Publicidade

segunda-feira, 6 de junho de 2011 Estatísticas, História, Seleção Brasileira | 13:09

Lúcio e os recordistas de jogos pelas Seleções

Compartilhe: Twitter

O zagueiro Lúcio, aos 33 anos, completou seu centésimo jogo com a camisa da Seleção Brasileira no amistoso do último sábado, contra a Holanda (0 x 0). Jogador da Internazionale, Lúcio estreou pela Seleção em 2000, na vitória contra a Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa de 2002. No jogo, realizado no Morumbi, Lúcio teve como companheiro de zaga Roque Júnior, o autor do gol do time treinado por Emerson Leão.

Desde então, o zagueiro tornou-se titular da Seleção e, com a aposentadoria de Cafu, assumiu o posto de capitão do time. Desde 2000, o jogador foi o único chamado pelos últimos cinco técnicos da Seleção (Emerson Leão, Luiz Felipe Scolari, Parreira, Dunga e Mano Menezes).

Com 100 jogos, Lúcio está, agora, a apenas um de igualar o goleiro Taffarel, o terceiro jogador com mais partidas pela Seleção Brasileira. O zagueiro, porém, está longe de alcançar Cafu, que disputou 142 jogos. Mesmo que vá para a Copa do Mundo de 2014, quando terá 36 anos, dificilmente Lúcio chegará a essa marca, afinal o Brasil não deverá disputar mais tantos jogos até lá.

Confira a lista dos jogadores com mais partidas pela Seleção Brasileira:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.No mundo, quase 200 jogadores já ultrapassaram a marca  de 100 jogos por suas respectivas seleções. Até hoje, os recordistas são o egípcio Mohamed Al-Daeyea e o zagueiro mexicano Claudio Suárez, ambos com incríveis 178 jogos. Entre os jogadores que estão na ativa, quem tem mais partidas hoje é o argentino Javier Zanetti, com 140 jogos.

Veja a lista dos jogadores com mais partidas pelas Seleções no mundo:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 2 de junho de 2011 Copa do Brasil | 12:02

Retrospecto coloca o Vasco perto do título da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Invicto na Copa do Brasil, o Vasco largou na frente na decisão da Copa do Brasil, ao vencer o Coritiba por 1 x 0, em casa, na primeira partida. Agora, carrega um grande favoritismo para chegar ao inédito título da Copa do Brasil e voltar à Libertadores.

Se não perder, como ainda não aconteceu nessa edição e nos últimos 19 jogos, o Vasco fatura o título. Se pegarmos a campanha do time de Ricardo Gomes fora de casa, a situação fica ainda melhor. Até agora, na atual edição da Copa do Brasil, foram cinco jogos como visitante, com três vitórias (6 x 1 no Comercial-MS, 3 x 0 no Náutico e 2 x 0 no Avaí) e dois empates (0 x 0 com o ABC e 2 x 2 com o Atlético-PR). Além disso, o Vasco tem a melhor defesa da Copa do Brasil, com apenas 6 gols sofridos em 10 jogos.

No confronto direito entre as equipes, o Vasco leva vantagem também. Em 36 jogos, foram 18 vitórias do clube carioca, contra 9 empates e 9 vitórias do Coritiba. Mesmo fora de casa, em Curitiba, o Vasco leva a melhor, com 6 vitórias, 7 empates e 5 derrotas em 18 jogos.

Outro dado importante nessa decisão é que em apenas três das 22 edições da Copa do Brasil realizadas até hoje o time que venceu o primeiro jogo perdeu o título. Em 1992, o Fluminense ganhou do Internacional por 2 x 1 no jogo de ida. Na volta, o Colorado venceu por 1 x 0, gol de pênalti de Célio Silva, no final da partida, e ficou com o título. Em 1998, o Cruzeiro bateu o Palmeiras por 1 x 0, no Mineirão, mas perdeu o título no Morumbi, depois de perder por 2 x 0. Curiosamente, o gol do título palmeirense também saiu bem no final, com Oséas. Já em 2008, o Corinthians fez 3 x 1 no Sport, no jogo de ida, e depois perdeu o título ao ser derrotado por 2 x 0 em Recife.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 1 de junho de 2011 Confrontos, Copa do Brasil, Copa Libertadores, História | 12:30

Vasco busca vaga na Libertadores depois de 11 anos

Compartilhe: Twitter

Campeão da Copa Libertadores de 1998, o Vasco começa hoje a decidir a Copa do Brasil, contra o Coritiba. O clube carioca busca o título inédito e também a vaga na Libertadores, a qual não disputa de 2001, ano em que venceu seus oito primeiros jogos mas acabou eliminado pelo Boca Juniors-ARG nas quartas-de-final. Naquela época, o Vasco, comandado por Joel Santana, contava com o craque Romário, além de jogadores como Juninho Paulista, Hélton, Euller, Pedrinho e Viola.

Entre os 12 grandes clubes do futebol brasileiro, apenas o Botafogo e Atlético-MG estão há mais tempo sem disputar a principal competição sul-americana. O Botafogo jogou o torneio pela última vez em 1996. Já o Galo, participou em 2000.

Por outro lado, o Coritiba também luta para retornar à Libertadores. O time paranaense, no entanto, jogou mais recentemente. Em 2004, o time disputou o torneio após ficar na 5ª colocação no Brasileirão de 2003. Dirigido por Antônio Lopes, o Coxa acabou eliminado na primeira fase em 2004. A curiosidade é que o goleiro do Coritiba naquela época era Fernando Prass, hoje no Vasco. Outros destaques daquele time eram o zagueiro Miranda (hoje no São Paulo) e o lateral-esquerdo Adriano (atualmente no Barcelona e na Seleção Brasileira).

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Confira abaixo a lista dos clubes brasileiros que estão há mais tempo sem disputar a Libertadores:

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 30 de maio de 2011 Sem categoria | 15:31

Com Lucas, São Paulo tem menos derrotas na temporada

Compartilhe: Twitter

Maior nome da equipe e único jogador do time na Seleção Brasileira, o meia Lucas mais uma vez decidiu um jogo para o São Paulo. Seu belo gol aos 47 minutos do segundo tempo, garantiu ao Tricolor a segunda vitória no Brasileirão. Na primeira rodada, o jogador já havia feito outro bonito gol contra o Fluminense.

Nessa temporada, Lucas participou de 13 dos 30 jogos da equipe – perdeu o começo da temporada pois defendeu a Seleção Brasileira no Sul-Americano Sub-20. Desses 13 jogos, Lucas conseguiu 9 vitórias, 2 empates e perdeu apenas 2 jogos. Com o meia em campo, o São Paulo teve um aproveitamento de 74,4% dos pontos.

Sem Lucas, o Tricolor disputou 17 jogos em 2011 e perdeu mais. Foram 5 derrotas e 12 vitórias. O aproveitamento de pontos, porém, também é alto sem o jogador (70,6%). Entre as derrotas do time sem seu camisa 7, estão duas para o Santos, sendo uma na semifinal do Paulistão, quando o time foi eliminado.

Curiosamente, com Lucas em campo, o São Paulo, além de perder menos, também leva menos gols. Em 13 jogos, com ele campo, o Tricolor levou apenas 6 gols. Sem Lucas, em 17 jogos, foram 16 gols sofridos.

O São Paulo com Lucas em campo (13 jogos, 9 vitórias, 2 empates e 2 derrotas):

.

.

.

.

.

.

.

O São Paulo sem Lucas em campo (17 jogos, 12 vitórias, 5 derrotas):

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags:

quinta-feira, 26 de maio de 2011 Copa Libertadores, Estatísticas | 10:31

Histórico favorável ao Santos nessa semifinal

Compartilhe: Twitter

A apertada vitória de 1 x 0 do Santos sobre o Cerro Porteño-PAR, no jogo de ida das semifinal da Copa Libertadores, acabou frustando alguns torcedores, que esperavam um placar mais dilatado e um conforto maior para o jogo de volta. Mas historiacamente, os números mostraram que raramente um clube que vence o primeiro jogo de uma semifinal de Libertadores é eliminado da competição. Além disso, o retrospecto do Peixe diante do Cerro Porteño e diante dos paraguaios, também ajudam muito o time da Vila Belmiro.

Isso, sem contar que a equipe dirigida por Muricy Ramalho conta com o melhor jogador do torneio, o atacante Neymar…

Até hoje, desde 1960, foram disputadas 64 confrontos de semifinais na história da competição (não houve semifinal em 1966, 1967 e entre 1971 e 1987). Dessas, apenas em 13 vezes o vencedor do primeiro jogo acabou perdendo a vaga para a final. Ou seja, em apenas 20% dos confrontos quem ganhou a partida partida ficou de fora da grande decisão. Nos últimos dez anos, apenas o Boca Juniors reverteu um placar desfavorál, em 2007, contra o Cúcuta. Relembre aqui:

1962
Nacional-URU 2 x 1 Peñarol-URU
Peñarol-URU 3 x 1 Nacional-URU
Peñarol-URU 1 x 1 Nacional-URU

1965
Santos 5 x 4 Peñarol-URU
Peñarol-URU 3 x 2 Santos
Peñarol-URU 2 x 1 Santos

1968
Racing-ARG 2 x 0 Estudiantes-ARG
Estudiantes-ARG 3 x 0 Racing-ARG
Racing-ARG 1 x 1 Estudiantes-ARG

1970
Universidad de Chile-CHI 1 x 0 Peñarol-URU
Peñarol-URU 2 x 0 Universidad de Chile-CHI
Peñarol 2 x 2 Universidad de Chile-CHI

1989
Olimpia-PAR 0 x 1 Internacional
Internacional 2 x 3 Olimpia-PAR (Olimpia 5 x 3 nos pênaltis)

1990
River Plate-ARG 1 x 0 Barcelona-EQU
Barcelona-EQU1 x 0 River Plate-ARG (Barcelona 4 x 3 nos pênaltis)

1991
Boca Juniors-ARG 1 x 0 Colo Colo-CHI
Colo Colo-CHI 3 x 1 Boca Juniors-ARG

1994
Junior Barranquilla-COL  2 x 1 Vélez Sarsfield-ARG
Vélez Sarsfield-ARG 2 x 1 Junior Barranquilla-COL   (Vélez 5 x 4 nos pênaltis)

1996
Grêmio 1 x 0 América de Cáli-COL
América de Cáli-COL 3 x 1 Grêmio

1997
Racing-ARG 3 x 2 Sporting Cristal-PER
Sporting Cristal-PER 4 x 1 Racing-ARG

1999
River Plate-ARG 1 x 0 Palmeiras
Palmeiras 3 x 0 River Plate-ARG

2000
Corinthians 4 x 3 Palmeiras
Palmeiras 3 x 2 Corinthians (Palmeiras 5 x 4 nos pênaltis)

2007
Cúcuca-COL 3 x 1 Boca Juniors-ARG
Boca Juniors-ARG 3 x 0 Cúcuta-COL

Outro ponto histórico favorável ao Santos é que até hoje, em cinco confrontos contra o Cerro Porteño-PAR, o Peixe segue invicto. Em 1962, na primeira fase, empatou por 1 x 1, em Assunção, e aplicou um 9 x 1 em Santos, na maior goleada do clube na história da Libertadores. Agora, em 2011, os clubes voltaram a se enfrentar na fase de grupos. Depois do 1 x 1 na Vila Belmiro, o Santos venceu no Paraguai por 2 x 1. Em cinco jogos, foram então 3 vitórias do Santos e dois empates, com 14 gols do Santos e apenas 4 do Cerro. Além disso, o Santos nunca perdeu para clubes paraguaios na história da competição sul-americana. Em 9 jogos, foram 6 vitórias e 3 empates.

Mais um dado para deixar o santista otimista é que o Cerro Porteño é o clube que mais disputou a Libertadores sem conseguir chegar a uma final. Antes dessa atuação edição, o Cerro disputou 33 vezes a competição. Até hoje, seus melhores desempenhos foram em 1973 e 1978 (quando chegou na segunda fase, de grupos, uma antes da final) e em 1993, 1998 e 1999, quando foi eliminado na semifinal.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 23 de maio de 2011 Campeões, Futebol Europeu | 15:57

Resumão dos Campeonatos Europeus 2010/11

Compartilhe: Twitter

Cinco dos seis principais Campeonatos Europeus da temporada 2010/11 já terminaram (Espanhol, Inglês, Italiano, Alemão e Português). Apenas o Francês segue em andamento (a última rodada será disputada no próximo domingo). Com alguns recordes e surpresas, a temporada 2010/11 ficará bem marcada.

Na Espanha, o seu segundo tricampeonato na história em grande estilo (o clube foi tetra 1994). Sob o comando de Guardiola e regido por Messi, Xavi e Iniesta, o Barça terminou à frente do rival Real Madrid depois de vencê-lo no primeiro turno por 5 x 0. Na campanha do tri, o time Catalão perdeu apenas duas partidas. Já o Real Madrid, teve como grande destaque seu poderoso ataque (102 gols – que chegou próximo do recorde espanhol de 107, do próprio Real, de 1989/90), conduzido pelo craque Cristiano Ronaldo. O português anotou 40 gols e quebrou as marcas de Zarra (Athletic Bilbao, em 1950-51) e Hugo Sánchez (Real Madrid, 1989-90), que marcaram 38 gols em uma só temporada.

.

.

.

.

.

.

.

.

Já na Inglaterra, o poderoso Manchester United chegou ao seu 12º título na história da Premier League, desde 1992, todos sob o comando do técnico Alex Ferguson. No geral, o clube agora é também o maior campeão do Campeonato Inglês, desde 1889. Os Reds têm 19 títulos contra 18 do Liverpool, 13 do Arsenal e 9 do Everton. Na temporada 2010/11, outro clube de Manchester também foi muito bem. O City, de Tevez, ficou em terceiro na Liga, sua melhor colocaçao desde a temporada 1976/77 (quando foi vice), e ainda foi campeão da FA Cup, quebrando um jejum de 42 anos sem títulos – venceu a FA Cup em 1969.

.

.

.

.

.

.

.

.

Na Itália, o Milan voltou a ficar com o scudetto depois de 7 anos. Sob o comando de Massimiliano Allegri, o Milan acabou com a série da rival Internazionale (então pentacampeã italiana), e conquistou seu 18º título, igualando a Inter. Os brasileiros Robinho e Pato (que marcaram 14 gols cada) e o zagueiro Thiago Silva foram fundamentais na campanha do título. Thiago Silva, inclusive, ganhou o prêmio de melhor jogador do Campeonato. A Inter, que trocou o técnico espanhol Rafa Benítez e pelo brasileiro Leonardo, ficou com o vice-campeonato e uma vaga na Liga dos Campeões.

.

.

.

.

.

.

.

.

Na Alemanha, o adormecido Borussia Dortmund voltou a conquistar a Bundesliga. Depois do título de 2002, o time de Dortmund acumulou resultados ruins (chegou a ser 13º em 2008), e entrou desacretidato na temporada 2010/11. Sob o comando do técnico Jurgen Klopp o Borussia apresentou um grande futebol na temporada, desbancando os favoritos Bayern Munique e Bayer Leverkusen. No elenco, os destaques foram o turco Sahin, o japonês Kagawa e do paraguaio Lucas Barrios. Os brasileiros Dedê e Felipe Santana ajudaram ainda o time de Dortmund a terminar com a melhor defesa do campeonato, com apenas 22 gols sofridos em 34 rodadas. Na temporada alemã, a surpresa foi Schalke 04. Mal no campeonato (foi apenas o 14º), o Schalke chegou à semifinal da Liga dos Campeões e ainda foi campeão da Copa da Alemanha. O Campeonato Alemão registrou ainda o recorde de público. Em 306, mais de 13 milhões de pessoas foram aos estádios (13.057.899), atingindo a média de 42.673 torcedores por jogo, a maior do mundo em um Campeonato Nacional.

.

.

.

.

.

.

.

.

Em Portugal, o Porto fez uma campanha quase impecável e conquistou o título de forma invicta. Em 30 jogos, foram 27 vitórias e apenas 3 empates. O time do goleiro brasileiro Hélton igualou o feito do rival Benfica, até então o único campeão português invicto (em 1973 e 1978). Além de terminar com o melhor ataque, a melhor defesa, o Porto teve ainda o artilheiro da competição, o brasileiro Hulk, com 23 gols. De quebra, a equipe dirigida por André Villas Boas conquistou a Copa de Portugal e a Liga Europa.

.

.

.

.

.

.

.

.

Na França, o campeonato termina no próximo domingo com algumas partidas emocionantes. Na principal delas, o Monaco recebeu o Lyon precisando vencer para não ser rebaixado. Desde a temporada 1976/77, a equipe de Monaco não sabe o que é jogar na segundona. Já o Lyon, precisa ganhar para garantir uma vaga na fase preliminar da Liga dos Campeões de 2011/12. Se perder, poderá ser ultrapassado pelo Paris Saint-Germain e ficar apenas com a vaga na Liga Europa. Além do Monaco, mais quatro equipes brigam para não cair. O curioso é que faltando apenas uma rodada, a diferença de pontos do 7º colocado para o 18º (o primeiro a cair) é de apenas 5 pontos. Já na disputa pelo título, o Lille surpreendeu e ficou com o título depois de 57 anos. De quebra, a equipe ainda ganhou a Copa da França.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Entre os outros países membros da Uefa, os campeões já confirmados são esses:

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 17 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais | 11:56

Os melhores dos Campeonatos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

As federações dos quatro maiores campeonatos estaduais do Brasil divulgaram, ontem, suas seleções com os melhores de 2011. No Rio de Janeiro e em São Paulo, poucas surpresas estiveram nas listas, formadas basicamente por jogadores dos quatro grandes. Já no Rio Grande do Sul, apenas um jogador do campeão figurou entre os melhores: o atacante Leandro Damião. Em Minas Gerais, Cruzeiro, Atlético e América formaram a base da seleção.

Desde 2009, alguns jogadores vêm se destacando nessas eleições dos melhores. O lateral-direito Leonardo Moura, do Flamengo, é o único a entrar em todas as seleções nos últimos três anos. Já o atacante Neymar, do Santos, também fo premiado nos últimos três anos. Em 2009, como reveleção do Paulistão. Já em 2010 e 2011 como um dos melhores atacantes e também como o craque do campeonato. Dos jogadores eleitos em 2011, quatro repetiram o feito de 2010: Willians (Flamengo), Edu Dracena (Santos), Douglas (Grêmio) e Henrique (Cruzeiro).

Dessas seleções dos estaduais de 2011, apenas quatro dos 44 jogadores escolhidos foram chamados recentemente pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira: Neymar, Lucas, Elano e Leandro Damião. Pelo o que jogaram, acredito que a “seleção das seleções estaduais” seria essa: Fábio (Cruzeiro-MG), Leonardo Moura (Flamengo), Dedé (Vasco), Victorino (Cruzeiro) e Guilherme Santos (Atlético-MG); Fábio Rochemback (Grêmio), Henrique (Cruzeiro), Lucas (São Paulo) e Thigo Neves (Flamengo); Neymar (Santos) e Leandro Damião (Inter).

Confira abaixo os melhores dos estaduais de SP, RJ, MG e RS nos últimos três anos:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 16 de maio de 2011 Campeões, Campeonatos Estaduais, História | 09:59

Zagueiro Durval conquista seu nono estadual consecutivo

Compartilhe: Twitter

Prestes a completar 100 jogos com a camisa do Santos, o zagueiro Durval, de 30 anos, antigiu uma marca pessoal sensacional ontem, ao conquistar mais um título em sua carreira. Jogador comedido, que pouco aparece para a mídia, o zagueiro é titular absoluto do time há dois anos e um dos destaques dessa equipe vitoriosa do Santos. Em duas temporadas, Durval disputou 96 jogos, conquistou dois paulistas e uma Copa do Brasil.

Com o recente título paulista, o zagueiro alcançou a marca de nove títulos estaduais consecutivos. Nascido na cidade de Cruz do Espírito Santo (PB), Durval foi campeão paraibano em 2003, pelo Botafogo-PB. Depois disso, levantou a taça pelo Brasiliense-DF, em 2004. No ano seguinte, foi campeão paranaense pelo Atlético-PR. Ainda em 2005, pelo Furacão, Durval titular da equipe que chegou à final da Copa Libertadores.

Na sequência, Durval conquistou o tetracampeonato pernambucano pelo Sport (de 2006 a 2009). Capitão do time, o jogador conseguiu, nesse período, levantar ainda o título da Copa do Brasil de 2008. Com 238 jogos e 38 gols, Durval é considerado um dos maiores jogadores da história do Sport. Em 2010, o jogador chegou ao Santos e no mesmo ano conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil. Agora, em 2011, chegou ao nono título estadual consecutivo.

Aos 30 anos, Durval tem a chance de, em 2012, alcançar o recorde de títulos estaduais consecutivos. Em 1973, o lateral-direito Gena (Genival Costa de Barros Lima), conquistou seu décimo Estadual, curiosamente todos pernambucanos. Titular do Náutico na campanha do hexa (1963 a 1968), Gena defendeu o Sana Cruz na campanha do penta (de 1969 a 1973), estabelecendo um recorde que dura até hoje.

Confira abaixo os títulos de Durval:

2003 – Paraibano (Botafogo-PB)
2004 – Brasiliense (Brasiliense-DF)
2005 – Paranaense (Atlético-PR)
2006 – Pernambucano (Sport)
2007 – Pernambucano (Sport)
2008 – Pernambucano (Sport)
2009 – Pernambucano (Sport)
2010 – Paulista (Santos)
2011 – Paulista (Santos)

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 13 de maio de 2011 Confrontos, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 10:49

Números e curiosidades dos semifinalistas da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

A Copa do Brasil de 2011 terá uma final inédita pela frente e um campeão inédito. Dos quatro semifinalistas, apenas dois já conseguiram chegar à uma final: Vasco (vice em 2006) e Ceará (vice em 1994). O Coritiba, disputará sua quarta semifinal. Nas outras três anteriores, acabou eliminado. Já o Avaí, que despachou Botafogo e São Paulo, faz sua melhor campanha. Nas seis anteriores, chegou, no máximo, até as oitavas-de-final.

Os dois confrontos da semifinal nunca aconteceram em edições anteriores da Copa do Brasil (Coritiba x Ceará e Vasco x Avaí). Historicamente, entre esses quatro semifinalistas, o Vasco é o clube com o maior número de participações e também o de melhor campanha. O time de São Januário é também o que mais vezes conseguir chegar à semifinal. Confira abaixo:

.

.

..

.

.

,

.

Já na atual edição, o clube que tem o melhor desempenho, por enquanto, é o Coritiba. Em 8 jogos, venceu 7 e perdeu apenas um, para o Palmeiras, no jogo em que podia perder por até 5 gols de diferença. O Coxa, do técnico Marcelo Oliveira, tem também o melhor ataque (19 gols) e a melhor defesa (apenas 4 gols sofridos), entre os semifinalistas. Já Ceará e Vasco seguem invictos na competição. O time cearense, com 3 vitórias e um empate fora de casa, é melhor visitante entre os quatro sobreviventes da Copa do Brasil. Já o Avaí tem dois artilheiros no topo da lista de goleadores da competição: William e Rafael Coelho, com 5 gols, ao lado de Adriano e Kléber, do Palmeiras.

Veja abaixo as campanhas dos semifinalistas da Copa do Brasil e seus artilheiros:


.

.

.

.

.

.

Artilheiros

CEARÁ

3 gols
Washington

2 gols
Geraldo, Iarley e Marcelo Nicácio

1 gol
Euzébio, Fabrício e João Marcos

.

CORITIBA

3 gols
Anderson Aquino e Bill

2 gols
Davi, Emerson, Marcos Aurélio e Rafinha

1 gol
Eltinho, Everton Ribeiro, Geraldo, Jonas e Léo Gago

.

VASCO

3 gols
Alecsandro

2 gols
Bernardo e Marcel

1 gol
Dedé, Diego Souza, Éder Luís, Elton, Felipe Bastos, Jéferson e Rômulo

.

AVAÍ

5 gols
Rafael Coelho e Willian

1 gol
Acleisson, Bruno, Estrada e Marquinhos Gabriel

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 11 de maio de 2011 Artilheiros, Futebol Europeu | 09:23

Cristiano Ronaldo próximo de recorde histórico

Compartilhe: Twitter

Ao anotar 7 gols nos últimos dois jogos, o atacante Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, deixou o argentino Lionel Messi para trás na tabela de artilheiros do Campeonato Espanhol (36 a 31) e agora está muito próximo de alcançar uma marca histórica na Espanha.

Se marcar mais dois gols nas últimas duas rodadas (enfrentará o Villarreal fora de casa e o lanterna Almería, em casa), Cristiano Ronaldo poderá igualar o recorde de gols em uma só temporada, que pertencen a Telmo Zarra (1950/51) e Hugo Sánchez (1989/90). Se jogar esses dois jogos e marcar mais dois, Ronaldo chegará ao recorde em 34 partidas. Zarra disputou 30 e Hugo Sánchez 35 jogos.

Com os três gols que marcou ontem, na goleada por 4 x 0 sobre o Getafe, Cristiano Ronaldo se tornou o maior artilheiro da história do Real Madrid em apenas uma temporada. O português chegou a marca de 49 gols, superando  Puskas, que anotou 47 gols na temporada 1959/60.

De quebra, Cristiano Ronaldo chegou ao seu sexto hat-trick no Campeonato Espanhol (três gols em um único jogo), alcançando uma marca história no Campeoanto Espanhol.

Na temporada 2010/11, Cristiano Ronaldo já soma 49 gols em 52 jogos por competições oficiais. Aos 26 anos, o português atinge seus melhores números na carreira. Confira:

.

.

.

.

.

.

.

Veja também quais são os maiores artilheiros nos principais campeonatos nacionais do mundo:

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 10 de maio de 2011 Copa Libertadores | 17:03

A estranha campanha do Once Caldas, rival do Santos

Compartilhe: Twitter

Supreendente campeão da Copa Libertadores de 2004, o Once Caldas, da Colômbia, fez sua estreia na competição apenas em 1999. Em sua segunda participação, já levantou a taça. Até hoje, os colombianos de Manizales, jogaram apenas seis edição de Libertadores.

Nas cinco primeiras, conseguiu a proeza de não perder em casa, no até então temido estádio Palogrande. Em 21 jogos (de 1999 a 2010), foram 13 vitórias e 8 empates. Entre as vitórias, o 2 x 0 sobre o Flamengo, na primeira fase de 2002, o 1 x 0 sobre o Santos, pelas quartas-de-final de 2004, e duas vitórias por 2 x 1 sobre o São Paulo – na semifinal de 2004 e na primeira fase de 2010.

Em 2011, porém, jogar em casa tem sido um mau negócio para o Once Caldas. Em quatro partidas, o time do técnico Juan Carlos Osório não venceu uma. Na primeira fase, perdeu para o Universidad San Martín-PER por 3 x 0, jogo que derrutou a invencibilidade caseira do clube na história da Libertadores. Depois disso, dois empates por 1 x 1, contra Libertad-PAR e San Luis-MEX, também pela fase de grupos. Nas oitavas-de-final, derrota para o Cruzeiro (2 x 1).

Fora de casa, o time conseguiu suas únicas duas vitórias até agora (2 x 0 no Universidad San Martín-PER) e 2 x 0 no Cruzeiro, que marcou a primeira vitória do time em território brasileiro.

Se manter esse ritmo, o Once Caldas poderá até, curiosamente, ser o primeiro clube a conquistar a Libertadores sem vencer um jogo sequer em casa. O time do veterano goleiro Juan Carlos Henao (que já passou pelo Peixe e hoje é reserva de Luis Martínez), não vence no estádio Palogrande há cinco jogos. Além dos quatro jogos de 2011, empatou o último que fez em 2010.

Confira a campanha do Once Caldas em sua curta história pela Copa Libertadores:

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 5 de maio de 2011 Copa do Brasil | 22:30

As maiores goleadas sofridas pelo Palmeiras na história

Compartilhe: Twitter

O Palmeiras sofreu hoje uma de suas maiores humilhações ao ser goleado por 6 x 0 pelo Coritiba. A derrota, no Couto Pereira, só não foi maior do que o 7 x 0 sofrido pelo clube no longíquo ano de 1915. Na ocasião, como Palestra Itália, o clube perdeu para o Santos, num amistoso realizado no extinto estádio Velódromo, em São Paulo. E vale lembrar que esse foi apenas o terceiro jogo na história do clube, no dia 3 de outubro de 1915. Antes disso, o Palestra havia vencidoo Savóia, de Votorantim (2 x 0, no dia 24 de janeiro de 1915), e perdido para o Paulistano, 4 x 0, no dia 29 de junho do mesmo ano.

Além do 6 x 0 de hoje, o Palmeiras perdeu apenas mais quatro vezes por esse placar em sua história. A última vez em 1981, quando levou de 6 x 0 do Internacional, no Beira-Rio, pelo Brasileirão daquele ano.

Pela Copa do Brasil, a derrota de hoje superou, no saldo de gols, a goleada de 2003, quando levou de 7 x 2 para o Vitória, em casa. O curioso é que o goleiro Marcos participou dessas duas partidas.

Veja aqui as maiores goleadas sofridas pelo Palmeiras em sua história:

Data Placar Estádio Cidade Competição
03/10/1915 Palestra Itália 0 x 7 Santos Velódromo São Paulo Amistoso
23/04/2003 Palmeiras 2 x 7 Vitória Parque Antártica São Paulo Copa do Brasil
03/10/1959 Santos 7 x 3 Palmeiras Vila Belmiro Santos Paulistão
15/08/1922 Paulistano 6 x 0 Palestra Itália Jardim América São Paulo Amistoso
26/03/1939 São Paulo 6 x 0 Palestra Itália Rua da Mooca São Paulo Paulistão
08/02/1947 River Plate-ARG 6 x 0 Palmeiras Monumental de Nuñez Buenos Aires Amistoso
29/03/1981 Internacional 6 x 0 Palmeiras Beira-Rio Porto Alegre Brasileirão
05/05/2011 Coritiba 6 x 0 Palmeiras Couto Pereira Curitiba Copa do Brasil
05/10/1919 Palestra Itália 1 x 6 Ypiranga Parque Antártica São Paulo Paulistão
12/04/1939 Santos 6 x 1 Palestra Itália Vila Belmiro Santos Amistoso
23/11/1982 Santos 6 x 1 Palmeiras Pacaembu São Paulo Paulistão
23/11/1958 Flamengo 6 x 2 Palmeiras Maracanã Rio de Janeiro Rio-São Paulo
20/05/1962 Ferrroviária 6 x 2 Palmeiras Fonte Luminosa Araraquara Taça Cidade de SP
13/04/1980 Flamengo 6 x 2 Palmeiras Maracanã Rio de Janeiro Brasileirão
04/10/1981 São Paulo 6 x 2 Palmeiras Morumbi São Paulo Paulistão
07/11/2001 Palmeiras 2 x 6 Fluminense Parque Antártica São Paulo Brasileirão
02/09/2007 Cruzeiro 5 x 0 Palmeiras Mineirão Belo Horizonte Brasileirão
22/04/2006 Figueirense 6 x 1 Palmeiras Orlando Scarpelli Florianópolis Brasileirão
19/03/1916 Santos 5 x 0 Palestra Itália Av. Conselheiro Nébias Santos Amistoso
10/11/1956 São Paulo 5 x 0 Palmeiras Pacaembu São Paulo Paulistão
29/08/1981 Sevilla-ESP 5 x 0 Palmeiras Ramón de Carranza Cádiz Ramón de Carranza
26/07/1995 Grêmio 5 x 0 Palmeiras Olímpico Porto Alegre Libertadores
Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 3 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:27

Flamengo 2011 e os campeões cariocas invictos

Compartilhe: Twitter

O Flamengo conquistou seu 32º título estadual no último final de semana e o seu quinto de forma invicta. A última vez que o clube (e também um time do Rio), havia levantado a taça dessa maneira foi em 1996. Naquele ano, o Rubro-negro tinha como destaque o baixinho Romário e o técnico Joel Santana. Antes disso, apenas os times campeões de 1979 (de Zico e Cia.), de 1920 e 1915 conquistaram o Carioca de forma invicta pelo Flamengo.

Entre os quatro grandes clubes do Rio, Flamengo e Vasco são os maiores campeões invictos, com cinco conquistas cada. O Fluminense ganhou três títulos dessa forma, enquanto o Botafogo foi campeão sem derrota apenas uma vez, justamente em 1989, ano em que saiu da fila de 21 anos sem títulos.

Confira as campanhas dos campeões invictos do Campeonato Carioca:

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 30 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 18:58

São Paulo tem seu segundo maior jejum de títulos paulistas

Compartilhe: Twitter

Ao perder para o Santos, hoje, na semifinal do Paulistão, o São Paulo perdeu mais uma chance de reconquistar o título Paulista, que não vê desde 2005. Desde que ganhou o seu primeiro campeonato estadual, em 1943, o tricolor enfrentou apenas um jejum grande de títulos Paulistas, entre 1957 e 1970, período em que inaugurou e depois reformou o estádio Morumbi.

Desde 1970, então, o maior jejum de títulos Paulistas do São Paulo foi nos anos 90, quando passou seis anos sem ganhar o torneio. Campeão em 1992, o tricolor só voltou a levantar a taça em 1998. Agora, o São Paulo já está há seis anos sem soltar o grito de campeão paulista.

Entre os 12 grandes clubes do Brasil, apenas o Vasco, no Rio, passa por um jejum maior de títulos. O clube carioca não vence o estadual desde 2003.

Outra curiosidade da eliminação de hoje, é que, como em 1999, o time do São Paulo comandado por Paulo César Carpegiani caiu na semifinal depois de ter feito a melhor campanha na primeira fase. Além disso, o técnico Muricy eliminou o São Paulo pela segunda vez de um mata-mata no Paulistão. Em 2004, com o São Caetano, despachou o tricolor nas quartas-de-final.

Confira o desempenho do clube na história do Campeonato Paulista:

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 27 de abril de 2011 Futebol Europeu | 23:53

A fantástica e insuperável posse de bola do Barcelona

Compartilhe: Twitter

Virtual finalista da Liga dos Campeões, o Barcelona vem massacrando seus rivais na Liga dos Campeões com sua eficiente e poderosa posse de bola. A equipe de Guardiola, que chegou à sua terceira semifinal de Champions League e está próxima de ser bicampeã, praticamente não dá chances aos adversários. Hoje, o que se viu em Madri, foi um amplo domínio do Barça, mesmo jogando na casa do maior rival.

Na primeira partida da semifinal, o Barcelona ficou com a bola durante 43 minutos e 23 segundos, contra apenas 17’9” do Real Madrid. Do tempo de bola em jogo, o Barça teve uma posse de 72% contra apenas 28% do Real. Tudo bem que desde os 16 minutos do segundo tempo o time Catalão ficou com um jogador a mais. Mas se pegarmos os jogos anteriores, nenhum clube foi capaz de chegar perto do Barcelona.

Confira a campanha do Barça nessa Liga dos Campeões e a porcentagem de posse de bola de cada partida:
Primeira Fase (Grupos)
14/09/2010  – Barcelona 5 x 1 Panathinaikos-GRE – 74% x 26%
29/09/2010 – Rubin Cazan-RUS 1 x 1 Barcelona – 25% x 75%
20/10/2010 – Barcelona 2 x 0 Copenhegem-DIN – 64% x 36%
02/11/2010 – Copenhegem-DIN 1 x 1 Barcelona 72% x 28%
24/11/2010  – Panathinaikos-GRE 0 x 3 Barcelona 26% x 74%
07/12/2010 – Barcelona 2 x 0 Rubin Cazan-RUS 74% x 26%

Oitavas-de-final
16/02/2011  – Arsenal-ING 2 x 1 Barcelona – 39% x 61%
08/03/2011 – Barcelona 3 x 1 Arsenal-ING 68% x 32%

Quartas-de-final

06/04/2011  – Barcelona 5 x 1 Shakhtar Donestk-UCR – 64% x 36%
12/04/2011 – Shakhtar Donestk-UCR 0 x 1 Barcelona – 38% x 62%

Semifinal
27/04/2011  – Real Madrid 0 x 2 Barcelona – 72% x 28%

Pelo Campeonato Espanhol, a história também não muda. Dos 33 jogos do clube na temporada 2010/11, o Barcelona foi superior em simplesmente todas as partidas. Seu pior aproveitamento de posse bola foi na partida contra o Valencia, na 6ª rodada, quanto obteve 54% contra 46% do adversário. Confira:

Campeonato Espanhol 2010/11
29/08/2010  – Racing Santander 0 x 3 Barcelona – 40% x 60%
11/09/2010  – Barcelona 0 x 2 Hércules – 76% x 24%
19/09/2010  – Atlético de Madri 1 x 2 Barcelona – 32% x 68%
22/09/2010  – Barcelona 1 x 0 Sporting Gijón – 78% x 22%
25/09/2010  – Athletic Bilbao 1 x 3 Barcelona – 26% x 74%
03/10/2010  – Barcelona 1 x 1 Mallorca – 72% x 28%
16/10/2010  – Barcelona 2 x 1 Valencia – 54% x 46%
23/10/2010  – Zaragoza 0 x 2 Barcelona – 27% x 73%
30/10/2010  – Barcelona 5 x 0 Sevilla – 73% x 27%
07/11/2010  – Getafe 1 x 3 Barcelona – 32% x 68%
13/11/2010  – Barcelona 3 x 1 Villarreal – 65% x 35%
20/11/2010  – Almería 0 x 8 Barcelona – 27% x 73%
29/11/2010  – Barcelona 5 x 0 Real Madrid – 63% x 38%
04/12/2010  – Osasuna 0 x 3 Barcelona – 30% x 70%
12/12/2010  – Barcelona 5 x 0 Real Sociedad – 78% x 22%
18/12/2010  – Espanyol 1 x 5 Barcelona – 39% x 61%
02/01/2011  – Barcelona 2 x 1 Levante – 80% x 20%
08/01/2011  – La Coruña 0 x 4 Barcelona – 26% x 74%
16/01/2011  – Barcelona 4 x 1 Málaga – 72% x 28%
22/01/2011  – Barcelona 3 x 0 Racing Santander 70% x 30%
29/01/2011  – Hércules 0 x 3 Barcelona – 27% x 73%
05/02/2011  – Barcelona 3 x 0 Atlético de Madri 68% x 32%
12/02/2011  – Sporting Gijón 1 x 1 Barcelona – 24% x 76%
20/02/2011  – Barcelona 2 x 1 Athletic Bilbao – 75% x 25%
26/02/2011  – Mallorca 0 x 3 Barcelona – 27% x 73%
02/03/2011  – Valencia 0 x 1 Barcelona 38% x 62%
05/03/2011  – Barcelona 1 x 0 Zaragoza 80% x 20%
13/03/2011  – Sevilla 1 x 1 Barcelona – 25% x 75%
19/03/2011  – Barcelona 2 x 1 Getafe – 75% x 25%
02/04/2011  – Villarreal 0 x 1 Barcelona – 28% x 72%
09/04/2011  – Barcelona 3 x 1 Almería – 73% x 27%
16/04/2011  – Real Madrid 1 x 1 Barcelona – 28% x 72%
23/04/2011  – Barcelona 2 x 0 Osasuna – 70% x 30%


Barcelona Barcelona
Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 26 de abril de 2011 Futebol Europeu | 10:48

Os maiores artilheiros da Premier League desde 1992

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Inglês, desde 1992, passou a ser chamado de Premier League. O torneio passou a ser mais atrativo, gerando mais receita e tornando-se o campeonato nacional mais rico do planeta. Essa nova era do futebol inglês fez com que os estatísticos passasem a elaborar recordes a partir da temporada 1992/93. Mais ou menos como no futebol brasileiro, nessa era dos pontos corridos.

Nesse último final de semana, um desses recordes foi alcançado pelo atacante Defoe, do Tottenham, que entrou para a lista dos jogadores que marcaram 100 gols desde 1992/93. Ele agora é o 20º da lista, que tem como líder Alan Shearer, com 260 gols. Dos jogadores em atividade e atuando na Premier League, quem mais tem gols é Michael Owen, do Manchester United, com 148 gols.

Entre os brasileiros, quem mais fez gols foi o meia Juninho Paulista, destaque do Middlesbrough nos anos 90, com 29 gols.

Até hoje, 1691 jogadores marcaram gols pela  Premier League desde 1992/93. Confira abaixo os principais artilheiros. Em azul, os jogadores que estão atuando na temporada 2010/11. Mais abaixo, a lista de todos os brasileiros que já marcaram pelo Campeonato Inglês desde 1992/93.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.
Brasilieros que já marcaram na Prmier League:

Autor: Tags:

domingo, 24 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 10:45

As maiores goleadas nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Em duas semanas, o América de Teófilo Otoni sofreu duas incríveis goleadas no Campeonato Mineiro de 2011. No domingo passado, levou de 7 x 1 do Atlético-MG, na última rodada da primeira fase. Ontem, na partida de ida da semifinal do Estadual, o clube, até então a grande surpresa do campeonato, apanhou de 8 x 1 do Cruzeiro, em casa. Quinze gols sofridos em apenas dois jogos.

Mas em 2011, essas não foram as maiores goleadas entre todos os Estaduais que estão rolando no país. Dos 25 campeonatos da primeira divisão em andamento (apenas Amapá e Piauí não começaram ainda), já tivemos goleadas mais avassaladoras, como no Maranhão, onde o IAPE bateu o Nacional por 11 x 1. Também no Maranhanse, o Maranhão ganhou do mesmo Nacional por 8 x 0. Já no Rio de Janeiro, o Vasco goleou o América por 9 x 0. Confira as maiores goleadas nos Estaduais de 2011 até agora:

Acre – Independência 0 x 7 Plácido de Castro (3/4/2011)
Alagoas – Sport 8 x 2 Ipanema (12/2/2011)
Amazonas – Fast 7 x 3 Princesa (19/2/2011)
Bahia – Atlético Alagoinhas 6 x 2 Serrano (23/1/2011)
Ceará – Guarani de Juazeiro 6 x 1 Quixadá (3/2/2011)
Distrito Federal – Brasília 0 x 4 Brasiliense (5/2), Brasiliense 4 x 0 Ceilandense (30/1) e Gama 4 x 0 CFZ (23/1)
Espírito Santo – Vitória 6 x 1 Espírito Santo (22/1/2011)
Goiás – Santa Helena 1 x 6 Goiás (20/2/2011) e Aparecidense 1 x 6 Goiás (24/3/2011)
Maranhão – IAPE 11 x 1 Nacional (28/3/2011) e Maranhão 8 x 0 Nacional (12/3/2011)
Mato Grosso – Luverdense 6 x 0 Operário (17/3/2011)
Mato Grosso do Sul – Rio Verde 1 x 5 Chapadão (20/3/2011)
Minas Gerais – América-TO 1 x 8 Cruzeiro (23/4), Atlético-MG 7 x 1 América-TO (17/4) e Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV (13/3)
Pará – Abaeté 2 x 7 Castanhal (8/12/2010)
Paraíba – Miramar 1 x 6 Sousa (24/3/2011)
Paraná – Coritiba 5 x 0 Iraty (3/2/2011)
Pernambuco – Sport 5 x 0 Arapirina (12/3/2011)
Rio de Janeiro – América 0 x 9 Vasco (12/2/2011)
Rio Grande do Norte – ABC 6 x 0 Potiguar-M (30/1/2011)
Rio Grande do Sul – Cruzeiro 8 x 0 Porto Alegre (10/3/2011)
Rondônia – Ariquemes 6 x 1 Moto Clube (17/4/2011)
Roraima – GAS 4 x 1 Náutico (2/4/2011)
Santa Catarina – Imbituba 0 x 6 Figueirense (15/1/2011)
São Paulo – São Caetano 6 x 1 São Bernardo (2/4/2011)
Sergipe – Sergipe 1 x 6 River Plate (7/4/2011)
Tocantins – Guaraí 6 x 0 São José (9/4/2011)

.

.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 19 de abril de 2011 Futebol Europeu, História | 11:24

Curiosidades sobre a final da Copa do Rei

Compartilhe: Twitter

Barcelona e Real Madrid decidirão amanhã a final da Copa del Rey. Tradicional competição, a Copa da Espanha é disputada desde 1903 e tem como maior vencedor o clube catalão, com 25 títulos. Ao contrário da lista de títulos do campeonato nacional, onde o Real Madrid é o maior campeão, na Copa do Rei quem manda é o Barça.

Até hoje, os dois gigantes do futebol mundial se enfrentaram em apenas cinco das 106 finais. Em 1936 e em 1974, deu Real, com vitórias por 2 x 1 e 4 x 0, respectivamente. Em 1968, o Barcelona foi campeão ao vencer a final por 1 x 0. Já em 1983, o Barça foi campeão, com Maradona, ao vencer por 2 x 1. Sete anos depois, em 1990, deu Barcelona novamente (2 x 0). No geral, pela Copa do Rei, os rivais já se enfrentaram 28 vezes, com 14 vitórias do Barcelona, 5 empates e 9 vitórias do Real Madrid. Nos confrontos diretos entre eles em 16 edições, o Barcelona se deu melhor em 9, contra 7 do Real Madrid.

Pela Copa, a última vez que Barça e Real se enfrentaram foi em 1997, nas oitavas de final, quando o Barcelona eliminou o rival (3 x 2 na ida e 1 x 1 na volta). No primeiro jogo, os brasileiros Ronaldo e Giovanni e o espanhol Nadal marcaram os gols do Barcelona. Suker e Hierro fizeram para o Real. Na volta, Suker fez o gol do Real e Roberto Carlos (contra), fez o gol do Barça.

Outra curiosidade envolvendo o superclássico, é que pela Copa do Rei, o Real Madrid conquistou sua maior vitória sobre o rival, enfiando 11 x 1 na semifinal da Copa de 1943.

No geral, Barcelona e Real Madrid já se enfrentaram 241 vezes, com 100 vitórias do Barcelona, 52 empates e 89 vitórias do Real Madrid.

Confira abaixo os maiores campeões da Copa do Rei da Espanha e também dos principais países do Velho Continente.

Espanha – Copa do Rei
Final – Barcelona x Real Madrid (dia 20/04/2011)

.

.

.

.

.

.

.

Inglaterra – FA Cup
Final – Manchester City x Stoke City (dia 14/05/2011)

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

Itália – Coppa Italia
Semifinal: Roma x Inter e Palermo x Milan (dias 19 e 20/4 e 10 e 11/5)

.

.

.

.

.

.

.

.

Alemanha – DFB-Pokal
Final: Duisburg x Schalke 04 (dia 21/5/2011)

.

.

.

.

.

.

.

França – Coupe de France
Semifinal: Nice x Lille (dia 19/4/2011) e Angers x Paris Saint-Germain (dia 20/4/2011)

.

.

.

.

.

.

.

Portugal – Taça de Portugal
Final: Vitória de Guimarães x Benfica ou Porto (dia 22/5/2011)

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de abril de 2011 Copa Libertadores | 17:16

Muricy se aproxima do recorde de jogos de Felipão em Libertadores

Compartilhe: Twitter

Novo técnico do Santos, Muricy Ramalho estreou bem pelo clube na Libertadores, ao vencer o Cerro Porteño-PAR. Com esse jogo, o treinador chegou a marca de 54 jogos na história da competição, desde 2004, quando dirigiu o São Caetano. Desde 1960, pouco treinadores conseguiram superar a marca de 50 jogos em Libertadores. Para ser mais preciso, apenas 19 técnicos.

Entre os brasileiros, o recordista continua sendo Luiz Felipe Scolari. Duas vezes campeão (1995 e 1999), Felipão tem 58 jogos entre 1995 e 2001, em cinco participações. Muricy Ramalho, caso leve o Santos às quartas de final, poderá chegar a marca de 59 partidas e superar Felipão.

Veja a lista dos técnicos com mais partidas na história da Copa Libertadores:

Autor: Tags:

quinta-feira, 14 de abril de 2011 Copa Libertadores | 12:57

Cruzeiro alcança marcas importantes na Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com a bela vitória sobre Estudiantes-ARG, por 3 x 0, fora de casa, o Cruzeiro encerrou sua participação na fase de grupos da Libertadores com uma excelente campanha. Não fosse o empate, contra o Tolima (0 x 0, na Colômbia), a Raposa fecharia com 100% de aproveitamento. Com 16 pontos, o time mineiro garantiu já o primeiro lugar na classificação geral da segunda fase e poderá decidir todos os jogos em casa até a final (se chegar lá, claro).

Desde 1995, quando o torneio passou a pontuar os clubes com 3 pontos por vitória. Apenas dois clubes fecharam a fase de grupos com 100% de aproveitamento: Vasco, em 2001, e Santos, em 2007. Desde então, essa é primeira vez que a Raposa termina no primeiro lugar nessa fase. Além disso, dessas 17 edições, apenas um primeiro colocado da fase de grupos ficou com o título (o River Plate, em 1996).

Veja abaixo as campanhas dos primeiros colocados na fase de grupos da Libertadores desde 1995:

.

.

.

.

.

.

.

.

Mas o que mais impressionou nessa campanha cruzeirense de 2011 foram os gols. A equipe do técnico Cuca marcou 20 gols e sofreu apenas um. Desde 1960, a melhor marca é a do Santos, de Pelé, que fez os mesmos 20 gols, porém em apenas 4 jogos. O ataque do Cruzeiro de 2011 igualou a marca do time campeão de 1976, que também fez 20 gols na primeira fase. Já a defesa também igualou a marca de algumas melhores até hoje. Desde de a primeira edição, apenas um clube não levou gol na fase de grupos, o Boca Juniors-ARG, em 1977. Outros dez clubes com o Cruzeiro de 2011, sofreram apenas um gol na fase de grupos: San Lorenzo-ARG (73), Junior-COL (78), River Plate (78), Vélez Sarsfield (80), Newell’s Old Boys-ARG (88), Independiente Medellín-COL (94), Goiás (06), Santos (07), Grêmio (09) e Cruzeiro (11).

Confira os melhores ataques na fase de grupos na história da Libertadores:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 13 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 09:11

Palmeiras tem melhor defesa na história dos Paulistas

Compartilhe: Twitter

A campanha do Palmeiras no Paulistão de 2011 vem apresentando números bem expressivos até agora. Com 12 vitórias e apenas uma derrota em 18 jogos, o time lidera o campeonato com um aproveitamento de 75,9%. Desde o título estadual de 1996, quando conquistou 92,2% dos pontos, o Palmeiras não realizou uma campanha tão boa quanto essa de 2011. Esse time atual supera a equipe de 2008, que ganhou o último título paulista com 71% de aproveitamento.

Já a defesa da equipe de Felipão vem fazendo mais bonito ainda. Com apenas 6 gols sofridos em 18 jogos, o time tem a ótima média de apenas 0,33 gol sofrido por partida. A menor em toda a história do clube em 95 campeonatos estaduais disputados. Essa marca atual supera as melhores defesas, de 1972 e 1989, com 0,36 gol sofrido por partida.

Nas últimas quatro partidas, o Palmeiras não sofreu gol e nos últimos 10 jogos, sofreu apenas três. De quebra, nessa temporada de 2011, contando também os três jogos pela Copa do Brasil, o Palmeiras não tomou mais de um gol numa só partida.

Veja abaixo as melhores campanhas do Palmeiras pelo Paulistão e também as melhores defesas na história:

Melhores campanhas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Melhores defesas:

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 11 de abril de 2011 Técnicos | 11:29

Falcão e os ídolos que estão no comando dos grandes clubes

Compartilhe: Twitter

O Internacional irá anunciar hoje seu novo treinador, Paulo Roberto Falcão. Maior ídolo da história Colorada, o ex-jogador comandará o Inter pela segunda vez. Em 1993, Falcão dirigiu a equipe, sem sucesso, durante o Campeonato Brasileiro. Em 14 jogos, foram 5 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, deixando o time na 17ª colocação, a sexta pior em toda a história do clube na competição.

Contratar antigos ídolos em momentos conturbados é uma das saídas de alguns clubes brasileiros. Falcão chega ao Colorado depois da derrota no Mundial de Clubes de 2010, da campanha ruim no Gaúcho e regular na Libertadores de 2011. Além disso, o Internacional vê a chance de colocar alguém carismático no comando do time, assim como o rival Grêmio, que vive um grande momento com Renato Gaúcho.

Hoje, entre os grandes do Brasil, os dois clubes gaúchos são os únicos que contam com dois ídolos como técnicos. Em outras equipes, alguns ex-jogadores sem tanto brilho estão como treinadores, como Vanderlei Luxemburgo, no Flamengo, e Adílson Bastista, que começou sua carreira no Atlético-PR em 1986.

Pelo mundo, alguns ídolos estão no comando de grandes clubes, como o ex-volante Guardiola, no Barcelona, o ex-atacante Vicenzo Montella, que assumiu recentemente a Roma-ITA, o ex-zagueiro Frank de Boer, técnico do Ajax (onde jogou de 1988 a 1998), além do volante Didier Deschamps, treinador do Olympique de Marselha. Na América do Sul, o River Plate conta com um ídolo no comando. O meia Juan José López, revelado pelo brasileiro Didi, jogou de 1970 a 1981 pelo clube, disputando mais de 400 partidas. López, aliás, vem fazendo um grande trabalho pelo time de Buenos Aires, que lidera o Campeonato Argentino.

Em toda a sua história, o Internacional já teve jogadores de passagens vitoriosas dirigindo o time principal. No início, de 1909 a 1921, o Colorado era comando pelo capitão do time. Seu primeiro técnico não jogador foi José Luís Godolfim, em 1922. Desde então, alguns jogadores que se destacaram pelo Inter dirigiram o time, como Larry, Paulinho de Almeida, Gainete, Cláudio Duarte, Carpegiani, Carbone, Figueroa e Mário Sérgio.

Didier Deschamps

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 5 de abril de 2011 Artilheiros, Campeonatos Estaduais, História | 17:22

Pelé, Raí, Eduardo e os maiores artilheiros em um jogo do Paulistão

Compartilhe: Twitter

No último domingo, o atacante Eduardo, do São Caetano, conseguiu uma proeza ao marcar 5 gols na vitória do Azulão sobre o São Bernardo por 6 x 1. Desde 1993, nenhum jogador havia feito mais do que 4 gols em um só jogo do Campeonato Paulista. Naquele ano, o atacante Sinval marcou 5 gols na vitória do Novorizontino sobre a Catanduvense por 7 x 0.

Cinco ou mais gols em jogo do Paulistão aconteceu apenas em 57 jogos em toda a história do campeonato mais antigo do Brasil, que já ultrapassou a marca dos 20.000 jogos. No início, o feito era um pouco mais comum. Craques como Friedenreich, Araken, Feitiço, Teleco e Pelé, por exemplo, conseguiram marcar mais de três vezes cinco gols em um só jogo. Nos últimos 40 anos, no entanto, apenas cinco jogadores atingiram essa marca. Entre eles, os irmãos Sócrates e Raí. O primeiro, anotou 7 gols quando ainda era do Botafogo-SP. Depois de Pelé, o recordista com 8 gols em 1964, o Doutor detém a melhor marca. Já Raí marcou 5 gols em 1992, quando estava no auge no tricolor.

Confira a lista dos jogadores que já marcaram 5 ou mais gols na história do Campeonato Paulista, desde 1902:

.

.

.

.

.


.

….

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 4 de abril de 2011 Sem categoria | 09:39

Os recordes de vitórias consecutivas e de invencibilidade do Coxa

Compartilhe: Twitter

Há dias estou pesquisando para encontrar alguns recordes de vitórias consecutivas no futebol brasileiro e mundial. A sequência de 17 vitórias obtidas pelo Coritiba é realmente algo incrível na história do futebol. Pela falta de informações disponíveis, fica difícil cravar em que posição  essa sequência do Coxa se encontra.

No geral, pelo o que encontrei, o recorde de vitórias consecutivas pertence ao Palmeiras, de 1996, que atingiu a marca de 21 vitórias seguidas. O time, comandado por Vanderlei Luxemburgo, venceu 18 partidas pelo Paulistão e três pela Copa do Brasil.

No resto do mundo, a maior sequência é a do Benfica, de Portugal, que venceu incríveis 29 jogos seguidos no Campeonato Português das temporadas 1971/72 e 1972/73. Porém, esses jogos foram apenas pelo campeonato nacional.

Já em termos de invencibilidade, o Coritiba já chega a marca de 29 jogos sem derrotas, contando jogos do Paranaense e da Copa do Brasil. No Brasil, os recordistas de invencibilidade são o Flamengo e o Botafogo, que ficaram 52 jogos sem perder. O Flamengo, entre outubro de 1978 e maio de 1979. O Botafogo não perdeu entre setembro de 1977 e julho de 1978. As dez maiores invencibilidades são essas:

1-Botafogo (52 jogos, entre 1977/78)
Flamengo (52 jogos, entre 1978/79)
3-Desportiva-ES (51 jogos, entre 1967/68)
4-Bahia (48 jogos, em 1982)
Grêmio (48 jogos, entre 1931/33)
Santa Cruz (48 jogos, entre 1978/79)
7-São Paulo (46 jogos, em 1975)
8-Grêmio (42 jogos, em 1981)
9-Sport (40 jogos, em 1960)
10-Internacional (39 jogos, em 1984)
11-Botafogo (38 jogos, entre 1960/61)
Internacional (38 jogos, em 1975)

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 31 de março de 2011 Artilheiros, Copa Libertadores, História | 09:24

Thiago Ribeiro entra para o Top-3 do Cruzeiro em Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com o gol anotado ontem, na vitória do Cruzeiro sobre o Guaraní-PAR por 2 x 0, o atacante Thiago Ribeiro chegou a marca de três gols pela Raposa na atual edição da Libertadores. Artilheiro da competição no ano passado, com 8 gols, Thiago soma agora 11 gols pelo Cruzeiro e está na lista dos três maiores artilheiros do clube na história do torneio Sul-Americano.

Com 11 gols, Thiago Ribeiro está empatado com Nelinho e Kléber e apenas a um gol de igualar Jairzinho, que marcou 12 gols só na edição de 1976, quando a Raposa faturou seu primeiro caneco da Libertadores. O recordista segue sendo Palhinha, que também participou da campanha vitoriosa de 1976. O atacante marcou 20 gols, sendo 7 em 1975 e 13 em 1976, quando, inclusive, foi artilheiro da Libertadores.

Além de Thiago Ribeiro e Palhinha, o Cruzeiro conseguiu também fazer o artilheiro da Libertadores em 2008, quando Marcelo Moreno marcou 8 gols, assim como o paraguaio Salvador Cabañas, do América-MEX.

Vice-campeão da Libertadores em 2006, pelo São Paulo, Thiago Ribeiro fez um gol pelo São Paulo naquela edição. Assim, com os seus 11 gols, soma 12 gols na história da Libertadores.

Na vitória de ontem, dois jogadores também marcaram história pelo Cruzeiro. O goleiro Fábio e o volante Marquinhos Paraná se tornaram os recordistas de jogos pela Raposa na história da Taça Libertadores. Com 41 jogos, os dois superaram o goleiro Raul, que fez 40 jogos nas Libertadores de 1967, 1975, 1976 e 1977.

Já classificado para as oitavas de final, o Cruzeiro tem hoje o melhor ataque da competição (17 gols) e a melhor defesa (apenas 1 gol sofrido). Para perder o primeiro lugar do Grupo 7, o time mineiro teria que levar uma goleada histórica de 8 gols de diferença do Estudiantes no último jogo, na Argentina.

Confira abaixo a lista dos maiores artilheiros dos clubes brasileiros em Libertadores e também a lista dos maiores artilheiros na história da competição:

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

A curiosidade da lista abaixo é que o uruguaio Hernán Rodrigo López, do Estudiantes, marcou três gols na edição de 2011 e entrou para a lista dos maiores goleadores.

.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de março de 2011 Artilheiros, Estatísticas, Futebol Europeu, História, Seleção Brasileira | 12:58

Grandes artilheiros em ação nas principais seleções

Compartilhe: Twitter

Os últimos dias foram marcados por jogos das Eliminatórias da Europa 2012 e muitos amistosos pelo mundo. Nessas partidas, alguns grandes artilheiros estiveram presentes e deixaram suas marcas. O atacante David Villa, com os dois gols que marcou no sábado, contra a República Tcheca, chegou a marca de 46 pele Seleção Espanhola, isolando-se como o maior artilheiro da história da Fúria. Raúl, o segundo colocado, tem 44 gols.

Outro grande artilheiro em ação é Miroslav Klose. Também no sábado, o segundo maior artilheiro das Copas do Mundo marcou duas vezes contra o Cazaquistão, chegando a marca de 61 gols pela Seleção Alemã. Klose está a apenas 7 gols de igualar o grande goleador Gerd Müller, autor de 68 em somente 62 jogos (incrível média de 1,09 por partida).

No Uruguai, o atacante Diego Forlán está a apenas dois gols de se igualar a Héctor Scarone como o maior artilheiro da Celeste. Loco Abreu, com 26, está apenas três atrás de Forlán.

Na Holanda, Dirk Kuyt e Van Persie, com 21 gols cada (anotaram nos jogos recentes contra a Hungria), estão próximos entrar para a lista dos 10 maiores artilheiros da Seleção Holandesa. O craque Marco Van Basten, é o décimo com 24 gols. Na Argentina, Messi, com 16 gols, está a três gols de entrar na lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Já na lista dos jogadores que mais atuaram pelas grandes seleções, alguns craques em atividade também vêm fazendo história. Na Espanha, Xavi superou a marca dos 100 jogos e está a apenas um de igualar Raúl, o jogador de linha com mais jogos. Já o goleiro Casillas está bem próximo de se tornar o número um em participações na Seleção Espanhola em breve. Faltam apenas 7 jogos para igualar Zubizarreta.

Na Alemanha, Klose é também o segundo jogador com mais participações, ao lado de Klinsmann. Para chegar ao primeiro colocado, Lothar Matthäus, falta muito (42 jogos).

Na Seleção Brasileira, o zagueiro Lúcio voltou a ser o capitão do time na vitória contra a Escócia e chegou a marca de 96 jogos. Falta apenas um jogo para igualar Ronaldo. Já na Argentina, Javier Zanetti é disparado o jogador com mais participações, com 140 jogos. Mascherano, com 68 jogos, está próximo de chegar a lista dos 10 mais.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 28 de março de 2011 Campeonatos Estaduais | 18:38

Quem já está rebaixado nos estaduais 2011

Compartilhe: Twitter

Dos 27 campeonatos estaduais do Brasil, 20 estão em andamento e muitos deles chegando definindo seus classificados para as finais e também seus rebaixados. Hoje, o Porto Alegre, clube presidido por Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, empatou por 2 x 2 com o Santa Cruz-RS e foi rebaixado no Campeonato Gaúcho.

Pelo Brasil, alguns clubes também já caíram e irão disputar a segundona em 2012. No Campeonato Alagoano, o Ipanema foi rebaixado restando ainda duas rodadas para o término da primeira fase. Quem está próximo da degola também é o tradicional CSA, que há pouco tempo amargou a queda para a segunda divisão no estadual. Com 13 pontos, o time briga com o Santa Rita (14), para se manter na elite alagoana. Na última rodada, porém, o CSA terá pela frente o rival CRB.

Na Bahia, quatro clubes (Fluminense, Colo Colo, Ipitanga e Juazeiro) estão disputando o Torneio do Rebaixamento, que acaba no dia 10 de abril. Dois caem para a segunda divisão. No Campeonato Brasiliense, CFZ e Brasília caíram para a segunda divisão.

No Campeonato Mineiro, ainda restam três rodadas para o final da Primeira Fase, mas Funorte, Ipatinga e Democrata-GV estão bem próximos da degola. No Pará, Santa Rosa e Time Negra foram rebaixados na primeira fase, disputada no final de 2010.

No Rio de Janeiro, América, Cabofriense, Madureira e Macaé brigam para fugir das duas vagas para a Segunda Divisão carioca. Em São Paulo, onde caeam quatro, o Grêmio Prudente é o mais ameaçado, com apenas 11 pontos. Noroeste (14), Santo André (15), Ituano (15), São Bernardo (15), Linense (15) e Botafogo (17), são outros com a corda no pescoço. O curioso é que Santo André e Grêmio Prudente estiveram recentemente na Série A do Brasileiro, assim como o Guarani, que hoje joga a Segunda Divisão Paulista.

Autor: Tags:

quinta-feira, 24 de março de 2011 Copa Libertadores | 12:57

As viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores

Compartilhe: Twitter

O Fluminense venceu o América-MEX de virada, ontem, pela Copa Libertadores de forma histórica. Até hoje, nenhum clube brasileiro conseguiu a virada num jogo pela principal competição sul-americana depois de levar um gol tão tarde, no minuto 72 (27 do segundo tempo).

Na maioria das vezes, os clubes brasileiros levaram reverteram o placar depois de levar o gol no primeiro tempo. Das 73 viradas, apenas em 13 delas os brasileiros viraram o jogo depois de tomar um gol no segundo tempo. O Fluminense, vice-campeão de 2008, conquistou ontem sua quarta virada na história da Libertadores. No ano em que foi finalista, o Tricolor venceu o Libertad-PAR, na primeira fase, o Boca Juniors-ARG, na semifinal, e a LDU Quito-EQU, na final, de virada.

Mas até hoje os clubes brasileiros que mais venceram partidas de virada na história da Libertadores foram Santos e São Paulo, com nove vitórias cada. Cruzeiro (8 viradas), Palmeiras (7), Corinthians, Grêmio e Inter (6), aparecem na sequência. Outra curiosidade dessas viradas é que o América-MEX sofreu sua quinta virada para clubes brasileiros. Anteriormente, Corinthians, Grêmio, São Caetano e Santos já bateram o time mexicano dessa forma. Outro clube que já levou muitas viradas de brasileiros é o Olimpia-PAR, com cinco derrotas dessa forma.

Em relação à diferença de gols, a maior virada foi a do Atlético-MG em 1978. O Galo estava perdendo por 4 x 2 até os 17 minutos do segundo tempo, fora de casa, para o Palestino-CHI, e conseguiu virar para 5 x 4. Entre as mais importantes, estão a virada do Santos sobre o Boca Juniors, em pleno estádio La Bombonera, em Buenos Aires, na final de 1963; a semifinal da 2000, quando o Palmeiras venceu o Corinthians de virada (3 x 2), levando a decisão para a disputa por pênaltis – vencida pela alviverde; além do primeiro jogo da final do ano passado, quando o Inter saiu perdendo para o Chivas Guadalajara, no México, e venceu por 2 x 1.

Relembre abaixo todas as viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores:

SANTOS (9)
18/2/1962 – Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase
Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 – Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final
Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 – Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase
Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 – Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase
Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 – Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase
Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 – Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final
José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 – Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final
Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 – Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal
Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 – Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase
Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

.
SÃO PAULO (9)
24/4/1974 – Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase
Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 – São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final
Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 – São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal
José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 – São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase
Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 – São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 – São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final
Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 – São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase
Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 – São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase
Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 – São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase
Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

.
CRUZEIRO (8)
1/5/1967 – Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase
Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 – Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal
Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 – Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase
Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 – Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase
Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase
Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase
Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 – Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase
Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 – Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final
Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

.

PALMEIRAS (7)
27/1/1968 – Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase
Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 – Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase
Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase
Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal
Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 – Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final
Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 – Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase
Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 – Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal
Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2
.

CORINTHIANS (6)
19/3/1996 – Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase
Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 – Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final
Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 – Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase
Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 – Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase
Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 – Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 – Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase
Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

.
GRÊMIO (6)

25/3/1983 – Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 – Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final
Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 – América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 – River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final
Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 – Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final
Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 – Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar
Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

.
INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 – Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase
José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 – Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase
Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 – Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final
Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 – Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase
David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 – Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final
Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 – Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase
Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

.
FLUMINENSE (4)

19/3/2008 – Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase
Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 – Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal
Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 – Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final
Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 – Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase
Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

.
FLAMENGO (3)
30/10/1981 – Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 – Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase
Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 – Flamengo 2 x 1 Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal
Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

,
SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 – Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase
César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 – São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final
Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 – São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final
Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)
24/3/1992 – San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase
Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 – Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final
Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

,
SPORT (2)
22/4/2009 – Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 – LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase
Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

.
VASCO (2)
15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final
Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

.
ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 – Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase
Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

.
BAHIA (1)

21/2/1989 – Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

.
BOTAFOGO (1)
19/4/1996 – Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

.
CORITIBA (1)

25/7/1986 – Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

.
GUARANI (1)

3/8/1988 – Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

.
PAYSANDU (1)

11/3/2003 – Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase
Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

.

SANTOS (9)

18/2/1962 Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase

Luis Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final

Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase

Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase

Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase

Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final

José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final

Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal

Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase

Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

SÃO PAULO (9)

24/4/1974 Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase

Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final

Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal

José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase

Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final

Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase

Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase

Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase

Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

CRUZEIRO (8)

1/5/1967 Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase

Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal

Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase

Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase

Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase

Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase

Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase

Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final

Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

PALMEIRAS (7)

27/1/1968 Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase

Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase

Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase

Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal

Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final

Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase

Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal

Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2

CORINTHIANS (6)

19/3/1996 Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase

Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final

Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase

Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase

Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase

Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

GRÊMIO (6)

25/3/1983 Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final

Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final

Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final

Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar

Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase

José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase

Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final

Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase

David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final

Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase

Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

FLUMINENSE (4)

19/3/2008 Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase

Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal

Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final

Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase

Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

FLAMENGO (3)

30/10/1981 Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase

Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 Flamengo 2 x 1Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal

Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase

César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final

Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final

Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)

24/3/1992 San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase

Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final

Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

SPORT (2)

22/4/2009 Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase

Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

VASCO (2)

15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final

Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase

Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

BAHIA (1)

21/2/1989 Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

BOTAFOGO (1)

19/4/1996 Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

CORITIBA (1)

25/7/1986 Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

GUARANI (1)

3/8/1988 Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

PAYSANDU (1)

11/3/2003 Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase

Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 22 de março de 2011 Campeonato Brasileiro, Técnicos | 11:24

Apenas um clube da Série A não perdeu técnico no último ano

Compartilhe: Twitter

A dança dos técnicos no futebol brasileiro parece não ter fim. Nos últimos tempos, alguns treinadores chegaram até a se manter um bom tempo no cargo, como Muricy Ramalho (São Paulo), Mano Menezes (Grêmio e Corinthians) e Adílson Batista (Cruzeiro). Mas essa realidade deixou de existir nas últimas temporadas entre os clubes da elite do futebol brasileiro. Em 2011, oito dos 20 clubes da Série A já perderam seus treinadores. Se pegarmos o período de um ano para cá, apenas um clube não trocou seu técnico: o América-MG, comandado por Mauro Fernandes desde o dia 18 de fevereiro de 2010.

Depois dele, os técnios que estão há mais tempo no cargo são Cuca, do Cruzeiro, que havia sido dispensado pelo Fluminense, e Celso Roth. Ambos estrearam no dia 14 de julho do ano passado. Até agora, em 2011, Vasco, Bahia, Avaí, Atlético-PR, Santos, Figueirense, Fluminense e o Botafogo já perderam seus técnicos. Hoje, Joel Santana deixou o Botafogo. Técnico que estava há mais tempo no comando de um clube da Série A, desde 20 de janeiro de 2010, Joel não resitiu após a derrota no clássico para o Vasco, onde foi chamado de “burro” pela torcida.

Veja a lista dos técnicos há mais tempo no comando de um clube da Série A do Brasileiro:


Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 21 de março de 2011 Artilheiros, Futebol Europeu | 09:07

Totti e os maiores artilheiros em Campeonatos Nacionais

Compartilhe: Twitter

O atacante Francesco Totti, da Roma, superou a marca de 200 gols pelo Campeonato Italiano. Aos 34 anos, o jogador, que defende a Roma desde 1992, seu único clube, marcou duas vezes, ontem, no empate contra a Fiorentina (2 x 2). Dessa forma, chegou a marca de 201 gols na história da Séria A. Maior artilheiro em atividade, Totti está perto de alcançar Roberto Baggio na lista dos principais goleadores da história do Campeonato Italiano. Baggio, o quinto da lista, marcou 206 gols até hoje.

.

Na Itália, o brasileiro Mazzola, conhecido por lá como José Altafini, está entre os maiores artilheiros com 216 gols. Além dele, outros três brasileiros já superaram a marca dos 100 gols na Série A: Luis Vinício (155 gols entre 1955 e 1968); Dino da Costa (108 gols entre 1955 e 1966); e Sérgio Clerice (103 gols entre 1960 e 1978).

Entre os principais campeonatos nacionais da Europa (Itália, Alemanha, Espanha, Inglaterra, França e Portugal), Mazzola é o único brasileiro que aparece na lista dos dez maiores. Com mais de 100 gols, além desses do Campeonato Italiano, temos mais brasileiros. Na Alemanha, aparecem Élber (133 gols entre 1994 e 2005) e Aílton (106 gols entre 1997 e 2006). Na Espanha, figuram Ronaldo (117 gols entre 1996 e 2006); Waldo (115 gols entre 1961 e 1970); e Rivaldo (107 gols entre 1996 e 2002). Já em Portugal, os brasileiros que marcaram mais de 100 gols foram Jardel (185 gols entre 1996 e 2006); Liédson (116 gols entre 2003 e 2011); Edmílson (112 gols entre 1988 e 2001); e Gaúcho (103 gols entre 1996 e 2008).

Confira a lista dos 10 maiores artilheiros nos principais campeonatos nacionais da Europa:


xxx

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 3
  3. 4
  4. 5
  5. 6
  6. 7
  7. 10
  8. Última