Publicidade

Posts com a Tag Cuca

segunda-feira, 14 de maio de 2012 Campeonatos Estaduais | 13:50

As façanhas dos campeões estaduais de 2012

Compartilhe: Twitter

O futebol brasileiro conheceu ontem 13 novos campeões estaduais em 2012. Agora, já são 17 os campeões entre os 27 campeonatos disputados no país nesse primeiro semestre.

Desses campeões que saíram até agora, dois conquistaram o estadual pela primeira vez: o Cametá, do Pará, e o Aracruz, do Espírito Santo.

Já três foram bicampeões (Internacional, Santa Cruz e Ceará) e dois tricampeões (Santos e Coritiba).

Dos 17 campeões, apenas um foi invicto: o Atlético-MG.

Veja abaixo as principais façanhas dos campeões estaduais de 2012:

Santos (SP)

– Depois de 43 anos conquistou um tricampeonato no Paulistão.
– Igualou o Corinthians em número de tricampeonatos (três cada).
– Com Neymar, o Santos tornou-se o clube com mais artilheiros na história do Paulistão, superando o Corinthians (22 a 21)
– O zagueiro Durval conquistou o seu 10º título estadual consecutivo: Botafogo-PB (03), Brasiliense-DF (04), Atlético-PR (05), Sport (06, 07, 08, 09) e Santos (10, 11 e 12)
– O técnico Muricy Ramalho conquistou seu sétimo estadual: Náutico-PE (01 e 02), Internacional-RS (03 e 05), São Caetano-SP (04) e Santos (11 e 12)
– Igualou o São Paulo em número de títulos Paulista (20 a 20). O Corinthians lidera o ranking de títulos paulistas com 26, seguido pelo Palmeiras (22)
– Venceu 5 dos últimos 7 estaduais e ainda foi vice em um deles.
– O público de 53.749 torcedores da final de ontem foi o maior do Brasil nos Estaduais 2012.

Fluminense (RJ)
Conquistou seu 31º título Estadual. Agora está um atrás do Flamengo, o maior campeão Carioca, com 32 conquistas. O Vasco tem 22 e o Botafogo 19.
– Venceu seu quarto estadual nos últimos 20 anos (1995, 2002 e 2005)
– Assim como em 2005, o técnico Abel Braga deu o título do Fluminense. Abelão conquistou ainda o Carioca de 2004 com o Flamengo.
– Fred foi o artilheiro do Flu no Estadual com 7 gols. Na competição, os artilheiros foram Loco Abreu (Botafogo) e Alecsandro (Vasco), com 10 gols cada.
– O Vasco foi o clube que mais pontuou no Carioca de 2012 (41 pontos), o Botafogo conquistou 40 e o Flu, o campeão, 36 pontos.

Atlético (MG)
Conquistou o título de forma invicta, depois de 36 anos.
– Venceu o 100º campeonato mineiro da história.
– Não deixou o rival América levanta o título no seu centenário.
– O técnico Cuca venceu o seu terceiro estadual nos últimos quatro anos: Flamengo (2009), Cruzeiro (2011) e Atlético-MG (2012)
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Cruzeiro: 41 x 36.
– O atacante André foi o artilheiro do Galo no Mineiro com 10 gols. Ele ficou apenas um atrás de Wellington Paulista, do Cruzeiro, o goleador do campeonato.

Internacional (RS)
– Conquistou 7 dos últimos dez campeonatos gaúchos foram vencidos pelo Internacional.
– Aumentou para cinco a vantagem de títulos sobre o Grêmio: 41 x 36.
– O atacante Leandro Damião foi artilheiro pela segunda vez consecutiva. Algo que não ocorria no Gaúchão desde 1981, com Baltazar, do Grêmio.
– O técnico Dorival Júnior conquistou seu sexto título estadual em seis diferentes estádios: Figueirense-SC (04), Fortaleza-CE (05), Sport-PE (06), Coritiba-PR (08), Santos-SP (10) e Internacional-RS (12)

Bahia (BA)
– O Bahia quebrou um jejum de 11 anos sem título estadual, o maior de sua história. Nesse período, o tricolor viu o rival Vitória ganhar oito vezes o Campeonato Baiano.
– Como título, o Bahia segue bem na frente no ranking de títulos no Estado (44 a 26).
– O técnico Falcão, campeão gaúcho com o Inter em 2011, conquistou seu bi-Estadual.

Santa Cruz (PE)
– Na 22ª final entre Santa Cruz e Sport, o tricolor derrotou o Leão pela 10ª vez e faturou o título Estadual. O Sport ainda leva a vantagem com 12 conquistas.
– Com o bicampeonato estadual, ambos sob o comando do técnico Zé Teodoro.
– Esse é primeiro bi do Santa após 25 anos.
– Com o gol na final, Dênis Marques superou Marcelinho Paraíba e terminou como artilheiro do Pernambucano com 15 gols.
– O Santa Cruz tem agora 25 títulos estaduais contra 39 do Sport e 21 do Náutico.

Coritiba (PR)
– Esse foi o segundo tricampeonato da história do Coritiba.
– O técnico Marcelo Oliveira conquistou o seu segundo estadual título pelo Coritiba. Ele era o técnico do time campeão invicto de 2011. Em 2010, o técnico era Ney Franco.
– Os artilheiros do Coxa na campanha do tri foram os zagueiros Emerson e o meia Lincoln com 8 gols cada. O goleador da competição foi Baiano, do Operário, com 13 gols.
– O Coritiba venceu seis dos últimos dez Campeonatos Paranaenses. O Atlético-PR venceu dois, o Paraná um e o Paranavaí outro.
– O Coxa tem agora 36 títulos estaduais contra 22 do Atlético-PR.

Avaí (SC)
– Com a vitória sobre o Figueirense, o Avaí retormou a hegemonia do futebol catarinense. Agora, tem 16 títulos contra 15 do Figueirense. O Joinville tem 12 conquistas.
– O Avaí foi campeão com o técnico Hemerson Maria, que entrou como interino durante a competição.
– A derrota na final causou a queda do técnico Branco.
– O Figueirense venceu os dois turnos do Catarinense de 2012, mas perdeu as duas partidas da final.
– Os artilheiros da competição foram Aloísio (Figueirense) e Rafael Costa (Metropolitano), ambos com 14 gols. O artilheiro do Avaí foi Cléber Santana com 7 gols.

Goiás (GO)
– O Goiás, do técnico Enderson Moreira, acabou com o sonho do Atlético-GO em conquistar seu inédito tricampeonato.
– O Goiás tem agora 23 títulos estaduais contra 15 do Vila Nova, 14 do Goiânia e 12 do Atlético-GO.
– O artilheiro do Goiano 2012 foi Patric, do Vila Nova, com 14 gols. Pelo Goiás, o goleador foi Ricardo Goulart, ex-Inter, com 8 gols.

Ceará (CE)
O Ceará, do técnico PC Gusmão, bateu o rival Fortaleza e levou seu 41º título Cearense. O Fortaleza tem 39.
– O atacante Felipe Azevedo, que marcou o gol de empate na final e do título, terminou como o artilheiro da competição com 16 gols.

Cametá (PA)
O Cametá Sport Clube, da cidade de Cametá, conquistou pela primeira vez o título Paraense.
– Pelo segundo ano o Pará tem um novo campeão. Em 2011, foi a vez do Independente.
– O Cametá é o sexto clube a vencer o Paraense. Paysandu (44 títulos), Remo (42), Tuna Luso (10), União Esportiva (2), todos de Belém, e Independente de Tucuruí (1), são os outros campeões.
– O técnico Sinomar Naves, que no primeiro turno dirigiu o Remo, que acabou sendo vice-campeão, conquistou o seu terceiro título Paraense.
– Com o título, o Cametá ficou com a vaga do Pará na Série D do Brasileiro.

Campinense (PB)
O Campinense, de Campina Grande, goleou o Sousa por 4 x 0 e conquistou seu 18º título paraibano.
– Botafogo, com 25 conquistas, segue como o maior campeão.

CRB (AL)
– Depois de uma espera de 10 anos o CRB voltou a conquistar o Campeonato Alagoano.
– O campeão soma agora 26 títulos contra 37 do CSA e 7 do ASA, os maiores vencedores.
– Dois ex-jogadores do São Paulo estavam no time campeão: o atacante Aloísio Chulapa e o lateral-esquerdo Jadílson.

América (RN)
– O América voltou a ganhar o Campeonato Potiguar depois de 9 anos.
– Dirigido por Roberto Fernandes, o América estragou o sonho do tri do rival ABC.
– O América tem agora 33 títulos estaduais. O ABC, maior campeão, tem 52.

Aracruz (ES)
– Campeão estadual pela primeira vez, o clube de Aracruz derrotou o Conilon na decisão do Capixaba 2012.

Águia Negra (MS)
– Clube de Rio Brilhante, o Águia Negra levantou seu segundo título estadual – o outro foi em 2007.

Luverdense (MT)
– O clube da cidade de Lucas do Rio Verde conquistou seu segundo estadual (havia sido campeão em 2009).
– Edmar Damião, irmão de Leandro Damião foi campeão pelo Luverdense. Ele formou dupla de ataque com Valdir Papel.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 4 de maio de 2012 Copa do Brasil | 10:46

Relembre as eliminações do Atlético-MG na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Clube que mais vezes disputou a Copa do Brasil (23 participações em 24 edições, ao lado do  Vitória), o Atlético-MG é também o que mais acumula eliminações no torneio: caiu em todas as suas 23 tentativas de chegar à final.

Ontem, diante do Goiás, levou um gol no finalzinho da partida e deu adeus ao torneio já nas oitavas de final. A eliminação precoce foi a 7ª do Galo nas oitavas de final (havia caído anteriormente na mesma fase em 1991, 1992, 1996, 1997, 1998 e 2009). Até hoje, as melhores colocações do time foram as semifinais de 2000 e 2002. Em outras quatro Copas o Galo caiu na segunda fase (1999, 2001, 2004 e 2011). Já em dez oportunidades o time foi eliminado nas quartas de final (1989, 1990, 1994, 1995, 2003, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2010).

Diante do Goiás, o Atlético-MG sofreu sua quarta eliminação em 23 participações. O time goiano é o maior algoz do Galo na competição. Anteriormente, o Goiás passou pelo time mineiro nas edições de 1989, 1990 e 2001. Outros que já tiraram o Atlético-MG mais de uma vez do torneio foram: Botafogo (2007 e 2008), Criciúma (1991 e 1992) e Vasco (1994 e 1995).

Outra curiosidade da eliminação do Atlético-MG na Copa do Brasil é que essa foi a 9ª vez em 23 edições que o clube caiu diante de um adversário que não estava na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Além do Goiás em 2012, o Galo já foi eliminado pelo Criciúma (1991 e 1992), Bahia (1999), Sport (2003), Santo André (2004), Ceará (2005) e Grêmio Prudente (2011), todos que disputaram a Série B no mesmo ano. Além deles, o Atlético-MG foi eliminado ainda diante do Brasiliense na semifinal de 2002, clube que foi campeão da Série C naquele ano.

Já o técnico Cuca fracassou em sua sexta tentativa de ganhar a Copa do Brasil. Em 2000, não passou da primeira fase com o Avaí, diante do Caxias. Em 2002, caiu com o Criciúma na segunda fase contra a Portuguesa. Em 2005, quando dirigia o Flamengo, foi eliminado pelo Ceará nas oitavas. Em 2007 e 2008, levou o Botafogo à semifinal nas duas edições. Na primeira, perdeu para o Figueirense. Na segunda, caiu diante o Corinthians. Agora, em 2012, foi eliminado pelo Goiás.

Confira abaixo as campanhas do Atlético-MG em sua decepcionante história na Copa do Brasil:

Ano Fase PG J V E D GP GC Algoz Divisão
1989 Quartas 9 6 4 1 1 16 4 Goiás
1990 Quartas 8 6 3 2 1 11 4 Goiás
1991 Oitavas 4 4 2 0 2 12 2 Criciúma
1992 Oitavas 6 4 3 0 1 6 3 Criciúma
1994 Quartas 6 6 3 0 3 13 12 Vasco
1995 Quartas 11 6 3 2 1 8 6 Vasco
1996 Oitavas 6 4 2 0 2 6 8 Palmeiras
1997 Oitavas 5 4 1 2 1 7 7 Corinthians
1998 Oitavas 11 6 3 2 1 16 5 Paraná
1999 Segunda 4 3 1 1 1 4 2 Bahia
2000 Semifinal 5 6 0 5 1 8 11 São Paulo
2001 Segunda 4 3 1 1 1 9 5 Goiás
2002 Semifinal 12 10 4 0 6 17 17 Brasiliense
2003 Quartas 21 8 7 0 1 18 7 Sport
2004 Segunda 6 4 2 0 2 9 8 Santo André
2005 Quartas 14 7 4 2 1 17 8 Ceará
2006 Quartas 10 7 3 1 3 13 11 Flamengo
2007 Quartas 14 7 4 2 1 10 5 Botafogo
2008 Quartas 11 7 3 2 2 16 8 Botafogo
2009 Oitavas 10 5 3 1 1 12 5 Vitória
2010 Quartas 15 7 5 0 2 20 6 Santos
2011 Segunda 7 4 2 1 1 12 5 Grêmio Prudente
2012 Oitavas 9 4 3 0 1 10 4 Goiás

.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 10 de outubro de 2010 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História, Técnicos | 22:16

Cuca e o técnicos líderes na era dos pontos corridos

Compartilhe: Twitter

Com a vitória sobre o líder Fluminense, por 1 x 0, hoje à tarde, o Cruzeiro pegou a liderança do Brasileirão após 29 rodadas e comprovou sua força na competição. Campeã em 2003, a Raposa ruma ao bicampeonato com uma campanha muito regular. Principalmente desde a chegada do técnico Cuca, após a parada da Copa do Mundo.

Com o treinador, o Cruzeiro saltou do 11º lugar para a liderança em 22 rodadas, deixando Corinthians e Fluminense para trás. O aproveitamento de 68,2% de Cuca, é o segundo melhor do Brasileirão, atrás apenas de Mano Menezes, que deixou o Corinthians na 11ª rodada com 75% de aproveitamento.

Mas chegar à liderança do Brasileirão não é novidade para Cuca. Em 2004, ele levou o São Paulo ao primeiro lugar por duas rodadas no início da competição (5ª e 6ª rodada). Já em 2008, foi líder com o Botafogo em 12 rodadas do primeiro turno. Com mais essa rodada na liderança, Cuca chegou a 15 rodadas no topo na era dos pontos corridos, sendo assim o quarto técnico a ficar mais vezes no primeiro lugar desde 2003. A sua frente, Celso Roth (28 rodadas), Vanderlei Luxemburgo (campeão em 2003 e 2004, com 65 rodadas), e Muricy Ramalho. O atual técnico do Fluminense perdeu hoje a chance de alcançar sua 100ª rodada na liderança. Tricampeão com o São Paulo (2006, 2007 e 2008), Muricy conseguiu a proeza de liderar o Brasileirão por 99 rodadas e é até hoje o único a liderar pelo menos uma rodada em cada Brasileirão desde 2003.

Confira abaixo a lista dos técnicos que mais lideram o Brasileirão na era dos pontos corridos, desde 2003:

Técnico Rodadas na liderança Edições
Muricy Ramalho 99 8
Vanderlei Luxemburgo 65 4
Celso Roth 28 5
Cuca 15 3
Antônio Lopes 14 1
Caio Júnior 10 1
Levir Culpi 10 1
Mano Menezes 10 2
Osvaldo Alvarez 8 2
Paulo César Gusmão 7 2
Estevam Soares 6 1
Gallo 6 1
Márcio Bittencourt 6 1
Tite 5 1
Adílson Batista 4 2
Dorival Júnior 3 1
Ricardo Gomes 3 1
Vágner Benazzi 3 1
Abel Braga 2 1
Andrade 2 1
Nenê Santana 2 1
Osvaldo de Oliveira 2 1
Émerson Leão 1 1
Paulo César Carpegiani 1 1
Péricles Chamusca 1 1
Pintado 1 1
Roberto Fernandes 1 1

x

Os técnicos que lideraram o Brasileirão desde 2003:

2003
Técnico Clube Rodadas na liderança
Vanderlei Luxemburgo Cruzeiro 40
Muricy Ramalho Internacional 4
Celso Roth Atlético-MG 1
Émerson Leão Santos 1
2004
Técnico Clube Rodadas na liderança
Vanderlei Luxemburgo Santos 20
Levir Culpi Atlético-PR 10
Estevam Soares P. Preta (1) e Palmeiras (5) 6
Dorival Júnior Figueirense 3
Vágner Benazzi Criciúma 3
Cuca São Paulo 2 (5a e 6a)
Muricy Ramalho São Caetano 1
Celso Roth Goiás 1
2005
Técnico Clube Rodadas na liderança
Antônio Lopes Corinthians 14
Gallo Santos 6
Márcio Bittencourt Corinthians 6
Osvaldo Alvarez Ponte Preta 6
Paulo César Gusmão Botafogo 3
Muricy Ramalho Internacional 3
Abel Braga Fluminense 2
Nenê Santana Ponte Preta 2
2006
Técnico Clube Rodadas na liderança
Muricy Ramalho São Paulo 28
Paulo César Gusmão Cruzeiro 4
Vanderlei Luxemburgo Santos 3
Osvaldo de Oliveira Fluminense 2
Mano Menezes Grêmio 1
2007
Técnico Clube Rodadas na liderança
Muricy Ramalho São Paulo 22
Cuca Botafogo 12
Osvaldo Alvarez Atlético-PR 2
Pintado Paraná 1
Celso Roth Vasco 1
2008
Técnico Clube Rodadas na liderança
Celso Roth Grêmio 17
Caio Júnior Flamengo 10
Muricy Ramalho São Paulo 6
Adílson Batista Cruzeiro 2
Vanderlei Luxemburgo Palmeiras 2
Roberto Fernandes Náutico 1
2009
Técnico Clube Rodadas na liderança
Muricy Ramalho Palmeiras 19
Celso Roth Atlético-MG 8
Tite Internacional 5
Ricardo Gomes São Paulo 3
Andrade Flamengo 2
Paulo César Carpegiani Vitória 1
2010
Técnico Clube Rodadas na liderança
Muricy Ramalho Fluminense 16
Mano Menezes Corinthians 9
Adílson Batista Corinthians 2
Cuca Cruzeiro 1
Péricles Chamusca Avaí 1

x

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 20 de abril de 2010 Campeonatos Estaduais, Técnicos | 00:29

Cuca segue a sina dos técnicos demitidos pelo Flu

Compartilhe: Twitter

Clube com 107 anos de história, o Fluminense teve até hoje 96 treinadores. Na média, menos de um por ano. Nas últimas três décadas, porém, o clube tem se mostrado completamente intolerante com seus técnicos. Cuca, que levou o Tricolor à final da Copa Sul-Americana no ano passado e tirou inacreditavelmente o praticamente rebaixado Fluminense da Série B, não resistiu após a perda do Campeonato Carioca. Na Copa do Brasil, principal competição do clube no semestre, Cuca havia conquistado um ótimo resultado nas oitavas-de-final, vencendo o jogo de ida, contra a Portuguesa, fora de casa.

Em 2008, Cuca já havia sido demitido pelo próprio Fluminense. Com 30 vitórias, 17 empates e apenas 8 derrotas, o treinador conquistou 64,9% dos pontos em suas duas passagens pelo Tricolor. O melhor aproveitamento de um técnico do clube nessa década e um dos maiores da história do Flu (na verdade, o 20º melhor entre todos os técnicos efetivos).

Nos últimos 30 anos, entre 1980 e 2009, apenas em duas temporadas o Fluminense contou com um técnico do início ao final do ano: em 1995, com Joel Santana, e em 2005, com Abel Braga.

Confira abaixo a lista dos técnicos com os melhores aproveitamentos do Fluminense e a lista dos técnicos do Tricolor nas últimas três décadas.

Técnicos com os melhores aproveitamentos:

Técnico Período J V E D Aprov.
Ramon Platero 1919 18 17 0 1 94,4%
Fleitas Solich 1963 39 28 8 3 78,6%
Carlomagno 1936-1938 87 59 13 15 72,8%
Charles Williams 1911-1926 78 54 8 16 72,7%
Carlos Alberto Torres 1984-1994 27 17 7 3 71,6%
Procópio 1989 34 22 6 6 70,6%
José Duarte 1979 20 13 3 4 70,0%
Mario Travaglini 1976-1977 94 59 19 16 69,5%
Cláudio Garcia 1983 41 25 10 6 69,1%
Silvio Pirillo 1956-1958 179 112 35 32 69,1%
Admildo Chirol 1978-1979 36 21 10 5 67,6%
Quincey Taylor 1917-1936 122 75 22 25 67,5%
Zezé Moreira 1951-1963 502 304 95 103 66,9%
Arno Frank 1943 28 17 5 6 66,7%
Humberto Cabelli 1944-1945 23 14 4 5 66,7%
Didi 1975-1976 42 25 8 9 65,9%
Ondino Viera 1938-1949 264 158 47 59 65,8%
Hector Cabelli 1936-1945 35 19 12 4 65,7%
Eugenio Medgyessi 1927-1928 43 26 6 11 65,1%
Cuca 2008-2009 55 30 17 8 64,8%
Gradim 1951-1956 108 65 14 29 64,5%
Sebastião Araújo 1979-1988 31 17 9 5 64,5%
Gentil Cardoso 1945-1948 151 87 30 34 64,2%
Luis Henrique 1981-1984 34 19 8 7 63,7%
Paulo Amaral 1970-1972 102 57 24 21 63,7%
Ground Commité 1902-1916 161 92 30 39 63,4%
Jair Rosa Pinto 1975 7 4 1 2 61,9%
Paulo Emílio 1975-1990 125 65 33 27 60,8%
René Simões 2008-2009 21 11 5 5 60,3%
Dino Sani 1981-1982 31 15 10 6 59,1%
Robertinho 2002 29 15 6 8 58,6%
Telê Santana 1967-1989 114 58 26 30 58,5%
Oswaldo de Oliveira 2001-2006 77 38 21 18 58,4%
Alfredo González 1967 12 7 0 5 58,3%
Altair 1995-1998 30 15 7 8 57,8%
Ismael Kuntz 1988 18 8 7 3 57,4%
Luis Vinhaes 1929-1933 145 74 26 45 57,1%
Pode Pedersen 1920-1923 73 37 14 22 57,1%
Valdir Espinosa 1997-2004 111 52 34 25 57,1%
Abel Braga 2005 75 37 17 21 56,9%
Edinho 1991-1998 81 37 27 17 56,8%
Antoninho 1963 20 10 4 6 56,7%
Sergio Cosme 1988-1998 72 33 22 17 56,0%
Pinheiro 1971-1994 98 45 26 27 54,8%
Antônio Lopes 1986-2006 50 22 16 12 54,7%
Nelsinho Rosa 1979-1993 148 67 40 41 54,3%
Alexandre Gama 2004 24 11 6 7 54,2%
Zagallo 1971-1980 85 36 30 19 54,1%
Joel Santana 1995-2007 95 38 25 23 53,8%
Paulo Campos 2006 5 2 2 1 53,3%
Parreira 1974-2009 139 61 33 45 51,8%
Carbone 1983-1997 86 34 31 21 51,6%
Renato Gaúcho 1996-2009 184 78 47 59 50,9%
Artur Bernardes 1992 33 14 8 11 50,5%
Tim 1964-1967 180 76 43 61 50,1%
Roberto Pinto 1985 21 8 7 6 49,2%
Paulinho de Almeida 1982 17 7 4 6 49,0%
Jair Pereira 1996 37 16 6 15 48,7%
Othon Valentin 1989 11 3 7 1 48,5%
Gilson Nunes 1990-1991 42 17 10 15 48,4%
Duque 1973-1974 99 36 35 28 48,1%
Júlio César Leal 1997 17 6 6 5 47,1%
Otto Viera 1950-1951 58 21 18 19 46,5%
Ricardo Gomes 2004 34 12 11 11 46,1%
Lula 1982 21 8 5 8 46,0%
Evaristo de Macedo 1968-1990 43 17 8 18 45,7%
Arturzinho 1997 9 3 3 3 44,4%
Delei 1994-1998 24 7 11 6 44,4%
Hugo De León 1997 3 1 1 1 44,4%
Ivo Wortmann 2006 6 2 2 2 44,4%
Jorge Viera 1958-1996 16 6 3 7 43,8%
Atuel Velasquez 1943-1944 30 10 6 14 40,0%
Cláudio Duarte 1996 10 2 3 5 30,0%
Paulo César Gusmão 2006-2007 17 3 6 8 29,4%
Edu 1993 6 1 1 4 22,2%

a

a

Técnicos do Fluminense nos últimos anos:

1980 – Zagallo e Nelsinho Rosa
1981 – Nelsinho Rosa, Luís Henrique e Dino Sani
1982 – Dino Sani, Lula e Paulinho de Almeida
1983 – Cláudio Garcia e Carbone
1984 – Carbone, Carlos Alberto Parreira, Luís Henrique e Carlos Alberto Torres
1985 – Carlos Alberto Torres, Raul Carlesso (*), Roberto Pinto (*) e Nelsinho Rosa
1986 – Nelsinho Rosa, Lúcio Novelli (*), Vanderlei Luxemburgo (*) e Antônio Lopes
1987 – Antônio Lopes, Everaldo Antônio, Carbone e Sebastião Araújo
1988 – Sebastião Araújo, Ismael Kurtz e Sérgio Cosme
1989 – Sérgio Cosme, Othon Valentim, Procópio Cardoso e Telê Santana
1990 – Evaristo de Macedo, Paulo Emílio e Gílson Nunes
1991 – Gílson Nunes e Edinho
1992 – Arthur Bernardes e Sérgio Cosme
1993 – Edinho, Nelsinho Rosa e Edu Coimbra
1994 – Carlos Alberto Torres, Delei, Pinheiro e Altair (*)
1995 – Joel Santana
1996 – Jair Pereira, Jorge Vieira, Renato Gaúcho (*), Cláudio Duarte e Renato Gaúcho (*)
1997 – Júlio César Leal, Valdir Espinosa, Hugo de León, Carbone e Arturzinho
1998 – Edinho, Altair (*), Sérgio Cosme e Duílio (*)
1999 – Carlos Alberto Parreira
2000 – Carlos Alberto Parreira e Valdir Espinosa
2001 – Valdir Espinosa e Oswaldo de Oliveira
2002 – Oswaldo de Oliveira, Robertinho e Renato Gaúcho
2003 – Renato Gaúcho, Gilson Gênio (*), Joel Santana e Renato Gaúcho
2004 – Valdir Espinosa, Ricardo Gomes e Alexandre Gama
2005 – Abel Braga
2006 – Ivo Wortmann, Paulo Campos, Oswaldo de Oliveira, Josué Teixeira (*), Antônio Lopes e Paulo César Gusmão
2007 – Paulo César Gusmão, Joel Santana e Renato Gaúcho
2008 – Renato Gaúcho, Cuca e René Simões
2009 – René Simões, Carlos Alberto Parreira, Vinícius Eutrópio (*), Renato Gaúcho e Cuca
2010 – Cuca

(*) Interinos

a

Autor: Tags: ,