Publicidade

Posts com a Tag Atlético-MG

segunda-feira, 14 de maio de 2012 Campeonatos Estaduais | 13:50

As façanhas dos campeões estaduais de 2012

Compartilhe: Twitter

O futebol brasileiro conheceu ontem 13 novos campeões estaduais em 2012. Agora, já são 17 os campeões entre os 27 campeonatos disputados no país nesse primeiro semestre.

Desses campeões que saíram até agora, dois conquistaram o estadual pela primeira vez: o Cametá, do Pará, e o Aracruz, do Espírito Santo.

Já três foram bicampeões (Internacional, Santa Cruz e Ceará) e dois tricampeões (Santos e Coritiba).

Dos 17 campeões, apenas um foi invicto: o Atlético-MG.

Veja abaixo as principais façanhas dos campeões estaduais de 2012:

Santos (SP)

– Depois de 43 anos conquistou um tricampeonato no Paulistão.
– Igualou o Corinthians em número de tricampeonatos (três cada).
– Com Neymar, o Santos tornou-se o clube com mais artilheiros na história do Paulistão, superando o Corinthians (22 a 21)
– O zagueiro Durval conquistou o seu 10º título estadual consecutivo: Botafogo-PB (03), Brasiliense-DF (04), Atlético-PR (05), Sport (06, 07, 08, 09) e Santos (10, 11 e 12)
– O técnico Muricy Ramalho conquistou seu sétimo estadual: Náutico-PE (01 e 02), Internacional-RS (03 e 05), São Caetano-SP (04) e Santos (11 e 12)
– Igualou o São Paulo em número de títulos Paulista (20 a 20). O Corinthians lidera o ranking de títulos paulistas com 26, seguido pelo Palmeiras (22)
– Venceu 5 dos últimos 7 estaduais e ainda foi vice em um deles.
– O público de 53.749 torcedores da final de ontem foi o maior do Brasil nos Estaduais 2012.

Fluminense (RJ)
Conquistou seu 31º título Estadual. Agora está um atrás do Flamengo, o maior campeão Carioca, com 32 conquistas. O Vasco tem 22 e o Botafogo 19.
– Venceu seu quarto estadual nos últimos 20 anos (1995, 2002 e 2005)
– Assim como em 2005, o técnico Abel Braga deu o título do Fluminense. Abelão conquistou ainda o Carioca de 2004 com o Flamengo.
– Fred foi o artilheiro do Flu no Estadual com 7 gols. Na competição, os artilheiros foram Loco Abreu (Botafogo) e Alecsandro (Vasco), com 10 gols cada.
– O Vasco foi o clube que mais pontuou no Carioca de 2012 (41 pontos), o Botafogo conquistou 40 e o Flu, o campeão, 36 pontos.

Atlético (MG)
Conquistou o título de forma invicta, depois de 36 anos.
– Venceu o 100º campeonato mineiro da história.
– Não deixou o rival América levanta o título no seu centenário.
– O técnico Cuca venceu o seu terceiro estadual nos últimos quatro anos: Flamengo (2009), Cruzeiro (2011) e Atlético-MG (2012)
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Cruzeiro: 41 x 36.
– O atacante André foi o artilheiro do Galo no Mineiro com 10 gols. Ele ficou apenas um atrás de Wellington Paulista, do Cruzeiro, o goleador do campeonato.

Internacional (RS)
– Conquistou 7 dos últimos dez campeonatos gaúchos foram vencidos pelo Internacional.
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Grêmio: 41 x 36.
– O atacante Leandro Damião foi artilheiro pela segunda vez consecutiva. Algo que não ocorria no Gaúchão desde 1981, com Baltazar, do Grêmio.
– O técnico Dorival Júnior conquistou seu sexto título estadual em seis diferentes estádios: Figueirense-SC (04), Fortaleza-CE (05), Sport-PE (06), Coritiba-PR (08), Santos-SP (10) e Internacional-RS (12)

Bahia (BA)
– O Bahia quebrou um jejum de 11 anos sem título estadual, o maior de sua história. Nesse período, o tricolor viu o rival Vitória ganhar oito vezes o Campeonato Baiano.
– Como título, o Bahia segue bem na frente no ranking de títulos no Estado (44 a 26).
– O técnico Falcão, campeão gaúcho com o Inter em 2011, conquistou seu bi-Estadual.

Santa Cruz (PE)
– Na 22ª final entre Santa Cruz e Sport, o tricolor derrotou o Leão pela 10ª vez e faturou o título Estadual. O Sport ainda leva a vantagem com 12 conquistas.
– Com o bicampeonato estadual, ambos sob o comando do técnico Zé Teodoro.
– Esse é primeiro bi do Santa após 25 anos.
– Com o gol na final, Dênis Marques superou Marcelinho Paraíba e terminou como artilheiro do Pernambucano com 15 gols.
– O Santa Cruz tem agora 25 títulos estaduais contra 39 do Sport e 21 do Náutico.

Coritiba (PR)
– Esse foi o segundo tricampeonato da história do Coritiba.
– O técnico Marcelo Oliveira conquistou o seu segundo estadual título pelo Coritiba. Ele era o técnico do time campeão invicto de 2011. Em 2010, o técnico era Ney Franco.
– Os artilheiros do Coxa na campanha do tri foram os zagueiros Emerson e o meia Lincoln com 8 gols cada. O goleador da competição foi Baiano, do Operário, com 13 gols.
– O Coritiba venceu seis dos últimos dez Campeonatos Paranaenses. O Atlético-PR venceu dois, o Paraná um e o Paranavaí outro.
– O Coxa tem agora 36 títulos estaduais contra 22 do Atlético-PR.

Avaí (SC)
– Com a vitória sobre o Figueirense, o Avaí retormou a hegemonia do futebol catarinense. Agora, tem 16 títulos contra 15 do Figueirense. O Joinville tem 12 conquistas.
– O Avaí foi campeão com o técnico Hemerson Maria, que entrou como interino durante a competição.
– A derrota na final causou a queda do técnico Branco.
– O Figueirense venceu os dois turnos do Catarinense de 2012, mas perdeu as duas partidas da final.
– Os artilheiros da competição foram Aloísio (Figueirense) e Rafael Costa (Metropolitano), ambos com 14 gols. O artilheiro do Avaí foi Cléber Santana com 7 gols.

Goiás (GO)
– O Goiás, do técnico Enderson Moreira, acabou com o sonho do Atlético-GO em conquistar seu inédito tricampeonato.
– O Goiás tem agora 23 títulos estaduais contra 15 do Vila Nova, 14 do Goiânia e 12 do Atlético-GO.
– O artilheiro do Goiano 2012 foi Patric, do Vila Nova, com 14 gols. Pelo Goiás, o goleador foi Ricardo Goulart, ex-Inter, com 8 gols.

Ceará (CE)
O Ceará, do técnico PC Gusmão, bateu o rival Fortaleza e levou seu 41º título Cearense. O Fortaleza tem 39.
– O atacante Felipe Azevedo, que marcou o gol de empate na final e do título, terminou como o artilheiro da competição com 16 gols.

Cametá (PA)
O Cametá Sport Clube, da cidade de Cametá, conquistou pela primeira vez o título Paraense.
– Pelo segundo ano o Pará tem um novo campeão. Em 2011, foi a vez do Independente.
– O Cametá é o sexto clube a vencer o Paraense. Paysandu (44 títulos), Remo (42), Tuna Luso (10), União Esportiva (2), todos de Belém, e Independente de Tucuruí (1), são os outros campeões.
– O técnico Sinomar Naves, que no primeiro turno dirigiu o Remo, que acabou sendo vice-campeão, conquistou o seu terceiro título Paraense.
– Com o título, o Cametá ficou com a vaga do Pará na Série D do Brasileiro.

Campinense (PB)
O Campinense, de Campina Grande, goleou o Sousa por 4 x 0 e conquistou seu 18º título paraibano.
– Botafogo, com 25 conquistas, segue como o maior campeão.

CRB (AL)
– Depois de uma espera de 10 anos o CRB voltou a conquistar o Campeonato Alagoano.
– O campeão soma agora 26 títulos contra 37 do CSA e 7 do ASA, os maiores vencedores.
– Dois ex-jogadores do São Paulo estavam no time campeão: o atacante Aloísio Chulapa e o lateral-esquerdo Jadílson.

América (RN)
– O América voltou a ganhar o Campeonato Potiguar depois de 9 anos.
– Dirigido por Roberto Fernandes, o América estragou o sonho do tri do rival ABC.
– O América tem agora 33 títulos estaduais. O ABC, maior campeão, tem 52.

Aracruz (ES)
– Campeão estadual pela primeira vez, o clube de Aracruz derrotou o Conilon na decisão do Capixaba 2012.

Águia Negra (MS)
– Clube de Rio Brilhante, o Águia Negra levantou seu segundo título estadual – o outro foi em 2007.

Luverdense (MT)
– O clube da cidade de Lucas do Rio Verde conquistou seu segundo estadual (havia sido campeão em 2009).
– Edmar Damião, irmão de Leandro Damião foi campeão pelo Luverdense. Ele formou dupla de ataque com Valdir Papel.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 4 de maio de 2012 Copa do Brasil | 10:46

Relembre as eliminações do Atlético-MG na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Clube que mais vezes disputou a Copa do Brasil (23 participações em 24 edições, ao lado do  Vitória), o Atlético-MG é também o que mais acumula eliminações no torneio: caiu em todas as suas 23 tentativas de chegar à final.

Ontem, diante do Goiás, levou um gol no finalzinho da partida e deu adeus ao torneio já nas oitavas de final. A eliminação precoce foi a 7ª do Galo nas oitavas de final (havia caído anteriormente na mesma fase em 1991, 1992, 1996, 1997, 1998 e 2009). Até hoje, as melhores colocações do time foram as semifinais de 2000 e 2002. Em outras quatro Copas o Galo caiu na segunda fase (1999, 2001, 2004 e 2011). Já em dez oportunidades o time foi eliminado nas quartas de final (1989, 1990, 1994, 1995, 2003, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2010).

Diante do Goiás, o Atlético-MG sofreu sua quarta eliminação em 23 participações. O time goiano é o maior algoz do Galo na competição. Anteriormente, o Goiás passou pelo time mineiro nas edições de 1989, 1990 e 2001. Outros que já tiraram o Atlético-MG mais de uma vez do torneio foram: Botafogo (2007 e 2008), Criciúma (1991 e 1992) e Vasco (1994 e 1995).

Outra curiosidade da eliminação do Atlético-MG na Copa do Brasil é que essa foi a 9ª vez em 23 edições que o clube caiu diante de um adversário que não estava na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Além do Goiás em 2012, o Galo já foi eliminado pelo Criciúma (1991 e 1992), Bahia (1999), Sport (2003), Santo André (2004), Ceará (2005) e Grêmio Prudente (2011), todos que disputaram a Série B no mesmo ano. Além deles, o Atlético-MG foi eliminado ainda diante do Brasiliense na semifinal de 2002, clube que foi campeão da Série C naquele ano.

Já o técnico Cuca fracassou em sua sexta tentativa de ganhar a Copa do Brasil. Em 2000, não passou da primeira fase com o Avaí, diante do Caxias. Em 2002, caiu com o Criciúma na segunda fase contra a Portuguesa. Em 2005, quando dirigia o Flamengo, foi eliminado pelo Ceará nas oitavas. Em 2007 e 2008, levou o Botafogo à semifinal nas duas edições. Na primeira, perdeu para o Figueirense. Na segunda, caiu diante o Corinthians. Agora, em 2012, foi eliminado pelo Goiás.

Confira abaixo as campanhas do Atlético-MG em sua decepcionante história na Copa do Brasil:

Ano Fase PG J V E D GP GC Algoz Divisão
1989 Quartas 9 6 4 1 1 16 4 Goiás
1990 Quartas 8 6 3 2 1 11 4 Goiás
1991 Oitavas 4 4 2 0 2 12 2 Criciúma
1992 Oitavas 6 4 3 0 1 6 3 Criciúma
1994 Quartas 6 6 3 0 3 13 12 Vasco
1995 Quartas 11 6 3 2 1 8 6 Vasco
1996 Oitavas 6 4 2 0 2 6 8 Palmeiras
1997 Oitavas 5 4 1 2 1 7 7 Corinthians
1998 Oitavas 11 6 3 2 1 16 5 Paraná
1999 Segunda 4 3 1 1 1 4 2 Bahia
2000 Semifinal 5 6 0 5 1 8 11 São Paulo
2001 Segunda 4 3 1 1 1 9 5 Goiás
2002 Semifinal 12 10 4 0 6 17 17 Brasiliense
2003 Quartas 21 8 7 0 1 18 7 Sport
2004 Segunda 6 4 2 0 2 9 8 Santo André
2005 Quartas 14 7 4 2 1 17 8 Ceará
2006 Quartas 10 7 3 1 3 13 11 Flamengo
2007 Quartas 14 7 4 2 1 10 5 Botafogo
2008 Quartas 11 7 3 2 2 16 8 Botafogo
2009 Oitavas 10 5 3 1 1 12 5 Vitória
2010 Quartas 15 7 5 0 2 20 6 Santos
2011 Segunda 7 4 2 1 1 12 5 Grêmio Prudente
2012 Oitavas 9 4 3 0 1 10 4 Goiás

.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 10 de abril de 2012 Copa do Brasil, História | 08:59

Os clubes que mais eliminaram o jogo de volta na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Nesta semana, alguns grandes terão a chance de eliminar o jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil. Amanhã, Atlético-MG, Cruzeiro e São Paulo tentarão vencer por pelo menos dois de diferença para se garantirem nas oitavas de final sem a necessidade do volta. Na primeira fase, a dupla mineira já conseguiu essa feito. Assim, como Ceará, Ipatinga, Juventude, Paysandu, ABC, Bahia, Criciúma, Náutico e Sport. Na segunda fase, por enquanto, apenas o Palmeiras eliminou o segundo jogo. Amanhã e quinta estarão em campo também tentando a classificação antecipada o Bahia, o Vitória, o Paraná e Náutico.

Criada em 1989, a Copa do Brasil passou a contar com essa regra de eliminar o jogo de volta em 1995. Naquele ano, porém, os clubes precisam de três gols de diferença para garantirem a classificação antecipada. E apenas o São Paulo, que bateu o Náutico por 4 x 1 nos Aflitos, conseguiu avançar naquela edição. No ano seguinte, 1996, a regra passou a valer para quem ganhasse por dois de diferença. Porém, só para a fase preliminar e primeira fase. Já a partir de 1999, quando o torneio passou a contar com 64 clubes, o regulamento passou a permitir a eliminação na primeira e na segunda fase.

Desde então, apenas oito clubes conseguiram eliminar os dois jogos de volta (na primeira e na segunda fase), em uma só edição: São Paulo (1999), Flamengo (2001, 2009 e 2011), Corinthians (2004 e 2009), Cruzeiro (2006), Goiás (2008 e 2011), Palmeiras (2008), Internacional (2008) e Vasco (2009).

No geral, o Corinthians é o clube que mais vezes eliminou o jogo de volta na história da competição (11 vezes). Veja a lista de quem conseguiu eliminar o segundo jogo na Copa do Brasil:

Clube Vezes
Corinthians 11
Flamengo 10
Atlético-MG 9
Cruzeiro 8
Vasco 8
Atlético-PR 7
Goiás 7
Palmeiras 7
Botafogo 6
Fluminense 6
Internacional 6
São Paulo 6
Bahia 5
Juventude 5
Fortaleza 4
Santos 4
Sport 4
Ceará 3
Coritiba 3
Grêmio 3
Náutico 3
Portuguesa 3
Santa Cruz 3
Vila Nova 3
Vitória 3
América-MG 2
Avaí 2
Brasiliense 2
Criciúma 2
Gama 2
Guarani 2
Ipatinga 2
Paraná 2
Paysandu 2
São Caetano 2
ABC 1
Americano 1
Atlético-GO 1
Caxias 1
Figueirense 1
Iraty 1
Juventus-AC 1
Moto Clube 1
Nacional-AM 1
Noroeste 1
Remo 1
Santo André 1
Uberaba 1
Volta Redonda 1
Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais, Confrontos | 09:19

As maiores freguesias nos clássicos estaduais

Compartilhe: Twitter

A rodada desse último final de semana nos campeonatos estaduais contou com quatro clássicos bem curiosos e emocionantes. Pelo Paulistão, o Corinthians voltou a vencer o São Paulo (1 x 0, gol de Danilo, o terceiro sobre o ex-clube). A vitória corintiana foi a nona sobre o rival nos últimos 15 jogos, sendo seis vitórias consecutivas no Pacaembu. Nesse período, o São Paulo venceu apenas um jogo (aquele em que Rogério Ceni marcou seu 100º gol na carreira).

No Rio de Janeiro, o Vasco virou para cima do Fluminense num jogo polêmico, marcado pelos erros do árbitro Antônio Schneider, que não marcou um pênalti claro para o tricolor e ainda distribuiu oito amarelos e dois vermelhos para jogadores do Flu. Com esse resultado, o Fluminense chegou a 11 clássicos sem vitória no Rio. O último triunfo tricolor em clássicos foi em novembro de 2010, quando bateu o Vasco por 1 x 0.

Já na Bahia, o clássico Ba-Vi terminou empatado em 0 x 0, na estreia do técnico Falcão pelo tricolor. O jogo, aliás, marcou o confronto entre dois craques da Seleção Brasileira da Copa de 1982 (Falcão x Cerezo). Realizada no estádio Pituaçu, a partida teve um público de 29.388 torcedores, o maior entre os clássicos do domingo (em São Paulo foram pouco mais de 26 mil, no Rio menos de 8 mil). Pelo Campeonato Cearense, o Ceará vencia o clássico contra o Fortaleza até os 43 minutos do segundo tempo, quando levou o empate e depois a virada, aos 48 minutos. Com o resultado, o Fortaleza tomou a ponta da tabela.

Com esses resultados, Corinthians e Vasco ampliaram seus bons retrospectos diante dos rivais na história dos clássicos. O Corinthians aumentou para 24 o número de vitórias a mais sobre o rival (8,6% a mais no total dos jogos). Já o Vasco chegou a 18 vitórias a mais do que o Flu. Até hoje, porém, essas não são as maiores freguesias nos clássicos estaduais. Em São Paulo, os três grandes da capital levam ampla vantagem sobre o Santos. Em termos de diferença na porcentagem de vitórias nos clássicos estaduais as maiores são: Vasco x Botafogo (17,9%), Palmeiras x Santos (11,8%), Bahia x Vitória (9,5%), São Paulo x Santos (8,6%), Corinthians x Santos (8,6%) e Corinthians x São Paulo (8,1%).

Confira abaixo o retrospecto atualizado dos principais clássicos do país e a diferença de vitórias entre eles.

São Paulo
Jogos Palmeiras empates Santos Diferença
297 127 78 92 35
porcentagem 42,8% 26,3% 31,0% 11,8%
Jogos Corinthians empates Santos Diferença
303 122 85 96 26
porcentagem 40,3% 28,1% 31,7% 8,6%
Jogos São Paulo empates Santos Diferença
268 114 63 91 23
porcentagem 42,5% 23,5% 34,0% 8,6%
Jogos Corinthians empates São Paulo Diferença
296 113 92 89 24
porcentagem 38,2% 31,1% 30,1% 8,1%
Jogos São Paulo empates Palmeiras Diferença
286 100 92 94 6
porcentagem 35,0% 32,2% 32,9% 2,1%
Jogos Palmeiras empates Corinthians Diferença
338 121 102 115 6
porcentagem 35,8% 30,2% 34,0% 1,8%

x
x

Rio de Janeiro
Jogos Vasco empates Botafogo Diferença
319 140 96 83 57
porcentagem 43,9% 30,1% 26,0% 17,9%
Jogos Vasco empates Fluminense Diferença
347 133 99 115 18
porcentagem 38,3% 28,5% 33,1% 5,2%
Jogos Flamengo empates Botafogo Diferença
339 121 113 105 16
porcentagem 35,7% 33,3% 31,0% 4,7%
Jogos Flamengo empates Fluminense Diferença
383 136 126 121 15
porcentagem 35,5% 32,9% 31,6% 3,9%
Jogos Flamengo empates Vasco Diferença
372 141 102 129 12
porcentagem 37,9% 27,4% 34,7% 3,2%
Jogos Fluminense empates Botafogo Diferença
330 119 101 110 9
porcentagem 36,1% 30,6% 33,3% 2,7%

x
x

Minas Gerais
Jogos Atlético-MG empates Cruzeiro Diferença
471 191 123 157 34
porcentagem 40,6% 26,1% 33,3% 7,2%
Rio G. do Sul
Jogos Internacional empates Grêmio Diferença
389 146 121 123 23
porcentagem 37,5% 31,1% 31,6% 5,9%
Bahia
Jogos Bahia empates Vitória Diferença
442 177 130 135 42
porcentagem 40,0% 29,4% 30,5% 9,5%
Paraná
Jogos Coritiba empates Atlético-PR Diferença
348 133 106 109 24
porcentagem 38,2% 30,5% 31,3% 6,9%
Ceará
Jogos Ceará empates Fortaleza Diferença
536 180 189 167 13
porcentagem 33,6% 35,3% 31,2% 2,4%

x
x

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 12:23

Qual grande está há mais tempo sem perder dos pequenos

Compartilhe: Twitter

Nessa semana, algumas zebras aparecem nos principais estaduais do Brasil. No Rio, o Fluminense caiu, de virada, diante do Boavista. Em São Paulo, Santos e São Paulo ficaram apenas no empate, ontem, e viram o Corinthians assumir a liderança isolada da competição. Em Pernambuco, o Sport, que havia vencido o clássico diante do Sport, foi derrotado pelo Salgueiro. No Sul, a dupla Grêmio e Inter, que se enfrentarão no domingo, já perderam duas partidas nesse Gauchão.

Entre esses principais estaduais (SP, RJ, RS, MG, PR, BA e PE), apenas quatro clubes mantêm uma boa invencibilidade diante dos pequenos. O Coritiba é o clube que carrega a maior sequência sem derrota diante das zebras do interior. Campeão invicto em 2011, o Coxa não perde para um pequeno há 39 jogos. Sua última derrota foi no dia 19 de abril de 2009, para o Iraty. Líder com 100% de aproveitamento esse ano, o Coritiba vem também com uma sequência de 18 vitórias consecutivas no Estadual.

Outro clube que está há um bom tempo sem perder para os pequenos é o Atlético-MG. Com a vitória sobre o Boa, na estreia do Mineiro, o Galo chegou a marca de 38 jogos sem derrota para outro clube do estado que não seja Cruzeiro ou América-MG. A última vez em que foi derrota para um pequeno foi em 2008, no dia 6 de abril, quando caiu diante do Guarani (3 x 2).

No Rio de Janeiro, Botafogo e Flamengo, os últimos campeões do Estado, não são derrotados para um pequeno no Estadual desde 2009 e a mais de 30 jogos.

Confira quais são as maiores invencibilidades dos grandes contra os pequenos nos principais campeonatos estaduais do Brasil:

Clube Jogos sem perder última derrota
Coritiba 39 Iraty 1 x 0, dia 19/4/2009
Atlético-MG 38 Guarani 3 x 2, dia 6/4/2008
Botafogo 36 Volta Redonda 2 x 1, dia 5/2/2009
Flamengo 33 Resende 3 x 1, dia 21/2/2009
Cruzeiro 11 Ipatinga 3 x 1, dia 18/4/2010
Atlético-PR 9 Operário 2 x 0, dia 19/3/2011
Santos 9 Bragatina 2 x 1, dia 19/3/2011
Vasco 9 Macaé 3 x 1, dia 4/3/2011
São Paulo 8 Paulista 3 x 2, dia 23/3/2011
Corinthians 6 São Caetano 2 x 1, dia 10/4/2011
Palmeiras 5 Ponte Preta 2 x 1, dia 17/4/2011
Vitória 5 Bahia de Feira 2 x 1, dia 15/5/2011
Náutico 4 América 4 x 2, dia 10/4/2011
Bahia 3 Bahia de Feira 1 x 0, dia 22/1/2012
Grêmio 1 Juventude 2 x 1, dia 29/1/2012
Internacional 1 Cerâmica 3 x 2, dia 26/1/2012
Santa Cruz 1 Araripina 2 x 0, dia 28/1/2012
Fluminense 0 Boavista 2 x 1, dia 1/2/2012
Sport 0 Serrano 2 x 1, dia 1/2/2012

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 27 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 21:48

Quais jogadores estarão fora da rodada decisiva

Compartilhe: Twitter

O gol de Bernardo, do Vasco, aos 45 minutos do segundo tempo tirou o grito de campeão do Corinthians e adiou a decisão pelo título para a última rodada. Assim como o gol de Daniel Marques, do Ceará, contra o Cruzeiro, aos 36 minutos do segundo tempo, também adiou a briga pelo rebaixamento para a última e decisiva rodada.

Mas a 37ª rodada também serviu para definir alguma coisa nesse campeonato pra lá de emocionante. O Fluminense, com a derrota para o Vasco no final do jogo, perdeu a chance de brigar pelo título depois de realizar um grande segundo turno (aliás, já é o time com mais pontos no returno, mesmo que perca o próximo jogo). O Flu fez 37 pontos no returno contra 33 de Corinthians e Vasco.

Na briga pela Libertadores, o Flamengo voltou a ficar em boa posição por uma vaga e o surpreendente Coritiba subiu quatro posições na tabela, entrando para o G5 com a vitória, também nos minutos finais, sobre o Avaí. O Coxa, aliás, com a 13ª vitória em casa, passou a ser o mandante com o maior aproveitamento da competição (conquistou 74,2% dos pontos disputados). Na última rodada, porém, o Coritiba terá pela frente o rival Atlético-PR, na Arena da Baixada, que ainda luta para não cair. Mas vale lembrar que no jogo decisivo do estadual desse ano o Coxa enfiou 3 x 0 lá.

Ao Flamengo resta um empate diante do Vasco para se garantir na Libertadores (o que garantiria o título ao Corinthians). Já Coritiba, Inter e Figueirense (todos com 57 pontos), São Paulo (56) e Botafogo (55), ainda estão no páreo por uma vaga. Situação mais complicada para São Paulo e Botafogo, que não conseguirão alcançar o Flamengo e ainda terão que vencer seus jogos e torcer para que nenhum adversário acima da tabela vença. Improvável, mas possível nesse campeonato.

Outra definição, não tão importante assim, foi a vaga conquistada pelo Palmeiras na Copa Sul-Americana de 2012 com a vitória sobre o São Paulo. No clássico, o volante Marcos Assunção anotou seu 6º gol de falta no Brasileirão e dificilmente será superado nesse quesito, já que Ronaldinho Gaúcho marcou três. .

O Atlético-MG, com a goleada sobre o Botafogo, está livre de vez do rebaixamento. Penúltimo colocado no primeiro turno, com apenas 26,3% de aproveitamento, o Galo tem a sétima melhor campanha do returno, com 55,6% dos pontos. O técnico Cuca, assim como já havia feito com o Goiás em 2003, e com o Fluminense em 2009, livrou mais um time do rebaixamento nessa era dos pontos corridos.

Quem também escapou da degola para a segundona foi o Bahia, com o empate sobre o time completo do Santos, na Vila Belmiro, que contou com pouco mais de 12 mil pessoas na despedida do time em casa antes do Mundial.

Para a 38ª e última rodada, todos os dez jogos estarão valendo alguma coisa. Dois deles, porém, um pouco menos, já que o Atlético-GO lutará por uma vaga na Copa Sul-Americana contra o rebaixado América-MG, enquanto o já Fluminense, já classificado para Libertadores, irá enfrentar o Botafogo, que tem chances remotas de chegar ao torneio sul-americano. De quebra, a partida será disputada em Volta Redonda.

Nos demais oito jogos, a briga será grande, com destaque para os clássicos Corinthians x Palmeiras, Vasco x Flamengo e Atlético-PR x Coritiba.

Veja abaixo o que estará em jogo e quais serão os desfalques dos clubes nesse última rodada:

Corinthians x PalmeirasUm empate dá o título ao Corinthians. Para o Palmeiras estragar a festa do rival, deverá vencer e esperar que o Vasco também ganhe no Rio. 
Desfalques:
Corinthians –
Ralf e Danilo.
Palmeiras – Marcos (machucado).

.

Vasco x FlamengoO Vasco precisa vencer e torcer por uma derrota do Corinthians para ser campeão. Já o Flamengo necessita de um empate para ir à Libertadores sem depender de ninguém.
Desfalques:
Vasco –
Juninho Pernambucano, Allan, Leandro e Éder Luís (machucado).
Flamengo – Aírton (machucado – dúvida).

.

São Paulo x SantosSó a vitória interessa ao São Paulo, que ainda terá que torcer para que Coritiba, Internacional e Figueirense não ganhem.
Desfalques:
São Paulo –
Rivaldo.
Santos – nenhum.

.

Botafogo x FluminenseUm empate garante o Flu na fase de grupos da Libertadores. O Botafogo precisa ganhar e torcer para que Coritiba, Inter, Figueirense e São Paulo não ganhem.
Desfalques:
Botafogo –
Éverton, Herrera e Cortês (machucado – dúvida).
Fluminense – nenhum.

.

Cruzeiro x Atlético-MG – Um empate garante o Galo na Copa Sul-Americana e pode rebaixar o Cruzeiro, desde que o Ceará vença. Já a Raposa se livra da série B com uma vitória. Um empate pode rebaixar o time.
Desfalques:
Cruzeiro – Fábio, Montillo, Marquinhos Paraná e Wallyson (machucado).
Atlético-MG – Neto Berola.

.

Internacional x Grêmio – O Inter precisa vencer e torcer por tropeços de Coritiba ou Flamengo para ir à Libertadores. O Grêmio não briga por nada. Apenas para atrapalhar o rival.
Desfalques:
Internacional – nenhum.
Grêmio – Adílson e Fábio Rochemback (machucado – dúvida).

.

Atlético-PR x Coritiba – O Furacão precisa ganhar e torcer para que o Ceará não vença e que o Cruzeiro perca para o Atlético-MG ganhe do Cruzeiro para escapar do rebaixamento. Já o Coritiba precisa vencer para ir à Libertadores. Um empate complicará a vida do Coxa, que terá que torcer para que Inter e Figueirense não ganhem seus jogos.
Desfalques:
Atlético-PR – Gustavo Lazzaretti.
Coritiba – Leandro Donizete (machucado – dúvida).

.

Avaí x Figueirense – O Figueira precisa ganhar o jogo contra o rebaixado Avaí e ainda torcer para tropeços de Inter, Coritiba e Flamengo (dois deles necessariamente).
Desfalques:
Avaí – Fabiano, Fernandinho e Batista.
Figueirense – Rhayner e Túlio (machucado).

.

Bahia x Ceará – Só a vitória interessa ao Ceará, que ainda torce para o Cruzeiro não vencer para poder, assim, escapar do rebaixamento.
Desfalques:
Bahia – Diones, Ricardinho, Fahel e Dodô (machucado).
Ceará – Fernando Henrique, Eusébio, Daniel Marques e Thiago Humberto.

.

Atlético-GO x América-MG – Uma vitória poderá dar a vaga ao Atlético-GO na Copa Sul-Americana de 2012. Para isso o Atlético-MG não pode ganhar do Cruzeiro.
Desfalques:
Atlético-GO – Joílson e Vítor Júnior.
América-MG – Neneca, Kempes, Marcos Rocha, Rodriguinho, Ânderson (machucado), Otávio (machucado) e Luciano (machucado).

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 12:02

Os jogadores com mais de 100 jogos pelos grandes do Brasil

Compartilhe: Twitter

Nos últimos jogos do Brasileirão, alguns jogadores alcançaram marcas importantes em relação ao número de partidas em seus respectivos clubes. Ontem, por exemplo, o goleiro Júlio César chegou a marca de 100 jogos com a camisa do Corinthians. Entre os 12 grandes clubes do país, 60 jogadores já chegaram ou ultrapassaram essa marca de 100 jogos.

Santos e Inter são os dois clubes que contam com mais jogadores velhos de casa. No Colorado, são dez jogadores que já vestiram a camisa do time gaúcho por mais de 100 vezes. Já no Santos, são nove, incluindo Neymar e Ganso. Entre esses 60 jogadores, quem mais vezes vestiu a camisa foi o goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, com 1.007 partidas, seguido por outros goleiros: Marcos, do Palmeiras (530 jogos), e Fábio, do Cruzeiro (414 jogos). Entre os jogadores de linha, destacam-se os laterais Léo, do Santos (395 jogos) e Léo Moura, do Flamengo (358), além dos meias Felipe (320) e Juninho Pernambucano (312), do Vasco, e dos zagueiros Índio (311) e Bolívar (300), todos na casa dos trezentos jogos.

Outros três jogadores estão próximos também de alcançar a marca de 100 jogos nesse Brasileirão: Danilo (Corinthians), Rafael (Santos) e Dedé (Vasco). Confira abaixo a lista dos jogadores em atividade com mais partidas nos 12 maiores clubes do Brasil:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 24 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Confrontos, História | 10:54

Cruzeiro e Inter defendem tabus diante Vasco e Atlético-MG

Compartilhe: Twitter

A 26ª do Campeonato Brasileirão terá dois clássicos amanhã onde velhos tabus estão em jogo. Em Minas Gerais, o Cruzeiro, que realiza uma de sua piores campanhas na era dos pontos corridos, com apenas 38,7% de aproveitamento, defende um tabu diante do Vasco, líder do campeonato. Nos últimos 8 jogos entre as equipes, que já decidiram o Brasileirão de 1974 (Vasco campeão), só deu Cruzeiro, com 7 vitórias e um empate. No último jogo, em São Januário, a Raposa não tomou conhecimento do Vasco e venceu por 3 x 0, na estreia de Joel Santana, já demitido do Cruzeiro.

A última vitória do Vasco no confronto foi em 2006, 1 x 0, em São Januário, gol de Ramon. O goleiro Fábio, do Cruzeiro, é o único remanescente daquele jogo. Já em Minas Gerais, a última vitória do Vasco foi em 2000, por 3 x 1, no Mineirão, pela semifinal da Copa João Havelange. O Vasco, de Joel Santana, venceu por 3 x 1, com gols de Juninho Pernambucano, Euller e Romário. Sorín descontou para a Raposa, dirigida por Felipão. No geral, Cruzeiro e Vasco já jogaram 44 vezes, com 16 vitórias da Raposa, 15 empates e 13 vitórias do Vasco.

Já o clássico Internacional e Atlético-MG, o tabu é ainda maior. O Colorado não perde para o Galo há 15 jogos. A última vitória atleticana foi em 2002 (3 x 2, no estádio Independência, em BH). Em Porto Alegre, a última vez que o Atlético-MG bateu o Inter pelo Brasileirão foi há 25 anos, em 1986, quando ganhou por 2 x 0, com gols de Éverton e João Paulo. No Beira-Rio, aliás, o Inter leva grande vantagem sobre o Galo, com 13 vitórias, 10 empates e apenas 4 derrotas em 27 jogos. No Geral, a vantagem colorada também é grande. Em 54 jogos, foram 23 vitórias do Inter, 17 empates e 14 vitórias do Atlético. No último confronto, deu Inter também, com um 4 x 0, fora de casa, na Arena Jacaré, em Sete Lagoas. Curiosamente, o técnico do Atlético-MG naquele jogo era Dorival Júnior, que hoje comanda o Inter.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 18 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro | 08:42

Corinthians lidera gols de pênaltis e viradas no Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Líder do Brasileirão, o Corinthians voltou a vencer na competição, ontem, ao bater o Atlético-MG por 3 x 2, fora de casa. Depois de sair perdendo para o Galo (que vencia por 2 x 0 até o intervalo), o time paulista conseguiu a virada, garantindo assim mais uma rodada na liderança do Brasileirão. Das 11 vitórias da equipe de Tite até agora, três foram assim, de virada. Na primeira rodada, a equipe virou para cima do Grêmio, no Olímpico (2 x 1). Depois, na oitava rodada, venceu o Vasco, no Pacaembu, também por 2 x 1. Até agora, o Corinthians é a clube que mais conseguiu viradas no Brasileirão. Confira:

Clubes que mais venceram de virada no Brasileirão 2011:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.Por outro lado, o Avaí, penúltimo colocado, é o time que mais perdeu de virada na competição. Veja:

Clubes que mais perderam de virada no Brasileirão 2011:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

Na vitória sobre o Galo, em Ipatinga, o Corinthians teve dois pênaltis a seu favor (nenhum contestável). Assim, chegou a marca de seis pênaltis recebidos no Brasileirão, um recorde na competição até agora. Desses seis pênaltis, cinco foram convertidos, deixando assim o alvinegro como o clube com mais gols de pênalti no torneio. Por outro lado, o Atlético-MG, cometeu seu nono pênalti no Brasileirão, também um recorde negativo até então. Ao sofrer dois pênaltis, Émerson tornou-se um dos jogadores com mais pênaltis sofridos no Brasileirão. Sheik tem dois pênaltis sofridos, ao lado de Neymar, que ontem também sofreu um no jogo contra o Coritiba. O recordista, porém, é Liédson, com três pênaltis sofridos. Nas cobranças, o líder é o argentino Montillo, com três gols. Entre os pênaltis cometidos, o zagueiro Réver é o líder nesse quesito com três pênaltis (ontem, inclusive, fez um sobre Émerson e acabou expulso). Abaixo a lista dos clubes com mais pênaltis e favor e contra no torneio até agora:

Clubes com mais pênaltis a favor no Brasileirão 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Clubes que mais cometeram pênaltis no Brasileirão 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 20 de junho de 2011 Campeonato Brasileiro | 12:20

As melhores arrancadas na história do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Líder isolado do Brasileiro com 100% de aproveitamento, o São Paulo chegou a inédita marca de 5 vitórias nos 5 primeiros jogos da competição. Na era dos pontos corridos, esse é o melhor início de um clube até essa 5ª rodada.

Na história do Campeonato Brasileiro, porém, o melhor começo continua sendo o do Atlético-MG, que em 1977 venceu seus 8 primeiros jogos. Vice-campeão invicto naquele ano (perdeu o título para o São Paulo nos pênaltis), o Galo bateu o Remo (4 x 1), Santos (3 x 0), Botafogo-SP (1 x 0), Nacional-AM (4 x 2), Paysandu (3 x 1), Cruzeiro (1 x 0), Fast-AM (6 x 2) e América-MG (3 x 1) nas primeiras rodadas.

Nos últimos anos, quem mais se aproximou de igualar esse recorde atleticano foi o Corinthians, em 1999. A equipe dirigida por Oswaldo de Olivera, venceu seus 7 primeiros jogos, mas acabou perdendo o oitava para o Flamengo, em casa, com um de Romário.

Veja abaixo as melhores arrancadas na história do Brasileiro:


.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 17 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais | 11:56

Os melhores dos Campeonatos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

As federações dos quatro maiores campeonatos estaduais do Brasil divulgaram, ontem, suas seleções com os melhores de 2011. No Rio de Janeiro e em São Paulo, poucas surpresas estiveram nas listas, formadas basicamente por jogadores dos quatro grandes. Já no Rio Grande do Sul, apenas um jogador do campeão figurou entre os melhores: o atacante Leandro Damião. Em Minas Gerais, Cruzeiro, Atlético e América formaram a base da seleção.

Desde 2009, alguns jogadores vêm se destacando nessas eleições dos melhores. O lateral-direito Leonardo Moura, do Flamengo, é o único a entrar em todas as seleções nos últimos três anos. Já o atacante Neymar, do Santos, também fo premiado nos últimos três anos. Em 2009, como reveleção do Paulistão. Já em 2010 e 2011 como um dos melhores atacantes e também como o craque do campeonato. Dos jogadores eleitos em 2011, quatro repetiram o feito de 2010: Willians (Flamengo), Edu Dracena (Santos), Douglas (Grêmio) e Henrique (Cruzeiro).

Dessas seleções dos estaduais de 2011, apenas quatro dos 44 jogadores escolhidos foram chamados recentemente pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira: Neymar, Lucas, Elano e Leandro Damião. Pelo o que jogaram, acredito que a “seleção das seleções estaduais” seria essa: Fábio (Cruzeiro-MG), Leonardo Moura (Flamengo), Dedé (Vasco), Victorino (Cruzeiro) e Guilherme Santos (Atlético-MG); Fábio Rochemback (Grêmio), Henrique (Cruzeiro), Lucas (São Paulo) e Thigo Neves (Flamengo); Neymar (Santos) e Leandro Damião (Inter).

Confira abaixo os melhores dos estaduais de SP, RJ, MG e RS nos últimos três anos:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 24 de abril de 2011 Campeonatos Estaduais | 10:45

As maiores goleadas nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Em duas semanas, o América de Teófilo Otoni sofreu duas incríveis goleadas no Campeonato Mineiro de 2011. No domingo passado, levou de 7 x 1 do Atlético-MG, na última rodada da primeira fase. Ontem, na partida de ida da semifinal do Estadual, o clube, até então a grande surpresa do campeonato, apanhou de 8 x 1 do Cruzeiro, em casa. Quinze gols sofridos em apenas dois jogos.

Mas em 2011, essas não foram as maiores goleadas entre todos os Estaduais que estão rolando no país. Dos 25 campeonatos da primeira divisão em andamento (apenas Amapá e Piauí não começaram ainda), já tivemos goleadas mais avassaladoras, como no Maranhão, onde o IAPE bateu o Nacional por 11 x 1. Também no Maranhanse, o Maranhão ganhou do mesmo Nacional por 8 x 0. Já no Rio de Janeiro, o Vasco goleou o América por 9 x 0. Confira as maiores goleadas nos Estaduais de 2011 até agora:

Acre – Independência 0 x 7 Plácido de Castro (3/4/2011)
Alagoas – Sport 8 x 2 Ipanema (12/2/2011)
Amazonas – Fast 7 x 3 Princesa (19/2/2011)
Bahia – Atlético Alagoinhas 6 x 2 Serrano (23/1/2011)
Ceará – Guarani de Juazeiro 6 x 1 Quixadá (3/2/2011)
Distrito Federal – Brasília 0 x 4 Brasiliense (5/2), Brasiliense 4 x 0 Ceilandense (30/1) e Gama 4 x 0 CFZ (23/1)
Espírito Santo – Vitória 6 x 1 Espírito Santo (22/1/2011)
Goiás – Santa Helena 1 x 6 Goiás (20/2/2011) e Aparecidense 1 x 6 Goiás (24/3/2011)
Maranhão – IAPE 11 x 1 Nacional (28/3/2011) e Maranhão 8 x 0 Nacional (12/3/2011)
Mato Grosso – Luverdense 6 x 0 Operário (17/3/2011)
Mato Grosso do Sul – Rio Verde 1 x 5 Chapadão (20/3/2011)
Minas Gerais – América-TO 1 x 8 Cruzeiro (23/4), Atlético-MG 7 x 1 América-TO (17/4) e Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV (13/3)
Pará – Abaeté 2 x 7 Castanhal (8/12/2010)
Paraíba – Miramar 1 x 6 Sousa (24/3/2011)
Paraná – Coritiba 5 x 0 Iraty (3/2/2011)
Pernambuco – Sport 5 x 0 Arapirina (12/3/2011)
Rio de Janeiro – América 0 x 9 Vasco (12/2/2011)
Rio Grande do Norte – ABC 6 x 0 Potiguar-M (30/1/2011)
Rio Grande do Sul – Cruzeiro 8 x 0 Porto Alegre (10/3/2011)
Rondônia – Ariquemes 6 x 1 Moto Clube (17/4/2011)
Roraima – GAS 4 x 1 Náutico (2/4/2011)
Santa Catarina – Imbituba 0 x 6 Figueirense (15/1/2011)
São Paulo – São Caetano 6 x 1 São Bernardo (2/4/2011)
Sergipe – Sergipe 1 x 6 River Plate (7/4/2011)
Tocantins – Guaraí 6 x 0 São José (9/4/2011)

.

.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 24 de março de 2011 Copa Libertadores | 12:57

As viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores

Compartilhe: Twitter

O Fluminense venceu o América-MEX de virada, ontem, pela Copa Libertadores de forma histórica. Até hoje, nenhum clube brasileiro conseguiu a virada num jogo pela principal competição sul-americana depois de levar um gol tão tarde, no minuto 72 (27 do segundo tempo).

Na maioria das vezes, os clubes brasileiros levaram reverteram o placar depois de levar o gol no primeiro tempo. Das 73 viradas, apenas em 13 delas os brasileiros viraram o jogo depois de tomar um gol no segundo tempo. O Fluminense, vice-campeão de 2008, conquistou ontem sua quarta virada na história da Libertadores. No ano em que foi finalista, o Tricolor venceu o Libertad-PAR, na primeira fase, o Boca Juniors-ARG, na semifinal, e a LDU Quito-EQU, na final, de virada.

Mas até hoje os clubes brasileiros que mais venceram partidas de virada na história da Libertadores foram Santos e São Paulo, com nove vitórias cada. Cruzeiro (8 viradas), Palmeiras (7), Corinthians, Grêmio e Inter (6), aparecem na sequência. Outra curiosidade dessas viradas é que o América-MEX sofreu sua quinta virada para clubes brasileiros. Anteriormente, Corinthians, Grêmio, São Caetano e Santos já bateram o time mexicano dessa forma. Outro clube que já levou muitas viradas de brasileiros é o Olimpia-PAR, com cinco derrotas dessa forma.

Em relação à diferença de gols, a maior virada foi a do Atlético-MG em 1978. O Galo estava perdendo por 4 x 2 até os 17 minutos do segundo tempo, fora de casa, para o Palestino-CHI, e conseguiu virar para 5 x 4. Entre as mais importantes, estão a virada do Santos sobre o Boca Juniors, em pleno estádio La Bombonera, em Buenos Aires, na final de 1963; a semifinal da 2000, quando o Palmeiras venceu o Corinthians de virada (3 x 2), levando a decisão para a disputa por pênaltis – vencida pela alviverde; além do primeiro jogo da final do ano passado, quando o Inter saiu perdendo para o Chivas Guadalajara, no México, e venceu por 2 x 1.

Relembre abaixo todas as viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores:

SANTOS (9)
18/2/1962 – Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase
Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 – Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final
Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 – Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase
Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 – Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase
Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 – Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase
Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 – Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final
José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 – Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final
Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 – Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal
Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 – Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase
Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

.
SÃO PAULO (9)
24/4/1974 – Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase
Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 – São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final
Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 – São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal
José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 – São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase
Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 – São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 – São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final
Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 – São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase
Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 – São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase
Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 – São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase
Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

.
CRUZEIRO (8)
1/5/1967 – Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase
Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 – Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal
Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 – Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase
Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 – Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase
Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase
Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase
Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 – Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase
Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 – Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final
Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

.

PALMEIRAS (7)
27/1/1968 – Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase
Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 – Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase
Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase
Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal
Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 – Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final
Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 – Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase
Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 – Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal
Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2
.

CORINTHIANS (6)
19/3/1996 – Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase
Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 – Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final
Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 – Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase
Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 – Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase
Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 – Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 – Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase
Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

.
GRÊMIO (6)

25/3/1983 – Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 – Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final
Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 – América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 – River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final
Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 – Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final
Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 – Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar
Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

.
INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 – Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase
José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 – Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase
Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 – Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final
Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 – Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase
David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 – Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final
Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 – Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase
Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

.
FLUMINENSE (4)

19/3/2008 – Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase
Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 – Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal
Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 – Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final
Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 – Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase
Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

.
FLAMENGO (3)
30/10/1981 – Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 – Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase
Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 – Flamengo 2 x 1 Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal
Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

,
SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 – Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase
César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 – São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final
Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 – São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final
Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)
24/3/1992 – San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase
Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 – Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final
Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

,
SPORT (2)
22/4/2009 – Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 – LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase
Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

.
VASCO (2)
15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final
Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

.
ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 – Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase
Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

.
BAHIA (1)

21/2/1989 – Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

.
BOTAFOGO (1)
19/4/1996 – Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

.
CORITIBA (1)

25/7/1986 – Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

.
GUARANI (1)

3/8/1988 – Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

.
PAYSANDU (1)

11/3/2003 – Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase
Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

.

SANTOS (9)

18/2/1962 Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase

Luis Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final

Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase

Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase

Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase

Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final

José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final

Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal

Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase

Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

SÃO PAULO (9)

24/4/1974 Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase

Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final

Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal

José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase

Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final

Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase

Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase

Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase

Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

CRUZEIRO (8)

1/5/1967 Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase

Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal

Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase

Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase

Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase

Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase

Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase

Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final

Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

PALMEIRAS (7)

27/1/1968 Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase

Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase

Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase

Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal

Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final

Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase

Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal

Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2

CORINTHIANS (6)

19/3/1996 Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase

Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final

Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase

Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase

Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase

Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

GRÊMIO (6)

25/3/1983 Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final

Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final

Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final

Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar

Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase

José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase

Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final

Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase

David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final

Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase

Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

FLUMINENSE (4)

19/3/2008 Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase

Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal

Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final

Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase

Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

FLAMENGO (3)

30/10/1981 Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase

Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 Flamengo 2 x 1Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal

Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase

César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final

Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final

Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)

24/3/1992 San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase

Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final

Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

SPORT (2)

22/4/2009 Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase

Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

VASCO (2)

15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final

Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase

Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

BAHIA (1)

21/2/1989 Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

BOTAFOGO (1)

19/4/1996 Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

CORITIBA (1)

25/7/1986 Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

GUARANI (1)

3/8/1988 Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

PAYSANDU (1)

11/3/2003 Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase

Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 3 de março de 2011 Artilheiros, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 09:43

Adriano Michael Jackson e Galo se aproximaram de recordes

Compartilhe: Twitter

Palmeiras e Atlético-MG avançaram para a segunda fase da Copa do Brasil, ontem, com goleadas sobre Comercial-PI e IAPE-MA, respectivamente. No Pacaembu, a grande estrela da noite foi o atacante Adriano Michael Jackson. Autor de 4 gols, o jogador – que já havia feito um no jogo de ida -, é agora o artilheiro da competição com 5 gols. Se tivesse feito mais um golzinho ontem, Adriano poderia ter alcançado um recorde na Copa do Brasil. Desde 1989, apenas três jogadores conseguiram anotar 5 gols em um único jogo na história da competição. De qualquer forma, Adriano igualou a marca de Viola, o recordista de gols em um só jogo da Copa do Brasil pelo Palmeiras.

Confira a lista dos jogadores que mais marcaram gols em um só jogo da Copa do Brasil:

5 gols

Gérson (Atlético-MG)
28/2/1991
Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI

Viola (Santos)
10/3/1999
Santos 6 x 0 Sinop-MT

Obina (Atlético-MG)
24/2/2010
Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG

Neymar (Santos)
14/4/2010
Santos 8 x 1 Guarani

4 gols

Gilson (Grêmio)
24/3/1993
Grêmio 5 x 2 Sorriso-MT

Daniel (Internacional)
2/4/1993
Ji-Paraná-RO 0 x 6 Internacional

Rudnei (Internacional)
6/4/1993
Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO

Paulo Rink (Atlético-PR)
20/2/1997
CSA 2 x 6 Atlético-PR

Viola (Palmeiras)
15/4/1997
Ceará 2 x 5 Palmeiras

Romário (Flamengo)
9/4/1998
Flamengo 5 x 2 Vitória

Flávio (Juventude)
7/4/1999
Juventude 6 x 0 Fluminense

Washington (Ponte Preta)
21/3/2001
Ponte Preta 8 x 1 Castanhal-PA

Zé Carlos (Guarani)
22/3/2001
Guarani 4 x 1 Caxias-RS

Washington (Ponte Preta)
23/5/2001
Ponte Preta 5 x 2 Fortaleza

Gil Baiano (Brasiliense)
6/4/2002
Brasiliense 4 x 1 Confiança-SE

Luís Fabiano (São Paulo)
12/3/2003
São Paulo 6 x 0 São Raimundo-AM

Fred (Cruzeiro)
16/2/2005
Sergipe 0 x 7 Cruzeiro

Perea (Grêmio)
27/2/2008
Grêmio 6 x 0 Grêmio Jaciara-MT

Rafael Moura (Goiás)
31/3/2010
Goiás 7 x 0 São José-AP

Adriano (Palmeiras)
2/3/2011
Palmeiras 5 x 1 Comercial-MT
.
.

Já o Atlético-MG aplicou a maior goleada nessa edição da Copa do Brasil, ao bater o IAPE por 8 x 1, na Arena Jacaré. Dessa forma, o Galo manteve sua posição de ser o clube com o maior número de gols na história da Copa do Brasil. Até hoje, foram 259 gols em 122 partidas. O Vasco e Flamengo, com 246 gols, vêm na sequência. A goleada de 8 x 1 do Atlético-MG entrou para a lista das maiores da história da competição. O próprio Atlético-MG, aliás, é o recordista, com o 11 x 0 aplicado em 1991.

Veja a lista das maiores goleadas na história da Copa do Brasil e mais abaixo as goleadas que o Galo já deu na competição:

4/3/1991 – Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI
28/3/2001 – São Paulo 10 x 0 Botafogo-PB
10/3/2010 – Santos 10 x 0 Naviraiense-MS
24/3/1993 – Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO
28/4/1995 – Flamengo 8 x 0 Kaburé-TO
5/3/1996 – Sergipe-SE 0 x 8 Palmeiras
4/3/1997 – Portuguesa 8 x 0 Kaburé-TO
10/2/1998 – Vasco 8 x 0 Picos-PI
15/3/2000 – Interporto-TO 0 x 8 Bahia
21/3/2001 – Castanhal-PA 1 x 8 Ponte Preta
2/5/2001 – Flamengo-PI 1 x 8 Corinthians
14/4/2010 – Santos 8 x 1 Guarani
2/3/2011 – Atlético-MG 8 x 1 IAPE-MA

22/7/1989 – Atlético-MG 7 x 0 América-RN
27/2/2008 – Palmas-TO 0 x 7 Atlético-MG
26/2/1998 – Alvorada-TO 0 x 7 Atlético-MG
10/3/2010 – Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG
1/4/2010 – Atlético-MG 6 x 0 Chapecoense-SC
2/3/2005 – Atlético-MG 6 x 0 Estrela do Norte-ES
21/3/2001 – Operário-MS 0 x 6 Atlético-MG
18/2/2009 – Itabaiana-SE 0 x 5 Atlético-MG
27/6/1990 – Atlético-MG 5 x 0 Vila Nova-GO
3/3/2004 – Atlético-MG 5 x 1 Catuense-BA
10/2/1998 – Atlético-MG 5 x 1 Avaí
19/4/2003 – Atlético-MG 4 x 0 CSA
26/3/2003 – Atlético-MG 4 x 0 Caldense-MG
.

.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 18 de novembro de 2010 Artilheiros, Estatísticas | 23:39

Quem são os artilheiros dos 12 grandes clubes em 2010

Compartilhe: Twitter

O volante Marcos Assunção, autor do gol da vitória do Palmeiras sobre o Goias, ontem, pela Copa Sul-Americana, chegou ontem ao seu 11º com a camisa do time paulista em 2010. Na temporada, Assunção, especialista em chutes de longa distância, só perde para Robert, que deixou o clube e hoje joga no Cruzeiro, que marcou 14 gols.

Entre os 12 grandes clubes do Brasil, o maior artilheiro continua sendo Jonas, do Grêmio, também o goleador do Brasileirão. O atacante gremista já marcou 40 gols. Atrás dele, quem mais marcou em 2010 entre os grandes foi o santista Neymar, com 38 gols, Obina, do Atlético-MG (27) e Loco Abreu, do Botafogo (25).

Santos e Grêmio, aliás, são os dois clubes com os ataques mais positivos no ano. Veja o quadro abaixo:

Clube Gols Jogos Média
Santos 170 72 2,36
Grêmio 126 67 1,88
Botafogo 106 60 1,77
Fluminense 104 59 1,76
Cruzeiro 108 62 1,74
Atlético-MG 112 65 1,72
Corinthians 105 63 1,67
Flamengo 101 63 1,60
São Paulo 106 68 1,56
Internacional 105 71 1,48
Vasco 87 62 1,40
Palmeiras 93 69 1,35

.

Confira também os artilheiros do 12 maiores clubes do país em 2010:

Atlético-MG Gols Botafogo Gols Corinthians Gols Cruzeiro Gols
Obina 27 Loco Abreu 25 Elias 13 Thiago Ribeiro 20
Diego Tardelli 23 Herrera 20 Bruno César 13 Kléber 14
Fabiano 11 Caio 9 Ronaldo 12 Wellington Paulista 13
Muriqui 11 Marcelo Cordeiro 7 Iarley 10 Montillo 7
Renan Oliveira 7 Antônio Carlos 7 Dentinho 10 Gilberto 5
Ricardinho 6 Edno 6 Jorge Henrique 9 Fabinho 4
Diego Souza 3 Jóbson 6 Souza 5 Bernardo 3
Neto Berola 3 Lúcio Flávio 5 Jucilei 4 Leonardo Silva 3
Coelho 2 Renato Cajá 3 Chicão 4 Pedro Ken 3
Marques 2 Fábio Ferreira 3 Roberto Carlos 4 Roger 3
Carlos Alberto 2 Somália 3 Paulinho 4 Robert 3
Júnior 2 Fahel 2 Paulo André 3 Farías 3
Zé Luís 2 Danny Morais 2 Contra 3 Diego Renan 2
Ricardo Bueno 2 Alessandro 2 Ralf 2 Caçapa 2
Daniel Carvalho 2 Maicosuel 2 Boquita 1 Eliandro 2
Réver 2 Wellington Júnior 1 Edno 1 Guerrón 2
Jairo Campos 1 Sandro Silva 1 Marcelo Mattos 1 Jonathan 2
Contra 1 Gabriel 1 Danilo 1 Gil 2
Corrêa 1 Diguinho 1 William 1 Anderson Lessa 2
Werley 1 Total 106 Defederico 1 Kieza 2
Rafael Cruz 1 Leandro Castan 1 Henrique 2
Total 112 Thiago Heleno 1 Contra 2
William Morais 1 Wallyson 2
Total 105 Marquinhos Paraná 1
Roger 1
Everton 1
Rômulo 1
Léo 1
Total 108
Flamengo Gols Fluminense Gols Grêmio Gols Internacional Gols
Vágner Love 23 Fred 17 Jonas 40 Alecsandro 23
Adriano 15 Conca 12 Borges 19 Giuliano 14
Kléberson 6 Alan 10 Maylson 11 Leandro Damião 12
Petkovic 6 Washington 8 André Lima 9 Walter 8
Bruno Mezenga 4 Marquinho 7 Hugo 8 Taison 7
Vinícius Pacheco 4 Emerson 7 Douglas 6 Kléber 5
Leonardo Moura 4 Leandro Euzébio 6 Fábio Rochemback 5 Andrezinho 5
Deivid 4 André Lima 5 Willian Magrão 3 Bolívar 4
Fernando 3 Mariano 5 Rodrigo 3 Sorondo 4
Ronaldo Angelim 3 Rodriguinho 5 Diego 3 D’Alessandro 4
Diego Maurício 3 Everton 4 Rafael Marques 2 Edu 3
Renato 3 Gum 4 Edílson 2 Rafael Sóbis 3
Val Baiano 3 Júlio César 3 William 2 Daniel 2
Rodrigo Alvim 2 Maicon 2 Gabriel 2 Ytalo 1
Dênis Marques 2 Thiaguinho 2 Anderson Bill 1 Thiago Humberto 1
Michael 2 Carlinhos 2 George 1 Bruno Silva 1
David 2 Cássio 1 Fábio Santos 1 Nei 1
Juan 2 Wellington Silva 1 Mithyuê 1 Eltinho 1
Toró 2 Ezequiel González 1 Mário Fernandes 1 Fabiano Eller 1
Fierro 1 Deco 1 Ferdinando 1 Sandro 1
Wallace 1 Tartá 1 Fernando 1 Índio 1
Bruno 1 Total 104 Contra 1 Wilson Matias 1
Paulo Sérgio 1 Vílson 1 Tinga 1
Jean 1 Júnior Viçosa 1 Contra 1
Diogo 1 Fábio Santos 1 Total 105
Welinton 1 Total 126
Marquinhos 1
Total 101
Palmeiras Gols Santos Gols São Paulo Gols Vasco Gols
Robert 14 Neymar 38 Dagoberto 15 Dodô 11
Marcos Assunção 11 André 26 Washington 13 Élton 9
Kléber 10 Zé Eduardo 18 Hernanes 10 Éder Luís 9
Ewerthon 9 Paulo Henrique Ganso 13 Fernandão 8 Nílton 6
Diego Souza 8 Robinho 11 Ricardo Oliveira 8 Fágner 5
Cleiton Xavier 7 Wesley 9 Rogério Ceni 7 Léo Gago 5
Lincoln 6 Marcel 9 Fernandinho 6 Philippe Coutinho 5
Léo 3 Madson 8 Léo Lima 4 Zé Roberto 5
Danilo 3 Marquinhos 8 Marlos 4 Carlos Alberto 4
Tadeu 3 Edu Dracena 4 Cléber Santana 3 Magno 3
Deyvid Sacconi 2 Alan Patrick 4 Jean 3 Thiago Martinelli 3
Lenny 2 Alex Sandro 3 Lucas 3 Ramon 3
Edinho 2 Durval 3 Marcelinho Paraíba 3 Nunes 3
Tinga 2 Danilo 3 Rodrigo Souto 3 Rafael Coelho 2
Gabriel Silva 2 Contra 2 Casemiro 2 Fumagalli 2
Márcio Araújo 2 Maranhão 2 Contra 2 Fellipe Bastos 2
Valdívia 2 Rodriguinho 2 Miranda 2 Cesinha 2
Luan 2 Keirrison 2 Alex Silva 1 Rômulo 2
Maurício Ramos 1 Giovanni 1 André Dias 1 Tiago 1
Dinei 1 Pará 1 André Luís 1 Fernando 1
Leandro Amaro 1 Maikon Leite 1 Henrique 1 Ernani 1
Total 93 Germano 1 Jorge Wagner 1 Jonathan 1
Breitner 1 Júnior César 1 Felipe 1
Total 170 Lucas Gaúcho 1 Max 1
Richarlyson 1 Total 87
Roger 1
Xandão 1
Total 106

x

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 27 de setembro de 2010 Estatísticas, História | 23:34

Jorge Henrique e Neymar próximos dos 100 jogos

Compartilhe: Twitter

Na próxima rodada do Brasileirão, dois jogadores deverão alcançar a marca de 100 jogos por seus respectivos clubes: Jorge Henrique (Corinthians) e Neymar (Santos). Destaques em suas equipes, com as devidas proporções, claro, os atacantes Jorge Henrique e Neymar são provas de que ainda alguns jogadores conseguem permanecer por um bom tempo nos grandes clubes do futebol brasileiro.

No Corinthians, por exemplo, seis jogadores do atual elenco já superaram a marca dos 100 jogos: Dentinho, William, Chicão, Elias e Alessandro (todos do elenco campeão da Série B de 2008) e Edu, que está em sua segunda passagem pelo clube. No Santos, além de Neymar, outro jogador próximo da marca dos 100 jogos é o meia Paulo Henrique Ganso. Contundido, porém, o jogador só deverá alcançar a marca em 2011.

Hoje, 50 jogadores dos 12 maiores clubes do país já ultrapassaram a marca dos 100 jogos. Os veteranos goleiros Rogério Ceni (São Paulo) e Marcos (Palmeiras), são os recordistas de participações. O Internacional, com oito jogadores com 100 ou mais jogos, é o recordista com esses jogadores, seguidos pelo Cruzeiro (sete) e Corinthians (seis). O Colorado poderá aumentar ainda mais essa marca já que mais três jogadores estão próximos dos 100 jogos (Tinga e os goleiros Renan e Lauro).

Confira abaixo a lista dos jogadores com 100 ou mais jogos nos elencos dos grandes clubes do Brasil e quem está próximo de atingir essa marca:

Corinthians
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Dentinho Atacante 162 2007
William Zagueiro 147 2008
Elias Volante 144 2008
Chicão Zagueiro 137 2008
Edu Volante 119 1998-2001 e desde 2009
Alessandro Lateral-direito 115 2008
Jorge Henrique Atacante 99 2008
Palmeiras
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Marcos Goleiro 504 1992
Pierre Volante 180 2007
Danilo Zagueiro 109 2009
Valdívia Meia 102 2006-2008 e desde 2010
Santos
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Léo Lateral-esquerdo 341 2000-2005 e desde 2009
Pará Lateral 124 2008
Madson Meia 109 2009
Neymar Atacante 99 2009
Paulo Henrique Ganso Meia 97 2008
São Paulo
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Rogério Ceni Goleiro 930 1993
Miranda Zagueiro 225 2006
Dagoberto Atacante 172 2007
Richarlyson Volante 132 2005
Jean Volante 125 2005 e desde 2008
Jorge Wagner Lateral-esquerdo 110 2007
Grêmio
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Jonas Atacante 134 2007-2008 e desde 2009
Victor Goleiro 129 2008
Adílson Volante 98 2007
Internacional
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Índio Zagueiro 272 2005
Bolívar Zagueiro 249 2003-2006 e desde 2008
Guiñazu Volante 175 2007
Andrezinho Meia 157 2008
Rafael Sóbis Atacante 144 2004-2006 e desde 2010
D’Alessandro Meia 102 2008
Alecsandro Atacante 101 2009
Kléber Lateral-esquerdo 100 2009
Tinga Volante 99 2005-2006 e desde 2010
Lauro Goleiro 97 2008
Renan Goleiro 95 2005-2008 e desde 2010
Fluminense
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Fernando Henrique Goleiro 264 2002
Conca Meia 170 2008
Flamengo
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Leonardo Moura Lateral-direito 296 2005
Ronaldo Angelim Zagueiro 245 2006
Juan Lateral-esquerdo 243 2006
Petkovic Meia 188 2000-2002 e desde 2009
Toró Volante 170 2006
Renato Meia 141 2005-2007 e desde 2010
Kléberson Volante 117 2008
Vasco
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Felipe Lateral-esquerdo 271 1996-2000, 2002 e desde 2010
Fernando Prass Goleiro 94 2009
Botafogo
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Lúcio Flávio Meia 221 2006-2008 e desde 2009
Leandro Guerreiro Volante 207 2007
Alessandro Lateral-direito 182 2007
Cruzeiro
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Fábio Goleiro 353 2000 e desde 2005
Jonathan Lateral-direito 229 2004
Marquinhos Paraná Volante 161 2008
Henrique Volante 141 2008
Fabrício Volante 114 2008
Gilberto Meia 118 1998 e desde 2009
Thiago Ribeiro Atacante 108 2008
Elicarlos Volante 93 2008
Atlético-MG
Jogador Posição Partidas No clube desde…
Lima Zagueiro 118 2005-2007 e desde 2009
Diego Tardelli Atacante 97 2009

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 2 de maio de 2010 Artilheiros, Campeões, Campeonatos Estaduais, História | 20:29

Um balanço das decisões estaduais pelo Brasil

Compartilhe: Twitter

Para quem curte um Campeonato Estadual, finais, decisões, o fim de semana foi um prato cheio. Em São Paulo, Santos e Santo André fizeram uma daquelas finais memoráveis. O Santo André, azarão, venceu o jogo, engrossou para o Peixe e por muito pouco não ficou com o inédito título (chutou uma bola na trave aos 45 minutos do segundo tempo). O Santos, mesmo com as três expulsões, soube se segurar e conquistar o Paulistão com méritos. Sua campanha foi uma das melhores da história da competição.

Já em Minas Gerais, o técnico Vanderlei Luxemburgo e o Atlético-MG voltaram a conquistaram o Campeonato Mineiro. Luxa, que havia vencido o torneio em 2003, pelo Cruzeiro, ganhou, agora, o primeiro título pelo Galo. Será que ele conseguirá a tríplice coroa, como na época de Cruzeiro?

No Sul, o Grêmio levou um susto, mas ficou com a taça. O técnico Silas, que havia conquistado o catarinense em 2009, conseguiu seu segundo título estadual em dois anos. O Grêmio encerrou, assim, a chance do Colorado se consagrar tricampeão gaúcho. O técnico uruguaio Jorge Fossati, que poupou alguns jogadores no final, só seguirá no comando do Inter se passar pelo Banfield, quinta-feira, pela Libertadores.

No Campeonato Goiano, o Atlético-GO não deu chances ao Santa Helena e ganhou mais um jogo da final. Depois do 4 x 0 no jogo de ida, venceu por 3 x 1 e ficou com o título. Outro que não liquidou bem o adversário foi o Avaí. O time de Florianópolis bateu o Joinville por 2 x 0 e sagrou-se bicampeão. Agora, o Avaí soma 15 títulos e é o maior campeão do estado ao lado do Figueirense, cada um com 15 títulos.

Outros campeões no fim de semana foram o ABC (Rio Grande do Norte), Ceilândia (Distrito Federal), Fortaleza (Ceará) e Vitória (Bahia). O Vitória, com o tetracampeonato, chegou ao seu 26 título, o sétimo nos últimos oito anos.

Confira abaixo um balanço dos estaduais encerrados em 2010 e também a galeria de títulos atualizada desses campeonatos.

Estado Campeão Vice Artilheiro
São Paulo Santos Santo André Ricardo Bueno (Oeste), 16 gols
Rio de Janeiro Botafogo Flamengo Vágner Love (Flamengo), 15 gols
Minas Gerais Atlético-MG Ipatinga Eraldo (Democrata-GV), 11 gols
Rio Grande do Sul Grêmio Internacional Jeferson (São José), 14 gols
Paraná Coritiba Atlético-PR Bruno Mineiro (Atlético-PR) e Ariel (Coritiba), 11 gols
Goiás Atlético-GO Santa Helena Diogo Galvão (Trindade), 15 gols
Bahia Vitória Bahia Sassá (Ipitanga), 13 gols
Ceará Fortaleza Ceará Betinho (Fortaleza) e Júnior Cearense (Horizonte), 11 gols
Santa Catarina Avaí Joinville William (Figueirense), 13 gols
Distrito Federal Ceilândia Brasiliense Vanderlei (Brasiliense), 11 gols
Rio Grande do Norte ABC Coríntians João Paulo (ABC), 17 gols
Mato Grosso União Operário Paulinho Marília (Luverdense), 9 gols
Roraima Baré GAS Robermar (Náutico), 4 gols

XXXXXXXXXX
Campanha dos campeões 2010

Clube PG J V E D GP GC S Aprov. Artilheiro Técnico
Santos (SP) 56 23 18 2 3 72 31 41 81,2% Neymar (14 gols) Dorival Júnior
Botafogo (RJ) 47 19 15 2 2 44 26 18 82,5% Loco Abreu (11 gols) Joel Santana
Atlético (MG) 35 17 9 8 1 41 22 19 68,6% Fabiano (8 gols) Vanderlei Luxemburgo
Grêmio (RS) 50 21 16 2 3 45 20 25 79,4% Jonas (11 gols) Silas
Coritiba (PR) 49 20 15 4 1 42 14 28 81,7% Ariel (11 gols) Ney Franco
Atlético (GO) 41 22 12 5 5 57 25 32 62,1% Elias (12 gols) Geninho
Vitória (BA) 46 22 14 4 4 43 18 25 69,7% Júnior (12 gols) Ricardo Silva
Fortaleza (CE) 44 26 13 5 8 47 35 12 56,4% Betinho (11 gols) Zé Teodoro
Avaí (SC) 52 24 15 6 3 52 35 17 70,8% Leonardo (8 gols) Péricles Chamusca
Ceilândia (DF) 34 22 9 7 6 27 24 3 51,5% Dimba (8 gols) Adelson Almeida
ABC (RN) 41 20 12 5 3 50 24 26 68,3% João Paulo (17 gols) Leandro Campos
União (MT) 30 18 7 9 2 33 26 7 55,6% Valdir Papel (5 gols) Everton Goiano
Baré (RR) 16 6 5 1 0 18 5 13 88,9% Carlos Alberto (3 gols) Fábio Luiz

Maiores campeões estaduais (em azul os campeões de 2010)

São Paulo
Clube Títulos
Corinthians 26
Palmeiras 22
São Paulo 22
Santos 18
Rio de Janeiro
Clube Títulos
Flamengo 31
Fluminense 30
Vasco 22
Botafogo 19
Minas Gerais
Clube Títulos
Atlético-MG 40
Cruzeiro 36
América 15
Rio Grande do Sul
Clube Títulos
Internacional 39
Grêmio 36
Guarany de Bagé 2
Paraná
Clube Títulos
Coritiba 34
Atlético-PR 22
Ferroviário 8
Goiás
Clube Títulos
Goiás 22
Vila Nova 15
Goiânia 14
Atlético-GO 11
Bahia
Clube Títulos
Bahia 43
Vitória 26
Ypiranga 10
Ceará
Clube Títulos
Ceará 39
Fortaleza 39
Ferroviário 9
Santa Catarina
Clube Títulos
Avaí 15
Figueirense 15
Joinville 12
Distrito Federal
Clube Títulos
Gama 10
Brasília 8
Brasiliense 6
Ceilândia 1
Rio Grande do Norte
Clube Títulos
ABC 51
América-RN 32
Alecrim 7
Mato Grosso
Clube Títulos
Mixto 9
Operário 9
Sinop 3
União 1
Roraima
Clube Títulos
Atlético Roraima 19
Baré 9
São Raimundo 4


XXXXXXXXXX

Campanha dos campeões
Clube PG J V E D GP GC S Aprov. Artilheiro Técnico
Santos (SP) 56 23 18 2 3 72 31 41 81,2% Neymar (14 gols) Dorival Júnior
Botafogo (RJ) 47 19 15 2 2 44 26 18 82,5% Loco Abreu (11 gols) Joel Santana
Atlético (MG) 35 17 9 8 1 41 22 19 68,6% Fabiano (8 gols) Vanderlei Luxemburgo
Grêmio (RS) 50 21 16 2 3 45 20 25 79,4% Jonas (11 gols) Silas
Coritiba (PR) 49 20 15 4 1 42 14 28 81,7% Ariel (11 gols) Ney Franco
Atlético (GO) 41 22 12 5 5 57 25 32 62,1% Elias (12 gols) Geninho
Vitória (BA) 46 22 14 4 4 43 18 25 69,7% Júnior (12 gols) Ricardo Silva
Fortaleza (CE) 44 26 13 5 8 47 35 12 56,4% Betinho (11 gols) Zé Teodoro
Avaí (SC) 52 24 15 6 3 52 35 17 70,8% Leonardo (8 gols) Péricles Chamusca
Ceilândia (DF) 34 22 9 7 6 27 24 3 51,5% Dimba (8 gols) Adelson Almeida
ABC (RN) 41 20 12 5 3 50 24 26 68,3% João Paulo (17 gols) Leandro Campos
União (MT) 30 18 7 9 2 33 26 7 55,6% Valdir Papel (5 gols) Everton Goiano
Baré (RR) 16 6 5 1 0 18 5 13 88,9% Carlos Alberto (3 gols) Fábio Luiz
Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 29 de abril de 2010 Copa do Brasil, Copa Libertadores, Estatísticas, História | 13:04

É vantagem decidir o mata-mata em casa?

Compartilhe: Twitter

Há pouco tempo, a Conmebol definiu que os clubes de melhor campanha na fase de grupos têm a vantagem de decidir a vaga na fase de mata-mata em casa. Antigamente, pelo regulamento, havia um sorteio antes do início da competição e os clubes alternavam as decisões em casa e fora nas fases de oitavas-de-final, quartas-de-final, semifinal e final. Assim como é na Copa do Brasil e na Liga dos Campeões da Europa.

Mas jogar a segunda partida em casa é mesmo uma vantagem? Nessa semana, algumas partidas mostraram que não. Na Liga dos Campeões, Bayern e Internazionale praticamente garantiram suas vagas na decisão com o resultado de ida. O Bayern, com o 1 x 0 do primeiro jogo, foi para cima do Lyon e desmoronou o clube francês ao abrir o placar ainda no primeiro tempo. O Lyon sentiu o peso de ter que marcar três gols e morreu em campo. Já o Barcelona, mesmo com o apoio de quase 100 mil pessoas e com um super time, tinha uma tarefa dificílima de marcar dois gols na Inter.

Já na Libertadores, alguns clubes de melhor campanha na primeira fase já se complicaram bastante. O Vélez Sarsfield, que deixou o Cruzeiro para trás na fase de grupos, está praticamente eliminado com a derrota que sofreu para o Chivas por 3 x 0, no México. Se tivesse feito o primeiro jogo em Buenos Aires, muito provavelmente o resultado teria sido o inverso e o time viajaria para o México com a vaga quase garantida. O mesmo aconteceu com o Internacional. Com a derrota por 3 x 1 para o Banfield, o Colorado terá que vencer por três gols de diferença para garantir a vaga direta para as quartas-de-final sem precisar levar a decisão para a disputa por pênaltis. Já o Corinthians, se levar um gol do Flamengo, terá que marcar três para seguir adiante na Libertadores. No Pacaembu, cujo gramado não tem dimensões tão grandes, furar o bloqueio de um time fechado é bem complicado. Na estreia da Libertadores, o próprio Corinthians penou para virar o jogo sobre o fraco Racing-URU (2 x 1). Na primeira fase, o time de Mano Menezes também não venceu o Cerro Porteño-PAR e o Independiente Medellín-COL com larga vantagem de gols no Pacaembu.

Pela Copa do Brasil, os mandantes Vitória e Atlético-MG abriram vantagem, ontem, pelas quartas-de-final. O clube baiano, com o 2 x 0, praticamente se garantiu na semifinal. Um gol no jogo de volta obrigará o Vasco a marcar quatro. Já o Galo, joga pelo empate na Vila Belmiro. Não será fácil, mas pelo menos o time de Luxemburgo irá com vantagem.

No geral, porém, os números mostram que os clubes que decidem o jogo em casa, na Libertadores, costumam se dar melhor (57,4% contra 42,6% daqueles que decidem fora). Já na Copa do Brasil acontece o mesmo, porém, a diferença é um pouco menor: 53,4% x 46,6%.

Confira abaixo quem se deu melhor no mata-mata de Libertadores desde 1988, quando o torneio passou a contar com oitavas-de-final, quartas-de-final, semifinal e final, e da Copa do Brasil, desde 1989, nas mesmas fases:

Copa Libertadores

Competição Vitórias de quem decidiu em casa Vitórias de quem decidiu fora
Libertadores 2009 6 7
Libertadores 2008 7 8
Libertadores 2007 6 9
Libertadores 2006 10 5
Libertadores 2005 8 7
Libertadores 2004 9 6
Libertadores 2003 8 7
Libertadores 2002 10 5
Libertadores 2001 10 5
Libertadores 2000 10 5
Libertadores 1999 6 9
Libertadores 1998 7 8
Libertadores 1997 10 5
Libertadores 1996 12 3
Libertadores 1995 7 8
Libertadores 1994 11 4
Libertadores 1993 6 9
Libertadores 1992 9 6
Libertadores 1991 12 3
Libertadores 1990 8 6
Libertadores 1989 6 9
Libertadores 1988 9 5
Total 187 (57,4%) 139 (42,6%)

xxx

Copa do Brasil

Competição Vitórias de quem decidiu em casa Vitórias de quem decidiu fora
Copa do Brasil 2010 3 5
Copa do Brasil 2009 7 8
Copa do Brasil 2008 9 6
Copa do Brasil 2007 8 7
Copa do Brasil 2006 8 7
Copa do Brasil 2005 8 7
Copa do Brasil 2004 9 6
Copa do Brasil 2003 7 8
Copa do Brasil 2002 8 7
Copa do Brasil 2001 6 9
Copa do Brasil 2000 8 7
Copa do Brasil 1999 5 10
Copa do Brasil 1998 6 9
Copa do Brasil 1997 6 9
Copa do Brasil 1996 9 5
Copa do Brasil 1995 9 6
Copa do Brasil 1994 5 10
Copa do Brasil 1993 11 4
Copa do Brasil 1992 10 5
Copa do Brasil 1991 8 7
Copa do Brasil 1990 11 4
Copa do Brasil 1989 11 4
Total 172 (53,4%)
150 (46,6%)

xxx


Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 28 de abril de 2010 Confrontos, Copa do Brasil, Estatísticas, História | 02:40

Palpites e informações das quartas da Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Dois jogos abrem hoje as quartas-de-final da Copa do Brasil: Atlético-MG x Santos e Vitória x Vasco. Amanhã, mais dois confrontos: Palmeiras x Atlético-GO e Fluminense x Grêmio. A 22ª edição do torneio tem como grande atrativo a presença de oito clubes da primeira divisão entre os oito finalistas. Algo que aconteceu apenas cinco vezes, em 1989, 1995, 1996, 1998 e 2000.

Dos oito finalistas de 2010, apenas três já foram campeões: Grêmio (4 vezes), Palmeiras (1) e Fluminense (1). O Vasco foi finalista uma vez e os outros jamais chegaram à final. E dos quatro confrontos das quartas-de-final, apenas dois já aconteceram em edições anteriores: Vasco x Vitória (que repetem as quartas de 2009) e Grêmio x Fluminense, que já se enfrentaram em três edições.

Nessa fase, de quartas-de-final, Grêmio, Vasco, Santos e Palmeiras têm um desempenho mais favorável do que seus respectivos adversários (Fluminense, Vitória, Atlético-MG e Atlético-GO).

Confira abaixo as estatísticas das partidas e os palpites para esses jogos de ida:

Atlético-MG x Santos

Confrontos diretos na Copa do Brasil:
Nunca se enfrentaram anteriormente

Retrospecto nas quartas-de-final da Copa do Brasil em edições anteriores:
Atlético-MG (20 participações) – Chegou 11 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 2 (00 e 02) e foi elimiando em 9 (89, 90, 94, 95, 03, 05, 06, 07 e 08)
Santos (9 participações) – Chegou 4 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 2 (98 e 00) e foi elimiando em 2 (97 e 06)

Campanhas na Copa do Brasil de 2010:
ATLÉTICO-MG
(5 jogos, 4 vitórias, 1 derrota, 16 gols pró, 1 gol sofrido)
1ª fase  – Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG
2ª fase  – Chapecoense-SC 1 x 0 Atlético-MG
2ª fase  – Atlético-MG 6 x 0 Chapecoense-SC
Oitavas – Atlético-MG 1 x 0 Sport
Oitavas – Sport 0 x 2 Atlético-MG
Artilheiros: Obina (5 gols); Diego Tardelli (4 gols); Fabiano (3 gols); Júnior, Marques, Muriqui e Renan Oliveira (1 gol)

SANTOS (5 jogos, 4 vitórias, 1 derrota, 25 gols pró, 4 gols sofridos)
1ª fase  – Naviraiense-MS 0 x 1 Santos
1ª fase  – Santos 10 x 0 Naviraiense-MS
2ª fase  – Remo-PA 0 x 4 Santos
Oitavas – Santos 8 x 1 Guarani
Oitavas – Guarani 3 x 2 Santos
Artilheiros: Neymar (9 gols); André (5 gols); Robinho (3 gols); Madson e Marquinhos (2 gols); e Alex Sandro, Breinter, Marcel e Paulo Henrique Ganso (1 gol)

PALPITE: Empate. Confronto entre os dois clubes de melhor ataque da Copa do Brasil (Atlético-MG 16 gols, Santos 25 gols). O Galo vem embalado pela boa campanha no Campeonato Mineiro – está a um empate do título. Além disso, joga em casa, no Mineirão, e tem o técnico Luxemburgo disposto a acabar com a graça dos Meninos da Vila, que fracassaram sob seu comando em 2009. O Santos, que não terá o craque Neymar, também está bem próximo do título estadual. Sua prioridade no semestre, porém, é o inédito título da Copa do Brasil.

xxx

Vitória x Vasco

Confrontos diretos na Copa do Brasil:
4 jogos, 1 vitória do Vasco, 2 empates, 1 vitória do Vitória, 6 gols do Vasco, 3 gols do Vitória
1989 – Primeira fase
Vasco 0 x 0 Vitória
Vitória 2 x 1 Vasco

2009 – Quartas-de-final
Vasco 4 x 0 Vitória
Vitória 1 x 1 Vasco

Retrospecto nas quartas-de-final da Copa do Brasil em edições anteriores:
Vasco (19 participações) – Chegou 9 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 7 (93, 94, 95, 98, 06, 08 e 09) e foi elimiando em 2 (02 e 03)
Vitória (20 participações) – Chegou 7 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 1 (04) e foi elimiando em 6 (89, 91, 94, 98, 03 e 09)

Campanhas na Copa do Brasil de 2010:

VITÓRIA (6 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 1 derrota, 17 gols pró, 5 gols sofridos)
1ª fase  – Corinthians-AL 3 x 1 Vitória
1ª fase  – Vitória 4 x 0 Corinthians-AL
2ª fase  – Náutico 0 x 1 Vitória
2ª fase  – Vitória 5 x 0 Náutico
Oitavas – Vitória 4 x 0 Goiás
Oitavas – Goiás 2 x 2 Vitória
Artilheiros: Júnior (4 gols); Ramon (3 gols); Bida e Uelliton (2 gols); e Elksson, Nino Paraíba, Renato, Schwenck e Viáfara (1 gol)

VASCO (6 jogos, 4 vitórias, 2 empates, 9 gols pró, 4 gols sofridos)
1ª fase  – Sousa-PB 1 x 2 Vasco
1ª fase  – Vasco 0 x 0 Sousa-PB
2ª fase  – ASA-AL 1 x 1 Vasco
2ª fase  – Vasco 3 x 1 ASA-AL
Oitavas – Corinthians-PR 0 x 1 Vasco
Oitavas – Vasco 2 x 1 Corinthians-PR
Artilheiros: Elton (4 gols); e Carlos Alberto, Léo Gago, Magno, Philippe Coutinho e Tiago (1 gol)

PALPITE: Vitória. O clube baiano derrotou o rival Bahia na primeira decisão do estadual no último domingo e vem empolgado. Além disso, quer se vingar do Vasco, para quem foi eliminado nas quartas-de-final no ano passado. Na atual edição, o Vitória superou adversários mais complicados com goleadas. Já o Vasco, que fez uma campanha razoável no estadual (foi terceiro, mas não brigou diretamente pelo título), passou apertado por Sousa-PB e ASA-AL e não convenceu nas vitórias sobre o fraco Corinthians-PR. O clube carioca, porém, está invicto na Copa do Brasil.

xxx

Fluminense x Grêmio

Confrontos diretos na Copa do Brasil:
6 jogos, 2 vitórias do Grêmio, 2 empates, 2 vitórias do Fluminense, 7 gols do Grêmio, 7 gols do Fluminense
2001 – Oitavas-de-final
Grêmio 1 x 0 Fluminense
Fluminense 0 x 0 Grêmio

2004 – Oitavas-de-final
Fluminense 2 x 2 Grêmio
Grêmio 4 x 1 Fluminense

2005 – Oitavas-de-final
Fluminense 3 x 0 Grêmio
Grêmio 0 x 1 Fluminense

Retrospecto nas quartas-de-final da Copa do Brasil em edições anteriores:
Fluminense (13 participações) – Chegou 7 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 4 (92, 05, 06 e 07) e foi elimiando em 3 (00, 02 e 09)
Grêmio (17 participações) – Chegou 11 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 9 (89, 91, 93, 94, 95, 95, 96, 97 e 01) e foi elimiando em 2 (92 e 04)

Campanhas na Copa do Brasil de 2010:
FLUMINENSE
(5 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 9 gols pró, 3 gols sofridos)
1ª fase  – Confiança-SE 1 x 1 Fluminense
1ª fase  – Fluminense 2 x 0 Confiança-SE
2ª fase  – Uberaba-MG 0 x 2 Fluminense
Oitavas – Portuguesa 0 x 1 Fluminense
Oitavas – Fluminense 3 x 2 Portuguesa
Artilheiros: Fred (6 gols); Alan (2 gols); e Gum (1 gol)

GRÊMIO (5 jogos, 4 vitórias, 1 derrota, 12 gols pró, 5 gols sofridos)
1ª fase  – Araguaína-MT  1 x 3 Grêmio
2ª fase  – Votoraty-SP 0 x 1 Grêmio
2ª fase  – Grêmio 3 x 0 Votoraty-SP
Oitavas – Grêmio 3 x 1 Avaí
Oitavas – Avaí 3 x 2 Grêmio
Artilheiros: Jonas (5 gols); Borges (3 gols); Fábio Rochemback (2 gols); e Maylson e Rodrigo (1 gol)

PALPITE: Empate. O Fluminense vem de técnico novo, Muricy Ramalho, e conta com os gols do artilheiro Fred. Mas não terá o argentino Conca, destaque do meio-campo da equipe. Já o copeiro Grêmio, maior campeão da Copa do Brasil com 4 títulos, ao lado do Cruzeiro, luta para fazer uma boa campanha desde 2001, quando foi campeão. Desde então, não passou mais pelas quartas-de-final. O Tricolor gaúcho vem em alta após a vitória sobre o rival Inter, no Beira-Rio, por 2 x 0, na primeira final do Gauchão.

xxx

Palmeiras x Atlético-GO

Confrontos diretos na Copa do Brasil:
Nunca se enfrentaram anteriormente

Retrospecto nas quartas-de-final da Copa do Brasil em edições anteriores:
Palmeiras (14 participações) – Chegou 8 vezes às quartas-de-final. Classificou-se em 5 (92, 96, 97, 98 e 99) e foi elimiando em 3 (93, 00 e 04)
Atlético-GO (3 participações) – Nunca chegou às quartas-de-final.

Campanhas na Copa do Brasil de 2010:
PALMEIRAS
(6 jogos, 5 vitórias, 1 empate, 10 gols pró, 2 gols sofridos)
1ª fase  – Flamengo-PI 0 x 1 Palmeiras
1ª fase  – Palmeiras 4 x 0 Flamengo-PI
2ª fase  – Paysandu-PA 1 x 2 Palmeiras
2ª fase  – Palmeiras 1 x 0 Paysandu-PA
Oitavas – Palmeiras 1 x 0 Atlético-PR
Oitavas – Atlético-PR 1 x 1 Palmeiras
Artilheiros: Robert (4 gols); Lincoln (2 gols); e Diego Souza, Edinho, Ewerthon e Léo (1 gol)

ATLÉTICO-GO (5 jogos, 4 vitórias, 1 derrota, 9 gols pró, 2 gols sofridos)
1ª fase  – ASSU-RN 0 x 3 Atlético-GO
2ª fase  – Atlético-GO 2 x 0 Bahia
2ª fase  – Bahia 1 x 0 Atlético-GO
Oitavas – Santa Cruz 1 x 2 Atlético-GO
Oitavas – Atlético-GO 2 x 0 Santa Cruz
Artilheiros: Robston (4 gols); Marcão e Rodrigo Tiuí (2 gols); Erandir (1 gol)

PALPITE: Palmeiras. Após um campanha pífia no Paulistão, o Palmeiras se reanimou após desclassificar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pela Copa do Brasil. Invicto na competição, o time poderá contar com a estreia do experiente voltante Marcos Assunção, destaque do Prudente no estadual. Já o Atlético-GO, que eliminou os nordestinos ASSU, Bahia e Santa Cruz, chega pela primeira vez às quartas-de-final da Copa do Brasil. Virtual campeão goiano de 2010, o time deverá dar mais trabalho ao Palmeiras em Goiânia.

Ilustrações: Maurício Rito

xxx

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 Sem categoria | 11:12

Obina faz história na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Obina

Autor de 5 gols na vitória do Atlético-MG sobre o Juventus-AC por 7 x 0, ontem, o atacante Obina entrou para a históra da Copa do Brasil. Agora, ele é um dos três jogadores a marcar 5 gols em um único jogo na competição desde 1989. Obina, que pela primeira vez na carreira anotou 5 gols numa partida, igualou o feito de outra atleticano, Gérson, que em 1991 fez 5 gols no Caiçara-PI, na maior goleada da história da Copa do Brasil (Atlético-MG 11 x 0).

Outro atacante que também marcou 5 gols em uma única partida foi Viola, em 1999, quando atuava pelo Santos. O atacante também fez 4 gols num único jogo quando atuava pelo Palmeiras.

Confira abaixo os recordistas de gols em um único jogo na história da Copa do Brasil:

5 gols

Gérson (Atlético-MG)
28/2/1991
Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI

Viola (Santos)
10/3/1999
Santos 6 x 0 Sinop-MT

Obina (Atlético-MG)
24/2/2010
Juventus-AC 0 x 7 Atlético-MG

4 gols

Gilson (Grêmio)
24/3/1993
Grêmio 5 x 2 Sorriso-MT

Rudnei (Internacional)
6/4/1993
Internacional 9 x 1 Ji-Paraná-RO

Paulo Rink (Atlético-PR)
20/2/1997
CSA 2 x 6 Atlético-PR

Viola (Palmeiras)
15/4/1997
Ceará 2 x 5 Palmeiras

Romário (Flamengo)
9/4/1998
Flamengo 5 x 2 Vitória

Flávio (Juventude)
7/4/1999
Juventude 6 x 0 Fluminense

Washington (Ponte Preta)
21/3/2001
Ponte Preta 8 x 1 Castanhal-PA

Zé Carlos (Guarani)
22/3/2001
Guarani 4 x 1 Caxias-RS

Washington (Ponte Preta)
23/5/2001
Ponte Preta 5 x 2 Fortaleza

Gil Baiano (Brasiliense)
6/4/2002
Brasiliense 4 x 1 Confiança-SE

Luís Fabiano (São Paulo)
12/3/2003
São Paulo 6 x 0 São Raimundo-AM

Fred (Cruzeiro)
16/2/2005
Sergipe 0 x 7 Cruzeiro

Perea (Grêmio)
27/2/2008
Grêmio 6 x 0 Grêmio Jaciara-MT

Autor: Tags: , ,

sábado, 20 de fevereiro de 2010 Campeonatos Estaduais, Confrontos, Estatísticas, História | 18:57

Cruzeiro vence o Galo pela 12ª vez nos últimos 15 jogos

Compartilhe: Twitter

Leonardo Silva

A freguesia do Atlético-MG diante do seu rival Cruzeiro nos últimos anos continua. A Raposa venceu o Galo hoje à tarde, no Mineirão, conquistando assim sua 12ª vitória sobre o arquiinimigo nos últimos 15 jogos. De quebra, a equipe do técnico Adílson Batista tirou a invencibilidade do Atlético-MG de Vanderlei Luxemburgo. Nos outros três jogos, os clubes empataram dois e o Atlético venceu um, no último Brasileirão, quando o Cruzeiro poupou vários titulares em razão da final da Copa Libertadores.

No Mineirão, aliás, o Cruzeiro vem mantendo seu retrospecto favorável sobre o Atlético-MG. Em 216 jogos, foram 78 vitórias da Raposa, 69 do Galo e 69 empates. No geral, porém, o Atlético ainda mantém vantagem. Pelo números do Atlético-MG, são 191 vitórias do Galo contra 155 do Cruzeiro. Já pelas contas da Raposa, são 175 vitórias do Atlétic0-MG e 154 do Cruzeiro.

Confira a lista dos últimos 15 clássicos entre Cruzeiro e Atlético-MG:

Data Resultado Competição
20/02/2010 Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG Campeonato Mineiro
12/10/2009 Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
12/07/2009 Atlético-MG 3 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro
03/05/2009 Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG Campeonato Mineiro
26/04/2009 Cruzeiro 5 x 0 Atlético-MG Campeonato Mineiro
15/02/2009 Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG Campeonato Mineiro
17/01/2009 Cruzeiro 4 x 2 Atlético-MG Copa Bimbo
19/10/2008 Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
13/07/2008 Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
04/05/2008 Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG Campeonato Mineiro
27/04/2008 Cruzeiro 5 x 0 Atlético-MG Campeonato Mineiro
09/03/2008 Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG Campeonato Mineiro
16/09/2007 Cruzeiro 4 x 3 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
24/06/2007 Cruzeiro 4 x 2 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
06/05/2007 Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG Campeonato Mineiro
Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 27 de novembro de 2009 Campeonato Brasileiro | 12:58

O melhor e o pior cenário para os candidatos ao título

Compartilhe: Twitter

Apesar de embolado, o Campeonato Brasileiro poderá ser definido já no próximo domingo. Para isso, o São Paulo precisa vencer o Goiás e torcer por tropeços de Flamengo, Inter e Palmeiras. Porém, a chance dessa combinação acontecer é remota. O mais provável é que o Brasileirão seja definido mesmo na última rodada, assim como em 2004, 2005 e 2008.

Dos seis clubes que ainda lutam pelo título, a situação mais complicada é a dupla mineira Atlético-MG e Cruzeiro. Os rivais de Minas, além de precisarem vencer seus dois últimos jogos, torcem ainda por diversos tropeços dos concorrentes. Já o São Paulo é o único que pode ser campeão com suas próprias forças, sem depender de outros resultados.

Confira qual o melhor e o pior cenário para os concorrentes ao título do Brasileirão 2009 nessa 37ª e penúltima rodada:

SÃO PAULOsao-paulo

Melhor cenário
Vence o Goiás em Goiânia e torce por uma derrota do Flamengo diante do Corinthians e para que Inter e Palmeiras não ganhem seus jogos. Com esses resultados já garante o título nacional. O quarto seguido e o sétimo na história.

Pior cenário
Perde para o Goiás e cai para a quarta colocação. Isso, se Flamengo, Inter e Palmeiras vencerem seus jogos. Terminando assim a 37ª rodada, o tricolor teria chances mínimas de ganhar o título na última rodada, já que o Flamengo poderia até empatar o último jogo contra o Grêmio e o Inter precisaria de apenas uma vitória simples para superar o São Paulo no número de vitórias.

.

FLAMENGOflamengo

Melhor cenário

Vence o Corinthians em Campinas no domingo e torce por um tropeço do São Paulo, contra o Goiás. Assim, termina a rodada como líder e um ou dois pontos a frente do São Paulo. Assim, dependerá apenas de uma vitória simples contra o Grêmio, em casa, na última rodada para quebrar o jejum de 17 anos sem o título Brasileiro.

Pior cenário

Perde para o Corinthians, no domingo. Permanece com 61 pontos e pode perder o título já no final da rodada se o São Paulo ganhar do Goiás. Caso o São Paulo não ganhe e o Flamengo perca para o Corinthians, o rubro-negro pode ainda cair para a 4ª colocação e ter a vaga para a Libertadores ameaçada.

INTERNACIONALinternacional

Melhor cenário

Ganha do Sport na Ilha do Retiro, torce pela derrota do São Paulo e para o Flamengo não vencer o Corinthians. Assim, assume a liderança do Brasileiro e fica a apenas uma vitória do título. Ganhando do Santo André, em casa, na última rodada, supera o qualquer time no critério de desempate em caso de igualdade de pontos.

Pior cenário

Ver o São Paulo empatar ou ganhar do Goiás. Com 63 ou 65 pontos, dificilmente o São Paulo deixará de ganhar do Sport, no Morumbi, na última rodada. Assim, chegará a 66 ou 68, pontuação inatingível para o Colorado. O Inter ainda precisa secar o Flamengo, para ele não ganhar do Corinthians. Uma vitória do rubro-negro, domingo, deixaria o Inter com chances remotas de chegar ao título na última rodada.

PALMEIRASpalmeiras_blog

Melhor cenário

Precisa ganhar do Atlético-MG em casa e chegar aos 62 pontos. Torce ainda por uma derrota do São Paulo e para que Inter e Flamengo não vençam seus jogos. Se o São Paulo empatar contra o Goiás, o Palmeiras praticamente dá adeus ao título, já que na última rodada o tricolor pega o rebaixado Sport em casa e chegaria aos 66 pontos. Mesmo que ganhe seus dois últimos jogos, o Palmeiras alcança, no máximo, 65 pontos.

Pior cenário

Ver o São Paulo ganhar ou empatar do Goiás, ver o Flamengo vencer o Corinthians ou ver o Inter ganhar do Sport. Qualquer um desses resultados tira, praticamente, o Palmeiras da briga pelo título, já que todos os três rivais jogam a última rodada em casa e contra adversários teoricamente mais fáceis. O Palmeiras ainda enfrentará o Botafogo, que luta para não cair, no Rio de Janeiro.

ATLÉTICO-MGatletcio-mg_2009_01

Melhor cenário

Ganha do Palmeiras no Parque Antártica e torce por derrotas de São Paulo, Flamengo e Inter. Ainda assim, precisa ganhar o último jogo torcer por nova derrota do São Paulo e do Flamengo na última rodada. Tá muito complicado…

Pior cenário

Não ganha do Palmeiras no domingo. Assim, dá adeus ao título e briga por uma vaga na Libertadores. Se o São Paulo empatar ou o Flamengo ganhar do Corinthians, também está fora da briga pelo título.

CRUZEIROcruzeiro_blog

Melhor cenário

Ganha do Coritiba e torce para por derrotas de São Paulo, Flamengo e Inter. Na última rodada, ainda teria que torcer por tropeços de São Paulo e Flamengo. Como o rival Galo, está praticamente sem chances de ser campeão.

Pior cenário

Empata ou perde para o Coritiba no domingo. Assim, dá adeus ao título. Se o São Paulo empatar ou o Flamengo ganhar do Corinthians, também está fora da briga pelo título.

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 4 de outubro de 2009 Campeonato Brasileiro, História | 23:04

Atlético-MG pode voltar à Libertadores depois de 10 anos

Compartilhe: Twitter

Terceiro colocado no Brasileirão, o Atlético-MG continua na luta pelo título Brasileiro e muito próximo de uma vaga na Copa Libertadores de 2010. Se conseguir a classificação para o torneio sul-americano, o Galo irá garantir o retorno ao principal campeonato de clubes das Américas depois de 10 anos. Sua última participação foi em 2000, quando acabou eliminado pelo Corinthians nas quartas-de-final.

Esse período de 10 anos sem disputar uma edição da Libertadores é um dos maiores entre os grandes clubes brasileiros no momento. Dos 12 maiores clubes do país, apenas o Botafogo está há mais tempo sem participar da Libertadores (13 anos). Veja abaixo o tempo que cada clube já está sem disputar o torneio sul-americano.

Clube Anos
Náutico 41
Bangu 23
Guarani 21
Bahia 20
Criciúma 17
Botafogo 13
Atlético-MG 9
Juventude 9
Vasco 8
Paysandu 6
Coritiba 5
São Caetano 5
Atlético-PR 4
Santo André 4
Corinthians 3
Goiás 3
Paulista 3
Internacional 2
Paraná 2
Flamengo 1
Fluminense 1
Santos 1
Cruzeiro 0
Grêmio 0
Palmeiras 0
São Paulo 0
Sport 0

.

A boa campanha do Atlético-MG no Brasileirão de 2009 é também a melhor do time desde 2001, quando foi o 4º colocado. Na era dos pontos corridos, a melhor campanha do Galo foi em 2003 (7º lugar). Ficar entre os quatro primeiros colocados, aliás, é uma das marcas do Atlético-MG em Brasileiros. Até hoje, o clube mineiro já ficou 14 vezes entre os quatro primeiros desde 1971. Apenas o São Paulo, o maior campeão do torneio, já ficou mais vezes (15 no total). Confira quais os clubes que mais vezes ficaram no “G4” do Brasileirão desde 1971:

Clube Vezes
1º São Paulo 15 77/86/91/06/07/08 71/73/81/89/90 99/03/04 93
2º Atlético-MG 14 71 77/80/99 76/83/86/87/91/96 85/94/97/01
3º Internacional 13 75/76/79 87/88/05/06 72/78/80/97 73/74
4º Corinthians 12 90/98/99/05 76/94/02 93 71/72/82/84
5º Cruzeiro 10 03 74/75/98 73/89/95/00/08 87
Grêmio 10 81/96 82/08 84/90/02/06 88/00
Palmeiras 10 72/73/93/94 78/97 79/04/05/08
8º Fluminense 9 84 75/88/01 76/91/95/02/07
Santos 9 02/04 83/95/03/07 74/98 06
10º Vasco 8 74/89/97/00 79/84 92 78
11º Botafogo 6 95 72/92 71 81/89
Flamengo 6 80/82/83/87/92 07
13º Guarani 5 78 86/87 82/94
14º Atlético-PR 3 01 04 83
Coritiba 3 85 79 80
São Caetano 3 00/01 3
17º Bahia 2 88 90
Bragantino 2 91 92
Goiás 2 05 96
Portuguesa 2 96 98
Vitória 2 93 99
22º América-RJ 1 86
Bangu 1 85
Brasil-RS 1 85
Londrina 1 77
Operário-MS 1 77
Ponte Preta 1 81
Santa Cruz 1 75
Sport 1 87

.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 Campeonato Brasileiro, História | 17:51

O duelo de Flamengo e Atlético-MG nas arquibancadas

Compartilhe: Twitter

Além da briga pelo título Brasileiro e de uma vaga na Libertadores, Flamengo e Atlético-MG disputam, fora dos gramados, para ver quem ficará com a melhor média de público da competição. O Galo, com uma média de 36.684 torcedores por jogo, está, por enquanto, bem a frente do Flamengo, que conta com uma média de 27.908 torcedores por partida.

torcida Flamengo Atlético-MG

Maiores médias de público do Brasileirão 2009

Clube Média
Atlético-MG 36.684
Flamengo 27.908
São Paulo 23.020
Corinthians 19.995
Grêmio 19.843
Sport 18.825
Palmeiras 17.511
Cruzeiro 17.290
Internacional 17.052
Fluminense 15.441
Atlético-PR 15.405
Coritiba 14.579
Náutico 13.348
Vitória 12.822
Goiás 11.162
Botafogo 10.370
Avaí 10.306
Santos 8.210
Santo André 5.400
Barueri 3.574

.

Para o próximo domingo, os dois clubes de maior torcida no Brasileirão 2009 deverão encher seus estádios. No Maracanã, foram colocados 67.709 ingressos à venda para o clássico Fla-Flu. Porém, mesmo que a carga total de ingressos seja vendida, o recorde de público de um único jogo do Brasileirão não será quebrado, já que o maior público foi de 68.217 torcedores, no jogo Flamengo 2 x 1 Atlético-PR, no dia 31 de maio.

Maiores públicos do Brasileirão 2009

Público Jogo Data
68.217 Flamengo 2 x 1 Atlético-PR 31/05/2009
55.713 Atlético-MG 2 x 1 Fluminense 23/07/2009
54.184 Atlético-MG 2 x 0 São Paulo 16/07/2009
51.800 São Paulo 3 x 0 Cruzeiro 31/05/2009
51.526 Atlético-MG 1 x 1 Palmeiras 12/08/2009
51.091 Atlético-MG 0 x 1 Goiás 26/07/2009
48.652 Atlético-MG 1 x 1 Botafogo 05/07/2009
47.921 Flamengo 3 x 0 Coritiba 20/09/2009
41.772 Flamengo 1 x 1 Náutico 02/08/2009
41.083 São Paulo 0 x 0 Palmeiras 30/08/2009

.

O Atlético-MG, que tem a maior média de público, também não conseguirá quebrar o recorde do Flamengo dessa vez. Para o jogo contra o Barueri, no próximo domingo, foram colocados à venda 64.000 ingressos. A previsão do clube é que sejam vendidos 58.000. Até hoje, já foram vendidos quase 7.000.

Maiores públicos na história do Brasileirão

Ano Mandante Visitante Público
1971 Não disponível
1972 Vasco Flamengo 73.177
1973 Flamengo Cruzeiro 81.417
Vasco Olaria (rodada dupla)
1974 Vasco Internacional 118.777
1975 Fluminense Internacional 97.908
1976 Fluminense Corinthians 146.043
1977 Botafogo Atlético-MG 107.730
1978 Vasco Guarani 101.541
1979 Flamengo Palmeiras 112.047
1980 Flamengo Atlético-MG 154.335
1981 Botafogo Flamengo 135.487
1982 Flamengo Grêmio 138.107
1983 Flamengo Santos 155.523
1984 Fluminense Vasco 128.781
1985 Bangu Coritiba 91.527
1986 Atlético-MG Flamengo 107.497
1987 Flamengo Atlético-MG 118.162
1988 Bahia Fluminense 110.438
1989 São Paulo Vasco 71.552
1990 Corinthians São Paulo 100.858
1991 Fluminense Bragantino 74.781
1992 Botafogo Flamengo 122.001
1993 Palmeiras Vitória 88.644
1994 Atlético-MG Corinthians 82.938
1995 Flamengo Botafogo 74.114
1996 Cruzeiro Atlético-MG 87.649
1997 Vasco Flamengo 89.623
1998 Cruzeiro Portuguesa 90.482
1999 Flamengo Vasco 82.069
2000 Fluminense Flamengo 72.457
2001 Atlético-MG Palmeiras 76.000
2002 Corinthians Santos 74.952
2003 Cruzeiro Paysandu 73.141
2004 Atlético-MG São Caetano 50.650
2005 Corinthians Ponte Preta 64.937
2006 São Paulo Atlético-PR 68.237
2007 Flamengo Atlético-PR 82.044
2008 Flamengo Atlético-MG 77.387
2009 Flamengo Atlético-PR 68.217

.

Historicamente, Flamengo e Atlético-MG são os clubes que mais vezes tiveram as maiores médias de público no Brasileirão. Desde 71, o Flamengo já foi 12 vezes o campeão de público. Já o Atlético-MG teve o maior em 10 edições (11 extra-oficialmente, já que em 1971 não há registro de todos os públicos daquele ano).

Os clubes com as maiores médias de público na história do Brasileirão (em casa)

Ano Clube Média
1971 Não disponível
1972 Corinthians 40 719
1973 Flamengo 33 660
1974 Vasco 36 619
1975 Internacional 51 962
1976 Corinthians 47 729
1977 Atlético-MG 55 664
1978 Palmeiras 31 359
1979 Internacional 46 491
1980 Flamengo 66 507
1981 Flamengo 43 614
1982 Flamengo 62 436
1983 Flamengo 59 332
1984 Flamengo 38 543
1985 Bahia 41 497
1986 Bahia 46 291
1987 Flamengo 47 610
1988 Bahia 35 537
1989 Flamengo 21 300
1990 Atlético-MG 26 748
1991 Atlético-MG 26 763
1992 Flamengo 42 922
1993 Corinthians 37 330
1994 Atlético-MG 22 673
1995 Atlético-MG 21 072
1996 Atlético-MG 25 449
1997 Atlético-MG 23 342
1998 Cruzeiro 28 384
1999 Atlético-MG 42 322
2000 Fluminense 20 219
2001 Atlético-MG 30 679
2002 Fluminense 25 666
2003 Cruzeiro 26 366
2004 Corinthians 13 547
2005 Corinthians 27 330
2006 Grêmio 25 630
2007 Flamengo 39 221
2008 Flamengo 40 694
Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 6 de julho de 2009 Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 13:05

Atlético-MG tem a melhor média de público do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Com os mais de 48 mil torcedores que compareceram ao Mineirão para o jogo contra o Botafogo, ontem, o Atlético-MG passou a ser o clube com a melhor média de público do Brasileirão de 2009, superando o Flamengo. Vice-líder do campeonato, o Galo tem uma média de 32.602 torcedores por jogo contra 30.682 do Flamengo.

Ser o clube com a melhor média de público, porém, não é novidade para o Atlético-MG. Até hoje, na história do Brasileirão, o Galo já foi o campeão de público em 9 edições, a última delas em 2001. O clube mineiro só perde para o Flamengo, que já teve a melhor média de público em 11 edições.

Confira abaixo as melhores médias de público do Brasileirão de 2009 e também quem foram os clubes com as melhores médias em cada edição do Campeonato Brasileiro.

Média de Público no Brasileirão de 2009:

Clube Média de público
Atlético-MG 32.602
Flamengo 30.682
São Paulo 20.082
Fluminense 19.512
Sport 18.103
Grêmio 17.808
Internacioanal 17.456
Atlético-PR 15.554
Coritiba 14.683
Náutico 14.240
Palmeiras 13.343
Corinthians 11.602
Cruzeiro 11.360
Avaí 10.359
Vitória 10.282
Botafogo 9.622
Santos 8.604
Goiás 7.167
Santo André 4.515
Barueri 3.107

.

Clubes com as maiores médias de público na história do Brasileirão:

Ano Clube Média de público
1972 Corinthians 40 719
1973 Flamengo 33 660
1974 Vasco 36 619
1975 Internacional 51 962
1976 Corinthians 47 729
1977 Atlético-MG 55 664
1978 Palmeiras 31 359
1979 Internacional 46 491
1980 Flamengo 66 507
1981 Flamengo 43 614
1982 Flamengo 62 436
1983 Flamengo 59 332
1984 Flamengo 38 543
1985 Bahia 41 497
1986 Bahia 46 291
1987 Flamengo 47 610
1988 Bahia 35 537
1989 Flamengo 21 300
1990 Atlético-MG 26 748
1991 Atlético-MG 26 763
1992 Flamengo 42 922
1993 Corinthians 37 330
1994 Atlético-MG 22 673
1995 Atlético-MG 21 072
1996 Atlético-MG 25 449
1997 Atlético-MG 23 342
1998 Cruzeiro 28 384
1999 Atlético-MG 42 322
2000 Fluminense 20 219
2001 Atlético-MG 30 679
2002 Fluminense 25 666
2003 Cruzeiro 26 366
2004 Corinthians 13 547
2005 Corinthians 27 330
2006 Grêmio 25 630
2007 Flamengo 39 221
2008 Flamengo 40 694

* Não há registro da média de público de 1971.

.

Clubes que tiveram as maiores médias de público no Brasileirão:

Clube Vezes
Flamengo 11
Atlético-MG 9
Corinthians 5
Bahia 3
Cruzeiro 2
Fluminense 2
Internacional 2
Grêmio 1
Palmeiras 1
Vasco 1
Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 15 de junho de 2009 Campeonato Brasileiro, Campeonatos Estaduais, Estatísticas, História, Sem categoria, Técnicos, Uniformes | 16:24

Celso Roth: de novo um coelho de maratona?

Compartilhe: Twitter

Aos 51 anos, o técnico Celso Roth disputa seu 12º Brasileirão. Desde 1997, com exceção de 2006, esteve presente em todas as edições. Mas nunca foi campeão. Seu melhor desempenho foi no ano passado, pelo Grêmio, quando foi vice-campeão.

Desde o seu primeiro campeonato, em 1997, Roth vem se especializando em conquistar muitos pontos no início de trabalho. Seu começo é quase sempre muito bom. Depois, porém, seus times começam a cair de produção e, no final, acabam vendo os outros levarem a melhor. Será que agora o treinador acaba com essa sina de coelho de maratona pelo Atlético-MG, líder do Brasileirão?

Em 1997, Roth foi campeão gaúcho pelo Inter e começou o Brasileirão de forma arrasadora. Nos 13 primeiros jogos, venceu 9 e empatou 4. Depois, o time perdeu força e acabou a primeira fase na vice-liderança, atrás do Vasco. No quadrangular da fase semifinal, o Colorado ficou atrás de Palmeiras e Inter e acabou o torneio na terceira colocação.

Em 1998, o técnico ficou apenas três rodadas no Vitória e foi contratado pelo Grêmio. No tricolor gaúcho, ficou invicto nos oito primeiros jogos. Em seguida, caiu de produção. Ainda assim, levou o time à fase final. Mas acabou eliminado logo no primeiro mata-mata pelo Corinthians.

Em 1999, assim como em 2005, Roth não teve um bom início, fugindo um pouco de sua característica.

Em 2000, o Grêmio de Celso Roth venceu 6 e empatou 4 dos 12 primeiros jogos, chegando à liderança do torneio. Pouco depois, não manteve o ritmo e acabou na 10ª colocação na primeira fase. No mata-mata, o tricolor deixou para trás Ponte Preta, Sport, mas acabou eliminado pelo São Caetano na semifinal.

Em 2001, pelo Palmeiras, Roth também começou bem. Foram 8 vitórias, 2 empate e 2 derrotas nas 12 primeiras rodadas. Daí para frente, porém, o time caiu e não conseguiu a vaga para as quartas-de-final.

Em 2002, novamente pelo Inter, Roth ficou invicto nas 5 primeiras rodadas (venceu 3 jogos). O Colorado era líder, mas logo caiu pela tabela. No final, Roth acabou demitido há três rodadas do final e o Colorado brigou para não cair.

Em 2003, pelo Atlético-MG, Roth novamente começou bem. Depois de estrear com vitória sobre o Corinthians, no Pacaembu, por 3 x 0, o Galo empatou um jogo e venceu mais três. Esse foi o único período na história dos pontos corridos que o Atlético-MG chegou à liderança do Brasileirão (sem contar a atual rodada). Mas aí, como sempre, a equipe de Roth começou a cair. Foram 3 derrotas e um empate. Roth ficou até a 20ª rodada, antes de ser demitido e largar o Galo na 7ª colocação.

Em 2004, pelo Goiás, Roth não teve uma arrancada tão boa, porém, seu time chegou à 3ª colocação no final do primeiro turno. No returno, no entanto, o Goiás perdeu o fôlego e não conseguiu seguir próximos do líder e brigar pelo título. Assim, terminou na 6ª colocação. Esse, pelo menos, foi o terceiro campeonato brasileiro completo de Roth (antes ficou do início ao fim no Inter de 1997 e no Grêmio de 2000).

Em 2005, Roth não conseguiu bons resultados por Flamengo (1º turno) e Botafogo (2º turno). Nem mesmo a arrancada foi boa. No Flamengo, ganhou dois dos três primeiros jogos, mas depois 7 rodadas sem vitória. No Botafogo, também ganhou dois dos três primeiros jogos, mas na sequência ficou 8 jogos sem ganhar.

Coincidência ou não, o fraco desempenho de 2005 fez o técnico passar o ano seguinte sem treinar uma equipe.

Em 2007, Roth voltou a treinar uma equipe carioca, desse vez o Vasco. E novamente seu início foi muito bom. Nos 5 primeiros jogos, foram três vitórias e dois empates. Assim, na 5ª rodada, chegou à liderança. Foi a primeira e única rodada em que o Vasco ficou na ponta de tabela na história dos pontos corridos. Em seguida, claro, foram 3 derrotas consecutivas. No final, o Vasco terminou na 10ª colocação. Roth, mais uma vez, disputou o campeonato inteiro pelo mesmo clube.

Em 2008, o treinador assumiu Grêmio pela terceira vez e surpreendentemente levou o tricolor ao vice-campeonato brasileiro. Com um time que não era considerado dos melhores, Roth fez uma grande campanha. O Grêmio liderou o campeonato por 17 das 38 rodadas. Na virada do turno, porém, o time perdeu o pique e não conseguiu o título. Depois de vencer o São Paulo na primeira rodada do returno, o Grêmio chegou a abrir 11 pontos sobre o rival, que acabou campeão com 3 pontos de vantagem.

Nesse ano, Roth está invicto pelo Atlético-MG. Além de levar o time à liderança do Brasileirão, Roth quase conseguiu um milagre na Copa do Brasil. Pelas quartas-de-final, ele conseguiu vencer o Vitória por 3 x 0 no jogo de volta (o Galo havia perdido o jogo de ida também por 3 x 0, mas não sob o comando de Roth). Nos pênaltis, porém, o Atlético-MG acabou eliminado.

O Atlético-MG tem hoje a melhor invencibilidade entre os 20 participantes da Série A, com 8 partidas sem derrotas. Resta saber se o Galo manterá a boa fase ou se a equipe de Roth cairá de produção, como nas temporadas anteriores.

Celso Roth está próximo de se tornar o 10º técnico com jogos e vitórias em Brasileiros. Nessas listas, apenas ele, Levir Culpi e Abel Braga ainda não ganharam o título nacional. Roth, aliás, não conquista um troféu desde 2000, quando conquistou a Copa Nordeste, pelo Vitória. Antes disso, o treinador foi campeão Gaúcho (em 1997 e 1999) e da Copa Sul (1999).

Técnicos com mais vitórias pelo Brasileirão (1971-2009):

Técnico Vitórias
Vanderlei Luxemburgo 242
Emerson Leão 181
Telê Santana 175
Antônio Lopes 167
Carlos Alberto Silva 155
Levir Culpi 152
Ênio Andrade 151
Evaristo de Macedo 148
Muricy Ramalho 146
10° Geninho 145
11° Celso Roth 139

.

Técnicos com mais jogos pelo Brasileirão (1971-2009):

Técnico Período
Jogos
Vanderlei Luxemburgo 1983-2009
471
Antônio Lopes 1982-2008
425
Emerson Leão 1987-2008
402
Telê Santana 1971-1995
394
Geninho 1987-2008
372
Evaristo de Macedo 1972-2005
367
Ênio Andrade 1975-1995
361
Abel Braga 1985-2007
342
Nelsinho Baptista 1986-2008
328
10° Levir Culpi 1986-2005
325
11º Celso Roth 1997-2009
314
Autor: Tags: ,

sexta-feira, 24 de abril de 2009 Campeonatos Estaduais, Confrontos, Estatísticas, História, Sem categoria | 23:39

Vantagem histórica para Fla, Santos e Cruzeiro em finais

Compartilhe: Twitter

No próximo domingo, começarão as finais de três dos principais estaduais do Brasil: São Paulo, Rio e Minas. Os campeões, porém, só serão conhecido no outro domingo, dia 3 de maio. As decisões entre Corinthians x Santos, Flamengo x Botafogo e Atlético-MG x Cruzeiro não serão inéditas.

Em São Paulo, os rivais alvinegros já se enfrentam três vezes em decisões estaduais e o Santos leva vantagem com dois títulos (1935 e 1984). O Corinthians venceu apenas em 1930, ainda na era do amadorismo. Além disso, o clube praiano tem um título Brasileiro conquistado sobre o rival, em 2002.

Santos x Corinthians

Finais entre Santos e Corinthians em Campeonatos Paulistas:
1930
– 4/1/1931 – Santos 2 x 5 Corinthians
Campeão: Corinthians

1935 – 17/11/1935 – Corinthians 0 x 2 Santos
Campeão: Santos

1984 – 2/12/1984 – Santos 1 x 0 Corinthians
Campeão: Santos

Já no Rio de Janeiro, Flamengo e Botafogo farão a quinta final carioca da história entre as duas equipes. Cada clube tem dois títulos. O Botafogo em 1962 e 1989, quando quebrou o jejum de 21 anos sem títulos. Já o Flamengo ganhou os últimos dois campeonatos, em 2007 e 2008. Os rubro-negros conquistaram ainda um título Brasileiro em 1992 sobre o Botafogo. No confronto geral, jogo a jogo, o Fla também leva a melhor.

Botafogo x Flamengo

Finais entre Botafogo e Flamengo em Campeonatos Cariocas:
1962
– 15/12/1962 – Botafogo 3 x 0 Flamengo
Campeão: Botafogo

1989 – 21/6/1989 – Botafogo 1 x 0 Flamengo
Campeão: Botafogo

2007 – 29/4/2007 – Botafogo 2 x 2 Flamengo
2007 – 6/5/2007 – Flamengo 2 x 2 Botafogo (Nos pênaltis: Flamengo 4 x 2)
Campeão: Flamengo

2008 – 27/4/2008 – Flamengo 1 x 0 Botafogo
2008 – 4/5/2008 – Botafogo 1 x 3 Flamengo
Campeão: Flamengo

Em Minas Gerais, os dois maiores clubes do estado já fizeram 13 finais diretas. O Cruzeiro venceu oito (1967, 1972, 1977, 1987, 1990, 1998, 2004 e 2008) e o Atlético cinco (1962, 1976, 1985, 2000, 2007). A decisão de 2009 será uma espécie de tira-teima dos últimos dois campeonatos. Em 2007, o Galo ficou com o título e de quebra ganhou de 4 x 0 do rival na primeira final. Em 2008, a Raposa deu o troco. Venceu o primeiro jogo decisivo por 5 x 0 e ganhou o campeonato. E desde o 4 x 0 do Galo em 2007, só deu Cruzeiro. Nos últimos dez jogos, foram 9 vitórias da Raposa e apenas um empate.

Cruzeiro x Atletico

Finais entre Cruzeiro e Atlético-MG em Campeonatos Mineiros:
1962
– 10/2/1963 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG
1962 – 13/2/1963 – Atlético-MG 2 x 1 Cruzeiro
1962 – 15/2/1963 – Atlético-MG 2 x 1 Cruzeiro
Campeão: Atlético-MG

1967 – 14/1/1968 – Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG
1967 – 21/1/1968 – Cruzeiro 3 x 0 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

1972 – 7/9/1972 – Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

1976 – 27/3/1976 – Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro
1976 – 3/4/1976 – Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro
Campeão: Atlético-MG

1977 – 25/9/1977 – Atlético-MG 1 x 0 Cruzeiro
1977 – 2/10/1977 – Cruzeiro 3 x 2 Atlético-MG
1977 – 9/10/1977 – Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

1985 – 8/12/1985 – Atlético-MG 0 x 0 Cruzeiro
1985 – 11/12/1985 – Atlético-MG 2 x 2 Cruzeiro
1985 – 15/12/1985 – Atlético-MG 1 x 0 Cruzeiro
Campeão: Atlético-MG

1987 – 29/7/1987 – Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG
1987 – 2/8/1987 – Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

1990 – 3/6/1990 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

1998 – 7/6/1998 – Cruzeiro 3 x 2 Atlético-MG
1998 – 11/6/1998 – Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

2000 – 3/6/2000 – Atlético-MG 2 x 1 Cruzeiro
2000 – 8/6/2000 – Atlético-MG 1 x 1 Cruzeiro
Campeão: Atlético-MG

2004 – 11/4/2004 – Cruzeiro 3 x 1 Atlético-MG
2004 – 18/4/2004 – Atlético-MG 1 x 0 Cruzeiro
Campeão: Cruzeiro

2007 – 29/4/2007 – Atlético-MG 4 x 0 Cruzeiro
2007 – 6/5/2007 – Cruzeiro 2 x 0 Atlético-MG
Campeão: Atlético-MG

2008 – 27/4/2008 – Cruzeiro 5 x 0 Atlético-MG
2008 – 4/5/2008 – Cruzeiro 1 x 0 Atlético-MG
Campeão: Cruzeiro

Autor: Tags: , , , , , ,