Publicidade

Posts com a Tag Libertadores

segunda-feira, 5 de março de 2012 Confrontos, Copa Libertadores, Estatísticas, História, Sem categoria | 16:37

Santos defende tabu contra Internacional na Vila Belmiro

Compartilhe: Twitter

Santos e Internacional farão na próxima quarta, às 19h45, um dos jogos mais aguardados dessa fase de grupos da Libertadores. Lado a lado, os dois últimos campeões da competição. Além disso, o duelo vem repleto de marcas que só enriquecem o confronto.

Desde o dia 12/5/1935, data do primeiro confronto, Santos e Internacional já se enfrentaram 58 vezes, com 23 vitórias para o Peixe, 15 empates e 20 vitórias do Colorado. O Santos marcou 77 gols e sofreu 75.

Curiosamente, em 14 jogos na Vila Belmiro, palco de jogo de quarta, o Santos nunca perdeu para o Inter. Veja o tabu:

Data Santos
x
Inter Competição
05/11/1989 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
30/03/1992 Santos 4 x 0 Inter Brasileiro
09/11/1994 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
26/03/1997 Santos 2 x 0 Inter Copa do Brasil
30/08/1998 Santos 2 x 0 Inter Brasileiro
27/02/2002 Santos 3 x 3 Inter Copa do Brasil
25/05/2003 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
20/06/2004 Santos 3 x 0 Inter Brasileiro
06/08/2006 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
05/09/2007 Santos 2 x 1 Inter Brasileiro
16/11/2008 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
26/08/2009 Santos 3 x 3 Inter Brasileiro
13/10/2010 Santos 1 x 0 Inter Brasileiro
21/05/2011 Santos 1 x 1 Inter Brasileiro

Na Vila Belmiro, aliás, o Santos defende uma invencibilidade de 15 jogos (14 vitórias e um empate). A última derrota foi em 2005, diante do Atlético-PR (0 x 2), pelas quartas de final.

Da última vez que se enfrentaram, Inter e Santos fizeram um jogaço no Beira-Rio. Depois de abrir 3 x 0, com gols de Bolívar e Leandro Damião no primeiro tempo e Oscar, aos 26 do segundo, o Inter foi surpreendido e levou o empate. Borges diminuiu aos 31, Alan Kardec fez o segundo aos 35 e Borges, novamente, empatou aos 41 minutos.

O jogo irá marcar também o confronto entre Muricy Ramalho, ex-técnico do Inter, e Dorival Júnior, que já dirigiu o Santos. Muricy, que comandou o Colorado em 2003 e depois em 2004 e 2005, encontrará com quatro jogadores remanescentes de sua época (Índio, Tinga, Bolívar e Renan. Já Dorival, que foi campeão paulista e da Copa do Brasil com o Santos em 2010, tem um grupo maior de ex-companheiros de trabalho: dez (Rafael, Vladimir, Maranhão, Edu Dracena, Durval, Bruno Rodrigo, Léo, Arouca, Ganso e Neymar).

No confronto direto entre os treinadores, Muricy, porém, leva vantagem. Em dez jogos, venceu seis, empatou dois e perdeu outros dois. E dos últimos oitos confrontos, não perdeu para Dorival. Confira:

Data Dorival Muricy
22/11/2003 Figueirense 3 x 2 Internacional
16/05/2004 Figueirense 1 x 0 São Caetano
17/07/2005 Juventude 2 x 5 Internacional
22/07/2007 Cruzeiro 1 x 2 São Paulo
21/10/2007 Cruzeiro 0 x 1 São Paulo
25/05/2008 Coritiba 1 x 1 São Paulo
24/08/2008 Coritiba 2 x 2 São Paulo
18/07/2010 Santos 0 x 1 Fluminense
16/07/2011 Atlético-MG 1 x 2 Santos
31/08/2011 Internacional 3 x 3 Santos

Mas nem tudo está a favor do Santos nesse jogo. Contra equipes brasileiras pela Libertadores, o Peixe não tem um retrospecto tão bom. Em oito jogos, ganhou dois, empatou um e perdeu cinco. Veja:

Data Jogo v, e, d
22/08/1963 Santos 1 x 1 Botafogo e
28/08/1963 Botafogo 0 x 4 Santos v
11/03/1984 Flamengo 4 x 1 Santos d
20/04/1984 Santos 0 x 5 Flamengo d
01/06/2005 Atlético-PR 3 x 2 Santos d
15/06/2005 Santos 0 x 2 Atlético-PR d
30/05/2007 Grêmio 2 x 0 Santos d
06/06/2007 Santos 3 x 1 Grêmio v

xxx

Porém, o confronto contra brasileiros pela Libertadores também não é tão favorável ao Inter. Em 18 jogos, ganhou cinco, empatou seis e perdeu sete. Confira:

Data Jogo v, e, d
07/03/1976 Cruzeiro 5 x 4 Inter d
28/03/1976 Inter 0 x 2 Cruzeiro d
03/04/1977 Corinthians 1 x 1 Inter e
24/04/1977 Inter 1 x 0 Corinthians v
03/07/1977 Cruzeiro 1 x 0 Inter d
24/07/1977 Inter 0 x 0 Cruzeiro e
23/03/1980 Vasco 0 x 0 Inter e
20/04/1980 Inter 2 x 1 Vasco v
21/02/1989 Inter 1 x 2 Bahia d
14/03/1989 Bahia 0 x 1 Inter v
19/04/1989 Inter 1 x 0 Bahia v
26/04/1989 Bahia 0 x 0 Inter e
11/02/1993 Inter 0 x 0 Flamengo e
10/03/1993 Flamengo 3 x 1 Inter d
08/08/2006 São Paulo 1 x 2 Inter v
16/08/2006 Inter 2 x 2 São Paulo e
28/07/2010 Inter 1 x 0 São Paulo v
05/08/2010 São Paulo 2 x 1 Inter d

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 14 de abril de 2011 Copa Libertadores | 12:57

Cruzeiro alcança marcas importantes na Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com a bela vitória sobre Estudiantes-ARG, por 3 x 0, fora de casa, o Cruzeiro encerrou sua participação na fase de grupos da Libertadores com uma excelente campanha. Não fosse o empate, contra o Tolima (0 x 0, na Colômbia), a Raposa fecharia com 100% de aproveitamento. Com 16 pontos, o time mineiro garantiu já o primeiro lugar na classificação geral da segunda fase e poderá decidir todos os jogos em casa até a final (se chegar lá, claro).

Desde 1995, quando o torneio passou a pontuar os clubes com 3 pontos por vitória. Apenas dois clubes fecharam a fase de grupos com 100% de aproveitamento: Vasco, em 2001, e Santos, em 2007. Desde então, essa é primeira vez que a Raposa termina no primeiro lugar nessa fase. Além disso, dessas 17 edições, apenas um primeiro colocado da fase de grupos ficou com o título (o River Plate, em 1996).

Veja abaixo as campanhas dos primeiros colocados na fase de grupos da Libertadores desde 1995:

.

.

.

.

.

.

.

.

Mas o que mais impressionou nessa campanha cruzeirense de 2011 foram os gols. A equipe do técnico Cuca marcou 20 gols e sofreu apenas um. Desde 1960, a melhor marca é a do Santos, de Pelé, que fez os mesmos 20 gols, porém em apenas 4 jogos. O ataque do Cruzeiro de 2011 igualou a marca do time campeão de 1976, que também fez 20 gols na primeira fase. Já a defesa também igualou a marca de algumas melhores até hoje. Desde de a primeira edição, apenas um clube não levou gol na fase de grupos, o Boca Juniors-ARG, em 1977. Outros dez clubes com o Cruzeiro de 2011, sofreram apenas um gol na fase de grupos: San Lorenzo-ARG (73), Junior-COL (78), River Plate (78), Vélez Sarsfield (80), Newell’s Old Boys-ARG (88), Independiente Medellín-COL (94), Goiás (06), Santos (07), Grêmio (09) e Cruzeiro (11).

Confira os melhores ataques na fase de grupos na história da Libertadores:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 31 de março de 2011 Artilheiros, Copa Libertadores, História | 09:24

Thiago Ribeiro entra para o Top-3 do Cruzeiro em Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com o gol anotado ontem, na vitória do Cruzeiro sobre o Guaraní-PAR por 2 x 0, o atacante Thiago Ribeiro chegou a marca de três gols pela Raposa na atual edição da Libertadores. Artilheiro da competição no ano passado, com 8 gols, Thiago soma agora 11 gols pelo Cruzeiro e está na lista dos três maiores artilheiros do clube na história do torneio Sul-Americano.

Com 11 gols, Thiago Ribeiro está empatado com Nelinho e Kléber e apenas a um gol de igualar Jairzinho, que marcou 12 gols só na edição de 1976, quando a Raposa faturou seu primeiro caneco da Libertadores. O recordista segue sendo Palhinha, que também participou da campanha vitoriosa de 1976. O atacante marcou 20 gols, sendo 7 em 1975 e 13 em 1976, quando, inclusive, foi artilheiro da Libertadores.

Além de Thiago Ribeiro e Palhinha, o Cruzeiro conseguiu também fazer o artilheiro da Libertadores em 2008, quando Marcelo Moreno marcou 8 gols, assim como o paraguaio Salvador Cabañas, do América-MEX.

Vice-campeão da Libertadores em 2006, pelo São Paulo, Thiago Ribeiro fez um gol pelo São Paulo naquela edição. Assim, com os seus 11 gols, soma 12 gols na história da Libertadores.

Na vitória de ontem, dois jogadores também marcaram história pelo Cruzeiro. O goleiro Fábio e o volante Marquinhos Paraná se tornaram os recordistas de jogos pela Raposa na história da Taça Libertadores. Com 41 jogos, os dois superaram o goleiro Raul, que fez 40 jogos nas Libertadores de 1967, 1975, 1976 e 1977.

Já classificado para as oitavas de final, o Cruzeiro tem hoje o melhor ataque da competição (17 gols) e a melhor defesa (apenas 1 gol sofrido). Para perder o primeiro lugar do Grupo 7, o time mineiro teria que levar uma goleada histórica de 8 gols de diferença do Estudiantes no último jogo, na Argentina.

Confira abaixo a lista dos maiores artilheiros dos clubes brasileiros em Libertadores e também a lista dos maiores artilheiros na história da competição:

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

A curiosidade da lista abaixo é que o uruguaio Hernán Rodrigo López, do Estudiantes, marcou três gols na edição de 2011 e entrou para a lista dos maiores goleadores.

.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 Copa Libertadores, Futebol Europeu, História, Mundial de Clubes | 15:25

Internazionale pode fechar o ano com quinto título

Compartilhe: Twitter

Depois de eliminar com facilidade o Seongnam, da Coreia do Sul, a Internazionale tem tudo para fechar o ano em grande estilo. Se bater o supreendente Mazembe, da Repúblico do Congo, amanhã, na final do Mundial de Clubes da Fifa, o time italiano conquistará seu quinto título na temporada. Em 2010, a Inter conquistou o Campeonato Italiano, a Copa Itália, a Liga dos Campeões da Europa e a Supercopa Italiana. O clube de Milão só perdeu uma taça na temporada, para o Atlético de Madri, na final da Supercopa Europeia.

Com isso, o clube perdeu a chance de igualar o grande feito do Barcelona de 2009, que conseguiu conquistar simplesmente todos os títulos possíveis pela primeira vez na história (Mundial de Clubes, Liga dos Campeões da Europa, Campeonato Espanhol, Copa do Espanha, Supercopa Espanhola e Supercopa Europeia).

Dos campeões mundiais (desde 1960), veja a lista dos campeões mundiais que fecharam o ano com mais títulos:

6 TÍTULOS
2009 Barcelona (Mundial de Clubes, Liga dos Campeões, Camp. Espanhol, Copa do Espanha, Supercopa Espanhola e Supercopa Europeia)

5 TÍTULOS
2010 Internazionale* (Mundial de Clubes, Liga dos Campeões, Camp. Italiano, Copa Itália, Supercopa Italiana)
1995 Ajax (Mundial Interclubes, Liga dos Campeões, Supercopa Europeia, Camp. Holandês, Supercopa Holandesa)

4 TÍTULOS
2008 Manchester United (Mundial de Clubes, Liga dos Campeões, Camp. Inglês, Supercopa Inglesa)
2004 Porto (Mundial Interclubes, Liga dos Campeões, Camp. Português, Supercopa Portuguesa)
2003 Boca Juniors (Mundial Interclubes, Libertadores, Argentino, Recopa Sul-Americana)
1999 Manchester United (Mundial Interclubes, Liga dos Campeões, Camp. Inglês, Copa da Inglaterra)
1993 São Paulo (Mundial Interclubes, Libertadores, Supercopa da Libertadores, Recopa Sul-Americana)
1963 Santos (Mundial de Clubes, Libertadores, Taça Brasil e Paulista)

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 7 de maio de 2010 Copa Libertadores, História | 00:23

Inter não perde em casa há 14 jogos na Libertadores

Compartilhe: Twitter

Com a vitória sobre o Banfield, por 2 x 0, hoje à noite, o Inter garantiu sua classificação para as quartas-de-final da Libertadores. Com esse resultado, o Colorado chegou a marca de 14 jogos sem derrotas no Beira-Rio pela competição. Desde 2006, ano em que conquistou seu primeiro e único título na competição, o Inter não sabe o que é perder em casa. Desde então, foram 11 vitórias e três empates. A última derrota do Inter, em casa, pela Libertadores, foi em 1993 (0 x 1 Atlético Nacional-COL, no dia 16/3/93). Até hoje, o Colorado já disputou 37 jogos no Beira-Rio, com 25 vitórias, 7 empates e apenas 5 derrotas (73,9% de aproveitamento).

Jogos do Inter no Beira-Rio pela Libertadores

Data Internacional Placar

Adversário
14/03/1976 Internacional 1 x 0 Olimpia-PAR
21/03/1976 Internacional 3 x 0 Sportivo Luqueño-PAR
28/03/1976 Internacional 0 x 2 Cruzeiro
24/04/1977 Internacional 1 x 0 Corinthians
01/05/1977 Internacional 3 x 1 Deportivo Cuenca-EQU
05/05/1977 Internacional 2 x 0 El Nacional-EQU
03/07/1977 Internacional 0 x 1 Cruzeiro
27/07/1977 Internacional 2 x 1 Portuguesa-VEN
20/04/1980 Internacional 2 x 1 Vasco
27/04/1980 Internacional 4 x 1 Dep. Táchira-VEN
30/04/1980 Internacional 2 x 0 Deportivo Galícia-VEN
25/06/1980 Internacional 3 x 1 Vélez Sarsfield-ARG
10/07/1980 Internacional 0 x 0 América de Cali-COL
30/07/1980 Internacional 0 x 0 Nacional-URU
21/02/1989 Internacional 1 x 2 Bahia
21/03/1989 Internacional 3 x 1 Marítimo-VEN
28/03/1989 Internacional 3 x 1 Dep. Táchira-VEN
05/04/1989 Internacional 6 x 2 Peñarol-URU
19/04/1989 Internacional 1 x 0 Bahia
17/05/1989 Internacional 2 x 3 Olimpia-PAR
11/02/1993 Internacional 0 x 0 Flamengo
05/03/1993 Internacional 1 x 1 América de Cali-COL
16/03/1993 Internacional 0 x 1 Atlético Nacional-COL
23/02/2006 Internacional 3 x 0 Nacional-URU
22/03/2006 Internacional 3 x 2 Pumas UNAM-MEX
18/04/2006 Internacional 4 x 0 Maracaibo-VEN
03/05/2006 Internacional 0 x 0 Nacional-URU
19/07/2006 Internacional 2 x 0 LDU Quito-EQU
03/08/2006 Internacional 2 x 0 Libertad-PAR
16/08/2006 Internacional 2 x 2 São Paulo
28/02/2007 Internacional 3 x 0 Emelec-EQU
28/03/2007 Internacional 0 x 0 Vélez Sarsfield-ARG
19/04/2007 Internacional 1 x 0 Nacional-URU
31/03/2010 Internacional 2 x 0 Cerro-URU
22/04/2010 Internacional 3 x 0 Deportivo Quito-EQU
23/02/2010 Internacional 2 x 1 Emelec-EQU
06/05/2010 Internacional 2 x 0 Banfield-ARG

aa

A atual invencibilidade do Inter, em casa, é sua maior pela Libertadores. Entre os clubes brasileiros, porém, o Colorado ainda está longe de atingir os 30 jogos sem derrotas de Palmeiras e São Paulo. Veja quais são as maiores invencibilidades, em casa, dos clubes brasileiros na competição:

Clube Estádio Invencibilidade Período
São Paulo Morumbi 30 jogos 04/06/1987 a 08/03/2006
Palmeiras Parque Antártica 30 jogos 11/05/1974 a 12/05/2005
Grêmio Olímpico 26 jogos 21/03/1997 a 30/05/2007
Cruzeiro Mineirão 18 jogos 18/03/1997 a 04/03/2008
Santos Vila Belmiro 15 jogos 20/03/2003 a 25/05/2005
Internacional Beira-Rio 14 jogos 23/02/2006 a 06/05/2010
Corinthians Pacaembu 13 jogos 10/03/1999 a 19/04/2006
Atlético-MG Mineirão 12 jogos 08/10/1978 a 17/05/2000
Vasco São Januário 11 jogos 18/04/1990 a 12/08/1998
Flamengo Maracanã 8 jogos 11/03/1984 a 01/05/1991
Fluminense Maracanã 8 jogos 15/08/1985 a 02/07/2008
Botafogo Maracanã 5 jogos 15/05/1973 a 01/05/1996
03/07/1977 Internacional 0 x 1 Cruzeiro D
27/07/1977 Internacional 2 x 1 Portuguesa-VEN V
20/04/1980 Internacional 2 x 1 Vasco V
27/04/1980 Internacional 4 x 1 Dep. Táchira-VEN V
30/04/1980 Internacional 2 x 0 Deportivo Galícia-VEN V
25/06/1980 Internacional 3 x 1 Vélez Sarsfield-ARG V
10/07/1980 Internacional 0 x 0 América de Cali-COL E
30/07/1980 Internacional 0 x 0 Nacional-URU E
21/02/1989 Internacional 1 x 2 Bahia D
21/03/1989 Internacional 3 x 1 Marítimo-VEN V
28/03/1989 Internacional 3 x 1 Dep. Táchira-VEN V
05/04/1989 Internacional 6 x 2 Peñarol-URU V
19/04/1989 Internacional 1 x 0 Bahia V
17/05/1989 Internacional 2 x 3 Olimpia-PAR D
11/02/1993 Internacional 0 x 0 Flamengo E
05/03/1993 Internacional 1 x 1 América de Cali-COL E
16/03/1993 Internacional 0 x 1 Atlético Nacional-COL D
23/02/2006 Internacional 3 x 0 Nacional-URU V
22/03/2006 Internacional 3 x 2 Pumas UNAM-MEX V
18/04/2006 Internacional 4 x 0 Maracaibo-VEN V
03/05/2006 Internacional 0 x 0 Nacional-URU E
19/07/2006 Internacional 2 x 0 LDU Quito-EQU V
03/08/2006 Internacional 2 x 0 Libertad-PAR V
16/08/2006 Internacional 2 x 2 São Paulo E
28/02/2007 Internacional 3 x 0 Emelec-EQU V
28/03/2007 Internacional 0 x 0 Vélez Sarsfield-ARG E
19/04/2007 Internacional 1 x 0 Nacional-URU V
31/03/2010 Internacional 2 x 0 Cerro-URU V
22/04/2010 Internacional 3 x 0 Deportivo Quito-EQU V
23/02/2010 Internacional 2 x 1 Emelec-EQU V
06/05/2010 Internacional 2 x 0 Banfield-ARG V
Autor: Tags: ,

quinta-feira, 1 de abril de 2010 Copa Libertadores, Estatísticas | 21:38

Corinthians tem o melhor aproveitamento na Libertadores 2010

Compartilhe: Twitter

Com 83% de aproveitamento dos pontos, o Corinthians tem a melhor campanha entre os 32 clubes da segunda fase da Copa Libertadores, a fase de grupos. Líder do Grupo 1 com 10 pontos em 4 jogos, o clube está a frente da Universidad de Chile (77%) e Alianza Lima-PER (75%). Entre os clubes brasileiros, o alvinegro está a frente do São Paulo, Cruzeiro, Inter e Flamengo, todos com 66%.

Com 3 vitórias e 1 empate em 4 jogos, o Corinthians é um dos 7 invictos do torneio, ao lado do Once Caldas-COL, Libertad-PAR, Universitario-PER, Internacional, Nacional-URU e Universidad de Chile-CHI.

Em suas últimas cinco participações, o Corinthians sempre terminou bem a fase de grupos da Libertadores. Em 1996, foi líder no grupo que tinha Botafogo, Universidad de Chile-CHI e Universidad Católica-CHI, e teve um aproveitamento de 72,2%. Em 1999, também foi o líder no grupo que tinha Palmeiras, Cerro Porteño-PAR e Olimpia-PAR, terminando com 66,7% de aproveitamento. Em 2000, o Corinthians teve também 72,2% e foi o primeiro colocado no grupo que contava com o América-MEX, Olimpia-PAR e a LDU Quito-EQU. Já em 2003, o time treinado então por Geninho, teve a melhor campanha entre todos os 32 clubes da fase de grupos, com 83,3%. Naquele ano, o grupo era formado ainda por Cruz Azul-MEX, Fénix-URU e The Strongest-BOL. Já em 2006, o Corinthians foi o líder do grupo formado por Deportivo Cali-COL, Tigres-MEX e Universidad Católica-CHI, com 72,2% de aproveitamento.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010 Copa Libertadores | 16:36

São Paulo tem elenco mais "copeiro" entre os brasileiros de 2010

Compartilhe: Twitter

Dos cinco representantes brasileiros da Libertadores de 2010, o São Paulo é o que conta com mais jogadores no elenco que já disputaram a competição. São 18 no total. Maioria deles jogou pelo Tricolor nos últimos anos da competição. Isso porque o São Paulo vem disputando o torneio sul-americano consecutivamente desde 2004. O segundo clube com mais jogadores com experiência em Libertadores é o Cruzeiro, vice-campeão de 2009. Sem contar aqueles que participaram do último jogo contra o Real Potosí, 17 jogadores do elenco da Raposa já disputaram a Libertadores. Se for confirmada a venda do atacante Kléber e a chegada do argentino Farías e o do meia Roger, esse número poderá subir para 19 e ser maior do que o do São Paulo.

Em terceiro lugar nessa lista vem o Corinthians, com 12 atletas que já disputaram o principal torneio de clubes das Américass, seguido por Flamengo (11) e Internacional (9). Entre os treinadores, o do Colorado é o mais rodado, com 4 Libertadores disputadas na bagagem. O segundo é Adilson Batista, do Cruzeiro, com duas, seguido por Mano Menezes, vice-campeão pelo Grêmio em 2007. Ricardo Gomes, do São Paulo, e Andrade, do Flamengo, são estreantes na competição.

Veja abaixo quais os jogadores de cada clube brasileiro de 2010 já jogaram Libertadores anteriormente:

São Paulo (18)
Rogério Ceni (6)
Bosco (3)
Adrián González (6)
Alex Silva (2)
André Dias (4)
Miranda (4)
Renato Silva (1)
André Luís (2)
Jorge Wagner (6)
Júnior César (2)
Jean (1)
Richarlyson (5)
Rodrigo Souto (3)
Hernanes (2)
Léo Lima (1)
Cléber Santana (1)
Dagoberto (4)
Washington (2)
Cruzeiro (17)
Fábio (3)
Jonathan (1)
Thiago Heleno (2)
Leonardo Silva (2)
Caçapa (1)
Fernandinho (2)
Marquinhos Paraná (2)
Fabrício (3)
Henrique (2)
Fabinho (2)
Elicarlos (1)
Bernardo (1)
Gilberto (4)
Guerrón (3)
Kléber (1)
Wellington Paulista (1)
Thiago Ribeiro (2)
Corinthians (12)
Alessandro (1)
William (1)
Balbuena (3)
Roberto Carlos (2)
Marcelo Mattos (2)
Edu (2)
Danilo (3)
Tcheco (2)
Ronaldo (1)
Souza (3)
Jorge Henrique (1)
Iarley (4)
Flamengo (11)
Bruno (2)
Leonardo Moura (2)
Ronaldo Angelim (2)
Juan (2)
Maldonado (3)
Kleberson (3)
Toró (1)
Petkovic (1)
Fierro (5)
Vinícius Pacheco (1)
Adriano (1)
Internacional (9)
Bruno Silva (1)
Bolívar (1)
Índio (2)
Fabiano Eller (3)
Kleber (4)
Guiñazú (3)
D’Alessandro (4)
Andrezinho (1)
Kléber Pereira (3)

São Paulo (18)

Rogério Ceni (6)

Bosco (3)

Adrián González (6)

Alex Silva (2)

André Dias (4)

Miranda (4)

Renato Silva (1)

André Luís (2)

Jorge Wagner (6)

Júnior César (2)

Jean (1)

Richarlyson (5)

Rodrigo Souto (3)

Hernanes (2)

Léo Lima (1)

Cléber Santana (1)

Dagoberto (4)

Washington (2)

Cruzeiro (17)

Fábio (3)

Jonathan (1)

Thiago Heleno (2)

Leonardo Silva (2)

Caçapa (1)

Fernandinho (2)

Marquinhos Paraná (2)

Fabrício (3)

Henrique (2)

Fabinho (2)

Elicarlos (1)

Bernardo (1)

Gilberto (4)

Guerrón (3)

Kléber (1)

Wellington Paulista (1)

Thiago Ribeiro (2)

Corinthians (12)

Alessandro (1)

William (1)

Balbuena (3)

Roberto Carlos (2)

Marcelo Mattos (2)

Edu (2)

Danilo (3)

Tcheco (2)

Ronaldo (1)

Souza (3)

Jorge Henrique (1)

Iarley (4)

Flamengo (11)

Bruno (2)

Leonardo Moura (2)

Ronaldo Angelim (2)

Juan (2)

Maldonado (3)

Kleberson (3)

Toró (1)

Petkovic (1)

Fierro (5)

Vinícius Pacheco (1)

Adriano (1)

Internacional (9)

Bruno Silva (1)

Bolívar (1)

Índio (2)

Fabiano Eller (3)

Kleber (4)

Guiñazú (3)

D’Alessandro (4)

Andrezinho (1)

Kléber Pereira (3)

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 3 de julho de 2009 Campeões, Copa Libertadores, História | 00:18

Argentina 8 x 3 Brasil em finais de Libertadores

Compartilhe: Twitter

A 50ª edição da Copa Libertadores teve definida agora a sua final: Cruzeiro x Estudiantes. Essa será a 12ª decisão entre brasileiros e argentinos na história da competição. Até agora, nossos vizinhos têm levado vantagem no confronto direto em finais. São oito títulos de clubes argentinos contra apenas três dos brasileiros. Nas últimas quatro finais entre os times dos dois países, os argentinos venceram todas. Só nessa década, foram três derrotas brasileiras, todas diante do Boca Juniors.

O bicampeão Cruzeiro já ganhou uma final contra argentinos (1976) e também já perdeu outra (1977). Em 1997, a Raposa foi campeã sobre o Sporting Cristal-PER. Já o tricampeão Estudiantes ganhou uma final sobre brasileiros, em 1968, em cima do Palmeiras.

Finais entre brasileiros e argentinos na Libertadores:

Ano Campeão Vice
1963 Santos (BRA) Boca Juniors (ARG)
1968 Estudiantes (ARG) Palmeiras (BRA)
1974 Independiente (ARG) São Paulo (BRA)
1976 Cruzeiro (BRA) River Plate (ARG)
1977 Boca Juniors (ARG) Cruzeiro (BRA)
1984 Independiente (ARG) Grêmio (BRA)
1992 São Paulo (BRA) Newell´s Old Boys (ARG)
1994 Vélez Sarsfield (ARG) São Paulo (BRA)
2000 Boca Juniors (ARG) Palmeiras (BRA)
2003 Boca Juniors (ARG) Santos (BRA)
2007 Boca Juniors (ARG) Grêmio (BRA)

.

No confronto direto, Cruzeiro e Estudiantes se enfrentaram, coincidentemente, apenas em uma edição da Libertadores, justamente em 2009. Na segunda fase, no Grupo 5, cada clube venceu uma vez. No Mineirão, o Cruzeiro venceu por 3 x 0, com dois gols do então estreante Kleber e outro do lateral Fernandinho. Na Argentina, o Estudiantes deu o troco em grande estilo: 4 x 0, com gols de Verón, Gastón Fernández e dois de Sánchez Prette.

Contra argentinos, em Libertadores, o Cruzeiro tem um retrospecto bem equilibrado. Em 20 jogos, foram 9 vitórias, 8 derrotas e 3 empates com 27 gols a favor e 26 gols sofridos. Já o Estudiantes também tem um desempenho parecido contra clubes brasileiros em Libertadores. Em 11 jogos, venceu 5, perdeu outros 5 e empatou uma vez. O Estudiantes marcou 16 gols e sofreu 15 contra times brasileiros.

Em 2009, os dois finalistas têm campanhas parecidas, com um aproveitamento de 100% em casa. O Cruzeiro venceu seus 6 jogos no Mineirão (3 x 0 no Estudiantes-ARG, 2 x 0 no Universitário de Sucre-BOL, 2 x 0 no Deportivo Quito-EQU, 1 x 0 na Universidad de Chile-CHI, 2 x 1 no São Paulo e 3 x 1 no Grêmio). Foram 13 gols a favor e apenas 2 sofridos.

Já o Estudiantes ganhou seus 7 jogos (fez um a mais pois jogou a primeira fase (preliminar)). O time argentino derrotou o Sporting Cristal-PER (1 x 0), Universitário de Sucre-BOL (1 x 0), Deportivo Quito-EQU (4 x 0), Cruzeiro (4 x 0), Libertad-PAR (3 x 0), Defensor-URU (1 x 0) e Nacional-URU (1 x 0). O Estudiantes fez 15 gols e não sofreu um sequer. Atuando como mandante, aliás, o Estudiantes não perde em Libertadores desde 1984 (quando foi derrotado pelo Olimpia-PAR (0 x 1)). A invencibilidade do clube é de 15 jogos sem derrotas em casa (todos eles em 2006, 2008 e 2009).

Jogando como visitante, o Cruzeiro ganhou 3 jogos, empatou 2 e perdeu apenas um, justamente para o Estudiantes. Já o time argentino foi pior. Ganhou 2, empatou 2 e perdeu 3.

Essa final da Libertadores será a quinta consecutiva com a participação de um clube brasileiro:
2005 – São Paulo e Atlético-PR
2006 – Internacional e São Paulo
2007 – Grêmio
2008 – Fluminense
2009 – Cruzeiro

Já o Estudiantes vem para a sua segunda final continental seguida. Em dezembro, o clube perdeu a decisão da Copa Sul-Americana para o Internacional.

A primeira final será realizada em La Plata, na próxima quarta-feira, dia 8 de julho. Já a decisão será no Mineirão, dia 15 de julho. Será que os argentinos manterão essa vantagem sobre os brasileiros em finais e chegarão ao seu 22º título da Libertadores ou o Cruzeiro irá mudar essa escrita e dar ao Brasil sua 14ª taça do principal torneio sul-americano? Fico com a segunda opção.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 2 de julho de 2009 Campeões, Copa do Brasil, Estatísticas | 16:36

Apenas três campeões da Copa do Brasil ganharam a Libertadores

Compartilhe: Twitter

Campeão da Copa do Brasil e já garantido npara a Libertadores de 2010, o Corinthians tem agora um novo desafio: a inédita conquista do principal torneio sul-americano no ano de seu centenário. Para isso, o alvinegro precisará também lutar contra uma escrita não muito animadora. Até hoje, apenas três dos 20 campeões da Copa do Brasil conseguiram se dar bem na Libertadores: Grêmio (1995), Cruzeiro (1997) e Palmeiras (1999).

Desde a criação da Copa do Brasil, em 1989, os brasileiros venceram a Libertadores mais quatro vezes. Em 1992, o São Paulo levou o título como campeão brasileiro de 1991. Em 1993, o Tricolor ganhou novamente a Libertadores, mas entrou na competição como atual campeão sul-americano. Em 2005, o São Paulo ganhou seu terceiro título da Libertadores classificado como terceiro colocado do Brasileirão. Já o outro título de clubes brasileiros foi o Inter, em 2006, que era o vice-campeão brasileiro de 2005.

Confira abaixo o desempenho dos campeões da Copa do Brasil na Libertadores:

Ano Campeão Copa do Brasil Na Libertadores de… Colocação
1989 Grêmio 1990 eliminado na 1ª fase
1990 Flamengo 1991 eliminado na 1ª fase
1991 Criciúma 1992 eliminado nas quartas-de-final
1992 Internacional 1993 eliminado na 1ª fase
1993 Cruzeiro 1994 eliminado nas oitavas-de-final
1994 Grêmio 1995 campeão
1995 Corinthians 1996 eliminado nas quartas-de-final
1996 Cruzeiro 1997 campeão
1997 Grêmio 1998 eliminado nas quartas-de-final
1998 Palmeiras 1999 campeão
1999 Juventude 2000 eliminado na 2ª fase
2000 Cruzeiro 2001 eliminado nas quartas-de-final
2001 Grêmio 2002 eliminado na semifinal
2002 Corinthians 2003 eliminado nas oitavas-de-final
2003 Cruzeiro 2004 eliminado nas oitavas-de-final
2004 Santo André 2005 eliminado na 2ª fase
2005 Paulista 2006 eliminado na 2ª fase
2006 Flamengo 2007 eliminado na 2ª fase
2007 Fluminense 2008 vice-campeão
2008 Sport 2009 eliminado nas oitavas-de-final


Autor: Tags: , ,

terça-feira, 23 de junho de 2009 Confrontos, Copa Libertadores, Estatísticas, História, Sem categoria | 16:03

Grêmio x Cruzeiro: quem é mais copeiro?

Compartilhe: Twitter

Cruzeiro e Grêmio jogam amanhã a primeira partida da semifinal da Copa Libertadores de 2009. Dois clubes com tradição em torneios de mata-mata, mineiros e gaúchos lutam para ver quem é mais copeiro. Ambos têm dois títulos da Libertadores e brigam pelo tricampeonato, feito alcançado apenas pelo São Paulo, entre os clubes brasileiros.

O Cruzeiro, até hoje, disputou 11 vezes a Libertadores. Foi campeão em 1976 e 1997 e vice em 1977. Nunca foi eliminado na primeira fase. Contra clubes brasileiros, a Raposa tem o seguinte retrospecto: 18 jogos, 9 vitórias, 5 empates, 4 derrotas, 29 gols pró, 22 gols contra. Em jogos de mata-mata, contra clubes brasileiros, venceu dois confrontos (Grêmio, em 1997, e São Paulo, agora em 2009), e perdeu dois (Vasco, em 1998, e Palmeiras, em 2001).

Já o Grêmio, tem uma participação a mais do que a Raposa (jogou 12 vezes). Assim como os mineiros, venceu duas vezes (1983 e 1995), porém disputou uma final a mais (foi vice em 1984 e 2007). Contra equipes brasileiras, o Tricolor gaúcho tem o seguinte desempenho: 29 jogos, 11 vitórias, 8 empates, 10 derrotas, 39 gols pró, 32 gols contra. Em mata-matas, contra times do Brasil, perdeu duas vezes (uma para o Cruzeiro, em 1997, outra para o Vasco, em 1998) e ganhou cinco (Palmeiras, em 1995, Botafogo e Corinthians, em 1996, e Santos e São Paulo, em 2007).

No confronto direto, em Libertadores, Grêmio e Cruzeiro já se enfrentaram 4 vezes. Todas em 1997. Na primeira fase, uma vitória para cada lado na casa do adversário. Nas quartas-de-final, deu Cruzeiro: 2 x 0 no jogo de ida, no Mineirão, e 2 x 1 para o Grêmio, no jogo de volta, no Olímpico. O curioso é que naquele ano o técnico do Cruzeiro era Paulo Autuori, hoje no Grêmio. Assim, em 4 jogos, cada um tem duas vitórias. O Cruzeiro leva a melhor nos gols: 5 x 4.

No histórico geral, os clubes têm em comum os títulos da Copa do Brasil. Com 4 títulos cada, Grêmio e Cruzeiro são os maiores campeões da competição realizada no sistema de mata-mata desde 1989. Em 1993, aliás, as equipes fizeram a final na única vez em que se encontraram frente a frente pelo torneio. E novamente deu Cruzeiro. Depois do empate por 0 x 0 no Olímpico, no jogo de ida, a Raposa garantiu o título com uma vitória por 2 x 1, no Mineirão.

Até hoje, Cruzeiro e Grêmio disputaram 49 jogos e a Raposa tem um retrospecto bem favorável, com 24 vitórias, 13 empates e 12 derrotas. Em outro encontro de mata-mata, o Cruzeiro despachou o Grêmio na Taça Brasil de 1966. Naquele ano, os clubes se enfrentaram na decisão da fase sul-sudeste. Depois do empate em Porto Alegre (0 x 0), o Cruzeiro garantiu a vaga para as quartas-de-final da competição ao vencer o Grêmio por 2 x 1 no Mineirão.

Assim, dos três confrontos diretos em mata-matas, o Cruzeiro saiu vitorioso em todos eles: Taça Brasil em 1966, final da Copa do Brasil de 1993 e quartas-de-final da Libertadores de 1997.

Em Belo Horizonte, local do jogo de amanhã, a Raposa também tem um ótimo desempenho contra os gaúchos. Em 22 jogos, foram 18 vitórias, 1 empate e 3 derrotas. Nos últimos tempos, o Cruzeiro também tem levado a melhor sobre o rival. Dos 10 últimos confrontos, a Raposa venceu 8 e perdeu apenas 2.

Confira abaixo o retrospecto geral e a lista de todos os jogos entre Cruzeiro e Grêmio na história.

Data
Cruzeiro
x
Grêmio
Adversário Estádio Competição
26/05/1960
2
x
1
Independência Belo Horizonte Amistoso
09/10/1966
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Taça Brasil
23/10/1966
2
x
1
Mineirão Belo Horizonte Taça Brasil
07/05/1967
0
x
1
Olímpico Porto Alegre Robertão
20/11/1968
1
x
0
Mineirão Belo Horizonte Robertão
16/11/1969
1
x
1
Olímpico Porto Alegre Robertão
18/11/1970
1
x
3
Olímpico Porto Alegre Robertão
30/10/1971
2
x
1
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
18/10/1972
1
x
1
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
30/01/1974
1
x
1
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
08/11/1975
3
x
1
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
16/02/1977
2
x
0
Universitário Caracas-VEN Torneio de Caracas
08/05/1982
1
x
1
Olímpico Porto Alegre Taça dos Campeões
30/05/1982
1
x
2
Mineirão Belo Horizonte Taça dos Campeões
24/02/1985
1
x
1
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
31/03/1985
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
20/09/1987
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
17/11/1988
3
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
20/09/1989
0
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
10/10/1990
4
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
05/05/1991
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
08/03/1993
0
x
1
Olímpico Porto Alegre Taça Wilson Piazza
14/03/1993
1
x
0
Mineirão Belo Horizonte Taça Wilson Piazza
30/05/1993
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Copa do Brasil
03/06/1993
2
x
1
Mineirão Belo Horizonte Copa do Brasil
28/09/1995
0
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
06/10/1996
2
x
1
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
19/02/1997
1
x
2
Mineirão Belo Horizonte Libertadores
12/03/1997
1
x
0
Olímpico Porto Alegre Libertadores
27/05/1997
2
x
0
Mineirão Belo Horizonte Libertadores
03/06/1997
1
x
2
Olímpico Porto Alegre Libertadores
01/10/1997
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
18/10/1998
0
x
2
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
17/10/1999
3
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
17/09/2000
0
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
14/10/2001
0
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
24/03/2002
2
x
0
Mineirão Belo Horizonte Copa Sul-Minas
03/07/2002
1
x
1
Machadão Natal-RN Copa dos Campeões
03/11/2002
3
x
2
Independência Belo Horizonte Brasileiro
13/07/2003
1
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
05/11/2003
3
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
13/07/2004
3
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
26/10/2004
2
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
23/04/2006
3
x
1
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
30/08/2006
1
x
2
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
16/06/2007
2
x
0
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
08/09/2007
2
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro
19/07/2008
0
x
1
Olímpico Porto Alegre Brasileiro
29/10/2008
3
x
0
Mineirão Belo Horizonte Brasileiro

Total de Jogos: 49
Vitórias do Cruzeiro: 24
Empates: 13
Vitórias do Grêmio: 12
Gols do Cruzeiro: 65
Gols do Grêmio: 41

Em Belo Horizonte
Total de Jogos: 22
Vitórias do Cruzeiro: 18
Empates: 1
Vitórias do Grêmio: 3
Gols do Cruzeiro: 45
Gols do Grêmio: 16

Em Porto Alegre
Total de Jogos: 25
Vitórias do Cruzeiro: 5
Empates: 11
Vitórias do Grêmio: 9
Gols do Cruzeiro: 17
Gols do Grêmio: 24

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 27 de maio de 2009 Campeonato Brasileiro, Campeonatos Estaduais, Confrontos, Copa Libertadores, Estatísticas, História | 01:01

Cruzeiro é freguês do São Paulo no Mineirão

Compartilhe: Twitter

O jogo de hoje, entre Cruzeiro e São Paulo, pelas quartas-de-final de Libertadores, será inédito pela competição sul-americana. Em toda a história, porém, os dois clubes já se enfrentaram 56 vezes. E o Tricolor leva vantagem sobre a Raposa com 10 vitórias a mais.

Jogos: 56
Vitórias do São Paulo: 24 / Empates: 18 / Vitórias do Cruzeiro: 14
Gols do São Paulo:
76 / Gols do Cruzeiro: 55

Além disso, o clube paulista leva a melhor sobre o rival também em Belo Horizonte. Em 31 jogos, o São Paulo venceu 14, empatou 9 e perdeu 8 vezes. No Mineirão, foram 12 vitórias são-paulinas contra 8 da Raposa. A última vitória do Cruzeiro sobre o São Paulo, em casa, foi há 5 anos (dia 23/5/2004), quando o time mineiro venceu por 2 x 1 pelo Campeonato Brasileiro. Nos últimos quatro jogos no estádio mineiro, o São Paulo ganhou duas e empatou outras duas. Uma dessas vitórias, em 2007, deu início a arrancada do Tricolor ao bi do Brasileirão e ficou marcada ainda pela excelente atuação de Rogério Ceni, que defendeu um pênalti e marcou ainda dois gols na partida, na vitória por 2 x 1. O Mineirão foi palco também de outro jogo marcante para os são-paulinos. Em 1997, pelo Brasileirão, o Tricolor venceu por 5 x 0, com cinco gols do atacante Dodô.

No retrospecto geral, o São Paulo já acumula 9 jogos sem derrotas para o rival de hoje. Foram 5 vitórias e 4 empates desde a vitória do Cruzeiro em maio de 2004. Na última vez que se enfrentaram, também deu São Paulo (2 x 0), pelo Brasileirão de 2008).

Em jogos válidos por competições internacionais, porém, a vantagem é da Raposa. Os dois clubes já jogaram 6 vezes em duelos sul-americanos. Em 1993, na decisão da Recopa, os times empataram os dois jogos por 0 x 0, mas na disputa por pênaltis deu São Paulo: 4 x 1.

Pouco depois, em 1995, os dois se enfrentaram pela decisão da extinta Copa Ouro (que reunia os campeões da Libertadores, Supercopa, Copa Conmebol e Copa Master). Como Vélez Sarsfield-ARG, campeão da Libertadores de 1994, e o Independiente-ARG, campeão da Supercopa de 1994, desistiram do torneio, São Paulo (campeão da Conmebol de 1994) e Cruzeiro (campeão da Copa Master de 1994), fizeram a final. Para complicar ainda mais, por falta de datas, a Copa Ouro foi disputada quando os clubes jogaram pelas quartas-de-final da Supercopa Libertadores de 1995. No primeiro jogo, o São Paulo venceu por 1 x 0, no Mineirão, num jogo que acabou aos 2 minutos do segundo tempo. O árbitro Wilson de Souza Mendonça expulsou quatro cruzeirenses (Rogério, Vanderci, Fabinho e Marcelo Ramos), no final do primeiro tempo. No início do segundo, o meia Luiz Fernando, caiu no gramado e não voltou mais. Assim, o jogo foi encerrado já que o Cruzeiro ficou com apenas 6 jogadores em campo. No jogo de volta, no Pacaembu, o Cruzeiro deu o troco e venceu por 1 x 0. Nos pênaltis, a Raposa venceu por 4 x 1, ficou com a taça da Copa Ouro e ainda garantiu vaga nas semifinais da Supercopa (acabou perdendo para o Flamengo).

No outro confronto internacional, Cruzeiro e São Paulo jogaram pela também extinta Copa Mercosul. Na primeira fase de 1998, os clubes caíram no grupo 1 ao lado de San Lorenzo-ARG e Colo Colo-CHI. No primeiro jogo, o Cruzeiro venceu por 5 x 1. No jogo de volta, em São Paulo, empate em 1 x 1. O Cruzeiro acabou como líder do grupo e o São Paulo foi eliminado ao ficar na terceira colocação. No geral, em seis jogos internacionais, foram 2 vitórias do Cruzeiro, 3 empates e apenas 1 do São Paulo.

Em confrontos de mata-mata, a Raposa também tem vantagem. Na Copa do Brasil de 1993, pelas quartas-de-final, o time mineiro venceu por 2 x 1 fora de casa e garantiu a vaga para as semifinais com um 2 x 2 no Mineirão. Naquele ano a Raposa ainda ficou com a taça. Já na Copa do Brasil de 2000, Cruzeiro e São Paulo fizeram a final. No primeiro jogo, empate por 0 x 0 em São Paulo. Na finalíssima, no Mineirão, o São Paulo abriu o placar com Marcelinho Paraíba aos 20 minutos do segundo tempo. O Cruzeiro empatou aos 35, com Fábio Júnior, mas o resultado ainda dava o título ao tricolor. Mas aos 45 minutos da etapa final, Giovanni marcou de falta o gol da virada e da conquista cruzeirense. O goleiro Rogério Ceni era o titular do tricolor naquele jogo. Pelo Cruzeiro, Sorín é o único remanescente. No total, em quatro confrontos de mata-mata, o Cruzeiro levou a melhor em três (Copa do Brasil de 1993 e 2000 e Copa Ouro de 1996). Já o São Paulo se deu melhor apenas uma vez (Recopa de 1993).

Confira abaixo todos os jogos entre Cruzeiro e São Paulo na história, que tem o cruzeirense Fábio Júnior, com 6 gols, e o são-paulino Dodô, também com 6 gols, como os maiores artilheiros do confronto. Vale lembrar que as duas equipes voltam a se enfrentar no domingo, no Morumbi, pelo Brasileirão, e no dia 17 de junho, também no Morumbi, pela Libertadores.

Data
Resultado Competição Estádio Cidade
25/02/1943
Cruzeiro 0 x 5 São Paulo Amistoso Barro Preto Belo Horizonte
02/08/1961
Cruzeiro 0 x 1 São Paulo Amistoso Independência Belo Horizonte
25/01/1967
São Paulo 1 x 2 Cruzeiro Amistoso Morumbi São Paulo
30/04/1967
Cruzeiro 0 x 2 São Paulo Torneio Roberto Gomes Pedrosa Mineirão Belo Horizonte
23/11/1968
São Paulo 3 x 1 Cruzeiro Torneio Roberto Gomes Pedrosa Morumbi São Paulo
26/10/1969
Cruzeiro 2 x 0 São Paulo Torneio Roberto Gomes Pedrosa Mineirão Belo Horizonte
06/12/1970
São Paulo 0 x 2 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
26/09/1971
São Paulo 1 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
24/11/1971
Cruzeiro 0 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
01/12/1971
São Paulo 1 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
29/10/1972
São Paulo 2 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
14/10/1973
São Paulo 2 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
03/02/1974
Cruzeiro 1 x 0 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
17/02/1974
Cruzeiro 1 x 0 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
16/06/1974
Cruzeiro 0 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
01/11/1975
São Paulo 0 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
03/10/1976
São Paulo 1 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
01/05/1984
Cruzeiro 0 x 0 São Paulo Torneio Heleno Nunes Mineirão Belo Horizonte
12/11/1987
Cruzeiro 0 x 0 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
09/11/1988
Cruzeiro 0 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
19/11/1989
São Paulo 2 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Canindé São Paulo
04/11/1990
Cruzeiro 1 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
12/05/1991
São Paulo 3 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
04/04/1992
Cruzeiro 0 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
04/05/1993
São Paulo 1 x 2 Cruzeiro Copa do Brasil Morumbi São Paulo
11/05/1993
Cruzeiro 2 x 2 São Paulo Copa do Brasil Mineirão Belo Horizonte
26/09/1993
São Paulo 0 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro/Recopa Morumbi São Paulo
29/09/1993
Cruzeiro 0 x 0 São Paulo Recopa Mineirão Belo Horizonte
07/11/1993
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
24/10/1995
Cruzeiro 0 x 1 São Paulo Supercopa/Copa Ouro Mineirão Belo Horizonte
02/11/1995
São Paulo 0 x 1 Cruzeiro Supercopa/Copa Ouro Pacaembu São Paulo
08/11/1995
Cruzeiro 1 x 3 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
21/11/1996
São Paulo 1 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
16/07/1997
Cruzeiro 0 x 5 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
09/08/1998
São Paulo 0 x 2 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
20/08/1998
Cruzeiro 5 x 1 São Paulo Copa Mercosul Mineirão Belo Horizonte
30/09/1998
São Paulo 1 x 1 Cruzeiro Copa Mercosul Morumbi São Paulo
18/08/1999
Cruzeiro 2 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
05/07/2000
São Paulo 0 x 0 Cruzeiro Copa do Brasil Morumbi São Paulo
09/07/2000
Cruzeiro 2 x 1 São Paulo Copa do Brasil Mineirão Belo Horizonte
16/08/2000
Cruzeiro 2 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
18/11/2001
Cruzeiro 1 x 4 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
07/07/2002
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo Copa dos Campeões Machadão Natal (RN)
04/09/2002
Cruzeiro 3 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Independência Belo Horizonte
06/04/2003
São Paulo 2 x 4 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
06/08/2003
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
23/05/2004
Cruzeiro 2 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
11/09/2004
São Paulo 0 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Pacaembu São Paulo
28/05/2005
São Paulo 1 x 1 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
21/09/2005
Cruzeiro 2 x 3 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
20/08/2006
Cruzeiro 2 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
26/11/2006
São Paulo 2 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
22/07/2007
Cruzeiro 1 x 2 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
21/10/2007
São Paulo 1 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
29/06/2008
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo Campeonato Brasileiro Mineirão Belo Horizonte
28/09/2008
São Paulo 2 x 0 Cruzeiro Campeonato Brasileiro Morumbi São Paulo
Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 22 de maio de 2009 Copa Libertadores | 00:16

A decadência de River Plate e Boca Juniors

Compartilhe: Twitter

Para delírio dos clubes brasileiros que estão na Libertadores, nossos mais temidos rivais já estão eliminados. O primeiro deles foi o River Plate, que sequer avançou na fase de grupos. Ontem à noite, foi a vez do Boca Juniors, eliminado vergonhosamente pelo modesto Defensor, do Uruguai, em pleno estádio La Bombonera, em Buenos Aires. Recentemente, nossos rivais argentinos Boca Juniors e River Plate vêm decepcionado e colecionando resultados medíocres. O Boca Juniors, maior papão de títulos da América do Sul na década (4 Libertadores e 2 Sul-Americanas), está eliminado da Libertadores já nas oitavas-de-final, seu pior resultado desde 2000 (em 2006 não participou).

Além disso, o time de Riquelme e dos veteranos Palermo, Abbondanzieri e Ibarra, ocupa apenas o modesto 16º colocado no Campeonato Argentino (Torneo Clausura), com apenas 16 pontos em 14 rodadas. Foram 4 vitórias, 4 empates e 6 derrotas. Atual campeão argentino (venceu o Apertura 2008), o Boca Juniors não realiza uma campanha tão ruim desde 1984.

Já o River Plate vem numa seca pior. Nas últimas três Libertadores, foi eliminado já na fase de grupos em 2007 e agora, em 2009. No ano passado, caiu cedo também, nas oitavas-de-final, diante do San Lorenzo. Desde que eliminou o Corinthians, nas oitavas-de-final de 2006, o River Plate ganhou apenas dois jogos fora de casa e perdeu 11 jogos como visitante. Entre essas derrotas, algumas vexatórias, como o 2 x 4 para o Nacional-PAR e 1 x 2 para o Paulista. O time chegou a perder para o Caracas em casa.

Mas o fundo do poço do River aconteceu no último Campeonato Argentino, quando o time conseguiu a proeza de terminar na última colocação no Torneo Apertura, encerrado em dezembro de 2008. O time, comandado então por Simeone, venceu apenas 2 dos 19 jogos. Nesse ano, com o técnico Nestor Gorosito, é o 7º colocado e está a 8 pontos do líder Lanús, faltando cinco rodadas para o final do Torneo Clausura. Os maiores destaques da equipe são o veterano Marcelo Gallardo e o atacante Cristian Fabbiani, de 1,89 m e 100 kg.

Desde 1997, River Plate ou Boca Juniors estiveram presentes entre os oito finalistas da Libertadores. Dessa vez, o único representante argentino nas quartas-de-final é o Estudiantes.

A Libertadores tem agora quatro brasileiros (Cruzeiro, São Paulo, Grêmio e Palmeiras), dois uruguaios (Nacional e Defensor), um argentino (Estudiantes) e um venezuelano (Caracas) entre os oito clubes das quartas-de-final.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 14 de maio de 2009 Confrontos, Copa Libertadores | 23:50

Libertadores pode ter sete ex-campeões nas quartas-de-final

Compartilhe: Twitter

Com a vitória do Cruzeiro sobre a Universidade de Chile e a classificação do Estudiantes, a Copa Libertadores de 2009 já tem sete dos oito clubes das quartas-de-final confirmados. São quatro brasileiros (Grêmio, Cruzeiro, São Paulo e Palmeiras), um argentino (Estudiantes), um venezuelano (Caracas), e um uruguaio (o Nacional, que completa hoje 110 anos). Kleber

Falta apenas a definição do vencedor de Boca Juniors (ARG) e Defensor (URU). Hoje, os clubes empataram em 2 x 2 no Uruguai. A definição será na próxima quinta-feira, em Buenos Aires, no  estádio La Bombonera.

Caso o Boca Juniors confirme sua classificação, teremos a presença de sete ex-campeões da Libertadores entre os oito finalistas da edição de 2009. Apenas o Caracas é o intruso na lista. O Boca é o maior campeão entre eles com 6 títulos, seguido por Estudiantes, São Paulo e Nacional (3 títulos cada), Grêmio e Cruzeiro (2) e Palmeiras (1). São 20 títulos das 49 edições do torneio, que já teve 22 diferentes campeões. No ano passado, foram apenas três ex-campeões nas quartas-de-final: São Paulo, Boca Juniors e Santos. Nessa década, o recorde de ex-campeões nas quartas foi em 2001 e 2002, com cinco clubes entre os oito.Defensor x Boca Juniors

Libertad x EstudiantesOs confrontos das quartas-de-final ficaram assim: Grêmio x Caracas, São Paulo x Cruzeiro, Boca ou Defensor x Estudiantes e Nacional-URU x Palmeiras. Se o Grêmio passar pelo Caracas, pega o vencedor de São Paulo x Cruzeiro na semifinal e com vantagem de decidir a vaga em casa, no estádio Olímpico. Já o Palmeiras, caso elimine o Nacional, poderá pegar Boca, Defensor ou Estudiantes nas semifinais.

A CONMEBOL divulgou agora o calendário dos jogos. Dia 27/5, quarta-feira, jogam Caracas x Grêmio e Cruzeiro x São Paulo, ambos 21h50. Na quinta-feira, dia 28/5, o Palmeiras enfrenta o Nacional, às 22h. Na volta, os três jogos serão no dia 17/6, numa quarta-feira. Nacional x Palmeiras às 19h20, Grêmio x Caracas e São Paulo x Cruzeiro às 21h50.

Confira o retrospecto dos confrontos das equipes em Libertadores.

GRÊMIO x CARACAS-VEN
Nunca se enfrentaram em Libertadores.

Grêmio

GRÊMIO (campeão em 1983 e 1995)
Contra clubes venezuelanos:
2 jogos, 2 vitórias, 0 empate, 0 derrota, 8 gols pró, 2 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
23 confrontos. Foi vencedor em 16 e perdeu em 7 (69,6% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra venezuelanos:
Nunca jogou

Nas quartas-de-final:
7 confrontos. Foi vencedor em 4 (95, 96, 02 e 07) e perdeu em 3 (97, 98, 03). (57,1% de aproveitamento)
Caracas
CARACAS
Contra clubes brasileiros:
6 jogos, 0 vitória, 2 empates, 4 derrotas, 9 gols pró, 19 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
2 confrontos. Perdeu os dois (0% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra brasileiros:
1 confronto. Perdeu em 2007 para o Santos nas oitavas-de-final

Nas quartas-de-final:
Nunca jogou


SÃO PAULO x CRUZEIRO

Nunca se enfrentaram em Libertadores.

São Paulo

SÃO PAULO (campeão em 1992, 1993 e 2005)
Contra clubes brasileiros:
30 jogos, 12 vitórias, 12 empates, 6 derrotas, 41 gols pró, 31 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
26 confrontos. Foi vencedor em 20 e perdeu em 6 (76,9% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra brasileiros:
8 confrontos. Foi vencedor em 5 e perdeu em 3 (62,5% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
7 confrontos. Foi vencedor em 6 (92, 93, 94, 04, 05 e 06) e perdeu em 1 (08). (85,7% de aproveitamento)
Cruzeiro

CRUZEIRO (campeão em 1976 e 1997)
Contra clubes brasileiros:
16 jogos, 7 vitórias, 5 empates, 4 derrotas, 25 gols pró, 21 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
12 confrontos. Foi vencedor em 6 e perdeu em 6 (50% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra brasileiros:
3 confrontos. Foi vencedor em 1 e perdeu em 2 (33,3% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
2 confrontos. Foi vencedor em 1 (97) e perdeu em 1 (01). (50% de aproveitamento)


NACIONAL-URU x PALMEIRAS

Se enfrentam 4 vezes em Libertadores (2 vitórias do Nacional, 1 empate e 1 vitória do Palmeiras)
1971 Fase Semifinal
2/5 – Palmeiras 0 x 3 Nacional
18/5 – Nacional 3 x 1 Palmeiras

1973 Primeira Fase
28/2 – Palmeiras 1 x 1 Nacional
24/3 – Nacional 1 x 2 Palmeiras

Nacional-URU

NACIONAL (campeão em 1971, 1980 e 1988)
Contra clubes brasileiros:
28 jogos, 6 vitórias, 10 empates, 18 derrotas, 32 gols pró, 49 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
32 confrontos. Foi vencedor em 12 e perdeu em 20 (37,5% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra brasileiros:
7 confrontos. Foi vencedor em 1 e perdeu em 6 (14,3% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
4 confrontos. Foi vencedor em 1 (88) e perdeu em 3 (91, 02 e 07). (25% de aproveitamento)
Palmeiras

PALMEIRAS (campeão em 1999)

Contra clubes uruguaios:
12 jogos, 6 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 15 gols pró, 14 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
23 confrontos. Foi vencedor em 15 e perdeu em 8 (65,2% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra uruguaios:
3 confrontos. Foi vencedor em 2 e perdeu em 1 (66,7% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
4 confrontos. Foi vencedor em 3 (99, 00 e 01) e perdeu em 1 (95). (75% de aproveitamento)

BOCA JUNIORS-ARG x ESTUDIANTES-ARG
Nunca se enfrentaram em Libertadores.

Boca Juniors-ARG

BOCA JUNIORS (campeão em 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007)
Contra clubes argentinos:
38 jogos, 17 vitórias, 9 empates, 12 derrotas, 46 gols pró, 33 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
38 confrontos. Foi vencedor em 29 e perdeu em 9 (76,3% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra argentinos:
4 confrontos. Foi vencedor em 4 (100% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
9 confrontos. Foi vencedor em 7 (91, 00, 03, 04, 07 e 08) e perdeu em 2 (02 e 05). (77,8% de aproveitamento)
Estudiantes-ARG

ESTUDIANTES (campeão em 1968, 1969 e 1970)
Contra clubes argentinos:
16 jogos, 9 vitórias, 3 empates, 4 derrotas, 25 gols pró, 17 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
12 confrontos. Foi vencedor em 9 e perdeu em 3 (75% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra argentinos:
2 confrontos. Foi vencedor em 2 (100% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
1 confrontos. Perdeu em 1 (06). (0% de aproveitamento)

OU DEFENSOR-URU x ESTUDIANTES-ARG
Nunca se enfrentaram em Libertadores.

Defensor-URU

DEFENSOR
Contra clubes argentinos:
12 jogos, 1 vitória, 6 empates, 5 derrotas, 8 gols pró, 13 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
7 confrontos. Foi vencedor em 1 e perdeu em 6 (16,7% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra argentinos:
3 confrontos. Perdeu em 3 (0% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
1 confrontos. Perdeu em 1 (07). (0% de aproveitamento)
Estudiantes-ARG

ESTUDIANTES (campeão em 1967, 1968 e 1969)
Contra clubes uruguaios:
9 jogos, 6 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 9 gols pró, 4 gols contra

Em mata-matas de Libertadores:
12 confrontos. Foi vencedor em 9 e perdeu em 3 (75% de aproveitamento)

Em mata-matas de Libertadores contra uruguaios:
3 confrontos. Foi vencedor em 2 e perdeu em 1 (66,7% de aproveitamento)

Nas quartas-de-final:
1 confrontos. Perdeu em 1 (06). (0% de aproveitamento)

Autor: Tags:

quarta-feira, 13 de maio de 2009 Copa Libertadores, Estatísticas, História | 13:04

Ceni ou Marcos, quem é melhor na Libertadores?

Compartilhe: Twitter

O goleiro Marcos foi brilhante na classificação do Palmeiras para as quartas-de-final da Libertadores de 2009. O palmeirense levou o time nas costas e classificou o Verdão mais uma vez após uma disputa por pênaltis. Foi a sétima vitória em nove disputas. Marcos já entrou para a história do clube e do futebol brasileiro por feito. Seu aproveitamento nas disputas por pênaltis é incrível e talvez insuperável.

Mas o goleiro do Palmeiras não é o único a se destacar tanto na competição sul-americana. Rogério Ceni, do São Paulo, também tem números impressionantes pelo torneio. Apesar de não ter encarado tantas disputas de pênaltis, Rogério tem números que superaram Marcos. O são-paulino tem mais jogos, disputou uma edição a mais, sofreu menos gols e ainda marcou 10 em Libertadores. No único confronto direto entre eles, deu Rogério. Foi em 2005, nas oitavas-de-final.

Abaixo, os números de Marcos e Rogério Ceni na Libertadores. Vale lembrar que ambos são recordistas de participações por seus respectivos clubes na competição.

Marcos
Em Libertadores
Rogério Ceni
1 (1999)
Títulos
1 (2005)
1 (2000)
Vice
1 (2006)
1 (2001)
Semifinal
1 (2004)
Quartas-de-final
1 (2008)
1 (2005)
Oitavas-de-final
1 (2007)
53
Jogos
60
-65
Gols sofridos
-53
-1,22
Média
-0,88
0
Gols marcados
10
25
Vitórias
36
14
Empates
12
14
Derrotas
12
56,0%
Aproveitamento
66,7%
5
Cartões amarelos
6
0
Cartões vermelhos
0
9
Disputa nos pênaltis
2
7
Vitórias
2
2
Derrotas
0
42
Pênaltis
11
10
Defendidos
3
7
Para fora
1
25
Gols
7
40,0%
Aproveitamento
36,3%

Marcos em disputas por pênaltis em Libertadores:
1999 – Quartas-de-final
Palmeiras 4 x 2 Corinthians (defendeu 1 cobrança; 1 foi para fora)

1999 – Final
Palmeiras 4 x 3 Deportivo Cali-COL (2 foram para fora)

2000 – Oitavas-de-final
Palmeiras 3 x 2 Peñarol-URU (defendeu 2 cobranças; 1 foi para fora)

2000 – Semifinal
Palmeiras 5 x 4 Corinthians (defendeu 1 cobrança)

2000 – Final
Palmeiras 2 x 4 Boca Juniors-ARG

2001 – Oitavas-de-final
Palmeiras 5 x 3 São Caetano (1 foi para fora)

2001 – Quartas-de-final
Palmeiras 4 x 3 Cruzeiro (defendeu 3 cobranças; 1 foi para fora)

2001 – Semifinal
Palmeiras 2 x 3 Boca Juniors-ARG (1 foi para fora)

2009 – Oitavas-de-final
Palmeiras 3 x 1 Sport (defendeu 3 cobranças)


Rogério em disputas por pênaltis em Libertadores:
2004 – Quartas-de-final
São Paulo 5 x 4 Rosário Central-ARG (defendeu 2 cobranças)

2006 – Oitavas-de-final
São Paulo 4 x 3 Estudiantes-ARG (defendeu 1 cobrança; 1 foi para fora)

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 4 de maio de 2009 Confrontos, Copa Libertadores, Estatísticas, Técnicos | 18:01

Libertadores: tira-teima no duelo Luxemburgo x Nelsinho

Compartilhe: Twitter

Alexandre Battibugli Placar

O jogo entre Palmeiras x Sport de amanhã, pela Libertadores, irá marcar um duelo à parte na decisão. Os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Nelsinho Baptista irão se enfrentar pela 38ª vez na história, marcada hoje por um incrível equilíbrio. Em 37 jogos, foram 11 vitórias para cada lado e mais 15 empates. Os times de cada técnico marcaram ainda exatos 53 gols.

O confronto entre os dois ex-laterais com passagens discretas por clubes grandes e médios nos anos 70, começou em 1990. No Paulistão daquele ano, ambos conseguiram a façanha de levar Bragantino (Luxa) e Novorizontino (Nelsinho) à decisão. Luxemburgo, então com 37 anos, levou a melhor, conquistando o título Paulista para o Braga.

Em finais, aliás, Luxemburgo tem vantagem sobre Nelsinho. Além desse Paulistão de 1990, Luxa foi campeão sobre Nelsinho na final do Paulista de 1993 (Palmeiras x Corinthians), do Torneio Rio-São Paulo de 1993 (novamente o Palmeiras venceu o Corinthians) e da Copa do Brasil de 2003 (vitória do Cruzeiro sobre o Flamengo).

Já Nelsinho ganhou de Luxemburgo em duas decisões e também em dois confrontos de mata-matas, exceto finais. Nelsinho foi campeão da extinta Supercopa do Brasil em 1991, quando dirigia o Corinthians (campeão Brasileiro de 1990) e Luxemburgo o Flamengo (campeão da Copa do Brasil de 1990). Em 1998, Nelsinho foi campeão Paulista pelo São Paulo derrotando o Corinthians de Luxa. Na ocasião, o Tricolor reverteu a vantagem do primeiro jogo e tirou a possibilidade do Corinthians ganhar o título invicto. Nos confrontos de mata-matas, Nelsinho saiu vencedor na semifinal do Rio-São Paulo de 2002 (quando o São Paulo eliminou o Palmeiras), e recentemente na Copa do Brasil de 2008 (quando o Sport tirou o Palmeiras nas quartas-de-final com uma goleada de 4 x 1 em Recife).

Todos os confrontos entre Luxemburgo x Nelsinho na história:

Data

Luxemburgo

x

Nelsinho

Local

Competição

Fase

15/4/2009

Palmeiras

1 x 1

Sport

Parque Antártica

Libertadores

Segunda fase

8/4/2009

Palmeiras

2 x 0

Sport

Ilha do Retiro

Libertadores

Segunda fase

30/4/2008

Palmeiras

1 x 4

Sport

Ilha do Retiro

Copa do Brasil

Quartas-de-final

24/4/2008

Palmeiras

0 x 0

Sport

Parque Antártica

Copa do Brasil

Quartas-de-final

4/9/2008

Palmeiras

0 x 3

Sport

Parque Antártica

Brasileiro

Pontos corridos

8/6/2008

Palmeiras

0 x 2

Sport

Ilha do Retiro

Brasileiro

Pontos corridos

1/4/2007

Santos

4 x 2

Ponte Preta

Moisés Lucarelli

Paulista

Primeira fase

1/3/2006

Santos

3 x 2

São Caetano

Anacleto Campanella

Paulista

Primeira fase

18/6/2003

Cruzeiro

0 x 3

Flamengo

Maracanã

Brasileiro

Pontos corridos

11/6/2003

Cruzeiro

3 x 1

Flamengo

Maracanã

Copa do Brasil

Final

8/6/2003

Cruzeiro

1 x 1

Flamengo

Maracanã

Copa do Brasil

Final

17/11/2002

Cruzeiro

2 x 0

Goiás

Independência

Brasileiro

Primeira fase

27/4/2002

Palmeiras

2 x 2

São Paulo

Morumbi

Rio-São Paulo

Semifinal

21/4/2002

Palmeiras

1 x 1

São Paulo

Morumbi

Rio-São Paulo

Semifinal

20/3/2002

Palmeiras

4 x 2

São Paulo

Morumbi

Rio-São Paulo

Primeira fase

3/11/2001

Corinthians

1 x 1

São Paulo

Benedito Teixeira

Brasileiro

Primeira fase

10/5/1998

Corinthians

1 x 3

São Paulo

Morumbi

Paulista

Final

3/5/1998

Corinthians

2 x 1

São Paulo

Morumbi

Paulista

Final

8/11/1997

Santos

2 x 2

Cruzeiro

Vila Belmiro

Brasileiro

Primeira fase

24/5/1997

Santos

3 x 4

Corinthians

Morumbi

Paulista

Quadrangular final

10/5/1997

Santos

2 x 0

Corinthians

Vila Belmiro

Paulista

Primeira fase

6/4/1997

Santos

1 x 3

Corinthians

Morumbi

Paulista

Primeira fase

23/10/1996

Palmeiras

2 x 2

Corinthians

Morumbi

Brasileiro

Primeira fase

14/8/1996

Palmeiras

0 x 0

Internacional

Parque Antártica

Brasileiro

Primeira fase

7/8/1993

Palmeiras

0 x 0

Corinthians

Pacaembu

Rio-São Paulo

Final

4/8/1993

Palmeiras

2 x 0

Corinthians

Pacaembu

Rio-São Paulo

Final

12/6/1993

Palmeiras

4 x 0

Corinthians

Morumbi

Paulista

Final

6/6/1993

Palmeiras

0 x 1

Corinthians

Morumbi

Paulista

Final

2/5/1993

Palmeiras

0 x 3

Corinthians

Morumbi

Paulista

Primeira fase

5/4/1991

Flamengo

2 x 3

Corinthians

Maracanã

Brasileiro

Primeira fase

20/3/1991

Flamengo

2 x 0

Corinthians

Pacaembu

Libertadores

Primeira fase

20/2/1991

Flamengo

1 x 1

Corinthians

José Fragelli

Libertadores

Primeira fase

27/1/1991

Flamengo

0 x 1

Corinthians

Morumbi

Supercopa do Brasil

Final

10/10/1990

Bragantino

2 x 2

Corinthians

Marcelo Stefani

Brasileiro

Primeira fase

26/8/1990

Bragantino

1 x 1

Novorizontino

Marcelo Stefani

Paulista

Final

22/8/1990

Bragantino

1 x 1

Novorizontino

Jorge Ismael de Biase

Paulista

Final

8/4/1990

Bragantino

0 x 0

Novorizontino

Marcelo Stefani

Paulista

Primeira fase

Resumo
37 jogos
11 vitórias do Nelsinho
15 empates
11 vitórias do Luxemburgo
53 gols dos times de Nelsinho
53 gols dos times de Luxemburgo

Finais

Vanderlei Luxemburgo

4 x 2

Nelsinho Baptista

Paulista 90

Paulista 98

Paulista 93

Supercopa do Brasil 91

Rio-São Paulo 93

Copa do Brasil 03

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 1 de maio de 2009 Confrontos, Copa Libertadores, História, Sem categoria | 00:45

Sport x Palmeiras, o melhor jogo das oitavas da Libertadores

Compartilhe: Twitter

Foram definidos agora os 16 classificados para as oitavas-de-final da 50ª edição da Copa Libertadores. São 5 brasileiros (Grêmio, São Paulo, Cruzeiro, Sport e Palmeiras), 2 argentinos (Boca Juniors e Estudiantes), 2 uruguaios (Nacional e Defensor), 2 mexicanos (Chivas Guadalajara e San Luis), 1 peruano (Universidad San Martín), 1 equatoriano (Deportivo Cuenca), 1 paraguaio (Libertad), 1 chileno (Universidad de Chile) e 1 venezuelano (Caracas). Não sobraram bolivianos, colombianos e o atua campeã LDU Quito-EQU.

Libertadores 50 anosDos clubes finalistas do torneio, sete já conquistaram a América (todos os argentinos e brasileiros, exceto o Sport). Além disso, entre os 16 classificados, somente três nunca disputaram essa fase de oitavas-de-final: o Universidad San Martín-PER, o Sport e o estreante San Luís-MEX.

Sport e Palmeiras fazem o jogo mais acirrado dessa fase. Outros confrontos interessantes são Libertad x Estudiantes e São Paulo x Chivas. Nos demais, as zebras não deveram assustar. Na próxima fase, São Paulo e Cruzeiro, se confirmarem suas classificações, se enfrentaram nas quartas-de-final.

Veja abaixo o histórico resumidos dos 16 clubes que sobraram na Libertadores de 2009 e os confrontos das oitavas-de-final da Libertadores. Dê o seu palpite.

Confronto A

Grêmio x Universidad San Martin

GRÊMIO (BRA): 12 participações – campeão (83 e 95); vice (84 e 07); semifinal (96 e 02); quartas-de-final (97, 98 e 03); oitavas-de-final (09); 1ªfase (82 e 90)
UNIV. SAN MARTÍN (PER): 2 participações – oitavas-de-final (09); 1ª fase (08)
Clube de melhor campanha na fase de grupos, o Grêmio pega o San Martín com a vantagem de decidir em casa. Até hoje, os clubes nunca se enfrentaram. O único fator preocupante para o Tricolor gaúcho é que o time peruano eliminou o River Plate-ARG na fase de grupos. Mas é difícil acreditar numa surpresa peruana.
PALPITE: GRÊMIO

Confronto B

Boca Juniors x Defensor

BOCA JUNIORS (ARG): 22 participações – campeão (77, 78, 00, 01, 03 e 07); vice (63, 79 e 04); semifinal (65, 66, 91 e 08); quartas-de-final (70, 02 e 05); oitavas-de-final (89 e 09); 1ªfase (71, 82, 86 e 94)
DEFENSOR (URU): 11 participações – quartas-de-final (07); oitavas-de-final (90, 92, 94, 96 e 09); 1ªfase (77, 80, 82, 01 e 06)
O Boca Juniors é apenas o 15º no Torneio Clausura com 12 pontos em 11 jogos (3 vitórias, 3 empates e 5 derrotas). Mas na Libertadores, como sempre, o Boca está muito bem. Fez a segunda melhor campanha na fase de grupos e tem pela frente o Defensor, que nos jogos contra o São Paulo não mostrou ser perigoso. Além disso, o confronto decisivo é no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.
PALPITE: BOCA JUNIORS

Confronto C

Nacional x San Luis

NACIONAL (URU): 36 participações – campeão (71, 80 e 88); vice (64, 67 e 69); semifinal (62, 66, 72, 81, 83 e 84); quartas-de-final (70, 91, 02 e 07); oitavas-de-final (89, 92, 93, 97, 98, 99, 00, 01, 03, 04, 06, 08 e 09); 1ªfase (68, 73, 74, 76, 79, 94 e 05)
SAN LUÍS (MEX): 1 participação – oitavas-de-final (09)
Desde que perdeu para o Inter em 2006, o Nacional do Uruguai está invicto, em casa, na Libertadores. Nos últimos 13 jogos, venceu 10, incluindo aí vitórias por 3 x 0 sobre Flamengo, Inter e River Plate. O apertado estádio Parque Central é a grande arma do time uruguaio. Já o San Luís, conseguiu a classificação para as oitavas-de-final da Libertadores no sufôco. No Campeonato Mexicano, é apenas o 12º na classificação geral. Para piorar, o time não poderá jogar a primeira partida em casa, no México, devido a Gripe Suína. Assim, o primeiro confronto, na Colômbia, será neutro.
PALPITE: NACIONAL

Confronto D

São Paulo x Chivas Guadalajara

SÃO PAULO (BRA): 14 participações – campeão (92, 93 e 05); vice (74, 94 e 06); semifinal (72 e 04); quartas-de-final (08); oitavas-de-final (07 e 09); 1ªfase (78, 82 e 87)
CHIVAS GUADALAJARA (MEX): 5 participações – semifinal (05 e 06); oitavas-de-final (09); 1ª fase (98 e 08)
As duas equipes não vivem bons momentos. O Chivas, apenas o 8º no Campeonato Mexicano, não poderá jogar no estádio Jalisco, em Guadalajara devido à Gripe Suína. Além disso, a equipe vem de uma campanha regular na fase de grupos, onde ficou atrás do Caracas. Já o São Paulo, eliminado no Paulistão, luta para recupar o prestígio com sua torcida, acostumada com grande vitórias recentes. Pela Libertadores, São Paulo e Chivas se enfrentaram quatro vezes. Cada um venceu duas, ambas em 2006. Na primeira fase, o Chivas ganhou as duas. Na semifinal, deu Tricolor duas vezes.
PALPITE: SÃO PAULO

Confronto E

Cruzeiro x Universidad de Chile

CRUZEIRO (BRA): 11 participações – campeão (76 e 97); vice (77); semifinal (67 e 75); quartas-de-final (01); oitavas-de-final (94, 98, 04, 08 e 09)
UNIVERSIDAD DE CHILE (CHI): 15 participações – semifinal (70 e 96); oitavas-de-final (05 e 09); 1ª fase (60, 63, 65, 66, 68, 72, 77, 81, 95, 00 e 01)
Embalado pela ótima campanha no Campeonato Mineiro e pela classificação tranquila na primeira fase de Libertadores, o Cruzeiro é favorito nesse duelo inédito contra a Universidad de Chile. O clube chileno eliminou o Pachuca na fase preliminar e deixou para trás o colombiano Boyacá Chicó e o boliviano Aurora na fase de grupos. Mas não chega a botar medo. Contra o Grêmio, arrancou, com sorte, um empate no Olímpico e depois perdeu em casa (2 x 0). Jogo inédito na Libertadores.
PALPITE: CRUZEIRO

Confronto F

Sport x Palmeiras

SPORT (BRA): 2 participações – oitavas-de-final (09); 1ª fase (88)
PALMEIRAS (BRA): 14 participações – campeão (99); vice (61, 68 e 00); semifinal (71 e 01); quartas-de-final (95); oitavas-de-final (94, 05, 06 e 09); 1ª fase (73, 74 e 79)
Único duelo entre dois clubes do mesmo país e também de dois clubes que se enfrentaram na primeira fase. Equipes que caíram no Grupo 1, ao lado de LDU Quito e Colo Colo, Sport e Palmeiras fizeram dois grandes jogos. No primeiro, na Ilha do Retiro, o Palmeiras venceu por 2 x 0, quebrando a invencibilidade do Sport em 2009. No jogo de volta, o Sport arrancou um empate no Parque Antártica (1 x 1), complicando a vida dos paulistas na Libertadores. No ano passado, as equipes se enfrentaram na Copa do Brasil e deu Sport. O time pernambucano vem ainda de um título estadual invicto e apenas um derrota na temporada, em 28 jogos. Já o Palmeiras, embalado pela histórica classificação em Santiago e forte pelo vitória sobre o rival em Recife. Jogaço. O melhor das oitavas.
PALPITE: PALMEIRAS

Confronto G

Libertad x Estudiantes

LIBERTAD (PAR): 10 participações – semifinal (77 e 06); quartas-de-final (07); oitavas-de-final (09); 1ª fase (68, 78, 03, 04 e 05)
ESTUDIANTES (ARG): 10 participações – campeão (68, 69, 70), vice (71), semifinal (83); quartas-de-final (06); oitavas-de-final (08 e 09); 1ª fase (76 e 84)
Atual tricampeão paraguaio, o Libertad foi o primeiro clube a garantir a classificação para as oitavas-de-final da Libertadores. Venceu seus quatro primeiros jogos, mas depois relaxou. Já o Estudiantes vem ainda no embalo da boa campanha da Copa Sul-Americana de 2008 (vice-campeão). O time de Verón aplicou 4 x 0 no Cruzeiro e também está numa fase boa. As equipes nunca se enfrentaram antes pela Libertadores.
PALPITE: ESTUDIANTES

Confronto H

Caracas x Deportivo Cuenca

CARACAS (VEN): 11 participações – oitavas-de-final (95, 07 e 09); 1ª fase (93, 96, 04, 05, 06 e 08); fase preliminar (98 e 02)
DEPORTIVO CUENCA (EQU): 6 participações – oitavas-de-final (09); 1ª fase (76, 77, 05 e 08); fase preliminar (98 e 02)
O Caracas foi, talvez, a maior surprese da fase de grupos. Terminou em primeiro lugar no grupo, deixando para trás Chivas Guadalajara-MEX, Everton-CHI e Lanús-ARG. Já o Deportivo Cuenca venceu seus quatro jogos, na altitude de 2.500 metros de Cuenca. Inclusive a vitória sobre o Boca Juniors. O confronto mais fraco das oitavas-de-final nunca aconteceu antes pela Libertadores.
PALPITE: DEPORTIVO CUENCA

Confrontos nas quartas-de-final:
Vencedor A x Vencedor H (S1)
Vencedor B x Vencedor G (S2)
Vencedor C x Vencedor F (S3)
Vencedor D x Vencedor E (S4)

Confrontos nas semifinal:
Vencedor S1 x Vencedor S4 (finalista 1)
Vencedor S2 x Vencedor S3 (finalista 2)

Pelo regulamento, se dois clubes de um mesmo país chegaram à semifinal, deverão se enfrentar para evitar uma final caseira. Isso só não acontecerá se três brasileiros chegarem entre os quatro finalistas.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 29 de abril de 2009 Copa Libertadores, Estatísticas, História, Sem categoria | 12:38

Brasileiros dominam a Libertadores 2009

Compartilhe: Twitter

Melhor time da Libertadores 2009

Nossos rivais sul-americanos estão mais fracos ou os clubes brasileiros estão cada vez mais fortes na Libertadores? Na 50ª edição do torneio, os times do Brasil estão sobrando. Sport, São Paulo, Grêmio e Cruzeiro já estão classificados para as oitavas-de-final, todos como primeiro colocado de seus respectivos grupos. O Palmeiras, que joga hoje à noite contra o Colo Colo (CHI), pode garantir a quinta vaga brasileira entre os 16 finalistas do torneio.

Em 2008, esse feito já aconteceu. Os cinco representantes brasileiros passaram bem pela primeira fase (Cruzeiro, Flamengo, Santos, São Paulo e Fluminense). Apenas o Santos terminou como segundo em seu grupo. Nos últimos, aliás, foram poucos os brasileiros eliminados nessa fase de grupos. Desde 2000, quando a Libertadores passou a ser disputada com essa fórmula, apenas seis dos 43 times brasileiros que entraram no torneio foram eliminados. São eles: Juventude (2000), Atlético-PR e Flamengo (2002), Santo André (2003), Paulista (2004) e Internacional (2006). O Palmeiras, se empatar ou perder hoje, entra nessa pequena lista dos eliminados.

2000

2001

2002

2003

2004

Atlético-PR (1º)

Palmeiras (1º)

São Caetano (1º)

Paysandu (1º)

Cruzeiro (1º)

Corinthians (1º)

Cruzeiro (1º)

Grêmio (1º)

Santos (1º)

São Paulo (1º)

Palmeiras (1º)

Vasco (1º)

Flamengo (4º)

Grêmio (1º)

Santos (1º)

Atlético-MG (2º)

São Caetano (2º)

Atlético-PR (4º)

Corinthians (1º)

São Caetano (2º)

Juventude (4º)

2005

2006

2007

2008

2009

Santos (1º)

São Paulo (1º)

São Paulo (1º)

Cruzeiro (1º)

Sport (1º)

São Paulo (1º)

Corinthians (1º)

Grêmio (1º)

Flamengo (1º)

Cruzeiro (1º)

Palmeiras (2º)

Goiás (1º)

Flamengo (1º)

São Paulo (1º)

São Paulo (1º)

Atlético-PR (2º)

Internacional (1º)

Santos (1º)

Fluminense (1º)

Grêmio (1º)

Santo André (3º)

Palmeiras (2º)

Paraná (2º)

Santos (2º)

Palmeiras (2º ou 3º)

Paulista (4º)

Internacional (3º)

Para se ter uma ideia, nossos vizinhos argentinos tiveram 18 eliminados na fase de grupos entre os 49 clubes que jogaram entre 2000 e 2009. Na atual edição, apenas Boca Juniors e Estudiantes se classificaram para as oitavas-de-final. River Plate, Lanús e San Lorenzo estão eliminados.Fora das oitavas-de-final

Outra prova do domínio brasileiro em 2009 está na classificação geral dessa primeira fase. Grêmio, São Paulo e Cruzeiro têm hoje as três melhores campanhas. Os brasileiros, aliás, perderam apenas 6 dos 28 jogos que fizeram, sendo que o Sport perdeu para outro brasileiro, o Palmeiras.

CLASSIFICAÇÃO 2009

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1º Grêmio (BRA)

16

6

5

1

0

11

1

10

2º São Paulo (BRA)

13

6

4

1

1

10

6

4

3º Cruzeiro (BRA)

13

6

4

1

1

9

5

4

4º Boca Juniors (ARG)

12

5

4

0

1

8

3

5

5º Libertad (PAR)

12

6

4

0

2

7

5

2

6º Nacional (URU)

11

5

3

2

0

9

2

7

7º Estudiantes (ARG)

10

6

3

1

2

9

4

5

8º Univ. de Chile (CHI)

10

6

3

1

2

8

6

2

9º Sport (BRA)

10

5

3

1

1

7

5

2

10º Dep. Cuenca (EQU)

9

5

3

0

2

8

3

5

11º Caracas (VEN)

9

5

3

0

2

6

3

3

12º Guadalajara (MEX)

8

5

2

2

1

8

5

3

13º Univ. San Martín (PER)

8

5

2

2

1

7

6

1

14º San Luis (MEX)

8

6

2

2

2

7

7

0

15º Defensor (URU)

8

6

2

2

2

6

6

0

16º Colo Colo (CHI)

7

5

2

1

2

9

6

3

Mas nem tudo é felicidade para os brasileiros. O retrospecto nas finais, nos últimos anos, deixam os nossos clubes para trás. Desde 2000, em oito finais, vencemos apenas duas, justamente quando as decisões foram caseiras (em 2005 – São Paulo x Atlético-PR; e em 2006 – Inter x São Paulo). Nas outras sete finais, os campeões foram Boca Juniors-ARG (4 vezes), Olimpia-PAR, Once Caldas-COL e LDU Quito-EQU. Os brasileiros foram vices em 2000 (Palmeiras), 2002 (São Caetano), Santos (2003), Grêmio (2007) e Fluminense (2008).

Quem também precisa se preocupar com o retrospecto nos últimos anos é Grêmio. Desde 2000, o time de melhor campanha na fase de grupos conseguiu, no máximo, chegar ao vice-campeonato (no caso, o Fluminense de 2008). Três times chegaram nas semifinais: América-MEX (2002), River Plate-ARG (2005) e Santos (2007). Outros três pararam nas quartas-de-final: Vasco (2000), Santos (2004) e Vélez Sarsfield-ARG (2006). Já outros dois morreram já nas oitavas-de-final: América de Cali-COL (2000) e Corinthians (2003).

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 23 de abril de 2009 Copa Libertadores, História | 00:27

Atual campeã, LDU está fora da Libertadores

Compartilhe: Twitter

Time equatoriano não tem mais chances na competição

Antigamente, entre (1961 e 1999), todos os campeões da Copa Libertadores tinham vaga garantida na edição seguinte. E sempre numa fase avançada, nunca na primeira. Na década de 1960, por exemplo, os campeões entravam já na semifinal do torneio do ano seguinte. Lá pelos anos 90, os campeões da Libertadores entravam no torneio nas oitavas-de-final. Esse privilégio, porém, acabou em 2000. Desde então, todos os campeões da competição sul-americana entram na fase de grupos.

De 2000 para cá, apenas dois campeões acabaram sendo eliminados nessa fase e não conseguiram chegar aos mata-matas (oitavas-de-final). Em 2007, o Internacional deu adeus ao sonho do bi ao terminar atrás de Vélez Sarsfield (ARG) e Nacional (URU), no Grupo 4, que ainda tinha o Emelec (EQU). Agora, em 2009, foi a vez de outro campeão ser eliminado precocemente. Com a vitória do Sport sobre o Colo Colo (2 x 1), a LDU Quito ficou sem chances de classificação, mesmo tendo ainda mais um jogo para disputar (contra o Sport, em casa, na última rodada do Grupo 1). Com 4 pontos, a LDU só pode chegar a 7 pontos, mesma pontuação de Colo Colo e Palmeiras, que se enfrentam no Chile na próxima semana.

Nos outros anos, os campeões das edições anteriores terminaram assim na Libertadores:
2001 – Boca Juniors (ARG) – campeão
2002 – Boca Juniors (ARG) – quartas-de-final
2003 – Olimpia (PAR) – oitavas-de-final
2004 – Boca Juniors (ARG) – vice-campeão
2005 – Once Caldas (COL) – oitavas-de-final
2006 – São Paulo (BRA) – vice-campeão
2008 – Boca Juniors (ARG) – semifinal

Autor: Tags: , , , ,