1
Vasco (BRA) 1
Vélez Sarsfield (ARG) 1

.

Clubes que mais disputaram finais

Clube Finais
Peñarol (URU) 10
Boca Juniors (ARG) 9
Independiente (ARG) 7
Nacional (URU) 6
Olimpia (PAR) 6
São Paulo (BRA) 6
Estudiantes (ARG) 5
América de Cali (COL) 4
Cruzeiro (BRA) 4
Grêmio (BRA) 4
Palmeiras (BRA) 4
River Plate (ARG) 4
Santos (BRA) 4
Internacional (BRA) 3
Atlético Nacional (COL) 2
Barcelona (EQU) 2
Cobreloa (CHI) 2
Colo Colo (CHI) 2
Deportivo Cali (COL) 2
Newell’s Old Boys (ARG) 2
Argentinos Juniors (ARG) 1
Atlético-PR (BRA) 1
Chivas Guadalajara (MEX) 1
Cruz Azul (MEX) 1
Flamengo (BRA) 1
Fluminense (BRA) 1
LDU Quito (EQU) 1
Once Caldas (COL) 1
Racing (ARG) 1
São Caetano (BRA) 1
Sporting Cristal (PER) 1
Unión Española (CHI) 1
Universidad Católica (CHI) 1
Universitario (PER) 1
Vasco (BRA) 1
Vélez Sarsfield (ARG) 1

.

Clubes que mais disputaram a Libertadores (contando 2012)

Clube Participações
Peñarol (URU) 40
Nacional (URU) 39
Olimpia (PAR) 36
Cerro Porteño (PAR) 34
River Plate (ARG) 30
Colo Colo (CHI) 29
Bolívar (BOL) 28
Sporting Cristal (PER) 28
Universitario (PER) 27
Universidad Católica (CHI) 25
Alianza Lima (PER) 23
Boca Juniors (ARG) 23
El Nacional (EQU) 23
Barcelona (EQU) 21
Emelec (EQU) 21

.

Clubes brasileiros que mais disputaram a Libertadores(contando 2012)

Clube Participações
São Paulo 15
Palmeiras 14
Cruzeiro 13
Grêmio 13
Santos 12
Flamengo 11
Corinthians 10
Internacional 10
Vasco 8
Fluminense 5
Atlético-MG 4
Atlético-PR 3
Bahia 3
Botafogo 3
Guarani 3
São Caetano 3
Coritiba 2
Sport 2
Bangu 1
Criciúma 1
Goiás 1
Juventude 1
Náutico 1
Paraná 1
Paulista 1
Paysandu 1
Santo André 1

.

Países com mais participantes na Libertadores

País Clubes
Brasil 27
Venezuela 23
Argentina 20
Peru 20
Chile 18
Bolívia 17
México 16
Colômbia 15
Equador 15
Uruguai 12
Paraguai 10

.

Países com mais títulos

País Títulos
Argentina 22
Brasil 14
Uruguai 8
Paraguai 3
Colômbia 2
Chile 1
Equador 1

.

Melhor aproveitamento de pontos na Libertadores*

Clube J V E D Aprov.
Cruzeiro 128 77 23 28 66,1%
Santos 100 57 19 24 63,3%
Flamengo 87 49 17 21 62,8%
Estudiantes (ARG) 105 59 20 26 62,5%
Boca Juniors (ARG) 220 117 50 53 60,8%
São Paulo 149 77 37 35 60,0%
Corinthians 72 38 13 21 58,8%
Palmeiras 140 73 27 40 58,6%
Racing (ARG) 56 28 14 14 58,3%
V. Sarsfield (ARG) 105 51 29 25 57,8%
Grêmio 129 65 28 36 57,6%
Internacional 88 43 23 22 57,6%
América (MEX) 88 45 17 26 57,6%
River Plate (ARG) 291 144 70 77 57,5%
Cruz Azul (MEX) 36 18 8 10 57,4%
Tigres (MEX) 18 8 7 3 57,4%
Argentinos Jrs. (ARG) 25 12 7 6 57,3%
Atlético-PR 28 14 6 8 57,1%
Banfield (ARG) 24 12 5 7 56,9%
Independiente (ARG) 145 69 37 39 56,1%

* Sem contar os clubes que disputaram a competição apenas uma vez.

.

Melhor média de gols na Libertadores*

Clube J G Média
Santos 100 206 2,06
Cruzeiro 128 251 1,96
Atlas (MEX) 28 54 1,93
Flamengo 87 166 1,91
D. Municipal (BOL) 20 38 1,90
Corinthians 72 134 1,86
Palmeiras 140 255 1,82
Cruz Azul (MEX) 36 65 1,81
Fluminense 34 60 1,76
Banfield (ARG) 24 42 1,75
Rosario Central (ARG) 75 130 1,73
Morelia (MEX) 22 38 1,73
América (MEX) 88 151 1,72
Botafogo 25 42 1,68
Racing (ARG) 56 94 1,68
Tigres (MEX) 18 30 1,67
River Plate (ARG) 291 475 1,63
Atlético-PR 28 45 1,61
C.  Guadalajara (MEX) 58 91 1,57

* Sem contar os clubes que disputaram a competição apenas uma vez.

.

Clubes com mais jogos na Libertadores

Clube Jogos
Nacional (URU) 325
Peñarol (URU) 319
River Plate (ARG) 291
Cerro Porteño (PAR) 263
Olimpia (PAR) 260
Boca Juniors (ARG) 220
Colo Colo (CHI) 211
Universitário (PER) 205
Universidad Católica (CHI) 204
América de Cali (COL) 196

.

Brasileiros com mais jogos na Libertadores

Clube Jogos
São Paulo 149
Palmeiras 140
Grêmio 129
Cruzeiro 128
Santos 100
Internacional 88
Flamengo 87
Corinthians 72
Vasco 54
Fluminense 34

.


.

Autor: Tags:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 10:41

Números e curiosidades nas estreias dos Estaduais 2012

Compartilhe: Twitter

Com a estreia dos dois principais Campeonatos Estaduais (Paulista e Carioca), o futebol brasileiro já conta agora com 16 dos 27 estaduais em andamento. Entre os maiores campeonatos, apenas o Mineiro ainda não começou (a estreia será no próximo sábado).

No Campeonato Paulista, a melhor estreia foi do São Paulo. Jogando no Morumbi, para 15.586 pagantes, o Tricolor goleou por 4 x 0 e assumiu a liderança do torneio. Nesse jogo, o São Paulo estreou sua camisa nova, inspirada no modelo utilizado na temporada de 1992, ano do seu primeiro título Mundial.  O jogo também marcou a volta de Emerson Leão comandando o time no Paulistão. Com ele, o São Paulo conquistou pela última vez o Estadual, em 2005. Já Luís Fabiano, o último artilheiro são-paulino em Paulistas (em 2003), passou em branco ontem em seu retorno ao Paulistão.

O Santos, que busca o tricampeonato depois de 42 anos (o último foi na era Pelé, em 1969), foi o único grande a não vencer na rodada. Jogando com o time reserva, empatou com o XV de Piracicaba, fora de casa. Já o Corinthians, que venceu de virada, no sábado, registrou o maior público da rodada (16.117 pagantes no Pacaembu). Nesses dez primeiros jogos, a média do Campeonato Paulista foi de apenas 6.234 torcedores por partida. Já o Palmeiras, estreou com vitória sobre o Bragantino (2 x 1), mantendo uma escrita de não perder na estreia do Estadual desde 1995 (quando foi derrotado pela Portuguesa).

No Campeonato Carioca, a maior goleada na primeira rodada foi a do Flamengo sobre o Bonsucesso (4 x 0), mesmo jogando com reservas. Nessa primeira rodada, todos os grandes estrearam com vitória e o único a sofrer gol foi o Botafogo diante do Resende (3 x 1). O destaque negativo nessa rodada inaugural do Carioca 2012 foi o público. Em oito jogos, a média de torcedores foi de apenas 2930 pagantes por partida. Quase a metade do Paulistão. Dos jogos envolvendo os quatro grandes, o maior público foi o Vasco (6.920 torcedores).

Já no Campeonato Paranaense, o Coritiba estreou com vitória, batendo o Toledo por 2 x 0, fora de casa. Atual bicampeão, o Coxa chegou a marca de 34 jogos sem derrota no Estadual. A última vez que perdeu no Paranaense foi em 2010, diante do Paraná, por 1 x 0, no dia 21 de fevereiro. Além disso, o time de Marcelo Oliveira já soma 18 vitórias consecutivas pelo Estadual.

No Campeonato Gaúcho, a dupla Grenal perdeu no final de semana. O Grêmio, um dos clubes que mais investiu nesse início de temporada, contratando Marcelo Moreno, Kléber, Léo Gago e Naldo, perdeu em casa para o Lajeadense por 2 x 0, no sábado. O tricolor gaúcho teve o melhor público da rodada (15 294 pagantes no Olímpico), mas não evitou o vexame na estreia. Já o Internacional, que havia vencido em sua estreia na quarta-feira, perdeu para o Avenida, de virada. Depois de abrir 2 x 0 no primeiro tempo, com os reservas, o Colorado levou três gols na segunda etapa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 Estatísticas, Futebol Europeu | 13:12

Curiosidades sobra a 28ª Copa das Nações Africanas

Compartilhe: Twitter

Começa amanhã a 28ª edição da Copa nas Nações Africanas. Talvez o terceiro torneio continental de maior importância entre seleções, atrás da Eurocopa e da Copa América. Disputada a cada dois anos, a Copa da África ou CAN-2012 será realizada em duas sedes: Guiné Equatorial e Gabão até o dia 12 de fevereiro. Essa será a segunda vez que a CAN será realizada em dois países. A primeira foi em 2000, quando Gana a Nigéria substituíram Zimbábue.

A edição de 2012 será a última em que o torneio será disputado em anos pares. A partir de 2013, a competição sempre acontecerá em anos ímpares. A próxima edição será realizada na África do Sul. Já em 2015, o anfitrião será Marrocos.

Dos 55 países filiados a Confederação Africana, apenas 16 finalistas estarão na disputa. Destes, apenas cinco já conquistaram a Copa anteriormente: Gana (quatro vezes) e Costa do Marfim, Marrocos, Tunísia e Sudão (uma vez cada). O atual tricampeão Egito está fora da disputa, assim como outros favoritos como Camarões, Nigéria e Argélia. Por outro lado, Guiné Equatorial (país sede), Niger e Botswana irão disputar a fase final do torneio pela primeira vez.

Confira abaixo grupos e o desempenho anterior dos 16 finalistas de 2012:

País Participações Melhor colocação Ranking da Fifa
Grupo A
G. Equatorial 0 Estreante 151º
Líbia 2 Vice (1982) 63º
Senegal 11 Vice (2002) 44º
Zâmbia 14 Vice (1974 e 1994) 79º
Grupo B
Angola 5 Quartas de final (1998 e 2010) 84º
Burkina Fasso 7 Semifinal (1998) 62º
C. do Marfim 18 Campeão (1992) 16º
Sudão 7 Campeão (1970) 112º
Grupo C
Gabão 4 Quartas de final (1996) 77º
Marrocos 13 Campeão (1976) 60º
Níger 0 Estreante 98º
Tunísia 14 Campeão (2004) 60º
Grupo D
Botsuana 0 Estreante 96º
Gana 17 Campeão (1963, 65, 78, 82) 29º
Guiné 9 Vice (1976) 79º
Mali 6 Vice (1972) 67º

.

Entre as seleções favoritas ao título, Gana e Costa do Marfim largam na frente. Os dois países, aliás, são aqueles que mais contam com jogadores nos principais clubes da Europa. No elenco de Gana, os destaques são John Mensah (Lyon-FRA), Andre Ayew (Olympique de Marselha-FRA), Muntari (Internazionale-ITA), Vorsah (Hoffenhein-ALE), Badu e Kwadwo Asamoah (ambos da Udinese-ITA), além do Asamoah Gyan (do Al Ain, dos Emirados Árabes). As grandes ausências são Michael Essien, do Chelsea, e Boateng, do Milan, que preferiram ficar em seus clubes.

Já no elenco de Costa do Marfim, as estrelas são Drogba e Kalou (Chelsea-ING), Yaya Touré e Kolo Touré (Manchester City-ING), Gervinho (Arsenal-ING), Doumbia (CSKA Moscou-RUS), Tiéné (Paris Saint-Germain-FRA), e Keita (Al Sadd-CAT).

Dos 368 jogadores inscritos para a Copa das Nações Africana de 2012, 179, quase metade, jogam na Europa. São 61 na França, 16 na Espanha, 15 na Inglaterra, 15 na Turquia e 14 na Alemanha.

Veja aqui a relação dos 23 convocados de cada seleção (elencos CAN 2012).

Curiosidades:

– Três duplas de irmãos disputarão a Copa da África de 2012: Yaya e Kolo Touré, da Costa do Marfim; Andre e Jordan Ayew, de Gana, filhos de Abedi Pelé; e Betrand e Alain Touré, de Burkina Fasso.

– O Egito é o maior campeão da Copa Africana. Os faraós venceram 7 finais e são os atuais tricampeões do torneio. Em 2006, bateram Costa do Marfim na decisão. Em 2008, venceram Camarões  e em 2010, superaram Gana na decisão.

– Gana e Camarões aparecem na segunda posição no ranking de títulos, com 4 conquistas cada. O último título ganês, porém, foi há 30 anos, em 1982. Já os camaroneses venceram pela última vez em 2002, quando foram bicampeões.

– O jogo com mais gols na fase final, desde 1957, foi Egito 6 x 3 Nigéria, em 1963.

– O recordista de gols em uma única partida é Laurent Pokou, que anotou cinco gols, quando Costa do Marfim goleou a Etiópia por 6 x 1, em 1970.

– O gol mais rápido da Copa das Nações Africanas saiu em 1994. O egípcio Ayman Mansour abriu o placar aos 23 segundos no jogo contra o Gabão, no estádio El Menzah, na Tunísia.

– O jogador com mais partidas na CAN é Rigobert Song, zagueiro de Camarões, que disputou 36 jogos entre 1996 e 2010. Song é também o recordista de participações (oito), ao lado de Ahmed Hassan, do Egito.

– O técnico de Guiné Equatorial é o brasileiro Gílson Paulo, 62 anos, que assumiu no lugar do francês Henri Michel (carrasco do Brasil na Copa de 1986 e nas Olimpíadas de 2000).

– Guiné Equatorial conta também com outro brasileiro: o goleiro Danilo, que joga no América, de Pernambuco. Danilo joga por Guiné desde 2006, quando foi convencido pelo técnico brasileiro Antônio Dumas a se naturalizar. Outro brasileiro que já jogou por lá foi André Neles, o André Balada.

– Outro técnico brasileiro na Copa das Nações Africanas de 2012 é Marcos Paquetá, que irá dirigir a Líbia. Paquetá foi campeão mundial Sub-17 e Sub-20 com a Seleção Brasileira em 2003.

– Em 1980, o técnico brasileiro Otto Gloria foi campeão com a seleção da Nigéria.

– O camaronês Roger Milla, destaque na Copa do Mundo de 1990, foi artilheiro da Copa Africana em 1986 e em 1988.

– Outro camaronês, o atacante Eto’o, hoje no Anzhi, da Rússia, foi o artilheiro em 2006 e 2008.

– O recordista de gols em uma única edição foi Mulamba Ndaye, do antigo Zaire, com 9 gols em 1974.

Autor: Tags:

terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Artilheiros, Estatísticas | 12:45

Adriano: cinco jogos incompletos e uma finalização certa

Compartilhe: Twitter

O atacante Adriano está prestes a completar 10 meses de Corinthians. Contratado no dia 25 de março de 2011, o Imperador, no entanto, pouco fez pelo clube. E a cada dia parece mais distante de ser titular do time e de fazer gols. Ainda bem fora de forma (fala-se em 104 kg), Adriano teve uma apresentação fraquíssima diante dos reservas do Flamengo, no segundo tempo do amistoso realizado no domingo. Em 45 minutos, o atacante não deu um chute a gol. Assim, como já havia feito contra o Atlético-GO e o Atlético-PR no último Brasileiro.

Aliás, desde que chegou ao Corinthians, o jogador disputou somente cinco partidas desde março de 2011. Desde sua estreia diante do Atlético-GO (no dia 9 de outubro de 2011), o Imperador ficou em campo por pouco mais de 120 minutos. Sempre entrando na segunda etapa, Adriano conseguiu finalizar apenas três vezes nesses cinco jogos. Contra o Botafogo, em seu segundo jogo, cabeceou duas vezes para fora. Já contra o Atlético-MG, fez um gol em sua única finalização certa até agora. Sua média, por enquanto, é de apenas uma finalização a cada 40 minutos em campo.

Com apenas 29 anos, Adriano foi titular pela última vez no dia 18 de dezembro de 2010, na derrota do seu time, a Roma, para o Milan, pelo Campeonato Italiano. Pela Roma, aliás, o atacante disputou apenas 8 jogos, sendo dois como titular. Ainda assim, acabou substituído nas duas partidas. Para piorar, não fez gol por lá e teve o contrato rescindido.

Adriano jogou uma partida completa pela última vez no dia 20 de maio de 2010, quando o Flamengo foi eliminado pela Universidade de Chile, nas quartas de final da Libertadores daquele ano. O jogo marcou sua despedida do Flamengo, clube pelo qual teve sua última sequência de jogos inteiros. Desde maio de 2010, então, Adriano não joga duas partidas seguidas. De junho de 2010 a janeiro de 2012, Adriano disputou apenas 13 jogos (por Roma e Corinthians), foi titular de apenas dois (pela Roma) e marcou somente um gol (pelo Corinthians).

Especula-se que Adriano recebe R$ 300 mil por mês de salário, mais direito de imagem no Corinthians. Será que vale a pena?

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 Campeonato Brasileiro | 12:46

Os gringos que atuarão no futebol brasileiro em 2012

Compartilhe: Twitter

A cada que passa os clubes brasileiros vêm apostando em jogadores de fora para montarem seus elencos. A busca por sul-americanos para reforçar as equipes para a disputa da Libertadores, por exemplo, vem sendo cada vez mais comum. Para a temporada de 2012, 32 gringos já desembarcaram nos clubes da série A do Brasileiro. Muitos, porém, com qualidades discutíveis. Só da Argentina, são 19 jogadores, contando também os times da série B.

Dos 14 novos gringos contratados. Apenas um, de fato, parece ter sido um bom reforço: o atacante Marcelo Moreno, do Grêmio. Entre os remanescentes de 2011, poucos atuaram recentemente em suas seleções, como Ramírez (Corinthians), Piris (São Paulo), Valdívia (Palmeiras), Loco Abreu (Botafogo), Montillo, Victorino e Diego Arias (Cruzeiro); além de Guiñazu e D’Alessandro (Inter).

Cruzeiro e Figueirense são os clube que atualmente mais contam com gringos no elenco (quatro). E essa lista pode ainda aumentar, já que Vasco e Botafogo ainda brigam para contratarem alguns jogadores de fora, como Dátolo, Rojas e Tanaka.

Confira abaixo os gringos que atuam nos clubes das séries A e B do Brasileiro. Em azul estão os jogadores que acabaram de chegar.

Corinthians – Ramírez, volante (Peru); Chen Zhizhao, meia (China)

São Paulo – Iván Piris, lateral-direito (Paraguai); Marcelo Cañete, meia (Argentina)

Palmeiras – Valdívia, meia (Chile); Adalberto Román, zagueiro (Paraguai)

Santos – Breitner, meia (Venezuela); Rentería, atacante (Colômbia)

Flamengo – Maldonado, volante (Chile); Botinelli, meia (Argentina)

Fluminense – Valencia, volante (Colômbia); Martinuccio, meia (Argentina); Lanzini, meia (Argentina)

Vasco – Chaparro, meia (Argentina); Abelairas, volante (Argentina)

Botafogo – Loco Abreu, atacante (Uruguai); Herrera, atacante (Argentina)

Atlético-MG – Escuderomeia (Argentina)

Cruzeiro – Victorino, zagueiro (Uruguai); Diego Ariasvolante (Colômbia); Montillo, meia (Argentina); Farías, atacante (Argentina)

Grêmio – Marcelo Morenoatacante (Bolívia); Miralles, atacante (Argentina)

Internacional – Bolatti, volante (Argentina); Guiñazu, volante (Argentina); D’Alessandro, meia (Argentina)

FigueirenseIgnacio Canutozagueiro (Argentina); Saldívarvolante (Paraguai); Pittoni, meia (Paraguai); Niell, atacante (Argentina)

Coritiba – Geraldo, meia (Angola)

Atlético-PR – Nieto, atacante (Argentina); Guerrón, atacante (Equador); Santiago García, atacante (Uruguai)

América-MG – Sciorilli, atacante (Argentina)

Bragatino – Mauricio Saucedoatacante (Bolívia)

Boa – Felice Caicedoatacante (Equador)

Criciúma – Joe Bizerazagueiro (Uruguai); Andrés Romero, volante (Argentina)

Autor: Tags: ,

domingo, 8 de janeiro de 2012 Futebol Europeu, Prêmiação | 18:02

Os números de Messi, Cristiano Ronaldo e Xavi em 2011

Compartilhe: Twitter

A Fifa irá divulgar amanhã, a partir das 16h (horário de Brasília), o vencedor do prêmio Bola da Ouro 2011 ao melhor jogador do mundo da última temporada. Os três finalistas já são velhos conhecidos. O atacante argentino Lionel Messi, o grande favorito à conquista, vem para a sua quinta cerimônia de premiação. Em 2007 e 2008, ficou atrás de Kaká e Cristiano Ronaldo, respectivamente, e nos últimos dois anos levou para a casa o prêmio de melhor do mundo. Seu companheiro de clube, o espanhol Xavi, foi o 5º melhor do mundo em 2008, e o 3º em 2009 e em 2010. Já o português Cristiano Ronaldo foi o vencedor em 2008, ficou em 2º em 2009, 3º em 2007 e 10º em 2006.

Em 2011, esses três finalistas tiveram uma temporada sensacional. Cristiano Ronaldo quebrou o recorde de gols em uma só edição do Campeonato Espanhol (40 gols em 34 jogos), conquistou a Copa do Rei da Espanha e foi o grande nome do time de José Mourinho no ano. Seu azar foi ter pela frente um Barcelona praticamente imbatível. Nessa equipe histórica, Messi e Xavi foram os grandes destaques. O atacante argentino, com seus gols e jogadas espetaculares, comandou o time nos títulos Espanhol, da Liga dos Campeões, Mundial de Clubes, Supercopa Europeia e Supercopa Espanhola. Já o meia Xavi, foi fundamental nessas mesmas conquistas e ainda brilhou com a camisa da Seleção Espanhola, que fechou o ano como a número um do ranking da Fifa.

Confira abaixo o resumo da temporada dos três finalistas ao prêmio da Bola de Ouro Fifa 2011:

CRISTIANO RONALDO

Campeonato Jogos Gols Assistências Amarelos Vermelhos
Espanhol 34 40 11 2 0
Copa da Espanha 4 3 0 2 0
Supercopa Espanhola 2 1 0 1 0
Liga dos Campeões 10 5 4 1 0
Amistosos (Real Madrid) 7 7 0 0 0
Eliminatórias da Euro 6 5 1 0 0
Amistosos (Portugal) 2 2 0 0 0
Total 65 63 16 6 0

Título: Copa da Espanha 2010/11
Artilharia: Campeonato Espanhol 2010/11

MESSI

Campeonato Jogos Gols Assistências Amarelos Vermelhos
Espanhol 35 31 15 4 0
Copa da Espanha 5 6 0 1 0
Supercopa Espanhola 2 3 2 0 0
Liga dos Campeões 12 12 5 1 0
Supercopa Europeia 1 1 0 0 0
Mundial de Clubes 2 2 1 0 0
Amistosos (Barcelona) 1 2 0 0 0
Copa América 4 0 3 0 0
Eliminatórias Conmebol 4 2 1 0 0
Amistosos (Argentina) 5 2 1 0 0
Total 71 61 28 6 0

Títulos: Campeonato Espanhol 2010/11, Supercopa Espanhola 2011, Liga dos Campeões 2010/11, Supercopa Europeia 2011 e Mundial de Clubes 2011
Artilharias: Copa do Espanha 2011, Liga dos Campeões 2010/11, Supercopa Europeia 2011, Mundial de Clubes 2011

XAVI

Campeonato Jogos Gols Assistências Amarelos Vermelhos
Espanhol 32 5 5 5 0
Copa da Espanha 7 1 2 0 0
Supercopa Espanhola 2 0 1 0 0
Liga dos Campeões 11 3 0 0 0
Supercopa Europeia 1 0 0 0 0
Mundial de Clubes 1 1 0 0 0
Amistosos (Barcelona) 2 0 0 0 0
Eliminatória da Euro 5 2 3 0 0
Amistosos (Espanha) 5 0 1 0 0
Total 66 12 12 5 0

Títulos: Campeonato Espanhol 2010/11, Supercopa Espanhola 2011, Liga dos Campeões 2010/11, Supercopa Europeia 2011 e Mundial de Clubes 2011
Artilharia:

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012 Goleiros, História, Seleção Brasileira | 11:41

Os números da grandiosa carreira do goleiro Marcos

Compartilhe: Twitter

Um dos maiores goleiros da história do futebol brasileiro, Marcos anunciou sua despedida ontem, após 20 anos de carreira. Goleiro que marcou época com títulos importantes e amor à camisa, Marcos fez história no Palmeiras, desde sua estreia como profissional, em 1992. Pela Seleção Brasileira, apesar de jogar apenas 29 vezes, Marcos deixou seu nome gravado entre os maiores goleiros. Em 2002, o jogador foi titular em todos os sete jogos e figura importantíssima na conquista da Copa do Mundo.  Heroi na conquista da Copa Libertadores de 1999, o goleiro entrou para lista dos 10 jogadores que mais atuaram pelo Palmeiras.

Marcos Roberto Silveira Reis
4/8/1973 (38 anos), nasceu em Oriente (SP)
1,93 m, 93 kg
Carreira: Palmeiras: 1992-2011 (532 jogos, 681 gols sofridos) e Seleção Brasileira: 1999 a 2005 (29 jogos, 24 gols sofridos).
Veja aqui a lista de todos os jogos do goleiro Marcos.
Títulos: Copa do Mundo (2002), Copa das Confederações (2005), Copa América (1999), Copa Libertadores (1999), Copa Mercosul (1998), Copa do Brasil (1998), Copa dos Campeões (2000), Torneio Rio-São Paulo (2000), Campeonato Paulista (1996 e 2008) e Brasileiro da Série B (2003)

Curiosidades: Dos 532 jogos pelo Palmeiras, as competições que mais atuou foram: Brasileiro (202 jogos), Paulistão (132 jogos), Copa Libertadores (57 jogos) e Copa do Brasil (36 jogos). Marcos é o jogador que mais vezes atuou no estádio Parque Antártica, com 212 jogos (Ademir da Guia é o segundo, com 184). 

Jogadores que mais defenderam o Palmeiras:

Jogador Posição Partidas Período
Ademir da Guia Meia 901 1962-1977
Leão Goleiro 617 1968-78 e 1984-86
Dudu Volante 609 1964-1976
Waldemar Fiúme Meia 601 1941-1958
Valdemar Carabina Zagueiro 584 1954-1966
Luís Pereira Zagueiro 568 1968-74 e 1981-84
Marcos Goleiro 532 1992-2011
Djalma Santos Lateral-direito 498 1959-1968
Nei Atacante 488 1972-1980
Valdir Goleiro 482 1958-1969

.

Com 532 jogos disputados pelo Palmeiras, Marcos só não jogou mais vezes do que Leão, que fez 617 jogos, entre os goleiros que já defenderam o Palmeiras na história.

Os goleiros que mais jogaram pelo Palmeiras:

Pos. Goleiro Jogos
Leão 617
Marcos 532
Valdir de Moraes 480
Velloso 455
Oberdan 351
Sérgio 337
Gilmar 287
Primo 170
Jurandyr 133
10º Nascimento 130
11º Zetti 100
12º Diego Cavalieri 95

.

Desde 1996, quando efetivamente começou a jogar pelo Palmeiras, Marcos disputou 16 temporadas, com uma média de 33 jogos por ano. Marcado por uma carreira repleta de lesões, Marcos só pode disputar praticamente seis temporadas inteiras. Veja o desempenho de Marcos ano a ano pelo Palmeiras:

Ano Jogos
1992 1
1996 18
1997 11
1998 11
1999 60
2000 39
2001 39
2002 41
2003 46
2004 19
2005 41
2006 14
2007 14
2008 60
2009 55
2010 36
2011 27

.

Pênaltis e Libertadores
Goleiro que mais atuou pelo Palmeiras na história da Libertadores (57 jogos), Marcos foi campeão em 1999, vice em 2000, semifinalista em 2001 e ainda chegou nas quartas de final (2009) e nas oitavas de final (2007). Nessas cinco edições, Marcos participou de nove disputas por pênaltis, saindo vencedor em sete delas. Dos 42 pênaltis cobrados sobre o Marcos, 10 foram defendidos e sete foram chutados para fora. No geral, em toda a sua carreira, Marcos defendeu 33 pênaltis.

Marcos em disputas por pênaltis em Libertadores:
1999 – Quartas-de-final
Palmeiras 4 x 2 Corinthians (defendeu 1 cobrança; 1 foi para fora)

1999 – Final
Palmeiras 4 x 3 Deportivo Cali-COL (2 foram para fora)

2000 – Oitavas-de-final
Palmeiras 3 x 2 Peñarol-URU (defendeu 2 cobranças; 1 foi para fora)

2000 – Semifinal
Palmeiras 5 x 4 Corinthians (defendeu 1 cobrança)

2000 – Final
Palmeiras 2 x 4 Boca Juniors-ARG

2001 – Oitavas-de-final
Palmeiras 5 x 3 São Caetano (1 foi para fora)

2001 – Quartas-de-final
Palmeiras 4 x 3 Cruzeiro (defendeu 3 cobranças; 1 foi para fora)

2001 – Semifinal
Palmeiras 2 x 3 Boca Juniors-ARG (1 foi para fora)

2009 – Oitavas-de-final
Palmeiras 3 x 1 Sport (defendeu 3 cobranças)


Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012 História | 11:15

O chinês Chen Zhizhao e 33 gringos que já atuaram pelo Corinthians

Compartilhe: Twitter

O Corinthians formalizou a contratação do meia-atacante Chen Zhizhao. O jogador, de 23 anos, chega como uma estratégia de marketing do clube paulista, que visa fortalecer sua marca no mercado asiático. Quando entrar em campo, o chinês será o 34º gringo a vestir a camisa do Corinthians desde 1910. Até hoje, apenas três jogadores da Ásia já atuaram pelo clube: o meia Hashimoto, em 1994, além dos libaneses Nasi Felippe, o Amendoim, em 1929, e Adnan Abou-Rizk, meia, em 1965.

Os sul-americanos são maioria entre os estrangeiros que já passaram pelo Corinthians. Só da Argentina são nove jogadores, sendo sete nos últimos dez anos. Entre eles, o atacante Tevez, maior contratação da história do clube (20 milhões de dólares em 2005).

Confira abaixo a lista dos 33 estrangeiros que já vestiram a camisa do Corinthians:

Argentina (9)
Buttice (goleiro, 1974)
Hector Rodolfo Viera (centroavante, 1976)
Fernando Horácio Ávalos (zagueiro, 2001)
Javier Mascherano (volante, 2005)
Carlos Alberto Tevez (atacante, 2005,)
Sebastián Enrique Domínguez “Sebá” (zagueiro, 2005)
Germán Gustavo Herrera (atacante, 2008)
Sergio Escudero (zagueiro, 2009)
Matías Adrián Defederico (meia, 2010)

Uruguai (6)
Armando Graham Bell (zagueiro, 1943)
Martín Artigas Taborda de Olivera (zagueiro, 1979)
Daniel Ángel González Puga (zagueiro, 1982)
Hugo Eduardo de León Rodrigues (zagueiro, 1985)
Santiago Martín Silva Olivera (atacante, 2002)
Alberto Martín Acosta (atacante, 2008)

Paraguai (3)
Juan Carlo Villamayor Medina (lateral-direito, 1996)
Carlos Alberto Gamarra Pavón (zagueiro, 1998)
Edgar Gabriel Balbuena Adorno (lateral-direito, 2009)

Chile (2)
Johnny Herrera (goleiro, 2006)
Cristian Suárez (zagueiro, 2008)

Líbano (2)
Nasi Felippe “Amendoim” (meia, 1929)
Adnan Abou-Rizk (meia, 1965)

Portugal (2)
Casemiro do Amaral (goleiro, 1913)
Laurentino de Mello (meia, 1933)

África do Sul (1)
Mark Frank Williams (atacante, 1996)

Bolívia (1)
Juan Carlos Arce Justiniano (atacante, 2007)

Colômbia (1)
Freddy Eusébio Rincón Valencia (volante, 1997)

Espanha (1)
José Armando Ufarte Ventoso “Espanhol” (atacante, 1961)

Hungria (1)
José Lengyel “Hungarês” (goleiro, 1934)

Itália (1)
Luiz Fabbi Filho (centroavante, 1910)

Japão (1)
Koichi Hashimoto (meia, 1994)

Polônia (1)
Oleska Skorobahaty (atacante, 1965)

Peru (1)
Luis Alberto Ramírez Lucay (meia, 2011)

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 Copa Libertadores | 11:20

Libertadores de 2012 terá dois estreantes e 11 ex-campeões

Compartilhe: Twitter

Foi definido ontem o último participante da Copa Libertadores de 2012: o Unión Española, do Chile. Com o título chileno da Universidad de Chile sobre o Cobreloa, a Unión Española foi para a pré-Libertadores, onde enfrentará o Tigres, do México. Agora, a Libertadores de 2012 está completa, com seus 38 participantes já conhecidos.

Dos clubes que buscarão o título no ano que vem, apenas dois irão disputar o torneio sul-americano pela primeira vez: o Sport Huancayo, do Peru, e o Zamora, da Venezuela. Os dois serão 191º e o 192º clubes a disputar o torneio desde 1960.

Por outro lado, 11 dos outros 36 participantes já foram campeões da Libertadores. Confira abaixo quem mais jogou e o melhor desempenho na Libertadores entre os clubes que irão disputar a edição de 2012:

Peñarol-URU (39 participações) – campeão em 1960, 1961, 1966, 1982 e 1987
Nacional-URU (38 participações) – campeão em 1971, 1980 e 1988
Olimpia-PAR (35 participações) – campeão em 1979, 1990 e 2002
Bolívar-BOL
(27 participações) – fase semifinal em 1986
Universidad Católica-CHI (23 participações) – vice em 1993
Alianza Lima-PER (22 participações) – fase semifinal em 1976 e 1978
Boca Juniors-ARG (22 participações) – campeão em 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007
El Nacional-EQU (22 participações) – semifinal em 1985
Emelec-EQU (20 participações) – semifinal em 1995
Deportivo Táchira-VEN (17 participações) – quartas de final em 2004
The Strongest-BOL (17 participações) – oitavas de final em 1990 e 1994
Universidad de Chile-CHI (16 participações) – semifinal em 1970, 1996 e 2010
Atlético Nacional-COL (14 participações) – campeão em 1989
Caracas-VEN (13 participações) – quartas de final em 2009
Libertad-PAR (12 participações) – semifinal em 1977 e 2006
Vélez Sarsfield-ARG (12 participações) – campeão em 1994
Defensor-URU (11 participações) – quartas de final em 2007 e 2009
Junior-COL (11 participações) – semifinal em 1994
Santos-BRA (11 participações) – campeão em 1962, 1963 e 2011
Flamengo-BRA (10 participações) – campeão em 1981
Corinthians-BRA (9 participações) – semifinal em 2000
Internacional-BRA (9 participações) – campeão em 2006 e 2010
Unión Española-CHI (9 participações) – vice em 1975
Deportivo Quito-EQU (8 participações) – oitavas de final em 1989
Vasco-BRA (7 participações) – campeão em 1998
Once Caldas-COL (6 participações) – campeão em 2004
Chivas Guadalajara-MEX (5 participações) – vice em 2010
Nacional-PAR (5 participações) – segunda fase (grupos) em 1983, 1986, 2009 e 2010
Real Potosí-BOL (5 participações) – segunda fase (grupos) em 2002, 2007 e 2008
Fluminense-BRA (4 participações) – vice em 2008
Lanús-ARG (3 participações)  – oitavas de final em 2008
Cruz Azul-MEX (2 participações) – vice em 2001
Juan Aurich-PER (2 participações) – segunda fase (grupos) em 1969 e 2010
Tigres-MEX (2 participações) – quartas de final em 2005
Arsenal de Sarandí-ARG (1 participação) – segunda fase (grupos) em 2008
Godoy Cruz-ARG (1 participação)  -segunda fase (grupos) em 2011
Sport Huncayo-PER (estreante)
Zamora-VEN (estreante)

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 17 de dezembro de 2011 Confrontos, Mundial de Clubes | 11:33

Quem já bateu no Barcelona de Guardiola e Messi

Compartilhe: Twitter

Desde que assumiu o Barcelona no início da temporada 2008/09, o técnico Guardiola já comandou o clube catalão em 233 jogos. Destes, venceu 164, empatou 45 e perdeu apenas 23 (menos de 10%). E dessas 23 derrotas, somente 11 foram com o time titular. IssSeu ótimo aproveitamento em todos os jogos é de 76,8%. Para se ter uma ideia, o Corinthians, último campeão brasileiro, conquistou o título com 62,3% em 38 jogos.

Vencer o Barcelona de Guardiola, Messi, Xavi e Iniesta tem sido uma tarefa complicadíssima para qualquer adversário, que em mais de 90% desses jogos tiveram menos posse de bola do que o Barça. A difícil tarefa de amanhã, do Santos, porém, não é impossível.

Veja abaixo quem já conseguiu a proeza de derrotar o histórico time do Barcelona na era Guardiola. Em vermelho, os jogos em que o Barcelona jogou com time reserva e em azul os jogos em que o Barça jogou com o time misto:

Temporada 2008/09
26/8/2008 – Wisla Cracóvia (POL) 1 x 0 Barcelona – 3ª fase preliminar da Liga dos Campeões
31/8/2008 –  Numancia 1 x 0 Barcelona – Campeonato Espanhol
9/12/2008 – Barcelona 2 x 3 Shakthar Donestk (UCR) – Primeira Fase da Liga dos Campeões
21/2/2009 – Barcelona 1 x 2 Espanyol – Campeonato Espanhol
1/3/2009 – Atlético de Madri 4 x 3 Barcelona – Campeonato Espanhol
17/5/2009 – Mallorca 2 x 1 Barcelona – Campeonato Espanhol
23/5/2009 – Barcelona 0 x 1 Osasuna – Campeonato Espanhol

Temporada 2009/10
19/8/2009 – Barcelona 0 x 1 Manchester City (ING) – Troféu Joan Gamper
20/10/2009 – Barcelona 1 x 2 Rubin Kazan (RUS) – Primeira Fase da Liga dos Campeões
5/1/2010 – Barcelona 1 x 2 Sevilla – Copa da Espanha
14/2/2010 – Atlético de Madrid 2 x 1 Barcelona – Campeonato Espanhol
20/4/2010 – Internazionale (ITA) 3 x 1 Barcelona – Semifinal da Liga dos Campeões

Temporada 2010/11
14/8/2010 – Sevilla 3 x 1 Barcelona – Supercopa Espanhola
11/9/2010 – Barcelona 0 x 2 Hércules – Campeonato Espanhol
1/12/2010 – Espanyol 2 x 1 Barcelona – Copa Catalunha
19/1/2011 – Bétis 3 x 1 Barcelona – Copa da Espanha
16/2/2011 – Arsenal (ING) 2 x 1 Barcelona – Oitavas-de-final da Liga dos Campeões
20/4/2011 – Barcelona 0 x 1 Real Madrid – Copa da Espanha
30/4/2011 – Real Sociedad 2 x 1 Barcelona – Campeonato Espanhol
Temporada 2011/12
30/7/2011 – Manchester United 2 x 1 Barcelona – Amistoso
3/8/2011 – Chivas Guadalajara (MEX) 4 x 1 Barcelona – Amistoso
9/8/2011 – Espanyol 3 x 0 Barcelona – Copa Catalunha
26/11/2011 – Getafe 1 x 0 Barcelona – Campeonato Espanhol

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011 Confrontos, Mundial de Clubes | 15:20

Brasileiros levam vantagem sobre europeus nos Mundiais de clubes

Compartilhe: Twitter

O Santos terá uma missão bem complicada no próximo domingo. Mas se o retrospecto dos clubes brasileiros diante dos europeus nas finais dos Mundiais ajudar, o Peixe pode, sim, acreditar no tri. Até hoje, contando as decisões do Mundial Interclubes (Europa x América do Sul, entre 1960 e 2004) e o Mundial de Clubes da FIFA (2000 a 2010), os brasileiros participaram de 14 edições e foram campeões em nove delas.

No confronto direto entre clubes brasileiros e europeus, os brazucas levam a melhor. Em 19 jogos, foram 11 vitórias, 3 empates e apenas 5 vitórias das equipes do Velho Continente. Ou seja, das 19 partidas, quase 60% terminaram com vitórias de brasileiros. E o Barcelona, rival do Santos no domingo, já levou a pior duas vezes. Confira abaixo dos resultados de todos os confrontos entre brasileiros e europeus pelos mundiais:

1962
Santos 3 x 2 Benfica (POR)
Benfica (POR) 2 x 5 Santos

1963
Milan (ITA) 4 x 2 Santos
Santos 4 x 2 Milan (ITA)
Santos 1 x 0 Milan (ITA)

1976
Bayern Munique (ALE) 2 x 0 Cruzeiro
Cruzeiro 0 x 0 Bayern Munique (ALE)

1981
Flamengo 3 x 0 Liverpool (ING)

1983
Grêmio 2 x 1 Hamburgo (ALE)

1992
São Paulo 2 x 1 Barcelona (ESP)

1993
São Paulo 3 x 2 Milan (ITA)

1995
Ajax (HOL) 0 x 0 Grêmio  – (4 x 3 nos pênaltis)

1997
Borussia Dortmund (ALE) 2 x 0 Cruzeiro

1998
Real Madrid (ESP) 2 x 1 Vasco

1999
Manchester United (ING) 1 x 0 Palmeiras

2000
Vasco 3 x 1 Manchester United (ING)
Corinthians 2 x 2 Real Madrid (ESP)

2005
São Paulo 1 x 0 Liverpool (ING)

2006
Internacional 1 x 0 Barcelona (ESP)

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 13 de dezembro de 2011 Artilheiros, Estatísticas | 10:09

Fred, Damião, Neymar e os artilheiros dos clubes na temporada de 2011

Compartilhe: Twitter

Na temporada de 2011 do futebol brasileiro, vários goleadores se destacaram e terminaram o ano como artilheiros de suas equipes. Entre eles, Fred (Fluminense), Borges e Neymar (Santos), Liédson (Corinthians) e Leandro Damião (Inter). Dos 20 clubes que disputaram a Série A em 2011, o jogadores que mais fez gols por um só clube foi Leandro Damião, com 38 gols, seguido de Fred (34 gols).

Proporcionalmente, Damião foi o atacante que mais contribuiu para os gols de seu time, anotando 32,8% dos 116 gols. Entre os principais artilheiros, curiosamente, alguns deles terminaram o ano em baixa, como Kléber (dispensado pelo Palmeiras) e Dagoberto (vendido ao Inter). Outros, acabaram se tornando artilheiros dos clubes mesmo sendo reservas no final da temporada, como Magno Alves (Atlético-MG), Marcelo Nicácio (Ceará), Héber (Figueirense) e Bernardo (Vasco). Entre esses principais artilheiros, alguns deles atuam em posições defensivas, como o zagueiro Antônio Carlos (Botafogo), os volantes Paulinho (Corinthians) e Marcos Assunção (Palmeiras), e o goleiro Rogério Ceni (São Paulo). Uma outra curiosidade nessa lista é a presença de Borges entre os principais artilheiros do Santos e do Grêmio na temporada.

Confira abaixo a lista dos três principais artilheiros de um dos 20 participantes do Brasileirão na temporada de 2011:

América-MG (51 jogos, 78 gols, média de 1,53 por partida)
Fábio Júnior (18 gols), Kempes (13 gols) e Alessandro (8 gols)

Atlético-GO (64 jogos, 99 gols, média de 1,55 por partida)
Marcão (16 gols), Felipe (15 gols) e Anselmo (12 gols)

Atlético-MG (59 jogos, 102 gols, média de 1,73 por partida)
Magno Alves (18 gols), Neto Berola (13 gols) e Renan Oliveira (8 gols)

Atlético-PR (69 jogos, 99 gols, média de 1,43 por partida)
Paulo Baier (18 gols), Guerrón (14 gols) e Nieto (12 gols)

Avaí (67 jogos, 94 gols, média de 1,40 por partida)
William (28 gols), Rafael Coelho (18 gols) e Marquinhos Gabriel (7 gols)

Bahia (64 jogos, 85 gols, média de 1,33 por partida)
Souza (18 gols) e Jóbson e Rafael (6 gols)

Botafogo (64 jogos, 99 gols, média de 1,55 por partida)
Loco Abreu (26 gols), Herrera (15 gols) e Antônio Carlos e Caio (7 gols)

Ceará (75 jogos, 121 gols, média de 1,61 por partida)
Marcelo Nicácio (23 gols), Washington (18 gols) e Felipe Azevedo e Thiago Humberto (11 gols)

Corinthians (63 jogos, 90 gols, média de 1,43 por partida)
Liédson (23 gols), Paulinho (11 gols) e Willian (10 gols)

Coritiba (72 jogos, 142 gols, média de 1,97 por partida)
Bill (27 gols), Marcos Aurélio (20 gols) e Davi (18 gols)

Cruzeiro (61 jogos, 115 gols, média de 1,89 por partida)
Montillo (21 gols), Wallyson (17 gols) e Thiago Ribeiro (13 gols)

Figueirense (59 jogos, 94 gols, média de 1,59 por partida)
Héber (12 gols), Júlio César (11 gols) e Wellington Nem (9 gols)

Flamengo (67 jogos, 104 gols, média de 1,55 por partida)
Deivid, Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves (21 gols)

Fluminense (63 jogos, 108 gols, média de 1,71 por partida)
Fred (34 gols), Rafael Moura (21 gols) e Rafael Sóbis (10 gols)

Grêmio (71 jogos, 113 gols, média de 1,59 por partida)
Douglas (16 gols), André Lima (15 gols) e Borges (10 gols)

Internacional (69 jogos, 116 gols, média de 1,68 por partida)
Leandro Damião (38 gols), D’Alessandro (15 gols) e Oscar (13 gols)

Palmeiras (51 jogos, 78 gols, média de 1,53 por partida)
Kléber (16 gols), Luan (11 gols) e Marcos Assunção (10 gols)

Santos (75 jogos, 120 gols, média de 1,60 por partida)
Borges e Neymar (23 gols) e Elano (15 gols)

São Paulo (70 jogos, 112 gols, média de 1,60 por partida)
Dagoberto (22 gols), Lucas (13 gols) e Rogério Ceni (8 gols)

Vasco (74 jogos, 131 gols, média de 1,77 por partida)
Bernardo (20 gols), Diego Souza (17 gols) e Elton (15 gols)

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011 Confrontos, História, Mundial de Clubes, Técnicos | 11:32

Muricy leva pequena vantagem sobre Nelsinho Baptista

Compartilhe: Twitter

Na próxima quarta-feira, dois técnicos brasileiros estarão frente a frente na semifinal do Mundial de Clubes: Muricy Ramalho, pelo Santos, e Nelsinho Baptista, defendendo o Kashiwa Reysol, do Japão. Na curta história da competição, desde 2000, apenas uma vez isso já aconteceu. Em 2000, quando Oswaldo de Oliveira, do Corinthians, foi campeão sobre Antônio Lopes, do Vasco.

Muricy Ramalho e Nelsinho Baptista estão estreando também na competição. Até hoje, os treinadores também nunca se enfrentaram nessa situação de mata-mata. Nos outros confrontos entre eles, Muricy leva pequena vantagem sobre Nelsinho. Em 13 jogos, desde 1997, foram 5 vitórias de Muricy, 4 empates e 4 vitórias de Nelsinho.

No início, Nelsinho chegou a levar vantagem sobre Muricy, com três vitórias e três empates nos primeiros seis jogos. Porém, nos últimos sete jogos, Muricy venceu cinco e perdeu apenas um.

O primeiro confronto entre os dois treinadores aconteceu em fevereiro de 1997, pelo Campeonato Paulista. Muricy, técnico do São Paulo, pegou o Corinthians, de Nelsinho, na primeira fase. O jogo terminou 2 x 2, com gols de Dodô e França, no último minuto, para o São Paulo, e Túlio, duas vezes, para o Corinthians. No mesmo campeonato, os dois treinadores voltaram a se enfrentar. Porém, Muricy estava treinando o Guarani, após ser demitido pelo São Paulo. No segundo jogo, deu Corinthians: 1 x 0. Naquele Paulistão, Nelsinho acabou conquistando o título Paulista.

Em 2005, Muricy conquistou sua primeira vitória sobre Nelsinho. No Brasileirão daquele ano, Nelsinho pegou o Santos no final do Brasileirão, em uma de suas piores campanhas nos últimos tempos. Sem poder jogar na Vila Belmiro, por conta de uma suspensão, o Santos enfrentou o Inter, de Muricy, no Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul. Em má fase (no domingo anterior havia perdido do Corinthians por 7 x 1), o Peixe levou de 4 x 0.

Depois disso, dirigindo o São Paulo, Muricy levou boa vantagem sobre Nelsinho. O único revés foi no Brasileiro de 2007, quando o Corinthians de Nelsinho venceu o São Paulo por 1 x 0, com um gol de Betão. O jogo serviu para quebrar um tabu de 12 jogos sem vitória do Corinthians sobre o rival. Mas naquele ano, o São Paulo, de Muricy, levou o título Brasileiro, enquanto o Corinthians, de Nelsinho, acabou rebaixado.

Confira abaixo todos os jogos entre Muricy Ramalho e Nelsinho Baptista na história:

Data Muricy x Nelsinho Campeonato Estádio
23/2/97 São Paulo 2 x 2 Corinthians Paulista Morumbi
1/5/97 Guarani 0 x 1 Corinthians Paulista Brinco de Ouro
19/7/97 Guarani 2 x 2 Corinthians Brasileiro Brinco de Ouro
21/1/01 Port. Santista 0 x 1 Ponte Preta Paulista Moisés Lucarelli
20/10/02 Figueirense 0 x 1 Goiás Brasileiro Serra Dourada
27/7/03 Internacional 0 x 0 São Caetano Brasileiro Beira Rio
13/11/05 Internacional 4 x 0 Santos Brasileiro A. Campanella
21/1/06 São Paulo 2 x 1 São Caetano Paulista Morumbi
20/5/06 São Paulo 1 x 0 São Caetano Brasileiro Morumbi
17/3/07 São Paulo 1 x 0 Ponte Preta Paulista Morumbi
7/10/07 São Paulo 0 x 1 Corinthians Brasileiro Morumbi
21/6/08 São Paulo 1 x 0 Sport Brasileiro Morumbi
21/9/08 São Paulo 0 x 0 Sport Brasileiro Ilha do Retiro
Autor: Tags: , , ,

domingo, 4 de dezembro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 22:54

Números e curiosidades da campanha do campeão Corinthians

Compartilhe: Twitter

Para chegar ao seu quinto título do Brasileirão, o Corinthians teve uma campanha marcada por alguns números relevantes, comprovando sua força na competição e a sua merecida conquista. Time que mais tempo ficou no G4 (37 das 38 rodadas), o alvinegro foi também o que mais tempo liderou a competição (27 rodadas). Com 21 vitórias, o Corinthians foi o time que mais ganhou no Brasileirão de 2011, superando o Fluminense, que teve 20 vitórias. Com apenas 36 gols sofridos, média de 0,95 por partida, a equipe do técnico Tite terminou o campeonato com a defesa menos vazada, superando o rival Palmeiras nesse quesito (levou 39 gols).

Com 71 pontos e 62,3% de aproveitamento, o Corinthians campeão de 2011 não teve uma campanha tão brilhante em relação aos seus títulos anteriores e também aos outros campeões nacionais. Dos cinco títulos brasileiros, a campanha de 2011 supera apenas a do primeiro e suado título de 1990. Confira:

Ano PG J V E D GP GC S MGP MGC
1990 32 25 12 8 5 23 20 3 0,92 0,80
1998 61 32 18 7 7 57 38 19 1,78 1,19
1999 59 29 18 5 6 61 38 23 2,10 1,31
2005 81 42 24 9 9 87 59 28 2,07 1,40
2011 71 38 21 8 9 53 36 17 1,39 0,95

.

Com 29.387 torcedores por jogo, o Corinthians teve a melhor média de público do Brasileirão de 2011. Aliás, pelo segundo ano consecutivo o time paulista atingiu essa marca com a média de 27.446. Além desses dois últimos anos, o Corinthians foi o líder de público nos Brasileiros de 1972, 1976, 1993, 2004 e 2005.

O time campeão de 2011 também alcançou o recorde de vitórias consecutivas, com sete triunfos seguidos no início do Brasileirão, repetindo a marca de 1999. Ao ficar 10 jogos sem perder no começo desse Brasileiro, o Corinthians teve o seu melhor começo em um Brasileiro, porém, não alcançou o recorde de invencibilidade de 15 jogos, da equipe de 1993.

Com os 38 jogos de 2011, mais os 39 do 5º lugar de 2004 e os 8 jogos do 3º lugar de 2010, Tite é o treinador que mais dirigiu o Corinthians em Brasileiros, com 85 partidas, superando Jorge Vieira, que entre 1980 e 1986, comandou o clube em 63 partidas. Nesses três Brasileiros que treinou o Corinthians, foram 44 vitórias, 24 empates e 17 derrotas, aproveitamento de 61,2%.

O atacante Liédson, com 12 gols, foi o artilheiro do time no Brasileirão. O atacante baiano, aliás, já havia alcançado essa marca pelo clube em 2003, quando foi o principal goleador do Timão com 10 gols. Liédson, porém, ficou longe de alcançar o recordista Luisão (autor de 21 gols em 1999). No entanto, o Levezinho entrou para a lista dos jogadores que já foram duas ou mais vezes artilheiro do Corinthians em Brasileiros, como Sócrates (4 vezes), Neto (4) Casagrande (3), Edmar (2), Marcos Roberto (2) e Marcelinho Carioca (2).

Para conquistar seu 5º Brasileiro, o Corinthians do técnico Tite utilizou 27 jogadores, sendo assim o clube com menos atletas usados na competição. Desses, apenas um saiu (o atacante Edno, que foi campeão da Série B pela Lusa). Outro recorde nessa competição, afinal nenhum outro time perdeu tão pouco jogador no torneio.

Com 30 gols sofridos em 33 jogos, o goleiro Júlio César teve a terceira melhor média de gols sofridos na competição (0,91 gol sofrido por partida), perdendo apenas para Vanderlei, do Coritiba (0,85) e Marcos, do Palmeiras (0,89). O goleiro, aliás, é o único remanescente do grupo campeão Brasileiro de 2005 que jogou em 2011 (Bruno Octávio estava no grupo desse ano, mas não entrou em campo).

Além de Júlio César, outros ex-campeões brasileiros, mas por outros clubes são o lateral-esquerdo Fábio Santos e o meia (campeões em 2006, pelo São Paulo), Adriano (campeão em 2009, pelo Flamengo) e Émerson (também campeão em 2009, pelo Flamengo, e campeão em 2010, pelo Fluminense). O Sheik, aliás, tornou-se o primeiro jogador a faturar o tricampeonato nacional por três clubes diferentes na sequência.

Já o meia Danilo, o volante Paulinho e o atacante Willian foram os jogadores mais utilizados na campanha de 2011. Os três participaram de 36 dos 38 jogos do time na temporada. Confira o resumo de jogos, gols e cartões de cada um dos campeões brasileiros de 2011:

Jogador Posição Jogos Gols Amarelos Vermelhos
1 Júlio César G 33 -30 2 0
30 Renan G 3 -5 0 0
22 Danilo G 2 -1 0 0
2 Alessandro LD 22 0 5 1
18 Weldinho LD 26 0 1 0
3 Chicão Z 22 4 9 0
4 L. Castan Z 35 1 5 2
25 Wallace Z 16 0 0 1
13 Paulo André Z 16 0 4 0
6 Fábio Santos LE 27 0 4 0
33 Ramon LE 9 1 3 0
5 Ralf V 34 1 6 0
8 Paulinho V 36 8 9 0
15 Moradei V 8 0 0 0
21 Edenílson V 25 0 2 1
12 Alex M 28 6 2 0
14 Ramírez M 6 1 1 0
17 Morais M 12 0 0 0
20 Danilo M 36 3 6 0
7 Willian A 36 6 2 0
9 Liédson A 28 12 6 1
23 Jorge Henrique A 31 3 8 0
11 Émerson A 28 6 7 1
10 Adriano A 4 1 1 0
29 Taubaté A 1 0 0 0
19 Elias Oliveira A 4 0 0 0
Edno A 1 0 0 0

a

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Copa Libertadores, Técnicos | 11:23

Os técnicos que mais conquistaram vagas na Libertadores desde 2003

Compartilhe: Twitter

Desde o início da era dos pontos corridos, em 2003, dois treinadores se destacaram pelos títulos: Muricy Ramalho (tetracampeão 2006, 2007, 2008 e 2010) e Vanderlei Luxemburgo (2003 e 2004). E os dois são também aqueles que mais conquistaram vagas para seus clubes na Copa Libertadores no período.

Muricy Ramalho, desde 2003, colocou seis vezes os clubes que dirigiu na Libertadores, sendo seis pelo Brasileirão e uma após a conquista da Copa Libertadores. Já Luxemburgo conquistou cinco vagas na Libertadores e está prestes a chegar a sua sexta, caso o Flamengo empate ou ganhe do Vasco ou ainda se Inter, Coritiba e Figueirense não ganharem seus jogos.

Émerson Leão, que já conquistou três vagas na Libertadores, curiosamente três primeiras edições, luta agora, com o São Paulo para tentar novamente alcançar esse feito. Está difícil, mas ainda é possível. Dorival Júnior, do Inter, também está na briga por uma vaga, que seria sua terceira nos últimos anos.

Confira abaixo quais são os técnicos que mais conquistaram vagas na Libertadores desde 2003 pelo Brasileiro, pelo título da Copa do Brasil e também pela conquista da própria Libertadores:

Muricy Ramalho 6 Internacional (2005), São Paulo (2006, 2007 e 2008), Fluminense (2010) e Santos (2011)**
V. Luxemburgo 5 Cruzeiro (2003)*, Santos (2004, 2006 e 2007) e Palmeiras (2008)
Émerson Leão 3 Santos (2003), São Paulo (2004) e Palmeiras (2005)
Tite 3 São Caetano (2003) e Corinthians (2010 e 2011)
Abel Braga 2 Internacional (2006)** e Fluminense (2011)
Adílson Batista 2 Cruzeiro (2008 e 2009)
Celso Roth 2 Grêmio (2008) e Internacional (2010)**
Dorival Júnior 2 Cruzeiro (2007) e Santos (2010)*
Mano Menezes 2 Grêmio (2006) e Corinthians (2009)*
Renato Gaúcho 2 Fluminense (2007) e Grêmio (2010)*
Ricardo Gomes 2 São Paulo (2009) e Vasco (2011)*
Andrade 1 Flamengo (2009)
Antônio Lopes 1 Corinthians (2005)
Caio Júnior 1 Paraná (2006)
Cuca 1 Cruzeiro (2010)
Estevam Soares 1 Palmeiras (2004)
Geninho 1 Goiás (2005)
Joel Santana 1 Flamengo (2007)
Levir Culpi 1 Atlético-PR (2004)
Mário Sérgio 1 Internacional (2009)
Nelsinho Baptista 1 Sport (2008)*
Ney Franco 1 Flamengo (2006)*
Paulo Autuori 1 São Paulo (2005)**
Paulo Bonamigo 1 Coritiba (2003)
Péricles Chamusca 1 Santo André (2004)*
Roberto Rojas 1 São Paulo (2003)
Vágner Mancini 1 Paulista (2005)*

.

* Vagas conquistas pelo título da Copa do Brasil
** Vagas conquistas pelo título da Copa Libertadores
.
.

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 12:47

Cruzeiro pode cair após 41 anos na Série A. Veja quem está há mais tempo

Compartilhe: Twitter

No próximo domingo, o Brasileirão irá definir os outros dois rebaixados para a Série B de 2012, além de Avaí e América-MG. Ceará, Atlético-PR e Cruzeiro lutam para ver quem escapa. Desses três, o Cruzeiro é o único clube que ainda não foi rebaixado. Aliás, a Raposa, ao lado de Flamengo e Internacional, é um dos únicos clubes do país a jogar todas as edições do Brasileiro desde 1971. Já o Atlético-PR, que esteve os últimos 16 anos na Série A, poderá perder seu lugar na elite.

Confira quais são os clubes que estão há mais tempo na primeira divisão do Brasileirão:

41 anos (desde 1971)
Cruzeiro, Flamengo e Internacional

32 anos (desde 1980)
Santos e São Paulo

16 anos (desde 1996)
Atlético-PR

12 anos (desde 2000)
Fluminense

8 anos (desde 2004)
Botafogo e Palmeiras

6 anos (desde 2006)
Grêmio

5 anos (desde 2007)
Atlético-MG

3 anos (desde 2009)
Avaí e Corinthians

2 anos (desde 2010)
Atlético-GO, Ceará e Vasco

1 ano (desde 2011)
América-MG, Bahia, Coritiba e Figuerense

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 28 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 10:54

Marcos Assunção participou de 40% gols do Palmeiras no Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Autor do gol da vitória do Palmeiras no clássico diante do São Paulo, Marcos Assunção chegou ao seu 8º gol no Brasileirão, sendo o sexto de falta (um recorde na edição de 2011). O volante, de 35 anos, deu ainda mais 9 assistências que resultaram em gols do Palmeiras na competição, participando assim diretamente de 17 dos 43 gols da equipe (40%).

No Brasileirão de 2010, Assunção já havia sido o artilheiro dos gols de falta, com 5 gols, superando Paulo Baier, Renato e Baiano, que marcaram 3 gols. Agora, em 2011, o volante marcou 6 gols de falta, contra 3 de Ronaldinho Gaúcho e 3 de Juninho Pernambucano. Na era dos pontos corridos, o recorde de gols de falta continua sendo do zagueiro Juninho, que anotou 7 gols dessa forma em 2007, pelo Botafogo.

Autor: Tags: ,

domingo, 27 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 21:48

Quais jogadores estarão fora da rodada decisiva

Compartilhe: Twitter

O gol de Bernardo, do Vasco, aos 45 minutos do segundo tempo tirou o grito de campeão do Corinthians e adiou a decisão pelo título para a última rodada. Assim como o gol de Daniel Marques, do Ceará, contra o Cruzeiro, aos 36 minutos do segundo tempo, também adiou a briga pelo rebaixamento para a última e decisiva rodada.

Mas a 37ª rodada também serviu para definir alguma coisa nesse campeonato pra lá de emocionante. O Fluminense, com a derrota para o Vasco no final do jogo, perdeu a chance de brigar pelo título depois de realizar um grande segundo turno (aliás, já é o time com mais pontos no returno, mesmo que perca o próximo jogo). O Flu fez 37 pontos no returno contra 33 de Corinthians e Vasco.

Na briga pela Libertadores, o Flamengo voltou a ficar em boa posição por uma vaga e o surpreendente Coritiba subiu quatro posições na tabela, entrando para o G5 com a vitória, também nos minutos finais, sobre o Avaí. O Coxa, aliás, com a 13ª vitória em casa, passou a ser o mandante com o maior aproveitamento da competição (conquistou 74,2% dos pontos disputados). Na última rodada, porém, o Coritiba terá pela frente o rival Atlético-PR, na Arena da Baixada, que ainda luta para não cair. Mas vale lembrar que no jogo decisivo do estadual desse ano o Coxa enfiou 3 x 0 lá.

Ao Flamengo resta um empate diante do Vasco para se garantir na Libertadores (o que garantiria o título ao Corinthians). Já Coritiba, Inter e Figueirense (todos com 57 pontos), São Paulo (56) e Botafogo (55), ainda estão no páreo por uma vaga. Situação mais complicada para São Paulo e Botafogo, que não conseguirão alcançar o Flamengo e ainda terão que vencer seus jogos e torcer para que nenhum adversário acima da tabela vença. Improvável, mas possível nesse campeonato.

Outra definição, não tão importante assim, foi a vaga conquistada pelo Palmeiras na Copa Sul-Americana de 2012 com a vitória sobre o São Paulo. No clássico, o volante Marcos Assunção anotou seu 6º gol de falta no Brasileirão e dificilmente será superado nesse quesito, já que Ronaldinho Gaúcho marcou três. .

O Atlético-MG, com a goleada sobre o Botafogo, está livre de vez do rebaixamento. Penúltimo colocado no primeiro turno, com apenas 26,3% de aproveitamento, o Galo tem a sétima melhor campanha do returno, com 55,6% dos pontos. O técnico Cuca, assim como já havia feito com o Goiás em 2003, e com o Fluminense em 2009, livrou mais um time do rebaixamento nessa era dos pontos corridos.

Quem também escapou da degola para a segundona foi o Bahia, com o empate sobre o time completo do Santos, na Vila Belmiro, que contou com pouco mais de 12 mil pessoas na despedida do time em casa antes do Mundial.

Para a 38ª e última rodada, todos os dez jogos estarão valendo alguma coisa. Dois deles, porém, um pouco menos, já que o Atlético-GO lutará por uma vaga na Copa Sul-Americana contra o rebaixado América-MG, enquanto o já Fluminense, já classificado para Libertadores, irá enfrentar o Botafogo, que tem chances remotas de chegar ao torneio sul-americano. De quebra, a partida será disputada em Volta Redonda.

Nos demais oito jogos, a briga será grande, com destaque para os clássicos Corinthians x Palmeiras, Vasco x Flamengo e Atlético-PR x Coritiba.

Veja abaixo o que estará em jogo e quais serão os desfalques dos clubes nesse última rodada:

Corinthians x PalmeirasUm empate dá o título ao Corinthians. Para o Palmeiras estragar a festa do rival, deverá vencer e esperar que o Vasco também ganhe no Rio. 
Desfalques:
Corinthians –
Ralf e Danilo.
Palmeiras – Marcos (machucado).

.

Vasco x FlamengoO Vasco precisa vencer e torcer por uma derrota do Corinthians para ser campeão. Já o Flamengo necessita de um empate para ir à Libertadores sem depender de ninguém.
Desfalques:
Vasco –
Juninho Pernambucano, Allan, Leandro e Éder Luís (machucado).
Flamengo – Aírton (machucado – dúvida).

.

São Paulo x SantosSó a vitória interessa ao São Paulo, que ainda terá que torcer para que Coritiba, Internacional e Figueirense não ganhem.
Desfalques:
São Paulo –
Rivaldo.
Santos – nenhum.

.

Botafogo x FluminenseUm empate garante o Flu na fase de grupos da Libertadores. O Botafogo precisa ganhar e torcer para que Coritiba, Inter, Figueirense e São Paulo não ganhem.
Desfalques:
Botafogo –
Éverton, Herrera e Cortês (machucado – dúvida).
Fluminense – nenhum.

.

Cruzeiro x Atlético-MG – Um empate garante o Galo na Copa Sul-Americana e pode rebaixar o Cruzeiro, desde que o Ceará vença. Já a Raposa se livra da série B com uma vitória. Um empate pode rebaixar o time.
Desfalques:
Cruzeiro – Fábio, Montillo, Marquinhos Paraná e Wallyson (machucado).
Atlético-MG – Neto Berola.

.

Internacional x Grêmio – O Inter precisa vencer e torcer por tropeços de Coritiba ou Flamengo para ir à Libertadores. O Grêmio não briga por nada. Apenas para atrapalhar o rival.
Desfalques:
Internacional – nenhum.
Grêmio – Adílson e Fábio Rochemback (machucado – dúvida).

.

Atlético-PR x Coritiba – O Furacão precisa ganhar e torcer para que o Ceará não vença e que o Cruzeiro perca para o Atlético-MG ganhe do Cruzeiro para escapar do rebaixamento. Já o Coritiba precisa vencer para ir à Libertadores. Um empate complicará a vida do Coxa, que terá que torcer para que Inter e Figueirense não ganhem seus jogos.
Desfalques:
Atlético-PR – Gustavo Lazzaretti.
Coritiba – Leandro Donizete (machucado – dúvida).

.

Avaí x Figueirense – O Figueira precisa ganhar o jogo contra o rebaixado Avaí e ainda torcer para tropeços de Inter, Coritiba e Flamengo (dois deles necessariamente).
Desfalques:
Avaí – Fabiano, Fernandinho e Batista.
Figueirense – Rhayner e Túlio (machucado).

.

Bahia x Ceará – Só a vitória interessa ao Ceará, que ainda torce para o Cruzeiro não vencer para poder, assim, escapar do rebaixamento.
Desfalques:
Bahia – Diones, Ricardinho, Fahel e Dodô (machucado).
Ceará – Fernando Henrique, Eusébio, Daniel Marques e Thiago Humberto.

.

Atlético-GO x América-MG – Uma vitória poderá dar a vaga ao Atlético-GO na Copa Sul-Americana de 2012. Para isso o Atlético-MG não pode ganhar do Cruzeiro.
Desfalques:
Atlético-GO – Joílson e Vítor Júnior.
América-MG – Neneca, Kempes, Marcos Rocha, Rodriguinho, Ânderson (machucado), Otávio (machucado) e Luciano (machucado).

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 21 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro | 11:33

Centroavantes brilham na antepenúltima rodada do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 segue emocionante e imprevisível. A briga pelo título, por uma vaga na Libertadores e para fugir da degola faz desse um dos melhores campeonatos da história da competição. Nessa antepenúltima rodada, o clima de decisão esteve presente em vários confrontos e em muitos deles os centroavantes acabaram fazendo a diferença.

No sábado, Luís Fabiano anotou dois gols e garantiu a vitória do São Paulo diante do América-MG (assim como já havia feito contra o Avaí). Dessa forma, recolocou o Tricolor paulista na briga por uma das duas vagas restantes na Libertadores de 2012 (Santos, Vasco, Corinthians e Fluminense já estão garantidos).

Também no sábado, foi a vez de Felipe Azevedo, do Ceará, acabar com o Grêmio, marcando os três gols na surpreendente vitória do Vovô por 3 x 1. Aliás, essa foi a primeira vez que um jogador marcou três gols no Grêmio no estádio Olímpico, em 511 jogos disputados lá. De quebra, Felipe Azevedo ainda igualou o recorde de Neném, o único jogador do Ceará a marcar três gols em um único jogo de Brasileiro. Isso foi em 1985, no dia 3 de março, na vitória por 3 x 0 sobre o Sergipe.

Ainda no sábado, Elton deixou sua marca na vitória do Vasco por 2 x 0 sobre o Avaí, chegando ao seu 11º na competição, isolando-se como artilheiro do time no Brasileirão e deixando cada vez mais Alecsandro como reserva.

Ontem, Leonardo deu a vitória ao Coritiba sobre o Santos. Aproveitando a chance como titular, o atacante marcou seu 6º gol no Brasileirão.

No Rio, foi a vez de Leandro Damião marcar após seis jogos e ajudar o Inter a vencer o Botafogo e entrar no G4. A última vez que Damião havia feito gols foi na 23ª rodada, no dia 11 de setembro, quando anotou os três na vitória contra o Palmeiras por 3 x 0.

Já em São Paulo, Liédson e Adriano foram decisivos na sexta virada corintiana na competição. O Levezinho marcou seu 11º gol no Brasileirão, garantindo-se como artilheiro do time no campeonato. Já o Imperador marcou seu primeiro gol pelo clube num momento crucial e quebrando um jejum de 1 ano e cinco meses sem balançar as redes.

Em Florianópolis, Fred brilhou mais uma vez. Autor de três gols na goleada sobre o Figueirense por 4 x 0, o atacante chegou a 20 gols no Brasileirão, entrando na briga pela a artilharia do campeonato com o santista Borges, que está com 23 gols. Fred, que já havia marcado quatro gols no meio de semana, contra o Grêmio, marcou 12 gols nos últimos seis jogos. Com 20 gols, Fred está a um gol de igular a marca de Washington, o recordista de gols pelo Flu em uma única edição de Brasileiro. Em 2008, o Coração Valente anotou 21 gols. Pelo Fluminense, em Brasileiros, Fred também chega a marca de 37 gols e está a apenas 6 de igualar o recordista Magno Alves, o maior artilheiro do clube na história da competição com 43 gols.

Com tantos goleadores brilhando nesse campeonato, veja como estão as tabelas dos maiores artilheiros do Brasileirão desde 1971 e também na era dos pontos corridos. Vale lembrar que oito dos dez maiores artilheiros dos pontos corridos estão jogando o Brasileirão de 2011. Confira:

Maiores artilheiro do Brasileirão na era dos pontos corridos

Jogador Pos. Gols Em 2011
Paulo Baier A 91 5
Washington A 82
Borges A 74 23
Obina A 71
Alecsandro A 67 2
Souza A 63 10
Fred A 61 20
Deivid A 60 15
Marcinho M 58 5
Dagoberto A 57 8
Alex Mineiro A 56
Edmundo A 56
Fernandão A 54
Tuta A 54
Iarley A 53 1
Kleber Pereira A 52
Jonas A 51
Alex Dias A 50
Christian A 50
Diego Tardelli A 48
Dimba A 47
Petkovic M 47
André Lima A 46 9
Felipe A 46 7
Roger A 46 2
Diego Souza M 45 10
Rafael Moura A 44 11
Romário A 43
Nilmar A 42
Rafael Sóbis A 42 10
Marcel A 41
Rogério Ceni G 41 2
Alex M 40 6
Finazzi A 40
Hugo M 40
Renato Abreu M 39 4
Neymar A 39 12
Edílson A 38
Luís Fabiano A 38 4
Wellington Paulista A 38 1
Éder Luís A 37 4
Robinho A 37


.

Maiores artilheiros do Brasileiro desde 1971

Jogador Gols Período Jogos Média
Roberto Dinamite 190 71-92 328 0,58
Romário 154 85-07 252 0,61
Edmundo 153 92-08 316 0,48
Zico 135 71-89 249 0,54
Túlio 129 88-05 240 0,54
Serginho 127 74-90 184 0,69
Washington 126 99-10 201 0,63
Dario 113 71-85 240 0,47
Kleber Pereira 102 99-10 195 0,52
10º Ramon 98 89-10 367 0,27
11° Dodô 96 95-10 196 0,49
12° Paulo Baier 94 97-11 354 0,27
13° Reinaldo 93 73-85 177 0,53
14° Careca 92 78-86 130 0,71
Evair 92 86-02 221 0,42
16° Cláudio Adão 91 73-93 194 0,47
Jorge Mendonça 91 73-86 197 0,46
Viola 91 88-04 249 0,37
Marcelinho Carioca 91 88-09 284 0,32
20° Tuta 90 96-07 231 0,39

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 18 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 12:33

Corinthians está no G4 em 72 das últimas 73 rodadas do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Permanecer entre os quatro primeiros colocados do Brasileirão não é tarefa das mais fáceis, tamanho o equilíbrio entre os participantes do campeonato nacional. Nas últimas duas edições, porém, o Corinthians alcançou algo raro nessa era dos pontos corridos. Em 2010, o time paulista ficou todas as 38 rodadas no G4, entre os quatro primeiros colocados. O clube foi líder em 12 rodadas e deixou escapar o título no final. Agora, em 2011, está no G4 desde a segunda rodada, completando assim 72 rodadas entre os quatro primeiros. E já garantido na Libertadores de 2012, provavelmente fechará o campeonato também no G4.

A única rodada em que o time ficou de fora foi na primeira desse ano. Apesar de estrear vencendo o Grêmio, por 2 x 1, o Corinthians terminou a rodada na 6ª colocação, ficando atrás dos adversários no saldo de gols. No Brasileirão de 2011, o alvinegro é o clube que mais rodadas permaneceu na liderança (24 de 34).

Nos últimos dois Brasileiros, esses foram os clubes que mais ficaram no G4, em 73 rodadas:

1-Corinthians – 72 rodadas ( (36),  (26),  (8) e  (2))
2-Fluminense – 38 rodadas ( (23),  (7),  (7) e  (1))
3-Botafogo – 28 rodadas ( (-),  (-),  (12) e  (16))
4- São Paulo – 28 rodadas ( (4),  (8),  (14) e  (2))
5-Vasco – 24 rodadas ( (6),  (9),  (3) e  (6))
6-Cruzeiro – 21 rodadas ( (2),  (4),  (13) e  (2))
7-Flamengo – 19 rodadas ( (1),  (9),  (3) e  (6))
8-Internacional – 12 rodadas ( (-),  (-),  (1) e  (11))
9-Santos – 10 rodadas ( (-),  (1),  (3) e  (6))
10-Ceará – 9 rodadas ( (-),  (3),  (3) e  (3))
11-Atlético-MG – 5 rodadas ( (1),  (1),  (-) e  (3))
12-Avaí – 5 rodadas ( (1),  (2),  (1) e  (1))
13-Figueirense – 3 rodadas ( (-),  (-),  (-) e  (3))
14-Grêmio – 3 rodadas ( (-),  (-),  (-) e  (3))
15-Atlético-PR – 1 rodada ( (-),  (-),  (-) e  (1))
16-Palmeiras – 1 rodada ( (-),  (-),  (-) e  (1))

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 17 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 12:34

Palmeiras: recorde no jejum de vitórias e no número de empates

Compartilhe: Twitter

Com  o empate diante do Vasco, ontem, no Pacaembu, o Palmeiras chegou ao seu 10º jogo sem vitória no Brasileirão. Um recorde negativo na história do clube, igualando a marca de 1985, quando o time também ficou dez partidas sem vencer. Naquele campeonato, o Palmeiras terminou na 30ª colocação, com apenas 5 vitórias, 8 empates e 7 derrotas.

Depois de vencer o Cruzeiro em seu sexto jogo (2 x 0), no dia 13 de fevereiro, o Palmeiras só foi voltar a vencer no dia 31 de março de 1985. Na derrota para o Náutico, o time acabou demitindo o técnico Fedato. Em seu lugar, entrou Mário Travaglini. Confira a sequência do então maior jejum de vitórias do Palmeiras em Brasileiros:
23/2/1985 – Palmeiras 1 x 1 Vasco
28/2/1985 – Internacional 2 x 1 Palmeiras
3/3/1985 – Palmeiras 1 x 2 Santos
6/3/1985 – Náutico 2 x  1Palmeiras
10/3/1985 – Palmeiras 1 x 2 Bahia
13/3/1985 – Goiás 1 x 0 Palmeiras
16/3/1985 – Palmeiras 4 x 4 São Paulo
20/3/1985 – Palmeiras 2 x 2 Flamengo
24/3/1985 – Portuguesa 0 x 0 Palmeiras
27/3/1985 – Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras

.

Em 2011, a última vitória palmeirense foi no distante dia 22 de setembro, na 25ª rodada, há quase dois meses. Desde então, foram cinco empates e cinco derrotas. E a última vitória fora de casa foi na 12ª rodada, 2 x 1 no Figueirense, no dia 27 de julho. Com chances remotas de rebaixamento, o Palmeiras somou apenas 11 pontos no returno, ganhando somente uma partida. Apenas o Ceará, com 10 pontos em 16 jogos, consegue ser pior.

No Campeonato Brasileiro de 2011, o Palmeiras chegou ao seu 16º empate em 35 partidas. O que dá uma porcentagem de 46% de empates no total de jogos. Um recorde na era dos pontos corridos, desde 2003, entre todos os clubes. E com apenas 26% de vitórias em sua campanha de 2011, o Palmeiras tem também um de seus piores índices de vitória em Brasileiros. Apenas em Apenas em 1985 (25%) e em 2002, ano do rebaixamento (24%), o Palmeiras venceu proporcionalmente menos.

Veja abaixo quem mais empatou seus jogos em Brasileiros na era dos pontos corridos:

Ano Posiçao Clube Jogos Empates % de empates
2011 12º Palmeiras 35 16 0,46
2010 Botafogo 38 17 0,45
2010 12º Ceará 38 17 0,45
2010 14º Flamengo 38 17 0,45
2010 11º Vasco 38 16 0,42
2003 21º Ponte Preta 46 18 0,39
2004 20º Botafogo 46 18 0,39
2010 17º Vitória 38 15 0,39
Autor: Tags: , ,

Campeonato Brasileiro, História | 00:48

Flu vence o Grêmio no jogo com mais viradas desse Brasileiro

Compartilhe: Twitter

O Fluminense bateu o Grêmio por 5 x 4, hoje, no Engenhão, e segue vivo na briga pelo título Brasileiro. A vitória do Tricolor carioca sobre o Tricolor gaúcho foi de forma brilhante, num jogo histórico. Desde 1971, poucas foram as vezes em que um jogo teve três viradas (como a de hoje). E somente uma vez contou com mais viradas. Em 2006, o Atlético-PR bateu o Vasco por 6 x 4, num jogo de quatro viradas (Vasco 2 x 1, Atlético-PR 3 x2, Vasco 4 x 3 e Atlético-PR 6 x 4).

Hoje à noite, no primeiro tempo, o Grêmio saiu na frente, o Fluminense empatou e o Grêmio fez 2 x 1 nos minutos finais. No segundo tempo, começaram as viradas. Aos 16 minutos do segundo tempo, Rafael Sóbis fez 3 x 2 para o Flu, na primeira virada do jogo. Pouco depois, com gols aos 29 e aos 30 minutos, o Grêmio virou para 4 x 3. Em seguida, com mais dois gols de Fred, aos 33 e aos 35 minutos, o Flu virou para 5 x 4, na terceira virada desse jogaço. Em apenas seis minutos (dos 29 aos 35), foram 4 gols.

Esse 5 x 4 do Fluminense sobre o Grêmio também iguala o jogo com mais gols nesse Brasileiro, o 5 x 4 do Flamengo sobre o Santos, na Vila Belmiro, no primeiro turno.

Na história do Brasileirão, desde 1971, esses foram os jogos com mais viradas:

Atlético-PR 6 x 4 Vasco (1/10/2006) – 4 viradas
Gols:
Evanílson 9/1 (1 x 0), Ramon 17/1 e Andrade 42/1 (1 x 2); Marcos Aurélio 8/2 e 17/2 (3 x 2), Leandro Amaral 23/2, Andrade 27/2 (3 x 4), Danilo 32/2, Ferreira 34/2 e Pedro Oldoni 45/2 (6x 4)

.

Bahia 4 x 7 Santos (22/10/2003) – 3 viradas
Gols:
Didi 8/1, Robinho 14/1, Léo 16/1 (1 x 2), Didi 22/1, Robinho 28, Cícero 37/1; Preto 7/2 (4 x 3), Diego 18/2 e 20/2, William 35/2 e Fabiano 46/2 (4 x 7)

.

Bahia 5 x 3 Atlético-MG (13/10/2002) – 3 viradas
Gols: Marques 9/1, Nonato 11/1, Gutiérrez 14/1 (contra) (2 x 1), Mancini 19/1 e Michel 46/1 (2 x 3); Valdomiro 10/2, Róbson 34/2 e Geraldo 44/2 (5 x 3)

.

Paraná 4 x 3 Cruzeiro (27/5/2007) – 3 viradas
Gols: Guilherme 43/1 e Joélson 46/1; Josiel 12/2 (2 x 1), Rômulo 22/2, Guilherme 29/2 (2 x 3), Josiel 36/2 e Éverton 37/2 (4 x 3)

.

Fluminense 5 x 4 Grêmio (16/11/2011) – 3 viradas
Gols: Rafael Marques 16/1, Fred 24/1 e Marquinhos 45/1; Fred 7/2, Rafael Sóbis 16/2 (3 x 2), Brandão 29/2, Adílson 30/2 (3 x 4) e Fred 33/2 e 35/2 (5 x 4)

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última