Publicidade

Posts com a Tag Flamengo

terça-feira, 10 de abril de 2012 Copa do Brasil, História | 08:59

Os clubes que mais eliminaram o jogo de volta na Copa do Brasil

Compartilhe: Twitter

Nesta semana, alguns grandes terão a chance de eliminar o jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil. Amanhã, Atlético-MG, Cruzeiro e São Paulo tentarão vencer por pelo menos dois de diferença para se garantirem nas oitavas de final sem a necessidade do volta. Na primeira fase, a dupla mineira já conseguiu essa feito. Assim, como Ceará, Ipatinga, Juventude, Paysandu, ABC, Bahia, Criciúma, Náutico e Sport. Na segunda fase, por enquanto, apenas o Palmeiras eliminou o segundo jogo. Amanhã e quinta estarão em campo também tentando a classificação antecipada o Bahia, o Vitória, o Paraná e Náutico.

Criada em 1989, a Copa do Brasil passou a contar com essa regra de eliminar o jogo de volta em 1995. Naquele ano, porém, os clubes precisam de três gols de diferença para garantirem a classificação antecipada. E apenas o São Paulo, que bateu o Náutico por 4 x 1 nos Aflitos, conseguiu avançar naquela edição. No ano seguinte, 1996, a regra passou a valer para quem ganhasse por dois de diferença. Porém, só para a fase preliminar e primeira fase. Já a partir de 1999, quando o torneio passou a contar com 64 clubes, o regulamento passou a permitir a eliminação na primeira e na segunda fase.

Desde então, apenas oito clubes conseguiram eliminar os dois jogos de volta (na primeira e na segunda fase), em uma só edição: São Paulo (1999), Flamengo (2001, 2009 e 2011), Corinthians (2004 e 2009), Cruzeiro (2006), Goiás (2008 e 2011), Palmeiras (2008), Internacional (2008) e Vasco (2009).

No geral, o Corinthians é o clube que mais vezes eliminou o jogo de volta na história da competição (11 vezes). Veja a lista de quem conseguiu eliminar o segundo jogo na Copa do Brasil:

Clube Vezes
Corinthians 11
Flamengo 10
Atlético-MG 9
Cruzeiro 8
Vasco 8
Atlético-PR 7
Goiás 7
Palmeiras 7
Botafogo 6
Fluminense 6
Internacional 6
São Paulo 6
Bahia 5
Juventude 5
Fortaleza 4
Santos 4
Sport 4
Ceará 3
Coritiba 3
Grêmio 3
Náutico 3
Portuguesa 3
Santa Cruz 3
Vila Nova 3
Vitória 3
América-MG 2
Avaí 2
Brasiliense 2
Criciúma 2
Gama 2
Guarani 2
Ipatinga 2
Paraná 2
Paysandu 2
São Caetano 2
ABC 1
Americano 1
Atlético-GO 1
Caxias 1
Figueirense 1
Iraty 1
Juventus-AC 1
Moto Clube 1
Nacional-AM 1
Noroeste 1
Remo 1
Santo André 1
Uberaba 1
Volta Redonda 1
Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 20 de março de 2012 Copa Libertadores | 10:49

Libertadores poderá ter recorde de seis brasileiros nas oitavas

Compartilhe: Twitter

A Copa Libertadores da América de 2012 já completou metade dos jogos da segunda fase (de grupos). Nesse primeiro turno dos jogos de cada grupo, os clubes brasileiros, com seus fortes e milionários elencos – se comparados aos outros clubes sul-americanos -, seguem muito bem. O Fluminense, com 100% de aproveitamento, é o melhor colocado no geral. Internacional e Flamengo lideram seus grupos, enquanto Santos, Corinthians e Vasco estão na segunda colocação, podendo já assumir a liderança em seus grupos na próxima rodada.

Caso confirmem essas posições, os representantes brasileiros dessa Libertadores poderão estabelecer um novo recorde na competição. Afinal, até hoje, em nenhuma vez seis clubes de um mesmo país avançaram para as oitavas de final. Desde 2000, quando a Conmebol inchou o torneio e passou a dar cinco vagas para brasileiros e argentino e mais três vagas para o restante dos países da da América do Sul mais o México, o máximo que se viu foram cinco clubes de um mesmo país. Em 2006, 2008, 2009, 2010 e 2011, cinco brasileiros ficaram entre os 16 primeiros. Já os argentinos conseguiram apenas uma vez colocar cinco representantes, em 2008.

Relembre quantos clubes brasileiros e argentinos passaram para as oitavas de final desde 2000. Entre parênteses os clubes eliminados:

Ano Brasileiros Argentinos
2000 4 (2) 3 (1)
2001 4 3 (2)
2002 2 (2) 2 (3)
2003 4 3 (2)
2004 4 (1) 3 (2)
2005 4 (1) 3 (2)
2006 5 (1) 4 (1)
2007 4 (1) 2 (3)
2008 5 5 (1)
2009 5 2 (3)
2010 5 3 (3)
2011 5 (1) 2 (3)

.

Caso também os clubes sigam nas mesmas colocações que terminaram essa primeira metade da fase de grupos, os confrontos das oitavas de final colocaria dois brasileiros frente a frente (Flamengo x Santos). Numa hipotética quartas de final, o Corinthians pegaria o Boca Juniors, enquanto Inter e Vasco se enfrentariam em outro jogo. Já o Fluminense esperaria o vencedor de Fla e Santos. Confira:

Oitavas de final
Fluminense x Bolívar-BOL A
Atl. Nacional-COL x Boca Juniors-ARG B
Cruz Azul-MEX x Vasco C
Libertad-PAR x Olimpia-PAR D
Unión Española-CHI x Deportivo Quito-EQU E
Internacional x Univ. de Chile-CHI F
Vélez Sarsfield-ARG x Corinthians G
Flamengo x Santos H
Quartas de final
Vencedor A x Vencedor H S1
Vencedor B x Vencedor G S2
Vencedor C x Vencedor F S3
Vencedor D x Vencedor E S4
Semifinal
Vencedor S1 x Vencedor S4
Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais, Confrontos | 09:19

As maiores freguesias nos clássicos estaduais

Compartilhe: Twitter

A rodada desse último final de semana nos campeonatos estaduais contou com quatro clássicos bem curiosos e emocionantes. Pelo Paulistão, o Corinthians voltou a vencer o São Paulo (1 x 0, gol de Danilo, o terceiro sobre o ex-clube). A vitória corintiana foi a nona sobre o rival nos últimos 15 jogos, sendo seis vitórias consecutivas no Pacaembu. Nesse período, o São Paulo venceu apenas um jogo (aquele em que Rogério Ceni marcou seu 100º gol na carreira).

No Rio de Janeiro, o Vasco virou para cima do Fluminense num jogo polêmico, marcado pelos erros do árbitro Antônio Schneider, que não marcou um pênalti claro para o tricolor e ainda distribuiu oito amarelos e dois vermelhos para jogadores do Flu. Com esse resultado, o Fluminense chegou a 11 clássicos sem vitória no Rio. O último triunfo tricolor em clássicos foi em novembro de 2010, quando bateu o Vasco por 1 x 0.

Já na Bahia, o clássico Ba-Vi terminou empatado em 0 x 0, na estreia do técnico Falcão pelo tricolor. O jogo, aliás, marcou o confronto entre dois craques da Seleção Brasileira da Copa de 1982 (Falcão x Cerezo). Realizada no estádio Pituaçu, a partida teve um público de 29.388 torcedores, o maior entre os clássicos do domingo (em São Paulo foram pouco mais de 26 mil, no Rio menos de 8 mil). Pelo Campeonato Cearense, o Ceará vencia o clássico contra o Fortaleza até os 43 minutos do segundo tempo, quando levou o empate e depois a virada, aos 48 minutos. Com o resultado, o Fortaleza tomou a ponta da tabela.

Com esses resultados, Corinthians e Vasco ampliaram seus bons retrospectos diante dos rivais na história dos clássicos. O Corinthians aumentou para 24 o número de vitórias a mais sobre o rival (8,6% a mais no total dos jogos). Já o Vasco chegou a 18 vitórias a mais do que o Flu. Até hoje, porém, essas não são as maiores freguesias nos clássicos estaduais. Em São Paulo, os três grandes da capital levam ampla vantagem sobre o Santos. Em termos de diferença na porcentagem de vitórias nos clássicos estaduais as maiores são: Vasco x Botafogo (17,9%), Palmeiras x Santos (11,8%), Bahia x Vitória (9,5%), São Paulo x Santos (8,6%), Corinthians x Santos (8,6%) e Corinthians x São Paulo (8,1%).

Confira abaixo o retrospecto atualizado dos principais clássicos do país e a diferença de vitórias entre eles.

São Paulo
Jogos Palmeiras empates Santos Diferença
297 127 78 92 35
porcentagem 42,8% 26,3% 31,0% 11,8%
Jogos Corinthians empates Santos Diferença
303 122 85 96 26
porcentagem 40,3% 28,1% 31,7% 8,6%
Jogos São Paulo empates Santos Diferença
268 114 63 91 23
porcentagem 42,5% 23,5% 34,0% 8,6%
Jogos Corinthians empates São Paulo Diferença
296 113 92 89 24
porcentagem 38,2% 31,1% 30,1% 8,1%
Jogos São Paulo empates Palmeiras Diferença
286 100 92 94 6
porcentagem 35,0% 32,2% 32,9% 2,1%
Jogos Palmeiras empates Corinthians Diferença
338 121 102 115 6
porcentagem 35,8% 30,2% 34,0% 1,8%

x
x

Rio de Janeiro
Jogos Vasco empates Botafogo Diferença
319 140 96 83 57
porcentagem 43,9% 30,1% 26,0% 17,9%
Jogos Vasco empates Fluminense Diferença
347 133 99 115 18
porcentagem 38,3% 28,5% 33,1% 5,2%
Jogos Flamengo empates Botafogo Diferença
339 121 113 105 16
porcentagem 35,7% 33,3% 31,0% 4,7%
Jogos Flamengo empates Fluminense Diferença
383 136 126 121 15
porcentagem 35,5% 32,9% 31,6% 3,9%
Jogos Flamengo empates Vasco Diferença
372 141 102 129 12
porcentagem 37,9% 27,4% 34,7% 3,2%
Jogos Fluminense empates Botafogo Diferença
330 119 101 110 9
porcentagem 36,1% 30,6% 33,3% 2,7%

x
x

Minas Gerais
Jogos Atlético-MG empates Cruzeiro Diferença
471 191 123 157 34
porcentagem 40,6% 26,1% 33,3% 7,2%
Rio G. do Sul
Jogos Internacional empates Grêmio Diferença
389 146 121 123 23
porcentagem 37,5% 31,1% 31,6% 5,9%
Bahia
Jogos Bahia empates Vitória Diferença
442 177 130 135 42
porcentagem 40,0% 29,4% 30,5% 9,5%
Paraná
Jogos Coritiba empates Atlético-PR Diferença
348 133 106 109 24
porcentagem 38,2% 30,5% 31,3% 6,9%
Ceará
Jogos Ceará empates Fortaleza Diferença
536 180 189 167 13
porcentagem 33,6% 35,3% 31,2% 2,4%

x
x

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 12:23

Qual grande está há mais tempo sem perder dos pequenos

Compartilhe: Twitter

Nessa semana, algumas zebras aparecem nos principais estaduais do Brasil. No Rio, o Fluminense caiu, de virada, diante do Boavista. Em São Paulo, Santos e São Paulo ficaram apenas no empate, ontem, e viram o Corinthians assumir a liderança isolada da competição. Em Pernambuco, o Sport, que havia vencido o clássico diante do Sport, foi derrotado pelo Salgueiro. No Sul, a dupla Grêmio e Inter, que se enfrentarão no domingo, já perderam duas partidas nesse Gauchão.

Entre esses principais estaduais (SP, RJ, RS, MG, PR, BA e PE), apenas quatro clubes mantêm uma boa invencibilidade diante dos pequenos. O Coritiba é o clube que carrega a maior sequência sem derrota diante das zebras do interior. Campeão invicto em 2011, o Coxa não perde para um pequeno há 39 jogos. Sua última derrota foi no dia 19 de abril de 2009, para o Iraty. Líder com 100% de aproveitamento esse ano, o Coritiba vem também com uma sequência de 18 vitórias consecutivas no Estadual.

Outro clube que está há um bom tempo sem perder para os pequenos é o Atlético-MG. Com a vitória sobre o Boa, na estreia do Mineiro, o Galo chegou a marca de 38 jogos sem derrota para outro clube do estado que não seja Cruzeiro ou América-MG. A última vez em que foi derrota para um pequeno foi em 2008, no dia 6 de abril, quando caiu diante do Guarani (3 x 2).

No Rio de Janeiro, Botafogo e Flamengo, os últimos campeões do Estado, não são derrotados para um pequeno no Estadual desde 2009 e a mais de 30 jogos.

Confira quais são as maiores invencibilidades dos grandes contra os pequenos nos principais campeonatos estaduais do Brasil:

Clube Jogos sem perder última derrota
Coritiba 39 Iraty 1 x 0, dia 19/4/2009
Atlético-MG 38 Guarani 3 x 2, dia 6/4/2008
Botafogo 36 Volta Redonda 2 x 1, dia 5/2/2009
Flamengo 33 Resende 3 x 1, dia 21/2/2009
Cruzeiro 11 Ipatinga 3 x 1, dia 18/4/2010
Atlético-PR 9 Operário 2 x 0, dia 19/3/2011
Santos 9 Bragatina 2 x 1, dia 19/3/2011
Vasco 9 Macaé 3 x 1, dia 4/3/2011
São Paulo 8 Paulista 3 x 2, dia 23/3/2011
Corinthians 6 São Caetano 2 x 1, dia 10/4/2011
Palmeiras 5 Ponte Preta 2 x 1, dia 17/4/2011
Vitória 5 Bahia de Feira 2 x 1, dia 15/5/2011
Náutico 4 América 4 x 2, dia 10/4/2011
Bahia 3 Bahia de Feira 1 x 0, dia 22/1/2012
Grêmio 1 Juventude 2 x 1, dia 29/1/2012
Internacional 1 Cerâmica 3 x 2, dia 26/1/2012
Santa Cruz 1 Araripina 2 x 0, dia 28/1/2012
Fluminense 0 Boavista 2 x 1, dia 1/2/2012
Sport 0 Serrano 2 x 1, dia 1/2/2012

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 Copa Libertadores | 15:20

Flu tem o elenco mais "copeiro" dos brasileiros da Libertadores 2012

Compartilhe: Twitter

Nos últimos anos, participar da Copa Libertadores tem sido uma constante para os grandes do futebol brasileiro. Dos seis participantes de 2012, quatro estiveram na última edição. Já o Flamengo, ausente em 2011, participou em 2010. Já o Vasco é o único que retorna à disputa após um longo período (jogou pela última vez em 2001).

Sem perder tantos jogadores e reforçados com atletas sul-americanos, esses representantes brasileiros estão contando cada vez mais com jogadores com experiência na Libertadores. Algo que não existia, por exemplo, nas décadas de 60, 70, 80 e até início dos anos 90, quando muitos elencos eram formados basicamente por jogadores estreantes na competição.

Em 2012, dos 25 prováveis jogadores de cada um dos seis clubes (150 no total), 69, quase metade,  já disputaram uma Libertadores anteriormente. E mais, 32já foram campeões. O Fluminense é o clube com mais jogadores com experiência no torneio sul-americano (17), seguido por Inter (16), Santos (15), Corinthians (14), Flamengo (12) e Vasco (11).

Até os treinadores carregam bastante experiência. Muricy Ramalho, campeão em 2011, vem para a sua 7ª Libertadores, assim como Vanderlei Luxemburgo. Já Abel Braga, campeão em 2006, disputará sua quarta Copa, enquanto Tite vai para a sua quinta participação. Apenas Dorival Júnior e Cristóvão Borges estão estreando.

Veja abaixo quem são os jogadores de Corinthians, Flamengo, Fluminense, Internacional, Santos e Vasco que já jogaram pela Libertadores e quantas edições cada um disputou:

Fluminense (17)
Diego Cavalieri (goleiro) – 1
Ricardo Berna (goleiro) – 1
Leandro Euzébio (zagueiro) – 1
Gum (zagueiro) – 1
Carlinhos (lateral-esquedo) – 2
Diguinho (volante) – 1
Edinho (volante) – 3 (campeão em 2006)
Valencia (volante) – 2
Jean (volante) – 2
Deco (meia) – 2
Souza (meia) – 6 (campeão em 2005)
Thiago Neves (meia) – 1
Wagner (meia) – 2
Fred (atacante) – 1
Rafael Moura (atacante) – 1
Rafael Sóbis (atacante) – 3 (campeão em 2006 e 2010)
Araújo (atacante) – 1

.

Santos (16)
Rafael (goleiro) – 1 (campeão em 2011)
Durval (zagueiro) – 3 (campeão em 2011)
Edu Dracena (zagueiro) – 2 (campeão em 2011)
Bruno Rodrigo (zagueiro) – 1 (campeão em 2011)
Léo (lateral-esquerdo) – 4 (campeão em 2011)
Pará (lateral) – 1 (campeão em 2011)
Adriano (volante) – 2 (campeão em 2011)
Arouca (volante) – 3 (campeão em 2011)
Henrique (volante) – 4
Ganso (meia) – 1 (campeão em 2011)
Elano (meia) – 3 (campeão em 2011)
Ibson (meia) – 1
Felipe Anderson (meia) – 1 (campeão em 2011)
Neymar (atacante) – 1 (campeão em 2011)
Borges (atacante) – 4
Rentería (atacante) – 2 (campeão em 2006)

.

Internacional (15)
Renan (goleiro) – 2 (campeão em 2006 e 2010)
Nei (lateral-direito – 2 (campeão em 2010)
Bolívar (zagueiro) – 3 (campeão em 2006 e 2010)
Índio (zagueiro) – 4 (campeão em 2006 e 2010)
Kléber (lateral-esquerdo) – 6 (campeão em 2010)
Guiñazu (volante) – 5 (campeão em 2010)
Tinga (volante) – 6 (campeão em 2006 e 2010)
Bolatti (volante) –  1
Sandro Silva (volante) – 1
D’Alessandro (meia) – 6 (campeão em 2010)
Dátolo (meia) – 3 (campeão em 2007)
Oscar (meia) – 2
Leandro Damião (atacante) – 2 (campeão em 2010)
Dagoberto (atacante) – 5
Marcos Aurélio (atacante) – 1

Corinthians (14)
Júlio César (goleiro)  – 2
Alessandro (lateral-direito) – 3
Chicão (zagueiro) – 2
Leandro Castan (zagueiro) – 1
Fábio Santos (lateral-esquerdo) – 4 (campeão em 2005)
Ralf (volante) – 2
Paulinho (volante) – 1
Ramírez (volante) – 5
Alex (meia) – 2 (campeão em 2006)
Danilo (meia) – 5 (campeão em 2005)
Liédson (atacante) – 1
Adriano (atacante) – 2
Emerson (atacante) – 1
Jorge Henrique (atacante) – 3

.

Flamengo (12)
Felipe (goleiro) – 1
Leonardo Moura (lateral-direito) – 4
David (zagueiro) – 1
Marcos González (zagueiro) – 2
Júnior César (lateral-esquerdo) – 2
Willians (volante) – 1
Maldonado (volante) – 4
Renato (meia) – 2
Bottinelli (meia) – 1
Ronaldinho Gaúcho (atacante) – 1
Vágner Love (atacante) – 1
Deivid (atacante) – 1

..

Vasco (11)
Fernando Prass (goleiro) – 1
Rodolfo (zagueiro) – 1
Renato Silva (zagueiro) – 2
Eduardo Costa (volante) – 1
Abelairas (volante) – 2
Felipe (meia) – 3 (campeão em 1998)
Juninho Pernambucano (meia) – 2 (campeão em 1998)
Bernardo (meia) – 1
Diego Souza (meia) – 2
Éder Luís (atacante) – 1
Alecsandro (atacante) – 1 (campeão em 2010)

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 Campeonatos Estaduais | 10:41

Números e curiosidades nas estreias dos Estaduais 2012

Compartilhe: Twitter

Com a estreia dos dois principais Campeonatos Estaduais (Paulista e Carioca), o futebol brasileiro já conta agora com 16 dos 27 estaduais em andamento. Entre os maiores campeonatos, apenas o Mineiro ainda não começou (a estreia será no próximo sábado).

No Campeonato Paulista, a melhor estreia foi do São Paulo. Jogando no Morumbi, para 15.586 pagantes, o Tricolor goleou por 4 x 0 e assumiu a liderança do torneio. Nesse jogo, o São Paulo estreou sua camisa nova, inspirada no modelo utilizado na temporada de 1992, ano do seu primeiro título Mundial.  O jogo também marcou a volta de Emerson Leão comandando o time no Paulistão. Com ele, o São Paulo conquistou pela última vez o Estadual, em 2005. Já Luís Fabiano, o último artilheiro são-paulino em Paulistas (em 2003), passou em branco ontem em seu retorno ao Paulistão.

O Santos, que busca o tricampeonato depois de 42 anos (o último foi na era Pelé, em 1969), foi o único grande a não vencer na rodada. Jogando com o time reserva, empatou com o XV de Piracicaba, fora de casa. Já o Corinthians, que venceu de virada, no sábado, registrou o maior público da rodada (16.117 pagantes no Pacaembu). Nesses dez primeiros jogos, a média do Campeonato Paulista foi de apenas 6.234 torcedores por partida. Já o Palmeiras, estreou com vitória sobre o Bragantino (2 x 1), mantendo uma escrita de não perder na estreia do Estadual desde 1995 (quando foi derrotado pela Portuguesa).

No Campeonato Carioca, a maior goleada na primeira rodada foi a do Flamengo sobre o Bonsucesso (4 x 0), mesmo jogando com reservas. Nessa primeira rodada, todos os grandes estrearam com vitória e o único a sofrer gol foi o Botafogo diante do Resende (3 x 1). O destaque negativo nessa rodada inaugural do Carioca 2012 foi o público. Em oito jogos, a média de torcedores foi de apenas 2930 pagantes por partida. Quase a metade do Paulistão. Dos jogos envolvendo os quatro grandes, o maior público foi o Vasco (6.920 torcedores).

Já no Campeonato Paranaense, o Coritiba estreou com vitória, batendo o Toledo por 2 x 0, fora de casa. Atual bicampeão, o Coxa chegou a marca de 34 jogos sem derrota no Estadual. A última vez que perdeu no Paranaense foi em 2010, diante do Paraná, por 1 x 0, no dia 21 de fevereiro. Além disso, o time de Marcelo Oliveira já soma 18 vitórias consecutivas pelo Estadual.

No Campeonato Gaúcho, a dupla Grenal perdeu no final de semana. O Grêmio, um dos clubes que mais investiu nesse início de temporada, contratando Marcelo Moreno, Kléber, Léo Gago e Naldo, perdeu em casa para o Lajeadense por 2 x 0, no sábado. O tricolor gaúcho teve o melhor público da rodada (15 294 pagantes no Olímpico), mas não evitou o vexame na estreia. Já o Internacional, que havia vencido em sua estreia na quarta-feira, perdeu para o Avenida, de virada. Depois de abrir 2 x 0 no primeiro tempo, com os reservas, o Colorado levou três gols na segunda etapa.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 Copa Libertadores | 11:20

Libertadores de 2012 terá dois estreantes e 11 ex-campeões

Compartilhe: Twitter

Foi definido ontem o último participante da Copa Libertadores de 2012: o Unión Española, do Chile. Com o título chileno da Universidad de Chile sobre o Cobreloa, a Unión Española foi para a pré-Libertadores, onde enfrentará o Tigres, do México. Agora, a Libertadores de 2012 está completa, com seus 38 participantes já conhecidos.

Dos clubes que buscarão o título no ano que vem, apenas dois irão disputar o torneio sul-americano pela primeira vez: o Sport Huancayo, do Peru, e o Zamora, da Venezuela. Os dois serão 191º e o 192º clubes a disputar o torneio desde 1960.

Por outro lado, 11 dos outros 36 participantes já foram campeões da Libertadores. Confira abaixo quem mais jogou e o melhor desempenho na Libertadores entre os clubes que irão disputar a edição de 2012:

Peñarol-URU (39 participações) – campeão em 1960, 1961, 1966, 1982 e 1987
Nacional-URU (38 participações) – campeão em 1971, 1980 e 1988
Olimpia-PAR (35 participações) – campeão em 1979, 1990 e 2002
Bolívar-BOL
(27 participações) – fase semifinal em 1986
Universidad Católica-CHI (23 participações) – vice em 1993
Alianza Lima-PER (22 participações) – fase semifinal em 1976 e 1978
Boca Juniors-ARG (22 participações) – campeão em 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007
El Nacional-EQU (22 participações) – semifinal em 1985
Emelec-EQU (20 participações) – semifinal em 1995
Deportivo Táchira-VEN (17 participações) – quartas de final em 2004
The Strongest-BOL (17 participações) – oitavas de final em 1990 e 1994
Universidad de Chile-CHI (16 participações) – semifinal em 1970, 1996 e 2010
Atlético Nacional-COL (14 participações) – campeão em 1989
Caracas-VEN (13 participações) – quartas de final em 2009
Libertad-PAR (12 participações) – semifinal em 1977 e 2006
Vélez Sarsfield-ARG (12 participações) – campeão em 1994
Defensor-URU (11 participações) – quartas de final em 2007 e 2009
Junior-COL (11 participações) – semifinal em 1994
Santos-BRA (11 participações) – campeão em 1962, 1963 e 2011
Flamengo-BRA (10 participações) – campeão em 1981
Corinthians-BRA (9 participações) – semifinal em 2000
Internacional-BRA (9 participações) – campeão em 2006 e 2010
Unión Española-CHI (9 participações) – vice em 1975
Deportivo Quito-EQU (8 participações) – oitavas de final em 1989
Vasco-BRA (7 participações) – campeão em 1998
Once Caldas-COL (6 participações) – campeão em 2004
Chivas Guadalajara-MEX (5 participações) – vice em 2010
Nacional-PAR (5 participações) – segunda fase (grupos) em 1983, 1986, 2009 e 2010
Real Potosí-BOL (5 participações) – segunda fase (grupos) em 2002, 2007 e 2008
Fluminense-BRA (4 participações) – vice em 2008
Lanús-ARG (3 participações)  – oitavas de final em 2008
Cruz Azul-MEX (2 participações) – vice em 2001
Juan Aurich-PER (2 participações) – segunda fase (grupos) em 1969 e 2010
Tigres-MEX (2 participações) – quartas de final em 2005
Arsenal de Sarandí-ARG (1 participação) – segunda fase (grupos) em 2008
Godoy Cruz-ARG (1 participação)  -segunda fase (grupos) em 2011
Sport Huncayo-PER (estreante)
Zamora-VEN (estreante)

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 27 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 21:48

Quais jogadores estarão fora da rodada decisiva

Compartilhe: Twitter

O gol de Bernardo, do Vasco, aos 45 minutos do segundo tempo tirou o grito de campeão do Corinthians e adiou a decisão pelo título para a última rodada. Assim como o gol de Daniel Marques, do Ceará, contra o Cruzeiro, aos 36 minutos do segundo tempo, também adiou a briga pelo rebaixamento para a última e decisiva rodada.

Mas a 37ª rodada também serviu para definir alguma coisa nesse campeonato pra lá de emocionante. O Fluminense, com a derrota para o Vasco no final do jogo, perdeu a chance de brigar pelo título depois de realizar um grande segundo turno (aliás, já é o time com mais pontos no returno, mesmo que perca o próximo jogo). O Flu fez 37 pontos no returno contra 33 de Corinthians e Vasco.

Na briga pela Libertadores, o Flamengo voltou a ficar em boa posição por uma vaga e o surpreendente Coritiba subiu quatro posições na tabela, entrando para o G5 com a vitória, também nos minutos finais, sobre o Avaí. O Coxa, aliás, com a 13ª vitória em casa, passou a ser o mandante com o maior aproveitamento da competição (conquistou 74,2% dos pontos disputados). Na última rodada, porém, o Coritiba terá pela frente o rival Atlético-PR, na Arena da Baixada, que ainda luta para não cair. Mas vale lembrar que no jogo decisivo do estadual desse ano o Coxa enfiou 3 x 0 lá.

Ao Flamengo resta um empate diante do Vasco para se garantir na Libertadores (o que garantiria o título ao Corinthians). Já Coritiba, Inter e Figueirense (todos com 57 pontos), São Paulo (56) e Botafogo (55), ainda estão no páreo por uma vaga. Situação mais complicada para São Paulo e Botafogo, que não conseguirão alcançar o Flamengo e ainda terão que vencer seus jogos e torcer para que nenhum adversário acima da tabela vença. Improvável, mas possível nesse campeonato.

Outra definição, não tão importante assim, foi a vaga conquistada pelo Palmeiras na Copa Sul-Americana de 2012 com a vitória sobre o São Paulo. No clássico, o volante Marcos Assunção anotou seu 6º gol de falta no Brasileirão e dificilmente será superado nesse quesito, já que Ronaldinho Gaúcho marcou três. .

O Atlético-MG, com a goleada sobre o Botafogo, está livre de vez do rebaixamento. Penúltimo colocado no primeiro turno, com apenas 26,3% de aproveitamento, o Galo tem a sétima melhor campanha do returno, com 55,6% dos pontos. O técnico Cuca, assim como já havia feito com o Goiás em 2003, e com o Fluminense em 2009, livrou mais um time do rebaixamento nessa era dos pontos corridos.

Quem também escapou da degola para a segundona foi o Bahia, com o empate sobre o time completo do Santos, na Vila Belmiro, que contou com pouco mais de 12 mil pessoas na despedida do time em casa antes do Mundial.

Para a 38ª e última rodada, todos os dez jogos estarão valendo alguma coisa. Dois deles, porém, um pouco menos, já que o Atlético-GO lutará por uma vaga na Copa Sul-Americana contra o rebaixado América-MG, enquanto o já Fluminense, já classificado para Libertadores, irá enfrentar o Botafogo, que tem chances remotas de chegar ao torneio sul-americano. De quebra, a partida será disputada em Volta Redonda.

Nos demais oito jogos, a briga será grande, com destaque para os clássicos Corinthians x Palmeiras, Vasco x Flamengo e Atlético-PR x Coritiba.

Veja abaixo o que estará em jogo e quais serão os desfalques dos clubes nesse última rodada:

Corinthians x PalmeirasUm empate dá o título ao Corinthians. Para o Palmeiras estragar a festa do rival, deverá vencer e esperar que o Vasco também ganhe no Rio. 
Desfalques:
Corinthians –
Ralf e Danilo.
Palmeiras – Marcos (machucado).

.

Vasco x FlamengoO Vasco precisa vencer e torcer por uma derrota do Corinthians para ser campeão. Já o Flamengo necessita de um empate para ir à Libertadores sem depender de ninguém.
Desfalques:
Vasco –
Juninho Pernambucano, Allan, Leandro e Éder Luís (machucado).
Flamengo – Aírton (machucado – dúvida).

.

São Paulo x SantosSó a vitória interessa ao São Paulo, que ainda terá que torcer para que Coritiba, Internacional e Figueirense não ganhem.
Desfalques:
São Paulo –
Rivaldo.
Santos – nenhum.

.

Botafogo x FluminenseUm empate garante o Flu na fase de grupos da Libertadores. O Botafogo precisa ganhar e torcer para que Coritiba, Inter, Figueirense e São Paulo não ganhem.
Desfalques:
Botafogo –
Éverton, Herrera e Cortês (machucado – dúvida).
Fluminense – nenhum.

.

Cruzeiro x Atlético-MG – Um empate garante o Galo na Copa Sul-Americana e pode rebaixar o Cruzeiro, desde que o Ceará vença. Já a Raposa se livra da série B com uma vitória. Um empate pode rebaixar o time.
Desfalques:
Cruzeiro – Fábio, Montillo, Marquinhos Paraná e Wallyson (machucado).
Atlético-MG – Neto Berola.

.

Internacional x Grêmio – O Inter precisa vencer e torcer por tropeços de Coritiba ou Flamengo para ir à Libertadores. O Grêmio não briga por nada. Apenas para atrapalhar o rival.
Desfalques:
Internacional – nenhum.
Grêmio – Adílson e Fábio Rochemback (machucado – dúvida).

.

Atlético-PR x Coritiba – O Furacão precisa ganhar e torcer para que o Ceará não vença e que o Cruzeiro perca para o Atlético-MG ganhe do Cruzeiro para escapar do rebaixamento. Já o Coritiba precisa vencer para ir à Libertadores. Um empate complicará a vida do Coxa, que terá que torcer para que Inter e Figueirense não ganhem seus jogos.
Desfalques:
Atlético-PR – Gustavo Lazzaretti.
Coritiba – Leandro Donizete (machucado – dúvida).

.

Avaí x Figueirense – O Figueira precisa ganhar o jogo contra o rebaixado Avaí e ainda torcer para tropeços de Inter, Coritiba e Flamengo (dois deles necessariamente).
Desfalques:
Avaí – Fabiano, Fernandinho e Batista.
Figueirense – Rhayner e Túlio (machucado).

.

Bahia x Ceará – Só a vitória interessa ao Ceará, que ainda torce para o Cruzeiro não vencer para poder, assim, escapar do rebaixamento.
Desfalques:
Bahia – Diones, Ricardinho, Fahel e Dodô (machucado).
Ceará – Fernando Henrique, Eusébio, Daniel Marques e Thiago Humberto.

.

Atlético-GO x América-MG – Uma vitória poderá dar a vaga ao Atlético-GO na Copa Sul-Americana de 2012. Para isso o Atlético-MG não pode ganhar do Cruzeiro.
Desfalques:
Atlético-GO – Joílson e Vítor Júnior.
América-MG – Neneca, Kempes, Marcos Rocha, Rodriguinho, Ânderson (machucado), Otávio (machucado) e Luciano (machucado).

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 8 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 15:57

Ataque do São Paulo marcou só 10 gols no Brasileiro. Santistas marcaram 41

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 contabiliza 891 gols até agora, após 330 jogos. Desses gols, 468 foram feitos por atacantes dos 20 clubes, o que representa 52,5% gols. Em alguns casos, em 13 clubes, os atacantes são responsáveis por mais da metade dos gols da equipe no Brasileirão.

O Santos, do artilheiro Borges, e de Neymar (que marcou 7 gols nos últimos 5 jogos), tem os atacantes mais eficientes da competição. Até agora, o setor ofensivo do time de Muricy Ramalho fez 41 gols e foi responsável por 83,7% dos 47 gols do time no torneio. Só Borges (23 gols) e Neymar (12 gols), juntos, têm 35 gols. Mais do que o time do todo do Atlético-PR, que marcou 33 gols até agora.

Borges e Neymar, que marcaram no último final de semana contra o Vasco, fizeram 71,4% dos gols do Santos no Campeonato Brasileiro e formam a dupla de ataque mais positiva da competição, superando Ronaldinho Gaúcho e Deivid, do Flamengo (28 gols); Fred e Rafael Moura, do Fluminense (23 gols); William e Rafael Coelho, do Avaí (20 gols); Loco Abreu e Herrera, do Botafogo (19 gols); e Marcos Aurélio e Bill, do Coritiba (19 gols), entre os atacantes que mais marcaram em cada clube.

Por outro lado, o São Paulo conta com o ataque menos eficiente do Brasileirão. Até agora, os atacantes do Tricolor paulista fizeram apenas 10 gols no Campeonato, sendo 8 só com Dagoberto. Dos 48 gols do São Paulo no Brasileiro, só 10 saíram pelos atacantes do time, correspondendo a apenas 20,8% dos gols, a pior média entre os 20 participantes.

Confira o desempenho dos atacantes de cada clube nesse Brasileirão:

Clube Total de gols Gols de atacantes Porcentagem
Santos 49 41 83,7%
Fluminense 48 35 72,9%
Atlético-GO 42 27 64,3%
Ceará 39 25 64,1%
América-MG 43 26 60,5%
Figueirense 43 26 60,5%
Bahia 39 23 59,0%
Flamengo 57 33 57,9%
Coritiba 52 30 57,7%
Avaí 44 23 52,3%
Atlético-MG 41 21 51,2%
Corinthians 47 24 51,1%
Botafogo 49 25 51,0%
Palmeiras 37 17 45,9%
Cruzeiro 38 18 43,4%
Grêmio 40 17 42,5%
Atlético-PR 33 13 39,4%
Internacional 53 18 34,0%
Vasco 49 16 32,7%
São Paulo 48 10 20,8%

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 7 de novembro de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 10:48

O recorde de Borges e as marcas dessa 33ª rodada do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

A última rodada do Brasileirão foi mais uma vez bem emocionante. Viradas, goleadas, recordes e números positivos e negativos também marcaram essa 33ª rodada. Começando pelo sábado, onde o Figueirense chegou à sua quinta vitória consecutiva e ao 12º jogo sem derrota. Um recorde em suas 13 participações na história do Brasileirão. Recém-promovido à Série A, o Figueira tem a maior invencibilidade da competição na atualidade e agora briga diretamente por uma inédita vaga na Copa Libertadores, podendo repetir o feito do Criciúma, de 1992, o único clube catarinense a jogar a competição sul-americana.

Ainda no sábado, o São Paulo perdeu de virada para o Bahia, chegando a sua 9ª partida sem vitória no Brasileirão. Ainda sem vencer com o técnico Émerson Leão, o Tricolor paulista vive o seu pior jejum de vitórias, superando o recorde negativo anterior, de 2005, quando o time ficou oito jogos sem vencer com Paulo Autuori. A última vitória do São Paulo no Brasileirão de 2011 aconteceu no distante dia 16 de setembro, quando goleou o Ceará por 4 x 0.

Outro paulista que também não sabe o que é vencer há um bom tempo é o Palmeiras. O time do técnico Luiz Felipe Scolari chegou ao oitavo jogo sem vitória e perdeu sua quarta partida consecutiva.  Na próxima rodada, o time irá enfrentar o Grêmio, fora de casa, e o vice-líder Vasco, em casa. Se não vencer, igualará o seu maior jejum de vitórias na história do Brasileirão. Em 1985, o Palmeiras ficou 10 partidas sem vencer na competição. Com apenas uma vitória no returno (nos últimos 14 jogos) e 9 pontos conquistados, o Palmeiras tem a segunda pior campanha nesse segundo turno.

Apenas o Cruzeiro, com 7 pontos ganhos, consegue ser pior do que o Palmeiras nesse returno. Ontem, aliás, a Raposa sofreu sua pior derrota nesse Brasileiro e caiu para a zona do rebaixamento. Com apenas 34,3% de aproveitamento, o Cruzeiro realiza a sua terceira pior campanha na história da competição, desde 1971. Apenas em 1994 (30,6%) e 1984 (33,3%), o time foi pior. Dessa vez, porém, se continuar nessa má fase, a Raposa irá pela primeira vez para a segunda divisão. Até hoje, o clube mineiro é um dos únicos a disputadas todas as 41 edições do Brasileirão, ao lado de Flamengo e Internacional. Na derrota de ontem, para o Flamengo, o Cruzeiro perdeu ainda um pênalti, o quarto nesse Brasileiro (um recorde).

Já o Flamengo, com a goleada de 5 x 1, voltou a encostar nos líderes do Brasileiro e isolou-se como o time de melhor ataque da competição, com 57 gols em 33 partidas. Média de 1,73 por jogo. Thiago Neves, com os três gols de ontem, chegou a marca de 12 gols na competição. Deivid, com os dois marcados ontem, tem agora 15 gols. Os dois jogadores, ao lado de Ronaldinho Gaúcho, que fez 13 gols, têm 40 gols juntos. Mais do que o Cruzeiro, Palmeiras, Bahia, Ceará e Atlético-PR já fizeram no Campeonato.

Deivid, com 15 gols, agora é o vice-artilheiro do Brasileiro, atrás apenas de Borges, do Santos, que ontem marcou mais um gol. Na vitória sobre o Vasco por 2 x 0, na Vila Belmiro, o atacante chegou ao seu 23º gol no Brasileirão de 2011 e superou a marca de Serginho Chulapa, que havia feito 22 gols no Brasileiro de 1983. Maior artilheiro de uma única edição de Brasileiro pelo Santos, Borges está com 74 gols na era dos pontos corridos. Apenas Paulo Baier (89 gols) e Washington (ex-Flu e São Paulo), com 82 gols, fizeram mais do que Borges.

E marcar mais do que 20 gols em um único Brasileiro não é feito para qualquer um. Confira a lista de quem já chegou ou superou a casa dos 20 gols em um única edição do Brasileiro:

2011
Borges (Santos), 23 gols

2010
Jonas (Grêmio), 23 gols

2008

Keirrson (Coritiba), Washington (Fluminense) e Kléber Pereira (Santos), 21 gols

2005
Romário (Vasco), 22 gols
Róbson (Paysaydu), 21 gols
Tevez (Corinthians), 20 gols

2004
Washington (Atlético-PR), 34 gols
Alex Dias (Goiás), 22 gols
Deivid e Robinho (Santos), 21 gols

2003
Dimba (Goiás), 31 gols
Renaldo (Paraná), 30 gols
Luís Fabiano (São Paulo), 29 gols
Alex (Cruzeiro), 23 gols
Aristizábal (Cruzeiro), 21 gols
Marcel (Coritiba), 20 gols

2001
Romário (Vasco), 21 gols

2000
Magno Alves (Fluminense), Dill (Goiás) e Romário (Vasco), 20 gols

1999
Guilherme (Atlético-MG), 28 gols
Alex Alves (Cruzeiro), 22 gols
Luizão (Corinthians), 21 gols

1998
Viola (Santos), 21 gols

1997
Edmundo (Vasco), 29 gols

1995
Túlio (Botafogo), 23 gols

1986
Careca (São Paulo), 25 gols
Evair (Guarani), 24 gols
Mirandinha (Palmeiras), 21 gols

1985
Edmar (Guarani), 20 gols

1983
Serginho (Santos), 22 gols

1982
Zico (Flamengo) e Serginho (São Paulo), 20 gols

1980
Zico (Flamengo), 21 gols

1977
Reinaldo (Atlético-MG), 28 gols

1973
Ramon (Santa Cruz), 21 gols
Leivinha (Palmeiras) e Mirandinha (São Paulo), 20 gols

.

.

Outra curiosidade na rodada desse final de semana é que o zagueiro Chicão, do Corinthians, voltou ao time e marcou um gol de pênalti. Agora, Chicão tem 19 gols na era dos pontos corridos e segue como o terceiro zagueiro com mais gols, atrás apenas de Índio, do Internacional, e Antônio Carlos, do Botafogo, que fizeram 21 gols cada.

Já o Fluminense, com a vitória sobre o Internacional, no Beira-Rio, chegou a sua 10ª vitória no segundo turno, em 14 jogos. O time de Abel Braga lidera o returno com 31 pontos, quatro a mais do que o Figueirense. Na 19ª rodada, o Flu era apenas o 11º colocado, 12 pontos atrás do líder Corinthians. Agora, está a apenas dois pontos do time paulista. Caso consiga novamente desbancar o Corinthians e chegar ao título, como fez em 2010, o Fluminense irá superar a arrancada do Flamengo de 2009, que virou o turno na 10ª colocação e estava há 10 pontos do líder Palmeiras ao final da 19ª rodada. Confira a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

Fluminense 31
Figueirense 27
Santos 26
Atlético-MG 24
Internacional 24
Grêmio 23
Vasco 23
Coritiba 22
Botafogo 21
10º Corinthians 21
11º Flamengo 19
12º Bahia 19
13º Atlético-GO 17
14º Atlético-PR 16
15º América-MG 15
16º São Paulo 15
17º Avaí 12
18º Ceará 10
19º Palmeiras 9
20º Cruzeiro 7
Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 20 de outubro de 2011 Sem categoria | 12:03

Flamengo sofre maior goleada caseira em jogos internacionais

Compartilhe: Twitter

A derrota sofrida para a Universidad de Chile, ontem, no Engenhão, por 4 x 0, foi na história do Flamengo em casa em partidas internacionais. E isso que o time chileno ainda perdeu um pênalti e teve um gol mal anulado…Nem mesmo em amistoso o Rubro-negro havia sido tão humilhado perante sua torcida. Pela Copa Libertadores, a pior goleada sofrida pelo Flamengo foi a de 5 x 1, para o Grêmio, em 1984, mas no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Em casa, a maior derrota do Fla havia sido em 2008, quando perdeu para o América-MEX por 3 x 0, sendo eliminado da competição nas oitavas-de-final.

Confira todas as derrotas do Flamengo em casa em partidas de competições internacionais oficiais:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Fora de casa, em jogos internacionais, o Flamengo já levou algumas surras históricas que superaram o 4 x 0 de ontem. Em 1933, levou de 7 x 0 do Nacional-URU, em Montevidéu. Em 1941, perdeu por 7 x 0 também para um Combinado de Rosário, na Argentina. Já em 1960, apanhou de 9 x 2 do Motherwell, na Escócia. Como mandante, o Flamengo também já sofreu goleadas piores. Em casa, até hoje, sua maior derrota é para o rival Botafogo (9 x 2 em 1927), no campo da Rua Paysandu.

Recentemente, com Luxemburgo, o Flamengo levou apenas duas goleadas em pouco mais de um desde sua volta ao clube. No ano passado, pelo Brasileirão, perdeu de 4 x 1 para o Atlético-MG, em Sete Lagoas. Já nesse ano, perdeu também por 4 x 1 para o Atlético-GO, no Engenhão. Mas pior do que esse 4 x 0 de ontem, no geral, só mesmo o 5 x 0 sofrido para o Coritiba, em 2009, e o 6 x 1 sofrido para o São Paulo, em casa, em 2005, pelo Brasileirão.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 12:02

Os jogadores com mais de 100 jogos pelos grandes do Brasil

Compartilhe: Twitter

Nos últimos jogos do Brasileirão, alguns jogadores alcançaram marcas importantes em relação ao número de partidas em seus respectivos clubes. Ontem, por exemplo, o goleiro Júlio César chegou a marca de 100 jogos com a camisa do Corinthians. Entre os 12 grandes clubes do país, 60 jogadores já chegaram ou ultrapassaram essa marca de 100 jogos.

Santos e Inter são os dois clubes que contam com mais jogadores velhos de casa. No Colorado, são dez jogadores que já vestiram a camisa do time gaúcho por mais de 100 vezes. Já no Santos, são nove, incluindo Neymar e Ganso. Entre esses 60 jogadores, quem mais vezes vestiu a camisa foi o goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, com 1.007 partidas, seguido por outros goleiros: Marcos, do Palmeiras (530 jogos), e Fábio, do Cruzeiro (414 jogos). Entre os jogadores de linha, destacam-se os laterais Léo, do Santos (395 jogos) e Léo Moura, do Flamengo (358), além dos meias Felipe (320) e Juninho Pernambucano (312), do Vasco, e dos zagueiros Índio (311) e Bolívar (300), todos na casa dos trezentos jogos.

Outros três jogadores estão próximos também de alcançar a marca de 100 jogos nesse Brasileirão: Danilo (Corinthians), Rafael (Santos) e Dedé (Vasco). Confira abaixo a lista dos jogadores em atividade com mais partidas nos 12 maiores clubes do Brasil:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 11 de outubro de 2011 Campeonatos Estaduais, História, Público | 10:03

Pelo terceiro ano, Santa Cruz leva mais de 30 mil na Série D

Compartilhe: Twitter

Um dos clubes de maior torcida no Nordeste, o Santa Cruz amarga sua terceira temporada na Série D do Brasileirão. O Tricolor pernambucano, que já participou de 20 das 40 edições do Campeonato Braisleiro da primeira divisão, sonha com dias melhores e vem sofrendo para resgatar seu prestígio. Mas nem por isso sua torcida o abandonou. No últimos três anos, o time de Recife vem levando, em média, mais de 30 mil torcedores por partida na quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Vale lembrar que na Copa do Brasil desse ano, o Santa Cruz registrou o maior público da competição, levando 46.681 torcedores na vitória sobre o São Paulo, na segunda fase.
Atualmente, em cinco partidas disputadas em casa, no estádio Arruda, o Santa Cruz teve uma média de 36.618 torcedores por jogo. A maior em todas as quatro divisões do Brasileiro de 2011. No próximo domingo, o Tricolor irá jogar novamente no Arruda, no jogo de volta das quartas-de-final da Série D, contra o Treze-PB. No jogo de ida, em Campina Grande, os clubes empataram por 3 x 3. Um simples vitória ou empates (0 x 0, 1 x 1 ou 2 x 2) garantem o Santa Cruz na semifinal da competição e também na Série C de 2012. Nesse jogo, é esperado um público superior a 40 mil pessoas. Confira os públicos do Santa Cruz na Série D de 2011 até agora:

24/07/2011   Santa Cruz 0 x 0 Guarani de Juazeiro-CE  42.584
14/08/2011    Santa Cruz 1 x 0 Santa Cruz-RN 35.020
04/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Porto-PE 27.746
18/09/2011    Santa Cruz 2 x 1 Alecrim-RN 33.099
25/09/2011   Santa Cruz 1 x 0 Coruripe 44.642
36.618 (média)

A última vez em que o Santa Cruz participou da Série A do Brasileiro foi em 2006, quando terminou na última colocação e acabou rebaixado novamente. Naquele ano, o time contou com uma pequena média de 9.876 torcedores por partida no Arruda. Depois disso, porém, quando o time passou a se afundar, a torcida do Tricolor parece ter ficado cada vez mais ao lado clube. Em 2007, na Série B, o Santa Cruz foi o líder de público mesmo sendo rebaixado para a terceira divisão. Em 2008, na Série C, o Santa Cruz foi novamente rebaixado e mesmo assim teve a melhor média de público da competição. Confira abaixo os campeões de média de público nas quatro divisões do Brasileirão desde o início da era dos pontos corridos:

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 3 de outubro de 2011 Campeonato Brasileiro | 10:32

Recordes e curiosidades do Brasileirão após a 27ª rodada

Compartilhe: Twitter

No último final de semana, o Campeonato Brasileiro teve a disputa da 27ª rodada e após dez jogos, algumas marcas foram quebradas. Em Porto Alegre, o Cruzeiro chegou ao seu 8º jogo sem vitória, igualando o seu pior jejum de vitórias na história da competição. Em 1998, quando foi comandado por Levir Culpi, e em 2006, quando foi dirigido por Paulo César Gusmão (em 5 jogos) e Oswaldo de Oliveira (3 jogos), a Raposa também ficou 8 partidas sem vencer. Se não conseguir vencer o São Paulo na próxima quarta-feira, o Cruzeiro irá atingir então uma sequência negativa histórica, de 9 jogos em vitória.

Já o São Paulo, com a derrota para o Flamengo, terminou a rodada com um aproveitamento de apenas 52,4% nos jogos como mandante. Até agora, foram 6 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Além do Flamengo, o Tricolor paulista tropeçou também para outros cariocas em casa: Vasco (2 x 0), Botafogo (2 x 0) e Fluminense (2 x 1). Contra os cariocas, aliás, o São Paulo não vem dando muito sorte. Em 2011, foram 7 jogos no Brasileirão, com apenas uma vitória (2 x 0 no Flu, na estreia), um empate e cinco derrotas (aproveitamento de apenas 19%). Nos últimos anos, aliás, história não vem sendo muito diferente. Em 2010, em 8 jogos, o São Paulo, venceu 1, empatou 4 e perdeu 3 para os cariocas (29,2%). Já em 2009, disputou 6 jogos, ganhou 2, empatou 1 e perdeu 3 (38,9%). Dos últimos 21 jogos diante dos cariocas, em Brasileiros, o São Paulo venceu apenas 4, empatou 6 e perdeu 11.

A vitória sobre o São Paulo, por 2 x 1, deixou o Flamengo agora com o melhor ataque do Brasileirão 2011 ao lado do Coritiba, com 44 gols em 27 jogos. O Flamengo tem nesse campeonato também o melhor ataque de um visitante (25 gols em 14 jogos). Além disso, o rubro-negro é o também o time que mais marcou gols no segundo tempo (27 gols, contra 26 do Coritiba). Até hoje, o Flamengo terminou com o melhor ataque de um Brasileirão em quatro oportunidades, em suas 40 participações (1974, 1980, 1983 e 2008).

A 27ª rodada do Brasileirão ou a 8ª rodada do segundo turno, terminou também com um novo líder nessa segunda metade do campeonato. Com a vitória sobre o Santos aos 50 minutos do segundo tempo, o Fluminense assumiu a liderança do returno com uma ótima campanha (6 vitórias, 1 empate e 1 derrota – 79,2% de aproveitamento). Já o Cruzeiro, com sua série negativa de vitórias, caiu para a rabeira do returno. Confira a classificação:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 20 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, História | 08:47

Nos últimos três anos o líder da 24ª rodada não levou o título

Compartilhe: Twitter

O Campeonato Brasileiro de 2011 chegou a sua 24ª rodada com um novo líder, o Vasco, que superou o Corinthians e pela primeira vez assumiu a ponta da competição. Com praticamente 2/3 do campeonato disputado, a briga pelo título e pela fuga do rebaixamento parece tomar forma. Mas muita coisa pode mudar daqui para frente. Se pegarmos as edições anteriores do Brasileirão por pontos corridos, a situação se alterou bastante nas últimas 14 rodadas, com 42 pontos em disputa. Nos últimos três anos, por exemplo, quem estava na liderança do Brasileiro nessa mesma altura do campeonato não ficou com o título.

Em 2008, o Grêmio, de Celso Roth, tinha seis pontos de vantagem sobre o vice-líder, Cruzeiro (49 a 43) e dez a mais do que o São Paulo (39 pontos e na 9ª posição). No final, o Tricolor paulista fechou o campeonato com 75 pontos contra 72 do Tricolor gaúcho e levou o tri. Dos 42 pontos em disputa, o São Paulo conquistou incríveis 36.

Em 2009, o Palmeiras, treinado por Muricy Ramalho, o mestre do Brasileirão por pontos corridos, perdeu a liderança e viu o Flamengo, que na 24ª rodada também estava dez pontos atrás e na 11ª colocação, ser o campeão. Nas últimas 14 rodadas, o Rubro-negro conquistou 33 pontos enquanto o Palmeiras fez 18 e acabou de fora, inclusive, da Libertadores.

Já no ano passado, o Corinthians, com um jogo a menos, liderava o Brasileiro com dois pontos a mais do que o segundo colocado Fluminense. Mas aí, o alvinegro perdeu quatro jogos e empatou outros três na sequência e viu o Tricolor carioca tomar a liderança. Depois, o Corinthians ainda conseguiu recuperar o primeiro lugar, mas faltando três rodadas foi novamente ultrapassado pelo Flu, que ficou com o título.

Outro ano em que o líder a 14 rodadas do fim não levou o Brasileiro foi 2005. O Inter, na 28ª rodada, estava a um ponto de vantagem do Corinthians, que acabou campeão. Já em 2003, 2004, com Cruzeiro e Santos, e em 2006 e 2007, com o São Paulo, os líderes a 14 rodadas do fim levaram o título.

Por outro lado, algumas situações também chamaram a atenção pela superação ou até mesmo pela queda brusca nas últimas 14 rodadas nas edições passadas. Em 2007, por exemplo, o Corinthians ocupava a 10ª rodada nessa mesma rodada de hoje (24ª) e acabou rebaixado. Nos seus últimos 14 jogos, o time somou apenas 11 dos 42 pontos e caiu para a Série B. No mesmo ano, o Flamengo, então o 14º colocado, arrumou forças para beliscar uma vaga na Libertadores.

Já em 2009, o Cruzeiro, então 13º colocado, com 32 pontos (mais ou menos como o Figueirense hoje), conquistou 30 dos 42 pontos, chegou na 4ª posição e ficou com uma vaga na Libertadores do ano seguintes. Já o Fluminense, com apenas 18 pontos e na lanterna do campeonato (hoje o lanterna América-MG tem 19), também deu uma bela arrancada no campeonato, conquistou 27 dos 42 pontos e escapou da Série B.

Confira abaixo a situação do Brasileirão faltando 14 rodadas para o seu final, assim como hoje. Em verde, os clubes que ficaram com o título no ano, em amarelo, os clubes que chegaram no G4 e foram para a Libertadores, em laranja, os clubes classificados para a Libertadores como campeões da Copa do Brasil ou da própria Libertadores no ano, e em rosa, os clubes que foram rebaixados.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 09:08

Lanterna do returno, Flamengo tem série negativa recorde

Compartilhe: Twitter

Sem vencer há nove jogos no Brasileirão, o Flamengo alcançou uma marca negativa em sua história pela competição, desde 1971. Até então, o maior jejum de vitórias do Rubro-negro em Brasileiros era de oito jogos. Isso aconteceu três vezes: em 1971 (com o técnico Fleitas Solich), em 1994 (com Carlinhos e Edinho) e em 2004 (com Abel Braga). No Brasileirão de 2011, o Flamengo foi o time com a maior sequência invicta, ao ficar sem perder nas 16 primeiras rodadas, um recorde na história dos pontos corridos e também do próprio clube em um começo de competição.

Confira os maiores jejuns de vitória do Flamengo em Brasileiros:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Agora, porém, o Flamengo acumula nove jogos sem vitória, na pior sequência em andamento no Brasileirão de 2011. Pelo péssimo desempenho, o time de Vanderlei Luxemburgo ocupa o último lugar na classificação do segundo turno do Brasileirão, com apenas um ponto em cinco jogos (conquistado justamente ontem, no empate contra o Botafogo). Veja a classificação do segundo turno do Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 5 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro | 10:45

A dura vida do Flamengo sem Ronaldinho Gaúcho

Compartilhe: Twitter

Melhor jogador do Flamengo na temporada, o atacante Ronaldinho Gaúcho estreou pelo clube no dia 2 de fevereiro de 2011. Desde então, o Rubro-negro disputou 44 jogos e contou com a presença do seu grande astro em 38 dessas partidas. Ou seja, Gaúcho participou de 86,4% das partidas do time desde então. Dessas 38 partidas, o Flamengo perdeu apenas duas vezes, ganhou 21 e empatou 15, ficando com um aproveitamento de 68,4%. Sem Ronaldinho, desde a sua estreia, o Flamengo disputou 6 jogos, venceu apenas um (pela Copa do Brasil) e teve um aproveitamento de 33,3% dos pontos.

Nesse Brasileirão, os números do Flamengo com e sem Ronaldinho ficam mais evidentes. Dos 21 jogos do time de Luxemburgo na competição, Ronaldinho esteve em campo em 18 deles (9 vitórias, 8 empates e 1 derrota, com 64,8% de aproveitamento). Sem Ronaldinho, o Flamengo não venceu no Brasileirão. O time empatou com o Ceará na 11ª rodada, perdeu a invencibilidade diante do Atlético-GO na 17ª rodada, ao perder por 4 x 1, e ontem, foi novamente derrotado em casa (3 x 1 para o Bahia).

Já na Copa Sul-Americana, Luxemburgo entrou em campo com um time misto e depois que colocou Ronaldinho em campo, na segunda etapa, o Flamengo chegou à vitória (ambas por 1 x 0), justamente com gols de Ronaldinho.

Fora de campo, o Flamengo também vem sofrendo para atrair público sem a presença de Ronaldinho Gaúcho. Com ele jogando, nas partidas em casa, a média do Rubro-negro foi de 23.772 torcedores por partida nesse Brasileirão. Sem Gaúcho, a média foi de apenas 7.380.

Veja abaixo o desempenho do Flamengo com e sem Ronaldinho nessa temporada, desde sua estreia, no dia 2 de fevereiro:

a

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 2 de setembro de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas | 09:50

São Paulo fica de fora do G4 pela primeira vez no Brasileirão 11

Compartilhe: Twitter

Ao perder para o Fluminense e chegar a marca de cinco jogos sem vitória no Brasileirão, o São Paulo caiu para a 5ª colocação no campeonato e pela primeira vez ficou de fora do G4. No ano passado, o Tricolor fez uma de suas piores campanhas na era dos pontos corridos no Brasileirão e não chegou a ingressar no grupo que vai à Libertadores durante todo o torneio. Assim, ficou de fora da competição sul-americana pela primeira vez depois de participar durante  sete anos consecutivos.

Em 2011, o São Paulo, ainda comandando por Paulo César Carpegiani, iniciou o Brasileirão com tudo, vencendo seus cinco primeiros jogos e isolando-se na liderança. Porém, levou uma goleada histórica do Corinthians (5 x 0) e depois perdeu mais dois jogos seguidos. Desde então, perdeu o primeiro lugar para o rival e depois a segunda colocação para o Flamengo. Já na 20ª rodada, a primeira do returno, o São Paulo perdeu em casa para o Fluminense e acabou ultrapassado por Vasco e Botafogo. Confira a classificação dos clubes rodada a rodada nesse Brasileirão de 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.A sequência negativa de cinco jogos sem vitórias no Brasileirão do São Paulo é a maior no momento no campeonato, ao lado do Flamengo, do Bahia e do lanterna América-MG. Se pegarmos as últimas cinco rodadas do Brasileiro, em 15 pontos possíveis, o São Paulo conquistou apenas 4 deles, tendo a 16ª melhor campanha. O Flamengo, que também vem muito mal nas últimas rodadas, perdeu a vice-liderança e tem a segunda pior campanha nas últimas rodadas. Por outro lado, o Atlético-GO, do técnico Hélio dos Anjos, vem numa série incrível, com cinco vitórias consecutivas. O Dragão, que estava na zona do rebaixamento na 15ª rodada pulou para o 9º lugar depois dessa sequência de vitórias. Confira o desempenho dos clubes nas últimas cinco partidas que disputaram:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 19 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro, História, Técnicos | 08:25

Luxemburgo perde chance de ser recordista de invencibilidade pelo Fla

Compartilhe: Twitter

Com a goleada sofrida diante do Atlético-GO, por 4 x 1, ontem, no Engenhão, o técnico Vanderlei Luxemburgo perdeu a chance de se tornar recordista de invencibilidade como técnico do Flamengo em Campeonatos Brasileiros. Luxa estava invicto na competição havia 16 rodadas e com mais um jogo igualaria a marca de Cláudio Coutinho, que ficou 17 jogos sem derrota em 1980, ano do primeiro título Brasileiro do Flamengo.

Essa sequência de 16 jogos sem derrota em uma única edição de Vanderlei Luxemburgo é, no entanto, uma das maiores na história da competição nacional em uma única edição. A marca ficou próxima do recorde de invencibilidade na era dos pontos corridos, que pertence a Paulo César Gusmão, que ficou 21 rodadas sem derrota no ano passado, contando as passagens por Ceará e Vasco. No geral, em uma única edição, porém, Luxemburgo ainda estava longe de alcançar o recorde de Evaristo de Macedo que ficou 27 partidas sem perder pelo Santa Cruz no Brasileirão de 1978.

Além de ser o recordista de invencibilidade em uma única edição de Brasileiro, Evaristo de Macedo detém também o recorde de sequência invicta somando-se os campeonatos seguintes, com 33 jogos sem derrota entre 1973 e 1978. Luxemburgo, pelo Palmeiras, em 1993 e 1994, chegou a ficar 23 jogos sem derrota.

Confira abaixo as maiores invencibilidades dos técnicos na história do Brasileirão em uma única edição e também no geral.

Maiores invencibilidades em uma única edição:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Maiores invencibilidades no geral:
.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 15 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro | 10:37

Corinthians repete erro de 2010, tropeçando em jogos fáceis

Compartilhe: Twitter

No Campeonato Brasileiro de 2010, o Corinthians teve um grande início, ficando invicto por nove rodadas e liderando o torneio. Pouco depois, com a saída do técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira e com a entrada de Adílson Batista, o time perdeu a liderança para o Fluminense, mas chegou a reconquistá-la na 24ª rodada, quando bateu o Santos, na Vila Belmiro, por 3 x 2. Depois disso, no entanto, o alvinegro tropeçou diante de clubes mal colocados na tabela (empatou com o Ceará, em casa 2 x 2, perdeu para o Atlético-GO, em casa, por 4 x 3, foi derrotado pelo Atlético-MG (1 x 2), fora, e depois ainda empatou, fora, contra Guarani (0 x 0), Vitória (1 x 1) e Goiás (1 x 1), perdendo de vez a chance de ser campeão brasileiro.

Diante dos nove últimos colocados de 2010, o Corinthians teve um aproveitamento de 51,9% dos pontos. Já diante dos nove primeiros colocados da tabela, o aproveitamento foi de 68,3%. Ou seja, o time acabou desperdiçando os pontos conquistados diante dos grandes e vendo o título escapar nos tropeços contra os piores da tabela.

Em 2011, a história vem se repetindo nesse Brasileiro. Depois de um grande início, principalmente diante das grandes equipes, o Corinthians passou a sucumbir diante dos últimos e agora vê sua primeira colocação bem ameaçada. Na 10ª rodada, o time de Tite era líder com 28 pontos (9 vitórias e 1 empate), com um ótimo aproveitamento de 93,3% e com 7 pontos de vantagem sobre o vice-líder, São Paulo. Agora, seis rodadas depois, o time lidera o campeonato com 34 pontos, o mesmo número de pontos do Flamengo, segundo colocado, mas com uma vitória a menos.

Nesses últimos seis jogos, o Corinthians conquistou apenas seis pontos, ficando com um fraco aproveitamento de 33,3% dos pontos. Nesse período, o Flamengo conquistou 14 dos 18 pontos disputados. Entre os 20 clubes, nessas últimas seis rodadas, o Corinthains teve apenas a 15ª melhor campanha.

Até agora, no Brasileiro de 2011, o Corinthians conquistou 55,6% de aproveitamento diante dos 10 últimos colocados da tabela. Já diante dos primeiros colocados (Flamengo, São Paulo, Vasco, Botafogo, Internacional, Fluminense e Coritiba), conquistou 90,5% dos pontos, com 6 vitórias e um empate.

Veja a classificação do Brasileiro na 10ª rodada e a classificação do nas últimas seis rodadas, quando pegou adversários das últimas posições (Avaí, Atlético-PR, Santos, América-MG, Ceará e Cruzeiro).

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Classificação do Brasileiro nas últimas seis rodadas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.



Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 8 de agosto de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, Técnicos | 10:39

Vanderlei Luxemburgo de volta ao topo do Brasileirão

Compartilhe: Twitter

Técnico mais vezes campeão brasileiro (cinco no total), Vanderlei Luxemburgo amargou campanha ruins nos últimos anos. Em 2009, foi demitido no Palmeiras no início do Brasileirão, após ser eliminado na Copa Libertadores, e depois, com o Santos, terminou na modesta 12ª colocação. No ano passado, também foi dispensado pelo Atlético-MG quando tinha apenas 29,2% de aproveitamento, largando o Galo na zona do rebaixamento. Ainda em 2010, chegou ao Flamengo, onde também fez uma campanha fraca (42,4% de aproveitamento), chegando apenas na 14º colocação.

Em 2011, porém, Luxemburgo voltou a ser o técnico vencedor e de ponta. No início do ano, conquistou o Campeonato Carioca de forma inédita. Na temporada, perdeu apenas uma partida em 40 disputadas. Pelo Brasileirão, segue invicto e agora na liderança (algo que o treinador não alcança desde a 28ª rodada de 2008, quando levou o Palmeiras ao topo da tabela).

Com 9 vitórias e 6 empates no Brasileiro de 2011, Luxemburgo levou o Flamengo à maior invencibilidade de um início de Brasileirão na era dos pontos corridos. O aproveitamento de 73,3% de Luxa é também o maior desde 1993, quando teve 78,8% com o Palmeiras. Na era dos pontos corridos, sua melhor campanha foi com o Cruzeiro, em 2003, quanto obteve 71%. Confira abaixo o desempenho do treinador na história do Brasileirão:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com uma sequência de quatro vitórias seguidas, Luxemburgo poderá levar o Flaemngo ao recorde de seis vitórias consecutivas em Brasileiros, alcançada duas vezes, em 1978, por Cláudio Coutinho, e em 1982, por Paulo César Carpegiani. Outro recorde que Luxa pode dar ao Flamengo é o da maior série invicta. Sem perder há 15 jogos, Luxemburgo precisa de mais duas partidas para igualar as marcas de 1980 (17 jogos sem derrota com Cláudio Coutinho) e de 1974 (também de 17 jogos com Joubert). Para isso, o Rubro-negro não poderá perder seus dois próximos jogos, contra Figueirense (fora de casa) e Atlético-GO (em casa).

Autor: Tags: ,

terça-feira, 2 de agosto de 2011 Artilheiros, Campeonato Brasileiro | 11:52

Ronaldinho Gaúcho busca artilharia inédita na carreira

Compartilhe: Twitter

Em grande fase no Flamengo, Ronaldinho Gaúcho vem liderando a lista de artilheiros do Campeonato Brasileiro. Feito raro na carreira do craque, que até hoje foi o principal goleador de um torneio apenas três vezes: no Campeonato Gaúcho de 1999 (com 15 gols); na Copa da Confederações também de 1999 (com 6 gols) e do Pré-Olímpico de 2000 (com 9 gols).

Em Campeonato Nacionais, Ronaldinho nunca foi artilheiro. Pelo Grêmio, em 2000, em sua melhor temporada pelo Tricolor Gaúcho em Brasileiros, o atacante marcou 14 gols, mas terminou atrás de seis jogadores na lista de artilheiros. Pelo Barcelona, chegou perto na temporada 2005/06, quando marcou 17 gols e foi o terceiro principal artilheiro da Liga Espanhola, atrás de Eto’o (26 gols) e David Villa (25 gols) e na temporada seguinte, 2006/07, quando anotou 21 gols e foi o quarto artilheiro, atrás de Van Nistelrooy (25 gols), Kanouté (22 gols) e Diego Milito (22 gols).

Até hoje, Ronaldinho disputou 14 Campeonatos Nacionais e seu desempenho atual pelo Flamengo é o melhor na média de gols por partida. Com 9 gols em 12 jogos (0,75) por partida, Ronaldinho de 2011 supera o de 2000 (0,67) e o de 2006/07 (0,66). Confira abaixo o número de jogos, gols e a média de Ronaldinho em Campeonatos Nacionais:

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 11 de julho de 2011 Campeonato Brasileiro, Estatísticas, História | 17:00

Flamengo tem melhor campanha no ano desde 1979

Compartilhe: Twitter

Campeão carioca invicto, vice-líder do Brasileiro sem perder ainda e com uma derrota apenas no ano (para o Ceará, que o eliminou da Copa do Brasil), o Flamengo vive uma grande temporada em 2011. A equipe de Vanderlei Luxemburgo, em 34 jogos, conquistou 20 vitórias, 13 empates e teve apenas uma derrota.

Entre os 20 clubes que disputam o Brasileirão desse ano, o Rubro-negro é o que menos perdeu na temporada de 2011. Palmeiras e Botafogo, outros times que perderam pouco no ano, têm quatro derrotas. Já o Corinthians, líder invicto do Brasileirão, tem cinco derrotas. Veja a campanha dos 20 clubes da Série A em 2011:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Com um aproveitamento de 71,6% no ano, o Flamengo tem um grande desempenho, o melhor das últimas duas décadas. Aproveitamento superior a esse, o Rubro-negro teve apenas em 1979, quando alcançou 80,9% (considerando três pontos por vitória, como hoje). Naquele ano, o Flamengo venceu 62 jogos e perdeu apenas 7 em 82 jogos. Até hoje, o Rubro-Negro nunca passou uma temporada sem derrota. Assim como agora, em 2011, apenas uma vez o Flamengo perdeu um jogo no ano. Porém, naquela época do amadorismo, o clube disputou só 16 partidas, com 9 vitórias, seis empates e uma derrota. Confira abaixo as campanhas do Flamengo por temporada, desde 1979:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 17 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais | 11:56

Os melhores dos Campeonatos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

As federações dos quatro maiores campeonatos estaduais do Brasil divulgaram, ontem, suas seleções com os melhores de 2011. No Rio de Janeiro e em São Paulo, poucas surpresas estiveram nas listas, formadas basicamente por jogadores dos quatro grandes. Já no Rio Grande do Sul, apenas um jogador do campeão figurou entre os melhores: o atacante Leandro Damião. Em Minas Gerais, Cruzeiro, Atlético e América formaram a base da seleção.

Desde 2009, alguns jogadores vêm se destacando nessas eleições dos melhores. O lateral-direito Leonardo Moura, do Flamengo, é o único a entrar em todas as seleções nos últimos três anos. Já o atacante Neymar, do Santos, também fo premiado nos últimos três anos. Em 2009, como reveleção do Paulistão. Já em 2010 e 2011 como um dos melhores atacantes e também como o craque do campeonato. Dos jogadores eleitos em 2011, quatro repetiram o feito de 2010: Willians (Flamengo), Edu Dracena (Santos), Douglas (Grêmio) e Henrique (Cruzeiro).

Dessas seleções dos estaduais de 2011, apenas quatro dos 44 jogadores escolhidos foram chamados recentemente pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira: Neymar, Lucas, Elano e Leandro Damião. Pelo o que jogaram, acredito que a “seleção das seleções estaduais” seria essa: Fábio (Cruzeiro-MG), Leonardo Moura (Flamengo), Dedé (Vasco), Victorino (Cruzeiro) e Guilherme Santos (Atlético-MG); Fábio Rochemback (Grêmio), Henrique (Cruzeiro), Lucas (São Paulo) e Thigo Neves (Flamengo); Neymar (Santos) e Leandro Damião (Inter).

Confira abaixo os melhores dos estaduais de SP, RJ, MG e RS nos últimos três anos:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 3 de maio de 2011 Campeonatos Estaduais, História | 09:27

Flamengo 2011 e os campeões cariocas invictos

Compartilhe: Twitter

O Flamengo conquistou seu 32º título estadual no último final de semana e o seu quinto de forma invicta. A última vez que o clube (e também um time do Rio), havia levantado a taça dessa maneira foi em 1996. Naquele ano, o Rubro-negro tinha como destaque o baixinho Romário e o técnico Joel Santana. Antes disso, apenas os times campeões de 1979 (de Zico e Cia.), de 1920 e 1915 conquistaram o Carioca de forma invicta pelo Flamengo.

Entre os quatro grandes clubes do Rio, Flamengo e Vasco são os maiores campeões invictos, com cinco conquistas cada. O Fluminense ganhou três títulos dessa forma, enquanto o Botafogo foi campeão sem derrota apenas uma vez, justamente em 1989, ano em que saiu da fila de 21 anos sem títulos.

Confira as campanhas dos campeões invictos do Campeonato Carioca:

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 11 de abril de 2011 Técnicos | 11:29

Falcão e os ídolos que estão no comando dos grandes clubes

Compartilhe: Twitter

O Internacional irá anunciar hoje seu novo treinador, Paulo Roberto Falcão. Maior ídolo da história Colorada, o ex-jogador comandará o Inter pela segunda vez. Em 1993, Falcão dirigiu a equipe, sem sucesso, durante o Campeonato Brasileiro. Em 14 jogos, foram 5 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, deixando o time na 17ª colocação, a sexta pior em toda a história do clube na competição.

Contratar antigos ídolos em momentos conturbados é uma das saídas de alguns clubes brasileiros. Falcão chega ao Colorado depois da derrota no Mundial de Clubes de 2010, da campanha ruim no Gaúcho e regular na Libertadores de 2011. Além disso, o Internacional vê a chance de colocar alguém carismático no comando do time, assim como o rival Grêmio, que vive um grande momento com Renato Gaúcho.

Hoje, entre os grandes do Brasil, os dois clubes gaúchos são os únicos que contam com dois ídolos como técnicos. Em outras equipes, alguns ex-jogadores sem tanto brilho estão como treinadores, como Vanderlei Luxemburgo, no Flamengo, e Adílson Bastista, que começou sua carreira no Atlético-PR em 1986.

Pelo mundo, alguns ídolos estão no comando de grandes clubes, como o ex-volante Guardiola, no Barcelona, o ex-atacante Vicenzo Montella, que assumiu recentemente a Roma-ITA, o ex-zagueiro Frank de Boer, técnico do Ajax (onde jogou de 1988 a 1998), além do volante Didier Deschamps, treinador do Olympique de Marselha. Na América do Sul, o River Plate conta com um ídolo no comando. O meia Juan José López, revelado pelo brasileiro Didi, jogou de 1970 a 1981 pelo clube, disputando mais de 400 partidas. López, aliás, vem fazendo um grande trabalho pelo time de Buenos Aires, que lidera o Campeonato Argentino.

Em toda a sua história, o Internacional já teve jogadores de passagens vitoriosas dirigindo o time principal. No início, de 1909 a 1921, o Colorado era comando pelo capitão do time. Seu primeiro técnico não jogador foi José Luís Godolfim, em 1922. Desde então, alguns jogadores que se destacaram pelo Inter dirigiram o time, como Larry, Paulinho de Almeida, Gainete, Cláudio Duarte, Carpegiani, Carbone, Figueroa e Mário Sérgio.

Didier Deschamps

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 24 de março de 2011 Copa Libertadores | 12:57

As viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores

Compartilhe: Twitter

O Fluminense venceu o América-MEX de virada, ontem, pela Copa Libertadores de forma histórica. Até hoje, nenhum clube brasileiro conseguiu a virada num jogo pela principal competição sul-americana depois de levar um gol tão tarde, no minuto 72 (27 do segundo tempo).

Na maioria das vezes, os clubes brasileiros levaram reverteram o placar depois de levar o gol no primeiro tempo. Das 73 viradas, apenas em 13 delas os brasileiros viraram o jogo depois de tomar um gol no segundo tempo. O Fluminense, vice-campeão de 2008, conquistou ontem sua quarta virada na história da Libertadores. No ano em que foi finalista, o Tricolor venceu o Libertad-PAR, na primeira fase, o Boca Juniors-ARG, na semifinal, e a LDU Quito-EQU, na final, de virada.

Mas até hoje os clubes brasileiros que mais venceram partidas de virada na história da Libertadores foram Santos e São Paulo, com nove vitórias cada. Cruzeiro (8 viradas), Palmeiras (7), Corinthians, Grêmio e Inter (6), aparecem na sequência. Outra curiosidade dessas viradas é que o América-MEX sofreu sua quinta virada para clubes brasileiros. Anteriormente, Corinthians, Grêmio, São Caetano e Santos já bateram o time mexicano dessa forma. Outro clube que já levou muitas viradas de brasileiros é o Olimpia-PAR, com cinco derrotas dessa forma.

Em relação à diferença de gols, a maior virada foi a do Atlético-MG em 1978. O Galo estava perdendo por 4 x 2 até os 17 minutos do segundo tempo, fora de casa, para o Palestino-CHI, e conseguiu virar para 5 x 4. Entre as mais importantes, estão a virada do Santos sobre o Boca Juniors, em pleno estádio La Bombonera, em Buenos Aires, na final de 1963; a semifinal da 2000, quando o Palmeiras venceu o Corinthians de virada (3 x 2), levando a decisão para a disputa por pênaltis – vencida pela alviverde; além do primeiro jogo da final do ano passado, quando o Inter saiu perdendo para o Chivas Guadalajara, no México, e venceu por 2 x 1.

Relembre abaixo todas as viradas dos clubes brasileiros na história da Libertadores:

SANTOS (9)
18/2/1962 – Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase
Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 – Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final
Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 – Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase
Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 – Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase
Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 – Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase
Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 – Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final
José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 – Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final
Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 – Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal
Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 – Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase
Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

.
SÃO PAULO (9)
24/4/1974 – Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase
Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 – São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final
Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 – São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal
José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 – São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase
Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 – São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 – São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final
Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 – São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase
Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 – São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase
Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 – São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase
Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

.
CRUZEIRO (8)
1/5/1967 – Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase
Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 – Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal
Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 – Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase
Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 – Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase
Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase
Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 – Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase
Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 – Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase
Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 – Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final
Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

.

PALMEIRAS (7)
27/1/1968 – Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase
Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 – Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase
Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase
Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 – Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal
Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 – Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final
Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 – Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase
Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 – Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal
Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2
.

CORINTHIANS (6)
19/3/1996 – Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase
Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 – Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final
Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 – Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase
Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 – Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase
Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 – Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final
Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 – Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase
Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

.
GRÊMIO (6)

25/3/1983 – Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 – Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final
Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 – América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase
Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 – River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final
Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 – Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final
Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 – Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar
Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

.
INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 – Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase
José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 – Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase
Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 – Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final
Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 – Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase
David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 – Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final
Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 – Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase
Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

.
FLUMINENSE (4)

19/3/2008 – Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase
Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 – Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal
Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 – Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final
Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 – Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase
Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

.
FLAMENGO (3)
30/10/1981 – Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 – Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase
Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 – Flamengo 2 x 1 Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal
Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

,
SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 – Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase
César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 – São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final
Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 – São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final
Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)
24/3/1992 – San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase
Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 – Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final
Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

,
SPORT (2)
22/4/2009 – Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 – LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase
Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

.
VASCO (2)
15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final
Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

.
ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 – Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase
Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

.
BAHIA (1)

21/2/1989 – Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

.
BOTAFOGO (1)
19/4/1996 – Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

.
CORITIBA (1)

25/7/1986 – Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

.
GUARANI (1)

3/8/1988 – Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

.
PAYSANDU (1)

11/3/2003 – Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase
Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

.

SANTOS (9)

18/2/1962 Deportivo Municipal (BOL) 3 x 4 Santos – Primeira Fase

Luis Aguillera 16/1, Lima 42/1, Mengálvio 12/2, Julio Torres 14/2, Ramon Diaz 17/2, Pagão 33/2 e Tite 35/2

11/9/1963 Boca Juniors (ARG) 1 x 2 Santos – Final

Sanfilippo 1/2, Coutinho 5/2 e Pelé 37/2

20/2/2003 Santos 3 x 1 12 de Octubre (PAR) – Primeira Fase

Fredy Bareiro 3/1, Elano 17/1, Ricardo Oliveira 18/2 e Nené 26/2

6/4/2005 Santos 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Primeira Fase

Patricio Urrutia 2/1, Robinho 20/1, Ricardinho 3/2 e Robinho 17/2

20/4/2005 Danubio (URU) 1 x 2 Santos – Primeira Fase

Omar Pouso 7/2, Deivid 21/2 e Ignacio Risso (contra) 38/2

10/5/2007 Santos 3 x 2 Caracas (VEN) – Oitavas de final

José Manuel Rey 22/1, Wilson Carpintero 31/1, Adailton 34/1 e Zé Roberto 40/1 e 21/2

23/5/2007 Santos 2 x 1 América (MEX) – Quartas de final

Daniel Bilos 32/1, Jonas 19/2 e Rodrigo Souto 26/2

6/6/2007 Santos 3 x 1 Grêmio – Semifinal

Diego Souza 23/1, Renatinho 45/1, Renatinho 16/2 e Zé Roberto 38/2

16/4/2008 Santos 2 x 1 Cúcuta (COL) – Primeira Fase

Lin Carlos Henry 22/1, Kléber Pereira 23/2 e Trípodi 43/2

SÃO PAULO (9)

24/4/1974 Palmeiras 1 x 2 São Paulo – Primeira Fase

Ronaldo 39/1, Mauro 40/1 e Chicão 26/2

12/10/1974 São Paulo 2 x 1 Independiente (ARG) – Final

Hugo Saggioratto 29/1, Pedro Rocha 2/2 e Mirandinha 5/2

10/8/1994 São Paulo 2 x 1 Olimpia (PAR) – Semifinal

José Cardozo 12/1, Palhinha 39/1 e Müller 20/2

7/4/2004 São Paulo 3 x 1 Alianza Lima (PER) – Primeira Fase

Roberto Silva 24/1, Marquinhos 38/1, Luís Fabiano 1/2 e 24/2

12/5/2004 São Paulo 2 x 1 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Herrera 6/1, Grafite 2/2 e 31/2

26/5/2004 São Paulo 4 x 1 Deportivo Táchira (VEN) – Quartas de final

Emerson Panigutti 6/1, Grafite 23/1, Luís Fabiano 14/2, Gustavo Nery 23/2 e Luís Fabiano 44/2

5/3/2008 São Paulo 2 x 1 Audax Italiano (CHI) – Primeira Fase

Carlos Villanueva 17/2, Adriano 28/2 e 40/2

8/4/2008 São Paulo 2 x 1 Defensor (URU) – Primeira Fase

Diego de Souza 38/1, Borges 25/2 e 29/2

22/4/2008 São Paulo 2 x 1 América de Cali (COL) – Primeira Fase

Wilmer Parra 8/1, Dagoberto 12/2 e 31/2

CRUZEIRO (8)

1/5/1967 Sport Boys (PER) 1 x 2 Cruzeiro – Primeira Fase

Juan Muñante 2/1, Neco 44/1 e Evaldo 21/2

14/6/1967 Cruzeiro 2 x 1 Nacional (URU) – Fase Semifinal

Juan Mujica 39/1, Natal 41/1 e Evaldo 19/2

14/3/1976 Sportivo Luqueño (PAR) 1 x 3 Cruzeiro – Primeira Fase

Benito Sandoval 29/1, Roberto Batata 3/2, Nelinho 20/2 e Jairzinho 39/2

4/4/1976 Cruzeiro 4 x 1 Olimpia (PAR) – Primeira Fase

Hugo Tavallera 11/1, Jairzinho 25/1, 3/2, Nelinho 13/2 e Jairzinho 30/2

25/3/1994 Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Primeira Fase

Rincón 40/1, Nonato 8/2 e Luiz Fernando 9/2

6/4/1994 Cruzeiro 2 x 1 Boca Juniors (ARG) – Primeira Fase

Sergio Martinez 3/1, Luiz Fernando 20/1 e Ronaldo 23/2

6/4/2001 Olimpia (PAR) 3 x 4 Cruzeiro – Primeira Fase

Giovanni 10/1, Victor Quintana 32/1, Gabriel González 43/1, Giovanni 7/2, Francisco Esteche 11/2, Jorge Wagner 34/2 e Alessandro 43/2

13/5/2004 Cruzeiro 2 x 1 Deportivo Cali (COL) – Oitavas de final

Tressor Moreno 41/1, Alex 2/2 e Guilherme 42/2

PALMEIRAS (7)

27/1/1968 Náutico 1 x 3 Palmeiras – Primeira Fase

Ladeira 9/1, Ademir da Guia 13/1, 24/2 e Tupãzinho 36/2

4/2/1968 Deportivo Galícia (VEN) 1 x 2 Palmeiras – Primeira Fase

Jaime González 38/1, Ademir da Guia 21/1 e Amarilla (contra) 38/2

4/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Guaraní (PAR) – Segunda Fase

Genaro García 39/1, Julio Amaral 44/1 e Tupãzinho 29/2

23/4/1968 Palmeiras 2 x 1 Peñarol (URU) – Semifinal

Héctor Silva 40/1, Tupãzinho 45/1 e 10/2

2/8/1995 Palmeiras 5 x 1 Grêmio – Quartas de final

Jardel 16/1, Cafu 29/1, Amaral 38/1, Paulo Isidoro 13/2, Mancuso 24/2 e Cafu 39/2

7/4/1999 Palmeiras 2 x 1 Cerro Porteño (PAR) – Primeira Fase

Gauchinho 3/2, Júnior Baiano 14/2 e Arce 18/2

6/5/2000 Palmeiras 3 x 2 Corinthians – Semifinal

Euller 34/1, Luizão 38/1 e 6/2, Alex 14/2 e Galeano 25/2

CORINTHIANS (6)

19/3/1996 Universidad Católica (CHI) 2 x 3 Corinthians – Primeira Fase

Rozental 29/1, Marcelinho Carioca 36/1, Daniel López 5/2, Leonardo 6/2 e Edmundo 30/2

8/5/1996 Espoli (EQU) 1 x 3 Corinthians – Oitavas de final

Teodoro Jauch 2/1, Cris 4/1, Ballesteros (contra) 44/1 e Beiner García (contra) 30/2

26/3/1999 Olimpia (PAR) 1 x 2 Corinthians – Primeira Fase

Marcelo Paredes 31/1, Vampeta 29/2 e Ewerthon 31/2

5/4/2000 Corinthians 2 x 1 América (MEX) – Primeira Fase

Cuauthémoc Blanco 1/1, Vampeta 31/2 e Dinei 36/2

9/5/2000 Corinthians 3 x 2 Rosario Central (ARG) – Oitavas de final

Luizão 31/1, Juan Antonio Pizzi 38/1, Raul Gordillo 1/2, Edílson 12/2 e Luizão 15/2

24/2/2010 Corinthians 2 x 1 Racing (URU) – Primeira Fase

Martín Cauteruccio 1/1, Elias 10/1 e 25/2

GRÊMIO (6)

25/3/1983 Bolívar (BOL) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Eduardo Navarro 35/1, Osvaldo 21/2 e China 37/2

3/6/1997 Grêmio 2 x 1 Cruzeiro – Quartas de final

Fabinho 15/2, Mauro Galvão 24/2 e Zé Alcino 38/2

13/3/1998 América (MEX) 1 x 2 Grêmio – Primeira Fase

Sergio Zárate 27/1, Guilherme 15/2 e Beto 24/2

24/4/2002 River Plate (ARG) 1 x 2 Grêmio – Oitavas de final

Eduardo Coudet 1/2, Tinga 11/2 e Gilberto 45/2

8/5/2003 Olimpia (PAR) 2 x 3 Grêmio – Oitavas de final

Claudiomiro 20/1, Rodrigo López 27/1, Mauro Caballero 34/1, Gilberto 17/2 e Luís Mário 20/2

2/2/2011 Grêmio 3 x 1 Liverpool (URU) – Fase Preliminar

Alfaro 35/1, André Lima 38/1, Vinícius Pacheco 12/2 e 28/2

INTERNACIONAL (6)

8/3/2006 Pumas UNAM (MEX) 1 x 2 Internacional – Primeira Fase

José Luis López 43/1; Rentería 19/2 e Fernandão 36/2

22/3/2006 Internacional 3 x 2 Pumas UNAM (MEX) – Primeira Fase

Gerardo Galindo 4/1, Joaquín Botero 34/1, Michel 37/1, Fernandão 7/2 e Adriano 31/2

27/4/2006 Nacional (URU) 1 x 2 Internacional – Oitavas de final

Marco Vanzini 29/1, Jorge Wagner 45/1 e Rentería 19/2

23/2/2010 Internacional 2 x 1 Emelec (EQU) – Primeira Fase

David Quiroz 3/2, Nei 7/2 e Alecsandro 42/2

11/8/2010 Chivas Guadalajara (MEX) 1 x 2 Internacional – Final

Bautista 45/1, Giuliano 26/2 e Bolívar 31/2

16/3/2011 Jorge Wilstermann 1 x 4 Internacional – Primeira Fase

Brown 8/1, Brown 16/2 (contra), Leandro Damião 19/1, Zé Roberto 25/1 e Kléber 37/2

FLUMINENSE (4)

19/3/2008 Libertad (PAR) 1 x 2 Fluminense – Primeira Fase

Juan Samudio 30/1, Washington 40/1 e 5/2

4/6/2008 Fluminense 3 x 1 Boca Juniors (ARG) – Semifinal

Palermo 13/2, Washington 18/2, Conca 25/2 e Dodô 48/2

2/7/2008 Fluminense 3 x 1 LDU Quito (EQU) – Final

Luis Bolaños 6/1, Thiago Neves 12/1, 28/1 e 13/2

23/3/2011 Fluminense 3 x 2 América (MEX) – Primeira Fase

Sánchez 15/1, Gum 21/1, Sánchez 27/2, Araújo 35/2 e Deco 42/2

FLAMENGO (3)

30/10/1981 Flamengo 4 x 1 Jorge Wilstermann (BOL) – Fase Semifinal

Gastón Taborga 2/1, Nunes 18/1, Adílio 38/1, Anselmo 42/2 e Chiquinho 44/2

22/4/1983 Flamengo 7 x 1 Blooming (BOL) – Primeira Fase

Juan Carlos Sánchez 29 segundos, Robertinho 5/1, Elder 24/1, Robertinho 25/1, Zico 26/1, Baltazar 35/1, Zico 39/2 e 42/2

12/7/1984 Flamengo 2 x 1Universidad Los Andes (VEN) – Fase Semifinal

Itamar de Acevedo 13/1, Tita 3/2 e Adílio 36/2

SÃO CAETANO (3)

5/3/2002 Cerro Porteño (PAR) 1 x 3 São Caetano – Primeira Fase

César Ramírez 22/1, Wagner 30/1, Rubens Cardoso 14/2 e Brandão 30/2

15/5/2002 São Caetano 2 x 1 Peñarol (URU) – Quartas de final

Daniel Jiménez 1/1, Jean Carlos 26/1 e Somalia 9/2

5/5/2003 São Caetano 2 x 1 América (MEX) – Oitavas de final

Ariel González 22/1, Anderson Lima 6/2 e Franky Oviedo (contra) 38/2

CRICIÚMA (2)

24/3/1992 San José (BOL) 1 x 2 Criciúma – Primeira Fase

Pedro Roja 20/2, Gélson 24/2 e Jairo Lenzi 28/2

4/5/1992 Criciúma 3 x 2 Sporting Cristal (PER) – Oitavas de final

Julio Antón 10/1, Wilson 39/1, Orlando Prado 45/1, Gélson 3/2 e Everaldo 31/2

SPORT (2)

22/4/2009 Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI) – Primeira Fase

Rodrigo Millar 4/2, Moacir 14/2 e Vandinho 32/2

29/4/2009 LDU Quito (EQU) 2 x 3 Sport – Primeira Fase

Carlos Espínola 2/1, Andrade 23/1, Danny Vera 41;1, Igor 13/2 e Andrade 32/2

VASCO (2)

15/4/1998 Vasco 2 x 1 Cruzeiro – Oitavas de final

Marcelo Ramos 20/1, Luizão 27/1 e Donizete 11/2

9/5/2001 Deportes Concepción (CHI) 1 x 3 Vasco – Oitavas de final

Carlos Verdugo 6/1, Juninho Paulista 20/1, Romário 19/2 e Juninho Paulista 45/2

ATLÉTICO-MG (1)

26/3/1978 Palestino (CHI) 4 x 5 Atlético-MG – Primeira Fase

Marcelo 27/1, Oscar Fabbiani 1/2, Serginho 7/2, Oscar Fabbiani 13/2, 15/2 e 17/2, Ziza 19/2, Fuentes (contra) 27/2 e Ziza 34/2

BAHIA (1)

21/2/1989 Internacional 1 x 2 Bahia – Primeira Fase

Diego Aguirre 7/1, Gil Baiano 24/1 e Zé Carlos 30/1

BOTAFOGO (1)

19/4/1996 Botafogo 3 x 1 Universidad de Chile (CHI) – Primeira Fase

Leonardo Rodríguez 19/1, Dauri 37/1, Ronald Fuentes (contra) 2/2 e Bentinho 45/2

CORITIBA (1)

25/7/1986 Coritiba 3 x 1 Deportivo Quito (EQU) – Primeira Fase

Dardo Pérez 34/1, Hélcio 4/2 e Geraldo 22/2 e 39/2

GUARANI (1)

3/8/1988 Guarani 4 x 1 Sport – Primeira Fase

Robertinho 25/1, Neto 42/2, Careca Bianchesi 16/2, Neto 22/2 e Toni 25/2

PAYSANDU (1)

11/3/2003 Paysandu 3 x 1 Universidad Católica (CHI) – Primeira Fase

Cristián Alvarez 12/1, Róbson 45/1, Vélber 4/2 e Róbson 38/2

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de março de 2011 Campeonatos Estaduais, Estatísticas | 09:20

Quais os clubes invictos nos Estaduais de 2011

Compartilhe: Twitter

Caiu ontem um dos últimos clubes invictos pelos Estaduais do Brasil em 2011. O Corinthians, líder do Paulistão, foi derrotado pela Ponte Preta, em casa, por 1 x 0, e perdeu sua sequência de 11 jogos de invencibilidade na competição, dando adeus ao sonho de ser campeão sem derrota, como em 2009. Outro invicto que perdeu ontem foi a Anapolina, que acabou derrotada pelo Goiás (3 x 1) e perdeu sua invencibilidade de 10 jogos.

Dos outros 19 Campeonatos Estaduais em andamento pelo país, apenas 12 clubes entre os 183 participantes ainda não perderam em 2011. Vale lembrar que a bola não rolou ainda no Acre, Amapá, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins e que no Maranhão foi realizado apenas um jogo.

Desses invictos na temporada dos Estaduais, os dois times que têm as maiores sequências invictas são o Ceará, com 14 jogos, e o Coritiba, com 13 jogos. Campeão do primeiro turno no Paranaense e já classificado para a final do estadual, o Coxa venceu ontem o Paranavaí por 3 x 0. Já o Ceará, também campeão do primeiro turno e finalista, bateu o Limoeiro por 4 x 1 e chegou a 14 jogos sem derrota.

Dos 12 invictos, o Flamengo é o clube com o melhor aproveitamento até agora (93,3%). Em 10 jogos no Carioca, o campeão da Taça Guanabara venceu 9 e empatou apenas um (contra o Botafogo, na semifinal da Taça GB).

Confira quem são os invictos nos Estaduais de 2011 e suas respectivas campanhas:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 Campeões, Campeonatos Estaduais | 09:35

As zebras que já chegaram na final da Taça Guanaraba

Compartilhe: Twitter

Maior campeão da história da Taça Guanabara com 18 títulos em 46 edições, o Flamengo terá pela frente o surpreendente Boavista, que eliminou o Fluminense, nos pênaltis, na semifinal. O clube da Região dos Lagos é uma das novas zebras que já chegaram à decisão da Taça Guanabara.

Disputada desde 1965, a Taça Guanabara já passou por diversas mudanças. No início, a Taça GB era disputada à parte do Campeonato Estadual e servia para apontar o representante carioca na extinta Taça Brasil. O torneio nacional foi disputado até 1969, mas a Taça Guanabara continuou sendo disputada separadamente do estadual do Rio até 1971.

A partir de 1972, o Campeonato Carioca começou a ser disputado com dois turnos e a Taça Guanabara passou a equivaler ao primeiro turno, dando vaga na final do campeonato. Essa fórmula foi mantida, praticamente, até 2000. Apenas em 1980 a Taça GB foi disputada à parte. Já em 1993 e 1994, houve final entre os times que mais pontuaram no primeiro turno. Desde 2001, a Taça Guanabara ganhou um novo formato, com dois grupos, semifinal e final. Desde então, em onze edições, apenas duas vezes os quatro grandes do Rio chegaram juntos à semifinal (em 2008 e em 2010).

Entre as zebras, duas já ficaram com o título: o Americano, em 2002, quando os grandes estavam disputando o Torneio Rio-São Paulo e deixaram o Estadual de lado, com times reservas, e o Volta Redonda, campeão em 2005, quando bateu o Americano na final. Recentemente, Madureira e Resende chegaram à final do Taça Guanabara (2007 e 2009), mas perderam para Flamengo e Botafogo, respectivamente.

O técnico do Boavista, Alfredo Sampaio, já foi campeão da Taça Rio de 2006 com o Madureira. No atual elenco, o Boavista tem alguns veteranos conhecidos, como o goleiro Sílvio Luiz (reserve de Thiago); Joílson, lateral-direito (ex-Grêmio e São Paulo), e os atacantes Frontini e Max. Além deles, estão alguns jovens revelados por grandes do Rio, que ainda não estouraram, como os meias Erick Flores (ex-Flamengo) e Raphael Augusto (ex-Fluminense).

Desde 1965, o Flamengo é o maior campeão da Taça Guanabara com 18 títulos, seguido pelo Vasco (11), Fluminense (8), Botafogo (6), América (1), Americano (1) e Volta Redonda (1). Dessas 46 edições, 26 campeões da Taça GB foram também campeões cariocas no mesmo ano. Isso aconteceu 10 vezes com o Flamengo, seis com o Vasco e cinco com Fluminense e Botafogo.

Confira abaixo os campeões e vices da tradicional Taça Guanabara:

Ano Campeão Vice
1965 Vasco Botafogo
1966 Fluminense Flamengo
1967 Botafogo* América
1968 Botafogo* Flamengo
1969 Fluminense* Botafogo
1970 Flamengo Fluminense
1971 Fluminense* Botafogo
1972 Flamengo* Fluminense
1973 Flamengo Vasco
1974 América Fluminense
1975 Fluminense* América
1976 Vasco Flamengo
1977 Vasco* Flamengo
1978 Flamengo* Fluminense
1979 Flamengo* Vasco
1980 Flamengo Americano
1981 Flamengo* América
1982 Flamengo Vasco
1983 Fluminense* América
1984 Flamengo Fluminense
1985 Fluminense* Vasco
1986 Vasco Flamengo
1987 Vasco* Fluminense
1988 Flamengo Vasco
1989 Flamengo Botafogo
1990 Vasco Botafogo
1991 Fluminense Flamengo
1992 Vasco* Flamengo
1993 Fluminense Vasco
1994 Vasco* Fluminense
1995 Flamengo Botafogo
1996 Flamengo* Vasco
1997 Botafogo* Vasco
1998 Vasco* Flamengo
1999 Flamengo* Vasco
2000 Vasco Botafogo
2001 Flamengo* Fluminense
2002 Americano Vasco
2003 Vasco* Flamengo
2004 Flamengo* Fluminense
2005 Volta Redonda Americano
2006 Botafogo* América
2007 Flamengo* Madureira
2008 Flamengo* Botafogo
2009 Botafogo Resende
2010 Botafogo* Vasco

.

* Também conquistaram o Campeonato Carioca no mesmo ano.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 Copa do Brasil, Estatísticas, História | 12:49

Curiosidades e ranking da Copa do Brasil, que começa hoje

Compartilhe: Twitter

A 23ª edição da Copa do Brasil começa hoje com 14 jogos. Os dois principais, no final da noite: Murici-AL x Flamengo e Treze-PB x São Paulo. O primeiro jogo, devido à presença de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo, clube que lidera o ranking de pontos da história da Copa do Brasil. Já a partida do São Paulo, marcará o retorno do clube paulista no torneio depois de sete anos. O tricolor, aliás, é um dos poucos clubes, entre os grandes do país, que ainda não conquistou a Copa do Brasil (Vasco, Botafogo e Atlético-MG também não levantaram a taça).

Essa atual edição da Copa do Brasil não contará com os maiores campeões do torneio: Cruzeiro e Grêmio (4 títulos cada) e Corinthians (3 títulos), todos participantes da Libertadores de 2011. Outros clubes que também já venceram a Copa estarão ausentes na edição de 2011: Fluminense (campeão de 2007), Internacional (1992) e Santos (atual campeão), todos, também, na Libertadores, além de Criciúma (campeão de 1991) e Juventude (1999), que não conseguiram se classificar pelo estadual.

Sendo assim, apenas cinco dos treze campeões da Copa do Brasil estarão na disputa pelo título em 2011: Flamengo (campeão em 1990 e 2006), Palmeiras (1998), Sport (2008), Santo André (2004) e Paulista (2005).

Entre os treinadores, a competição terá como atrativo a volta de Luiz Felipe Scolari, o técnico mais vezes campeão da Copa do Brasil (1991, pelo Criciúma, 1994, pelo Grêmio, e 1998, pelo Palmeiras); além de Vanderlei Luxemburgo, campeão em 2003, pelo Cruzeiro, e Dorival Júnior, que conquistou o título pelo Santos, no ano passado.

Até hoje, 257 clubes já disputaram a Copa do Brasil, desde 1989. O Flamengo, com 240 pontos, é o primeiro colocado no ranking de pontos da competição, seguido por Grêmio, Vasco, Corinthians e Atlético-MG. O Galo mineiro, aliás, é o clube que mais vezes disputou a competição (21), ao lado do Vitória, que detém o recorde de partipações consecutivas na atualidade (18). Desde 1993, o rubro-negro vem disputando a Copa do Brasil. Desde então, seu melhor desempenho foi vice, em 2010. Confira abaixo o ranking com os primeiros colocados e aqui o ranking completo:

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última